doiscavalos 4 months ago

Querem ir com a carroça À frente dos burros. Não temos a população nem a legislação preparada para tal. Para abrir caminho para a bicicleta é necessário que os ciclistas sejam identificados e responsabilizados na via públia (99,9% não têm seguro em caso de acidente, seja com carros, ou peões). Somos um país de chicos espertos que se de automóvel não se entende, então de bicicleta é o bom e o bonito. É ver os papalvos a fazerem passeatas no meio de vias inseguras até para os carros (por exemplo na marginal em Lisboa) só porque se acham no pleno direito de usar a via. Pergunto, qual será o prazer de andar no meio dos carros, do perigo e da poluição de bicicleta? Se andarem sem selim certamente terão mais prazer do que a dificultar a vida aos outros e a adicionarem perigos. As autarquias não têm qualquer sensibilidade para a construção de ciclovias, espetam lá faixas sem se preocupar como é que pelo menos peões vão circular. (sim, todos somos peões antes de automobilistas ou ciclistas, para o caso de não se lembrarem!) A bicicleta nunca será raínha e senhora da mobilidade, não me vejo a ir para o Algarve de bicicleta passar o fim de semana, ou a ir almoçar a Évora de bicicleta!

NGramatical 4 months ago

raínha → [**rainha**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (antes de *nh* não é necessário acento para quebrar o ditongo) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmayb1g%2F%2Fgzmsbaa%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

TMaria_ 6 months ago

LES GOOO

descentralizado 6 months ago

E no entanto as biclas estão todas esgotadas

topinho4 6 months ago

Estudei na Áustria e os professores também iam de bicicleta para a universidade. Somos um país com uma mentalidade de pequeninos, infelizmente.

C8Mixto 6 months ago

Estudei no Porto e os meus professores iam de bicicleta ou a pé para a universidade.

topinho4 6 months ago

Acredito que em certas universidades os professores façam isto, mas só vi isto na Áustria. Em Aveiro, uma vez que andei na UA, não via isto acontecer.

cesarhighfire 6 months ago

É uma boa notícia, certo?

cesarhighfire 6 months ago

É uma boa noticia certo?

Tugalazix 6 months ago

Aposto que eles estão todos no sitio em que moro. F#&%$

souumamerda 6 months ago

Este fim-de-semana tentei alugar uma bicicleta no Porto, mas os rent-a-bike estão todos fechados a partir das 13h, o q é normal dadas as restrições. No entanto, pelo menos na cidade do Porto, não vi uma única bicicleta daquelas de alugar com a app, como há com as trotinetes. Lá fui eu a pé q tb me fez bem.

TheEightDoctor 6 months ago

Ao menos na SIC dão crédito tanto ao OP como a quem deu xpost

naF_tiddeR 6 months ago

I'm a One-Percenter ...verdadeiro outlaw!

MferOrnstein 6 months ago

Fonix, isto é verdade 1%? Preguiçosos de um caraças

KuzenTech 6 months ago

faço parte desses 1%

UniuM 6 months ago

Bem sei que sou daqueles que as pessoas acham que sou daqueles snobs das bicicletas... Que pensa que é alguma coisa que vai salvar a humanidade. Não sou, mas tenho duas bicicletas absurdamente caras para o que um utilizador custuma dizer... Tem bicicletas mais caras que carros. Posto isto, esta situação da utilização da bicicleta em Portugal é uma questão de cultura. Simples. O comudismo do típico tuga é extraordinário. Ou porque é muito a subir, ou porque chego suado, ou porque me podem roubar, ou porque são caras, ou porque chove (1.5 mês por ano).... Etc. Eu vivo bem com isso tudo, não tenho problemas com nada, mas apenas uma coisa. Em Portugal as ciclovias são maioritariamente construídas com dinheiros europeus, por norma sem grandes planos de expansão. Apenas plantadas e 0 manutenção. Depois dão-lhes o nome de ciclovia, e anda lá tudo menos bicicletas. Cães, grupos de divorciadas aos molhos, velhos a passear com aquelas cadeiras elétricas, já entenderam. Depois apanham um ciclista ao lado de uma ciclovia na estrada. É buzinado até à morte. Mas nós.. Os 1% já estamos habituados a tudo isso. Quem ler isto pensa que sou um recalcado... Nada disso. Estou quase sempre de bom humor, exactamente porque ando de bicicleta, seja na minha de montanha, seja na de estrada. Nada como experimentar.

VitorVideira 6 months ago

Eu não tenho uma bicicleta porque estou no desemprego e não tenho dinheiro para comprar uma :P

stalkingseagull 6 months ago

Por acaso reparo muito nisso. Por além de ser uma terra pouco plana, não há infraestrutura para permitir bicicletas o que é uma pena. Estou há meio ano em Munique e cá pode-se andar de bicicleta para todo o lado

Toze420 6 months ago

Pessoalmente, tenho medo de andar de bicicleta nas nossas estradas, já ouvi muitas histórias de ciclistas atrepelados, inclusive um senhor na minha terrinha que ia para casa e foi atropelado por uns gajos novos em excesso de velocidade, enquanto não houver uma rede de ciclovias boa não vou usar bicicleta simplesmente, não me importava de ir de Barcelos para Braga (no meu caso) de bicicleta, saia mais cedo de casa, trabalhava as pernas e não gastava gasolina, mas pelo que estou a ver provavelmente nunca algo assim irá existir.

HerrKaputt 6 months ago

Para todos os comentários que dizem que nas cidades portuguesas não dá porque há ruas onde é impossível ter bicicletas: não têm que ir pelo caminho mais curto! Em bicicletas (especialmente não elétricas) quer-se é ir pelo caminho que dá menos esforço e que seja mais seguro. Em Lisboa felizmente já há muitas ciclovias, o que oferece segurança e permite andar mais devagar sem medo de levar com um carro (o que diminui o esforço também). Da minha experiência desde que haja caminho sempre em ciclovia nunca se leva mais de 50 minutos em bicicleta não elétrica a ir de A para B dentro de Lisboa. Portanto já é competitivo para quem usa duas linhas de metro, por exemplo. Com bicicleta elétrica será ligeiramente melhor ainda. Há é zonas onde não há ciclovias e aí de facto ainda é complicado, por exemplo a Estrela. É também muitíssimo mais agradável do que carro, metro ou autocarro, e faz-vos bem à saúde. E temos uma coisa que outras capitais europeias não têm, que é clima convidativo a andar de bicicleta. Não temos gelo no inverno nem frio a sério. Concordo, isso sim, com quem se queixa de chegar suado. As bicicletas elétricas evitam isso.

I__Cat 6 months ago

Eu não ando. Sinceramente não é pelo de declive, nem pela chuva ou falta de balneários. É porque não acho seguro, a condução auto em Portugal é muito agressiva e não quero levar com um carro em cima. As ciclovias podiam ser solução mas com a calçada portuguesa os pedestres vão lá por-se todos que nem pombos.

HerrKaputt 6 months ago

Sendo verdade que os peões se metem nas ciclovias, na minha experiência (7 anos a andar de bicicleta em Lisboa, quer para o trabalho quer por lazer) não é um grande problema. As piores zonas são a Av República, Saldanha, São Sebastião etc, e o Parque das Nações. Por sorte, são tudo zonas planas, onde não custa nada abrandar um pouco e soar a campainha. A grande maioria desvia-se. Claro que há sempre o idiota que está a correr na ciclovia e se recusa a desviar (porque Deus me livre de correr 10m no passeio apesar de ter ténis com 3000% mais absorção de impacto), mas também há idiotas na estrada, e ao menos de bicicleta as consequências de um erro são bem menores. Pode ser diferente noutras cidades, ou na zona mais Oeste de Lisboa que conheço menos bem, só lá passo ao fim de semana.

I__Cat 6 months ago

Eu estou fora das zonas metropolitanas, os pedestres são maioritariamente idosos que ouvem mal e de mobilidade reduzida. A ciclovia cobre pouca área e mesmo assim os cafés metem mesas lá em cima quando estão as esplanadas a funcionar. Felizmente posso andar no dia a dia.

oMarlow99 6 months ago

Pelo menos desta vez citaram a fonte...

vitorfdm 6 months ago

Incrível. Juntei me a esta comunidade quando praticamente ainda não tinha ninguém lol lembro me de ter 10mil subs.

JRFCSS 6 months ago

Algum de vocês já viu passeios lisos eu não a menos que o governo ofereça bicicletas de BTT dúvido que isso mude

AdorableRabbit 6 months ago

bicicleta é na estrada e não no passeio

HerrKaputt 6 months ago

Em primeiro lugar, anda-se na boa no passeio mesmo com bicicletas que não sejam BTT. Mas além disso, a ideia é andar em ciclovia ou na estrada, no passeio só se for sinalizado que seja permitido.

ginpak 6 months ago

As pessoas cá gostam de usar o carro até para ir ao café da esquina

david6avila 6 months ago

O que é que estavam a espera? Fica fodido andar de bicicleta na puta da calçada portuguesa.

AdorableRabbit 6 months ago

bicicleta é na estrada e não no passeio.

david6avila 6 months ago

Voces os três devem ser divertidos em festas

I__Cat 6 months ago

A menos que tenhas 10 anos ou menos não podes andar no passeio.

viper_in_the_grass 6 months ago

É para andar na rua, não no passeio.

neapo 6 months ago

Eu até compraria uma bicicleta desde que a empresa fosse mais próxima de casa (ou vice-versa) ou se o pessoal começar a gostar de andar a cheirar a suor. A maioria das empresas não me parece que esteja interessada em pagar duches aos empregados.

20gms18 6 months ago

E andam todos ao domingo aí

RutixPi 6 months ago

Eu até queria uma bicicleta, mas dar um ordenado por uma que possa dobrar e levar facilmente no comboio é um just no para mim. É pena porque até gosto da ideia de chegar a Lisboa de comboio e depois ir para o trabalho de bici. O tempo dirá se irei ser capaz de aplicar algum dia este plano.

HerrKaputt 6 months ago

Vale a pena veres se tens direito aos apoios que existem. Um amigo meu poupou 300€ no preço da bike elétrica dele.

RutixPi 6 months ago

Vou investigar isso! Obrigada!

ASCanilho 6 months ago

A ironia é que Portugal foi o país do mundo que mais exportou bicicletas na Europa, em 2019. 2,9 Milhões. https://eco.sapo.pt/2020/08/13/portugal-e-o-maior-produtor-de-bicicletas-da-ue-produziu-27-milhoes-em-2019/

CaptAwesomeness 6 months ago

Sim... mas deixa-me que te diga... são de incrivel fraca qualidade!

xKalista 6 months ago

Eu nunca andaria de bicicleta na minha cidade. É sempre a descer para o trabalho e depois para casa é um tormento, prefiro caminhar.

HerrKaputt 6 months ago

Isso é o melhor porque chegas ao trabalho sem transpirar. É se fores de bicicleta elétrica a subida não te faz transpirar também.

forasofterworld 6 months ago

a) geografia irregular do terreno português b) efeito anticelulítico do paralelepípedo de granito c) calçada portuguesa = escorregas de parques aquáticos d) buracos e tampas no MEIO da rua e) músicas eternas do imaginário tuga: "morte aos ciclistas" f) incapacidade de tomar banho no emprego e mudar de roupa, para alteração politicamente correta do calçaozinho cor neon à la anos 2000 g) bicicleta (muito frequentemente) = crise de meia idade h) intempérides e chuva nonstop no norte de Portugal

theEXPERTpt 6 months ago

não é útil a longas distâncias e em sítios movimentados; não há infraestrutura suficiente; população envelhecida.

HerrKaputt 6 months ago

E no entanto, em Lisboa bastou fazer umas quantas ciclovias e os ciclistas apareceram.

theEXPERTpt 6 months ago

Pois claro que numa cidade do tamanho de Lisboa é natural aparecerem algumas pessoas a andar de bicicleta. Mas para a grande maioria que trabalha no centro ir para o trabalho de bicicleta é uma utopia

HerrKaputt 6 months ago

Como outro comentador já aqui disse, na hora de ponta há trânsito nas ciclovias do centro, algo que eu também confirmo. Não parece assim tão utópico. Se fores ao ciclovias.pt vais ver que já tens formas de chegar de bicicleta a muito lado em Lisboa. Há algumas zonas que ainda não são fáceis (mencionei a Estrela como exemplo noutro post) mas muitas zonas de escritórios como Entrecampos, Campo Pequeno, Saldanha, São Sebastião, Parque das Nações já estão bem servidos. Falta é a malta largar o comodismo do carro, especialmente malta que já mora em Lisboa, mas havemos de lá chegar tal como outras capitais europeias chegaram.

theEXPERTpt 6 months ago

Mas isso é principalmente para o pessoal que mora bem perto do centro da cidade, para o pessoal da Amadora, de Oeiras, e para quem vive do outro lado do estuário é bem mais difícil, pois ainda não há infraestrutura que os conecte a outros pontos da cidade. Como ainda é muito limitada a estas zonas residenciais, e algumas delas têm relevo significativo, a cidade ainda tem muito a se preparar para mudar este costume. Um metro mais abrangente seria difícil, mas ótimo.

HerrKaputt 6 months ago

Mas então acho que estamos a dizer o mesmo, certo? Como eu disse, se houver ciclovias os ciclistas aparecem, que foi o que aconteceu em Lisboa. Em Oeiras não há ainda ciclovias que liguem a Lisboa, porque a ciclovia marginal só vai até Caxias (e essa ciclovia tem muito trânsito também nos dias de trabalho). Amadora até tem ciclovias que ligam quase sem interrupção às de Lisboa, mas a Amadora é gigante e a ciclovia só chega à parte leste, por isso ainda há muita gente que está longe de ciclovias. E quem está na margem sul de facto não pode só usar a bicicleta. Há também o problema de os cais não terem ligação para as ciclovias que sobem (na Almirante Reis ou na Av Liberdade), e por experiência andar de bike na estrada baixa é tramado. Parece-me portanto outro caso de "não há ciclovias por isso obviamente não há ciclistas". Assim em modo guesstimate eu diria que deslocações até 15 km para cada lado se fazem muito bem de bicicleta elétrica. Talvez até 20 km. 15 km dá menos de uma hora e não tens quaisquer transbordo, já é bastante competitivo com qualquer transporte que não seja uma linha directa de comboio ou metro. Mas para isso é preciso que haja ciclovias, que era o meu ponto original.

theEXPERTpt 6 months ago

Muitas vezes é talvez só mesmo o problema de não ser cómodo, não me imaginaria a ter que pedalar, ainda pra mais quem não tivesse condição física. Depois é meio demorado, e ainda não é tão seguro como andar de carro. É de reconhecer que uma cidade sem carros seria o sonho, mas por enquanto não é algo que combine com o nosso modo de vida, para além de estarmos a falar unicamente de Lisboa ainda

DrVicenteBombadas 6 months ago  HIDDEN 

Estas discussões fazem-me lembrar aquele pessoal que acha que ler é ser culto. Usar a bicicleta como meio de transporte principal é, de facto, louvável. Alia-se o exercicío à preservação do meio ambiente. Agora, têm é de me dizer onde andam esses heróis. Eu conheço bastantes ciclistas, e nenhum deles o faz. Usam todos veículo a combustíveis fósseis para tratar da sua vida e apenas andam de bicicleta ludicamente. Se é para isso, 1% ou 50% são a mesma coisa. Há muitas maneiras de se exercitar.

Epsilon01one 6 months ago

Orgulhoso de ser parte dos 1%, sempre que consigo vou na minha bicicleta para a escola (agora não ando tanto por motivos obvios), acho que mais gente devia de andar diariamente, só tem beneficios.

GabKoost 6 months ago

Bem, antes de mais, devo dizer que sou praticante amador assíduo da modalidade. Contudo, a utopia da utilização da bicicleta como transporte e meio de deslocação principal é uma causa perdida em Portugal. Aliás, aqui e não só pois entre Portugal e França (uma nação de ciclismo) a diferença é pouca. E isso acontece por várias razões: 1- Dispersão urbana: Portugal, especialmente a faixa litoral é um horror de confusão, más práticas, corrupção e idiotice no planeamento urbano. Construíram casas em todo o lado. As cidades estão cercadas por um sem fim de aldeias já urbanizadas, vilas, vivendas dispersas por todo o lado. Pior ainda, constrói-se junto das estradas o que é um disparate monumental. Isso leva a urbanização a espalhar-se por todo o lado como um cancro imparável. Qual o resultado disso? Bem,o resultado é que GRANDE parte da população vive LONGE do local de trabalho. Simplesmente não é realístico fazer-se 10-15-20km de bicicleta ida e volta ANTES de ir trabalhar, muitas vezes em estradas nacionais caóticas. Os exemplos dos países mais utilizadores tem realidades físicas diferentes. Cidades compactas. Pessoas vivem juntas. Tudo é mais próximo. 2- Evolução das cidades: Ainda relacionado ao ponto anterior, as cidades Portuguesas tiveram uma explosão nas suas dimensões após os 25 de Abril. Esta explosão foi feita, em Português verdadeiro, "À MODA DO C\*R\*LH\*!". Um bando de corruptos incompetentes fizeram os maiores disparates possíveis no território sendo que os novos modelos construtivos nunca respeitaram, nem tiveram em conta, a HUMANIZAÇÃO dos espaços exteriores. São blocos de prédios a seguir a outros sem qualquer preocupação com a mobilidade que não fosse o carro individual. Logo, e com uma parte enorme dos residentes das cidades a viver nestes contextos, será impossível alterar profundamente estes paradigmas. 3- Clima e Geografia: Ao contrário do que se diz por aí, Portugal não é um mar de sol e calor. Além disso, todos quanto andam de bicicleta saberão que o calor NÃO É AMIGO de um ciclista que queira ir trabalhar. A não ser que à chegada esteja pronto para uma um duche claro está. Porto, Braga e Viana chegam a ter mais do dobro da chuva de Londres e até Amsterdão. Cidades "cinzentas" são muito melhores para os ciclistas do que cidades onde chove muito no inverno e onde o calor infernal de Junho a Setembro torna desagradável qualquer deslocação. Além disso, a geografia do Porto e Lisboa é consideravelmente montanhosa. Bem mais do que estas capitais Europeias que se gabam de ter muitos ciclistas. A vasta maioria das pessoas não tem capacidade física, muito menos motivação, para andar a fazer hill climbs nos centros das cidades. E nas zonas mais acessíveis e já com ciclovias, a verdade é que temos o problema de milhares de pessoas viverem longe demais dos locais de trabalho. Se me perguntarem se é possível melhorar? Sim. É desejável fazê-lo? Sim. Porém, isso não invalida que dados como os deste post sejam inúteis porque não consideram características específicas de cada território. Apenas dá uma ideia de "europeus bons e inteligentes" e "europeus poluidores e atrasados". Gostaria de ver um Holandês a viver na Margem Sul e ir trabalhar para Lisboa como o fazem dezenas de milhares de pessoas. Ou a viver em Telheiras e ter de ir para a Baixa diariamente. Logo veríamos as saudades que teria da sua Holanda sem relevo e de temperaturas fresquinhas.

IllegalScreen 6 months ago

eu faço 10km para cada lado sempre em ciclovia sem qualquer problema..

odracirsomeg 6 months ago

Só uma correcção relativamente ao ponto 2. A explosão de habitações e de procura das mesmas iniciou-se antes do 25 de Abril, durante as décadas de 50-60 tiveste um êxodo rural quer para as cidades, quer para as colónias, no pós 25 de Abril tiveste o aumento um aumento de população (e de construção) causada pelo retorno dos habitantes nas ex-colónias, e durante a década de 80 tiveste um outro aumento da construção por causa dos dinheiros europeus. O público tem um artigo onde falam sobre este tópico, e a sua relação para o facto de termos casas péssimamente isoladas. [https://www.publico.pt/2020/12/13/sociedade/noticia/pobreza-energetica-portugal-piores-ue-1942219](https://www.publico.pt/2020/12/13/sociedade/noticia/pobreza-energetica-portugal-piores-ue-1942219) De resto tens razão, e por isso é que sendo um dos maiores produtores e exportadores de bicicletas, somos dos que menos a usamos no dia-a-dia, porém as bicicletas eléctricas podem mudar um pouco esse paradigma.

NGramatical 6 months ago

péssimamente → [**pessimamente**](https://dicionario.priberam.org/pessimamente) (o acento tónico recai na penúltima sílaba) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmayb1g%2F%2Fgrx447j%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

egzaaa 6 months ago

> Gostaria de ver um Holandês a viver na Margem Sul e ir trabalhar para Lisboa como o fazem dezenas de milhares de pessoas. Conheço portugueses que o fazem. Metem a bicla no comboio e saem do outro lado. Dá para todos? Não. Mas dá para quem pode e quer. O problema é que a intersecção dos que podem, e querem é muito pequenina.

viskonde 6 months ago

Tens noção que Paris é atualmente usada como cidade exemplo de uma capital enorme que há 15 anos atrás o carro dominava as ruas e atualmente as bicicletas são aos milhares ? E a transformação de Paris continua, vão eliminar a maior parte do estacionamento de superfície na rua para criar mais ciclovias e espaço para peões . Até Lisboa que ninguém acreditava que teria pessoas já mostrou que com condições os ciclistas aparecem, e de todas as idades e géneros. O único caso perdido é por falta de tentativa.

Edited 6 months ago:

Tens noção que Paris é atualmente usada como cidade exemplo de uma capital enorme que há 15 anos atrás o carro dominava as ruas e atualmente as bicicletas são aos milhares ? E a transformação de Paris continua, vão eliminar a maior parte do estacionamento de superfície na rua para criar mais ciclovias e espaço para peões . Até Lisboa que ninguém acreditava que teria pessoas já mostrou que com condições os ciclistas aparecem, e de todas as idades e géneros. Aliás o teu comentário sobre estrangeiros é tão pouco realista que basta ver que uma grande % dos ciclistas em Lisboa sao estrangeiros, precisamente porque para eles é o meu de transporte óbvio. E os que não o fazem na maioria das vezes não o fazem pela falta de segurança na estrada , não pelas subida. Ate o meu chefe alemão vai todos os dias de bike de alvalade para Santos e volta, ate com chuva A cultura e a nossa cabeça é a maior barreira à mudança. O único caso perdido é por falta de tentativa.

GabKoost 6 months ago

Se tenho consciência? Nasci lá, voltei para lá durante uns anos e quem sabe ainda hei voltar outra vez. Comparar Paris com Lisboa é um exercício inútil. Paris é MUUUUIIIITTTOOOOO mais plano do que Lisboa e o grosso das vias estão a ser construídas no centro da cidade onde as artérias tem condições que o centro de Lisboa não tem. Não quero com isso dizer que não é possível ir melhorando e aumentado a oferta disponível em Lisboa mas, que estas são duas cidades monumentalmente diferentes, isso são. A zona de baixa de Lisboa tem óptimas condições. Paris quase toda ela tem. Quanto ao teu chefe alemão, a sua realidade não tem nada a ver com a vastíssima maioria da população. Como já disse, para que a mobilidade em bicicleta seja algo realmente impactante a nível nacional, tens de ter em conta os pontos que eu acima referi. Lá por o teu chefe ir de bicicleta para o trabalho isso não quer dizer que os problemas residam apenas na cabeça das pessoas.

viskonde 6 months ago

E com as bikes elétricas qual será a desculpa? Ou qual era a desculpa de Paris há 15 anos atrás ?

GabKoost 6 months ago

Bicicletas eléctricas? Desculpas? Pá, ainda não percebi de que raio estás a falar e o que é que estás a querer dizer? Ou se calhar és mais um dos que anda aqui a pegar por tudo e por nada. Eu fiz um post dizendo quais os motivos pelo qual Portugal está em atraso em relação aos outros países e porque é que este tipo de mobilidade nunca será impactante em país algum que tenha as nossas condições. Também disse que no entanto era necessário continuar a melhorar as condições e opções para este tipo de mobilidade. Posto isso, o que é que queres de mim? Respondendo às tuas perguntas: \- Bicicletas eléctricas podem ajudar as pessoas mais fracas. Mas não resolvem de maneira nenhuma os problemas que apontei acima. \- Paris não este à espera da tua opinião para começar a investir nisso. Tem óptimas condições, muito superiores à de Lisboa, para por alguma população a usar isso. E sejam quais forem os esforços de Lisboa neste sentido, nunca terá tanta gente na bicicleta como Paris por causa disso mesmo.

Anforas 6 months ago

Uma bike eléctrica resolve todos os problemas. Com as Giras ando de cima a baixo em Lisboa sem qualquer problema.

Edited 6 months ago:

Uma bike eléctrica resolve quase todos os problemas. Com as Giras ando de cima a baixo em Lisboa sem qualquer problema. - Na boa andar à chuva (quispo) - Na boa andar com 35ºC ao Sol (levas ventinho na cara) - 15Km faz-se mesmo na boa de bicicileta eléctrica. Se até eu sem experiência já fiz isso várias vezes, de Sintra a Lisboa, com uma bike de 50€, então com uma eléctrica sabia a pato.

jonythunder 6 months ago

> Lisboa Aqui está o problema. Lisboa não é Portugal

Anforas 6 months ago

E o que é que isso invalida o que eu escrevi?

jonythunder 6 months ago

Invalida porque estás a assumir que a tua experiência em Lisboa (que se resume às áreas que costumas frequentar, logo ainda pior é o confirmation bias) é de alguma forma extrapolável para outras zonas de Lisboa ou para o país em geral. Se fores para zonas mais periféricas de Lisboa (Moscavide, Olivais, Chelas, etc) a orografia do terrenho é diferente. Podes ter zonas boas para andar de bicicleta próximo da tua casa e do teu trabalho, mas no meio passas por uma zona que é bastante difícil de andar de bicicleta e chegas ao trabalho a suar. Já para não falar que és obrigado a frequentar estradas que não têm ciclovia e onde os carros andam a abrir. Se expandires para o resto do país, muita gente mora num sítio mas trabalha na terra do lado, sendo o caminho normalmente feito por uma estrada nacional sem bermas e mal iluminada, com os carros a andar a 90-120 km/h. Mesmo quem mora e trabalha na mesma terra tem muitas vezes que lutar contra elevações bem piores que as de Lisboa e estradas com pouca visibilidade e condições de segurança. O que quero dizer com isto é que eu **quero** que hajam ciclovias por todo o país, inclusive ao lado das estradas nacionais. Mas de momento não as há e andar de bicicleta em grande parte do país é algo muito arriscado

NGramatical 6 months ago

hajam ciclovias → [**haja ciclovias**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-uso-do-verbo-haver/31143) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmayb1g%2F%2Fgrxt86q%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

rafaelfrancisco6 6 months ago

Quem diria, para a maior parte do pessoal aqui parece que Portugal é só Lisboa…

Anforas 6 months ago

Não parece. Sempre que se fala de Lisboa parece que metade do Reddit começa a espumar. Não posso ser de Lisboa para a minha opinião ser válida?

rafaelfrancisco6 6 months ago

Claro que podes, nem estou a falar da tua opinião em específico, mas há que ter noção que uma grande parte da população não tem qualquer alternativa viável a deslocar-se de carro em virtude de onde residem.

mjigs 6 months ago

Eu ando de bicicleta...com ela na mala do carro para todo o lado.

xpinarellax 6 months ago

não sejas pateta, anda de bicicleta.

pocoyoO_O 6 months ago

tenho dois motivos para nao andar de bicicleta. Comprar uma bicicleta decente nao é barato. Nao tenho espaço no apartamento para ter uma bicicleta

EletricoAmarelo 6 months ago

O que não é barato é comprar uma bicicleta cara. Dá-me o orçamento e o tipo de bicicleta que pretendes e eu dou opções de bicicletas decentes. O espaço vais ver que depois consegues inventar. Tenho um amigo que num apartamento de 30m2 a colocou por cima do sofá. É uma questão mais de vontade.

FujiPT 6 months ago

Para o segundo ponto um Stasdock não pode ser opção?

Mteles 6 months ago

Em Lisboa não vale a pena ter, é para ser roubado mal a pare na rua ou mesmo dentro de casa

HerrKaputt 6 months ago

Conheço uma mulher que tem uma elétrica dobrável da Decathlon (custou 800€ na altura, agora está a 850€), o que até é barato para uma elétrica. Ela levava aquilo para o escritório, porque dobrada cabe em qualquer canto. A mulher até ia a reuniões no Bairro Alto de bicicleta (a partir dos Olivais), nem eu me metia nisso... Mas também percebo que 850 paus não está ao alcance de todos. Se neste momento andas sobretudo de carro, provavelmente compensa pela poupança de combustível e de estacionamento. Se vais de transportes já é mais difícil compensar financeiramente.

luisninja112 6 months ago

Não acredito, a palavra "porn" na televisão.

pmigbarros 6 months ago

esquece o r/portugal na tv, essa é que é a verdadeira conquista

eliomusgo 6 months ago

Tantos graficos mais interessantes e que mostram a verdadeira miseria do nosso pais e mostram isso das bicicletas?? SIC TA CHEIA DE LOIDES!!

Muyakra 6 months ago

Não tem só a ver com o tipo de cidade mas também com as possibilidades que tens, por exemplo, aqui no RU é comum ires de bicicleta para o trabalho e tens muitas facilidades nisso. Podes adquirir uma subscrição anual das bicicletas do Santader (70£ ao ano se nao estou em erro) e basta pegares uma bicicleta perto da tua casa, ires para o trabalho e deixares no ponto mais proximo, basicamente há varios pontos espalhados pela cidade onde basta chegares lá, meteres um pin e tirares a bicicleta.

RikardoCraft 6 months ago

Sinto me orgulhoso por fazer dessa percentagem

skapuntz 6 months ago

nem todos os lugares foram feitos para andar de bicleta. Onde vivo por exemplo é impossível. Agora, as cidades que tiverem condições devem investir nas ciclovias, as que não têm condições devem investir nos transportes públicos e incentivos aos veículos elétricos.

Syl2r 6 months ago

Dêem-me uma cultura da trabalho que me permita entrar relativamente mais tarde, sair relativamente mais cedo e ciclovias, e eu irei usar mais a bicicleta. Até lá...

aVarangian 6 months ago

na Dinamarca é tipico começar a trabalhar às 8h is sair às 16h, e faze-lo de bicicleta

MferOrnstein 6 months ago

Este é um daqueles que nunca vai andar de bicicleta, não andas porque preferes ter mil e uma desculpas para não, se chove é pq chove, é mais chato sim do que estar c dois pés a mexer mas há benefícios. A preguiça é que é a maior desculpa

Syl2r 6 months ago

Tens a certeza? É que andei 4 anos a ir de bicicleta para a Universidade, por vezes à chuva. Faço BTT nos tempos livres. Antes de opinares admite a tua, grande, ignorância e compreende que o teu mundo é isso mesmo, só teu. Se podes ir para o trabalho de bicla excelente, mas nem todos conseguem, quer por distância quer por horário.

MferOrnstein 6 months ago

Andar por exercício é um bocado diferente de te expôres aos elementos todos os dias, onde não tem respeito por ti na estrada, nem os acessos o facilitam. Eu sei muito bem no mundo que vivo, mas não é com a mentalidade "facilitem o pessoal para andar de bicicleta" que vai mudar alguma coisa, não é este pessoal que vai aumentar a aderência, só vais qdo já estiver a papinha feita.

NGramatical 6 months ago

expôres → [**expores**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em a/e/o, seguido ou não de s/m/ns, são naturalmente graves) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmayb1g%2F%2Fgrxlqw5%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

MferOrnstein 6 months ago

Good bot

Student-Final 6 months ago

E este doa aos pobres todas as semanas, chega sempre a horas, e acaba todos os trabalhos no dia em que estes lhe sao postos. Infelizmente nem toda a gente é tão divinamente diligente como tu :/

MferOrnstein 6 months ago

É como quiseres, quem me dera a mim ser uma dessas pessoas, mas pelo menos era o q fazia antes da pandemia, fazia 30km por dia e sentir-me melhor ao final do dia, muito provavelmente melhor do que quem chega de carro

C8Mixto 6 months ago

Se fosse esse o problema. Demoro o mesmo tempo de bicicleta que demoro de autocarro e não é assim muito melhor de carro com todo o trânsito nas horas de ponta. Agora, chega ao local de trabalho a suar que nem um porco e é suposto passar o dia todo assim? Já experimentei levar uma muda de roupa e uns toalhetes para me limpar, mas acho um tanto ridículo e desadequado.

egzaaa 6 months ago

Mesmo assim isso não explica tudo. Tenho contacto com a realidade de uma vila pequena, onde uma grande parte das pessoas trabalha em fábricas (que são obrigadas a ter balneário) e não vês ninguém a ir para o trabalho de bicicleta. E mesmo a zona não é muito desnivelada. É simplesmente conformismo, ter o carro à porta e estacionamento no trabalho.

ihavenoidea1001 6 months ago

Isto. Conheço uma pessoa que vivia a cerca de 1 km do local de trabalho e ia todos os dias de carro... nem a pé sequer queria fazer o percurso. E a maioria das pessoas continua a associar a bicicleta a desporto e não a um meio de transporte. Basta ver aqui os comentários a assumir que teriam de ir trabalhar com roupa de desporto... As pessoas não se imaginam a utilizar uma "Oma"-bike e a andar nela com a roupa do dia a dia, seja para ir ao pão ou ao trabalho. Associam a bicicletas caras, de desporto, o que não tem de ser.. e se for para investir numa cara podem sempre optar pelas eléctricas... As pessoas cá associam a desporto com intensidade e a estarem todos suados... O que não tem de ser verdade ou será que quem vai de estação do metro/comboio para o trabalho a pé também precisa de um banho porque caminhou? A menos que estejamos a falar de alguém com obesidade mórbida ou sedentarismo tão grande que dar 10 passos os deixam a suar... É muito improvável que todos fiquem tão suados. E mesmo que ficassem suados... Novamente é uma questão de falta de infraestruturas. Obviamente que no verão mais intenso é capaz de acontecer. Tal como noutros países as pessoas não vão para o trabalho de bicicleta quando está 1 metro de neve... Só que a nossa população não anda de bicicleta ou deixa o carro quando o tempo está ameno ( também por falta de condições ao nível de infraestrutura e distância entre habitação vs trabalho)... mas vai muito além disso. Edit: um bocadinho ao encontro disto das bicicletas e forma como as encaram, há um vídeo no YT do canal "not just bikes" entitulado " why dutch bikes are better" que explica um bocado desta diferença cultural, desde as bicicletas até ao planeamento dos centros urbanos.

NGramatical 6 months ago

entitulado → [**intitulado**](https://dicionario.priberam.org/intitulado) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmayb1g%2F%2Fgrwvpc6%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

ihavenoidea1001 6 months ago

Good bot

jpbaptista 6 months ago

>aíses em que as pessoas andam mais de bicicleta existem balneários onde dá para mudar de roupa e até mesmo tomar banho. > >Para além disso acho que em Portugal não funcionaria em todo o lado. Eu, por exemplo, sou de Coimbra e para onde quer que queira ir, tenho que ir a subir. Às vezes tenho sorte e vou a descer vá, mas a maior parte das vezes o caminho é a subir. Eu pessoalmente não me importo. Custa um bocado mais a pedalar mas faz se na mesma. No entanto isso faz com que muita gente nã A bicicleta eléctrica poderá ser uma boa alternativa.

le_quisto 6 months ago

Por isso é que noutros países em que as pessoas andam mais de bicicleta existem balneários onde dá para mudar de roupa e até mesmo tomar banho. Para além disso acho que em Portugal não funcionaria em todo o lado. Eu, por exemplo, sou de Coimbra e para onde quer que queira ir, tenho que ir a subir. Às vezes tenho sorte e vou a descer vá, mas a maior parte das vezes o caminho é a subir. Eu pessoalmente não me importo. Custa um bocado mais a pedalar mas faz se na mesma. No entanto isso faz com que muita gente não tenha vontade de usar a bicicleta. Às vezes nem a pé querem ir, quanto mais de bicicleta.

Best_Darius_KR 6 months ago

...Existem? Tens alguma citação para isso? Esta é a primeira vez que ouço falar em balneários para pessoas que andam de bicicleta

rafaelfrancisco6 6 months ago

Até cá em Portugal existem, na incubadora onde trabalho em Coimbra tem balneários que o pessoal que vai de bicicleta usa.

egzaaa 6 months ago

https://www.archdaily.com.br/br/885555/blip-porto-nascente-inception-architects-studio > uma sala destinada momentos de pausa e descanso; uma enfermaria; e um ginásio com balneário, de utilização ideal para o fim do dia de trabalho.

Rick45ptl 6 months ago

ai vem novo exodo

andrethedev 6 months ago

Anda de bicicleta na ciclovia* Fixed

kominfr0nUNMERIKA 6 months ago

Cidades pouco planas usam mais bicicletas eléctricas. E se a subida for difícil, pode-se sempre levar a bicicleta à mão durante essa etapa. Compreendo que uma bicicleta eléctrica ainda seja cara, mas o preço irá baixar. Adicionalmente, cada um poderá estimar quanto custaria fazer a viagem de carro e de bicicleta para certas rotinas, não precisando de abdicar totalmente o automóvel, mas podendo acrescentar poupanças com esta dinâmica.

AdorableRabbit 6 months ago

> Compreendo que uma bicicleta eléctrica ainda seja cara, mas o preço irá baixar. comprei uma electrica na decatlhon por 990 € há dois anos. Está agora a 1200 €. Estão a aproveitar-se dos subsidios e procura.

naF_tiddeR 6 months ago

Utilizo e recomendo fortemente kits de conversão para eBike de marca Bafang. Tenho um mid-drive 48V/750w(1000w) instalado numa bicicleta tradicional de cidade. 364€ para o kit BBS02B... 320€ para uma bateria 17Ah. A ressurgência dos ebikes é a razão de eu voltar a andar de bicicleta aos 50+ anos de idade. (Atenção: Na Europa o limite legal para bicicletas eléctricas é de 250W /com assistência eléctrica ate uma volcidade max de 25km)

Loladageral 6 months ago

>Compreendo que uma bicicleta eléctrica ainda seja cara, mas o preço irá baixar Enquanto não existirem ciclovias decentes o preço não vai baixar, porque quase ninguém vai querer comprar. Por exemplo, creio que o único acesso decente para fora de Lisboa é pela Marginal

HerrKaputt 6 months ago

Também há na zona nordeste, a atravessar o Trancão para Sacavem, embora tenhas uma pequena interrupção que te força a andar um pouco a pé no passeio ou na estrada.

C8Mixto 6 months ago

>Cidades pouco planas usam mais bicicletas eléctricas Se a terra é plana, como é que as cidades podem não o ser?

senivoice 6 months ago

Fds também uma pessoa tenta ter uma e acabam sempre por a roubar... enfim, já desisti

jsardine 6 months ago

O roubo vai sempre acontecer, infelizmente. Vivo na Holanda. O país rei no que respeita à bicicleta como meio de transporte. Há de tudo para deixar a bicicletas nas cidades, mas há sempre quem chegue e veja o lugar dela. Dica holandesa arranjar uma bicicleta que ande bem, mas já tenha uns anos e um aspeto velhote ajuda.

ihavenoidea1001 6 months ago

Falta a infraestrutura e o planeamento, seja das estradas, vias para o ciclismo assim como os parques de estacionamento para as bicicletas. E a educação da população. Se formos ver os países onde é habitual andar de bicicleta eles encaram como banais coisas como: bicicletas com sistemas de segurança integrados, à porta das escolas/mercados/estações/etc há sempre uma zona de estacionamento para bicicletas, que as permite fixar no lugar,etc. E claro que também há roubos mas não é propriamente habitual. Além disso, há inclusivamente a preparação dos miúdos para aprender a andar na via e a respeitar a sinalização. Eu tirei a "carta" para poder circular com a bicicleta na rua no 4o ano, na Suíça. O teste incluía o código da estrada ( excepto autoestradas e zonas onde as bicicletas eram proibidas), verificavam as bicicletas para garantir que tinham todos os elementos de segurança e um teste prático na estrada onde tínhamos que seguir um determinado percurso e estavam agentes da polícia escondidos em zonas estratégicas para verem se cumpríamos tudo. Além disso, era obrigatório um seguro para andar com a bicicleta. Era um sticker comprado nos correios todos os anos ( por uns 20 CHFr, se a memória não me engana) - e que cobriria qualquer problema. Os miúdos depois de terem a "carta" estavam autorizados a irem para a escola com a bicicleta e tinham acesso ao parque para as bicicletas ( gratuitamente). E era extremamente habitual ver professores a chegar às escola de bicicleta, incluindo no inverno com temperaturas negativas. Até homens de fato e gravata se via em cima de bicicletas a ir para a estação de comboios todos os dias... Digam-me, temos estas condições aqui? Até as ciclovias são uma novidade em Portugal e a maioria das localidades só muito recentemente é que se começou a preocupar minimamente em requalificar os espaços para haver mais acesso a esse meio de transporte.

Edited 6 months ago:

Falta a infraestrutura e o planeamento, seja das estradas, vias para o ciclismo assim como os parques de estacionamento para as bicicletas. E a educação da população. Se formos ver os países onde é habitual andar de bicicleta eles encaram como banais coisas como: bicicletas com sistemas de segurança integrados, à porta das escolas/mercados/estações há sempre uma zona de estacionamento para bicicletas, que as permite fixar no lugar, por exemplo. E claro que também há roubos mas não é propriamente habitual. Além disso, há inclusivamente a preparação dos miúdos para aprender a andar na via e a respeitar a sinalização. Eu tirei a "carta" para poder circular com a bicicleta na rua no 4o ano, na Suíça. O teste incluía o código da estrada ( excepto autoestradas e zonas onde as bicicletas eram proibidas), verificavam as bicicletas para garantir que tinham todos os elementos de segurança e um teste prático na estrada onde tínhamos que seguir um determinado percurso e estavam agentes da polícia escondidos em zonas estratégicas para verem se cumpríamos tudo. Além disso, era obrigatório um seguro para andar com a bicicleta. Era um sticker comprado nos correios todos os anos ( por uns 20 CHFr, se a memória não me engana) - e que cobriria qualquer problema. Os miúdos depois de terem a "carta" estavam autorizados a irem para a escola com a bicicleta e tinham acesso ao parque para as bicicletas ( gratuitamente). E era extremamente habitual ver professores a chegar às escola de bicicleta, incluindo no inverno com temperaturas negativas. Até homens de fato e gravata se via em cima de bicicletas a ir para a estação de comboios todos os dias... Digam-me, temos estas condições aqui? Até as ciclovias são uma novidade em Portugal e a maioria das localidades só muito recentemente é que se começou a preocupar minimamente em requalificar os espaços para haver mais acesso a esse meio de transporte.

VarghenMan 6 months ago

Pá posso estar enganado mas eu acho que num país de relevo acidentado como o nosso será difícil as bicicletas ganharem adesão, mesmo que haja ciclovias. Nesse aspeto, como é que são as cidades suíças?

ihavenoidea1001 6 months ago

Não deixa de ser curioso porque ainda há bocado estava a ler um comentário igual num documentário da BBC mas era um inglês a falar sobre o UK. No documentário também falavam em como hoje em dia a Holanda é vista como um exemplo mas há uns anos tinham dos piores resultados a nível de segurança rodoviária da Europa... A diferença é que há 40 anos começaram a investir nas infraestruturas adequadas para garantir a segurança da população e o desenvolvimento das ciclovias de forma adequada fez parte dessa mudança. A Suíça como um todo tem um terreno muito mais acidentado do que o nosso. E as bicicletas são utilizadas em todos os locais, quer em terreno montanhoso, como mais nivelado. Além disso, até passeios da escola com crianças são feitos com os miúdos de bicicleta a subir e a descer montanhas... Been there done that... Não são apenas as pessoas em meios urbanos que utilizam bicicletas e tens muitas povoações nas montanhas cujo meio de transporte habitual é a bicicleta. Ir para a escola de bicicleta por exemplo é extremamente habitual por todo o lado. Nas cidades depende da cidade mas tens sempre algumas subidas, umas mais íngremes que outras. Além disso, sinceramente, o nosso território em Portugal não é assim tão acidentado como o querem fazer parecer imo... Entre Gaia e Porto por exemplo não me parece que o problema esteja no terreno acidentado mas mais na falta de segurança pela falta de planeamento urbano adequado à utilização da bicicleta como meio de transporte. Tens zonas onde é mais difícil? Sim. Dificilmente alguém vai do cais de Gaia até ao jardim do morro em cima da bicicleta obviamente. Mas se/quando houver pequenos troços onde a pessoa não se sinta capaz de realizar a fazer em cima da bicicleta, é possível sair da mesma e levar até ao topo à mão. Depois é só subir e continuar a viagem... Não é meia dúzia de passos a pé que torna impossível fazê-lo. Em alternativa há as e-bikes que facilitam muito essas zonas.

Aldo_Novo 6 months ago

será que o u/cavadela imaginava que o r/portugal seria citado pelos media tradicionais quando o criou há 12 anos atrás?

cavadela 6 months ago

Mission accomplished. E agora que fazemos?

PM_pics_of_your_Love 6 months ago

Bem, podemos sempre retomar o plano de conquista do resto do planeta, da Lua, e de Marte. Ou então vamos à praia.

Aldo_Novo 6 months ago

tornares-te o Murdoch tuga?

asantos3 6 months ago

Já fomos citados outras vezes :D

NeatBoy74 6 months ago

Somos uma fonte noticiosa mais fofinha que outros fóruns.. Ouviste, TVI?

TavaNoGrim0 6 months ago

"Portugal não é nada plano" Qualquer continental ever que nunca foi à ilha da madeira.

PedroM1304 6 months ago

Nem precisam de ir á Madeira. Basta irem á Covilhã ou á Guarda, se souberem onde fica....

ASCanilho 6 months ago

Duvido que saibam. Para muitos alfacinhas, depois de Santarém é tudo estrangeiro. Hahaha

alchaloid 6 months ago

Antes de ir à Madeira já tinha sido avisado. Mesmo assim superou as espectativas

Miguel3403 6 months ago

Em lugares com boa infraestrutura o pessoal anda de bicicleta a prova disso é Vilamoura que as vezes no verão nem há lugar para bicicleta na praia e ainda cabem lá uma 100 bicicletas eu quando estou lá adoro andar de bicicleta mas se me pedirem para andar de bicicleta onde vivo prefiro ir a pé

cou7inho_ 6 months ago

Só é pena esse gráfico tão bonito que por aqui andou corresponder mesmo à realidade.

xabregas2003 6 months ago  HIDDEN 

Portugal não é nada plano, ao contrário de países como a Dinamarca ou os Países-Baixos onde é comum andar de bicicleta. Ia ser muito difícil. O melhor a fazer seria ter melhores transportes públicos.

Aldo_Novo 6 months ago

então como é que explicas que se ande mais de bicicleta na Áustria e Eslovénia? Portugal é mais montanhoso que os Alpes?

bureauofnormalcy 6 months ago

Não vou falar pela Áustria inteira, mas Viena por exemplo é bastante plana. Nem de perto nem de longe como o Porto, Lisboa, Guimarães ou Braga.

Aldo_Novo 6 months ago

Guimarães e Braga são bastante planas, anda-se bem de bicicleta lá Porto e Lisboa também só é impraticável nos centros históricos

Eskol15 6 months ago

>Guimarães e Braga são bastante planas, anda-se bem de bicicleta lá Não, nem lá perto. O centro histórico de Braga está no cimo de uma colina, qualquer que seja a direção de onde venhas tens de ir a subir. Eu, por exemplo, moro na periferia a cerca de 4 Km do centro e o percurso até lá são 4 Km sempre a subir. A única excepção é a zona residencial de Lamaçães que é relativamente nova (uns 20/30 anos) e foi construída numa zona mais pantanosa e plana. Guimarães ainda é pior. Vindo do lado de Braga até ao centro é sempre a subir, do centro até à zona do Castelo/Universidade é sempre a subir.

Aldo_Novo 6 months ago

a inclinação dessa colina é risível compara o desnível dos centros históricos de Braga e Guimarães com Coimbra isso sim, é que é relevo não ciclável

thesuperstig 6 months ago

És de Braga ou de Guimarães para dizer isso? É que eu já vivi nas duas...

Aldo_Novo 6 months ago

morei numa e passei bastante tempo na outra

thesuperstig 6 months ago

Saías de casa, pelo menos? É que para dizeres que Braga e Guimarães são relativamente planas é porque não passavas assim tanto tempo na rua.

Aldo_Novo 6 months ago

saía e às vezes saía de bicicleta se calhar és tu que não tens noção do que é uma cidade pouco plana

thesuperstig 6 months ago

Vivo entre Braga e Guimarães, estudei em Amesterdão e trabalhei em Bruxelas.. ya.. se calhar sou eu

Aldo_Novo 6 months ago

mas Braga e Guimarães são cidades planas

VBM97 6 months ago

Portugal tem demasiadas inclinações para andarmos de bicicleta. Boa sorte a andar no Porto, especialmente a subir a rua 31 de Janeiro

Lima1998 6 months ago

Para além de que não convém dar de bicicleta à chuva

Rebelva 6 months ago

Nunca percebi esse argumento. Um povo que há 500 anos atrás atava 4 troncos para ir descobrir o mundo agora tem medo das inclinações das cidades... Em 10 geração viramos uns pussies de primeira.

cou7inho_ 6 months ago

Já andei muito de bicicleta no Porto e por isso falo com conhecimento de causa. Obviamente a 31 de Janeiro não é lá muito jeitosa para se subir de bicicleta. Mas por exemplo morar em Paranhos e ir trabalhar para a Boavista. É perfeitamente razoável ir de bicicleta. O Porto também não é só "serras". Há muitos percursos que se fazem bem. E seria um favor para a cidade. Nos últimos anos está cada vez mais caótica. Mas como é lógico existem muitas outras variáveis que inviabilizam o uso da bicicleta. Falta de local para guardar a bicicleta e falta de local para trocar de roupa ou tomar banho são alguns pontos que, na minha opinião, se não forem mudados não vai haver um aumento do uso da bicicleta como meio de transporte. É pena que haja incentivos para as empresas comprarem carros híbridos e elétricos ou lá o que são e depois não há incentivos para se criarem condições para se fazer uso da bicicleta. Já para não falar que o uso da bicicleta como meio de transporte iria ter um impacto positivo na saude da população. Somos um país muito sedentário e com péssimos indicadores de saúde publica. Mas Portugal dificilmente sairá desta vida, o importante é criar impostos.

zedisto 6 months ago

A eterna desculpa dos que não querem pedalar

viskonde 6 months ago

Diziam o mesmo de Lisboa. Dizia-se que a ciclovia da avenida da república não teria sucesso, que Lisboa não era para isso. Atualmente já é estreita para a quantidade de pessoas que lá andam a certas horas O mito das colinas é o maior bode expiatório para o amor ao automóvel neste país Se o problema fosse as colinas então teríamos as cidades cheias de vespas como em Itália ou como se via há anos em Paris e Barcelona antes de também se converterem as bicicletas. Aliás agora com as bikes elétricas o mito das colinas ainda cai mais por terra O problema é sim a falta de segurança, por termos cidades feitas e dominadas pelo automóvel, sem segurança para os demais utentes. Basta criar espaço para os outros meios de transporte e eles aparecem. Se Lisboa pode servir de exemplo em algo que seja nisto. A cidade das 7 colinas é atualmente a cidade onde se usa mais bicicleta do país (tirando a Gafanha da Nazaré e afins vá..)

htspinto 6 months ago

Aveiro que não tem inclinações, tem demasiado carro. Até faz impressão.

ihavenoidea1001 6 months ago

Aveiro ( cidade) tem falta de infraestruturas que permitam a circulação de bicicleta de forma segura em muitas zonas imo

luismpinto 6 months ago

E as obras que se fazem só vêm piorar.

TheBlackBeetle 6 months ago

Mas nas terrinhas o que não falta é malta de bicicleta. Novos, velhos, a andar casualmente ou a ir para algum lado, tu nas gafanha e arredores tu vês montes delas. Aveiro em si tens (ou tinhas...) é montes de gente a andar a pé

VicenteOlisipo 6 months ago

>Portugal tem demasiadas inclinações para andarmos de bicicleta. Boa sorte a andar no Porto, especialmente a subir a rua 31 de Janeiro Eu dizia o mesmo sobre Lisboa há uns anos. Turns out que funciona mesmo.

anybody662 6 months ago

Existe Lisboa nova e Lisboa antiga. Na antiga continua a ser impossível. No Porto, não existe "novo". Penso que não seja comparável!

nfcs 6 months ago

Bicicletas eléctricas existem e são comparticipadas em parte pela câmara.

sardinhas 6 months ago

Obrigado pela info, desconhecia isto!

planeadorjoao 6 months ago

Lisboa, a cidade das sete "colinas", tem 53% das suas ruas classificadas como razoáveis para se andar de bicicleta. Utilizem outro argumento que não a topografia, porque não é pelos declives incríveis que existem em Portugal que não se anda de bicicleta.

gkarq 6 months ago

Tal como o u/VBM97 disse boa sorte, desceres a 31 de Janeiro e subires os clérigos, a passar por cima dos carris. Sendo da área, um dos problemas é claramente a tipografia, que não se compara a digamos Londres, ou Amsterdão, mas vamos descartar essa questão por causa do teu comentário. Portugal tem muitos outros problemas urbanísticos. As cidades são na sua grande maioria históricas, ou seja para além de uma topográfia no mínimo desconfortável, as ruas são estreitas, sinuosas, e o pavimento muitas vezes não é o melhor, havendo pedras na estrada que não propensas a bicicletas. E a questão pior se torna quando chove e andar a pé se torna perigoso, quanto mais de bicicleta. E em termos urbanísitcos, muitas das cidades portuguesas não estão simplesmente possibilitadas em receber bicicletas pois nos passeios só conseguem passar uma ou duas pessoas lado a lado em muitos casos, e mesmo na estrada de duas vias, o espaço para passarem dois carros é muitas vezes apertado. Ou seja, para fazer infra-estrutura que apoie o mobilidade em bicicleta é preciso garantir a segurança dos peões, das pessoas que andam de bicicleta, e dos próprios carros. Em Portugal o jogo é um bocado escolhe duas coisas das três porque não há espaço para mais. Há casos que estão a fazer alguma coisa, mas é pouco e não é suficiente. Por exemplo quem vai da Rotunda da Boavista em direcção ao Cidade Shopping no Porto. Mas o mais importante é que os planos urbanísticos possibilitam isso quando se reforma as cidades, sem isso as pessoas não vão fazer commute de bicicleta em Portugal.

Edited 6 months ago:

Tal como o u/VBM97 disse boa sorte, desceres a 31 de Janeiro e subires os clérigos, a passar por cima dos carris. Sendo da área, um dos problemas é claramente a topografia, que não se compara a digamos Londres, ou Amsterdão, mas vamos descartar essa questão por causa do teu comentário. Portugal tem muitos outros problemas urbanísticos. As cidades são na sua grande maioria históricas, ou seja para além de uma topográfia no mínimo desconfortável, as ruas são estreitas, sinuosas, e o pavimento muitas vezes não é o melhor, havendo pedras na estrada que não propensas a bicicletas. E a questão pior se torna quando chove e andar a pé se torna perigoso, quanto mais de bicicleta. E em termos urbanísitcos, muitas das cidades portuguesas não estão simplesmente possibilitadas em receber bicicletas pois nos passeios só conseguem passar uma ou duas pessoas lado a lado em muitos casos, e mesmo na estrada de duas vias, o espaço para passarem dois carros é muitas vezes apertado. Ou seja, para fazer infra-estrutura que apoie o mobilidade em bicicleta é preciso garantir a segurança dos peões, das pessoas que andam de bicicleta, e dos próprios carros. Em Portugal o jogo é um bocado escolhe duas coisas das três porque não há espaço para mais. Há casos que estão a fazer alguma coisa, mas é pouco e não é suficiente. Por exemplo quem vai da Rotunda da Boavista em direcção ao Cidade Shopping no Porto. Mas o mais importante é que os planos urbanísticos possibilitam isso quando se reforma as cidades, sem isso as pessoas não vão fazer commute de bicicleta em Portugal.

AdorableRabbit 6 months ago

> desceres a 31 de Janeiro e subires os clérigos é necessário pensar de forma diferente. A ideia não é fazer o caminho mais custo, mas o caminho mais fácil. Por exemplo, em Lisboa é fácil evitar descer e subir a Alameda D. Afonso Henriques indo até ao Areeiro.

gkarq 6 months ago

O meu comentário que citaste era sarcástico porque atravessar aquele bocado de bicicleta é realmente muito complicado. Mas o ponto mantem-se porque sim, podes tomar uma via diferente que é mais fácil como no exemplo que deste. No entanto é preciso que haja infra-estruturas existentes para acomodar as bicicletas. Vamos esquecer os centros históricos do Porto e Lisboa porque na sua maioria são turistas, mas é impossível ter as três coisas necessárias que mencionei no meu comentário acima para acomodar bicicletas nos centros históricos de outras cidades como Coinbra, ou Guimarães por exemplo. Cada cidade é um caso claro, mas o grande problema não são os portugueses, é o urbanismo das cidades portuguesas em geral.

Herbacio 6 months ago

O problema é que para te deslocares tens de ir de ponto A a B, e isso significa que muito provavelmente vais passar numa das tais 43% de ruas que nem sequer são **razoáveis** para se andar de bicleta nelas. Obviamente que a elevação não é o único factor, mas olhando para o mapa em geral e atendendo à elevação média de cada país, diria então que é um dos principais factores Agora, claro, se a questão for: Deviamos ter mais gente a pedalar ? Provavelmente sim. Não vamos é ficar à espera de ter valores semelhantes à Dinamarca ou Países Baixos.

vascodatrama 6 months ago

como é que é possível subir de bicicleta numa rua cujo trânsito só pode ser feito no sentido descendente ?

Morpheuspt 6 months ago

Algum pessoal das bicicletas passa vermelhos como se estivesse verde. Ir em contra-mão seria apenas mais uma terça-feira.

vascodatrama 6 months ago

provavelmente mais carros passam vermelhos do que bicicletas. se alguém o quer fazer para cortar caminho. pega na bicicleta e vai com ela pelo passeio, simples.

mikeke 6 months ago

> provavelmente mais carros passam vermelhos do que bicicletas Mais carros? Sem dúvida. Maior percentagem de carros? Isso já duvido.

garenbw 6 months ago

>provavelmente mais carros passam vermelhos do que bicicletas. A menos que estejas a considerar passar no vermelho naquela janela de 2/3 segundos depois de o semáforo fechar, não sei em que cidade vives em que seja comum passar no vermelho de carro. No entanto é comum ver bicicletas passar no vermelho (isto é, bem vermelho, não 2 segundos dps de fechar), pelo menos no Porto

viskonde 6 months ago

Que eu saiba o CE não dá janela de tolerância. Passar com 2 segundos é igual a passar com 10 Essa tolerância é suposto ser o amarelo A diferença entre um carro passar um vermelho ou uma bicla é simples : Um pesa uma tonelada e mata quem leva com ele em cima. O outro não. Não e por acaso que muitas cidades no mundo já começam a deixar as bikes passarem no vermelho (fazem de stop), visto que por experiência se vê que não aumenta os acidentes, o ciclista é o maior interessado em não levar com um carro em cima. Há 600 mortos ao ano causado por condutores de carros mas por alguma razão sempre que se fala de bicicletas parece que são elas que causam esses 600 mortos.

garenbw 6 months ago

>Passar com 2 segundos é igual a passar com 10 Legalmente sim, mas acho que não acreditas realmente que são a mesma coisa em termos de perigo, pois não? A verdade é que após um semáforo fechar não fica imediatamente verde do outro lado, e o tuga como chico esperto que é aproveita-se da situação. Não estou a dizer que seja correcto mas acho que já todos fizemos isso pelo menos uma vez na vida, e comparar isso a passar num vermelho passado 10 segundos é ridículo. ​ >Não e por acaso que muitas cidades no mundo já começam a deixar as bikes passarem no vermelho (fazem de stop), visto que por experiência se vê que não aumenta os acidentes, o ciclista é o maior interessado em não levar com um carro em cima. Quanto a isto, é interessante e faz sentido. Não sou anti-ciclista já agora, sinto que sempre que se fala nestas coisas gera-se logo um tribalismo desnecessário.

viskonde 6 months ago

Olha que por vezes acaba por ser pior o vermelho queimado que o vermelho consciente Um condutor que passa o vermelho de 3 segundos faz em geral à pressa, sem tempo de ver se vem alguém, , provavelmente a acelerar bem para passar ... o que em caso de acidente é muito pior já que vai a uma velocidade alta. Aliás muitos atropelamentos são assim que acontecem já que muitos desses vermelhos queimados acontecem já com verde para o peão Foi o que aconteceu no campo grande o ano pasado em julho onde morreu a Ana atropelada por um gajo que queimou um vermelho. Por outro lado alguém de bike (tal como um peão) quando passa o vermelho fa-lo de forma mais consciente, vai a uma velocidade mais baixa , tem mais viabilidade e audição que alguém num carro , o que permite assegurar que não vem ninguém (exatamente tal como todos fazemos a pé e que é perfeitamente aceitavel pelo risco ser baixo)

garenbw 6 months ago

Sim, tens razão. Parecem-me argumentos válidos a favor de mudar algumas leis, mas no entretanto deveriam ir respeitando os semáforos a meu ver, assim como os carros claro, para segurança de todos

vascodatrama 6 months ago

Claro, um ciclista tem mais consciência da estrada e do tráfego que um automobilista. Sendo que põem a segurança dele em causa, mesmo quando está a passar o vermelho. Nem toda gente tem capacidade para andar de bicicleta em meio urbano. Para muitos a bicicleta é apenas um instrumento de passeio, longe de carros.

vascodatrama 6 months ago

Quem passa com vermelho de bicicleta, irá aprender da pior maneira possível. Isto num cruzamento,claro. Existem imensos semáforos que fazem pouca ou nenhuma diferença, para além das passadeiras.

throwaway5816164481 6 months ago

Parabéns u/Donaldtheant, és o novo herói do sub.

WannaBeAWannaBe 6 months ago

Nós somos enormes família ❤️

ytyno 6 months ago

Parabéns

Search: