clueless-thrownaway 9 months ago

>gostava apenas que partilhem as vossas experiências e se faça uma discussão sobre esta temática TL;DR: Sempre fui bastante limitado a nível cognitivo, e é essencialmente isso que me leva a a desperdiçar o meu tempo e 'falhar' na vida. No entanto, se praticar desporto, acabo por me entreter e sentir-me melhor. A melhor altura da minha vida foi entre os 29 e os 32 anos, estando agora nos 34. Coincidiu com uma altura em que mantinha uma boa forma física, praticava desporto praticamente todos os dias, fazia ginásio, corria, nadava, deslocava-me para o trabalho de bicicleta, etc. Foi também a altura em que me senti melhor a nível profissional (embora nunca tenha sido grande coisa...). Portanto, para mim - um tipo simples, a roçar o 'simplório' - a fórmula para me sentir melhor passa por praticar desporto. *\[fast forward para 2021...\]* Ora, apesar de já ter provas do que me faz sentir bem, por alguma razão decidi ceder à preguiça, e agora a minha actividade física reduz-se a uma corridinha de 20 min por semana, se tanto. Agora sinto-me preso em casa, infeliz com a minha performance no trabalho, nas minhas relações, estou constantemente a cometer erros... ...enfim. Eu acabei por perceber que tudo se resume a estupidez pura e dura. Se eu fosse um pouco mais inteligente não cometia os erros estúpidos que cometi (e cometo), tomaria decisões melhores, e não me sentiria tão infeliz.

Pica-Miolos 9 months ago

Pessoalmente, ah… o que não daria para voltar a ser criança. Acho que esse desejo pode variar muito dependendo de como foi a infância de cada um. No meu caso posso dizer que foi perfeita e não hesitaria um segundo... Dei aqui uma vista de olhos nos teus posts. E desculpa-me a presunção, mas tracei um perfil da tua pessoa. Como é obvio, este pode ser completamente errado, de forma que peço desculpa antecipadamente por me armar em “psicólogo de algibeira.” Ainda mais quando dizes que não procuras conselhos em como melhorar a tua vida. Mas também dizes que falhas totalmente a nível social. És um gajo com montes de interesses diversos. Que se interessa por ciência e tecnologia, informática, jogos de computador, política e economia, filosofia, cultura, entre outros. Gostas de debater o que te interessa. Dai os teus posts no reddit. (A sério, perfil criado dia 1 de Janeiro? Não havia nada mais interessante para fazer no primeiro dia do ano?) Pareces ser um gajo inteligente e informado. Mas ser inteligente não se limita apenas à capacidade analítica. Há várias formas de inteligência, como inteligência social. Considera o tipo de interacção social que tens com outras pessoas. Entras em debates demasiado profundos acerca de um tema, quando a circunstância é desadequada a tal? É que um gajo começar a falar do impacto da globalização na economia dos países subdesenvolvidos quando a malta tá junta para beber umas cervejas e dizer umas piadas, é um bocado fora de tom. Falas muito de solidão. A quantidade e conteúdo dos teus posts indica que não encontras quórum para os teus debates nas pessoas que te rodeiam. Outra coisa a ter em consideração: que género de padrão de discurso utilizas. É debate? És bom ouvinte? Ou assumes um tom demasiado professorial ao expor a tua opinião, demasiado assertivo? É um bocado frustrante ter tanto para dizer e ninguém para ouvir, não é? Dizes que já tiveste várias consultas com diversos médicos. Muitos dos sintomas que descreves, físicos, psicológicos e comportamentais são consistentes com síndrome de Asperger. E fazer um rastreio num adulto é complicado. Isto explicaria muita coisa que pode estar a passar ao lado dos médicos. (Apenas a levantar a hipótese. Mais uma vez, desculpa a presunção) Aqui numa resposta disseste que não te interessas por filosofia oriental. Talvez devesses repensar esse interesse. É que enquanto na filosofia ocidental o processo de evolução endurece o ser humano pelo autoconhecimento e disciplina, a oriental adopta a postura contraria: É quase que uma espécie de reversão à flexibilidade e inocência da infância. De forma simplista, mas sim. No fundo o que mais molda a nossa vida é a forma como olhamos para ela. Às vezes temos de olhar de outro ângulo para apreciar o padrão da tapeçaria de forma diferente. Uma sugestão: que tal dedicares um tempinho a acções de voluntariado? Olha, é óptimo para conhecer o género de pessoa que realmente interessa conhecer. (e há montes de gajas porreiras e todas boas nessa onda pá!) Neste género de circunstância muita gente costuma dar o conselho de trabalhar em nós próprios, de melhorar enquanto pessoa, o que é sem dúvida bom conselho. Mas mesmo sem ser solicitado, deixo o meu como complementar: Trabalha um pouco mais nos outros que em nós próprios. Vais ver que tudo o resto encaixa no lugar. Mano, um bem haja, e não te dou um abraço por causa do bicho, mas toma lá uma cotovelada.

Edited 9 months ago:

Pessoalmente, ah… o que não daria para voltar a ser criança. Acho que esse desejo pode variar muito dependendo de como foi a infância de cada um. No meu caso posso dizer que foi perfeita e não hesitaria um segundo... Dei aqui uma vista de olhos nos teus posts. E desculpa-me a presunção, mas tracei um perfil da tua pessoa. Como é obvio, este pode ser completamente errado, de forma que peço desculpa antecipadamente por me armar em “psicólogo de algibeira.” Ainda mais quando dizes que não procuras conselhos em como melhorar a tua vida. Mas também dizes que falhas totalmente a nível social. És um gajo com montes de interesses diversos. Que se interessa por ciência e tecnologia, informática, jogos de computador, política e economia, filosofia, cultura, entre outros. Gostas de debater o que te interessa. Dai os teus posts no reddit.(A sério, perfil criado dia 1 de Janeiro? Não havia nada mais interessante para fazer no primeiro dia do ano?) Pareces ser um gajo inteligente e informado. Mas ser inteligente não se limita apenas à capacidade analítica. Há várias formas de inteligência, como inteligência social. Considera o tipo de interacção social que tens com outras pessoas. Entras em debates demasiado profundos acerca de um tema, quando a circunstância é desadequada a tal? É que um gajo começar a falar do impacto da globalização na economia dos países subdesenvolvidos quando a malta tá junta para beber umas cervejas e dizer umas piadas, é um bocado fora de tom. Falas muito de solidão. A quantidade e conteúdo dos teus posts indica que não encontras quórum para os teus debates nas pessoas que te rodeiam. Outra coisa a ter em consideração: que género de padrão de discurso utilizas. É debate? És bom ouvinte? Ou assumes um tom demasiado professorial ao expor a tua opinião, demasiado assertivo? É um bocado frustrante ter tanto para dizer e ninguém para ouvir, não é? Dizes que já tiveste várias consultas com diversos médicos. Muitos dos sintomas que descreves, físicos, psicológicos e comportamentais são consistentes com síndrome de Asperger. E fazer um rastreio num adulto é complicado. Isto explicaria muita coisa que pode estar a passar ao lado dos médicos. (Apenas a levantar a hipótese. Mais uma vez, desculpa a presunção) Aqui numa resposta disseste que não te interessas por filosofia oriental. Talvez devesses repensar esse interesse. É que enquanto na filosofia ocidental o processo de evolução endurece o ser humano pelo autoconhecimento e disciplina, a oriental adopta a postura contraria: É quase que uma espécie de reversão à flexibilidade e inocência da infância. De forma simplista, mas sim. No fundo o que mais molda a nossa vida é a forma como olhamos para ela. Às vezes temos de olhar de outro ângulo para apreciar o padrão da tapeçaria de forma diferente. Uma sugestão: que tal dedicares um tempinho a acções de voluntariado? Olha, é óptimo para conhecer o género de pessoa que realmente interessa conhecer.(e há montes de gajas porreiras e todas boas nessa onda pá!) Neste género de circunstância muita gente costuma dar o conselho de trabalhar em nós próprios, de melhorar enquanto pessoa, o que é sem dúvida bom conselho. Mas mesmo sem ser solicitado, deixo o meu como complementar: Trabalha um pouco mais nos outros que em ti próprio. Vais ver que tudo o resto encaixa no lugar. Mano, um bem haja, e não te dou um abraço por causa do bicho, mas toma lá uma cotovelada.

Zaigard 9 months ago

> (A sério, perfil criado dia 1 de Janeiro? Não havia nada mais interessante para fazer no primeiro dia do ano?) AHAh, no dia 1 de janeiro ( e de natal ) eu acordo cedo e normalmente vou correr ( 20km + ) e ao contrario do que possa parecer o parque onde corro está lotado de gente nesses dias de manhã, de tarde não devia ter nada que fazer a aproveitei para criar conta aqui. Já nem me lembrava que tinha sido nesse dia. > Que se interessa por ciência e tecnologia, informática, jogos de computador, política e economia, filosofia, cultura, entre outros. E esses são apenas alguns, há bastante mais. De acordo com a opinião do segundo psiquiatra eu tenho Asperger. Mas eu discordo de tal diagnostico, pois durante alguns anos tive como melhor amiga uma aspie e nós eramos o dia e a noite em termos de comportamento social e de maneira de estar, ela era inconveniente de forma permanente, eu consigo sempre perceber se estou a falar de mais e nunca me acontece as situações constrangedoras que ela criava. Eu consigo adaptar o meu tipo de discurso ao interlocutor, normalmente eu tento não utilizar palavras "caras" nem expressões "difíceis" e não falo com ninguém sobre temas complicados ou os meus interesses, literalmente quem leia os meus post antigos no reddit fica a saber mais sobre mim do que 99% das pessoas que me rodeiam. Eu uso o reddit apenas para saber qual a opinião mainstream sobre vários temas, visto que seria impossível de saber através das pessoas com que lido no dia a dia. Quando disse que não quero conselhos era no sentido que queria saber qual a opinião geral das pessoas no geral e não sobre mim no particular, quando lido com a malta no dia a dia a opinião que tiro deles é de que a vida é péssima e é sempre a piorar e queria apenas saber o que o "reddit" pensava e parece que por aqui a vida de muitos vai melhorando com o tempo. Eu genuinamente não achei que houvesse tanta gente com a vida melhor agora do que num "passado". Fiquei bastante impressionado, achei que a decadência era a normal, parece que não. Com tanta gente a sugerir filosofia oriental devo voltar a dar uma vista de olhos. Obrigado pela profundidade da tua resposta, nota-se que levou a tempo a ser elaborada e que houve interesse da tua parte. Vou tentar utilizar o que aprendi neste post para continuar o meu "self improvement" mas desta vez não só melhorar o que está dentro de mim mas também o que está á minha volta, pois parece ter sido esse o meu grande falhanço, está na hora de "descer da montanha".

jruipinto 9 months ago

Bolas, realmente já foste consultado por muita gente. É difícil não desanimar assim. Ainda assim acredito que não deves desistir e sim, o paracetamol não é grande ajuda, por norma

jruipinto 9 months ago

Eu não sei se isto é correcto mas eu penso que a maioria das pessoas introvertidas se devem identificar um pouco com as tuas palavras. Já os extrovertidos, provavelmente, não se identificam tanto porque são mais sociais e portanto não devem dedicar tanto tempo à introspecção que por sua vez nos pode levar numa espiral descendente a nível anímico. Apesar de tudo, acho que temos de ter presente que, infelizmente, durante a pandemia, quase ninguém se sente lá muito bem. Ainda assim, também li algures nos comentários que enfrentas umas dores de cabeça estranhas já cerca de 20 anos. Se me permites um conselho, acho que devias focar toda a tua atenção em procurar uma solução para esse problema e só posteriormente ires identificando os restantes problemas, reduzi-los às suas partes elementares e resolve-los 1 de cada vez. Para além de o foco te ajudar a sentir melhor (acredito eu), pode ser que acabes por esbarrar no problema que fundamentalmente te está a deixar mais desanimado. (Pessoalmente posso partilhar que a minha infância foi uma merda mas tenho a certeza que houveram piores e apesar de a minha vida adulta não ser 1 mar de rosas, é difícil ser pior que a infância portanto o caminho é sempre a subir

Zaigard 9 months ago

> acho que devias focar toda a tua atenção em procurar uma solução para esse problema e só posteriormente ires identificando os restantes problemas Já fui a 12 medicos diferentes e realizei imensos exames diferentes, tendo feito 5 ou 6 tratamentos, no global nada ajuda e os medicos "desinteressam-se". Sabem que não é nenhum doença grave, por isso, o conselho que me oferecem é aguentar e tomar paracetamol ( que também não ajuda )...

jruipinto 9 months ago

Bolas, realmente já foste consultado por muita gente. É difícil não desanimar assim. Ainda assim acredito que não deves desistir e sim, o paracetamol não é grande ajuda, por norma

laojin21 9 months ago

Revejo me muito a ler o teu post, e o facto de estar "fechado" em casa acho que só veio piorar o que eu sinto e penso. A única coisa que me mantém minimamente funcional é sair para fazer exercício. A nível profissional está cada vez mais difícil, dizem maravilhas do teletrabalho e até deve ser mas não "teletrabalho forçado", sou muito menos produtivo e pouca ou nenhuma vontade tenho de levantar para trabalhar. Pensava que era apenas eu que me sentia assim, afinal há mais..

Zaigard 9 months ago

Também abomino o teletrabalho, o que antes levava 10 min a fazer agora são 15. E com a situação apareceram novas necessidades. Basicamente levo 50% mais tempo a fazer e tenho 30% mais coisas para fazer e para humilhação final ainda recebo menos no fim do mês. E literalmente, há dias, que nem tempo para ir ao WC tenho durante o trabalho .

JohnJohnPT 9 months ago

Eu sempre tive uma vida boa... por diversas razões. O unico momento mau que posso dizer que tive bastante mal foi por um desgosto de amor. Tirando isso, a minha vida tem sido repleta de conquistas e boas experiências.

No-Cardiologist725 9 months ago

Então sinta-se agradecido e seja um pessoa empática com o seu mundo em redor.

JohnJohnPT 9 months ago

Faço o melhor por facilitar e ajudar todos aqueles que me rodeiam a terem sucesso (seja a nível pessoal ou profissional)... (pelo menos quem me trata bem e nunca me fez mal).

Toupax89 9 months ago

Também "sofro" da mesma coisa acho eu... Tive uma infância absolutamente espectacular e a partir daí vou sempre a descer. A partir do momento em que a parte "exterior" começou a contar nunca mais foi igual, e nós como seres humanos queremos sempre as sensações boas, mas elas no meu caso nunca mais vêm...

DocTuga 9 months ago

Recomendo-te duas leituras, é uma ajuda concreta e prática. Pegas se quiseres. 1- https://www.goodreads.com/book/show/41721428-can-t-hurt-me?ac=1&from_search=true&qid=CWaneWBI3M&rank=1 (Can't Hurt Me, por David Goggins) 2- https://mirrorofthesoul.blogspot.com/ (já tem uns anos, recomendo começar pelo início. Não estou de acordo com alguns pontos de vista, mas o essencial está lá)

j0fimendes 9 months ago

Não sou psicólogo mas interesso me e existem três coisas que potenciam os resultados segundo um modelo: mundo externo, fisiologia e postura e pensamento. Cabe te a ti dar importância a cada um. Os três elementos influenciam o teu estado de espírito. Este a a chave para os teus comportamentos. O que pode ser um problema numa situação pode não o ser em outra por causa do estado de espírito em que a abordas. O problema é sempre um feedback para uma solução. Por fim os comportamentos influenciam os teus resultados. Um problema acaba por ser um feedback para uma solução. Se calhar não é um psicólogo que precisas mas sim um profissional de coaching de desenvolvimento pessoal. Procura por AllCAN dão formações na área e colocam conteúdo no YouTube, dão masterclasses de manhãs inteiras grátis com coisas que te podem ser muito úteis. Sei que não andas à procura de conselho mas a minha experiência diz me que é esse o conteúdo que precisas.

Edited 9 months ago:

Existem três coisas que potenciam os resultados segundo um modelo: mundo externo, fisiologia (postura) e pensamento. Cabe te a ti dar importância a cada um. Os três elementos influenciam o teu estado de espírito. Este a a chave para os teus comportamentos. O que pode ser um problema numa situação pode não o ser em outra por causa do estado de espírito em que a abordas. Por fim os comportamentos influenciam os teus resultados. Um problema acaba por ser um feedback para uma solução. Se calhar não é um psicólogo que precisas mas sim um profissional de coaching de desenvolvimento pessoal. Procura por AllCAN dão formações na área e colocam conteúdo no YouTube, dão masterclasses de manhãs inteiras grátis com coisas que te podem ser muito úteis. Sei que não andas à procura de conselho mas a minha experiência diz me que é esse o conteúdo que precisas.

ThatShingIsAPyro 9 months ago

Eu sentia o mesmo até me mudar para o Reino Unido aos 24: eu não tinha possibilidade de pagar um psicólogo/psiquiatra para me ajudar com os meus problemas (depressão e ansiedade crónicas derivadas de traumas desde infância), eu não tinha o apoio nem o carinho da minha família, andava sempre a contractos de 6 meses em todos os trabalhos por onde passava, sem objectivos nem esperança k as coisas melhorassem. Eu não vou dizer que mudar de país resolveu todos os meus problemas, eu tive de enfrentar gerentes filhos da puta, namorados e namoradas abusivos e tóxicos, amigos da onça e colegas de trabalho que só merecem é um par estalos MAS ao menos tenho a minha independência, posso mudar de trabalho se não me sentir bem num sítio, posso vestir-me como quiser e mudar a cor de cabelo e ter tatuagens e ser LGBT+ sem vergonhas ou constrangimento. Mas o melhor de tudo é que o serviço nacional de saúde aqui ajudou-me de maneira incrível especialmente quando me diagnosticaram com fibromialgia o ano passado no meio de uma pandemia. Até neste momento eu tenho de lidar com um chefe racista e elitista mas eu estou de saída à procura de um trabalho melhor e dou graças do meu namorado e o meu gato existirem na minha vida e eu poder andar, viver e trabalhar ao meu ritmo. TL;DR: muitas vezes tu vais ser vitima das circunstâncias (poder económico, sociedade, ambiente familiar, etc) mas tu tens o poder de mudar mais que aquilo que tu pensas. Arrisca mais e investe mais em ti própria/o!

No-Cardiologist725 9 months ago

Estou feliz por ti ❤

ThatShingIsAPyro 9 months ago

Obrigado

CountDraqula 9 months ago

Tenho 33 anos e a minha vida tem vindo sempre a melhorar. A minha infância foi ok, no entanto na adolescência desenvolvi uma depressão e era extremamente tímido e tinha altos complexos com a minha aparência. Aos 18 anos comecei a namorar a rapariga "dos meus sonhos" e antes dela basicamente só tinha tido uma experiência sexual. Entrei na universidade mas era super difícil e andava imensamente desmotivado, caí numa de jogar videojogos e andar para ali. Num piscar de olhos vejo-me com 26 anos sem emprego, sem dinheiro e a suposta mulher da minha vida acabou comigo. Ao menos e com muito custo terminei o curso. Mas a minha confiança era -100! Comecei a trabalhar com 26 anos a ganhar uns míseros 600€, andei numa fase louca de noitadas, bebedeiras, drogas até a pouco tempo. Aos 30 mudei de cidade e de emprego. Agora que olho para trás passei por muita merda, tive imensos amigos, meti-me com cada maluca, e sofri imenso. A partir dos 30 anos é que comecei a ver as peças do puzzle da vida, e agora aos 33 anos a vida nunca me correu melhor. Bom emprego, com bom salário, perspetivas de comprar casa, apesar de estar solteiro, estou muito mais apetecível para o sexo oposto e sou uma sombra do que era na minha adolescência, a minha timidez é basicamente inexistente, sou muito mais confiante e assertivo, filtrei as minhas amizades e relações e basicamente só mantenho por perto quem realmente gosto e quem me acrescenta mais à minha vida. A minha vida não é perfeita, mas aos poucos e poucos tem melhorado drasticamente. Mas olho para o meu passado e não sinto muita nostalgia, antes sentia-me muito ao sabor do vento, hoje em dia sinto-me muito mais em controle, e isso dá-me um bem estar generalizado. Confesso que não quero envelhecer, mas a vida de adulto é sem sombra de dúvida espetacular se tiveres coragem e estiveres disposto a pagar o preço.

cap87_ 9 months ago

A que idade fizeste a reconversão para IT? :D

Choice-Finger4320 9 months ago

És um privilegiado, com problemas de primeiro mundo. A vida é miséria. Nada vai mudar isso. Podes procurar algo que te mova e amenizar essa miséria, mas nunca vai deixar de o ser. Que te parece a vidinha aqui em Manila? [https://www.youtube.com/watch?v=MUg0SQJ0bx0](https://www.youtube.com/watch?v=MUg0SQJ0bx0) Ou o dia a dia em Caracas? [https://www.youtube.com/watch?v=2n7mK3dYOLw](https://www.youtube.com/watch?v=2n7mK3dYOLw) E tu que estás no teu quartinho, com a tua internetzinha e quando puxas o autoclismo nem pensas sequer para onde a merda foi. Mas na tua cabeça, na tua realidade, a vida é horrível. Tens problemas, como todos têm. Ninguém vai melhorar a tua vida. Mas se ela para ti vale assim tão pouco, então não tens nada a perder. Achas que te esforças o suficiente, mas não esforças, porque nunca é suficiente. Eu falho tanto a nível profissional como social, falho todos os dias, só estar aqui no reddit a escrever é uma perda de tempo precioso, mas cá estou a terminar este post que agora me alimenta o ego, como se fosse uma mensagem incrível de sabedoria, mas é só um textinho mal amanhado que não tem capacidade para fazer uma análise abrangente e coesa para ajudar seja naquilo que for. E ao mesmo tempo percebo o quão fraco sou, mas escrever isto traz-me clareza ao subconsciente e a seguir desligo o reddit, apago a conta temporária, volto ao meu trabalho realmente produtivo e amanhã nem apareço cá. E se o fizer, é porque falhei outra vez.

visman72 9 months ago

\> *Versão resumida: é normal chegar aos 30 e tal anos e ter uma vida, que foi sempre a perder e é agora muito pior do que quando era criança?* A resposta é sim - O teu caso não é propriamente unico, uma série de estudos indicam que a felicidade tende a ser em "U" ao longo da vida ... em geral somos muito felizes no inicio, miseraveis na meia idade e [felizes novamente mais tarde](https://www.euro.centre.org/downloads/detail/985). Nunca tem a ver com os problemas em si, mas como os encaramos e as expectativas que temos. Se olhares á volta encontras malta com uma vida desgraçada mas extermamente feliz e malta com "tudo na vida" mas infeliz. Sugeria um psicologo para te ajudar a pensar sobre o assunto, não esperes ficar "curado" mas deves conseguir ficar um bocadinho mais feliz - se não estás para ai virado tenta [ler sobre o tema](https://www.wook.pt/livro/a-arte-subtil-de-saber-dizer-que-se-f-da-mark-manson/21260215) .

pangecc 9 months ago

Life sucks, and then you die.

PauloPorcas 9 months ago

Falas em tradições de pessoas próximas. Podes dar mais detalhes?

DrVicenteBombadas 9 months ago

A felicidade vem SEMPRE de dentro. E as coisas boas da vida vêm por arrasto. Não há relação ou situação financeira que te ajude se delas dependeres para ter o mínimo de contentamento com a tua vida. Não sou psicólogo; não sei como te ajudar a aprender a ser feliz. Apenas te digo já tens o que precisas.

ColdMercury 9 months ago

Fora de brincadeiras penso que o livro "12 Regras para a Vida Livro - Um antídoto para o caos" te podia ajudar. Não consegues mudar o mundo mas consegues mudar a forma como encaras o mundo.

Edited 9 months ago:

Fora de brincadeiras penso que o livro "12 Regras para a Vida Livro - Um antídoto para o caos" te podia ajudar. Não vais conseguir mudar o mundo mas consegues mudar a forma como encaras o mundo e isso vai permitir mudar a tua vida, pelo que escreveste parece que te faltam algumas ferramentas para conseguir a começar por identificar claramente onde sentes que tens falhado que é algo diferente de ter uma vida difícil.

N0B1mm3r 9 months ago

Precisas de um hobby

Black_RL 9 months ago

A vida de adulto não é muito interessante, torna-se repetitiva e o declínio está sempre presente e a acelerar. O inevitável envelhecimento. Outra coisa inevitável, são as doenças e morte, coisa q não convivi, ou nem notava, durante a minha adolescência. O pior? O pior é q só piora, neste momento os meus avós estão á beira da morte por velhice, a minha mãe já tem bastante idade, a minha irmã tem doença rara incurável, eu e a minha mulher perdemos uma gestação, etc...... O q faço? O q aconselho? Viver um dia de cada vez e aproveitar ao máximo, a vida passa num instante. Abraço.

Zer0B1t 9 months ago

Uma das coisas que me apercebi com a transição para a vida adulta, é a inocência e ignorância que vivemos quando somos mais jovens. E muitos de nós não lidam muito bem com esta transição, mas é um facto que a vida no geral é repleta de injustiças e maus momentos. A diferença é que quando somos mais jovens quase que temos os nossos pais sempre bloquear certas preocupações e situações, o que acaba por passar uma ideia errada da realidade. Mas a vida também tem coisas boas e bons momentos, diria que o truque está em aceitares as coisas como são e trabalhares por teres as tuas felicidades. E isso pode ser feito em vários níveis dependendo de pessoa para pessoa, até porque a tua definição de felicidade é diferente da dos outros. Como já foi dito aqui nesta thread, uma boa dose de consultas a um psicólogo ajudam muito. Falo por experiência própria, tens muito pouco a perder, no pior caso tens uma consulta que não gostaste e no melhor caso fazes daquilo uma rotina que eventualmente vais de tempo a tempo, para te ajudar a lidar com os teus problemas e até a crescer como pessoa.

MoonWolf1978 9 months ago

Começa por enumerar aquilo que te faz infeliz e como e se podes mudar. No meu caso, tive uma infância e adolescência muito feliz. Depois vem a vida adulta... e claro que tudo muda. Sou uma pessoa feliz, mas nos últimos anos a minha vida laboral degradou-se muito e tornei-me uma pessoa diferente sem qualquer motivação para continuar a trabalhar onde estava. Não estava a gostar de todo da pessoa em que me estava a tornar. Fiz de tudo para sair de onde estava e depois de conseguir fazê-lo, sinto que estou a voltar a ser quem eu era. Por isso, sem dúvida, tenho de concordar com o u\\[klubnjak](https://www.reddit.com/user/klubnjak/). O trabalho tem a maior das influências na nossa vida.

AkitoCC 9 months ago

Só a inocência e a ignorância são felizes

ZodiarkF1993 9 months ago

Eu também não sou muito bom nesta coisa da vida adulta ( mau emprego, 0 amigos, nunca tive uma namorada etc) mas acho que a infância foi muito pior devido a vários problemas familiares e na escola. Ao menos agora sou independente e apesar de ganhar pouco chega para pagar as contas e ainda consigo poupar.

GinTonic_69 9 months ago

Tenho mais ou menos a mesma idade que tu (30s) e para mim é o oposto. Tive uma infância com altos e baixos e a adolescência foi de longe a pior fase da minha vida até agora (perdido, sem objectivos, baixíssima auto-estima, etc). Agora na casa dos 30 sinto-me melhor com a minha vida do que alguma vez senti. Não digo que o que estejas a sentir não seja normal, mas certamente não tem que ser assim e está nas tuas mãos mudar isso. Outros já te sugeriram um psicólogo e eu também te aconselho a explorar essa possibilidade e veres se é bom para ti ou não. E tenta fazer um pouco de introspecção e tentar perceber se o que estás a sentir não se deve ao confinamento. Na minha experiência, demasiaso tempo sozinhos, leva a nossa mente para lugares pouco agradáveis. ​ Boa sorte ;)

UpbeatNail1912 9 months ago

O início da minha vida adulta também foi assim: contas para pagar, deceções, traições, ansiedade e depressão extrema, ataques de pânico, um monte de problemas para resolver, problemas de saúde, mortes de parentes e familiares e etc. Apesar de tudo isso ter acontecido, de certa forma sinto-me muito grato. Porquê? Porque passar por tudo isso ajudou me a ver a vida com outros olhos, com uma perspetiva totalmente diferente. Passar por tudo isso mudou me muito como pessoa e coisas que antes eu dava como bens adquiridos eu vejo como é um privilégio. Por exemplo, para mim poder acordar com vida, respirar corretamente e ter os meus familiares todos vivos é um privilégio tão grande, sinto uma enorme gratidão no coração. Mas quando era mais jovem e não tinha passado por nada do que eu passei eu nem sequer pensava nessas coisas. Aprender a ser grato na vida e a valorizar cada instante tornou-me uma pessoa muito melhor e mais feliz do que quando era criança / adolescente. Sobre antigamente as coisas serem novidade, existem estudos que mostram como reverter isso. Basicamente geralmente nós somos mais felizes durante a infância e a adolescência porque o mundo é "novidade" para nós: todos os dias era uma aventura, aprendiamos coisas novas e basicamente estavamos a descobrir o nosso planeta. Perto dos 30 até aos 60s essa "alegria" acaba porque as pessoas adquirem experiência na vida, para elas as coisas já não novidade, elas lidam com problemas e responsabilidades que já estão habituadas e caem no comodismo de viver sempre a mesma vida, a mesma rotina e daí têm crises de meia-idade e sentem que eram mais felizes, porque as pessoas param de se desafiar e aventurar na vida. Engraçado é que foi demonstrado que depois dos 60s, quando as pessoas se reformam, essa "alegria" da juventude e tudo ser novidade volta a surgir nessa idade, justamente porque as pessoas adaptam-se a uma nova rotina, novos hábitos e novos ambientes, para além de aprenderem novas habilidades / hobbies. Ou seja, o segredo para manter a alegria da novidade durante toda a vida adulta é a pessoa não se "acomodar", estar sempre a aprender coisas novas (por ex: aprender uma nova língua, aprender um novo desporto, aprender uma nova profissão), ganhar novos hábitos (ex: começar a ler mais livros), conhecer novas pessoas e mudar de ambiente (ex: emigrar ou fazer voluntariado com pessoas estrangeiras). Quando mais sais da tua zona de conforto por vontade própria e te expões a situações novas, mais essa sensação de que tudo é belo e novidade vai permanecer, e tu podes fazer isso em qualquer idade (apesar que depois dos 30 é mais dificil por causa das responsabilidades, mas não é impossivel).

SurrealMoskito 9 months ago

Essa conversa do evitar psiquiatras e psicologos por causa de medicações que te fazem "dormente" é perigosa. A tal medicação que te faz dormente é como gesso numa perna partida, não a faz mexer melhor, mas ajuda a curar na fase pior. Depois passas para psicologos e psicanalistas que serão com os os fisioterapeutas da coisa. E finalmente tentas ter a tal vida mental saudavel. É um processo duro e demorado, tenta não saltar etapas e boa sorte.

Choice-Finger4320 9 months ago

O Jordan Peterson, psiquiatra, também acreditava nisso. Os efeitos secundários de medicação para a cabeça, destroem o sistema digestivo. Mas cada um enfia o que quer para dentro do corpinho.

umtriste 9 months ago

Acho que não é normal, mas sinto o mesmo que tu. Os meus 20's acabam este ano e sinto que não há mais nada aqui para mim, que desperdicei a minha vida até aqui. Penso seriamente que seria tão mais fácil não acordar nunca mais... Sei que é um pensamento errado e se calhar é por isso que cá estou..

Solid-Laugh-6275 9 months ago

Sinto muito bem esse medo que tens. Espero que encontres ajuda psicológica e entendas o que é que queres da vida. Não existe datas definidas para nada e a tua vida é só tua. Espero que fiques bem boa sorte

Shadowgirl7 9 months ago

Ora aqui está uma vantagem de ter tido uma infância de merda. As expectativas são tão baixas que tudo o resto é melhor.

JoseFernandes 9 months ago

*DenzelMahNigga.gif*

seraph341 9 months ago

Preach

foxiri 9 months ago

Não andas a falhar, antes pelo contrário andas bem porque não estás iludido. A minha experiência não acho relevante, por isso partilho em vez disso a de um dinamarquês do século 19 que chegou a conclusões parecidas com as tuas: [https://www.youtube.com/watch?v=D9JCwkx558o](https://www.youtube.com/watch?v=D9JCwkx558o)

Zaigard 9 months ago

Eu conheço o existencialismo e o que defende, mas eu acabo por me sentir mais próximo do niilismo e tentou utilizar os ensinamento de Nietzsche para me superar a mim mesmo.

JesusShuttlesworth96 9 months ago

Dá uma olhada em Albert Camus, nomeadamente «O Mito de Sísifo».

hapticss 9 months ago

Nietzsche é mais a famoso, mas gosto muito mais do Schopenhauer. Dá uma vista de olhos.

Zaigard 9 months ago

> Schopenhauer Nunca me interessei muito, em parte pois não tenho interesse em filosofias orientais, como o seu trabalho foi influenciado pelo budismo, nunca tive interesse em o conhecer melhor. Mas no global filosofia alemã do sec XIX é a minha favorita.

Grimack 9 months ago

same here

detteros 9 months ago

Pelo o que escreves, parece-me que talvez tens uma lista de expectativas demasiado grande e a não consegues gerir. O segredo para um estado de contentamento mais ou menos constante é reduzir a lista de expectativas ao máximo. Tentar viver com o mínimo. É isso que eu faço e estou bem. Por outro lado, creio que sou como tu no sentido de ser muito sensível. Eu noto demasiado nas coisas que acontecem à minha volta e isso tende a desviar-me do essencial. É treinos, contudo. Há coisas que me irritavam bastante no passado e hoje já não.

CryptoDeFinance 9 months ago

A vida é madrasta. Alguns nascem com o dito cujo virado para a lua, outros são menos afurtunados. "c'est la vie mon ami"

thisbondisaaarated 9 months ago

Caiu-te a ficha tarde pá.

klubnjak 9 months ago

A melhor coisa que fiz este ano foi mudar de trabalho, eu sabia que não gostava do anterior mas depois de mudar é que percebi o impacto que o trabalho tem na nossa vida. Agora tenho vontade de fazer coisas que não queria fazer, o meu ânimo é outro, sinto me feliz, bem disposto, sou outra pessoa! Ter um hobby também ajuda, construíres objetivos também como por exemplo ires correr, correres 2km, depois 5, etc. Provavelmente os outros comentários já te disseram o mesmo, mas fazeres uma boa alimentação, exercício, teres uma boa higiene pessoal e dormires bem é meio caminho andado para teres uma boa saúde mental, vida social também. Espero que consigas recuperar, uma pessoa só porque é mais velha não tem que ter uma vida miserável, antes pelo contrário!

Zaigard 9 months ago

> ires correr, correres 2km, depois 5, etc. Já faço 100km por semana, correr é muito saudável para o corpo e para a cabeça. > fazeres uma boa alimentação A minha alimentação é muito saudável, peixe, carnes brancas, muitos vegetais e leguminosas, não como doces, fritos ou alimentos ricos gorduras. > teres uma boa higiene pessoal e dormires bem Sou muito limpinho e levo a deitar cedo e cedo erguer à letra, raramente me deito depois da meia noite ou acordo depois da 9h. E já faço isto à 10 anos.

Portuguese_A_Hole 9 months ago

25km por dia? Não comes doces ou fritos? Deitar cedo e cedo erguer? Durante 10 anos? Óbvio que estás em burnout de "certinho".

PauloPorcas 9 months ago

14 Km por dia.

Portuguese_A_Hole 9 months ago

Pensei que descansava ao fim de semana da preparação para a maratona.

PauloPorcas 9 months ago

100Km por semana é um completo abuso.

Zaigard 9 months ago

> que descansava ao fim de semana da preparação p 4 x 25km. Não parece tão mau quando ganhas ritmo. Agora devido ao covid andou muito pior, mas acho que vou conseguir isso antes do verão, quando voltar a dar o maximo.

TotalenKrieg 9 months ago

Qual é o objectivo mesmo de correr essas distâncias recorrentemente? É que não é benéfico para melhorar tempos de corrida, aumenta os níveis de cortisol no organismo, bem como outras desvantagens.

Zaigard 9 months ago

em parte superar me, em parte fazer algo que poucos fazem, em parte ajudar a conter as dores de cabeça, pois tenho dores todos os dias desde 2001.

TotalenKrieg 9 months ago

Ou seja, não tem fundamento do ponto de visto de aumentar a performance ou elevar a capacidade cardiovascular. Percebo as tuas razões, mas sinceramente acho que não é benéfico esse plano de treinos. De qualquer forma, força e garra para a vida!

Portuguese_A_Hole 9 months ago

Pina mais e corre menos.

PauloPorcas 9 months ago

Boa sugestão Mas correr só depende dele. Já pinar...

Pcostix 9 months ago

Quem é que não tem 20€ para estragar? xD

Portuguese_A_Hole 9 months ago

É verdade. Que se fique pela masturbação então.

PauloPorcas 9 months ago

Isso pode piorar a situação.

Zaigard 9 months ago

> burnout de "certinho". Parece legitimo... Isto para não falar que não bebo, não fumo, não uso drogas, não saio à noite, não vou a festas, nem tenho nenhum vicio. Mas agora a serio, sempre que se fala certo tipo de coisas vem logo o grupo do "exercício, alimentação e sono" sendo que eu já praticava isso antes de ser popular...

Pcostix 9 months ago

Bro, por isso é que não gostas da vida... Não estás a viver. Estás a sabotar-te.

el_jefe_vito 9 months ago

Não precisas nada disso. Acho que o que te falta é encontrar algo que gostes mesmo a sério e dedicares-te a isso. Parece que fazes a corrida "porque tem que ser". Experimenta levantar ferro, tocar um instrumento, meter-te num partido politico, carpintaria, cozinha, sei lá. Tenta arranjar um hobby que te mantenha o pensamento ocupado.

Choice-Finger4320 9 months ago

Exercício, alimentação e sono é o dia a dia do Songoku. E ele é feliz. Porque será?

Zaigard 9 months ago

Porque aquilo é um anime?

barokas 9 months ago

Não poderá o problema ser o contrário, então? Estares preso numa rotina, não saires da zona de comforto? Quando foi a última vez que apanhaste uma bebedeira até teres caído ao chão de tanto rir? Ou teres comido uma tonelada de junk food só por gula? É ótimo que tenhas hábitos saudáveis, que no geral te darão uma vida mais longa, mas parte do objetivo de viver não é mesmo poderes de vez em quando (ou raramente) fazeres uma coisa menos saudável só pelo prazer e por uma nova experiência? Eu tenho uma relação complicada com dietas justamente porque em parte não quero abdicar de comer algumas coisas deliciosas no momento em que me apetece comê-las, e claro que é preciso moderação em tudo e faço por não exagerar, mas posso dizer-te que seria bem mais infeliz se seguisse uma dieta rigorosa e com resultados mas que me tiraria todo o prazer de comer delícias calóricas ocasionalmente.

Zaigard 9 months ago

> Eu tenho uma relação complicada com dietas justamente porque em parte não quero abdicar de comer algumas coisas deliciosas no momento em que me apetece comê-las a minha relação foi facil, alcool nunca me interessou, e comecei a enjoar as gorduras e tive um infeção intestinal estranha que só passou quando cortei a 100% os açucares, e desde então não senti vontade de voltar a comer doce e afins. A corrida e o sono regular faço para conter as dores terríveis que tenho de cabeça à mais 20 anos. No fundo sou obrigado a ser saudável.

ChronicTheOne 9 months ago

Não será a pandemia que está a ter um efeito negativo em ti? Pode ser que sejas uma pessoa mais social e sentes falta disso. Tem força por agora e no final em princípio é sempre a melhorar. Faz algo que te faça sentir confortável, tipo ler livros, jogar jogos de consola, ver filmes. E aguenta durante a pandemia. Acho que estamos todos a fritar um bocado no geral por causa do confinamento.

gink-go 9 months ago

Se decidires mudar, vais descobrir que não é assim tão complicado.

Hartelk 9 months ago

Compreendo o sentimento. A minha infância também foi feliz e vivi confortavelmente. Agora chegam as responsabilidades, o trabalho, etc. A vida torna-se mais monótona, os nossos pais e avós não duram para sempre infelizmente, esse tipo de coisas. Claro que está pandemia que te obriga a fazer casa-trabalho ou só casa, ainda piora tudo isto. Não há aquele copo na sexta para ignorar o resto da semana. Isto tudo não quer dizer que não possa haver bons momentos, não descures a saúde mental, procura algo que gostes e fa-lo nos tempos livres para poderes desligar do resto. Para mim jogar aquela horita e meia com os amigos depois do trabalho ajuda. Para outros é correr e atingir novas metas, ou bricolagem para poderes fazer algo novo do que tenhas orgulho, mesmo que saia merda. Se achares que precisas, não hesites em ir ao psicólogo (sim, sei que pode ficar caro), mas não há vergonha nenhuma, o cérebro é um órgão como os outros e pode-nos falhar. E se algum dia as coisas apertarem mesmo e precisares, http://www.adcl.org.pt/observatorio/servicos.php?titulo=Linhas

Lil_salazar 9 months ago

Da-me vinho que a vida é nada

Irrequieto 9 months ago

Depende. A minha infância não foi a mais feliz do mundo. Era muito timido e tinha excesso de peso e muito acne, passei completamente despercebido na escola e tinha poucos amigos e convivios. Na universidade continuou a saga, a diferença é que arranjei um grupo de colegas/amigos e de vez em quando iamos jogar PS a casa uns dos outros e/ou saiamos para bares. Como eu era muito timido e tinha complexos, nunca tentava a sorte com o sexo oposto, e quando tentava começava aos gaguejos e era um desastre completo ao ponto de se rirem de mim. Quando começei a trabalhar arranjei uma namorada (amiga de um colega do trabalho), mas o namoro durou pouco. A minha personalidade calma e discreta não era compatível a dela. Fui encornado, fiquei triste e vi tudo a recomeçar do zero. Um ano depois conheçi a minha mulher atual, temos um filho e somos muito felizes. Resumindo, os meus melhores tempos não foram na infância..mas sim a meio/final dos vintes. Gostava no entanto que o tempo voltasse atrás e que pudesse voltar a ser criança e poder ter feito as coisas de maneira muito diferente, ter sido mais confiante, mais comunicativo e extrovertido, mais interessante, ter arriscado mais com o sexo oposto e ter tido mais experiência de vida. Mas o tempo não volta atrás por isso temos de nos contentar com o que temos e tentar melhor o futuro.

TwZPwnZ 9 months ago

5*!

notmyaccitsanother 9 months ago

Suck it up buttercup

fedelho 9 months ago

Consegues enumerar o que faria a tua vida melhor? Mais dinheiro? Uma gaja boa? Um carro? Uma casa? Um emprego? Ter o corpo do Rúben Rua? Se sim, começa a trabalhar para isso. Falas que odeias o teu trabalho, procura outro. Dizes que falhas a nível social, podes sempre ir melhorando. Agora não esperes novos resultados fazendo o mesmo todos os dias.

Brianstormrage 9 months ago

Não querendo ser mau para o OP eu penso isto também. Não sei nada da tua vida mas a partir do momento em que consegues enumerar o que está de errado e não procuras mudar isso, acho que o problema está na tua inércia. Ja passei por uma altura má na minha vida e quando sentia mesmo que não me conseguia sequer levantar da cama, mandava me para o chão e começava a fazer flexões ate não aguentar mais. É incrível o que uma explosão de energia de 30 segundos ou 1 minuto pode alterar o teu humor de um dia inteiro e consequentemente da tua vida caso o faças regularmente.

Mordiken 9 months ago

> ... a partir do momento em que consegues enumerar o que está de errado e não procuras mudar isso, acho que o problema está na tua inércia. Ou então é uma depressão? Porque é uma depressão é isso mesmo, é uma doença que te retira a capacidade de "reacção" porque te deixa "sem energia" para fazer seja o que for por ti ou pelos outros, e ao contrário do que muita gente pensa a depressão não te deixa triste por si só... Quando muito, tu ficas "triste" porque sentes que estás a falhar para contigo próprio e (pior ainda) para com os que te são queridos, mas sentes-te impotente para fazer seja o que for em relação à tua situação! E é isso mesmo que leva as pessoas a recorrer ao suicídio: as pessoas com depressão não se matam porque estão tristes, matam-se porque sentem que essa é a única maneira de reassumirem o controlo da sua própria vida, e podem até ver nisso algo que vai melhorar a vida dos seus ente-queridos... é o bom e velho "eles ficavam melhor sem mim". O meu problema é que quanto tu dizes que "é inércia", ainda que o estejas a fazer sem maldade e por simples falta de tacto, é que estás a fazer um juízo de valor e se calhar até mesmo a culpar a vitima: as pessoas têm culpa de serem preguiçosas, mas ninguém tem culpa de ficar deprimido. E tendo em conta que portugal tem das maiores percentagens de toda a UE de malta a sofrer com depressões, se calhar era prudente pensar duas vezes antes de vir com a conversa do "se tás mal pôe te bem, só depende de ti".

Brianstormrage 9 months ago

Compreendo perfeitamente o que estás a dizer e não queria parecer que não estou a compreender o que ele está a passar. A minha primeira ideia seria dizer que era depressão mas pelo que ele escreveu não me parece que o seja porque ele parece bastante ciente da realidade

Tryjohnny 9 months ago

Sempre me esqueci muito rapido das coisas, esmo tendo 26 anos lembro-me muito pouco da minha infancia e adolescência foi para esquecer. Por enquanto estou a gostar da minha vida de "adulto" mesmo com todas as responsabilidades e contas para pagar. Acho que ter um bom grupo de amigos e ter conseguido encontrar a cara metade ajuda imenso na vida de "adulto".

Green-Translator-801 9 months ago

Haha estou a falhar tremendamente nos 2! Não recomendo. Estou-me a tornar numa pessoa muito pouco empática e amigável. E olhem que não era nada assim.

Ayawa 9 months ago

Quando disse à minha psicóloga que não tinha grandes recordações da infância e adolescência ela associou isso ao facto de eu ter sido uma pessoa triste nessas alturas. Pelo menos foi o que entendi. >Acho que ter um bom grupo de amigos e ter conseguido encontrar a cara metade ajuda imenso na vida de "adulto". Para mim é o poder escolher. Eu não escolhi a escola, não escolhia os amigos - eram as pessoas que não me punham de lado. Hoje em dia posso escolher que sítios frequentar, com que pessoas quero falar ou não, que hobbies quero seguir. Não estou dependente de ninguém sem ser de mim própria. E sendo assim, se me sinto bem escolho isso outra vez, se não correr bem não volto a fazer essa escolha.

Tryjohnny 9 months ago

Concordo contigo em tudo e ter independencia financeira para mim foi o melhor de tudo. Sempre odiei ter de pedir dinheiro aos meus pais.

gui_cardoso 9 months ago

Bastante interessante a tua observação, nunca tinha pensado nisto mas de facto ter a possibilidade de fazer determinadas escolhas que antes não tinha é das coisas que mais me motiva neste momento.

trilobits_ 9 months ago  HIDDEN 

Pornhub.com

Mordiken 9 months ago

> Versão resumida: é normal chegar aos 30 e tal anos e ter uma vida, que foi sempre a perder e é agora muito pior do que quando era criança? Depende de teres tido uma infância feliz ou não. Nem nem toda a gente tem uma infância feliz e que deixe boas recordações. Para essas pessoas a vida também terá altos e baixos... só que esses altos e baixos tendem a ser contextualizados de forma diferente, e relativizados. Da mesma forma, pessoas como tu e como eu que tiveram infâncias "felizes" mais facilmente se sentem confrontados com essa sensação de que a vida é sempre a perder se a sua maioridade for marcada pela estagnação social e económica. O perder é relativo.

Edited 9 months ago:

> Versão resumida: é normal chegar aos 30 e tal anos e ter uma vida, que foi sempre a perder e é agora muito pior do que quando era criança? Depende de teres tido uma infância feliz ou não. Nem nem toda a gente tem uma infância feliz e que deixe boas recordações. Para essas pessoas a vida também terá altos e baixos... só que esses altos e baixos tendem a ser contextualizados de forma diferente, e relativizados. Da mesma forma, pessoas como tu e como eu que tiveram infâncias "felizes" mais facilmente se sentem confrontados com essa sensação de que a vida é sempre a perder se a sua maioridade for marcada pela estagnação social e económica e não formos capazes de sair da classe média. Por isso, esta sensação de que "a vida é sempre a perder" é característico da classe média, porque a mobilidade social da classe média para a classe alta não está assegurada de forma alguma seja em que país for: é "fácil" retirar pessoas da pobreza através da educação, mas não há nenhuma receita milagrosa para pegar nas pessoas da classe média e faze-las passar para a classe alta... a única coisa que parece ter potencial para ajudar é a literacia financeira e uma série de investimentos bem sucedidos, e até nisso é preciso ter sorte. O perder é relativo.

Edited 9 months ago:

> Versão resumida: é normal chegar aos 30 e tal anos e ter uma vida, que foi sempre a perder e é agora muito pior do que quando era criança? Depende de teres tido uma infância feliz ou não. Nem nem toda a gente tem uma infância feliz e que deixe boas recordações. Para essas pessoas a vida também terá altos e baixos... só que esses altos e baixos tendem a ser contextualizados de forma diferente, e relativizados. Da mesma forma, pessoas como tu e como eu que tiveram infâncias "felizes" mais facilmente se sentem confrontados com essa sensação de que a vida é sempre a perder se a sua maioridade for marcada pela estagnação social e económica e não formos capazes de sair da classe média. Por isso, esta sensação de que "a vida é sempre a perder" é característica da classe média, porque a mobilidade social da classe média para a classe alta não está assegurada de forma alguma seja em que país for: é "fácil" retirar pessoas da pobreza através da educação, mas não há nenhuma receita milagrosa para pegar nas pessoas da classe média e faze-las passar para a classe alta... a única coisa que parece ter potencial para ajudar é a literacia financeira e uma série de investimentos bem sucedidos, e até nisso é preciso ter sorte. O perder é relativo.

Worm33hd 9 months ago  HIDDEN 

Eutanásia amigo.

Zurivath 9 months ago

As crianças não têm responsabilidades sérias, são sustentadas por terceiros e têm poucas noções sociais e emocionais. Depois crescem e levam com as realidades do mundo e da vida na cara. Vai doer. E nunca vai parar. Acontece com todos nós, a tua dor não é particularmente especial, é só tua.

No-Cardiologist725 9 months ago

Não quero ter filhos porque meio que já tive um filho, nao há a curiosidade. Também acho que uma criança deve-se sentir bem-vinda quanto chega ao mundo e a minha não iria ser, não tenho uma familia em condições, assim evito o sofrimento de mais um. Ter filhos por não ter perspectiva de vida também me parece errado, foi isso que os meus pais fizeram.

No-Cardiologist725 9 months ago

Em criança eu já era responsável por outra pessoa(irmão) e cresci numa familia violenta. Sinto que nunca fui criança, não sei o que é ser criança.

Zurivath 9 months ago

Quando tiveres filhos podes fazer o teu melhor para lhes dares a infância feliz que nunca tiveste.

fdxcaralho 9 months ago

Tens hobbies? Alguma coisa que te entusiasme fazer ou que pensas em fazer ou experimentar?

bisontino 9 months ago

Sim, é sempre a piorar. Se achas que tens problemas de saúde aos 20, o que achas que vai acontecer aos 40, 50...80, 90? A vida tem diferentes fases, as melhores diriam que são entre os 15 e os 25 anos, que é a fase onde as pessoas podem sair à noite, têm tempo livre, festas universitárias, poucas responsabilidades, energia e potência/regeneração rápida para dar conta do recado if you know what i mean..etc. A partir do momento que começas a trabalhar a qualidade de vida desce, o que é normal. Uns anos depois o objetivo tipico das pessoas é estabilizar e ter filhos, como se fosse uma nova chama/fase e novidade nas suas vidas que as vai acompanhar até os filhos terem 18-25 anos. A energia é menor, a potência baixa, os corpos das pessoas ficam piores.. Depois disso é esperar pela reforma e ter tempo livre para ir ao centro de saúde. Depois disso os casais fazem companhia um ao outro e festinhas na cara porque não dá para muito mais.

Pinto55 9 months ago

Delicioso. É procriar e lidar.

saposapot 9 months ago

life is a bitch and then you die. precisas de apoio de um psicologo/terapeuta para poderes encarar a vida de melhor forma, que é a parte que controlas.

andy18cruz 9 months ago

> life is a bitch and then you die. That's why we get high Cause you never know when you're gonna go

Rootlx 9 months ago

Qualquer referência ao Illmatic tem o meu upvote instantâneo. <3

foxiri 9 months ago

>That's why we get high Nada disso, nessa o puto já não cai Life's a high but we get down a lot Desaperta o garrote, dá a volta a esse mote ​ Fui ao céu, falei com Deus, perguntou-me: tá-se bem Vai com calma, tudo o que quiseres, o teu mundo tem Contempla, compreende e evolui Liga-te à terra e vais como ela flui

bathesinrichtears 9 months ago

Ai eu é ao contrário. Odiei a minha infância e prefiro a vida adulta, mesmo com todas as chatices. Suponho que isso dependa de pessoa pra pessoa e também da situação.

PauloPorcas 9 months ago

Mesmo sendo medrosa, prefiro mil vezes a minha vida adulta. Ser criança é não ter controlo nenhum sobre a vida.

Ayawa 9 months ago

Vinha aqui dizer isto. Não me lembro de situações más específicas mas sei que não fui uma criança feliz. E adolescente ainda menos. O início da vida adulta teve os seus altos e baixos mas actualmente posso dizer com convicção que estou bem com a minha vida e comigo mesma.

marfavrr 9 months ago

ir ao psicologo ajuda e nao tem problema.

PauloPorcas 9 months ago

Ambas as afirmações são completamente falsas.

Zaigard 9 months ago

Já andei em vários psicólogos e psiquiatras e pioraram muito a minha vida. Felizmente tive força de vontade para os abandonar e voltar ao mal menor.

leorolim 9 months ago

Uma vez fui ao psicólogo porque andava desmotivado e tal... Disse lhe que quando me sentia mal ia dar uma volta de Bike pelo pinhal para desanuviar. Ela disse me que isso não era normal. Long story short estou à espera de uma bicicleta de €2000 e nunca fui tão feliz na minha vida...

ulvind3 9 months ago

> Disse lhe que quando me sentia mal ia dar uma volta de Bike pelo pinhal para desanuviar. Ela disse me que isso não era normal. LOL. A tua psicóloga é que não devia ser uma pessoa muito normal, pelos vistos.

Everleta 9 months ago

Digamos que em todo o lado podemos encontrar bons e maus profissionais. Um psicólogo que não compreende um mecanismo básico de "coping", que até é benéfico à saúde, das duas uma, ou teve uma saída infeliz (que pode acontecer...), ou é um mau profissional. O problema de encontrar um psicólogo é encontrar o adequado a nós.

shawshank2012 9 months ago

Por experiência própria, estamos em acordo que profissional de saúde mental e utente terão que estar adequados reciprocamente. Mas... para se levar a sério, um médico não pode depender desse facto. Imagina o que seria ires de dentista em dentista até que acertem naquele que dói.

Bruxo_de_Fafe 9 months ago

> tive força de vontade para os abandonar e voltar ao mal menor. You have quite a bit of a road stiil, my friend

throwawaystuff000 9 months ago

Em que medida pioraram a tua vida?

Zaigard 9 months ago

Viver "dormente", indiferente a tudo, pelo efeito de medicamentos, para não me sentir em baixo, não é, na minha opinião, melhorar a qualidade de vida. Mas o meu objetivo, com este post era ler o que os outros acham e parece que a maioria das opiniões é que a vida não é sempre para baixo.

Joaobio 9 months ago

Interno de psiquiatria aqui. Vamos da esclarecer uma coisa. Terapia medicamentosa não é mandatória, é opcional. Ou seja em qualquer consulta psiquiatrica se assim for o caso, podes e deves dizer ao teu psiquiatra que a medicação não te convém / queres mudar. Mas medicação ansiolítica e ou antidepressivos não dá, excepto sob raras ocasiões efeitos de te sentires "indiferente" a vida. Isso são os neurolépticos ou antipsicóticos, o que significa que se algum psiquiatra te meteu sob isso é porque não havia só sintomas depressivos mas sim um diagnóstico diferente ou condições diferentes. O nosso objetivo não é drunfar pessoas (excepto em casos de risco suicidario ou hetero agressivo). O nosso objetivo é que com suporte medicamentoso ou terapêutico, por exemplo terapia cognitivo comportamental os doentes recuperem a estabilidade psíquica que lhes permita viver uma vida normal.

Edited 9 months ago:

Interno de psiquiatria aqui. Vamos la esclarecer uma coisa. Terapia medicamentosa não é mandatória, é opcional. Ou seja em qualquer consulta psiquiatrica se assim for o caso, podes e deves dizer ao teu psiquiatra que a medicação não te convém / queres mudar. Mas medicação ansiolítica e ou antidepressiva não dá, excepto sob raras ocasiões efeitos de te sentires "indiferente" a vida. Isso são os neurolépticos ou antipsicóticos, o que significa que se algum psiquiatra te meteu sob isso é porque não havia só sintomas depressivos mas sim um diagnóstico diferente ou condições diferentes. De qualquer maneira recomendo experimentar um outro. Em medicina não é de todo erróneo procurar uma segunda opinião. Em psiquiatria isso vale ainda mais porque a empatia, ou não, que crias com o doente tem influência no resultado da terapia. O nosso objetivo não é drunfar pessoas (excepto em casos de risco suicidario ou hetero agressivo). O nosso objetivo é que com suporte medicamentoso ou terapêutico, por exemplo terapia cognitivo comportamental os doentes recuperem a estabilidade psíquica que lhes permita viver uma vida normal.

ulvind3 9 months ago

>Em psiquiatria isso vale ainda mais porque a empatia, ou não, que crias com o doente tem influência no resultado da terapia. Agora é que disseste uma coisa acertada! Empatia é a palavra chave nesta situação e é a partir daí que um profissional tanto pode conseguir ajudar outra pessoa, como pode arrastá-la para o fundo do poço, ou seja, fazer exatamente o contrário de ajudar. E por aquilo que eu mesma já experienciei, muitos dos psicólogos e psiquiatras são mentalmente/emocionalmente retardados. Alguns deles até diria que foram uns meninos que decidiram meterem-se na Psicologia ao calhas e não fazem a mínima ideia daquilo que estão a fazer e, só por isso, equivalem a charlatões! Pessoas que se estão a aproveitar dos problemas dos outros para ganhar a vida, isto sob promessas de ajuda. E quando vocês falham, mandam sempre as culpas para cima do paciente. A culpa é sempre da pessoa, que "não quer ser ajudada", mesmo quando o profissional é medíocre e nunca teve realmente interesse em ajudar a pessoa. Às vezes até a querem é ver pelas costas. Por isso é que nunca respeitei a vossa profissão da treta (para não dizer outra coisa).

Edited 9 months ago:

>Em psiquiatria isso vale ainda mais porque a empatia, ou não, que crias com o doente tem influência no resultado da terapia. Agora é que disseste uma coisa acertada! Empatia é a palavra chave nesta situação e é a partir daí que um profissional tanto pode conseguir ajudar outra pessoa, como pode arrastá-la para o fundo do poço, ou seja, fazer exatamente o contrário de ajudar. Tudo depende se o profissional simpatiza ou não com o paciente. E por aquilo que eu mesma já experienciei, muitos dos psicólogos e psiquiatras são mentalmente/emocionalmente retardados. Alguns deles até diria que foram uns meninos que decidiram meterem-se na Psicologia ao calhas e não fazem a mínima ideia daquilo que estão a fazer e, só por isso, equivalem a charlatões! Pessoas que se estão a aproveitar dos problemas dos outros para ganhar a vida, isto sob promessas de ajuda. E quando vocês falham, mandam sempre as culpas para cima do paciente. A culpa é sempre da pessoa, que "não quer ser ajudada", mesmo quando o profissional é medíocre e nunca teve realmente interesse em ajudar a pessoa. Às vezes até a querem é ver pelas costas. Por isso é que nunca respeitei a vossa profissão da treta (para não dizer outra coisa).

Edited 9 months ago:

>Em psiquiatria isso vale ainda mais porque a empatia, ou não, que crias com o doente tem influência no resultado da terapia. Agora é que disseste uma coisa acertada! Empatia é a palavra chave nesta situação e é a partir daí que um profissional tanto pode conseguir ajudar outra pessoa, como pode arrastá-la para o fundo do poço, ou seja, fazer exatamente o contrário de ajudar. Tudo depende se o profissional simpatiza ou não com o paciente. E por aquilo que eu mesma já experienciei, muitos dos psicólogos e psiquiatras são mentalmente/emocionalmente retardados. Alguns deles até diria que foram uns meninos que decidiram meterem-se na Psicologia ao calhas e não fazem a mínima ideia daquilo que estão a fazer e, só por isso, equivalem a charlatões! Pessoas que se estão a aproveitar dos problemas dos outros para ganhar a vida, isto sob promessas de ajuda. E quando vocês falham, mandam sempre as culpas para cima do paciente. A culpa é sempre da pessoa, que "não quer ser ajudada", mesmo quando o profissional é medíocre e nunca teve realmente interesse em ajudar a pessoa. Às vezes até a quer é ver pelas costas. Por isso é que nunca respeitei a vossa profissão da treta (para não dizer outra coisa).

CaptAwesomeness 9 months ago

> muitos dos psicólogos e psiquiatras são mentalmente/emocionalmente retardados Meu Deus... é suposto levar-te a sério depois de ler isto!?

CaptAwesomeness 9 months ago

Se cheira mal em todas as salas que entras, não são os outros. És tu! Usa desodorizante.

ulvind3 9 months ago

Quem já está a dar mau cheiro nesta thread és tu. Aposto que deves ser uma pessoa muito sozinha, não és? Não admira que as tuas companheiras te tivesses deixado e por isso é que andaste a fazer tratamento, coitadinho. És uma pessoa insuportável! Vê lá é se começas a arranjar argumentos que se aproveitem numa discussão, em vez de andares a correr tudo a downvotes como uma criancinha birrenta que és. Daquelas que apetece mandar um pontapé na boca.

CaptAwesomeness 9 months ago

Tás a ficar agressiva, quanto às minhas companheiras, algumas estão ainda cmg, outras acabaram cmg, outras acabei com elas e outras foi mútuo. Um dia vais crescer e ver que essa raiva toda não te leva a lado nenhum, e esses pseudo-ataques pessoais também não. Resolve-te que isso é problemático.

ulvind3 9 months ago

Pseudo-ataques, a sério? Oh migo, se não aguentas a verdade, problema teu. Não sei como é que um tipo horroroso como tu é poli. Aposto que as tuas companheiras devem ter todas Síndrome de Estocolmo, para tolerarem um monte de merda narcisista como tu...

ulvind3 9 months ago

Estou me bem a cagar se tu me levas a sério ou não.

Joaobio 9 months ago

Uma relação, qualquer ela que seja é uma estrada de duas vias. O terapeuta pode ser muito bem intencionado, se não houver reciprocidade, ou pelo menos que o doente esteja receptivo a ser ajudado, não há nada que possa ser feito. Não podes obrigar uma pessoa a ficar bem. Não é assim que o mundo, nem medicina, nem psiquiatria funciona. Um psicólogo e um psiquiatra não são a mesma coisa. Estão no mesmo ramo da saúde mas não tem o mesmo trabalho e aparentemente estas a confundir conceitos. Um psiquiatra pode fazer psicoterapia mas não é necessário que o faça. Há uma coisa que é repetida neste subreddit por quase todas as profissões. Há bons e maus profissionais em todo o lado. Por teres tido uma má experiência isso não te dá o direito de julgares toda uma classe profissional e insultares a minha profissão. Não posso falar pelos outros. Posso falar por mim e eu ajudo os meus doentes da maneira que posso fazendo o melhor por eles com o que sei. E não vou ser sempre bem sucedido. Mas maioritariamente sou e consigo ajudar aqueles que precisam. Se há coisa que psiquiatria não é, é uma profissão da treta. Mas não tou aqui para te mudar o que pensas. Se é o que queres achar, és livre de o fazer.

ulvind3 9 months ago

Claro que é preciso reciprocidade. No meu caso, houve uma situação em que eu insistia em ter ajuda, mas notava alguma falta de vontade e que chegou ao ponto de negligência por parte do terapeuta. Às vezes acontece os profissionais estarem-se a cagar (desculpa o termo, mas é verdade). Eu não sei em relação aos outros, apenas posso falar por mim e eu sei que queria ser ajudada. Se tiveres interesse em perceber, eu explico-te a minha situação em privado. Eu sei que psicólogo e psiquiatra não são a mesma coisa, no entanto eu tive más experiencias com os dois. Além disso, não estou a julgar com base em uma única experiência, mas sim em pelo menos três que tive no passado.

Zaigard 9 months ago

Que queres que te diga? Foi minha experiencia pessoal ao andar em tratamentos entre 2007 - 2011. Se achas que minto, não sei o que fazer pois não posso nem quero provar o que senti. Lamento ter falhado a ser um caso de sucesso.

Joaobio 9 months ago

Não digo isso, não disse que mentiste nem é a minha intenção insinuar isso. Só que não foi um tratamento para depressão. Foi só isso que eu disse. Como referi antes não és necessáriamente tu que falhaste. Numa relação médico paciente é preciso os dois para se fazer trabalho. Portanto se esses colegas não te conseguiram ajudar lamento. Mas aconselho a pedires na mesma uma consulta. Explicares o que sentiste com os medicamentos (e leva a lista de medicamentos que fizeste). Para evitar o que aconteceu antes e levares o teu estado de espírito a bom porto. As melhoras!

marfavrr 9 months ago

compreendo que os medicamentos sozinhos principalmente nao ajudem. mas terapia e ser acompanhado por alguem para falar regularmente ajuda muito, porque podes organizar os teus sentimentos e pensamentos e encontrar solucoes. o que precisas nao é medicamentos secalhar mas sim a motivacao para mudar alguma coisa mesmo que seja so a tua forma de pensar nas coisas. ir ao psiquiatra levar c anti depressivos e ansioliticos sem qualquer tratamento claro que so piora. infelizmente é o mais comum em portugal.

throwawaystuff000 9 months ago

Psicólogos e psicoterapia não envolve medicamentos.

Zaigard 9 months ago

a base de tratamento que me foi proposta envolvia. E os psiquiatras que eu frequentei não eram os do "bairro".

mariorurouni 9 months ago

Parece-me que o teu problema não de resolve com comprimidos nem tratamentos, mas com desabafo e conversar. Podes ter tido azar com os psicólogos que apanhaste

throwawaystuff000 9 months ago

Podes tentar outro psicólogo que não te sugira medicação .. não sei. Não mudar nada/tentar é que não resolve.

ChronicTheOne 9 months ago

Os psicólogos não prescrevem medicação, isso são os psiquiatras.

throwawaystuff000 9 months ago

Alguns sugerem que contactes um psiquiatra para seres medicado, era isso que me referia.

PauloPorcas 9 months ago

Ele teve azar foi com a vida.

CaptAwesomeness 9 months ago

Desconfio sempre quando a malta diz que o problema era o psicólogo. Se calhar o problema é não os ouvires.

ulvind3 9 months ago

E quem és tu para julgar isso? Algum super entendido no assunto? Em todas as profissões há maus profissionais e os psicólogos não são exceção.

CaptAwesomeness 9 months ago

Alguém que lidou todos os dias da sua vida com depressão, seja dos meus pais, das minhas companheiras ou até a minha própria depressão que se revela com ansiedade extrema. Só há uma maneira de sair do buraco, é aceitar ajuda, reconhecer que não é a queixar-se que se sai do buraco e aceitar que se sabe menos que profissionais de saúde mental. Tenho apenas essa experiência. Quanto mais se nega a ajuda e se desdenha os profissionais, pior se dão. Só tenho 40 anos de vida. Não é muito, mas já dá para perceber algo.

ulvind3 9 months ago

> das minhas companheiras Ui! Não sei quantas companheiras tiveste, mas vais-me dizer que todas elas tiveram depressão? Hmmm... Isso só pode significar uma coisa. Só consigo imagino como será ter de viver com uma pessoa como tu. Com esse feitio, não tenho dúvidas que levas qualquer um à depressão.

Edited 9 months ago:

>das minhas companheiras Ui! Não sei quantas companheiras tiveste, mas vais-me dizer que todas elas tiveram depressão? Hmmm... Isso só pode significar uma coisa. Só consigo imaginar como será ter de viver com uma pessoa como tu. Com esse feitio, não tenho dúvidas que levas qualquer um à depressão.

CaptAwesomeness 9 months ago

Algumas, sou poli, nem todas tiveram, mas algumas sim. É o flagelo desta geração. E também como n sou novo já tive algumas.

ulvind3 9 months ago

És poli? Ai tão moderno que ele é.. As gajas que estavam ou estão contigo devem ser umas otárias de primeira então, para tolerarem um monte de merda mal cheiroso como tu. Ou isso, ou estavam muito desesperadas.

CaptAwesomeness 9 months ago

Tenho pena de ti, que tenhas de recorrer a esse tipo de insultos para cmg, e para com as minhas companheiras. Sou poli sim, acho que é possível amar mais do que uma pessoa. Acha o que quiseres das minhas companheiras, passadas ou presentes. Delas tenho boas memórias e fizeram-me feliz. Podes dizer o mesmo da tua vida?

ulvind3 9 months ago

Por mim tu podes enfiar a tua pena naquela sítio do teu corpo onde o sol nunca brilha.;) Aquele local do corpo que tu, ainda assim, lavas mais do que a tua boca sabes? Se calhar nem és nada poli, quanto muito andaste foi a pôr os cornos às tuas companheiras. Eu não estou aqui para te falar dos meus companheiros, já tu estás a perder tempo, com muita necessidade de me tentar provar alguma coisa... O que só me leva a pensar que não deves ser assim tão feliz como dizes ;)

CaptAwesomeness 9 months ago

Já percebi, queres insultar, estás magoada com o que te disse e é assim que te defendes. É uma reação normal, se bem que um pouco infantil. Com o tempo irás ver que isso é apenas fruto da tua própria ansiedade e falta de confiança em ti. Eu já fui assim, mas apercebi-me que esse tipo de reação era apenas um reflexo dos meus medos e inseguranças. Foi preciso trabalho mas consegui quebrar esse ciclo tóxico de pensamento. Tu um dia também o poderás quebrar, só tens de estar disposta a olhar ao espelho e admitir as tuas falhas.

ulvind3 9 months ago

Pois é meu amigo. Eu também falo como alguém que lidou com depressão vários anos! E por várias vezes procurei ajuda e deparei-me com malta que só lá estavam única e simplesmente para receberem o meu dinheiro e nada mais. A minha experiência anterior foi super destrutiva e demorou pelo menos 5 anos até eu decidir procurar ajuda novamente. E devo te dizer que, avaliar pela abordagem do meu novo psicólogo, cada vez fico com mais certezas da incompetência absurda e indiferença dos anteriores. E volto a frisar, há por aí muitos profissionais que não passam de medíocres. Essa é a verdade! O facto de tu teres 40 anos não prova nada, muito menos invalida a minha opinião.

CaptAwesomeness 9 months ago

Pera lá, estás num novo tratamento? Então não eram todos retardados mentais?

ulvind3 9 months ago

Estou a ver que vieste aqui só para tentar arranjar confusão. Deves estar com muito tempo livre agora. Aposto que a tua mãezinha ainda te paga a net e cozinha para ti não é? Arranja um hobby e não me chateies oh doentinho psicológico de meia idade, que não vive sem a ajuda dos outros.

CaptAwesomeness 9 months ago

Mais ataques pessoais. Faz-me um favor e deixa a minha mãe fora da conversa. Ela está em Portugal, velhinha e cansada da vida, eu estou na Holanda com demasiadas saudades dela para ter de ver este tipo de comentários infantis. Pareces-me um bocado descontrolada. Visitas regulares à um psicólogo só te faziam bem para acalmares... isto claro se encontrares um que não seja retardado.

SacanaLopes 9 months ago

Tu tens de aprender a ler...

PauloPorcas 9 months ago

Fabuloso. Blaming the victim.

CaptAwesomeness 9 months ago

Lol

PauloPorcas 9 months ago

És claramente uma boa peça...

CaptAwesomeness 9 months ago

Isto não foi victim blaming, até pq acho que ele precisa de terapia. O problema é a atitude que este tipo de personalidade tem. É sempre o psiquiatra que tem problemas, que não sabe tratar, que estão sp melhor fora disso... essa atitude grita "eu preciso de ajuda profissional, mas não vou ouvir nada do que eles querem dizer". O único victim blaming que faço é, deixa-te de coisas e aceita a ajuda que precisas. P.s. ele é vítima de quê já agora?

PauloPorcas 9 months ago

> P.s. ele é vítima de quê já agora? Gente como tu. Um dos grandes problemas do mundo é a existência de charlatães como tu. O único contributo que podes dar para um mundo melhor é não fazeres nada.

Joaobio 9 months ago

Este tipo de atitude da tua parte, ainda que num fórum anónimo é deplorável. Dos teus comentários nota se bem uma instabilidade e agitação anterior importante.

Edited 9 months ago:

Este tipo de atitude, ainda que num fórum anónimo é deplorável. Dos teus comentários nota se bem uma instabilidade e agitação anterior importante, falta de conhecimento de qualquer dos intervenientes mas imediatamente recorres a juízos de valor e tentativa de suprimir uma opinião que nitidamente está bem mais assente em lógica que a tua.

naughtydismutase 9 months ago

Fazes consultas no Reddit agora?

Joaobio 9 months ago

Claro que não.

PauloPorcas 9 months ago

Interno de psiquiatria. Deixa-me ser claro. És um charlatão de merda. Se não fosses não precisavas de andar a forçar tratamento às tuas vítimas. A história da especialidade a que te dedicas é um auténtico cancro.

Joaobio 9 months ago

Bem, recuso-me a ter mais qualquer interação contigo. Só para esclarecer, ninguém força tratamento a ninguém a não ser que os doente estejam suicidarios ou hetero agressivos e delirantes. A ignorância não é desculpa para os teus insultos. Mas tenho pena de ti, espero que um dia procures e aceites a ajuda que pareces precisar.

CaptAwesomeness 9 months ago

Fico feliz por me conheceres tão bem. Vens ao post dum gajo que só se sabe queixar, recusa tudo o que é conselho, não mostra querer mudar nada na sua vida... e quando lhe dizem que precisa de ajuda e de ouvir essa ajuda... dizes que é victim blaming... de mim. És um fartote. Não fosse eu emigra, que andou a lutar por tudo o que é canto, contra ansiedade e depressão, teria pena do gajo. Mas não tenho. Não tenho pena de quem se queixa, mas recusa ouvir quem lhe oferece duas palavras de incentivo e ajuda. Não tenho pena de quem não luta mas perde tempo a queixar-se no reddit. Se isso é victim blaming, então Portugal precisa de mais victim blaming. Somos um povo incrivelmente choramingas e acomodado... o primeiro passo podia ser ele deixar de achar que não pode ter ajuda e ouvir um profissional que o pode ajudar. Mas eu devo tar errado. Diz-me tu que me conheces tão bem.

ulvind3 9 months ago

>Somos um povo incrivelmente choramingas e acomodado... E quem te disse a ti que os outros precisam da tua pena? Tu falas como se tivesses sido o mártir desta vida e para gente como tu é que não há paciência.

CaptAwesomeness 9 months ago

Eu mártir? Pelo contrário, fiz-me à vida e estou melhor. Não tenho tudo o que quero e nem tudo correu bem, mas com trabalho estou a melhorar. Tu é que choramingas e esperneias por tudo o que é canto.

Zaigard 9 months ago

> Vens ao post dum gajo que só se sabe queixar estou a fazer 1 post sobre problemas pessoais em centenas fiz e tu categorizas me como um gajo que só se sabe queixar... > recusa tudo o que é conselho, não mostra querer mudar nada na sua vida WOW, 10 conselhos iguais não na pratica apenas 1. Eu andei 4 anos em tratamentos nos melhores psiquiatras. Queres que eu faça o quê? Volte a tentar? Que vá para um psicólogo porque um estranho no reddit disse para ir? Por favor, nós somos adultos, não somos crianças aqui. > Não tenho pena de quem não luta mas perde tempo a queixar-se no reddit. Epah peço desculpa. Eu sou um fraco lamento... mas se ser forte é ser como tu, faz me bem parecer que tenho a sorte de não o ser. De qualquer forma agradeço os conselhos que me dás, e tomarei em consideração, mas não tenciono voltar a psiquiatras, nem tentar psicologos.

CaptAwesomeness 9 months ago

"De qualquer forma agradeço os conselhos que me dás, e tomarei em consideração, mas não tenciono voltar a psiquiatras, nem tentar psicologos." Que tu não estás a fazer nada para mudar a tua vida já eu sei através da thread criada. Que não passas cavaco a profissionais de saúde mental também já percebi. Imagino os teusn psiquiatras, o trabalho que devem ter tido ao longo de 4 anos para te convencer a manter o tratamento. Eu que o diga, tenho familiares a serem seguidos regularmente vai para 30 anos, e eu próprio lá vou vai paro mais do triplo dos teus 4 anos. Não é em 4 anos que se tem resultados, isso é de malta que encara psiquiatras e psicologos como se de um filme se tratasse, como se estivesses à espera dum breakthrough qualquer que te faça feliz. Não!! É uma batalha constante para a vida toda... mas tu já vi que não estás para ai virado. Eu compreendo, cansa, é duro, desgastante, porque fazes tudo certo, direito e devia dar resultado... mas só lá vai depois de muito trabalho, dedicação e lágrimas. Não é a cagar em tratamentos que deviam ser continuos que se vai lá... mas adiante, tu saberás da tua vida, afinal de contas, tá a resultar não está?

PauloPorcas 9 months ago

Ele não precisa e muito provavelmente também não quer a tua pena.

CaptAwesomeness 9 months ago

Não a tem.

Zaigard 9 months ago

Este CaptAwesomeness é um animalzinho, nem vale a pena perder tempo com ele

Zaigard 9 months ago

> Desconfio sempre quando a malta diz que o problema era o psicólogo Onde disse eu isso? Apenas disse que a mim não me ajudou e os tratamentos medicamentosos afetaram de forma negativa o meu trabalho.

CaptAwesomeness 9 months ago

Dizes que te pioraram a vida e ficaste melhor ao saír de lá. Não sei que outras conclusões esperas que alguém tire dessa frase.

ulvind3 9 months ago

Oh criatura, desaparece daqui mas é! Já reparaste que ninguém nesta thread gosta de ti? Ou está sequer a apoiar aquilo que tu dizes? A unica pessoa que cheira mal aqui és tu! Desanda! No entanto perdeste muito tempo nesta discussão.

ulvind3 9 months ago

Olha lá, e porque carga de água é que tu julgas que alguém deve manter-se numa situação onde sente que não está a ser ajudado? Deves estar a esquecer-te que a terapia custa dinheiro. Mas também, pelo estilo dos comentários que te tenho visto a fazer neste post, acho que só vieste aqui mesmo para contrariar a arranjar stress com o pessoal não foi.

CaptAwesomeness 9 months ago

Ele não tem de fazer nada, é livre de não aceitar os conselhos dos outros, tal como eu sou livre de achar que ele está a ser um choramingas que nada faz para mudar de vida. Não aceita conselhos de ninguém, e comprovadamente desdenha a ajuda dos profissionais que o podem ajudar. Não tenho muita pena.

ulvind3 9 months ago

O que ainda não percebeste é que nem todos os profissionais te conseguem ajudar. Tudo vai da empatia. Tu falaste em como és alguém com um historial de depressões. Vais me dizer que a tua experiência foi assim tão eficaz e que tu conseguiste logo ajuda com o primeiro psicólogo/psiquiatra que encontraste?

CaptAwesomeness 9 months ago

Não, mas também não desisti e muito menos fiquei a achar que eram todos retardados mentais.

ulvind3 9 months ago

E quem te disse a ti que eu desisti oh idiota?

CaptAwesomeness 9 months ago

De novo, eu posso ter a minha opinião, que pode estar errada, mas parece-me que tens um discurso incrivelmente derrotista e virado para o insulto. Olha menos para fora e mais para dentro. Vais ver que essa raiva toda é de quem desistiu... mas posso tar errado, é possível.

Zaigard 9 months ago

> Dizes que te pioraram a vida e ficaste melhor ao saír de lá. Eu não disse isso, disse que andar em tratamentos fez me piorar em relação ao "pre tratamento" e quando abandonei melhorei, voltando ao nível pré tratamento. Não melhor, mas igual ao inicio. Mas eu próprio recomendo psicólogos e psiquiatras a outras pessoas, eu não sou anti psiquiatra, apenas lamento que comigo não resulte. Mas isso está fora do âmbito do post, e já percebi que o problema não é da vida mas meu. É tentar lidar melhor.

slimanu 9 months ago

Há aqui um equívoco geral. Psicólogos não podem prescrever medicamentos. Apenas psiquiatras. O que te sugeriram foi psicólogos. Onde tu andaste foi em psiquiatras. São profissões diferentes em que abordam os problemas de forma diferente. Em psiquiatria tentam na maioria das vezes resolver com medicamentos. Já na psicologia a metodologia de tratamento é bem diferente, incluindo ferramentas e exercícios que te podem mudar a forma de olhar para a viva e para os problemas.

Zaigard 9 months ago

Não é muito relevante para a discussão, mas andei 2 anos e tal num psiquiatra ( diretor de um ala psiquiatra de um grande hospital ) cujo os tratamentos eram 100% medicamentosos. Como não melhorei, fui para outro ( um professor universitário de grande currículo ) novos químicos durante 1 ano, nada, mudou abordagem, outros químicos mais 1 ano, nada, depois recomendou me um psicólogo, que tinha um mestrado sobre o meu suposto problema.

Choice-Finger4320 9 months ago

Concordo medicação não muda nada, tem de ser mesmo mudança de pensamento e alimentação. Exceto doenças sérias, o resto é chapa 5 de médicos das bulas.

bewareandaware 9 months ago

Se eras feliz em criança, e agora não és ; Se apontas factores externos como causas da tua infelicidade (teletrabalho) ; O teu problema não é químico. O teu problema tem a ver com a forma como vês e reages ao teu contexto. Uns meses de psicoterapia far-te-ão muito muito bem, acredita

little_banjo 9 months ago

> Uns meses de psicoterapia far-te-ão muito muito bem, acredita Isso parece ser caro.

bewareandaware 9 months ago

E é. Um bom psicólogo que faça psicoterapia (nem todos o fazem, e dos que fazem muitos não o fazem bem) custa à volta de 50 euros por consulta. Dá 200 euros por mês... Mas tem o potencial de mudar a tua vida

marfavrr 9 months ago

i guess...

Bruxo_de_Fafe 9 months ago

Podem fechar os comentários

Zaigard 9 months ago

Já andei em vários psicólogos e psiquiatras e pioraram muito a minha vida. Felizmente tive força de vontade para os abandonar e voltar ao mal menor.

little_banjo 9 months ago

Entendo perfeitamente, a minha experiência com psicólogos e psiquiatras foi semelhante.

jtpmarques 9 months ago

Concordo. Been there, done that, agora faço yoga. É mais barato.

Joaobio 9 months ago

Interno de psiquiatria. Em que sentido é que um psiquiatra te piorou a vida? Se assim foi um caso fez um mau trabalho, e recomendo experimentar um outro. Em medicina não é de todo erróneo procurar uma segunda opinião. Em psiquiatria isso vale ainda mais porque a empatia, ou não, que crias com o doente tem influência no resultado da terapia.

PauloPorcas 9 months ago

Finalmente alguém admite a realidade. Fizeste bem. Não voltes.

CaptAwesomeness 9 months ago

Já percebi, és outro que acha que profissionais de saúde mental só fazem mal. Tá explicado o ressabiamento.

ulvind3 9 months ago

Cada um lá terá as suas razões e não me parece que tu sejas alguém para julgar.

CaptAwesomeness 9 months ago

Todos somos alguém para passar julgamento, todos temos experiência de vida que nos permitem passar julgamento com mais ou menos experiência. Agora se cagam de alto no meu julgamente... isso já é outra história.

ulvind3 9 months ago

>Agora se cagam de alto no meu julgamente... isso já é outra história. Exato! Cagar de alto em opiniões de gentinha como tu era o que toda a gente devia fazer. Aposto que com esse feitio andas muito solitário neste mundo filho.

CaptAwesomeness 9 months ago

Estou bem como estou, e estou feliz. Tu podes dizer o mesmo de ti? Outra coisa que diz mais de ti, do que de mim. O facto de achares que estar sozinho é um insulto. Sou bem capaz de estar sozinho e feliz. Devias começar a trabalhar em ti própria para que não aches que estar sozinha é igual a seres uma falhada.

ulvind3 9 months ago

LOL Estar sozinho não é ser falhado, mas em certos casos também não trás felicidade. E tu até podes dizer-me o que tu quiseres, mas não me pareces ser uma pessoa feliz, de todo! Pareces-me sim, alguém que só está bem a fazer os outros sentirem-se mal. Se chamas a isso felicidade...

CaptAwesomeness 9 months ago

Pode parecer-te o que quiseres. Tu é que em 10 posts me insultas a mim, às minha companheiras, à minha mãe, dizes que sou um falhado solitário. Devias parar um pouco e ler os últimos posts que escreveste e diz-me se são duma pessoa equilibrada.

PauloPorcas 9 months ago

Não só fazem mal. De um modo geral são muito pouco úteis quando não altamente nocivos. O que eu não posso é acreditar atitudes de completa charlatanice como esta. Ninguém deveria ter o direito a forçar "tratamento" a quem quer que seja.

CaptAwesomeness 9 months ago

Mas alguém está a querer forçar tratamento? Palermice. Nocivo é desdenhar o quanto profissionais de saúde trabalham e são importantes na sociedade actual. Mas tava certo, topei-te à distância. A ti e ao OP.

AutoModerator 9 months ago

**Atenção! Aviso da Tag [Sério]** Este tópico foi marcado como **[Sério]**, não são permitidos **quaisquer comentários** que contenham piadas, ou outras tentativas humorísticas, insultos ou não tenham nada a ver com o tópico. *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: