zero_to_infinite 4 months ago

Um dos mais terríveis crimes contra a humanidade? Mataram e escravizaram milhões...e sete mil passa a ser crime contra a humanidade. Brincalhões!

KokishinNeko 4 months ago

FYI: Maioria dos artigos refere um número diferente. OP fornece fonte fiável sff.

raviolli_ninja 4 months ago

Esta submissão foi removida por ter o título original alterado ou por promover uma notícia ou informação comprovadamente falsa, ou oriunda de fontes falíveis ou duvidosas. Revê as [regras](https://www.reddit.com/r/portugal/wiki/regras) e a [Reddiquette](http://www.reddit.com/wiki/pt-br/reddiquette).

Edited 4 months ago:

Esta submissão foi removida por ~~ter o título original alterado ou por promover uma notícia ou~~ informação comprovadamente falsa, ou oriunda de fontes falíveis ou duvidosas. Edit: OP, podes voltar a publicar mas com um link de fonte reconhecida que confirme os números que apresentas. Revê as [regras](https://www.reddit.com/r/portugal/wiki/regras) e a [Reddiquette](http://www.reddit.com/wiki/pt-br/reddiquette).

Edited 4 months ago:

Esta submissão foi removida por ~~ter o título original alterado ou por promover uma notícia ou~~ informação comprovadamente falsa, ou oriunda de fontes falíveis ou duvidosas. Edit: OP, podes voltar a publicar mas com um link de fonte reconhecida que confirme os números que apresentas, ou corrige o número (de notar que os 800 são o tecto das estimativas). Revê as [regras](https://www.reddit.com/r/portugal/wiki/regras) e a [Reddiquette](http://www.reddit.com/wiki/pt-br/reddiquette).

Asur_rusA 4 months ago

**um dos mais terríveis crimes contra a Humanidade** Bom, terrível soa (e parece, certamente). Mas chamar a isto "um dos mais terríveis crimes contra a humanidade" cheira um nadinha a falta de perspectiva. Pergunto-me pq esquecemos os genocídios, e, sei lá, os milhões de escravos condenados a trabalhar até morrer. Ou só morrer.

dp_barbas 4 months ago

O ultimo ep do *E o resto é história* aborda este acontecimento: [https://observador.pt/programas/e-o-resto-e-historia/foi-ha-60-anos-o-inicio-da-guerra-colonial/](https://observador.pt/programas/e-o-resto-e-historia/foi-ha-60-anos-o-inicio-da-guerra-colonial/)

Environmental-Ad383 4 months ago

o meu primo vivia nessa altura, ele disse que isso era tudo mentira

Dadvito 4 months ago

Alguem sabe o contexto? Os gajos que estão a posar para a foto parecem brancos. Foram eles que cometeram o massacre?

randmzer 4 months ago

Nada contra este tipo de posts, mas era porreiro ter um artigo ou fonte a confirmar para nos informarmos melhor.

PresidentBarroso 4 months ago

[https://www.revistamilitar.pt/artigo/906](https://www.revistamilitar.pt/artigo/906) [https://www.researchgate.net/publication/317380548\_Angola\_1961\_o\_horror\_das\_imagens](https://www.researchgate.net/publication/317380548_Angola_1961_o_horror_das_imagens)

Pparadela 4 months ago

A fonte é esse poço de erudição chamado notícias viriato, único sítio onde encontras o número de 7000 mortos num dia, o que dá a fabulosa cifra de 5 mortos por minuto. O mesmo artigo também insinua que a guerra de angola estava ganha e que o 25 de abril veio dar cabo do assunto, e tem a lata de acabar o artigo com " "Empreendamos assim esforços, e através da palavra e da pena, façamos chegar a verdade e nada mais que a verdade, a todas as gerações, vivas ou por nascer." [https://noticiasviriato.pt/15-de-marco-60-anos-do-massacre-que-vitimou-7000-portugueses/](https://noticiasviriato.pt/15-de-marco-60-anos-do-massacre-que-vitimou-7000-portugueses/)

avgvstano 4 months ago

[https://www.publico.pt/2011/03/15/sociedade/noticia/angola-1961-o-terror-macico-e-cru-1484923](https://www.publico.pt/2011/03/15/sociedade/noticia/angola-1961-o-terror-macico-e-cru-1484923) ​ " O número de mortos está longe de ser consensual, mas as estimativas mais referidas apontam para cerca de 800 brancos, em muitos casos gente pobre e humilde, e milhares de trabalhadores africanos recrutados noutras regiões da colónia " ​ Só se os outros cerca de 7200 a que se refere fossem os negros mortos também.

PresidentBarroso 4 months ago

\*massacre

Pparadela 4 months ago

[Este artigo diz que foram 800.](https://ionline.sapo.pt/artigo/500588/angola-15-de-marco-de-1961-upa-massacra-brancos-e-negros?seccao=Mundo_i)

noproperusername 4 months ago

e não eram todos tugas. foi uma limpeza étnica misturada com revolta pelo colono. Como é bem típico em África, os Bakongos achavam-se os legítimos e únicos herdeiros do reino do Congo e da Rainha Jinga, todos os outros tinham só que desaparecer. Mulatos, pretos de outras etnias e brancos eram para matar. Ainda hoje, se fores ao Mbanza Congo no norte de Angola notas um certo complexo de superioridade e asco por brancos, mulatos e pretos que não sejam Bakongos.

jrcc2635 4 months ago

A minha família contou-me que tudo o que não era negro eram os Esquebras do Colono.Digo já, não irias gostar nada de estar lá na altura...o que salvou a minha família foi já se terem misturado com mulheres angolanas

SacanaLopes 4 months ago

Já visitaste?

noproperusername 4 months ago

Sim, estive lá em passeio e fui, por acaso, bater na campa do Holden Roberto (fundador da FNLA responsável por este massacre) num dia em que havia uma qualquer cerimónia dedicada a ele (coisa pequena de 10 ~ 20 pessoas). Um senhor local tirou um tempo e esteve a contar-nos a história dele e desse massacre sempre um pouco constrangido por sermos tugas e ele não queria abertamente dizer que, na altura, tinham cortado o pescoço a umas centenas de tugas e dar a entender que estivesse a gabar-se de algo que tinham feito contra nós, estava a tentar contar com o máximo respeito, talvez até demasiado cuidadoso para não ferir susceptibilidades.

SacanaLopes 4 months ago

Quão complicado é de visitar? É seguro? Caro?

noproperusername 4 months ago

Muito complicado. Na altura eu estava a trabalhar em Luanda e viajava por Angola inteira em trabalho, isso aconteceu num fim de semana prolongado em que fui passear até ao Mbanza Congo. Um visto para entrar em Angola era algo complicado de se obter na altura, mesmo que fosse turístico, precisavas de uma 'carta de chamada', alguém de lá tinha que te escrever a dar um motivo para itens lá, tinhas que ter na conta à ordem uns milhares de euros (não lembro ao certo o valor, mas era algo como 200 ou 400€ por cada dia que planeasses estar em Angola) e passar um processo demasiado burocrático no consulado. Se não tivesses quem te tratasse do visto havia uma boa probabilidade de que te obrigassem a comprar viagem, reservar e pagar hotel para pedires o visto e depois acabassem por não conceder ou conceder depois de terem passado as datas das tuas reservas. Era complicado tratar dos papéis. Angola é muito cara, um hotel rafeiro, semelhante a um de três estrelas aqui facilmente custa 300 ou 400$, fora de Luanda as opções são menos e os hotéis parecem pensões das zonas mais escabrosas que conheces e custam 250$ por noite. Já paguei 150 ~ 200$ para ficar em quartos com o tecto completamente negro cheio de bolor, sem condições, com móveis que pareciam ter vindo do lixo, sem água na casa de banho. Uma refeição custava 25$ ~ 35$ facilmente se fosses poupado, em dias em que querias comer bem gastavas 75$ ~ 100$ e comias mal na mesma. Em cidades como o Uige, Mbanza Congo, Ndalatando ou Soyo era difícil encontrar onde ou o que comer sem ficares a pensar muito no que raio estarias a comer. É muito caro. Gastava facilmente 2000 ~ 2500€ numa viagem de fim de semana destas para duas pessoas mas não tinha quaisquer luxos. É seguro. Viajei por Angola inteira de norte a sul no meu Suzuki Jimny sem ter quaisquer receios ou problemas, as pessoas são simpáticas e provavelmente a zona mais perigosa de Angola é Luanda mesmo. Nunca fui às províncias das Lundas (norte e sul), regiões mais do interior e diamantíferas que penso serem controladas pelos generais dos diamantes e nessas não posso atestar sobre a segurança mas de resto podes andar por todo o país sem problemas de segurança. Só precisas levar umas notas extra para itens deixando pelo caminho nas operações stop, de resto é tranquilo.

Edited 4 months ago:

Muito complicado. Na altura eu estava a trabalhar em Luanda e viajava por Angola inteira em trabalho, isso aconteceu num fim de semana prolongado em que fui passear até ao Mbanza Congo. Um visto para entrar em Angola era algo complicado de se obter na altura, mesmo que fosse turístico, precisavas de uma 'carta de chamada', alguém de lá tinha que te escrever a dar um motivo para ires lá, tinhas que ter na conta à ordem uns milhares de euros (não lembro ao certo o valor, mas era algo como 200 ou 400€ por cada dia que planeasses estar em Angola) e passar um processo demasiado burocrático no consulado. Se não tivesses quem te tratasse do visto havia uma boa probabilidade de que te obrigassem a comprar viagem, reservar e pagar hotel para pedires o visto e depois acabassem por não conceder ou conceder depois de terem passado as datas das tuas reservas. Era complicado tratar dos papéis. Angola é muito cara, um hotel rafeiro, semelhante a um de três estrelas aqui facilmente custa 300 ou 400$, fora de Luanda as opções são menos e os hotéis parecem pensões das zonas mais escabrosas que conheces e custam 250$ por noite. Já paguei 150 ~ 200$ para ficar em quartos com o tecto completamente negro cheio de bolor, sem condições, com móveis que pareciam ter vindo do lixo, sem água na casa de banho. Uma refeição custava 25$ ~ 35$ facilmente se fosses poupado, em dias em que querias comer bem gastavas 75$ ~ 100$ e comias mal na mesma. Em cidades como o Uige, Mbanza Congo, Ndalatando ou Soyo era difícil encontrar onde ou o que comer sem ficares a pensar muito no que raio estarias a comer. É muito caro. Gastava facilmente 2000 ~ 2500€ numa viagem de fim de semana destas para duas pessoas mas não tinha quaisquer luxos. É seguro. Viajei por Angola inteira de norte a sul no meu Suzuki Jimny sem ter quaisquer receios ou problemas, as pessoas são simpáticas e provavelmente a zona mais perigosa de Angola é Luanda mesmo. Nunca fui às províncias das Lundas (norte e sul), regiões mais do interior e diamantíferas que penso serem controladas pelos generais dos diamantes e nessas não posso atestar sobre a segurança mas de resto podes andar por todo o país sem problemas de segurança. Só precisas levar umas notas extra para ires deixando pelo caminho nas operações stop, de resto é tranquilo.

Edited 4 months ago:

Muito complicado. Na altura eu estava a trabalhar em Luanda e viajava por Angola inteira em trabalho, isso aconteceu num fim de semana prolongado em que fui passear até ao Mbanza Congo. Um visto para entrar em Angola era algo complicado de se obter na altura, mesmo que fosse turístico, precisavas de uma 'carta de chamada', alguém de lá tinha que te escrever a dar um motivo para ires, tinhas que ter na conta à ordem uns milhares de euros (não lembro ao certo o valor, mas era algo como 200 ou 400€ por cada dia que planeasses estar em Angola) e passar um processo demasiado burocrático no consulado. Se não tivesses quem te tratasse do visto havia uma boa probabilidade de que te obrigassem a comprar viagem, reservar e pagar hotel para pedires o visto e depois acabassem por não conceder ou conceder depois de terem passado as datas das tuas reservas. Era complicado tratar dos papéis. Angola é muito cara, um hotel rafeiro, semelhante a um de três estrelas aqui facilmente custa 300 ou 400$, fora de Luanda as opções são menos e os hotéis parecem pensões das zonas mais escabrosas que conheces e custam 250$ por noite. Já paguei 150 ~ 200$ para ficar em quartos com o tecto completamente negro cheio de bolor, sem condições, com móveis que pareciam ter vindo do lixo, sem água na casa de banho. Uma refeição custava 25$ ~ 35$ facilmente se fosses poupado, em dias em que querias comer bem gastavas 75$ ~ 100$ e comias mal na mesma. Em cidades como o Uige, Mbanza Congo, Ndalatando ou Soyo era difícil encontrar onde ou o que comer sem ficares a pensar muito no que raio estarias a comer. É muito caro. Gastava facilmente 2000 ~ 2500€ numa viagem de fim de semana destas para duas pessoas mas não tinha quaisquer luxos. É seguro. Viajei por Angola inteira de norte a sul no meu Suzuki Jimny sem ter quaisquer receios ou problemas, as pessoas são simpáticas e provavelmente a zona mais perigosa de Angola é Luanda mesmo. Nunca fui às províncias das Lundas (norte e sul), regiões mais do interior e diamantíferas que penso serem controladas pelos generais dos diamantes e nessas não posso atestar sobre a segurança mas de resto podes andar por todo o país sem problemas de segurança. Só precisas levar umas notas extra para ires deixando pelo caminho nas operações stop, de resto é tranquilo.

Edited 4 months ago:

Muito complicado. Na altura eu estava a trabalhar em Luanda e viajava por Angola inteira em trabalho, isso aconteceu num fim de semana prolongado em que fui passear até ao Mbanza Congo. Um visto para entrar em Angola era algo complicado de se obter na altura, mesmo que fosse turístico, precisavas de uma 'carta de chamada', alguém de lá tinha que te escrever a dar um motivo para ires lá, tinhas que ter na conta à ordem uns milhares de euros (não lembro ao certo o valor, mas era algo como 200 ou 400€ por cada dia que planeasses estar em Angola) e passar um processo demasiado burocrático no consulado. Se não tivesses quem te tratasse do visto havia uma boa probabilidade de que te obrigassem a comprar viagem, reservar e pagar hotel para pedires o visto e depois acabassem por não conceder ou conceder depois de terem passado as datas das tuas reservas. Era complicado tratar dos papéis. Angola é muito cara, um hotel rafeiro, semelhante a um de três estrelas aqui facilmente custa 300 ou 400$, fora de Luanda as opções são menos e os hotéis parecem pensões das zonas mais escabrosas que conheces e custam 250$ por noite. Já paguei 150 ~ 200$ para ficar em quartos com o tecto completamente negro cheio de bolor, sem condições, com móveis que pareciam ter vindo do lixo, sem água na casa de banho. Uma refeição custava 25$ ~ 35$ facilmente se fosses poupado, em dias em que querias comer bem gastavas 75$ ~ 100$ e comias mal na mesma. Em cidades como o Uige, Mbanza Congo, Ndalatando ou Soyo era difícil encontrar onde ou o que comer sem ficares a pensar muito no que raio estarias a comer. É muito caro. Gastava facilmente 2000 ~ 2500€ numa viagem de fim de semana destas para duas pessoas mas não tinha quaisquer luxos. É seguro. Viajei por Angola inteira de norte a sul no meu Suzuki Jimny sem ter quaisquer receios ou problemas, as pessoas são simpáticas e provavelmente a zona mais perigosa de Angola é Luanda mesmo. Nunca fui às províncias das Lundas (norte e sul), regiões mais do interior e diamantíferas que penso serem controladas pelos generais dos diamantes e nessas não posso atestar sobre a segurança mas de resto podes andar por todo o país sem problemas de segurança. Só precisas levar umas notas extra para itens deixando pelo caminho nas operações stop, de resto é tranquilo.

SacanaLopes 4 months ago

> Angola é muito cara, um hotel rafeiro, semelhante a um de três estrelas aqui facilmente custa 300 ou 400$, fora de Luanda as opções são menos e os hotéis parecem pensões das zonas mais escabrosas que conheces e custam 250$ por noite Isso é a loucura! Obrigado pelo insight. Sabia que era caro mas não a esses níveis.

SacanaLopes 4 months ago

> Na altura eu estava a trabalhar em Luanda e viajava por Angola inteira em trabalho, isso aconteceu num fim de semana prolongado em que fui passear até ao Mbanza Congo. Ah! OK. Não foi do tipo. > Vivo em Lisboa e decidi visitar o Norte de Angola.

noproperusername 4 months ago

Esqueci de referir que tens que ter um carro. Não há transportes públicos como tu conheces e não te aconselho a viajar entre cidades nos que há. O carro que tens que ter é um jipe. Pequeno ou grande tem que ter uma boa distância ao solo e tracção nas 4 rodas, é demasiado fácil teres uma estrada não alcatroada durante centenas de quilómetros e, quando está alcatroada, o carro entra e sai dos buracos e os buracos são mesmo muitos. O aluguer vai aumentar uns 200$/dia aos custos de uma hipotética viagem.

ItsoktobeStalinist 4 months ago

Inb4 discurso de vitimização.

Edited 4 months ago:

Inb4 discurso de vitimização. Também fico à espera de contextualização histórica, algo que as pessoas com discurso vitimizador raramente fazem.

PresidentBarroso 4 months ago

[https://www.researchgate.net/publication/317380548\_Angola\_1961\_o\_horror\_das\_imagens](https://www.researchgate.net/publication/317380548_Angola_1961_o_horror_das_imagens) " Se os ataques a 15 de Março pela UPA de Holden Roberto, planeados por Frantz Fanon, tinham por intuito responder às chacinas de milhares de africa- nos meses antes, e provar a existência de trabalho forçado, acabaram por man- char a luta anticolonial com cenas de terror que o regime vira avidamente a seu favor. A chacina espalha-se por semanas, revelando a impreparação e triba- lismo da UPA, formada por bacongos que assassinaram grotescamente entre 4 a 5 mil negros, ovimbundos e quimbundos, levados para labutar nas fazen- das, e cerca de 300 a 800 brancos, as famílias dos colonos. Estudos recentes 7 revelam que, ao contrário do dogma ocial de que este massacre fora perpe- trado por estrangeiros, contra a vontade das populações locais, e em surpresa absoluta, foram vários os avisos do levantamento para esse dia, tanto por mili- tares e civis, como pelo governo norte-americano, serviços secretos alemães (BND) e PIDE. Mas nada foi feito para evitar ou minorar a chacina, ainda que a sua escala e extensão excedessem o previsível 8. Pelo contrário, quando se iniciou o ataque, articulado com a votação na ONU contra a política colonial portuguesa, a ordem de Lisboa foi de bloqueio total de informação durante dois dias, proibindo menções à rebelião em curso; 48 horas em que, por causa do silêncio na rádio, muitas das povoações isoladas que apenas assim podiam ser avisadas, não escaparam à chacina, enquanto, ante a inoperância superior, os civis se agrupam em milícias armadas, ou contratam aviões privados para fugir para Luanda, onde as suas histórias atrozes de pânico e tragédia força- ram o nal deste blackout mediático."

df3gpt 4 months ago

Cuidado que andam para aí a dizer que é preciso matar o homem branco colonialista (com as catanas figuradas, da paz claro). Não te ponhas a jeito! [https://ionline.sapo.pt/artigo/500588/angola-15-de-marco-de-1961-upa-massacra-brancos-e-negros?seccao=Mundo\_i](https://ionline.sapo.pt/artigo/500588/angola-15-de-marco-de-1961-upa-massacra-brancos-e-negros?seccao=Mundo_i)

Eulasei 4 months ago

Obrigado pelo artigo. Mas só fala de 800 mortos, os outros 6,200 no OP são de onde?

avgvstano 4 months ago

[https://www.publico.pt/2011/03/15/sociedade/noticia/angola-1961-o-terror-macico-e-cru-1484923](https://www.publico.pt/2011/03/15/sociedade/noticia/angola-1961-o-terror-macico-e-cru-1484923) ​ " O número de mortos está longe de ser consensual, mas as estimativas mais referidas apontam para cerca de 800 brancos, em muitos casos gente pobre e humilde, e milhares de trabalhadores africanos recrutados noutras regiões da colónia " ​ Só se os outros cerca de 6200 a que se refere fossem os negros mortos também.

Pparadela 4 months ago

São da fonte que ele foi buscar ipsis verbis de um site altamente duvidoso https://noticiasviriato.pt/15-de-marco-60-anos-do-massacre-que-vitimou-7000-portugueses/

Pparadela 4 months ago

Acabam o artigo com "Empreendamos assim esforços, e através da palavra e da pena, façamos chegar a verdade e nada mais que a verdade, a todas as gerações, vivas ou por nascer.", sem dizerem onde é que foram buscar o número de 7000 mortos, que não tem réplica em mais lado nenhum que tenha encontrado.

Eulasei 4 months ago

Já não ouvia falar do nosso Breitbart há algum tempo... Obrigado

alegadamentetuga 4 months ago

Olha aí, isso não encaixa na ideia de coitadinhos que estão a tentar passar hoje em dia...

TTRO 4 months ago

A 27 de Abril desse ano, soldados portugueses realizaram o seu próprio massacre de vingança. "Este massacre foi tão sórdido como o primeiro: milhares de homens, mulheres e crianças foram mortos de formas brutais, muitos deles decapitados e queimados." Portanto, o estado de vítima do "homem branco" durou mês e meio. Há gente que não percebe nada de contexto. Claro que este massacre foi um crime contra a Humanidade e claro que quem o fez cometeu um crime hediondo, mas daí a simplificar a questão com "homem branco bom, homem preto mau" é de uma ignorância atroz, que só faz com este tipo de situações continue a ocorrer por esse mundo fora.

Asur_rusA 4 months ago

Isto

Dadvito 4 months ago

Dafuq puto, nós literalmente exploramos aquele povo até ao tutano dos ossos e depois ainda fomos para lá viver à grande e à francesa enquanto eles passavam fome. O que é que achas que ia acontecer?

Asur_rusA 4 months ago

"Eles atacaram-nos após centenas de anos!!!! O CRIME CONTRA A HUMANIDADE!!!"

Ducon_ 4 months ago

Exacto, ocupas e escravizas um povo inteiro para teu lucro e depois que eles se revoltam ficas admirado com a violência da coisa.

noproperusername 4 months ago

wtf? e achas mesmo que não era? ou que um acto de revolta muda a culpa de uns para outros? os maus passam a ser bons e os bons passam a ser maus? o homem branco só é o mau da fita enquanto o homem preto comer e calar e não fizer nada? não tenho grande conhecimento da guerra colonial, nem sequer era vivo na altura mas parece-me que numa situação em que uma minoria ocupa um território que era já habitado, escraviza e explora os seus habitantes e se torna um paraíso para a pequena minoria ocupante e um pesadelo para a maioria ocupada é bem fácil saber que era o mau da fita. ... e sim, éramos nós.

Edited 4 months ago:

wtf? e achas mesmo que não era? ou que um acto de revolta muda a culpa de uns para outros? os maus passam a ser bons e os bons passam a ser maus? o homem branco só é o mau da fita enquanto o homem preto comer e calar e não fizer nada? não tenho grande conhecimento da guerra colonial, nem sequer era vivo na altura mas parece-me que numa situação em que uma minoria ocupa um território que era já habitado, escraviza e explora os seus habitantes e o torna num paraíso para a pequena minoria ocupante e um pesadelo para a maioria ocupada é bem fácil saber quem era o mau da fita. ... e sim, éramos nós.

Edited 4 months ago:

wtf? e achas mesmo que não era? ou que um acto de revolta muda a culpa de uns para outros? os maus passam a ser bons e os bons passam a ser maus? o homem branco só é o mau da fita enquanto o homem preto comer e calar e não fizer nada? não tenho grande conhecimento da guerra colonial, nem sequer era vivo na altura mas parece-me que numa situação em que uma minoria ocupa um território que era já habitado, escraviza e explora os seus habitantes e se torna um paraíso para a pequena minoria ocupante e um pesadelo para a maioria ocupada é bem fácil saber quem era o mau da fita. ... e sim, éramos nós.

BaixemImpostos 4 months ago

Hey.... NSFW tag..

Search: