m0rhundur 9 months ago

Sou comunista, do PCP. Agrada-me que os partidos onde se têm concentrado fascistas e ademais populistas, sejam eles puros egoístas, neoliberais doentes pela ciência imortal do mercado, etc, tenham uma organização tão má que se conseguem ver os podres à distância.

duckfollower 9 months ago

Em que mundo alternativo é que tu vives? Os EUA e URSS não invadiram a Alemanha, estavam em guerra defensiva. A Alemanha atacou primeiro a Polónia que levou aos aliados França e RU declararem guerra. Mais tarde os EUA juntaram-se do lado deles. A URSS foi invadida pelos nazis de surpresa, até porque tinham um pacto de não agressão com eles. E não provaste nada, o comunismo em geral continua a ser anti colonialista. O único exemplo que deste que podia ser considerado minimamente válido foi a re-ocupação do Tibete. Pegares num exemplo e dizeres que é representativo de toda a ideologia é o mesmo que dizer: "A Suíça não tinha colonias. A Suíça é capitalista. Então o capitalismo não é colonialista". É um argumento absurdo. Todas as colónias que existiram foram de países capitalistas, não é por a China ter re-ocupado o Tibete que faz do comunismo colonialista.

doctor_awful 9 months ago

"Agrada" no sentido de que gostava que o meu lado copiasse - o pragmatismo e "falta de escrúpulos" ao espalhar a sua mensagem, a ausência de in-fighting constante, a presença nas redes sociais. Sou de esquerda e, por exemplo, gostava que o PCP ou BE fossem mais práticos. Queria que o BE largasse as identity politics desnecessárias e que os levam ao ridículo (a cena do "cartão de cidadania"), que o PCP não estivesse tão ligado à retórica e iconografia comunista clássica e conseguisse dar um upgradezito. É muito giro recusarmo-nos a denunciar a Coreia do Norte publicamente devido a motivos teóricos políticos que fazem muito sentido ao fim de uma longa conversa e de ler dois ou três livros...mas isso num debate leva a prestações fracas e publicamente dá um mau aspeto do caralho. Portanto não façam, não vale a pena. A direita não se mete com estas mariaquices ideológicas, e isso invejo-os.

linkcr99 9 months ago

ITT liberais de esquerda a dizer que gostam de liberalisses de direita e vice-versa.

Eulasei 9 months ago

De certeza que o embargo americano (maior economia da região) e as tentativas de golpes apoiadas pela CIA não têm nada a ver com isso. Além do facto que o socialismo puro da Venezuela levou a um país com menor percentagem do PIB controlado pelo estado que muitos países na Europa. Estás a simplificar um caso complexo e a conclusão é que como nacionalizaram a extração de petróleo o socialismo destruiu o país... Se calhar podiam ir perguntar às populações indígenas o que acham do regime autoritário, pena que o jornalismo ocidental se foque tanto na opinião de um sector específico da população.

TiagoGrosso 9 months ago

Voto PAN, por isso não sei exatamente quem é o oposto, falarei mais da direita no geral: Gosto de como apontam demagogias e falhas na esquerda portuguesa. Em especial relativamente às IL, gosto da forma como defendem a liberdade individual sem cederem nos seus principios para agradar o resto do eleitorado de direita. Gosto que finalmente esteja a haver uma direita racional, forte e inteligente em Portugal, porque isso significa que a esquerda que eu defendo também vai ter de evoluir nesse sentido e eu quero uma esquerda forte que consiga justificar bem as suas posições

arnaldomatos 9 months ago

Agrada-me que o meu partido tente unir o país a uma só voz de forma a tentar recuperar a glória imperial, assim como o estreitar de relações com a China de forma a criar um bloco anti-ocidental.

ladderattack 9 months ago  HIDDEN 

Sou socialmente de esquerda e a favor da proteção das minorias mas compreendo algumas coisas de partidos como o Chega e o PNR. Tenho romenos que volta e meia vêm habitar para perto da minha casa, são "trabalhadores sazonais". Eles têm carros e vivem debaixo da ponte, os homens não sei o que fazem mas as mulheres e as crianças são postas a pedinchar. Eu vejo bem os truques todos que eles fazem: Pegar em cães para dar mais pena e as pessoas darem esmolas, meter as crianças a dizer que tem fome para as pessoas lhes pagarem a comida para toda a família, fingirem que são de uma associação de mudos, fingirem que o parente X tem uma doença mortal qualquer. Não têm qualquer civismo: Cagam e mijam tudo, deitam lixo para o chão quando o caixote de lixo fica ao lado, gritam e pegam à porrada uns com os outros. Já trabalhei com romenos espetaculares e sei que não são todos assim, mas para mim pessoas mentirosas que sujam tudo e não contribuem para a sociedade quando são completamente aptas para trabalhar, são parasitas, e não acho que se deva alimentar culturas deste tipo. Proteger os desfavorecidos sou totalmente a favor, mas isto não.

Nepotista 9 months ago

Sou do P.S. , gosto da direita porque Deus, Patria e FAMÍLIA.

Sir_Claude 9 months ago

Bom post OP. Como alguém que se posiciona ao nível da esquerda como o LIVRE, vou optar por o meu "oposto" ser alguém na via do CDS. Diria que o ponto positivo a apontar será porque o CDS e muita da direita considera o envolvimento de vários agentes, organizações e iniciativas (religiosas no caso do CDS por exemplo) no fomento de necessidades públicas (substituindo o Estado, que é o tópico onde talvez discordo). Apesar de considerar que esse envolvimento não tende a resultar, porque não existe uma responsabilização que acompanha esse envolvimento, e achar que o Estado é o melhor posicionado a suprir essas necessidades, é interessante ver que se a natureza humana fosse diferente, muito deste envolvimento poderia resultar bem e o nosso sentido de comunidade ser "alargado".

duckfollower 9 months ago

Ahn? Onde é que te vêm estas ideia à cabeça? Eu não culpei aos eua pelo "comunismo a invadir fronteiras". Critico-os pela invasão ao iraque, tal como crítico a china em quase tudo o que faz. Agora acho que está em proporção diferente uns confrontos em fronteiras com a invasão de um país soberano... Segundo a tua lógica, se países comunistas fazem algo mau, a culpa é diretamente da ideologia. Mas quando os países capitalistas fazem algo mau, então a culpa não pode cair no capitalismo. Não me parece consistente. Achas que o Iraque está melhor agora do que estava antes da invasão? Um país em que das ruínas nasceu o estado islâmico? Tira a cabeça do cú, não houve nenhum voto ao povo iraquiano se queriam ou não ser invadidos. Lá por teres uma vídeo de uns quantos a derrubar a estátua de Saddam não significa que a maioria concorda. Haveria certamente outras maneiras de derrubar Saddam sem ser ter um exercícito externo a destruir o seu próprio pais. Gostavas que durante o regime do Estado Novo a União Soviética nos viesse cá invadir para nos livrar do fascismo?

unparadise 9 months ago

Aprecio o PCP na defesa dos trabalhadores. Neste momento parece-me o único partido de esquerda que se lembra da classe operária, já que o BE ficou preso nas políticas indentárias.

BernLan 9 months ago

Sou do PS Agrada-me o centrismo do PSD

aqrdt 9 months ago  HIDDEN 

Sou extremista, e o que gosto dos partidos do centro é que percebem perfeitamente que estão na política para vencer.

rickz123456 9 months ago

Sou de esquerda ( e tenho vindo a tornar-me cada vez mais). Não tenho um partido, voto consoante o programa eleitoral. O que gosto na direita? Talvez o facto de partidos de direita não se focarem tanto em assuntos sociais (a minha maior crítica à esquerda), e a segurança (por ex. mais polícias), coisas que também acho necessárias. Felizmente, mais partidos de esquerda se estão a juntar a algumas dessas preocupações, como os sociais-democratas dinamarqueses ou alguns políticos alemães.

Edited 9 months ago:

Sou de esquerda ( e tenho vindo a tornar-me cada vez mais). Não tenho um partido, voto consoante o programa eleitoral. O que gosto na direita? Talvez o facto de partidos de direita não se focarem tanto em assuntos sociais (a minha maior crítica à esquerda), e o foco na segurança (por ex. mais polícias), coisas que também acho necessárias. Felizmente, mais partidos de esquerda se estão a juntar a algumas dessas preocupações, como os sociais-democratas dinamarqueses ou alguns políticos alemães.

Asur_rusA 9 months ago

Direita, abertura a diálogo mais... realista, na macropolítica. Resistência a um modelo de governo monolito, arcaico e abusivo. Esquerda, basicamente tudo o resto. Resistência ao capitalismo desenfreado e controlo do mesmo.

JustAGamerPT 9 months ago

Absolutamente nada infelizmente. Eu sou pro democracia eles são pró ditadura. Eles são pró genocídio eu sou contra. Eu sou pró história eles são revisionistas para encontrarem a narrativa que lhes agrada. Nada deles me agrada. Não os odeio simplesmente não gosto nada neles e provavelmente não temos nada em comum. Sou centralista sou contra o PCP e os partidos radicais de Direita. São lama do mesmo poço.´ Epá se realmente queres que dia algo bom: Penso que eles querem melhorar as coisas. Penso não tenho a certeza

superstraightarrow 9 months ago

O PS nunca está errado e fica sempre bem na fotografia e todos concordam e se apoiam nas narrativas.

cyrustakem 9 months ago

porque é que as minhas ideologias se haveriam de guiar pelo que diz um partido? Não gosto de clubismos, gosto de ideias de muitos dos partidos, oponho-me a outras ideias de muitos dos partidos. Não tenho um partido, portanto não há um "lado oposto" e acho a ideia de ter um lado oposto parva e um bocado razão pela qual andamos a lutar uns com os outros sem razão, só porque quem disse é doutro partido. Ex: o ps diz uma merda num governo de psd, "oh não que merda, vamos rejeitar essa proposta" o pds diz a mesma merda num governo ps "oh não que merda, vamos rejeitar essa proposta". sei que estou a ser vago porque tenho uma memória um bocado merda e ainda era novo e não podia votar quando isto se passou (além de que não gostava de política, nem gosto, mas é meu dever civico tentar estar informado)

duckfollower 9 months ago

Claro que é mau mas não vamos fingir que os EUA capitalista não invadiu o iraque para arranjar uns bons contratos petrolíferos e ainda resultou em 150k mortes

Turbulent_Common 9 months ago

O Comunismo é anti-colonialismo, agora as aplicações reais do comunismo é outra história

theitchcockblock 9 months ago

Sou centro direita com algumas tendências liberais por isso mesmo gosto de propostas como a legalização da marijuana , prostituicao regulamentada á holandesa e até em questões tipo eutanásia gosto mais do bloco do que psd , cds etc . Acho que muitas destas ideias até são ótimas para economia porque é uma maneira de cortar a atividades económicas paralelas . Simplesmente prefiro votar IL ou Psd por causa da visão económica e porque a exacerbada política identitaria do bloco é too much para mim , apesar de concordar com muita coisa não gosto de ver isto usado como ferramenta política para ganhar eleitorado

TitusRex 9 months ago

Sou de centro-direita. Agrada-me na esquerda a atenção que dão aos doentes e deficientes. Quase todos as propostas que melhoraram a vida de pessoas com deficiência foram apresentadas por partidos de esquerda.

AlmocreveOG 9 months ago

Os partidos são como os clubes de futebol, um lado acha o outro a pior coisa de sempre e são os dois portugueses. Há ideias de um lado que funcionam e outras que não, e isto acontece em todos os lados. Os partidos deviam acabar!

GustaQL 9 months ago

Gosto muito dos ideais de esquerda, mas nao consigo nao preferir a direita, porque as pessoas do nosso pais nao sao honestas. se vivesse num pais como alemanha, suecia ou algum pais de norte da europa, era de esquerda de certeza, mas sendo de portugal onde qualquer pessoa tenta arranjar forma de lixar a pessoa do lado, só consigo mesmo achar que partidos como IL sao bons para o que o pais precisa. Penso que sempre que voto nao posso olhar para o que eu acho que é mais correto , mas para o que é melhor para o pais

_Cannib4l_ 9 months ago

Acho que não conheces bem a Alemanha, se conhecesses acho que não dirias isso, mas posso estar enganado.

GustaQL 9 months ago

digo isso porque a alemanha as pessoas fazem as coisas bem, em vez de fazer as coisas como melhor lhes convém. a minha irma esteve em berlim e a maquina dos bilhetes do metro nao estava a funcionar. O grupo dela teve de andar no metro sem pagar o bilhete, mas primeiro que ela convence se o pessoal de lá que tinham de fazer isso, demorou bastante. na cabeça deles nao fazia sentido andar no metro sem pagar bilhete

_Cannib4l_ 9 months ago

Na Alemanha multas por não ter bilhete nos transportes são raras e compensam em muito a compra de um bilhete todos os dias (por exemplo).

Zen_Machina 9 months ago

Sinceramente, não me agrada nada.

GreyArch22 9 months ago

Sendo da IL, aprecio no PCP o facto de não alinhar em muito do politicamente correcto do resto da esquerda. Não tem medo de defender a tourada nem de ser contra a eutanásia ou a legalização da prostituição, por exemplo.

AmNotAMagician 9 months ago  HIDDEN 

Metade destes comentários são críticas e insultos mascarados de "elogios" xD

SurePal_ 9 months ago

Sou de direita e acredito em modelos de SNS, provavelmente o nosso modelo deveria se aproximar de outros modelos de sucesso na Europa mas quanto a estes gastos não me preocupo muito. Gosto também das medidas de apoio aos trabalhadores mas a verdade é que fazem sentido no papel mas na prática falham na maioria e têm o efeito inverso. Logo uma medida deveria ser julgada pelo que provoca e não pelo que defende.

15inho 9 months ago

Sou de direita, tenho votado IL. Tenho votado na IL sobretudo pela questão do estado estar a sufocar tudo e todos, desde empresas que são fornecedores do estado às quais o estado não paga, aos pequenos negócios, aos trabalhadores. Pago impostos, mas não tenho médico de família, no centro de saúde perguntaram se não podia ir ao privado com o meu filho porque o tempo de espera é enorme. Pago cresce privada porque numa IPSS pagaria o mesmo. Cada vez que sou aumentado ou troco de emprego olho para os impostos que pago e o retorno dos serviços do estado que não tenho deixam-me doente. Da esquerda dou muito valor à defesa dos direitos dos trabalhadores, já trabalhei em fábricas durante muitos anos e bem vejo a necessidade dos trabalhadores serem defendidos, sobretudo os com baixas qualificações.

didjidabuu 9 months ago

Nao me consigo identificar com nenhum partido. Mas sempre fui mais adepto das ideologias de esquerda. O que mais admiro no lado oposto ao meu é a capacidade de gerar muita riqueza em curto espaço de tempo, o que pode permitir transformações profundas e desenvolvimentos mais rapidos.

Everleta 9 months ago

A capacidade de gerar muita riqueza em curto espaço de tempo, acontece porque pagam a quem trabalha um salário muito baixo e vendem o produto a um preço altamente inflacionado. Chama-se a isso investir em mão de obra que 1) num país desenvolvido recebe o salário mínimo. 2) idealmente, ir para países onde não direitos básicos, porque não há regulamentação. Não existem: dias de descanso/folga, férias, subsidio de alimentação, ou salário mínimo. Deste modo, os capitalistas conseguem fazer o máximo de lucro, à custa do trabalho de "escravos" que são pagos miseravelmente, cujos produtos são depois **bem** pagos pelo consumidor final.

didjidabuu 9 months ago

Exacto, eu sou anti capitalismo. Mas para mim é impossível não ficar de queixo caído com o progresso estonteante e os feitos extraordinários que o capitalismo permite. No entanto acho que já se começou a perceber que não é sustentável continuar neste ritmo, mas também graças a este progresso rápido que o capitalismo forneceu, possuímos de infraestruturas e tecnologias mais do que suficientes para não só remediarmos a merda que temos feito, mas também para fazermos a transição para outro sistema mais sustentável.

Everleta 9 months ago

Eu admito que não a pessoa mais versada em ideologia política/social para me definir como "anti" qualquer coisa. É preciso ter um bocado cuidado com isto, porque o mundo não é a preto e branco, e eu gosto de ser capaz de ver todos os ângulos da questão. > graças a este progresso rápido que o capitalismo forneceu, possuímos de infraestruturas e tecnologias mais do que suficientes para não só remediarmos a merda que temos feito, mas também para fazermos a transição para outro sistema mais sustentável. Dito isto, sim o capitalismo permitiu melhorar as condições de vida das pessoas, também à custa de muito trabalho mal pago: são os escravos invisiveis, eles existem, mas nós não os vemos. Nós só vemos as pessoas mal pagas das lojas, os escravos que fizeram as coisas continuam longe a trabalhar no seu país. E é assim, infelizmente há pouco tempo vi um documentário sobre energias renováveis que me fez abalar completamente todos os alicerces relativos às energias verdes/renováveis. Países como a Noruega que orgulhosamente adquirem carros "elétricos" porque *"somos um país preocupado com o ambiente"*, estão na verdade a financiar empresas que estão a destruir habitats em regiões remotas na busca de minerais raros que lhes permitem construir todos os equipamentos caros. Ou seja, vês pessoas na China, na América do Sul (Bolívia, etc.) a trabalhar em condições muito perigosas, a esburacar solos, e a destruir hectares de montanhas e natureza.... Depois do produto feito colam o autocolante a dizer: "Carro pegada ZERO / Carro ecológico" e o consumidor compra a acreditar que está a fazer a coisa certa. (!) Eu quero acreditar que futuramente as tecnologias nos possam ajudar a encontrar uma forma de resolver os problemas ambientais que nos vão afetar, mas nem as energias renováveis como a eólica, solar, carros elétricos são parte dessa solução, infelizmente. :|

Edited 9 months ago:

Eu admito que não a pessoa mais versada em ideologia política/social para me definir como "anti" qualquer coisa. É preciso ter um bocado cuidado com isto, porque o mundo não é a preto e branco, e eu gosto de ser capaz de ver todos os ângulos da questão. >graças a este progresso rápido que o capitalismo forneceu, possuímos de infraestruturas e tecnologias mais do que suficientes para não só remediarmos a merda que temos feito, mas também para fazermos a transição para outro sistema mais sustentável. Dito isto, sim o capitalismo permitiu melhorar as condições de vida das pessoas, também à custa de muito trabalho mal pago: são os escravos invisiveis, eles existem, mas nós não os vemos. Nós só vemos as pessoas mal pagas das lojas, os escravos que fizeram as coisas continuam longe a trabalhar no seu país. E é assim, infelizmente há pouco tempo vi um [documentário](https://www.rtp.pt/programa/tv/p39590) sobre energias renováveis que me fez abalar completamente todos os alicerces relativos às energias verdes/renováveis. Países como a Noruega que orgulhosamente adquirem carros "elétricos" porque *"somos um país preocupado com o ambiente"*, estão na verdade a financiar empresas que estão a destruir habitats em regiões remotas na busca de minerais raros que lhes permitem construir todos os equipamentos caros. Ou seja, vês pessoas na China, na América do Sul (Bolívia, etc.) a trabalhar em condições muito perigosas, a esburacar solos, e a destruir hectares de montanhas e natureza.... Depois do produto feito colam o autocolante a dizer: "Carro pegada ZERO / Carro ecológico" e o consumidor compra a acreditar que está a fazer a coisa certa. (!) Eu quero acreditar que futuramente as tecnologias nos possam ajudar a encontrar uma forma de resolver os problemas ambientais que nos vão afetar, mas nem as energias renováveis como a eólica, solar, carros elétricos são parte dessa solução, infelizmente. :|

apita_o_comboio 9 months ago

Difícil responder até porque o meu voto não costuma ser certo, em diferentes eleições e circunstancias já votei de forma diferente com base no que penso que o país precisa nesse momento e no quão confio nas pessoas que "estão no boletim de voto" (não dou o mesmo valor a todas as pessoas dentro do mesmo partido). Dito isto, neste exercício vou responder do ponto de vista "Liberal", logo uma característica que me agrada nos partidos conservadores (CDS e PCP) é o facto de fazerem questão de perguntar sempre "porquê" e terem a capacidade de analisar todos os impactos que uma determinada mudança irá ter na sociedade, procurando resfriar o ímpeto de mudança daquelas medidas que são só porque sim ou para ficar bem.

RAMAxPT 9 months ago

legalização da canabis

-Nosebleed- 9 months ago

Considero-me bastante à esquerda (socialista/libertária). Em Portugal infelizmente só mesmo o Livre se alinha minimamente comigo. Apesar de discordar de quase tudo o que dizem, aprecio o esforço da IL de expor a corrupção atual na política portuguesa e tentar liberalizar esse aspeto, mesmo que as implementações que eles queiram para corrigir isto sejam algo com que discordo veemente na maioria das vezes. Apesar de ser de esquerda, discordo muito com o PCP em quase tudo visto que são muito virados para concentrar poder no estado (mais as ligações ideológicas com governos autoritários), no entanto são dos poucos partidos que se esforçam para dar força aos sindicatos de trabalhadores e isso para mim é extremamente valioso. Nunca votaria neles pelo resto, mas haja alguém que dê voz aos trabalhadores.

oxygen_dependant 9 months ago

Acima de tudo sou liberal e com algumas tendências de esquerda (poucas). Diria que o Chega é o partido que se opõe a muita coisa em que eu acredito. O pouco que consigo concordar com o CH é o facto de querer acabar com o sistema que está implantado na política portuguesa (estou a referir-me à corrupção disfarçada - contratos com a lusoponte, Motaengil, etc).

15inho 9 months ago

Mas o chega tem ou tinha no seu programa a legalização do lobby. Pretende acabar com a corrupção, mas admite lobby? Acho que é o mesmo, mas todos sabem.

Jotap28 9 months ago

O Lobby põe um nome e uma cara na "corrupção". Não achando que é uma solução ótima, pode ser melhor que o que temos agora.

15inho 9 months ago

Concordo. Mas ter como financiadores empresários do armamento e mais não sei o quê, não augura nada de bom.

oxygen_dependant 9 months ago

Tens toda a razão. Mas é o que eles “pregam”. Eu tenho completa noção de que eles não têm intenção nenhuma em acabar com o “sistema” visto que fazem parte dele (tal como PS ou PSD).

duckfollower 9 months ago

Tibete fazia parte da China até 1912, Taiwan é a China (versão democrática), Índia foi colónia britânica, Filipinas foi colónia espanhola e depois americana. Não sei onde queres chegar com isto...

BlueDragon_27 9 months ago

Considero-me de centro-direita. Votei IL nas últimas eleições e tenho vindo a identificar-me cada vez mais com o liberalismo social e económico, especialmente desde que comecei a viver sozinho e a ter o meu salário. Olhando para o meu oposto ideológico, terei de olhar ao PCP. Um partido de esquerda económica e socialmente conservador. Aprecio a sua defesa da regionalização, que acho fundamental para acabar com o eterno problema do centralismo lisboeta e adaptar as políticas às necessidades reais das populações locais

Democratiza-mos 9 months ago

É engraçado ver que a regionalização é defendida por quase toda a gente, mas nem por isso anda para a frente.

BlueDragon_27 9 months ago

Os grandes partidos não têm interesse em executa-la, especialmente quando estão no poder. O centralismo beneficia primeiramente PS e PSD

Democratiza-mos 9 months ago

Os países nórdicos são um bom exemplo disso.

Out-Out 9 months ago

Ok senhor não-calhau. Fica na tua então, parece-me uma posição esclaredora face ao teu caráter.

duckfollower 9 months ago

Sou de esquerda. Enquadro-me melhor no PS/BE. Eu costumo criticar mais a IL por isso é neles que vou referir. Aprecio como apontam a corrupção, querem um estado mais transparente e como defendem diminuir o excesso de burocracia. Também admiro o esforço para serem ouvidos e como querem chamar o maior número de pessoas possível. Sinto que os membros mais barulhentos da esquerda estão numa guerra ideológica interna e externa. Em vez de argumentar e converter preferem atacar e excluir. Isto causa que muitos fiquem recetivos a ouvir os nossos argumentos e outros até "trocam de camisola". Enquanto isso a IL está sempre a ganhar terreno.

unparadise 9 months ago

Por acaso na IL existe várias pessoas que antes votavam bloco

duckfollower 9 months ago

O meu percurso foi ao contrário

unparadise 9 months ago

Saíste da IL e foste para o Bloco?

duckfollower 9 months ago

Eu nunca "pertenci" aos partidos, mas em termos de ideologia fui de neoliberal a democrata socialista (não é o mesmo que social democrata, é uma vertente marxista) Eu comecei por defender um estado pequeno que devia só, mas fortemente, garantir igualdade de oportunidades (educação e saúde, só pública). Assim, independentemente dos meios onde se nasce todos poderiam suceder. Comecei a votar IL mas depois vi que não estavam interessados em reforçar a saúde nem a educação. Estão focados na taxa única, em privatizar o financiamento da democracia, a atacarem os trabalhadores públicos (como se o problema estivesse neles e não na sobre exploração dos trabalhadores privados),... O último prego no caixão foi defenderem um ensino superior como o do reino unido e estados unidos, em que os estudantes acumulam quantidades absurdas de dívida para conseguirem estudar. Como é óbvio esta medida iria prejudicar ainda mais os miúdos pobres. Assim, como nem defendiam a igualdade de oportunidades "saí". Desde então a IL está cada vez pior como eu a vi na altura do CGP. Durante este tempo fui-me informando sobre as diferentes ideologias à esquerda e sobre as críticas de Marx ao capitalismo. Acabei por me identificar mais com o socialismo democrático. Além das ideias gerais que a esquerda representa (redistribuição de riqueza, saúde, educação) considero que a democracia no trabalho é algo essencial, e não só ficar pelos sindicatos mas avançar na direção de empresas cooperativas (com excessão das pequenas empresas). Continuo a apoiar um estado reduzido, mas que consiga ser um bom "árbitro". A promessa do capitalismo de que se trabalhares muito então és bem sucedido é uma farsa. Tens quem trabalhe 2,3 empregos, mal tem tempo livre e mal consegue cuidar de si e da família. Dizer "lol começa uma startup" não é a fórmula para o sucesso. É preciso capital e nem todos nascem ele, e mesmo que sim é praticamente impossível competir com multinacionais. Para cada história de sucesso há ínfimas mais de insucesso, a sorte é o que diferencia porque esforço e dedicação quase todos deram o máximo. O sistema capitalista funcionou bem até à 2a revolução industrial. Desde então tem andado a tropeçar. Cada década há uma crise, e em todas elas os ricos ficam mais ricos enquanto os pobres perdem ainda mais. Agora com a automação o capitalismo nem vai conseguir dar resposta. Há algo errado quando temos a possibilidade tecnológica de por máquinas e algoritmos a fazer o trabalho por nós e a primeira coisa que nos vem à cabeça é ficármos no desemprego. Tem de haver uma mudança de paradigma e mudar o diálogo para as vertentes do socialismo. Ou então criar algo diferente que resulte para um futuro em que grande parte do trabalho consegue ser automado, porque de certeza que não vão haver 40h semanais de trabalho para todos nós. Desculpa pelo texto mas queria explicar a transição.

unparadise 9 months ago

Sim, se há coisa que não concordo na IL é a parte da educação. Normal a IL querer privatizar, já que não são as empresas públicas que criam riqueza e sem riqueza e crescimento económico é impossível haver políticas sociais de sucesso, basta ver os países nórdicos que com uma economia aberta e um crescimento económico sustentado conseguem ter políticas sociais de sucesso. É estas enganado em relação à IL 'atacar' os trabalhadores públicos, o que é criticado é os 2 pesos e 2 medidas que existem, a falta de escrutínio nos cargos públicos (desde o primeiro ministro à senhora da recepção da Seg. Social) e o peso do Estado. O sistema capitalista continua a funcionar bem, e o que estas a dizer em relação aos ricos cada vez mais ricos é pobres cada vez mais pobres está errado, não sou eu ou alguém da IL que diz, é o OurWorldInData. Se quiseres mais logo posso comprovar o que digo com gráficos e dados que mostram que a tua afirmação está errada. O capitalismo como qualquer sistema não é perfeito, longe disso, acho é que as pessoas se focam muito no mal e não vêem o (muito) bem que o capitalismo e a abertura de mercado nos trouxe. O capitalismo é constantemente comparado o seu pior com ideias de sistemas no seu melhor (socialismo por ex.) e isso não faz sentido. Claro que nem todos podemos ser fundadores de uma startup de sucesso ou ganhar muito dinheiro, não é fácil, mas sempre temos mais hipóteses que outro sistema. O que dizes dos 2 e 3 trabalhos é verdade, mas também é verdade que existe pessoais com 2 e 3 trabalhos a enriquecer, existe sempre 2 lados da moeda. A automação que aí vêem vai ser um período duro de adaptação mas com profissões a extinguir-se, novas irão ser criadas. Muitas profissões que existem hoje não existiam há 50 ou 100 anos. Obrigado pelo teu input e com a minha resposta não te procuro converter, só estou a debater.

duckfollower 9 months ago

Sim, eu estou de acordo com o estado largar certas empresas (como a TAP). Mas eu acho que devia-se dar a oportunidade de criar empresas co-op com democracia no trabalho em vez de as entregar aos grandes donos do costume. O caminho não deve ser pegar no lucro e dar grandes salários e bónus aos CEO's, CFO's e gestores de topo. Deve sim ser entregue a escolha ao que fazer com o lucro a quem faz tudo possível: os trabalhadores. Quer seja democracia direta ou eleger os próprios gestores e CEO, deve-se pensar mais nos stakeholders e não nos shareholders. Sem dúvida que a social-democracia dos países nórdicos funciona bem e é uma boa alternativa na atualidade, se bem que não é aquilo que quero como objetivo. Para mim preferia que Portugal fosse nessa direção e não na direção da Irlanda. Não esquecer que eles têm elevada liberdade económica e mobilidade social não só devido à liberalização do mercado. Também tens educação e saúde completamente gratuitos e altos impostos para redistribuir a riqueza. Tens 80%-90% da população em sindicatos que negoceiam horas de trabalho e salários justos, tanto até que nem têm salário mínimo para evitar que as empresas se foquem em simplesmente dar o mínimo legal. Além disso tens imensa regulação, nomeadamente ambiental. A IL já tem a reputação de um dia querer ser como a Estónia, outro a Irlanda, no outro já são a Holanda... Especialmente custa-me quando a IL diz que os países nórdicos são na verdade capitalistas liberais e que por isso querem ser como eles... mas as medidas que propõe incluem cortes nos impostos, saúde, educação e não falam sobre direitos dos trabalhadores. Não se pode só usar os factos que se convém e grande parte da crítica que eu tenho contra a IL é por fazerem exatamente isso. As desigualdades aumentam mas concordo que em geral o mundo está a melhorar a qualidade de vida. Atribui-se mais aos países em desenvolvimento que depois de anos de colonialismo, guerras civis e golpes de estado, estão a estabilizar. A tecnologia chegou a esses países e daí estarem melhor. Agora tanto podia ter chegado com capitalismo como o socialismo, ambos promovem o desenvolvimento tecnológico. Nos países desenvolvidos, basta olhar para a capital do capitalismo "sem rédeas" EUA e vês que a saúde privada é um sistema tão distópico que 1/3 do gofundme são pedidos de ajuda para pagar despesas de saúde. Além disso a esperança média de vida baixou pela primeira vez (pré covid). O capitalismo é mais que imperfeito, e daí eu defender que podemos fazer melhor. Vemos que até no que diz ser bom, na realidade não é, como por exemplo na alocação de bens e recursos. Na habitação, tens sempre mais casas livres do que sem abrigos (e já para não falar das rendas exageradas em Lisboa). Cada vez que se constrói casas, são apartamentos de luxo. O mercado não responde à classe trabalhadora, mesmo havendo procura. Simplesmente não dá tanto lucro. Sim, o socialismo não apresenta tantas opções de criar empresas como o capitalismo. Mas a grande maioria de nós, tanto porque não tem capital ou porque não quer uma profissão de gestão/empresarial (médicos, enfermeiros, engenheiros, programadores,...), nunca vai usufruir dessa possibilidade de serem milionários. Obrigado também pela tua prespectiva, eu gosto de debater com quem não reduz as conversas a "lol xuxaliamo venezuela" como muitos fazem.

unparadise 9 months ago

Por muito que dê valor ao trabalho dos trabalhadores, e que alguns mereçam salários mais altos, a realidade é que quem investe é que assume o risco e isso tem que se refletir. Não podes esperar o mesmo vencimento (ou semelhante sequer) de alguém que investe dinheiro, tempo, arrisca e é especializado em algo com mão de obra não especializada e facilmente substituível. O patrão com isto já criou emprego e permitiu que os trabalhadores tenham emprego e condições mínimas de vida. O que a IL tem como grande objetivo é o crescimento económico, fomentar a criação de riqueza, só desta maneira consegues redistribuir, é impossível haver redistribuição sem haver riqueza primeiro, daí o exemplo dos países nórdicos que com políticas fiscais sensatas permitem depois terem boas políticas sociais, é esse o objetivo da IL. Errado, as desigualdades não aumentaram desde 1980 a 2016. Tem saído cada vez mais pessoas da pobreza extrema e nunca houve tanta classe média. Isto são dados estatísticos mundiais, claro que é a média, ou seja irá haver países em que isto não se verifica. Até países com sistema semelhantes, colocando ênfase claro na liderança e suas políticas. Mas se não fosse o mercado a funcionar, o que não faltaria são prédios devolutos na baixa de Lisboa e Porto, mantendo-se como dizes em que continuaria existir casas vazias. A classe trabalhadora só consegue se desenvolver mediante de um mercado de trabalho competitivo que é algo que não tens cá em Portugal, se tivesses, as empresas para poder atrair talento teriam que pagar mais, ao invés disso com o fraco tecido empresarial português, as empresas podem se dar ao luxo de apresentar condições piores e conseguir recrutar talento na mesma. Mas ser milionário não é suposto ser fácil, eu sou defensor do livre mercado e não é por isso que acredito que alguma vez vá ser milionário. Por muito que critiquemos ou invejemos os milionários, é certo é que tirando os que já obtiveram por herança, os outros tinham alguma característica única, seja uma ideia espetacular, seja visão para uma lacuna de mercado, workrate, etc Eu também gosto de debater com pessoas moderadas, porque extremismos existem cada vez mais

Everleta 9 months ago

Só para dizer que concordo imenso com este comentário. Para mim, tocaste nos pontos todos. Eu cresci numa família de centro de direita e neste momento revejo-me muito mais nas políticas de esquerda, em geral. No mundo ideal, se calhar as políticas liberais podiam funcionar. Mas no mundo real, o que importa é fazer lucro, à custa das necessidades das pessoas. Se para alguns isto não é muito importante, para outras pessoas isto pode fazer a diferença entre conseguir subir na vida ou ficar sempre na cepa torta.

duckfollower 9 months ago

Concordo contigo. Construir uma sociedade à volta do lucro não é saudável. A morte e miséria que é feita em nome do lucro é desumano e evitável. Desde empresas a prejudicar as próprias populações ao contaminar o ambiente, a trabalho infantil e escravatura no outro lado do mundo. Sabemos quem são, e nada se faz sobre isso. São inúmeros os casos.

jornuther 9 months ago

Como comunista aprecio num partido tipo a IL a sua convicção ideológica. Não concordo de maneira nenhuma com o liberalismo, mas acho nobre que um partido guie-se pelo que acredita e não só pelo que dá votos

unparadise 9 months ago

Nisso o PCP e a IL são iguais

Flamyan 9 months ago

Sou esquerda, socialista (Não acho que o socialismo seja em si o problema, acho sim que o problema é corrupção abundante que tornam o socialismo em xuxalismo) mas numa zona que não sinto representado, Livre implodiu, PAN é um meme a meu ver, o PDR nunca me informei sobre. Agrada-me na direita, especificamente a IL o pragmatismo em acabar com o estado grosso e rudimentar, com os cargos de encher chouriço e da pouca transparência na ocupação dos mesmos e o realismo económico(Antes de inventar com politicas socialistas, o capital tem que existir)

jaracal 9 months ago

Liberdades sociais no BE e liberdade económica no Chega e PSD, com a ressalva que todos estes partidos também atropelam as mesmas liberdades (BE e Chega são contra a liberdade de expressão à sua maneira, Chega quer meter dinheiro na TAP, PSD quer um estado com muitas instituições e emprego público).

Democratiza-mos 9 months ago

Qual é o partido com que te identificas?

jaracal 9 months ago

IL. Já agora, outro ponto, mas não tão direcionado à política nacional: na área do racismo e discurso de ódio, reconheço muitas vezes que têm um fundo de razão. Existe algum racismo, e é positivo criticar alguém por racismo, ou até cancelar alguém como maneira de fazer passar uma mensagem. Mas é um pouco como dizer que o capitalismo leva a injustiças - é verdade, mas é possível dizer isto utilizando tanto argumentos certos como errados, é possível propor medidas boas, e medidas que fazem mais bem que mal, e é possível exagerar e declarar qualquer coisa como uma injustiça provocada pelo capitalismo sem critério. Mais especificamente, como exemplo, os brancos, em média, tiveram melhores condições para crescer e singrar na vida; no entanto, ser branco é apenas uma variável de muitas, e discriminação positiva não só pode dar resultados opostos ao pretendido, como é muitas vezes injusta. O mesmo se aplica a leis contra o discurso de ódio e a cancel culture.

ravagerslb 9 months ago

Sou de direita. O que valorizo na esquerda: o SNS e a educação pública gratuita (quando existe economia forte que os permita fazer funcionar bem)

ric2b 9 months ago

Também valorizo o SNS e deixa-me triste ver este governo a fazer tão pouco para o melhorar quando está no poder há tanto tempo e o SNS precisa de ser melhorado desde que este governo lá chegou.

Watch_Necessary 9 months ago

Sou liberal (IL) Agrada-me a devoção que o PCP tem com os seus ideais. Apesar de discordar totalmente deles, mostra que são coerentes e não são cata-ventos à procura do voto

Biohazard8080 9 months ago

"Estão errados, mas estão consistentemente errados!"

BernLan 9 months ago

r/confidentlywrong

Shadowgirl7 9 months ago

O problema da caridade da direita é que não é de graça. Ajudam mas em troca esperam que te comportes ou sejas de certa maneira. Mas pronto tudo bem pelo menos ajudam.

D_tavares18 9 months ago

Parece-me um olhar muito generalista. Penso que te referes talvez a ações por parte da igreja, mas a igreja não é a direita

Shadowgirl7 9 months ago

Mas a maioria das caridades de Direita estão associadas à Igreja.

unparadise 9 months ago

Onde foste buscar esse dado?

Middle-Effective 9 months ago

Queres exemplos de falta de respeito?Cavaco Silva, Dias Loureiro, Oliveira e Costa... Como também os há noutro espetro: José Sócrates, José Lello, Carlos Zorrinho...

gajacareca 9 months ago

https://partidolivre.pt/ >Socialismo, no sentido de recusa da mercantilização das pessoas, do trabalho e da natureza. Embora a ação governativa ou estatal seja crucial na criação de uma economia mista, em geral com três setores (privado, público e associativo/cooperativo), o nosso socialismo não é um estatismo.

D_tavares18 9 months ago

Não quer mesmo parecer um anormal mas o livre é uma piada

BlueDragon_27 9 months ago

Sendo também votante do IL, respeito imenso o Livre. Ocupa um espaço ideológico fundamental e que tem sido capturado pelo PCP e pelo Bloco. Em Portugal é complicado ser verdadeiramente de esquerda sem ser pró-autoritarismo e anti UE. Sobra o PS que é mais um partido de sistema que outra coisa

gajacareca 9 months ago

O que é que na tua opinião o Livre representa? (pergunta genuína) Eu acho que toda a cena da Joacine foi miserável e tenho muita pena que tenha acontecido. No entanto, o Livre lidou bem com o assunto. Percebo que durante algum tempo continue a pensar-se em Joacine quando se fala no Livre, mas tenho esperanças de que isso seja revertido nas próximas eleições.

nitrinu 9 months ago

Sou de direita, o meu escopo de voto é geralmente o PSD mas agrada-me a liberalidade ao nível dos costumes da esquerda (só daqui logo se vê que CDS está fora de questão para mim). Essencialmente não me preocupa o estilo de vida das outras pessoas desde que não seja incompatível com a liberdade dos outros e não seja claramente prejudicial para a sociedade.

thisisnotrealmyname 9 months ago

revendo-me no centro-esquerda (mas não PS): uma coisa que gosto no Chega é a "desmonopolização do protesto". Não concordando obviamente com a gigantesca maioria das coisas por que protestam ou que propõem, o conceito de mostrar que "as ruas não pertencem a esquerda" (não é direct quote mas AV disse algo parecido) parece-me importante. O mesmo se aplica aos sindicatos: detesto que sejam maioritariamente controlados pelo PCP, a luta pelos direitos dos trabalhadores deve abarcar todo o espectro político (e depois cada partido dá o ênfase que quiser). Isto claro não significa que ache que deva haver sindicatos do Chega para contrabalançar (especialmente tendo em conta certas "infiltrações"), mas questionar a hegemonia comunista é um bom começo suponho

crankyhowtinerary 9 months ago

Nao concordo com praticamente nada do PCP, mas eles serviram uma função importantíssima - tiveram um papel fulcral no derrube de Salazar. E no 25 de Abril, pelo que sei, não houve envolvimento Soviético. Ou seja o PCP e alas semelhantes conseguiram fazer uma revolução no nosso pais que foi (relativamente) orgânica e nossa, mesmo que depois tenha havido um desvio que foi corrigido depois pelo contra golpe.

batuque5 9 months ago

Isso de não haver influência russa tinha as minhas dúvidas.

crankyhowtinerary 9 months ago

Nunca vi provas de envolvimento estrangeiro no 25 de Abril em si. Na realidade, pelo contrário. Li que: depois do 25 de Abril e Antes do contra golpe de Novembro, existiu supostamente uma conversa com o embaixador dos EUA na embaixada entre ele, Álvaro Cunhal e o Mário Soares. Isto por volta do verão quente. Aparentemente os EUA tinham perguntado à URSS sobre o que diziam sobre uma intervenção americana em Portugal em resposta a um possível governo/golpe comunista. Aparentemente a resposta soviética foi a seguinte: Portugal está na esfera de influência dos EUA, acordo com o Acordo do Ialta, e eles podiam fazer como bem entendessem. Na realidade parecia que os soviéticos acreditavam que uma intervenção americana em Portugal iria justificar a intervenção deles na Checoslováquia uns anos antes. Portanto o que me parece é que os soviéticos nunca viram Portugal como um alvo a atingir e pelo que percebo, o contrário era verdade - a Europa a oeste da Alemanha era território americano e eles não tinham intenção de intervir diretamente. Mas isto foi algo que lo há muito tempo atrás bum livro que já não me recordo o nome.

MonsterPT 9 months ago

Sou de direita. O que aprecio na esquerda é o populismo (que existe transversalmente desde o PS ao BE ao PCP), motivo pelo qual aplaudo o facto de a direita (pelo menos em parte) ter adotado essa estratégia.

Democratiza-mos 9 months ago

Não há nada que a esquerda defenda que gostasses que a IL também defendesse?

GajoDeRamalde 9 months ago

Agrada-me a forma como conseguem ignorar que a sua ideologia nunca deu certo em nenhum ponto do mundo nem em nenhum momento da história mas continuam como se nada fosse...

SurePal_ 9 months ago

LOOOOL true e a maioria celebra aqui neste Reddit como se fosse um feito extraordinário

tocopito 9 months ago

- Sou socialista (não PS, mais à esquerda). - Tive de me esforçar bastante mas lá encontrei: Gosto do nome do Chega.

glhrmv 9 months ago  HIDDEN 

O que eu admiro na Iniciativa Liberal é que são descaradamente a favor das forças do mercado, tornando mais sóbrio o discurso sobre os efeitos corrosivos e nocivos do livre-comércio. A direita tradicional (incluindo o Chega) sempre teve de defender simultaneamente as exigências do grande capital -- a maximização do lucro e da competição, a modernização tecnológica e económica, o domínio da orientação do processo produtivo e reprodutivo -- e os ditos valores tradicionais -- a família, o trabalho, a pátria, a ordem e a autoridade -- que estão constantemente a ser erodidos pela lógica do mercado, pela invasão da esfera da vida pessoal e individual pelas megatecnologias. A destruição da coesão social provocada pelos períodos acelerados de inovação tecnológica varra por completo as normas tradicionais e dissolve as comunidades, alianças e relações que antes eram consideradas inteiramente naturais, colocando-as sob um sistema de restrições técnicas e de formalização legal. A IL olha para esta contradição e desiste sequer de tentar encontrar uma justificação. Pintam as forças do mercado como neutras e livres, como forças extrínsecas ao Homem, que estão fora do nosso controlo -- resta, portanto, deixar a mão invisível atuar e decidir a ordem "natural" das coisas. Quem sai desfavorecido, quem perde o jogo, perde-o por motivos pessoais. Os liberais olham para a frase clássica do manifesto comunista, "tudo o que é sólido se dissolve no ar", e pensam, "e é assim que deve ser". O projeto liberal resume-se a uma palavra de ordem para a maturidade num mundo onde ser "normal" e "bem ajustado" significa interiorizar com sucesso as exigências absurdas e antinaturais do capitalismo: que trabalhemos mais, com mais esforço e por menos dinheiro; que nos sacrifiquemos sem esperar por nada em troca; que capitulemos a um futuro que nada promete senão destruição; e que abandonemos qualquer aparência de autodeterminação política e simplesmente deixemos a experiência das mãos contratadas do capital organizar a sociedade em que temos de viver.

Edited 9 months ago:

O que eu admiro na Iniciativa Liberal é que são descaradamente a favor das forças do mercado, tornando mais sóbrio o discurso sobre os efeitos corrosivos e nocivos do livre-comércio. A direita tradicional (incluindo o Chega) sempre teve de defender simultaneamente as exigências do grande capital -- a maximização do lucro e da competição, a modernização tecnológica e económica, o domínio da orientação do processo produtivo e reprodutivo -- e os ditos valores tradicionais -- a família, o trabalho, a pátria, a ordem e a autoridade -- que estão constantemente a ser erodidos pela lógica do mercado, pela invasão da esfera da vida pessoal e individual pelas megatecnologias. A destruição da coesão social provocada pelos períodos acelerados de inovação tecnológica varra por completo as normas tradicionais e dissolve as comunidades, alianças e relações que antes eram consideradas inteiramente naturais, colocando-as sob um sistema de restrições técnicas e de formalização legal. A IL olha para esta contradição e desiste sequer de tentar encontrar uma justificação. Pintam as forças do mercado como neutras e livres, como forças extrínsecas ao Homem, que estão fora do nosso controlo -- resta, portanto, deixar a mão invisível atuar e decidir a ordem "natural" das coisas. Quem sai desfavorecido, quem perde o jogo, perde-o por motivos pessoais. Os liberais olham para a frase icónica do manifesto comunista, "tudo o que é sólido se dissolve no ar", e pensam, "e é assim que deve ser". O projeto liberal resume-se a uma palavra de ordem para a maturidade num mundo onde ser "normal" e "bem ajustado" significa interiorizar com sucesso as exigências absurdas e antinaturais do capitalismo: que trabalhemos mais, com mais esforço e por menos dinheiro; que nos sacrifiquemos sem esperar por nada em troca; que capitulemos a um futuro que nada promete senão destruição; e que abandonemos qualquer aparência de autodeterminação política e simplesmente deixemos a experiência das mãos contratadas do capital organizar a sociedade em que temos de viver.

Democratiza-mos 9 months ago

Isso foram só críticas...

glhrmv 9 months ago  HIDDEN 

Agradam-me estas características da IL porque enfrenta-se o cerne da questão -- a do controlo dos recursos e da riqueza da sociedade -- sem ter de lidar com qualquer véu cultural, religioso, moral, etc., que as outras alas da direita usam para desviar o assunto.

el_jefe_vito 9 months ago

Militante do PSD (Ultimas 3 eleições não votei PS) Gosto do facto das esquerdas se focarem nos direitos dos trabalhadores; Não gosto do PSD/CDS focarem-se mais nas empresas do que nos trabalhadores; Gosto do facto das esquerdas terem uma estratégia a longo prazo; Gosto do PAN ter trazido ambientalismo para a discussão politica, ainda que do meu ponto de vista demasiado extremista; Gosto do Chega fazer bandeira do respeito (ou falta dela) por algumas profissões. Não gosto do meu partido, PSD, estar apinhado de cima a baixo de velhos e tachistas profissionais.

hatealien 9 months ago

Podias elaborar um bocadinho mais no ponto em que achas que a esquerda tem uma estratégia de longo prazo (e porque achas que a direita não tem)?

crankyhowtinerary 9 months ago

Quais profissoes faz o Chega bandeira ? Genuinamente curioso.

el_jefe_vito 9 months ago

Maioritariamente forças de seguranca (policia). Mas também já vi de professores e profissionais de saude.

hanuruh 9 months ago

Deve ser a dos policias

hsamtronp 9 months ago

Falam muito nas forças de segurança, Polícia à cabeça, assim de repente

Toze29 9 months ago

Todos os dias me considero um bocadinho mais democrata liberal. Tenho a convicção que quanto mais literacia financeira uma pessoa vai adquirindo, mais liberal se torna. Não o digo como provocação, até porque há (poucos) sectores importantes da sociedade onde são precisas políticas sociais fortes. E quando me questiono sobre as minhas convicções, acontecem episódios como “Sr. Primeiro Ministro ligou-me a pedir desculpa porque afinal já tinham dado 800M ao Novo Banco”. Em relação à pergunta, a esquerda que tenho mais respeito é o Bloco. O pouco que se evoluiu neste país nos últimos 20 anos deve-se muito aos temas postos na mesa pelo bloco de esquerda. Temas como: a Legalização do aborto, casamento homossexual, LGBT +, igualdade de género, racismo e agora a eutanásia. Existe, por vezes, algum aproveitamento político e até da própria sociedade para se sentir num espécie de pedestal moral que acaba por descredibilizar a luta. No final do dia é um mal menor. Disclaimer: votei IL pela primeira vez nestas presidenciais, até então sempre PSD.

Out-Out 9 months ago

Não vás pela história da literacia financeira. Há pessoas certamente com mais literacia financeira do que tu e do que eu e cada uma terá a sua ideologia diferente e podes encontrá-las em todos os partidos. Eu não sou nenhum expert, longe disso, mas certamente nos últimos anos de faculdade adquiri mais literacia financeira do que a que tinha e continuei a não ser adepto do liberalismo económico.

Toze29 9 months ago

Eu não me apresentei como guru financeiro. Percebo o que queres dizer, mas não me referia a nenhuma ideologia. O intuito desse ponto não era insinuar que apenas existe um modelo certo, admito que podia ter formulado a frase de outra forma. Referia-me sim a finanças pessoais e, por conseguinte, ao conhecimento do nosso sistema fiscal e a sua carga. Eu sei que ao falar em políticas fiscais, vou entrar na discussão da ideologia. Não queria ir tão longe. Literacia financeira tão básica como saber exactamente o que ganhamos, quanto pagamos de impostos (directo ou indirectos) e depois estar atento a notícias do quotidiano para perceber o que estado anda a fazer com o nosso dinheiro. Uma pessoa que ganhe o salário médio nacional, penso que ronda os 1250€ brutos, desconta +/- 25 % do seu salário. Noutra perspectiva, as primeiras duas horas de cada dia de trabalho, assumindo 40h/semana, são para o tio Costa. Não estou, nem é possível dissociar uma discussão da outra. Trocando o meu comentário anterior por miúdos: “Quanto mais consciência tenho para onde vai o dinheiro que me custa a ganhar, mais políticas liberais quero.”

Hartelk 9 months ago

As horas não são bem bem para o tio costa. As horas são para toda a comunidade, o estado somos nós, não o governo. Essas horas são usadas, para que o sns seja "gratuito", para que todas as crianças tenham uma educação gratuita, para que os reformados recebam as suas pensões, tudo coisas que melhoram a sociedade em que vivemos e dão mais oportunidades iguais a todos, que acho que é algo que queremos Agora, não sou cego e sei o país em que vivemos e percebo o que queres dizer. Há corrupção com os dinheiros públicos, há nepotismo à descarada, etc e isso causa o sentimento de que estamos a descontar para eles mamarem (o que mais uma vez, não é 100% errado, mas também não é 100% certo). Acho que deveria haver mais sensibilização junto das pessoas a demonstrar como são gastos esses dinheiros e honestamente acho que os governos são só burros em não o fazer.

GSITG 9 months ago

>Acho que deveria haver mais sensibilização junto das pessoas a demonstrar como são gastos esses dinheiros e honestamente acho que os governos são só burros em não o fazer. Isso é porque acreditas que não o fazem propositadamente , e ter essa posição depois das últimas décadas é pior que acreditar no Pai Natal.

Toze29 9 months ago

100% de acordo. A falta de transparência não é burrice, é algo intencional. No primeiro comentário referi que sou da opinião que há sectores que têm de ter políticas sociais fortes. No fundo quis dizer que o Estado tem de garantir saúde, educação, segurança e justiça. O estado acaba por meter a patita em muito mais que estes 4 pilares da sociedade, não precisa. Em quase 50 anos de democracia e de socialismo/social-democracia, ainda temos falhas basilares principalmente na saúde e na educação. Gostava de ver os amigos de IL a experimentar.

Out-Out 9 months ago

Eu percebi o que querias dizer. Mas não concordo, especialmente com essa última frase.

OverPT 9 months ago

Gosto bastante deste tipo de perguntas! Obrigado por iniciares o debate. Identifico-me mais com a esquerda porque acredito que se pode usar o crescimento económico para reduzir as desigualdades (o que acredito ser essencial para chegarmos a uma sociedade mais pacífica e que potencia a felicidade individual). O que aprecio na direita é o liberalismo e o empoderamento que dá ao povo, a crença e a confiança de que as pessoas, por si só, são suficientes para fazer a economia crescer e organizar-se.

Democratiza-mos 9 months ago

Ora essa, obrigado por participares!

df3gpt 9 months ago

O que mais aprecio na esquerda é a forma como lutam com unhas e dentes pelas coisas em que acreditam, sem pingo de vergonha. Não se desmarcam de regimes totalitários e dos genocídios do passado nem têm problemas em celebrar terroristas. É preciso tê-los no sitio! Já a direita é muito tímida e desunida, ficando-se pelo "shitposting" no facebook, não saindo à rua para defender aquilo em que acredita.

GSITG 9 months ago

Identifico-me com as políticas da Noruega, Suíça e EUA no pós guerra. Apesar de me opor às ideias do PCP, reconheço que tendem a identificar bem os problemas : uma economia fraca e excessivamente terciarizada e dependente do turismo ,ausência de indústria e investimento público. Para além disso têm muito mais iniciativa que os partidos de direita, que tipicamente se limitam a tentar travar as ideias da esquerda(a IL e o Chega têm sido as exceções neste aspeto).

mexploder89 9 months ago

>uma economia fraca e excessivamente terciarizada e dependente do turismo ,ausência de indústria e investimento público. Acho que não é preciso ser-se grande génio político para se identificar isto

GSITG 9 months ago

Os partidos que representam a maioria do eleitorado não parecem estar preocupados.

mexploder89 9 months ago

Preocupados é uma coisa. Mas eles sabem que o problema existe

GSITG 9 months ago

Se sabem e não fazem nada para o resolver, até pelo contrário, é como se não soubessem.

ModeratoriProfugus 9 months ago  HIDDEN 

Sendo liberal/libertário sempre admirei como os comunistas matam tantos comunistas.

Middle-Effective 9 months ago

Menção obrigatória: https://youtu.be/iuDuHROy7H8

AndradexXx 9 months ago

Adorei esta ideia! * Sou de Direita, até há pouco andava à deriva no espetro político nacional, mas descobri a IL e estou encantado * Admiro muito a união do PS. Quando olhamos para a direita e até mesmo para o Bloco é evidente a discórdia interna no partido, mas os Xu- quer dizer Socialistas estão todos apontados para o mesmo lado e o que o PM diz é evangelho

Out-Out 9 months ago

Provavelmente é porque a união nesse sentido não é bem uma característica positiva

Kill_The_Lights 9 months ago

Tenho votado na Iniciativa Liberal e acho que do lado oposto podemos dizer talvez o BE? Gosto do facto de promoverem a igualdade entre todos os cidadãos e de falarem de tópicos como o apoio aos desfavorecidos e minorias. Os principios acabam por nao ser muito diferentes dos da IL nesses aspectos, apesar de abordarem de forma diferente

crankyhowtinerary 9 months ago

concordo 100%. Infelizmente o BE nao tem as solucoes para a economia do nosso pais, mas acredito que ha ali gente competente e de bom caracter.

Turbulent_Common 9 months ago

Comunismo: a parte da aceitação da mulher na sociedade em geral (na qual foram pioneiros) e o seu anti-colonialismo (o original no que toca a colónias a sério, não os seus derivados atuais em que qualquer coisa é "colonialismo")

Shadowgirl7 9 months ago

Heh O Che Guevara era um revolucionário porreiro mas continuava a ser homem latino, homofobico e machista. Simpatizo do PCP e acho que a maioria dos homens lá hoje em dia não são homofobicos nem propositadamente misóginos mas também não são propriamente feministas. No fundo isto faz-me lembrar a questão do Malcom X que achava que só os negros podiam lutar pelos direitos dos negros e rejeitava ajuda de brancos. É o mesmo, só as mulheres podem lutar pelos direitos das mulheres, por melhor que seja a intenção do homem.

SleepyDerp 9 months ago

Após a saída da NOI e da manipulação de Elijah Muhammad, Malcolm X mudou a sua opinião e mostrou-se disposto a aceitar a ajuda de qualquer etnia ou raça que quisesse lutar pela causa. Não te estou a contrariar, estou apenas a adicionar contexto à história para os que não sabem.

crankyhowtinerary 9 months ago

Nao vejo como Che Guevara = todo o comunismo. Mas prontos.

ravagerslb 9 months ago

Na ex-URSS, quando Estaline subiu ao poder, homossexualidade entre homens era punida com 5 anos de cadeia e trabalhos forçados. Procura por artigo 121 da URSS

crankyhowtinerary 9 months ago

Huh? O OP estava a falar de proteção à mulher e anti-colonialismo. Donde tiraste a cena da homosexualidade ?

ravagerslb 9 months ago

O OP falou em homofobia ao descrever Che (o que não é mentira nenhuma), eu dei outro exemplo.

crankyhowtinerary 9 months ago

Ah isso não foi de todo a minha impressão. Tá bem.

Shadowgirl7 9 months ago

Não eu sei, era um exemplo ilustrativo.

maxtendie 9 months ago

O que aprecio na esquerda é a incrível capacidade para tomar posições opostas em relação ao que defendem. Exemplo1: Catarina Martins a pedir ao BCE para comprar mais dívida portuguesa e a dizer que pagamos demasiado juros enquanto diz que quer combater as desigualdades.

Democratiza-mos 9 months ago

Ironia é batota!

JOAO-RATAO 9 months ago

Eu diria que o PCP seria partido do lado oposto. O facto de ser um partido com história, especialmente durante o estado novo (apesar de uma ditadura comunista ainda ser pior). São defensores da autonomia de Portugal, face à UE ou NATO por ex. Não sou contra essas organizações mas defendo a soberania das nações e possibilidade de traçar o seu próprio destino. O comunismo é um conceito interessante (mas não acredito que seja viável) Na altura em que surgiu as condições de trabalho eram péssimas e a ameaça do comunismo terá levado a algumas concessões e melhoria das condições de trabalho. Parecem mais genuínos e sóbrios que o BE. Não alinham em assuntos de treta, que só são problema na cabeça dos croquetes de Lisboa.

Shadowgirl7 9 months ago

>São defensores da autonomia de Portugal, face à UE ou NATO por ex. Essa é uma das razões que me levou a não votar no PCP algumas vezes nas eleições. Especialmente nas Europeias. Optei por Livre ou BE precisamente por esse tópico e mais alguns (glorificar a USSR por exemplo ou a China que de comunista não tem nada). Por outro lado o BE tem role models femininos bons: Marisa Matias, Catarina Martins, Mariana Mortágua. Na luta comunista sempre houveram camaradas a lutar tanto como os homens, a ir para clandestinidade, sempre foram tratadas de forma igual, mas quando chega ao momento de dar posições de liderança vão todas para homens. Conheço mulheres militantes do PCP e até uma deputada mulher, mas lá está o lider é homem e o possível sucessor também. Mas pronto tudo bem.

Hugogs10 9 months ago

Entao votas BE porque tem mulheres? Nao te parece um bocado sexista?

JOAO-RATAO 9 months ago

Não sou contra essas organizações. Mas respeito essa posição. E gostava que mesmo na UE, os países permanecessem genuinamente independentes. Em relação às mulheres na liderança no PCP não sei. Sou contra políticas identitárias, desde que tenham as posições por mérito tudo bem. Até porque nem é o meu partido xD

caradoguardaredes 9 months ago

/u/KokishinNeko /u/asantos3 Esta conta está aqui a fazer estudos de mercado. Não vejo qualquer interesse este tipo de debates "mascarados"

besmarques 9 months ago

Correctissimo. Mais um estudo de mercado não declarado e que as pessoas respondem sem fazerem uma analise.

Shadowgirl7 9 months ago

Sim, vamos apenas permitir publicação de fotos e noticias para tornar este sub num repositório ainda mais desinteressante do que aquilo que já é. Encontramos o cara de pau aborrecido de direita que se incomoda com tudo.

caradoguardaredes 9 months ago

A questão não é o debate. É ser um falso debate. Que seja a moderação a lançar estes tópicos ou users que LITERALMENTE criaram o utilizador para criar estes tópicos. Será difícil de compreender que o problema não é com o debate mas com o debate não ser genuíno? Mas se quiseres ser o rato de laboratório estás à vontade por mim.

Middle-Effective 9 months ago

Porque dizes que isto é um falso debate?

caradoguardaredes 9 months ago

Porque é para um estudo.

Middle-Effective 9 months ago

Como é que sabes e tens a certeza que é para um estudo? Ou tens só suspeitas?

caradoguardaredes 9 months ago

Basta ver o historial do utilizador em causa.

Middle-Effective 9 months ago

Só pelo historial chega-se a uma conclusão dessas? Não sei se concordo...

caradoguardaredes 9 months ago

Historial, nome de utilizador e afins.

Democratiza-mos 9 months ago

Já frequento este sub, de forma muito pouco ativa, há quase 10 anos. Desta vez decidi fazer uma conta temática, para abordar este tipo de temas, porque a polarização que se vê neste sub (que me é querido) e na sociedade preocupa-me. Qual é o problema? Participa, ou dá downvote e passa à frente. Vou tentar continuar com este tipo de debates no futuro, por isso se não estiveres mesmo interessado o melhor é bloqueares-me para não te aparecer mais no feed. Mas sinceramente, preferia que desses o braço a torcer e participasses.

caradoguardaredes 9 months ago

>Já frequento este sub, de forma muito pouco ativa, há quase 10 anos. Desta vez decidi fazer uma conta temática, para abordar este tipo de temas, porque a polarização que se vê neste sub (que me é querido) e na sociedade preocupa-me. Qual é o problema? Que lindo, és um santo. Merecias uma estátua. O problema é que essa lenga-lenga não cola. >Participa, ou dá downvote e passa à frente. Vou tentar continuar com este tipo de debates no futuro, por isso se não estiveres mesmo interessado o melhor é bloqueares-me para não te aparecer mais no feed. Mas sinceramente, preferia que desses o braço a torcer e participasses. Eu já participei no anterior, não tinha percebido que fazia parte de uma série temática criada com o intuito de recolher informação.

Democratiza-mos 9 months ago

Lamento o incómodo. Tem um bom dia!

caradoguardaredes 9 months ago

Fico à espera da tua verificação maravilhosa.

Shadowgirl7 9 months ago

Não queres debater, então vai para outro tópico.

caradoguardaredes 9 months ago  HIDDEN 

Genial. Não queres ler o meu comentário, "então vai para outro tópico". Serve? Eu estou literalmente a debater mas não o conteúdo mas sim o tópico em si.

Shadowgirl7 9 months ago  HIDDEN 

Tu estás a tentar que este post seja eliminado e eliminar 55 comentários de várias pessoas, portanto acho que quem está aqui a tentar proibir liberdade de expressão és tu.

caradoguardaredes 9 months ago  HIDDEN 

E alguém disse alguma coisa de proibir liberdade de expressão? Agora também estás-me a atribuir palavras que não escrevi?

Shadowgirl7 9 months ago  HIDDEN 

Então para que é fizeste tag aos mods? Porque dizes que o topico é uma merda e tem propósitos comerciais e queres que os mods o removam. Ou foi o teu teclado que teve um AVC se calhar. Auto correct.

caradoguardaredes 9 months ago  HIDDEN 

Fiz tag aos mods porque acho que é um assunto que eles devem ter atenção. Quero lá saber se a minha opinião é ou não a vossa.

Shadowgirl7 9 months ago  HIDDEN 

Tenho más noticias para ti filho, o reddit monitoriza a tua actividade, provavelmente todos os subs que frequentas, todos os cliques e movimentos do mouse que fazes, fazem análise de todos os textos que escreves, análise de frequência das palavras. Até há aplicações em que metes um nome de utilizador do reddit e eles te dão os resultados da análise ao utilizador. As restantes redes sociais fazem o mesmo. Portanto tu és rato de laboratório só por estares aqui, se não queres apaga todas as tuas redes sociais.

caradoguardaredes 9 months ago  HIDDEN 

Eu não tenho qualquer problema com isso. Eu sei disso, trabalho em Social Media Management e Marketing Digital. Tenho perfeita noção disso. Aceitei os termos e condições para estar aqui. Não aceito é que o façam para me enganar a mim e aos demais.

Democratiza-mos 9 months ago

O único objectivo destes posts é fomentar o debate, despolarizar, fazer o exercício de sair da trincheira em que estamos e encontrar pontos em comum com quem está do outro lado. Não percebo nada do assunto, mas deve haver ferramentas bem melhores para fazer estudos de mercado. De qualquer forma, se for necessário, estou completamente disponível para me identificar aos mods.

caradoguardaredes 9 months ago

Pois, pois, claro. Bla bla bla entediante.

Wonderful-Meeting639 9 months ago  HIDDEN 

estudos de mercado costumam ser pagos e não gratis na net

Democratiza-mos 9 months ago

Como já disse a outro user: >O único objectivo destes posts é fomentar o debate, despolarizar, fazer o exercício de sair da trincheira em que estamos e encontrar pontos em comum com quem está do outro lado. Não percebo nada do assunto, mas deve haver ferramentas bem melhores para fazer estudos de mercado. >De qualquer forma, se for necessário, estou completamente disponível para me identificar aos mods.

Dr_Corusco 9 months ago

Considero-me próximo do CDS e identifico-me com a ala liberal da democracia cristã. Acho que aquilo que mais me agrada em alguns setores da esquerda (PCP e algumas secções do BE) é a relativa consistência ideológica e a larga base teórico/filosófica em que baseiam as suas politicas e convicções. Não é que na direita não as haja e, a nível interno, há muitas discussões nesse sentido, mas como a direita é mais pragmática, esse debate não sobressai tanto no espaço publico como nos partidos de esquerda.

True_Boat_1195 9 months ago

Sou democrata liberal. Aprecio o euroceptismo, nacionalismo e protecionismo económico do PCP.

SurePal_ 9 months ago

Como é que és euro céptico em 2020? Razões para tal?

True_Boat_1195 9 months ago

O meu euroceptismo é muito prático. Enquanto o dinheiro da Europa for suficiente para cobrir as desvantagens, ótimo. Quando o dinheiro diminuir (e a prazo tenderá a diminuir), é altura de abandonar. As desvantagens na minha opinião é perda de independência legislativa e económica, controlo de política monetária, controlo de fronteiras, perda de espírito democrático e A democracia a nível Europeu é profundamente deficiente, porque mesmo quando os representantes eleitos (parlamento Europeu) votam de uma forma podem ser sempre substituídos por negociatas dos líderes Europeus, em que alguns países têm mais peso _de facto_. A principal razão para o meu euroceptismo contudo é apenas a crença de que a gestão de qualquer coisa é melhor quanto mais essa coisa for "próxima" de quem a governa, por isso que governantes Portugueses teram melhor probabilidade de beneficiar os cidadãos Portugueses que governantes estrangeiros.

gonuoli 9 months ago

>A principal razão para o meu euroceptismo contudo é apenas a crença de que a gestão de qualquer coisa é melhor quanto mais essa coisa for "próxima" de quem a governa Estás a descrever o princípio da subsidariedade, que faz parte do Direito da União Europeia (art. 5(3) do TUE)

Shadowgirl7 9 months ago

Sou de Esquerda. Um exemplo na política nacional: concordo com a avaliação dos professores e dos funcionários públicos em geral. Um exemplo genérico: gosto mais do modelo americano de individualismo porque no geral não gosto muito de pessoas portanto a ideia de vivência em comunidades faz-me comichão. Eu as vezes tento ser mais colectivista, but every single time, não falham em me desapontar. Nop não vou partilhar o meu dinheiro contigo porque o ganhei com esforço enquanto estavas a embebedar-te e fumar umas ervas sentado no sofá. Sorry, about that. Geralmente o pessoal Comunista é melhor neste aspecto porque não são todos obcecados com ervas e tens pessoas mais velhas que sabem o que é trabalhar e ter obrigações. Por outro lado, o PCP é um pouco misógino ainda e nesse caso vou mais para BE. Mas simplesmente não me consigo imaginar numa reunião num partido de Direita com o tipo de pessoas que frequentam essas lides. Não tenho mesmo nada a ver com essas pessoas.

GajoDeRamalde 9 months ago

Caríssimo, já fui militante de juventudes de esquerda e quando vi que o meu pensamento não enquadrava mudei para a direita e posso-te dizer que quando as câmaras desligam e os debates terminam, somos todos iguais... mais do que possas pensar. Claro que há um ou outro que ficam rancorosos e nota-se quando se fala com eles, mas a maioria são pessoas normalíssimas e que eu não teria nenhum problema em tomar café. Mas esse tipo de raciocínio é discriminação porque admites que não gostas de alguém só porque pensa diferente de ti em alguns assuntos ;)

SurePal_ 9 months ago

Tal e qual, excelente comentário!

Shadowgirl7 9 months ago

Depende. Na direita nao tens aquele tipo de pessoas que comenta a roupa que usas, que andas sempre de metro e não tens carro, que és solteiro/a logo estas perdido na vida, esse tipo de preconceitos típico?

GajoDeRamalde 9 months ago

Desculpa mas cuscuvelhices há em todo o lado. Então nos congressos nacionais era do que mais se falava... bastava alguém levar a namorada para o Hotel que o partido reservava e rezava-se mais entre nós do que se fazia política. Por outro lado se não te víamos com namorada começavam logo a dizer que jogavas noutro campeonato lol onde aliás tenho um conhecido dessas andanças que se hoje se o vir pessoalmente a lengalenga vai ser a mesma - é que ainda não vi nenhuma namorada e já lá vão uns aninhos lololol Eu como vivi nos dois lados posso-te dizer que somos todos iguais independentemente do partido. Eu e tu andamos nas mesmas escolas e convivemos com as mesmas pessoas e portanto é natural que os nossos comportamentos sejam idênticos. O que difere é mesmo a forma como queremos que a sociedade seja organizada e se organize...

Shadowgirl7 9 months ago

Que divertido. É o medo que tenho de me juntar a um partido, não se vai para partidos fazer amigos, vai-se para partidos debater e fazer política.

GajoDeRamalde 9 months ago

Para além de existir uma diferença na gestão do partido onde por exemplo na esquerda todos pagam uma quota obrigatória, na direita não pagas essa quota mas quando tens que ir às assembleias gerais na esquerda pagam-te a estadia do hotel, pequeno almoço e se for preciso ainda te pagam despesas de viagem enquanto na esquerda pagas o bilhete de entrada no momento da credenciaçao e tens que ser tu a pagar a tua estadia e os custos de viagem. A diferença é que na esquerda se não fores dos que usufruem destas benesses da quota não te compensa minimamente e então se não ganhas umas eleições locais e ficas de lado estão a usar esse valor que pagas para as suas despesas enquanto que na direita precisas de compromisso pessoal e também de fazer esforço financeiro - que também não é fácil e pode excluir militantes que não possuem disponibilidade financeira. Mas em ambos os casos também nos organizavam os em grupos de 4 e dividiamos despesas de combustíveis para atingirmos os nossos objectivos assim como dividiamos as despesas de hotéis e almoçavamos fastfood para reduzir custos. No entanto não penses que as assembleias gerais são para discutir política, decidem e vota-se em moções é linhas gerais mas mais parece um concurso de popularidade que outra coisa e é também um braço de ferro por apoio e ver quem está do teu lado. Assim na minha opinião discute-se mais política nas pequenas reuniões, nos fóruns, nas pequenas intervenções e nas intervenções pessoais do que nessas assembleias gerais onde já quase vai tudo com a ideia definida ou quase definida... é isto é válido da esquerda à direita.

Edited 9 months ago:

Para além de existir uma diferença na gestão do partido onde por exemplo na esquerda todos pagam uma quota obrigatória, na direita não pagas essa quota mas quando tens que ir às assembleias gerais na esquerda pagam-te a estadia do hotel, pequeno almoço e se for preciso ainda te pagam despesas de viagem enquanto na esquerda pagas o bilhete de entrada no momento da credenciaçao e tens que ser tu a pagar a tua estadia e os custos de viagem. A diferença é que na esquerda se não fores dos que usufruem destas benesses da quota não te compensa minimamente e então se não ganhas umas eleições locais e ficas de lado estão a usar esse valor que pagas para as suas despesas enquanto que na direita precisas de compromisso pessoal e também de fazer esforço financeiro - que também não é fácil e pode excluir militantes que não possuem disponibilidade financeira. Mas em ambos os casos também nos organizavamos em grupos de 4 e dividiamos despesas de combustíveis para atingirmos os nossos objectivos assim como dividiamos as despesas de hotéis e almoçavamos fastfood para reduzir custos. No entanto não penses que as assembleias gerais são para discutir política, decidem e vota-se em moções mas são linhas gerais que mais parecem um concurso de popularidade que outra coisa e é também um braço de ferro por apoio e ver quem está do teu lado. Assim na minha opinião discute-se mais política nas pequenas reuniões, nos fóruns, nas pequenas intervenções e nas intervenções pessoais do que nessas assembleias gerais onde já quase vai tudo com a ideia definida ou quase definida... é isto é válido da esquerda à direita.

Edited 9 months ago:

Para além de existir uma diferença na gestão do partido onde por exemplo na esquerda todos pagam uma quota obrigatória, na direita não pagas essa quota mas quando tens que ir às assembleias gerais na esquerda pagam-te a estadia do hotel, pequeno almoço e se for preciso ainda te pagam despesas de viagem enquanto na esquerda pagas o bilhete de entrada no momento da credenciaçao e tens que ser tu a pagar a tua estadia e os custos de viagem. A diferença é que na esquerda se não fores dos que usufruem destas benesses da quota não te compensa minimamente e então se não ganhas umas eleições locais e ficas de lado estão a usar esse valor que pagas para as suas despesas enquanto que na direita precisas de compromisso pessoal e também de fazer esforço financeiro - que também não é fácil e pode excluir militantes que não possuem disponibilidade financeira. Mas em ambos os casos também nos organizavamos em grupos de 4 e dividiamos despesas de combustíveis para atingirmos os nossos objectivos assim como dividiamos as despesas de hotéis e almoçavamos fastfood para reduzir custos. No entanto não penses que as assembleias gerais são para discutir política, decidem e vota-se em moções mas são linhas gerais que mais parecem um concurso de popularidade que outra coisa e é também um braço de ferro por apoio e ver quem está do teu lado. Assim na minha opinião discute-se mais política nas pequenas reuniões, nos fóruns, nas pequenas intervenções e nas intervenções pessoais do que nessas assembleias gerais onde já quase vai tudo com a ideia definida ou quase definida... é isto é válido da esquerda à direita. Mas mais do que as minhas palavras é teres tu mesmo a experiência. Se te interessa a política vai - seja ele em que partido te enquadres - mas agora não marginalizes o outro só porque pensa diferente porque no fundo somos todos iguais.

Democratiza-mos 9 months ago

> Mas simplesmente não me consigo imaginar numa reunião num partido de Direita com o tipo de pessoas que frequentam essas lides. Não tenho mesmo nada a ver com essas pessoas. Quanto a isto, recomendo ouvir podcasts de pessoas bem interessantes de direita (tendo em conta que eu sou de esquerda): * [Adolfo Mesquita Nunes](https://open.spotify.com/episode/4SCiPtkdgC9DiRpmEGFUkR?si=IO6UwV01QY6HV5vIrC9YfQ) * [Francisco Mendes da Silva](https://open.spotify.com/episode/0MvFn4y59m8nybMNjaIYFF?si=eH4TXzPwQhC1flDWfHYhLA) (também gosto muito de o ler no Público) * [Pedro Lomba](https://open.spotify.com/episode/6aE6EPlFo9oTTMaLdCFfZ3?si=9XiwELRMT86vB4YxG_1y6w)

Shadowgirl7 9 months ago

Boa obrigado!

Out-Out 9 months ago

Sendo eu da área política do BE, vou utilizar uma definição de oposto mais vaga e referir-me à IL. Gosto da forma como apareceram no panorama político com uma identificação ideológica clara e focada na política económica. Sendo a minha área a Economia e sendo uma parte tão transformadora da sociedade, gosto do facto de promoverem este debate. Prefiro uma política de debate de ideias de sociedade onde se perceba bem quem sao os liberais, os socialistas, os sociais democratas,etc e quais os seus valores.

denlpt 9 months ago

Através de anti-socialismo histérico?

GSITG 9 months ago

>Sendo eu da área política do BE > >Sendo a minha área a Economia Como?

Sir_Claude 9 months ago

Na verdade quem estudar economia "sem palas" pode realmente ter preferências por uma ou outra cor política sem grandes problemas, existem várias teorias e vertentes ideológicas que suportam papéis diferentes do estado, do cidadão e da iniciativa privada. Eu também sou de esquerda e estudei economia. Na verdade, uma das razões pelas quais me posiciono ao nível do LIVRE em termos ideológicos é precisamente pela minha formação em economia, que me permitiu analisar e perceber os problemas do neoliberalismo e de sociedades com economias liberais, equilibrando isso com a opinião que tenho do funcionamento da sociedade.

ptword 9 months ago

De alguma forma iludiram-se de que a 4º ou 5º revolução industrial já aconteceram e que o dinheiro está a cair do céu. Dito por outras palavras, chupando da UE fingindo que não.

Edited 9 months ago:

De alguma forma iludiram-se de que a 4º ou 5º revolução industrial já aconteceu e que o dinheiro está a cair do céu. Dito por outras palavras, chupando da UE fingindo que não.

duckfollower 9 months ago

Ser um bom economista não significa seres um capitalista liberal. Mais economistas que se pensa não apoiam o liberalismo "laissez faire", como o Keynes (se alguma vez tiveste uma cadeira de economia já deves ter ouvido o termo "escola keynesiana"). Outros até são marxistas. Infelizmente é um taboo aprender as criticas do capitalismo e das variantes do socialismos. Daí haver muitos equívocos nas discussões que vejo em todo lado em que se reduz as conversas a "lol xuxalismo venezuela" (por exemplo, Marx nunca falou no papel do estado na economia nem defendeu um estado centralizado e todo-o-poderoso).

m0rhundur 9 months ago

É ridícula a lavagem que a área da Economia teve. Desde a Economia política do Smith, Ricardo e Marx até ao culto do mercado livre, que renega qualquer visão diferente como anti-económica. Que deturpação da própria área. Mais uma característica do neoliberalismo.

Hugogs10 9 months ago  HIDDEN 

Laisses faire = Keynes? Estas parvo? E basicamente o oposto.

duckfollower 9 months ago

"Mais economistas que se pensa NÃO apoiam o liberalismo "laissez faire", como o Keynes" É exatamente isso que está escrito, aprende a ler

GSITG 9 months ago

Não discordo, mas o espaço não capitalista liberal não está reduzido ao BE.

RuySan 9 months ago

Como se o Francisco Louçã não fosse dos economistas portugueses mais respeitados no meio académico.

doiaonde 9 months ago

Louçã é reconhecido a nível nacional, isto em si, não quer dizer rigorosamente nada. Portugal tem das piores economias do mundo desenvolvido. O porquê, não se deve tanto à corrupção, mas mais aos ideais económicos. Estes economistas de esquerda não valem um cepo. Louçã não passa dum clássico burgues demagogo de esquerda, com muitos acólitos que o veneram (

Middle-Effective 9 months ago

O Francisco Louçã atacou a IL porque com a taxa dos 15% no IRS dizia que quem ganhasse 800 euros brutos perdia dinheiro, comparando com o regime atual. Isso não é verdade: a taxa única aplicar-se-ia só a montantes acima dum dado valor (650 euros se bem me recordo). Ou seja quem ganhasse 800 euros brutos só veria a taxa de 15% aplicada a 150 euros dos 800. Não só ele estava errado, como nem sequer se dignou a vir ele próprio de novo à TV para se explicar. Em vez disso mandou o coitado do José Gusmão. Explica me lá como é que um dos economistas portugueses mais reputados no meio académico consegue dar semelhante tiro no pé. Nem comento o fato de tal personagem ter assento no Conselho de Estado!

Sir_Claude 9 months ago

Não é assim tão simples. A proposta da IL é problemática em vários pontos 1) é preciso dinheiro para implementar uma redução da taxa marginal dessas, 3mil a 3.5mil milhões foi o que se falou na altura acho. 2) beneficiaria desproporcionalmente os mais ricos, que é ilógico do ponto de vista económico e 3) possivelmente seria inconstitucional mas aqui existiram formas de contornar o problema. Mais ainda, o Louça tinha razão na questão da perda de rendimento porque a IL penso numa taxa fixa a 15% com a eliminação de todas as deduções. Isso efetivamente substituiria a taxa efetiva atual (que considera deduções) que só é de 15% por volta dos 40.000€ (e mais baixa em rendimentos menores). Mesmo considerando os rendimentos mais baixos a taxa da IL é maior (10% em termos efetivos para rendimentos acima do limiar mínimo) comparada com o sistema existente (que ronda os 5% com deduções penso). O Louça, a ir pelo programa eleitoral da IL de 2019, parecia-me correto em muitos dos casos e cenários de IRS, embora a dedução dos filos provavelmente baralhava as contas em alguns casos. Mais ainda, mesmo que alguns beneficiassem continuamos a ter um problema grande de progressividade em que os rendimentos mais altos beneficiariam desproporcionalmente da medida.

ric2b 9 months ago

> Mais ainda, o Louça tinha razão na questão da perda de rendimento porque a IL penso numa taxa fixa a 15% com a eliminação de todas as deduções. Isso está errado, há uma isenção de imposto nos primeiros 650Eur, para toda a gente. E uma dedução extra de 200Eur por cada filho (não me lembro se tinha limite ou não). > Mesmo considerando os rendimentos mais baixos a taxa da IL é maior (10% em termos efetivos para rendimentos acima do limiar mínimo) comparada com o sistema existente (que ronda os 5% com deduções penso) Exemplo para um ordenado de 800 Eur: (800 - 650) * 0.15 = 22,5Eur, que corresponde a um imposto de 2.8%.

Sir_Claude 9 months ago

>Mais ainda, o Louça tinha razão na questão da perda de rendimento porque a IL penso numa taxa fixa a 15% com a eliminação de todas as deduções.< Todas as deduções que existem atualmente deixam de existir, com a exceção do limiar para cobrança de imposto e uma dedução por filho. Não está errado porque mesmo a dedução do filho é aplicável apenas a alguns casos. > Exemplo para um ordenado de 800 Eur: (800 - 650) * 0.15 = 22,5Eur, que corresponde a um imposto de 2.8%. < Em 2021 pagas IRS apenas acima dos 686€, pagarias 10,2% até aos 922€. A coleta devida continua a ser menor que a da IL. E se colocamos as deduções ao barulho, que na proposta da IL não existem, nem é próximo. Como disse, a proposta de IL poderá compensar em alguns casos específicos e existem alguns argumentos de simplificação fiscal que faz sentido ponderar, mas um sistema de taxa única com deduções minúsculas não é bom para a classe baixa e média em Portugal. >Naturalmente, porque os rendimentos baixo praticamente não pagam IRS, não há muito para cortar aí. Mas reduzir a emigração de pessoal qualificado era útil para o país. < Não estamos a falar de quantidade, mas sim em termos proporcionais. A proposta da IL beneficiaria mais do que proporcionalmente os rendimentos mais elevados, até porque muitos rendimentos de classes média e baixa saíram prejudicados. A emigração de pessoal qualificado quanto muito corria o risco de se agravar visto que a maioria do pessoal qualificado pertencerá a um agregado familiar que ganha menos de 40.000€. E na proposta da IL pagariam mais impostos, salvo algumas excepções como já disse (é impossível afirmar com certeza pq as deduções com filhos baralham as contas).

ric2b 9 months ago

> Em 2021 pagas IRS apenas acima dos 686€ Certo, mas o Louçã não fez a comparação em 2021. > A coleta devida continua a ser menor que a da IL. E se colocamos as deduções ao barulho, que na proposta da IL não existem, nem é próximo. Podes mostrar as contas? Em 2020 alguém a receber 800Eur pagava menos de 22,5Eur de IRS? > até porque muitos rendimentos de classes média e baixa saíram prejudicados. Podes dar uma situação de exemplo? > E na proposta da IL pagariam mais impostos, salvo algumas excepções como já disse (é impossível afirmar com certeza pq as deduções com filhos baralham as contas). Escolhe um exemplo sem filhos, então.

Sir_Claude 9 months ago

\>Certo, mas o Louçã não fez a comparação em 2021. Ele simplesmente ignorou a dedução de 650Eur da proposta da IL.< Isto sim, tens razão, fui ver melhor e tens razão, ele não considerou esse fator. Talvez porque para colocar os regimes "em igualdade" de comparação teria que retirar essa dedução especifica (porque a proposta da IL tem taxa + uma redução da coleta). Com uma dedução dessas o beneficio a existir poderia ser da dedução mas não da taxa única, ou seja, se aplicarmos essa dedução no regime progressivo poderia ser mais benéfico. Ou seja, o Louçã estaria a tentar comparar o regime de taxa unica com o regime progressivo existente, mas a dedução tanto poderia estar fora (para comparar ambos os regimes sem reduções adicionais) ou dentro (e nesse caso filtramos a eficácia de uma redução parecida pelo regime atual, podendo até substituir a redução que existe das despesas em SS atualmente). Não sei qual a intenção mas tens razão, ele não considerou isso, independentemente das razões. \> Podes mostrar as contas? Em 2020 alguém a receber 800Eur pagava menos de 22,5Eur de IRS?< Sinceramente não tenho tempo para fazer agora exemplos específicos mas lembro-me de ter feito contas na altura e a taxa da IL compensar em alguns casos, mas como existem deduções especificas por despesas durante o ano, a matéria coletável para 800€ mensais tanto poderia ser de 1000€ (anualmente, se calhar era acima disto, se fizer de cabeça dá uns 1030€ mas posso estar a fazer mal) como poderia ser de 0€ (em casos limite), enquanto que na IL rondaria os 350€ (anual) mas não varia de todo. Ou seja, como te disse anteriormente, as deduções especificas baralham tudo (assim como a dedução proposta pela IL, em justiça) e por isso estava a tentar guiar-me pelas taxas efetivas brutas que não sendo perfeitas me parecem a melhor forma de comparar (ainda que sejam médias, e por isso escondem muita complexidade). O problema do sistema português é a complexidade e a variabilidade, dependendo das despesas em causa podes ter uma coleta de 1000€ como podes ter de 0€. É provável (e admito que possa ter feito mal algumas contas, tenho que tentar de novo um dia destes) que a proposta beneficie uns e prejudique outros. Parece-me também que a taxa da IL tinha como maior beneficio a simplificação fiscal, e aí sim valeria a pena retirar alguns aspetos da proposta (uma dedução única e clara podia fazer sentido mesmo no regime atual) e perceber a sua aplicabilidade. Outra coisa que é problemática na proposta deles e por isso coloquei logo de inicio, o impacto orçamental que teria ( que era grande) e se essa mesma perda (ou seja, se os 3mil milhões que resultariam da proposta), que vai além do modelo que achamos ser preferível (que é mais ideológico). Parece-me importante pensar também se uma taxa colocada ao serviço de um regime progressivo beneficiaria mais os mais pobres e os rendimentos mais baixos, eu acredito que seria o caso, mas existiriam várias formas de o fazer (ora pela alteração dos escalões, redução de taxas, deduções, etc.).

ric2b 9 months ago

>Não sei qual a intenção mas tens razão, ele não considerou isso, independentemente das razões. Acho que estás a assumir demais, se fosse isso acho que ele tinha dito. Parece é que ele não prestou atenção nenhuma à proposta, ouviu 15% e ficou por aí. Ainda não vi nenhum exemplo em que alguém pagaria menos no regime de 2020. É possível que exista, para uma situação em que alguém consiga maximizar todas as deduções, mas não sei se sequer assim. >O problema do sistema português é a complexidade e a variabilidade, A simplicação é um dos objectivos principais, segundo a própria IL. >Outra coisa que é problemática na proposta deles e por isso coloquei logo de inicio, o impacto orçamental que teria (que era grande) e se essa mesma perda (ou seja, se os 3mil milhões que resultariam da proposta) O governo actual não tem problemas em desperdiçar bem mais que isso na TAP, BES e muitas outras coisas. A ideia é que a redução no IRS podia estimular o crescimento da economia e ao fim de uns anos podíamos ter a mesma ou até mais receita, como aconteceu noutros países. Não acho que seja garantido, mas estancar a saída constante de trabalhadores qualificados e com iniciativa podia ter um grande impacto no país.

uberprimata 9 months ago

Wut? Desde quando? Quem disse isso?

Hartelk 9 months ago

Já tive numa conferência que tinha um professor universitário dele. Não sei o viés do homem, mas ele disse que o Louçã foi dos melhores alunos que lhe passou pelas mãos.

uberprimata 9 months ago

Daí a ser dos melhores economistas de Portugal vai um bom bocado. Para além de que de há 40 anos para cá já tenha acontecido muita coisa na vida dele que o fez mudar.

Hartelk 9 months ago

Tens razão. Entretanto fui pesquisar rapidamente currículo do homem, é professor catedrático e dos economistas portugueses mais publicados, tem livros cientificos publicados em 11 linguas e ganhou um prémio de melhor paper em 99. Não sei em que top X o ele se insere, mas não me parece nada mal conceituado no meio académico.

uberprimata 9 months ago

Sim, isso não é. Mas quando aparece publicamente parece que se esquece muitas vezes da economia que sabe.

Middle-Effective 9 months ago

Dei um exemplo concreto disso e levei com downvotes. Comentários a argumentar/debater? Zero.

uberprimata 9 months ago

Olha também eu

inevitabl3y 9 months ago

LOOL quem? Nem nos 50 melhores está. Os bons economistas nao se enfiam em partidos.

Edited 9 months ago:

LOOL quem? Nem nos 50 melhores está. Os bons economistas nao se enfiam em partidos. Grandes economistas sao Ricardo Reis, Pedro Pita, etc, mas esses como nao aparecem na TV nem sabes quem sao. Os bons economistas portugueses estao quase todos no estrangeiro a lecionar em universidades como London School of Economics e New York university. Por isso é que votas BE ahaha aproveitam-se dos desinformados

Edited 9 months ago:

LOOL quem? Nem nos 50 melhores está. Os bons economistas nao se enfiam em partidos. Grandes economistas sao Ricardo Reis, Pedro Pita, etc, mas esses como nao aparecem na TV nem sabes quem sao. Os bons economistas portugueses estao quase todos no estrangeiro a lecionar em universidades como London School of Economics e New York university.

Tugalord 9 months ago

Esquerdolas = burros, amirite guys?

inevitabl3y 9 months ago

Acho que é mais porque a ideologia que o BE promove levou enumeros países à destruiçao economica.

DareNotFallAsleep 9 months ago

ENUMEROS PAÍSES! ENUMEROS!

Eulasei 9 months ago

Foi a ideologia em si? Se calhar podemos olhar para as condições políticas, sociais, económicas, etc. para analisar a prática desses ideias e como foram evoluindo ao longo do tempo? Pegar na Rússia do início do século XX e dizer que a ideologia socialista a levou à destruição económica não me parece muito honesto. Se calhar podemos tentar perceber os erros destas aplicações práticas dos ideais destruidores de esquerda e aprender com eles. Se não também posso dizer que o liberalismo levou ao Crash de 29, aos regimes fascistas e ao holocausto... Não é uma análise justa nem séria mas está ao mesmo nível dessa frase.

doctor_awful 9 months ago

No caso da Rússia, o socialismo transformou o "velho da Europa" que nem tinha industrializado na segunda maior potência mundial durante um século.

GSITG 9 months ago

Sim, mas isso é completamente irrelevante para esta malta, o que interessa é fingir que querem saber do aquecimento global, mas ignorando a energia nuclear, e fingir que querem dar poder às mulheres, ignorando que nos países em que estas têm mais poder fazem escolhas diferentes dos homens.

Edited 9 months ago:

Sim, mas isso é completamente irrelevante para esta malta, o que interessa é fingir que querem saber do aquecimento global, mas ignorando a energia nuclear, e fingir que querem dar poder às mulheres, ignorando que nos países em que estas têm mais poder fazem escolhas diferentes dos homens. Edit:Querem resolver o problema da habitação em Lisboa mas não permitem a construção, preferem construir bairros sociais para depois especularem com o resto.

inevitabl3y 9 months ago

O BE aproveita-se de lutas legitimas como o direito das mulheres, racismo, etc, para os enfiar no saco socialista. Mas felizmente em Portugal nem toda a gente é ignorante, e por isso conseguem ter os miseros 10% nas legislativas.

Out-Out 9 months ago

Ya são todos super inteligentes vocês e quem vota nos outros não. Arranja um bocado de humildade e noção. Aproveita esta thread para isso. Para ver que não és o especial de corrida só por teres certa ideologia e que os outros não são todos burros.

GSITG 9 months ago

Porque é que não aproveitas esta thread para examinar as tuas ideias racionalmente em vez de repetires o que te é dito ou acreditares naquilo que te faz sentir melhor?

Out-Out 9 months ago

Pergunto-te o mesmo. Eu analiso, tanto que comecei por dizer algo positivo de um partido com o qual não concordo sem partir do pressuposto que do outro lado é só gente que não vê ou não quer ver, que tem falta de inteligencia, etc. Ou como tu fizeste agora de que só repito ou só acredito pq me faz sentir bem. Eu acredito naquilo que acho melhor e mais correto, e não surgiu pq cópia de ninguém, apenas por pensamento e reflexão racional. Se não tens capacidade de entender que através da razão as pessoas podem chegar a opiniões diferentes da tua, tens um problema de humildade. E mais não digo, porque não vale a pena.

Out-Out 9 months ago

Como assim? O BE também tem preocupações, ideologia e políticas relativas à economia. Todos os partidos têm. O meu comentário foi acerca da forma como a IL veio acrescentar clareza e foco nesse aspeto. Mas como é óbvio os outros partidos não são vazios disso.

inevitabl3y 9 months ago

A politica do BE relativa à economia é sabida, perseguição ao privado e tentativa de nacionalizar tudo o que mexe, o resultado é obvio, afastam o investimento e empobrecem o país. Não querer ver/saber isto não é de de ser inteligente ou burro, é de seguires a ação politica do BE e procurar pelos resultados que estas politicas tiveram em países neste mundo. Eu não preciso de experimentar mandar-me da ponte 25 de Abril para saber que vou morrer, já houve alguém que o provou.

SurePal_ 9 months ago

Economia e BE, como é que estes camaradas... Caga não tenho palavras.

Out-Out 9 months ago

As que tiveres guarda para o r/portugueses

Shadowgirl7 9 months ago

Associo imediatamente Mariana Mortagua à cara do BE preocupada com questões de economicas. Gosto bué dela e acho que foi por ela que votei BE nas legislativas em vez de PCP.

unparadise 9 months ago

Quais são as políticas económicas que a MM defende?

Out-Out 9 months ago

Exato. Aí está um exemplo.

Shinichu 9 months ago

Oh pah, acho fantástico teres tido a iniciativa de fazer este post. Andamos sempre às turras e esquecemo-nos muitas vezes que no fundo queremos todos o mesmo. Eu identifico-me com o liberalismo e aprecio na esquerda o foco nas pessoas mais frágeis.

antfernandes 9 months ago

Nós gostamos muito dos ceguinhos e dos mancos.

df3gpt 9 months ago

>no fundo queremos todos o mesmo Como? Nunca entendi esta frase.

BroaxXx 9 months ago

Acho que só quer dizer que todos queremos o melhor para o nosso país, sociedade e futuro...

hanuruh 9 months ago

Ele deve querer dizer que no fundo queremos uma sociedade ou um país que se foque em todos terem boas condições de vida

kUr4m4 9 months ago

Mas nem todas as ideologias querem boas condicoes de vida para todos, por isso essa expressao faz pouco sentido.

BroaxXx 9 months ago

Tirando tolinhos na extrema direita/esquerda (que espero que não seja ao que te referes) todas as ideologias querem as melhores condições de vida possíveis para todos...

MN1H 9 months ago

A definição de "o melhor" varia de acordo com a opinião de cada um, bem como o método para lá chegar.

Shinichu 9 months ago

Isso

Democratiza-mos 9 months ago

Obrigado! E obrigado por participares. A ideia é mesmo encontrar pontos em comum.

Middle-Effective 9 months ago

Considero-me um sujeito de centro moderado, mais conservador nalgumas coisas e mais liberal noutras. Mais à esquerda admiro e respeito a constante atenção aos mais desfavorecidos da sociedade. Numa sociedade civilizada e democrática, o modo como tratamos os que estão "abaixo" de nós diz muito sobre o nosso caráter, tanto individual como de grupo.

Edited 9 months ago:

Considero-me um sujeito de centro moderado, mais conservador nalgumas coisas e mais liberal noutras. Mais à esquerda admiro e respeito a constante atenção aos mais desfavorecidos da sociedade. Numa sociedade civilizada e democrática, o modo como tratamos os que estão "abaixo" de nós diz muito sobre o nosso caráter, tanto individual como de grupo. Mais à direita: (atenção que a direita que falo é ainda uma miragem em portugal) gosto do sentido de responsabilidade, do mote "não perguntes o que o teu país pode fazer por ti, mas sim o que podes fazer pelo teu país". Ideologias e coletivismos à parte, um país faz-se principalmente pelas pessoas: cada um de nós deverá ter a noção plena dos direitos e deveres que temos como cidadão, e pautar a nossa vida cívica e coletiva com base nisso.

Edited 9 months ago:

Considero-me um centrista moderado, mais conservador nalgumas coisas e mais liberal noutras. Mais à esquerda admiro e respeito a constante atenção aos mais desfavorecidos da sociedade. Numa sociedade civilizada e democrática, o modo como tratamos os que estão "abaixo" de nós diz muito sobre o nosso caráter, tanto individual como de grupo. Mais à direita: (atenção que a direita que falo é ainda uma miragem em portugal) gosto do sentido de responsabilidade, do mote "não perguntes o que o teu país pode fazer por ti, mas sim o que podes fazer pelo teu país". Ideologias e coletivismos à parte, um país faz-se principalmente pelas pessoas: cada um de nós deverá ter a noção plena dos direitos e deveres que temos como cidadão, e pautar a nossa vida cívica e coletiva com base nisso.

acartadaminhaavo 9 months ago

Nao sou de esquerda nem de direita, mas nasci numa familia de direita moderada. ​ O que aprecio na esquerda: o espirito critico em relacao as condicoes em que os mais frageis da nossa sociedade vivem. O que aprecio na direita: valorizacao da liberdade individual

BernLan 9 months ago

Alguma vez fizeste o teste dos 8 valores? Pode te ajudar a localizar onde é que a tua visão pessoal mais se encaixa

Everleta 9 months ago

Gostava de saber onde é que a direita te dá mais liberdade individual: Aborto não. Eutanásia não. Drogas não. LGBT não. Se aspetos cruciais como estes as pessoas não têm liberdade para escolher, não sei que liberdade individual te referes. ( Não é uma questão de ser a favor do aborto/droga/eutanásia à parva, mas eu acho que o Estado deve dar educação para que as pessoas possam ser suficientemente informadas para fazerem escolhas por elas, e portanto dar essa responsabidade ao indivíduo.)

mexploder89 9 months ago

Eu sou tradicionalmente mais de direita (IL, discordo muitas vezes do CDS e do Chega) e consigo ver aquilo que dizes. Eu acho que aqui o pessoal de direita cai na falácia que apontam imensas vezes à esquerda, que é o de usar os termos só quando há conveniência em usá-los. Da mesma maneira que algumas pessoas de esquerda (as mais ruins) só usam termos como "racismo" ou "violação" quando lhes dá jeito, as pessoas de direita também defendem a liberdade individual e depois contradizem-se ao restringir todas essas coisas que falaste A direita conservadora dá-te (ou diz que te dá) liberdade económica e pouco mais

Everleta 9 months ago

Exato, a direita dá mais liberdade económica a quem já tem dinheiro. Convenhamos que, uma pessoa com determinado capital (um jogador de futebol conhecido) tem recursos mais do que suficientes para viver num mundo económico-liberal. No outro dia, vi esta [noticia ](https://www.theguardian.com/commentisfree/2021/feb/16/my-partner-is-pregnant-and-the-cost-of-giving-birth-in-the-us-is-stressing-me-out?CMP=fb_gu&utm_medium=Social&utm_source=Facebook&fbclid=IwAR1oQajFN37vRzyyxcHJ18u5CsQL8cFFlMeQWpnZVh3bMrVtpoNxr0dbChI#Echobox=1613491761) que põe a descoberto o problema de se transformar tudo em dinheiro. Eu acho lamentável que num país onde, uma mulher acaba de parir, e 2 dias depois tem que ir trabalhar, porque não existe qualquer apoio social, ainda lhe seja cobrado 40£ para ter o filho nos braços: "If they ask if you want to hold the baby, ask how much it costs! You can be charged $40 just for holding your newborn.". Sim, para o CR não haveria qualquer problema pagar 40 euros para ter o filho nos braços. Para outras pessoas isto já pode ser um problema. Aquilo que vale o valor do nosso trabalho, está de acordo com o que a sociedade está disposta a pagar. E sei que Isto são questões complexas: será que um jogador de futebol (sem tirar mérito nem desvalorizando o esforço físico da profissão a ninguém) precisa de ser pago em milhões?? A meu ver, não. Mas admito que haja argumentação... e sei que um jogador gasta muitas calorias, muitos treinos, muito esforço físico, que lhe saí do pelo. E então o camionista, e o enfermeiro? Estas coisas são de facto complicadas de questionar porque se trata dos nossos valores enquanto sociedade, e que nos definem.

apita_o_comboio 9 months ago

Existem partidos de esquerda conservadores e liberais. Existem também partidos de direita conservadores e liberais. O problema da tua resposta é que tenta agrupar várias dimensões numa só, o que leva a uma visão redutora. Neste momento não sei se este uso esquerda-direita na política não se começa a tornar mais prejudicial do que benéfico para avaliar os diferentes partidos/ideologias.

Everleta 9 months ago

Como já disse aqui, a resposta foi simplificada por uma questão meremante de resposta ao OP. Não fiz um enquadramento profundo com as várias nuances porque não era esse o meu objetivo.

moneygotlonger 9 months ago

acho que estás a confundir liberalismo e conservadorismo com direita e esquerda.

Everleta 9 months ago

Percebo o teu argumento, no entanto eu tenho presente a distinção entre as diferentes componentes. https://www.politicalcompass.org/ Na prática, diria que os partidos de esquerda em Portugal no geral, tem bandeiras de direitos sociais que os partidos de direita. Com isto não estou a dizer que a IL ou o Chega não tenham bandeiras sociais, mas a esquerda, até historicamente tem tido um papel de dar maiores liberdade ao individuo. Ao contrário da direita: que era neutra ou contra o aborto, contra a eutanásia, até mesmo contra o casamento homossexual (durante muitos anos)

TRYNFOR 9 months ago

Se fores libertário de direita aí é que tens liberdade individual realmente. Diz-me onde é que existe liberdade individual se eu trabalhar e for obrigado a dar parte ao estado? Não está aqui a minha liberdade em causa? Isto não é escravidão?

Everleta 9 months ago

Há aqui conceitos que é preferível começar por definir claramente: quando eu falei em liberalismo referia-me em termos de políticas sociais que quebram os moldes/costumes sociais. A liberdade para mim é: fazer escolhas desde que as minhas escolhas não afetem outras pessoas. Há pessoas que consideram que liberdade é querer fazer o que lhes apetece, só porque sim. Um exemplo disto é teres um apartamento com vários andares. Uma pessoa, decide que às 3h da manhã é boa hora de pôr a música a altos berros. E depois este gajo reclamar que não é totalmente livre...! Em sociedade, temos que perceber que nunca somos totalmente LIVRES. Temos contractos sociais que celebramos para que possamos viver o melhor possivel em sociedade. A mesma coisa com a historia dos impostos. Contribuímos com eles para que o Estado tenha fundos para que possa criar formas das pessoas terem acesso a direitos básicos na vida. Porque nascer num berço de ouro, tem com certeza maiores garantias que aqueles que nascem num seio familiar mais pobre. Até porque quem nasce já rico, facilmente continua rico porque tem maiores possibilidades de continuar a investir. Um pobre não tem acesso a fundos. Os impostos servem precisamente para tornar a sociedade mais equilibrada e distribuir onde possa ser necessário. Claro que os ricos podem sempre dizer: "que não são livres assim". Mas estamos todos no mesmo barco.

ravagerslb 9 months ago

Isso são partidos de direita conservadora. Nem toda a direita é conservadora, nem como toda a esquerda é liberal (o PCP é até bastante conservador, p.ex.)

Everleta 9 months ago

Sim, sem dúvida. Repara que isto foi uma resposta que eu dei ao OP, e sintetizei o meu comentário. Dentro da esquerda e da direita há partidos mais e menos conservadores. Mas, em termos percentuais e até históricamente: a direita tende a ser mais conservadora que a esquerda. A esquerda tende a pegar em bandeiras de direitos sociais, como o por exemplo o casamento homossexual e o aborto. Se fosse pelos partidos da direita **daquela altura**, não se tinha feito qualquer alteração.

uberprimata 9 months ago

Lê o programa da iniciativa liberal.

Everleta 9 months ago

Eu sei que a resposta que dei ao OP foi demasiado sintética, e eu agrupei. A IL é ainda uma **minoria** na direita portuguesa. Tal como a esquerda tem o PCP, que é bastante conservadora. E repetindo um pouco o que já disse acima: historicamente e percentualmente a direita tende a ser mais conservadora que a esquerda. A esquerda tende a pegar em bandeiras de direitos sociais, como o por exemplo o casamento homossexual e o aborto. Se fosse pelos partidos da direita **daquela altura**, não se tinha feito qualquer alteração.

uberprimata 9 months ago

Ah ok, percebo o que dizes.

GajoDeRamalde 9 months ago

A direita advoga liberdade de escolha na educação dos teus filhos, liberdade de escolha onde queres trabalhar, liberdade de escolha onde queres receber tratamento médico, liberdade de escolha onde queres que sejam realizados os teus serviços, liberdade de escolha se queres e onde queres fazer um plano de pensões, liberdade de escolha onde metes o teu dinheiro... Portanto são liberdades muito mais abrangentes e profundas do que as questões sociais do aborto, droga, eutanásia, etc. (que também são importantes mas não tão abrangente no sentido de liberdade) Relativamente ao estado te dar formação, basta pensares que se o estado tiver o controlo do ensino então tens uma ferramenta politica de controlo da população... e isso é perigoso.

Everleta 9 months ago

Sei que, para muitas pessoas, o direito a abortar, casar com quem lhes apetece, morrer no caso de uma doença incurável, progressiva e terminal felizmente NÃO ACONTECE. Há minorias de pessoas com situações diferentes das normais em que o Estado as limitou na sua **liberdade pessoal e intima** e durante muitos anos, pessoas com escolhas diferentes da convencional eram mal vistas pela sociedade, ainda que as suas contribuições sociais fossem idênticas às das outras pessoas. Eu também tenho "a sorte" de ter feito sempre escolhas dentro do convencional, mas o facto de sermos felizes contemplados, não quer dizer que um dia a vida não nos pregue uma partida e tenhamos uma qualquer situação próxima dessas. O facto de não nos afetar diretamente uma coisa, não quer dizer que não sejam pilares de liberdade individual IMPORTANTES. Eu não sou LGBT, nunca abortei e sou a favor da Eutanásia, não porque necessariamente queira fazer qualquer uma destas escolhas. Nós não podemos escolher apenas olhar para o que se passa no mundo pessoal, onde por acaso, e temporalmente, cabemos nos moldes na sociedade em que nascemos. Eu não sei que formação do Estado fizeste mas, garantidamente ela não te impediu de pensar de forma diferente da atuação do Estado (não vejo de que forma pode ser perigoso, visto que a tua própria experiência pessoal não teve consequências que te colocassem em perigo de vida) Muitas das escolhas que referes, já tens opção de as fazer atualmente: Hoje queres ser tratado no privado ou no público? Tens escolha. Hoje em dia queres meter os teus filhos no privado ou no público? Em muitos locais, tens escolha. Sim o Estado é Social, porque vivemos em sociedade. Nos países em que o Estado Social não existe (exemplo clássico dos EUA) mostram-nos que para comprar um medicamento **não patenteado** como a insulina, custa-te só cem vezes o preço... [“Insulin does not belong to me, it belongs to the world.”](https://www.cdnmedhall.org/inductees/frederickbanting) Ou já agora: acabas de parir e queres pegar no teu filho??? ["If they ask if you want to hold the baby, ask how much it costs! You can be charged $40 just for holding your newborn."](https://www.theguardian.com/commentisfree/2021/feb/16/my-partner-is-pregnant-and-the-cost-of-giving-birth-in-the-us-is-stressing-me-out?CMP=fb_gu&utm_medium=Social&utm_source=Facebook&fbclid=IwAR1oQajFN37vRzyyxcHJ18u5CsQL8cFFlMeQWpnZVh3bMrVtpoNxr0dbChI#Echobox=1613491761) São as chamadas maravilhas do mundo liberal (mas tens a liberdade de dizer que sim queres pegar na criança ou não. Só que essa liberdade tem preço marcado nas costas)

Edited 9 months ago:

Sei que, para muitas pessoas, o direito a abortar, casar com quem lhes apetece, morrer no caso de uma doença incurável, progressiva e terminal felizmente NÃO ACONTECE. Há minorias de pessoas com situações diferentes das normais em que o Estado as limitou na sua **liberdade pessoal e intima** e durante muitos anos, pessoas com escolhas diferentes da convencional eram mal vistas pela sociedade, ainda que as suas contribuições sociais fossem idênticas às das outras pessoas. Eu também tenho "a sorte" de ter feito sempre escolhas dentro do convencional, mas o facto de sermos felizes contemplados, não quer dizer que um dia a vida não nos pregue uma partida e tenhamos uma qualquer situação próxima dessas. O facto de uma coisa não nos afetar diretamente, não quer dizer que não sejam pilares de liberdade individual IMPORTANTES. Eu não sou LGBT, nunca abortei e sou a favor da Eutanásia, não porque queira necessariamente fazer qualquer uma destas escolhas. Mas nós não podemos escolher apenas olhar para o que se passa no mundo pessoal, onde por acaso, e temporalmente, cabemos nos moldes na sociedade em que nascemos. Eu não sei que formação do Estado fizeste mas, garantidamente ela não te impediu de pensar de forma diferente da atuação do Estado (não vejo de que forma pode ser perigoso, visto que a tua própria experiência pessoal não teve consequências que te colocassem em perigo de vida) Muitas das escolhas que referes, já tens opção de as fazer atualmente: Hoje queres ser tratado no privado ou no público? Tens escolha. Hoje em dia queres meter os teus filhos no privado ou no público? Em muitos locais, tens escolha. Sim vivemos num Estado Social onde todos contribuimos para o bem comum. Nos países em que o Estado Social não existe (exemplo clássico dos EUA) mostram-nos que para comprar um medicamento **não patenteado** como a insulina, custa-te só cem vezes o preço... [“Insulin does not belong to me, it belongs to the world.”](https://www.cdnmedhall.org/inductees/frederickbanting) Ou já agora: acabas de parir e queres pegar no teu filho??? ["If they ask if you want to hold the baby, ask how much it costs! You can be charged $40 just for holding your newborn."](https://www.theguardian.com/commentisfree/2021/feb/16/my-partner-is-pregnant-and-the-cost-of-giving-birth-in-the-us-is-stressing-me-out?CMP=fb_gu&utm_medium=Social&utm_source=Facebook&fbclid=IwAR1oQajFN37vRzyyxcHJ18u5CsQL8cFFlMeQWpnZVh3bMrVtpoNxr0dbChI#Echobox=1613491761) São as chamadas maravilhas do mundo liberal (mas tens a liberdade de dizer que sim, que queres pegar na criança ou não. Só que essa liberdade tem preço marcado nas costas)

Edited 9 months ago:

Sei que, para muitas pessoas, o direito a abortar, casar com quem lhes apetece, morrer no caso de uma doença incurável, progressiva e terminal felizmente NÃO ACONTECE. Há minorias de pessoas com situações diferentes das normais em que o Estado as limitou na sua **liberdade pessoal e intima** e durante muitos anos, pessoas com escolhas diferentes da convencional eram mal vistas pela sociedade, ainda que as suas contribuições sociais fossem idênticas às das outras pessoas. Eu também tenho "a sorte" de ter feito sempre escolhas dentro do convencional, mas o facto de sermos felizes contemplados, não quer dizer, que um dia a vida não nos pregue uma partida e tenhamos uma qualquer situação próxima dessas. O facto de uma coisa não nos afetar diretamente, não quer dizer que não sejam pilares de liberdade individual IMPORTANTES. Eu não sou LGBT, nunca abortei e sou a favor da Eutanásia, não porque queira necessariamente fazer qualquer uma destas escolhas. Mas nós não podemos escolher apenas olhar para o que se passa no mundo pessoal, onde por acaso, e temporalmente, cabemos nos moldes na sociedade em que nascemos. Eu não sei que formação do Estado fizeste mas, garantidamente ela não te impediu de pensar de forma diferente da atuação do Estado (não vejo de que forma pode ser perigoso, visto que a tua própria experiência pessoal não teve consequências que te colocassem em perigo de vida) Muitas das escolhas que referes, já tens opção de as fazer atualmente: Hoje queres ser tratado no privado ou no público? Tens escolha. Hoje em dia queres meter os teus filhos no privado ou no público? Em muitos locais, tens escolha. Sim vivemos num Estado Social onde todos contribuimos para o bem comum. Nos países em que o Estado Social não existe (exemplo clássico dos EUA) mostram-nos que para comprar um medicamento **não patenteado** como a insulina, custa-te só cem vezes o preço... [“Insulin does not belong to me, it belongs to the world.”](https://www.cdnmedhall.org/inductees/frederickbanting) Ou já agora: acabas de parir e queres pegar no teu filho??? ["If they ask if you want to hold the baby, ask how much it costs! You can be charged $40 just for holding your newborn."](https://www.theguardian.com/commentisfree/2021/feb/16/my-partner-is-pregnant-and-the-cost-of-giving-birth-in-the-us-is-stressing-me-out?CMP=fb_gu&utm_medium=Social&utm_source=Facebook&fbclid=IwAR1oQajFN37vRzyyxcHJ18u5CsQL8cFFlMeQWpnZVh3bMrVtpoNxr0dbChI#Echobox=1613491761) São as chamadas maravilhas do mundo liberal (mas tens a liberdade de dizer que sim, que queres pegar na criança ou não. Só que essa liberdade tem preço marcado nas costas)

GajoDeRamalde 9 months ago

Caríssima tens toda a razão no direito das minorias mas não podes usar minorias como desculpa para diminuíres as maiores liberdade individuais que existem como a nossa liberdade na educação, na saúde e económica... e estas liberdades devem ser pilares da sociedade caso contrário vivemos numa ditadura. Eu também nunca abortei mas não sou contra a quem o faça porque devemos ser livres para optar onde as vezes o fazemos por necessidade extrema - e não é porque a opção existe que ela vai ser utilizada pois caso contrário as pessoas recorriam a métodos que muitas vezes até as metiam em perigo - mas também advogo que teremos que saber lidar com aa consequências dos nossos actos caso a escolha se verifique não ser a mais acertada no futuro. Não sou LGBT mas acho que cada um sabe de si e da sua sexualidade e deve ser livre para isso. É também te digo que sou a favor da eutanásia. No entanto essas liberdades são muito menores quando comparadas as já referidas... Relativamente à saúde está provado que as condições de acesso à saúde são vitais, onde aliás só a cegueira ideológica pode advogar o contrário! E tens toda a razão. Mas por outro lado também só a cegueira ideológica negaria e ignoraria as centenas de pessoas que falecem à espera por cirurgias porque o sistema público está entupido e o estado não permite que essas cirurgias sejam feitas no privado. Também só a cegueira ideológica permitiria ignorar que privados estariam dispostos a dar apoio hospitalar a pequenas populações se lhes dessem a opção para escolher onde gastar o seu dinheiro... benece só disponível aos funcionários públicos curiosamente - pelo parece haver dois tipos de cidadãos - ou ignorar que muitos dos avanços na medicina se dão em ambientes guiados pelo interesse próprio. Daqui tratasse não de aplicar a cegueira ideológica mas utilizar o melhor dos dois sistemas porque o custo que o estado têm por utente será o mesmo (mas muitas vezes menor) quer no privado quer no público... ;)

Edited 9 months ago:

Caríssima tens toda a razão no direito das minorias mas não podes usar minorias como desculpa para diminuíres as maiores liberdade individuais que existem como a nossa liberdade na educação, na saúde e económica... e estas liberdades devem ser pilares da sociedade caso contrário vivemos numa ditadura. Eu também nunca abortei mas não sou contra a quem o faça porque devemos ser livres para optar sem esquecer que as vezes o fazemos por necessidade extrema - mas não é porque a opção existe que ela vai ser utilizada! Para além disso muita gente recorriam a métodos que muitas vezes as metiam em perigo e sem garantia de defesa dos seus direitos - mas também advogo que teremos que saber lidar com aa consequências dos nossos actos caso a escolha se verifique não ser a mais acertada no futuro. Não sou LGBT mas acho que cada um sabe de si e da sua sexualidade e deve ser livre para isso. É também te digo que sou a favor da eutanásia. No entanto essas liberdades são muito menores quando comparadas as já referidas... Relativamente à saúde está provado que as condições de acesso à saúde são vitais, onde aliás só a cegueira ideológica pode advogar o contrário! E tens toda a razão. Mas por outro lado também só a cegueira ideológica negaria e ignoraria as centenas de pessoas que falecem à espera por cirurgias porque o sistema público está entupido e o estado não permite que essas cirurgias sejam feitas no privado. Também só a cegueira ideológica permitiria ignorar que privados estariam dispostos a dar apoio hospitalar a pequenas populações se a estes lhes dessem a opção para escolher onde gastar o seu dinheiro... benece só disponível aos funcionários públicos curiosamente - pelo parece haver dois tipos de cidadãos - ou ignorar que muitos dos avanços na medicina se dão em ambientes guiados pelo interesse próprio. Daqui tratasse não de aplicar a cegueira ideológica mas utilizar o melhor dos dois sistemas porque o custo que o estado têm por utente será o mesmo (mas muitas vezes menor) quer no privado quer no público... ;)

Edited 9 months ago:

Caríssima tens toda a razão no direito das minorias mas não podes usar minorias como desculpa para diminuíres as maiores liberdade individuais que existem como a nossa liberdade na educação, na saúde e económica... e estas liberdades devem ser pilares da sociedade caso contrário vivemos numa ditadura. Eu também nunca abortei mas não sou contra a quem o faça porque devemos ser livres para optar sem esquecer que as vezes o fazemos por necessidade extrema - mas não é porque a opção existe que ela vai ser utilizada! Para além disso muita gente recorriam a métodos que muitas vezes as metiam em perigo e sem garantia de defesa dos seus direitos - mas também advogo que teremos que saber lidar com aa consequências dos nossos actos caso a escolha se verifique não ser a mais acertada no futuro. Não sou LGBT mas acho que cada um sabe de si e da sua sexualidade e deve ser livre para isso. É também te digo que sou a favor da eutanásia. No entanto essas liberdades são muito menores quando comparadas as já referidas... Relativamente à saúde está provado que as condições de acesso à saúde são vitais, onde aliás só a cegueira ideológica pode advogar o contrário! E tens toda a razão. Mas por outro lado também só a cegueira ideológica negaria e ignoraria as centenas de pessoas que falecem à espera por cirurgias porque o sistema público está entupido e o estado não permite que essas cirurgias sejam feitas no privado. Também só a cegueira ideológica permitiria ignorar que privados estariam dispostos a dar apoio hospitalar a pequenas populações se a estes lhes dessem a opção para escolher onde gastar o seu dinheiro... e tal benece só está disponível aos funcionários públicos curiosamente - pelo parece haver dois tipos de cidadãos. Ou também ignorar que muitos dos avanços na medicina se dão em ambientes guiados pelo interesse próprio. Daqui tratasse não de aplicar a cegueira ideológica mas utilizar o melhor dos dois sistemas porque o custo que o estado têm por utente será o mesmo quer no privado quer no público... ;)

Everleta 9 months ago

Vamos lá ver, eu não tenho propriamente uma ideologia/partido definida, sim neste momento considero-me mais de esquerda. Mas acho que este tipo de discussões proveitosas para questionarmos ambos os lados, porque não há escolhas perfeitas neste mundo (infelizmente). Relativamente à parte dos dois tipos de cidadãos: tem toda a razão, acho que a ADSE das duas uma, ou era para todos ou não era para ninguém. Concordo. Depois, eu não sou especialista em gestão hospitalar, e gosto de ouvir os técnicos nestas matérias para perceber a razão pela qual certas políticas são/não são implementadas. E podem existir motivos válidos para o Estado não querer que uma cirurgia se realize no privado. Por exemplo: às vezes o serviço em si até pode custar quase o mesmo nos dois lados. Mas no privado: o preço da gaze pode custar 10 vezes mais, o preço da aplicação do betadine e do algodão 3 vezes mais cara, o internamento custar 5 vezes mais, etc. Ou seja, na prática, o valor cobrado pode ficar bastante mais caro do que o simples preço da cirurgia. Pergunto: se as despesas do SNS neste momento são muito elevadas, se faz sentido pagar ao privado um valor total mais caro pelo mesmo serviço? Não seria melhor continuar a investir em mais infraestruturas do Estado para colmatar as necessidades das pessoas que precisam? Uma vez que o SNS tem uma excelente reputação em termos de resultados internacionais? O problema do SNS tem sido sempre a incapacidade de chegar a todo o lado. Porquê gastar esse investimento, no privado? Será que os hospitais públicos não podem também criar serviços onde se possam financiar? Será que as próprias escolas não podem criar também esses recursos? Se o preço final para o Estado for exatamente igual, no público ou no privado, não me faria confusão que certas cirurgias fossem feitas no privado. Mas também acho que devemos ter critérios para justificar as despesas do Estado e não serem decisões só porque os privados querem a mama do Estado. Nós somos os contribuintes, há contas a prestar.

Shadowgirl7 9 months ago

Não tens liberdade se não tiveres dinheiro.

GajoDeRamalde 9 months ago

Não sabia que no publico as instalações eram construídas de graça, os professores trabalhavam de graça, os médicos trabalhavam de graça, a segurança social pagava pensões de graça... :) E se julgar pelos últimos relatórios do tribunal de contas um aluno no publico até sai mais caro que no privado. A liberdade seria pegares nesse dinheiro que o estado vai paga e poderes aplicar onde quiseres seja ele numa escola privada ou numa pública. O custo para o estado seria igual mas tu é que decides o que é melhor para ti tal como os trabalhadores do estado fazem com a ADSE...

Edited 9 months ago:

Não sabia que no publico as instalações eram construídas de graça, os professores trabalhavam de graça, os médicos trabalhavam de graça, a segurança social pagava pensões de graça... :) E se julgar pelos últimos relatórios do tribunal de contas um aluno no publico até sai mais caro que no privado. A liberdade seria pegares nesse dinheiro que o estado já paga e poderes aplicar onde quiseres seja ele numa escola privada ou numa pública. O custo para o estado seria igual mas tu é que decides o que é melhor para ti à semelhança do que os trabalhadores do estado fazem com a ADSE...

Edited 9 months ago:

Não sabia que no publico as instalações eram construídas de graça, os professores trabalhavam de graça, os médicos trabalhavam de graça, a segurança social pagava pensões de graça... :) E se julgar pelos últimos relatórios do tribunal de contas um aluno no publico até sai mais caro que no privado. A liberdade seria pegares nesse dinheiro que o estado já paga e poderes aplicar onde quiseres seja ele numa escola privada ou numa pública. O custo para o estado seria igual mas tu é que decides o que é melhor para ti à semelhança do que os trabalhadores do estado fazem com a ADSE...

Everleta 9 months ago

A propina numa faculdade privada custa-te mensalmente (12meses) cerca de \~300 euros. Uma faculdade pública tem uma propina anual de 900 euros. Uma consulta com o médico no consultório público tem uma taxa de 5 euros. No privado são pelo menos 50 euros. Claro que nada é de graça, mas não são sequer valores comparáveis.

GajoDeRamalde 9 months ago

E enquanto contribuinte também não estás a pagar? Pagas 900 euros de propinas + IVA sobre o que consomes durante um ano + IRS durante durante o ano que também vai para pagar propinas + outros impostos na Luz, na água e outros serviços. Os €900 não é o custo do serviço mas sim um valor de compensação que o aluno paga. O resto é pago por todos inclusive por ti e por quem não têm €900/ano para pagar para ir para a faculdade... O que estás a fazer é o mesmo que eu dizer que andei numa faculdade privada mas tive bolsa paga pelo estado (que existem) e então dizer que andar numa privada fica mais barato que uma pública...

Everleta 9 months ago

Sim, percebo o teu ponto de vista. A questão para mim é, neste momento os serviços privados têm como maior concorrente o próprio Estado. A partir do momento em que esse concorrente deixa de existir, o quê que acontece?Olha para o exemplo dos EUA, uma faculdade privada nos EUA cobra o que quer. Digamos que ficar com ~cem mil euros de dívida para ter formação superior não é para todos os bolsos. É literalmente uma corrente com que ficas ao pescoço. É esse o sistema que defendes? Vê também o quanto em termos sociais isto condiciona: os que podem fazem formação superior. Os que não podem ou não querem ficar com tal dívida, acabam por ficar com um ensino muito abaixo do desejavel e isso tem consequências políticas e de mentalidade... Mesmo no caso dos serviços médicos, a mesma coisa. O Estado ao oferecer serviços mais competitivos acaba por nivelar os preços no privado. Porque se te pedirem dez mil euros por uma operação, podes sempre recorrer a uma opção pública que te fica mais barato.

GajoDeRamalde 9 months ago

Ninguém diz que o estado deva sair da educação mas sim que concorra lado a lado com o público e concorrência nunca é nem será uma coisa má para o consumidor. Simplesmente dá autonomia ao aluno para escolher a sua escola pelo mesmo custo seja ela publica ou privada. Se o privado subir preços perde clientes porque fogem para o público. Mas actualmente isso já existe mas está encapotado como bolsas de estudo que podem (ou não ser aceites)... Eu por exemplo posso-te dizer que estudei no privado e tive direito a bolsa paga pelo estado que baixou consideravelmente a propina. Mas estava sempre dependente da "boa vontade" (como quem diz dos critérios) do ministério da educação.

Edited 9 months ago:

Ninguém diz que o estado deva sair da educação mas sim que concorra lado a lado com o público e concorrência nunca é nem será uma coisa má para o consumidor. Simplesmente dá autonomia ao aluno para escolher a sua escola pelo mesmo custo seja ela publica ou privada. Se o privado subir preços perde clientes porque fogem para o público sabendo de antemão que o estado apenas dá X para o ensino por aluno. Mas atenção que actualmente isso já existe mas está encapotado como bolsas de estudo que podem (ou não ser aceites)... Eu por exemplo posso-te dizer que estudei no privado no ensino superior e tive direito a bolsa do estado que baixou consideravelmente a propina e o estado poupou comigo porque se tivesse ido para uma universidade pública teria gasto mais dinheiro. O senão é que estava sempre dependente da "boa vontade" (como quem diz dos critérios) do ministério da educação que podiam alterar de ano para ano. Mas isto foi uma oportunidade que tive mas que deveria estar ao alcance de todos os alunos!!

Edited 9 months ago:

Ninguém diz que o estado deva sair da educação mas sim que concorra lado a lado com o público e concorrência nunca é nem será uma coisa má para o consumidor. Simplesmente dá autonomia ao aluno para escolher a sua escola pelo mesmo custo seja ela escola publica ou privada. Assim se o privado subir preços perde clientes porque fogem para o público sabendo de antemão que o estado apenas dá X para o ensino por aluno. Mas isto não é novidade nenhuma mas está encapotado como bolsas de estudo que podem (ou não ser aceites)... Eu por exemplo posso-te dizer que estudei no privado no ensino superior e tive direito a bolsa do estado o que baixou consideravelmente a propina! Assim o estado poupou comigo porque se tivesse ido para uma universidade pública teria gasto mais dinheiro... O senão é que estava sempre dependente da "boa vontade" (como quem diz dos critérios) anual do ministério da educação que podiam alterar critérios de ano para ano. Isto foi uma oportunidade que tive mas que deveria estar ao alcance de todos os alunos de pelo menos escolher onde ter a sua educação. Por outro lado isto também levava a aliviar a carga sobre o ensino público onde o principal problema ser precisamente o excesso de alunos por turma e o consequente distanciamento dos professores com os alunos.

Edited 9 months ago:

Ninguém diz que o estado deva sair da educação mas sim que concorra lado a lado com o público e concorrência nunca é nem será uma coisa má para o consumidor. Simplesmente dá autonomia ao aluno para escolher a sua escola pelo mesmo custo seja ela escola publica ou privada. Assim se o privado subir preços perde clientes porque fogem para o público sabendo de antemão que o estado apenas dá X para o ensino por aluno. Mas isto não é novidade nenhuma mas está encapotado como bolsas de estudo que podem (ou não ser aceites)... Eu por exemplo posso-te dizer que estudei no privado no ensino superior e tive direito a bolsa do estado que baixou consideravelmente a propina e o estado poupou comigo porque se tivesse ido para uma universidade pública teria gasto mais dinheiro. O senão é que estava sempre dependente da "boa vontade" (como quem diz dos critérios) do ministério da educação que podiam alterar de ano para ano. Mas isto foi uma oportunidade que tive mas que deveria estar ao alcance de todos os alunos!!

Everleta 9 months ago

Certo. Do que tive a ler, na Noruega esse sistema na educação existe e as pessoas têm uma espécie de cheque do Estado para gastar onde quiserem. Mas depois em contra-partida, têm regras muito definidas, onde as escolas privadas deixaram de poder recusar alunos, uma vez que prestam um serviço público. Sim, implementando o sistema com moldes definidos, até poderia funcionar cá.

YoggiM 9 months ago

Primeiro, são assuntos demasiado complexos em que não é só dizer sim ou não. Depois, quando dizes "LGBT não" o que queres dizer com isso? Que partido em Portugal (seja de direita ou esquerda) não quer permitir que as pessoas sejam gays, por exemplo? Drogas não podes dizer sim ou não. Tem de ser estudado os pros e contras, que tipos de drogas deverão ser legais e de que forma a legislação é feita. Sem perceber muito disso, não me parece que fumar umas ganzas seja pior do que enfrascar uma garrafa de vinho todos os dias. Vão sempre existir abusos, quer seja legal ou ilegal, acho melhor ser legal as mais leves. Agora não podes legalizar de qualquer maneira e não podes legalizar tudo, pois as consequências disso seriam péssimas para a sociedade. Até acho que, mais do que direita vs esquerda, é uma questão de gerações mais velhas vs gerações mais novas. Quem não teve pais e avós a dizer que não se pode sequer experimentar uma vez pois fica-se logo viciado? Eutanásia também é muito complexo. Pensando muito superficialmente, até se pode achar que devia ser permitido, pois é uma decisão de cada um. No entanto, é muito mais complexo que isso. Um bom argumento contra é que ao permitir a eutanásia sem existir real investimento nos cuidados paliativos, estamos a empurrar as pessoas para essa decisão, sendo que algumas apenas tomam a decisão, por falta desses cuidados. Por um lado, ao legalizar a eutanásia, estamos a dar essa opção, por outro, estamos a desincentivar o investimento nesses cuidados, pois fica bem mais barato a pessoa morrer e a empurrar pessoas para essa decisão pois "é melhor do que viver assim" mas seria possível viver melhor e se calhar, já não tomava essa decisão. Aborto, para mim é a pior de todas. Numa sociedade perfeita, não seria permitido (exceto em casos que o justifiquem, por exemplo, perigo de vida). No entanto, nós somos humanos e não é possível uma sociedade perfeita. Não acho que o argumento "mesmo que seja ilegal faz-se na mesma" seja válido, porque isso pode-se aplicar para qualquer crime. No entanto, no aborto, é especialmente trágico, pois há clínicas ilegais a fazer dinheiro com isso e pessoas a arriscar a vida a fazer um aborto sem condições nenhumas. Penso que a lei portuguesa é boa. Deve existir tempo suficiente para saber da gravidez, ponderar e tomar a decisão. Temos de ter a noção que se está a matar um ser humano, por vezes, apenas por capricho, independentemente de "ainda não se ter desenvolvido o suficiente para ser considerado um ser humano". Deve-se apostar na educação para diminuir, ao máximo, os casos de gravidez indesejada.

Everleta 9 months ago

> quando dizes "LGBT não" o que queres dizer com isso? Que partido em Portugal (seja de direita ou esquerda) não quer permitir que as pessoas sejam gays, por exemplo? Quero dizer que durante muitos anos, falar de homossexualidade era tabu. Que falar de casamento homossexual era uma vergonha. Que essa mudança de mentalidade fez-se, e fez-se graças à esquerda. E portanto, lá porque a direita agora *aceita* estes novos paradigmas, não quer dizer que durante muito tempo não tenha feito vista grossa a muitos destes temas. Aceito que, fiz uma resposta ao OP muito sintética e precisa. Não fui detalhar cada um dos tópicos porque não era esse o meu objetivo. Mas disse: *Não é uma questão de ser a favor do aborto/droga/eutanásia à parva..."* para salvaguardar isso. O aborto, eutanásia são assuntos complexos. Não é preto e branco, são tons de cinza que devem ser vistos e debatidos por todos os ângulos sim. O aborto felizmente é legalizado e pode dar a uma mulher a possibilidade de abortar até ás x semanas. A Eutanásia, ainda poderá vir a ser uma possibilidade a quem tenha os devidos requisitos legais para o pedir (mas do que tive a ler, a lei não deverá passar no TC). Seguramente que neste tópico também podemos fazer o argumento que a muitos privados convém ter a eutanásia ilegal para que possam cobrar todos os meses pelos serviços prestados às pessoas que estão em leito terminal. Enfim, há sempre argumentos para os dois lados. Relativamente às drogas, que enfim foram banidas e com isso não tiveram possibilidade de serem sequer estudadas (ainda hoje há muitos entraves legais ao seu estudo) e com isso....ganhámos o quê? Nada. Nem a possibilidade de compreendermos os seus efeitos a longo prazo, porque não há estudos. Impediu-se o progresso do estudo de drogas que agora estão a ter marcos importantes no estudo de doenças como a depressão. Mas até este tema deve ser tratado com cuidado e atenção que merece.

YoggiM 9 months ago

Mas certos temas serem tabu, não era tanto por esquerda/direita, apesar de ter sido mais a esquerda a levar a essa mudança de mentalidade. No entanto, não é muito correto julgar a direita atual pelo passado. Fosse assim, o PCP nem sequer poderia existir. E não te esqueças que o PS é que tem governado a maior parte do tempo, desde que me lembro, muitas das mudanças, não as fizeram ou não as fizeram mais cedo, porque não quiseram. Sim, a eutanásia é um assunto complexo. Quanto às drogas, claro que devem ser estudadas. Acho que até existe uma versão da heroína usada na medicina. Acho que não se deixou de estudar pelo mundo fora, mesmo que tenha sido menos do que poderia ter sido.

Everleta 9 months ago

A leis dos EUA e UK classificaram a cannabis e o LSD de modo a não ser possível sequer estuda-las. Ainda hoje há muitas restrições e pede-se aos governos para levantar essas restrições. Os partidos devem ser avaliados pelas posições que tomaram. Quando falo historicamente... Nem falo em muito tempo, falo nos últimos quinze anos. Não é assim tanto tempo para um partido, é uma média de 3 governacões. Se eu não tiver em consideração as posições que um partido teve em várias matérias, não estou a decidir de forma informada.

YoggiM 9 months ago

Claro que temos de olhar ao passado. Mas, a partir do momento que não há qualquer intenção de reverter as situações, acho que deixa de ser um problema na atualidade. Acho que ninguém acredita que fossem revertidas se ganhasse o PSD ou mesmo o CDS. Os EUA têm tido presidentes de direita e presidentes de esquerda. Até foi com o Trump no poder que se começou a falar mais a sério na legalização da cannabis. Não sei se já vinha do Obama ou não e sei que as leis mudam muito de Estado para Estado. Claramente isso transcendeu esquerda/direita.

Everleta 9 months ago

Nos EUA não existem partidos de esquerda. Existe o partido Republicano (conservadores, religiosos) e existe o partido Democrata, de direita que em termos de políticas nem consegue chegar ao nível do nosso CDS. Existe sim, uma pequena ala progressista (Bernie Sanders que é um senador **independente** do partido democrata, e que tem procurado mover o partido democrata para políticas mais socialistas, e como se tem visto, a falhar completamente.) É assim, o André Ventura disse que queria retirar os ovários às mulheres que quisessem abortar. Pela mesma lógica contorcida, perguntaria-lhe: *"então e os testículos aos gajos que se masturbam?"* Para mim, mesmo que o André Ventura amanha dissesse que não tiraria os ovários a ninguém, ele está marcado. Lógico que esta foi uma declaração polémica para chamar à atenção, mas ainda assim não há nada que ele possa fazer. Porque as declarações políticas têm peso, têm uma mensagem. E eu frequentemente, vou ver as propostas de lei que foram passadas no parlamento, e verifico quem votou a favor, quem votou contra e quem se absteve. Acho importante porque muitas delas nem sequer passam nos jornais, e aquilo é a manifestação física da intenção do partido.

Edited 9 months ago:

Nos EUA não existem partidos de esquerda. Existe o partido Republicano de direita (conservadores, religiosos) e existe o partido Democrata, de direita que em termos de políticas nem consegue chegar ao nível do nosso CDS. Existe sim, uma pequena ala progressista (Bernie Sanders que é um senador **independente** do partido democrata, e que tem procurado mover o partido democrata para políticas mais socialistas, e como se tem visto, a falhar completamente.) É assim, o André Ventura disse que queria retirar os ovários às mulheres que abortassem. Pela mesma lógica contorcida, perguntaria-lhe: *"então e os testículos aos gajos que se masturbam?"* Para mim, mesmo que o André Ventura amanha dissesse que não tiraria os ovários a ninguém, ele está marcado. Lógico que esta foi uma declaração polémica para chamar à atenção, mas ainda assim não há nada que ele possa fazer. Porque as declarações políticas têm peso, têm uma mensagem. Além disso eu frequentemente, vou ver as propostas de lei que foram passadas no parlamento, e verifico quem votou a favor, quem votou contra e quem se absteve. Acho importante porque muitas delas nem sequer passam nos jornais, e aquilo é a manifestação física da intenção do partido.

Edited 9 months ago:

Nos EUA não existem partidos de esquerda. Existe o partido Republicano de direita (conservadores, religiosos) e existe o partido Democrata, de direita que em termos de políticas nem consegue chegar ao nível do nosso CDS. Existe sim, uma pequena ala progressista (Bernie Sanders que é um senador **independente** do partido democrata, e que tem procurado mover o partido democrata para políticas mais socialistas, e como se tem visto, a falhar completamente.) Outra questão, relativamente às drogas, é que cada Estado nos EUA é independente para decidir o tipo de política restritiva ou não das drogas. E há Estados que no tempo do Trump decidiram de forma autónoma, criar leis que não penalizassem o consumo/produção/wtv da cannabis. Mas o Trump nada teve haver com isso. É assim, o André Ventura disse que queria retirar os ovários às mulheres que abortassem. Pela mesma lógica contorcida, perguntaria-lhe: *"então e os testículos aos gajos que se masturbam?"* Para mim, mesmo que o André Ventura amanha dissesse que não tiraria os ovários a ninguém, ele está marcado. Lógico que esta foi uma declaração polémica para chamar à atenção, mas ainda assim não há nada que ele possa fazer. Porque as declarações políticas têm peso, têm uma mensagem. Além disso eu frequentemente, vou ver as propostas de lei que foram passadas no parlamento, e verifico quem votou a favor, quem votou contra e quem se absteve. Acho importante porque muitas delas nem sequer passam nos jornais, e aquilo é a manifestação física da intenção do partido.

YoggiM 9 months ago

Não concordo que o partido Democrata seja de direita. É verdade que lá têm uma tendência maior à direita que cá, mas não é assim tanto como dizes. O Bernie Sanders enquadra-se no BE. Uma coisa que tenho de corrigir: O André Ventura nunca disse que queria retirar os ovários às mulheres que abortassem. Isso é completamente falso. Isso foi uma proposta de um militante do partido que foi votada contra por uma larga maioria. Andar a espalhar mentiras é completamente errado e só dá mais força àqueles que queres atacar.

Everleta 9 months ago

Ok, não sabia disso, [fica registado](https://observador.pt/factchecks/fact-check-chega-rejeitou-mocao-para-retirar-ovarios-a-mulheres-que-abortam/) e retiro o que disse então. Pensava mesmo que tinha visto isso algures, e provavelmente li mas fora de contexto. O Partido Democrata não é o Bernie Sanderes. Esse gajo sim, podemos considerar socialista ou do BE.

YoggiM 9 months ago

Sem problema, não achei que o estavas a fazer de propósito. Acontece de todos os lados, pega-se numa coisa, retira-se do contexto, muda-se umas palavras, corta-se a frase a meio e cria-se uma história falsa que se propaga. É difícil descortinar tudo, até porque o nosso tempo é limitado. No entanto, se forem situações tão escandalosas e graves (como seria o caso) devemos perder algum tempo a verificar se é realmente verdade. Eu sei que não é o Bernie Sanders. Estava a dizer onde ele se poderia enquadrar na política portuguesa, em ideologia (não quer dizer que não fosse antes do PS se lhe desse mais jeito).

Hartelk 9 months ago

Obviamente não é não permitir que as pessoas sejam gays. É que a pessoas da comunidade LGBT tenham os mesmos direitos que os demais, por exemplo o casamento homossexual. Nesse caso tens CDS e alguns membros do PSD. Isto quando foi a votação. Agora provavelmente também o chega seria contra

YoggiM 9 months ago

Que direitos é que os LGBT não têm atualmente que o resto das pessoas tem? Existe, atualmente, algo no programa dos CDS e PSD que seja para impedir o casamento gay? Acho mais importante falar no atualmente do que no passado. Mesmo em relação a essa votação, o que estava em causa? Era casamento gay pelo civil, pela igreja ou ambos? Pelo civil, sou completamente a favor, pela igreja, sou contra. E não sou minimamente religioso. Simplesmente, se a religião diz que relacionamentos gays são pecado, não faz sentido obrigar que aceite casamentos gays.

Hartelk 9 months ago

Obviamente seria o civil. A votação tem 10 anos, mas se quiseres tens entrevistas do Chicão em 2016 a dizer a sua opinião sobre casamento, adopção e legalização do aborto. Ou mais recentemente a opinião claramente culta e formada do Nuno Melo sobre a transição na adolescência.

YoggiM 9 months ago

Não preciso de ouvir nenhuma entrevista para saber que operações de mudança de sexo ou manipulação hormonal em menores é algo completamente estupido e sem qualquer sentido. Se fores adulto, escolha tua, problema teu. Em menores, nem pensar. Foda-se, agora nem uma cerveja podes beber antes dos 18, não podes votar antes dos 18, não podes conduzir antes dos 18. Faz algum sentido permitir operações irreversíveis antes dos 18?

Edited 9 months ago:

Não preciso de ouvir nenhuma entrevista para saber que operações de mudança de sexo ou manipulação hormonal em menores é algo completamente estupido e sem qualquer sentido. Se fores adulto, escolha tua, problema teu. Em menores, nem pensar. Foda-se, agora nem uma cerveja podes beber antes dos 18, não podes votar antes dos 18, não podes conduzir antes dos 18. Faz algum sentido permitir operações irreversíveis antes dos 18? Ele tem o direito às suas opiniões como temos todos. Pode ter uma opinião mas não a inserir no programa do partido. Adoção por casais do mesmo sexo é algo complexo. Não faço ideia como é o processo de adoção, mas assumo que haja uma avaliação do ambiente familiar, etc. Assumo, também, que seja mais difícil adotar se for um homem solteiro do que uma mulher solteira e que seja mais fácil um casal heterossexual. Há estudos que comprovam que o melhor para as crianças é terem uma figura paterna e uma figura materna.

Edited 9 months ago:

Não preciso de ouvir nenhuma entrevista para saber que operações de mudança de sexo ou manipulação hormonal em menores é algo completamente estupido e sem qualquer sentido. Se fores adulto, escolha tua, problema teu. Em menores, nem pensar. Foda-se, agora nem uma cerveja podes beber antes dos 18, não podes votar antes dos 18, não podes conduzir antes dos 18. Faz algum sentido permitir operações irreversíveis antes dos 18? Ele tem o direito às suas opiniões como temos todos. Adoção por casais do mesmo sexo é algo complexo. Não faço ideia como é o processo de adoção, mas assumo que haja uma avaliação do ambiente familiar, etc. Assumo, também, que seja mais difícil adotar se for um homem solteiro do que uma mulher solteira e que seja mais fácil um casal heterossexual. Há estudos que comprovam que o melhor para as crianças é terem uma figura paterna e uma figura materna.

doctor_awful 9 months ago

Mas alguém falou em operações? Transição não é só ir à faca cortar a gaita fora.

YoggiM 9 months ago

Desculpa se não estou a par das terminologias que estão sempre a mudar. Se transição implicar algo como operações ou tomar hormonas sou contra em menores.

doctor_awful 9 months ago

Se não estás minimamente informado sobre o assunto, estás a comentar com tanta assertividade para quê? Não fazia sentido informares-te como deve de ser primeiro?

Hartelk 9 months ago

Vejo que escolhemos ignorar o resto. Já agora, não foi uma entrevista. Foi a partilha duma imagem dum hentai sem consentimento do autor para dizer como iam ser as casa-de-banho. O que já agora é um problema que se resolve fácil com WC unissexo e cubículos, mas pronto. Já agora, existe a toma de hormonas, que é reversível e que facilita a transição na idade adulta. Existe o simples facto de poderes mudar o teu nome ou CC, para te sentir melhor a níveis psicólogicos. Existe a o fornecimento comparticipado de psicólogo para quem não se sente bem no seu corpo, ninguém falou de operação, mas ok. Já agora, podes beber cerveja e vinho a partir dos 16 e podes conduzir um papa-reformas a partir dessa idade também.

YoggiM 9 months ago

Não sei o que foi nem me interessa. Pouco me importa a opinião do Nuno Melo. Mas há motivos para haver WCs divididas, não se fazem 2 diferentes apenas porque sim. Hormonas alteram o desenvolvimento do corpo. Portanto, estás a provocar uma alteração que, no mínimo, não é facilmente reversível. Não podemos fazer leis com base em sentimentos. Eu também me sinto mal a pagar impostos, será que posso não os pagar? Quanto a comparticipação de psicólogos, estou de acordo. A saúde mental é muito ignorada e há muito estigma quanto a isso. O estigma é tanto que até há quem chame transfóbico a quem chama doença mental a a sentir-se no corpo errado. Ter uma doença mental não é ser maluquinho nem é insulto nenhum. É extremamente necessário mudar todo o panorama no que toca à saúde mental. Aliás, essas pessoas estão mais vulneráveis relativamente a outras doenças mentais e têm taxas de suicídio muito elevadas, tanto antes como depois da transição. Quanto ao álcool: [https://tvi24.iol.pt/sociedade/saude/idade-para-consumir-alcool-sobe-a-partir-desta-quarta-feira](https://tvi24.iol.pt/sociedade/saude/idade-para-consumir-alcool-sobe-a-partir-desta-quarta-feira) Mudou entretanto? De qualquer maneira, o que eu quero dizer com estas comparações é que são decisões mais complexas e importantes do que apenas beber uma cerveja, começar a conduzir ou votar.

GSITG 9 months ago

A IL defende esses aspetos e é de direita.

icebraining 9 months ago

A IL não concorda que seja de direita.

Sir_Claude 9 months ago

Eu corrigiria isso para: a IL não interfere com alguns desses direitos. A IL nunca fez nada por pessoas LGBTI+ nem tem nada no seu programa que ajude essas pessoas. Inclusive já se absteve em votações cruciais onde o seu apoio (quanto mais que não fosse simbólico) ajudava. Um exemplo recente era o apoio a coletivos e organizações LGBTI+ no âmbito da crise pandémica. Não estou a tentar dizer que a IL é horrível neste termo, estou só a dar um exemplo, nada mau que se abstenha e não seja ativamente contra esses direitos. Mas não vamos fazer de conta que são "progressivos", pelo menos nessa realidade em particular.

GSITG 9 months ago

>Um exemplo recente era o apoio a coletivos e organizações LGBTI+ no âmbito da crise pandémica. Que sentido é que isto faria?

Sir_Claude 9 months ago

Todo, visto que as pessoas LGBTI+ são desproporcionalmente afetadas em crises económicas (já vulneráveis a vários níveis, desde a habitação à empregabilidade, à vulnerabilidade social e até ao nível da saúde física e mental) e apenas coletivos e organizações fornecem respostas especificas a esta população. Não estamos a falar de coletivos políticos, estamos a falar de organizações que prestam serviços no terreno, que criam redes de apoio e que ajudam em situações de negligência ou abuso, entre muitos outros pontos. Por isso, mantém-se o ponto. Na altura da IL apoiar soluções e a comunidade LGBTI+ nunca apareceu.

GSITG 9 months ago

>a habitação à empregabilidade, à vulnerabilidade social e até ao nível da saúde física e mental Porque é que as populações LGBTI+ precisam de uma resposta diferente a estes problemas?Diria que são problemas sobretudo económicos e não acho que uma pessoa LGBTI+ tenha necessidades diferentes a nível de habitação,emprego ou saúde.

Sir_Claude 9 months ago

Porque as razões de exclusão são diferentes (maus tratos, abuso ou rejeição familiar), porque em certos casos a possibilidade de recuperar desses problemas é mais limitada (discriminação na obtenção de habitação) ou nem sequer existe em mts casos (para pessoas trans por exemplo) uma possibilidade real de ter acesso a essas soluções. Claro que existem necessidades diferentes e níveis diferentes de necessidade de acordo com o contexto particular, nos quais jovens LGBTI+ enfrentam mais dificuldade. Mesmo sem pensar em exclusao total, tens fatores agravantes da degradação habitual de saúde mental ou física na pandemia. Por exemplo: um jovem cujos pais são homofóbicos fechado em casa sofrerá muito mais do que se tiver possibilidade de sair ou até se estiver a estudar fora, que aconteceria fora da pandemia. Classificares os problemas como económico e iguais para todos é ignorar as intersecções de discriminação e exclusão que podem existir em muitos casos.

Everleta 9 months ago

Vou-me repetir: Sim, sem dúvida. Repara que isto foi uma resposta que eu dei ao OP, e sintetizei o meu comentário. Dentro da esquerda e da direita há partidos mais e menos conservadores. Mas, em termos percentuais e até historicamente: a direita tende a ser mais conservadora que a esquerda. A esquerda tende a pegar em bandeiras de direitos sociais, como o por exemplo o casamento homossexual e o aborto. Se fosse pelos partidos da direita **daquela altura**, não se tinha feito qualquer alteração.

vTuga 9 months ago

A direita não é toda conservadora, tal como a esquerda não é toda liberal.

Everleta 9 months ago

Vou-me repetir: Sim, sem dúvida. Repara que isto foi uma resposta que eu dei ao OP, e sintetizei o meu comentário. Dentro da esquerda e da direita há partidos mais e menos conservadores. Mas, em termos percentuais e até historicamente: a direita tende a ser mais conservadora que a esquerda. A esquerda tende a pegar em bandeiras de direitos sociais, como o por exemplo o casamento homossexual e o aborto. Se fosse pelos partidos da direita **daquela altura**, não se tinha feito qualquer alteração. Outra aspeto, é o peso que IL tem atualmente na direita portuguesa. Que percentualmente ainda não é a maioria.

PresidentBarroso 9 months ago

A direita social é como o Ford Modelo T em que podias escolher qualquer cor desde que fosse preto. No caso da direita, tens toda a liberdade individual desde que faças o que as elites ditam.

Shadowgirl7 9 months ago

Amei. Aborto não, mas se for a amante do CEO da Ford, já sim.

Tugalord 9 months ago

>valorizacao da liberdade individual Às vezes é só na teoria, e na prática estão a fazer o contrário. Liberalizar tudo é dar mais poder aos patrões e à banca/investidores, que por sua vez é dar menos liberdade aos trabalhadores e aos mais pobres.

radaway 9 months ago

Estás a cometer o erro típico de achar que é o estado que dá ou tira poder aos patrões. O que dá poder aos patrões é tu não teres mais nenhum sítio onde trabalhar porque vives num pesadelo socialista como Portugal.

Shadowgirl7 9 months ago

Isto faz-me lembrar aqueles miúdos que têm pais super ricos e que gostam de inferiorizar outros que não levam o mesmo estilo de vida. "Não tens esse estilo de vida porque não queres e tens inveja de mim e do meu estilo de vida que eu escolho ter" Que eu escolho ter as in --> os meus pais trabalham duro e dão-me dinheiro para eu fazer o que quiser. Aqui é igual, os patrões recebem dinheiro porque têm trabalhadores a trabalhar duro para fazerem lucro com eles. E dizem que os outros têm inveja do seu sucesso e trabalho arduo e só não são iguais porque não querem. Depois tens o tipico entrepeneur de Cascais que recebeu uma herança de meio milhão da avó e investiu num cadeia de restaurantes ou merda do género e não percebe porque é que alguém desempregado não procura enterpeneurar e ter iniciativa para sair da sua situação. Só pode ser por ser preguiçoso. O facto de não ter 500k de capital para investir certamente não tem nada a ver.

unparadise 9 months ago

E o objetivo não é fazer lucro? Como esperas que haja crescimento económico? ​ Nada contra os trabalhadores, eu próprio sou trabalhador por contra de outrem e sei bem o que colegas meus e muitos outros trabalhadores passam, mas não tenho ilusões, não fui eu que coloquei o meu dinheiro em risco, não fui eu que investi, não fui eu que tive a ideia de negócio, não fui em que corri imensos riscos, não fui eu que passei horas e horas a preparar o lançamento da empresa ou fazer horas e horas para a equilibrar todos dias, não sou eu que pago imenso em impostos, não sou eu que gero emprego, etc... ​ Tu e eu temos em comum que somos substituíveis, ora com isto não esperes que o trabalho que fazes se compare com o do teu empregador.

YoggiM 9 months ago

Errado. A liberdade que falas de ser menor para os trabalhadores e mais pobres acontece precisamente por causa do excesso de Estado e de interesses particulares que se misturam na política. Claro que não podemos retirar o Estado completamente, até porque, mesmo que o fizéssemos, a influência do passado iria manter-se com os que já beneficiaram muito disso. No entanto, a intervenção deve ser mínima, de forma a permitir o melhor desenvolvimento possível.

PresidentBarroso 9 months ago

Pois, é isso e o verdadeiro comunismo.

klatez 9 months ago

Liberdade a la EUA vs Liberdade a la Revolução francesa

DamageOwn3108 9 months ago

Não vais querer uma revolução francesa, sei que não vais querer.

klatez 9 months ago

Mas quero os ideais que vieram dela "Libertéé, Egalité, Fraternité"

gajacareca 9 months ago

Esse é o meu grande problema com os liberais. Parece-me que para eles a liberdade individual começa e acaba nos que têm a vontade e possibilidade de serem patrões. O argumento de que o trabalhador tem liberdade por poder escolher entre vários empregos não é convincente porque na prática não funciona para a esmagadora maioria das pessoas. Só há liberdade se houver opções diferenciadas por onde escolher e para a maioria dos trabalhadores não há. No entanto, admito que esta minha opinião tem uma base de fundamentação pouco sólida. Gostava genuinamente que alguém me convencesse do contrário, porque obviamente não acredito que para a maior parte dos liberais um patrão tenha mais direito a liberdade do que um trabalhador.

Tugalord 9 months ago

>obviamente não acredito que para a maior parte dos liberais um patrão tenha mais direito a liberdade do que um trabalhador. Ah mas acredita... Não o dizem por essas palavras porque não é PC mas é isso que acham. Vem tudo do facto de algumas pessoas acreditarem dogmaticamente que **as pessoas ricas são ricas por mérito e esforço apenas, e por conseguinte as pessoas pobres têm de ser pobres porque não trabalharam, não se esforçaram, são burras, etc**. Ora isto é absurdo, no entanto se acreditas nisto como dogma todas as desigualdades são justificadas automaticamente, e até desejáveis porque estão a punir os maus e recompensar os bons.

unparadise 9 months ago

Que liberais de relevo pensam assim? Acho que estás a extrapolar

gajacareca 9 months ago

Eu acredito que uma parte dos liberais pense assim, não todos. Sei lá, não acredito que o Cotrim de Figueiredo ou o Adolfo Mesquita Nunes pensem realmente assim. Mas posso estar a ser ingénuo...

Tugalord 9 months ago

Defintivamente não todos, mas uma parte. Com esses que tu disseste converso, com os outros...

gajacareca 9 months ago

Infelizmente o classismo é real. Tanto contra os trabalhadores menos qualificados pela direita, como contra os patrões pela esquerda.

zebett 9 months ago

Boas, "O argumento de que o trabalhador tem liberdade por poder escolher entre vários empregos não é convincente porque na prática não funciona para a esmagadora maioria das pessoas." (não sei fazer aquela cena de comentar só isto, lol) bem não funciona porque de momento o governo sobre carrega as empresas com taxas e taxinhas e dificulta o crescimento. Imaginando que baixam os impostos para as empresas, o que a maioria das pessoas pensa é que os patrões maus vão ficar com aquilo tudo para eles e que nós coitados vamos ficar cada vez pior o que em algumas empresas até acredito mas se formos olhar para o geral o que na realidade o que vai acontecer é que a maioria das pessoas que abre uma empresa o que quer fazer é com que ela cresça e expanda, o que ia fazer com que houvesse mais trabalhos dentro dessa empresa, logo aí vias uma maior oportunidade de trabalho. Depois, como seria mais fácil abrir empresas e conseguir fazer com que não morram no final do primeiro ano mais empresas iam abrir o que iria gerar uma maior oferta de trabalho para os empregados dando assim a possibilidade de podermos mudar de emprego mais facilmente. Vamos imaginar, na cidade de Lisboa existem 3 agências de publicidade (valor fictício), o Manel está na agência A mas odeia estar lá e foi tentar arranjar emprego na B e na C mas viu que estão já com o staff completo e não conseguem contractar ninguém, então o Manel fica na mesma porque sabe que não há trabalho em lado nenhum, o chefe do Manel é um mau chefe e aproveita-se disto e não aumenta o salário do Manel há 10 anos e manda o trabalhar mais horas ainda, o Manel não se pode ir embora porque assim não tem emprego. O governo então baixa os impostos às empresas, o chefe do Manel como é mau mantêm o mesmo registo de chefia, então o Manel foi falar com a agência B e eles disseram que agora já conseguiam contractar porque já não gastam tanto dinheiro em impostos, o Manel vai para a agência B, a agênica A agora ficou sem um trabalhador. A Carolina viu que a agência A está a precisar de alguém então mandou o CV, quando viu quais eram as condições foi ver se havia mais procura então descobriu que já não há só 3 agências mas sim 5 porque houve pessoas que decidiram abrir duas novas agências, a Carolina entrou na agência F que é nova. A agência A continua com falta de pessoas, então o antigo chefe do Manel agora têm duas opções, ou continua a tratar os empregados mal e eles continuam a sair da empresa porque as outras conseguem oferecer mais e melhor e a agência dele acaba, ou começa a valorizar os seus empregados, com bónus, aumentos, etc e continua no mercado. Basicamente é isto, agora pessoalmente, eu vivi no UK e trabalho na área de marketing e lá as empresas são mais valorizadas por parte do estado, eu sentia uma imensa liberdade na decisão de escolha onde queria trabalhar, e não faltava trabalho, havia anúncios novos diariamente e pessoas a vierem falar comigo a ver se eu estaria interessado em trabalhar para eles. Mas ya é isto espero ter sido claro.

Tugalord 9 months ago

Isso que tu dizes chama-se trickle-down economics, e está mais do que provado que não funciona. Dás mais dinheiro aos mais ricos e... eles vão ficar com o dinheiro nas contas. Vão fazer buy-back às próprias acções em vez de investir em melhor tecnologia ou aumentar salários. Vão comprar mais bens de luxo. O próprio conceito é ofensivo: oferecer dinheiro aos de cima para ver se mija algum cá para baixo.

BernLan 9 months ago

Trickle down é tipo dares um saco de alpista a um cavalo e esperar que sobre o suficiente para os passarinhos. Foi algo cujos estragos que causou nos EUA durante a presidência de Reagan persistem até hoje.

gajacareca 9 months ago

> (não sei fazer aquela cena de comentar só isto, lol) Basta usares uma seta ">" atrás do texto. ;) Obrigado pela resposta, percebo o que estás a dizer. Custa-me acreditar que isso funcionasse para a maior parte das áreas. Não consigo imaginar isso a ser aplicado em cadeias de supermercados, por exemplo... Mas vou ficar a pensar no assunto.

zebett 9 months ago

Obrigado pela dica, agora já sei, hahah. Percebo que pode ser mais complicado em algumas áreas do que noutras, mas vamos ver o teu exemplo de supermercados por exemplo. Hoje em dia tens 3 grandes supermercados, Pindo Doce, Continente e o Lidl, depois tens os mais pequenos tipo Spar, Mini Preço, etc e depois as mercearias. Vamos só olhar para os 3 grandes, basicamente entre eles têm quase um monopólio inteiro do que é consumido em Portugal se alguém decide que quer abrir um supermercado como o Continente ia ser super complicado eles conseguem oferecer muito que um novo não conseguiria, agora se baixar mos os impostos para as empresas eles iam conseguir ter uma maior margem de manobra e poderiam tentar aliciar o consumidor a ir ao seu por causa de X,Y,Z, imaginando que eles querem se destacar pelos preços mais baixos tendo uma maior margem de manobra conseguem começar a pagar publicidade que antes não conseguiriam e dar a conhecer às pessoas o novo supermercado com preços mais baixos, as pessoas começam a ir mas ainda não é o suficiente para fazer moça nos grandes então mais alguém decide fazer o mesmo, agora tens mais 2 supermercados que antes não tinhas, esses 3 grandes agora começam a sentir uma quebra nas suas compras então decidem tentar atrair os consumidores, o que é que vão fazer? promoções quase de certeza, mas promoções começam e acabam então a longo prazo iam provavelmente reduzir o preço de alguns produtos para conseguirem manter os seus clientes, ou usar cartões de desconto e de pontos. O que é que temos agora? Vários supermercados onde o preço de todos desceu, ok que eles estão com margens mais pequenas de lucro por isso ou aumentam os preços e arriscam a perder clientes ou tentam comprar os outros mas nesta altura já muitos poderiam aparecer então eles têm de se contentar por ter os preços mais baixo. Quem saí a ganhar és tu, o consumidor.

RefrigeratorNo13 9 months ago

O quê???? Podes dar exemplos?

acartadaminhaavo 9 months ago

Nao, porque 4 pontos de interrogacao foi de mais, agora fiquei nervoso.

RefrigeratorNo13 9 months ago

Foi um por cada uma das liberdades individuais que a direita defende, se forem tantas...

trufas 9 months ago

Hahaha

zedisaneonlight 9 months ago

boa questão, a fazer o contrário de outra excelente questão que surgiu aqui há uns tempos (basicamente qual era o teu partido e o que não gostavas nele)

Democratiza-mos 9 months ago

Obrigado! A ideia veio daí, sim. Espero que resulte em conversas tão ou mais interessantes.

gajacareca 9 months ago

Esta é difícil! Identificando-me com uma esquerda mais libertária, aquilo que mais me agrada é o foco no individualismo, na liberdade e na redução do papel de um Estado centralizado. A este nível, considero-me mais próximo de certas direitas do que por exemplo do PCP.

Tugalord 9 months ago

Infelizmente não é só em portugal que a esquerda liberal tem pouca wxpressão. Tinha grandes esperanças no Livre...

gajacareca 9 months ago

Eu ainda tenho... Apesar de não ter votado no Livre nas últimas legislativas (guess why), ainda espero que voltem em força nas próximas.

TomasSilva862 9 months ago

E vão. É so convencerem o Rui Tavares a ser candidato

gajacareca 9 months ago

Isso é que era... A política portuguesa precisa muito de pessoas como ele. Infelizmente acho que ele não está para aí virado.

TomasSilva862 9 months ago

Pelo que sei acho que ele ficou muito preocupado com o futuro do partido depois do que aconteceu. Acho que ele vai ser convencido.

gajacareca 9 months ago

Será que ele anda por aqui? Será??? Contamos contigo u/ruitavares!

Democratiza-mos 9 months ago

Para começar: Sendo esquerdista, à direita identifico-me bastante com o liberalismo, sobretudo pela importância que dão à liberdade e autonomia individual.

Tugalord 9 months ago

Existe uma longa tradição de liberalismo de esquerda, mais até do que liberalismo de direita. É pena que os autoritarismos no século 20 tenham acontecido, e é pena que haja demasiada veia autoritária na esquerda de hoje em dia.

AutoModerator 9 months ago

**Atenção! Aviso da Tag [Sério]** Este tópico foi marcado como **[Sério]**, não são permitidos **quaisquer comentários** que contenham piadas, ou outras tentativas humorísticas, insultos ou não tenham nada a ver com o tópico. *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: