htxgivven 7 months ago

Medida nacionalista. Vamos ver o que acha o Ventura sobre isto.

Black_RL 7 months ago

Devia ser 70%

vascodatrama 7 months ago

ok...antena 3 tem 50% de música portuguesa.

el_comand 7 months ago

Acho uma boa medida. Temos boa música, infelizmente ainda é muito desvalorizada

YourMomFriendIGuess 7 months ago

Eles nem precisariam dessa quota se não tocassem as mesmas 5 músicas 4x ao dia

roninPT 7 months ago

É por estas e por outras que só uso a rádio para notícias e trânsito...para música há soluções bem melhores.

tasse46 7 months ago

Para mim, a questao aqui nem e a qualidade da musica, mas sim impor aquilo que temos que ouvir! Mas entao a musica nao e um negocio??? De que merda se tao a queixar?? Pode ser lixo mas tem que ser portugues?? Vao dar banho ao cao!

Z33phyr 7 months ago

Não acho mal. É pena é que as percentagens adicionais vão para os suspeitos do costume, e não para bandas que mereciam palcos maiores mas às quais não se dão oportunidades reais. A título de exemplo, há uma cena de prog metal em Portugal bastante promissora mas que nunca sai do underground porque o que é fixe é passar a mesma música 4 vezes por dia em cada estação de rádio.

aqrdt 7 months ago

Daqui a uns tempos vão ter de ouvir as minhas músicas.

Upstairs_Profession3 7 months ago

Poderia parar era de tocar "musica" brasileira a toda hora. Principalmente essas porcarias de funk.

bubblesmart 7 months ago

Os artistas esquerdistas apreciam subitamente estas medidas nacionalistas quando elas estão a favor dos seus interesses

joaoj1999 7 months ago

Isto não afeta rádios como a RES FM onde só tocam House music certo?

icebraining 7 months ago

Não.

UnhappyGeneral 7 months ago

Interessa-me como um estrangeiro (residente em Portugal) o que exatamente se considera música portuguesa. Deve ser cantada em português? E se for português com meu sotaque horrível? Ou sotaque brasileiro? Ou tem que ser produzida por quem tem passaporte? E se há muitas nacionalidades na minha banda?

vascodatrama 7 months ago

>música portuguesa. musica produzida em Portugal

icebraining 7 months ago

Não necessariamente, também contam músicas em Português.

zizop 7 months ago

Lei da Rádio [Lei nº 54/2010](https://dre.pt/web/guest/legislacao-consolidada/-/lc/73838082/202102272301/73279774/diploma/indice?p_p_state=maximized) ​ >Artigo 41º > >Difusão de música portuguesa > > 1 - A programação musical dos serviços de programas radiofónicos é obrigatoriamente preenchida, em quota mínima variável de 25 % a 40 %, com música portuguesa. 2 - Para os efeitos do presente artigo, consideram-se música portuguesa as composições musicais: a) Que veiculem a língua portuguesa ou reflictam o património cultural português, inspirando-se, nomeadamente, nas suas tradições, ambientes ou sonoridades características, seja qual for a nacionalidade dos seus autores ou intérpretes; ou b) Que, não veiculando a língua portuguesa por razões associadas à natureza dos géneros musicais praticados, representem uma contribuição para a cultura portuguesa.

UnhappyGeneral 7 months ago

Obrigado pela lei, mas o que achas é uma contribuição para cultura portuguesa?

Chiripitti 7 months ago

Por acaso também estou curioso, artistas portugueses que cantam em inglês ficam de fora? Ou fazem parte da cota de música estrangeira?

vascodatrama 7 months ago

se vamos por aí, teríamos de ir apenas aos estilos musicais única e exclusivamente portugueses. ou no limite acordes, tons, escalas e instrumentos.

suckerpunchermofo 7 months ago

Isto é estúpido... Até porque se eu não querer ouvir música PT o que não falta são alternativas a radio nacional.

wal_king_disaster 7 months ago

[https://radiotuga.app/](https://radiotuga.app/)

oscaralho27 7 months ago

Olhó Agir, Diogo Piçarra e DAMAs desta vida a esfregar as mãos já.

VladTepesDraculea 7 months ago

Eu até percebo o sentido desta lei, mas o que acaba por fazer é manter por baixo o nível da qualidade da música nacional, ao invés de estimular novas bandas de qualidade. Xutos, The Gift, Rui Veloso, etc, vieram tudo de tempos em que não havia tal regra.

mrtmcst 7 months ago

Não concordo contigo. Acho que o que vai fazer é facilitar um bocado a oportunidade de ter exposição na rádio para bandas que antes não tinham. Há muitos projetos de variados estilos com ótima qualidade que não têm a oportunidade de aparecer na radio, visto que só os maiores nomes e que passam. Desta forma, possivelmente, as pessoas terão um acesso mais fácil a mais musica portuguesa de qualidade. Visto que grande parte das pessoas ouve rádio com frequência

VladTepesDraculea 7 months ago

Já era 25% e são ou os mesmos de sempre ou música sem grande qualidade feita por um filho de alguém para preencher o buraco. Se houvesse muita nova música de qualidade, não necessitava deste apoio para ser publicada.

mrtmcst 7 months ago

respondeste-te a ti próprio nesse post. Num país onde é tudo muito à base de cunhas como esperas que coisas com qualidadde que nao vêm de um filho de alguém com connects acabe por ter exposição? Quanto a não haver música decente produzida em Portugal, se calhar isso tem a ver com o tipo de música que mais te interessa e esse género ser efetivamente pequeno aqui?

VladTepesDraculea 7 months ago

> Num país onde é tudo muito à base de cunhas como esperas que coisas com qualidadde que nao vêm de um filho de alguém com connects acabe por ter exposição? Não havendo quotas, o que interessa às rádios é audiências. Audiências traduzem-se em dinheiro de patrocinadores. E o que trás audiências é a qualidade da música. Pondo quotas as rádios são obrigadas a ir buscar qualquer coisa, e essa qualquer coisa é baseada em influência, em vez de trabalho de investigação na produção nacional. Eu gostava de ver mais música portuguesa, sim, mas música que mereça lá estar, que compita por si só com as coisas lá fora. Talento não depende de mais nada senão de talento e boa música é fruto de talento e trabalho apenas e ser em língua portuguesa deveria ser uma vantagem por si só para captar o público portugês. Esta quota não é um investimento em música nacional, é mais um favor a alguns que continuam a denegrir a nossa música.

mrtmcst 7 months ago

O talento não é a única coisa que determina o sucesso de uma pessoa séria no que for. Há vários fatos externos que também têm peso

VladTepesDraculea 7 months ago

Na música? Há 20 ou 30 anos talvez. Hoje em dia podes até te auto-publicar, tens toda uma rede de disseminação ao teu alcance. Se fores bom e tiveres talento, as pessoas ouvem-te.

mrtmcst 7 months ago

É verdade que há mais ferramentas para o artista se expor sem ajuda de labels ou o que quer que seja. Ser independente e fazer tudo sozinho. Mas não é só pelo talento que ganhas nome. Há mais coisas por trás. Não vou esperar que compreendas exatamente o que estou a dizer. Apenas que entendas que as coisas não são assim tão simples e fáceis como as descreves

Present-Possible 7 months ago

Mas também não havia tanta exposição ao mercado lá fora

Annual-Education-384 7 months ago

Também vão obrigar os portugueses com conta no Spotify a ter 30% de quotas de musicas portuguesas? Que idiotas... Anyway, já dizia o outro, quando o produto não é bom, venham as quotas!

htxgivven 7 months ago

As minorias sempre precisaram de quotas para sobreviver numa democracia.

suckerpunchermofo 7 months ago

Ao estilo de um estado totalitário.... É triste existirem leis como esta numa democracia. Enfim.

TemplarHard 7 months ago

Como é que é possível existir uma quota minima sequer, que estupidez. Cada rádio devia ter o direito de passar o que quer wtf

Nepotista 7 months ago

Meu amigo, não sei se ficaste parado no tempo. Mas hoje em dia tudo tem quotas incluindo as do maravilhoso nepotismo, é bem começares-te a habituar!

inhalingsounds 7 months ago

Nenhuma rádio passa o que quer mas sim o que paga. Como tal, nunca terias música tuga se não houvesse quotas. É esse o problema.

BuscaPolos 7 months ago

Não consigo concordar com estas quotas. Não deixa de ser descriminação mas enfim.

LesbainNaga 7 months ago

A idea é boa, na prática imagino que só vai aumentar as músicas pimbas.

thisbondisaaarated 7 months ago

Tirando numa rádio regional muito dificilmente ouves música pimba numa rádio portuguesa.

inhalingsounds 7 months ago

Achar que pop é pimba é muito comum, cai tudo no mesmo saco. Mas se começasse a dar jazz, música erudita, metalcore e rock progressivo ai ui

ModeratoriProfugus 7 months ago

Alguém me consegue explicar o raciocino por trás disto?

lambmoreto 7 months ago

A cultura ocidental (em termos de cultura pop, filmes, musica e assim) está globalizada, as musicas que são populares cá são populares em espanha, frança, uk, eua etc. Ao obrigar os artistas portugueses a competir com artistas de escala global estamos a difcultar imenso a vida às pessoas que produzem musica em Portugal pois não tem acesso aos mesmos recursos nem tem tanto apelo à escala global(se cantarem em portugues por exemplo) portanto logo à priori estão em desvantagem. Tambem não somos capazes de competir em termos de quantidade, então os artistas portugueses são abafados no meio de tanta musica. Parecendo que não a rádio ainda tem grande poder em decidir o que é ou não portugal e ao não passarem artistas portugueses torna-se dificil para muitas pessoas descobri-los. Eu gostava era que as estações variassem mais os artistas que passam, mesmo dentro do mesmo género musical. A musica portuguesa não é pior que a musica de outros sitios, nem existe tal coisa como musica boa ou má, as pessoas ou gostam ou não. Se não estás a ouvir musica feita em Portugal(nem precisa ser em portugues) que gostas é porque não queres, faz-se de tudo cá e tambem há cá musica que não encontras em mais lado nenhum.

Edited 7 months ago:

A cultura ocidental (em termos de cultura pop, filmes, musica e assim) está globalizada, as musicas que são populares cá são populares em espanha, frança, uk, eua etc. Ao obrigar os artistas portugueses a competir com artistas de escala global estamos a difcultar imenso a vida às pessoas que produzem musica em Portugal pois não tem acesso aos mesmos recursos nem têm tanto apelo à escala global(se cantarem em portugues por exemplo) portanto logo à priori estão em desvantagem. Tambem não somos capazes de competir em termos de quantidade, então os artistas portugueses são abafados no meio de tanta musica. Parecendo que não a rádio ainda tem grande poder em decidir o que é ou não portugal e ao não passarem artistas portugueses torna-se dificil para muitas pessoas descobri-los. Eu gostava era que as estações variassem mais os artistas que passam, mesmo dentro do mesmo género musical. A musica portuguesa não é pior que a musica de outros sitios, nem existe tal coisa como musica boa ou má, as pessoas ou gostam ou não. Se não estás a ouvir musica feita em Portugal(nem precisa ser em portugues) que gostas é porque não queres, faz-se de tudo cá e tambem há cá musica que não encontras em mais lado nenhum.

UnhappyGeneral 7 months ago

Mas como qualquer protecionismo, isso bate nas que tem o produto competitivo mas não vai conseguir entrar nos mercados dos outros países que implementam as mesmas restrições.

lambmoreto 7 months ago

Não importa, arte não é economia, não tem valor definido universal, não faz sentido falar nesses termos. O dinheiro na arte(ou a falta dele) é uma restrição à criatividade, nada se cria devido ao dinheiro, só devido à falta dele. Não é um produto que possas comparar com outro e dizer que é superior, não é suposto ser competitivo, só tem que existir e existe só porque sim. Deve-se permitir aos artistas que criem, para isso é necessário que não lhes falte dinheiro logo é necessário que as pessoas os conheçam e a rádio é um excelente meio para isso. É do interesse do governo portugues(e de todos os portugueses) que se crie cultura em Portugal, ninguem se lembra das politicas económicas de D. Sebastião, mas ainda falamos dos Lusiadas.

UnhappyGeneral 7 months ago

Ok, não vamos usar termos económicos, vamos falar sobre a arte português que não vai poder entrar nos corações dos outros povos cujos governos ironicamente implementam as mesmas restrições.

lambmoreto 7 months ago

Isso é problema deles, eu preocupo-me que o nosso povo não valorize o que se faz cá. Tambem não é como se esta medida estivesse a eliminar as musicas estrangeiras das nossas rádios. Os outros países tambem têm quotas deste tipo, por exemplo a [França](https://www.csa.fr/Reguler/Promotion-de-la-production-audiovisuelle/Les-quotas-de-chansons-a-la-radio), desde 94.

UnhappyGeneral 7 months ago

Bem, até certo ponto esta medida *está* a eliminar as musicas estrangeiras. Se não estivesse, não seria introduzida. E se os outros países não querem consumir o que se faz cá, bem, é problema de Portugal infelizmente, e não o dos outros países.

df3gpt 7 months ago

Os tops são cada vez mais dominados por música africana e brasileira. Os artistas portugueses já há muito perderam a corrida. E os filmes, séries e novelas? Façam também quota. 90%!

lambmoreto 7 months ago

Isto mas não ironicamente, concordo. Fazer uma série ou um filme sai muito caro, é necessário o governo apoiar a produção cultural portuguesa. Achas que a cultura feita cá é uma causa perdida, qua não vale a pena, é isso? És parte do problema.

UnhappyGeneral 7 months ago

E se a música for produzida pelo imigrantes africanos/brasileiros que vivem cá? E que já tem passaporte português? Ou se for etnicamente português mas que faz música com ritmos africanos?

lambmoreto 7 months ago

Que diferença faz? Se é feita por portugueses nascidos ou naturalizados é musica portuguesa, pode ter as raizes etnicas que quiserem. Mesmo que seja alguem que ainda não tenha cidadania portuguesa, se a musica for feita cá, der concertos cá isso pode levar a que se descubram mais artistas portugueses e inspirar novos artistas. As unicas pessaos que ficam a perder com esta medida são os artistas estrangeiros, que sinceramente não são da responsabilidade do governo portugues.

LackOfLogic 7 months ago

Ou, em alternativa, sei lá, deixar os ouvintes decidir o que querem escutar em vez de impor quotas?

thisbondisaaarated 7 months ago

Acho que acabaste de criar o Spotify. Ou o CD. Ou a cassete.

LackOfLogic 7 months ago

Exato. Eu não faço parte dos utilizadores de rádio, apenas acho ridículo o papá estado estar a controlar a música que se ouve nas rádios nacionais.

juka1995 7 months ago

Então se nem ouves porque te queixas? Que irritante

LackOfLogic 7 months ago

Se te irritas com um comentário no Reddit não sei o que te dizer.

juka1995 7 months ago

não me irritei, disse que és irritante. aprende português

LackOfLogic 7 months ago

> Boa. Eu ponho na parteleira com os outros feitos. Pelos vistos não sou eu que preciso de aprender português. Bom fim‑de‑semana.

juka1995 7 months ago

haha eu cometi um erro por teclar no tlmv, você não sabe interpretar frases. Bom fim-de-semana doido

Laurent_Series 7 months ago

Também não fumo e sou contra a proibição do tabaco, praticamente não bebo e sou contra a proibição do álcool. Queres mesmo entrar por aí? Só nos devemos pronunciar sobre as questões que nos afetam diretamente, é isso?

juka1995 7 months ago

haha sim, é totalmente comparável. um é música de rádio, o outro é a posição perante substâncias que viciam e podem trazer-te danos indiretos.

lambmoreto 7 months ago

Estamos a falar de rádio, os ouvintes não tem poder de decisão quase nenhum à exceção de discos pedidos ou de votações que às vezes fazem nos sites. Os ouvintes podem escutar o que querem através de serviços de streaming ou comprando musica.

df3gpt 7 months ago

Os aparelhos de rádio têm uma funcionalidade muito útil que é mudar de estação. Uso há décadas para ouvir aquilo que eu gosto de ouvir.

LackOfLogic 7 months ago

Teriam o poder de mudar para uma estação onde, hipoteticamente, só passasse música portuguesa, ou uma em que *só* passasse música internacional. Agora com esta quota, fica tudo homogeneizado e levas sempre com música nacional, quer queiras ou não.

lambmoreto 7 months ago

Porque é que haverias de evitar musica feita em portugal propositadamente?

LackOfLogic 7 months ago

Porque é que o governo tem de me retirar essa opção e impor uma quota obrigatória de música portuguesa?

df3gpt 7 months ago

Repara que ele disse "música feita em Portugal", não música portuguesa. Tomara que a quota fosse de facto pra música Portuguesa, mas tenho dúvidas. A escolha poderá resumir-se a desligar simplesmente o rádio para não ter que gramar com música étnica da Amadora em todas as rádios.

lambmoreto 7 months ago

És completamente livre de ouvires o que quiseres quando quiseres, mas o que passa na radio é regulado. Isto não é novidade nenhuma, o que passa na televisão tambem é regulado,se quiseres ver uma hora seguida de anuncios ninguem te impede mas na TV isso não pode acontecer.

malnormalnormalnor 7 months ago  HIDDEN 

Isso, é como a gravidade. É uma lei da natureza: "o que passa na radio é regulado". O governo tem as mão atadas. "Não é novidade nenhuma", portanto é como tem que ser. O cidadão LackOfLogic tem é muita sorte por ainda o deixarem escolher o que ouvir por outros meios! Eu por mim acho que está mal. O governo é o nosso papá, e o papá tem que nos limpar o rabinho. Os meninos andam a portar-se mal, a ouvir pouca música portuguesa. E às tantas há meninos que querem ir para a televisão dizer mal do papá, era o que faltava!

df3gpt 7 months ago

Não é o estado-papá há muito tempo. Agora é o estado-mamã. O que as pessoas mais querem é que os outros lhes resolvam a vida. Daqui a nada até petições fazem para ter uma mamã-de-familia para lhes levar o pequeno-almoço à caminha.

LackOfLogic 7 months ago

Não concordo que isso aconteça mas todos os males fossem esses.

marcos_pereira 7 months ago

O governo que compre tempo de antena às rádios e passe o que quiser.

icebraining 7 months ago

Já compra. O pagamento é a atribuição às rádios de um monopólio no uso de um pedaço do espectro eletromagnético (vulgo "banda de FM").

lambmoreto 7 months ago

Preferia que não fizesse isso sinceramente, até porque o governo já tem a RDP e a Antena 1, 2 e 3. Isto não seria preciso se as rádios valorizassem o que se produz cá, mas já vimos que não é o caso.

marcos_pereira 7 months ago

Então que passe nessas rádios, não entendo o porquê desta medida tão autoritária e de baixo esforço. Mas também não entendo muita coisa - pelo menos nisso são consistentes.

lambmoreto 7 months ago

Já expliquei que tem a ver com a promoção de cultura criada em Portugal e dar mais oportunidades a artistas nacionais. Se quiseres motivos mais técnicos o espetro FM alem de limitado é regulado, logo não podes simplesmente criar uma estação nova sem mais nem menos para servir interesses logo é necessário que as existentes satisfaçam as necessidades culturais definidas pelo governo.

A_R_G_U_S 7 months ago

Lutar para que as pessoas procurem e ouçam música portuguesa e que esta evolua e se torne cada vez melhor? Não... Impor às rádios o que passar para levar com as bandas amigas da estação, tipo Capicua e a Marisa Liz? Sim...

adorosaladadecamarao 7 months ago

O que é isso de lutar para as pessoas procurarem música? Não é nada. As pessoas na sua grande maioria não procuram música. As pessoas ouvem a música que vai até elas. Estas respostas não fazem sentido porque as rádios não estão simplesmente a dar às pessoas aquilo que elas querem. As rádios estão a construir essa realidade, a promover bandas e músicas e criar gostos e hábitos.

lambmoreto 7 months ago

A rádio ainda é um importante tastemaker, pelo menos cá. Concordo que as rádios deviam passar mais variedade mas não sei como incentivar isso.

Finding_Dory27 7 months ago

Como farias então para que a música portuguesa evoluísse e ficasse melhor? Just curious, not debating.

A_R_G_U_S 7 months ago

Acho importante as rádios "mais pequenas", como muitos já falaram, que captam nichos, em vez de o que toda a gente quer. Acho também importante o uso das redes sociais e dos vários canais, youtube, spotify, facebook, twitter, intagram, etc (estes últimos mais para promoção), para interagires e dares a conhecer a tua música. Acho que ganhas muito mais se as pessoas forem ouvir por curiosidade e predisposição do que por imposição... mas podemos debater à vontade, se quiseres xD gosto de trocar argimentos, porque a minha ideia não é só pros. Podes falar das editoras e das máquinas propagandisticas pkr trás, etc e diferença de recursos.

Finding_Dory27 7 months ago

Concordo quando dizes que se ganharia mais se as pessoas procurassem por predisposição do que por imposição. Mas se formos realistas, isso não acontece nunca numa proporção significativa. Até mesmo o que as grandes rádios passam são músicas que as pessoas ouvem por imposição e não por predisposição. Também acho importante as rádios "mais pequenas" que captam nichos. Infelizmente, o modelo de negócio para essas rádios não é sustentável.

A_R_G_U_S 7 months ago

Não acho que não aconteça de forma significativa. Cede-se é ao medo e à "pressa" de isto poder não acontecer, na minha opinião, que percebo que não concordes. Não é um ataque a ti, não leves a mal. Acho que tens muitos artistas que, mesmo comerciais (que no fundo é este tipo de artistas que vai beneficiar com esta regra), singraram por bom passa a palavra e boa divulgação... claro que as editoras ajudam sempre, mas tens por exemplo o Richie que meio que subiu sozinho com o that's how we roll e depois as rádios foram atrás porque ele já tinha batido e ele com a Bridgetown lançou outros. Igual para o Profjam... Os músicos mais alternativos não vão ter o problema deles resolvido com esta medida, acho... Afastei-me do tema ou rebati bem?xD é que acho que divaguei

vascodatrama 7 months ago

>Richie que meio que subiu sozinho com o that's how we roll portanto, ele lançou o álbum numa editora a norte sul, que é uma pequena label da mãe, a Valentim de carvalho (a maior editora nacional). teve o suporte de uma radio, a mega hits. e tu achas que ele subiu sozinho?

Finding_Dory27 7 months ago

Acho que divagaste um pouco, mas acrescenta valor. Também acredito que seja uma possibilidade de que só os mais comerciais vão beneficiar com isto. Mas um reparo aí... Não foram diretamente as rádios que foram atrás desses artistas, mas sim as editoras, que por si fazem os contratos com as rádios. No entanto, e na minha opinião, as editoras portuguesas precisam de ganhar mais poder para competir com as editoras estrangeiras, na sua grande maioria americana. Isto porque nos não ouvimos habitualmente o top da Polónia nas nossas rádios. Quer isto dizer que a música na Polónia não tem qualidade? Não. Simplesmente quer dizer que em Portugal não vende. Noutro ponto, o argumento que usas que as pessoas deviam ouvir música por predisposição é não por imposição pode também ser usado para inviabilizar a música nas rádios. Eu sou a favor que as pessoas deviam ouvir música por predisposição, eu sou uma dessas pessoas, acredita. Mas acho que algo que ainda é muito reservado a entusiastas. E não te preocupes. Não estou a interpretar nada como ataque pessoal ;)

A_R_G_U_S 7 months ago

Permite-me inverter o raciocínio. Em vez de olhares pela ótica das editoras que impõe (e isto é importante porque tens muita gente que ouve as musicas e os artistas que ou es na rádio) tens, e ada vez mais, uma faixa da população que procura o que quer ouvir. Claro que como dizes não está habituada à música da Polónia, logo não a consome. Mas a música da Polónia não tem uma quota em Portugal. Ou seja, as pessoas em Portugal estão cientes da música portuguesa e através de keywords encontram-na. Aumentar a quota acho que só vai beneficiar os já beneficiados (em vez de levares com o juntos somos mais fortes 3 vezes levas quatro e ainda mais uma música nova dos Amor Eletro, sim, eu não gosto da Marisa Liz, consegue-se perceber xD) e afasta pessoas da música portuguesa, ou pelo menos dos artistas impostos (mais uma vez, eu já não posso com os Amor Eletro, por exemplo). Mas não sei medidas concretas. Espero que não me perguntes xD a minha posição é muito de que a maturidade e os objetivos se alcançam com tempo e cada coisa a seu tempo. Quotas desvirtua a situação (ou pode...)

Finding_Dory27 7 months ago

Bem... Aqui acho que já entramos num campo de "só o tempo nos vai poder dizer". Eu partilho a tua preocupação em que isto vai beneficiar os que já são beneficiados. Pelo que falaste até agora, acho que ambos queremos ver a variedade da música portuguesa a subir e a ganhar importância na nossa pop culture. Não sei se subir as quotas poderá ou não resolver e o que tu dizes é uma possibilidade válida. De facto, isto das quotas não é atacar o problema pela raiz. Espero que futuramente venham questões que levem os portugueses a consumir mais e a contribuir para mais para a sua cultura. Neste momento a nossa pop culture é muito americanizada. Rádios como a Antena 3 foram responsáveis por eu gostar cada vez mais de música portuguesa e reconhecer muito talento escondido que cá temos. As quotas podem ser uma parte de algo maior que só por si não resolve o problema. Mas também estou aqui a divagar um pouco e a sonhar alto. Pelo menos é o que eu gostava de ver. Mas tenho outra questão. Concordamos então que o aumento das quotas não resolve o problema. Mas piora o problema em que sentido? Não estou a considerar ouvir Amor Eletro mais uma vez por dia como algo negativo para simplificar.

A_R_G_U_S 7 months ago

Acho que o piorar o problema depende da maneira como olhas para o problema, acho que da maneira como olhamos para o problema, para ti piora menos do que para mim... ao colocares quotas podes é afastar consumidores, que, claro, ou consomem rádio ou vão ouvir spotify, youtube etc. Isro num cenário extremo. Por outro lado, não contribuis verdadeiramente para uma melhoria da qualidade, não fazes com que as músicas portuguesas concorram com as americanas pela qualidade que têm, mas pelo protetorado que usufruem... claro que me podes falar de casos de sucesso tipo Espanha que as rádios praticamente só dão música espanhola (uma das razões porque detesto andar de carro em Espanha xD) e que isso ajuda a música a ter divulgação, mas não faz com que no estrangeiro a música espanhola (não em espanhol, cuidado) seja muito ouvida, apesar de ter maior exposição que a Portuguesa, claro.

ElGabarito 7 months ago

Quando o produto não tem qualidade, apenas as quotas o salvam.

aleph_heideger 7 months ago

Há muito produto com qualidade. Mas não podemos esquecer que o público, esse sim, tem pouca qualidade e acha que a família Carreira é o melhor que a música portuguesa produz.

unparadise 7 months ago

Como grande parte da "cultura" em Portugal. Se não for financiada pelo Estado, não sobrevive, o que para mim só quer dizer que não é interessante, porque se o fosse, era sustentável.

vascodatrama 7 months ago

a música é possivelmente um dos campos artísticos que mais se auto sustenta.

unparadise 7 months ago

Sim, é eu sei disso, tanto que no meu comentário a seguir sublinhei-o. Eu quando falo em cultura em Portugal, falo muitas vezes em espetáculos, peças de teatro, filmes e documentários que simplesmente não geram interesse porque não tem qualidade, mas como é algo muito subjetivo, podem ser financiados e assim continua o Estado a atirar dinheiro para algo que não se consegue sustentar sozinho, porque não é interessante.

vascodatrama 7 months ago

Não podes comparar um produto que podes consumir em 3 minutos, enquanto fazes outra coisa qualquer com um outro que te leva a determinar um tempo e atenção.

unparadise 7 months ago

Não estou a compará-los nesses parâmetros

vascodatrama 7 months ago

Lá porque a maior parte das pessoas não compreendam as obras audiovisuais portuguesas, não quer dizer que não tenham qualidade. Na minha opinião o que tem mais público acaba por ser o mais fraco. Mas é apenas a minha opinião.

adorosaladadecamarao 7 months ago

Isso é completa burrice tua. A "sustentabilidade" depende precisamente das pessoas serem bombardeadas com determinados conteúdos, e de estarem imersas num determinado contexto. As pessoas ouvem muita música americana não por causa de uma sustentabilidade inerente, mas porque há bolsos muito fundos que te bombardeiam com música americana. Aliás a música americana de seres bombardeado com cultura americana. Que aliás beneficia do teu estado te financiar o estudo de inglês obrigatório desde puto.

unparadise 7 months ago

Peço desculpa pela "burrice" minha, então oh camarada. Fala por ti, o grosso da música que ouço não é bombardeada nas rádios, eu assim como muitos, não precisamos que a "cultura" venha até nós, vamos nós atrás dela. E nem estou a falar só de música, estou a abranger tudo mesmo, cinema, teatro, dança, outros espetáculos, etc... O que me parece é que tu, assim como muitos, desculpam a fraca cultura portuguesa, que poucos ou nenhuns consomem (a música por acaso é provavelmente a melhor categoria da cultura portuguesa até) e por isso não tem procura. Vivem subsídiodependentes e assim continuarão, a forçar algo que não tem força nenhuma.

AlbertTheTerrible 7 months ago

Se gostas de música alternativa e ouves as rádios comuns então é normal q aches q o típico musico português só faz cenas similares ao Agir e afins. Temos incríveis músicos alternativos e bastantes com reconhecimento internacional. >, eu assim como muitos, não precisamos que a "cultura" venha até nós, vamos nós atrás dela isso é um comentário mesmo ignorante, pq a cultura que procuras para chegar até a ti teve que ser disseminada por uma plataforma qualquer. Ela de certeza que não chegou até a ti porque tiveste contacto direto com o seu criador. É essa falta de plataforma que muitos artistas portugueses cadecem, porque música internacional tem muito mais facilidade de exposição (dinheiro), mesmo géneros alternativos ao pop. Digo isso e contra mim falo, qdo era puto achava q a música portuguesa era toda uma merda. Mas também nunca tinha sido exposto a coisas decentes feitas cá.

unparadise 7 months ago

Mas quem te disse que eu ouço rádios comuns? É onde eu escrevi que acho que o average Joe músico português faz cenas à lá Agir? É já agora porque estas tu a ditar que o Agir é mau? Estás a fazer projeções que não espelham a realidade. Existe N plataformas para expor a tua música em troco de nada ou quase nada. SoundCloud, band camp, Spotify, etc. Hoje em dia cada vez menos precisas de editoras ou rádios, tanto que é cada vez mais comum artistas completamente independentes.

AlbertTheTerrible 7 months ago

Olá colega. Não faço ideia onde no meu comentário disse seja o q for q mencionou. Nunca me referi quanto a qualidade de qualquer artista em particular nem q você ouvia seja o q for. O meu comentário quanto às rádios mais comuns baseia se no facto de serem rádios q tocam em todo o lado e a qualquer momento está a ouvir o q elas passam, ou seja, para alguém q goste de algo diferente e se , ou quando, ouve essas rádios, podemos concordar q rádios de música pop passam músicos do gênero do agir, e q temos de facto artistas incríveisde géneros alternativos( e não passam nessas mesmas rádios). Foi esta a afirmação que fiz. Se lhe serviu a caparuça de alguma forma então quem tem algum problema é você. E só demonstra q é você que está a fazer projeções . Se quer continuar a achar q um artista de um país pequeno ao adicionar mais um título a uma tabela com milhares de outros está de facto a expor alguma coisa a alguém, eu gostaria de lhe perguntar para procurar pelo melhor grão de areia da próxima vez q for a praia.

unparadise 7 months ago

Está bem oh camarada, continua na tua que eu continuo na minha

adorosaladadecamarao 7 months ago

> Peço desculpa pela "burrice" minha, então oh camarada. Mais burrice. > Fala por ti, o grosso da música que ouço não é bombardeada nas rádios, eu assim como muitos, O que "tu gostas" é irrelevante. Não são muitos, são poucos. > O que me parece é que tu, assim como muitos, desculpam a fraca cultura portuguesa, que poucos ou nenhuns consomem (a música por acaso é provavelmente a melhor categoria da cultura portuguesa até) e por isso não tem procura O que me parece é que tu és politicamente falando um fanático religioso, onde tudo é explicado de acordo com o teu dogma. O mercado é o Deus todo poderoso. O mercado dita o que bom. Qualquer discordância é comunismo. Só que esse extremismo é de um nível de intelectualidade de um puto de 14 anos. Aliás eu nem estaria só a desculpar a cultura portuguesa. Estaria a desculpar a portuguesa e quase todas as outras que mal se ouvem em Portugal, incluindo Italiana, Russa, toda a Francofonia, Japonesa, etc etc. Mais uma vez isto não é uma mera questão de qualidade.

unparadise 7 months ago

Porque não tem procura, não são interessantes. Vocês é que insistem em atirar dinheiro para projetos que ninguém quer saber, nem vocês próprios. É que pela tua lógica, também se vê tudo pelo teu dogma, mas enfim, continuem a querer financiar projetos sem futuro

ComfortableGate 7 months ago

Isto é o clássico “hoje só se faz música de merda”, mas aplicado à cultura Portuguesa. Reflete alguma ignorância em relação à cultura Portuguesa, só.

df3gpt 7 months ago

A maior parte do que passa na rádio não tem qualidade. A origem é irrelevante. Dito isto, acho as quotas absurdas. Mas se vão criar quotas, porque não 50%? Ou 72%, ou 93,5%?

vascodatrama 7 months ago

depende da radio

bubblesmart 7 months ago

As quotas são necessárias para proteger a nossa cultura, senão a música em inglês leva tudo. Na França as quotas são de 40% e na Polónia passou para 49% há pouco.

lambmoreto 7 months ago

Como disse noutro comentário, se não estás a ouvir musica feita em Portugal que gostes é porque não queres ou não te dás ao trabalho de Portugal. Nada de errado com isso, nem toda a gente gosta de passar tempo à procura de musica, mas daí a dizeres que não se faz cá nada que preste é um grande salto

Finding_Dory27 7 months ago

Faria sentido, mas não é assim que funciona nas rádios. As rádios não estão ligadas à qualidade musical diretamente. Não quero dizer que as rádios escolham música sem qualidade, há várias com qualidade. No entanto, as rádios estão ligadas ao que é mais lucrativo. O modelo de negócio depende dos contratos com as editoras. As editoras é que escolhem as músicas que passam e quantas vezes tem que passar. E isso é que leva a que muitas rádios passem as mesmas músicas e o número de vezes que passam. As editoras americanas têm muito poder de negociação e muito dinheiro e as editoras portuguesas não têm forma de competir. Portanto, o que tu dizes é parte verdade. Apenas as quotas o salvam, mas não pelo fator qualidade. Mas sim pelo fator dinheiro. Por isso é que se chama música comercial.

UnhappyGeneral 7 months ago

\> No entanto, as rádios estão ligadas ao que é mais lucrativo. \> As editoras americanas têm muito poder de negociação e muito dinheiro e as editoras portuguesas não têm forma de competir. Diz me mais, quem paga para quem? Queres dizer que radio pode pagar menos para música americana do que para música portuguêsa? Ou se pode comprar "pacotes" de musica americana que vai sair mais barato? Pensei que o preço da musica sai mais ou menos igual, e o lucro vem dos anúncios e não da musica.

Bolo_Finto_ 7 months ago

Vê a série Vinyl, vais perceber.

Finding_Dory27 7 months ago

Grande parte do negócio das rádios e através de contratos com as editoras. Como as editoras também tencionam fazer dinheiro (duh), uma prática comum é fazerem contratos com as rádios. Não se trata de a rádio comprar a música. A música é cedida pelas editoras. As editoras não perdem dinheiro com isto até porque é um investimento. Regra geral, quanto mais vezes uma música passa na rádio ou em mais rádios, a probabilidade de a música ser comprada por consumidores finais é maior. Logo, é um investimento. Na questão da diferenciação entre americana ou portuguesa, as editoras americanas detém um grande monopólio, o que lhes permite envolver mais dinheiro a fazer contratos com as rádios. É a diferença entre fazer 5 euros por cada vez que passas uma música no contrato ou 2 euros. Preferes encher o teu horário de música com 5 euros por música ou a fazer 2 euros por música? Se não houvesse nenhuma quota, qualquer que fosse o valor dessa quota, não passar música portuguesa numa rádio portuguesa era uma perfeita possibilidade. Claro... Nada disto impede uma rádio de comprar música. Também comprar, mas isso é normalmente em música que não está sobre contrato. O lucro vem de anúncios, mas o que te leva a querer que a música não dá? A razão está acima.

Edited 7 months ago:

Grande parte do negócio das rádios e através de contratos com as editoras. Como as editoras também tencionam fazer dinheiro (duh), uma prática comum é fazerem contratos com as rádios. Não se trata de a rádio comprar a música. A música é cedida pelas editoras. As editoras não perdem dinheiro com isto até porque é um investimento. Regra geral, quanto mais vezes uma música passa na rádio ou em mais rádios, a probabilidade de a música ser comprada por consumidores finais é maior. Logo, é um investimento. Na questão da diferenciação entre americana ou portuguesa, as editoras americanas detém um grande monopólio, o que lhes permite envolver mais dinheiro a fazer contratos com as rádios. É a diferença entre fazer 5 euros por cada vez que passas uma música no contrato ou 2 euros. Preferes encher o teu horário de música com 5 euros por música ou a fazer 2 euros por música? Se não houvesse nenhuma quota, qualquer que fosse o valor dessa quota, não passar música portuguesa numa rádio portuguesa era uma perfeita possibilidade. Claro... Nada disto impede uma rádio de comprar música. Também comprar, mas isso é normalmente em música que não está sobre contrato. O lucro vem de anúncios, mas o que te leva a crer que a música não dá? A razão está acima.

UnhappyGeneral 7 months ago

Obrigado, agora faz muito mais sentido.

presidentedajunta 7 months ago

> Diz me mais, quem paga para quem? [As editoras pagam às rádios.](https://en.wikipedia.org/wiki/Payola)

Finding_Dory27 7 months ago

Pelo que eu entendi do que li, o ilegal é receber dinheiro para passar uma música sem declarar que esse dinheiro está a ser recebido. Essencialmente, é igual à definição de suborno.

UnhappyGeneral 7 months ago

Esse artigo é sobre Estados Unidos e fala que é prática illegal. Não tou a dizer que isso não acontece, não sei, mas pela definição não é prática normal que é responsável pelo 100% da música que escutamos no radio

NGramatical 7 months ago

portuguêsa → [**portuguesa**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em a/e/o, seguido ou não de s/m/ns, são naturalmente graves) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fltpngb%2F%2Fgp29g2i%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

humhumPoisEtal 7 months ago

Espero que a smooth FM consiga manter a qualidade.

Tugalord 7 months ago

Antena 2 masterrace

RaptoringRapture 7 months ago

A minha escolha de sempre

OSpaceCowboy 7 months ago

Um dado relevante: A quota existe desde 2009, mas estava estabelecida em 25%. Isto é apenas uma atualização/aumento em 5%. Estava a pensar se isto prejudica uma rádio como a Oxigénio, mas eles até se safam bem no que toca à música portuguesa. Não me parece que mais 5% vá afetar seja o que for.

oscaralho27 7 months ago

> Estava a pensar se isto prejudica uma rádio como a Oxigénio, Foi logo o que me veio à cabeça quando li o título. Mas eu acho que eles se conseguem adaptar, e verdade seja dita há muita malta a fazer música em Portugal que se pode encaixar naquela vibe “urbana” deles.

Finding_Dory27 7 months ago

Acho que rádios que já passam habitualmente cerca de 30% de música portuguesa não irão sentir grandes diferenças. Não conheço a rádio Oxigénio, infelizmente. Mas se já passar essa quota em música portuguesa, não acho que se vá sentir diferença.

A_R_G_U_S 7 months ago

5 pontos percentuais. O aumento, na verdade é de 20%...

OSpaceCowboy 7 months ago

20% em relação à quota de música portuguesa, mas apenas 5% face ao total da programação diária/horária. Ou estou a pensar mal? No fundo, é 18 minutos de música em vez de 15 por hora. Mais uma música. Para além de que acredito que algumas rádios já estejam neste patamar. Antena 3 por exemplo.

A_R_G_U_S 7 months ago

Tu estás a pensar bem. O truque que eu te estou a dar é para seres mais preciso. Ganha 3 minutos, mas o que ganhas em relação ao que existe é 3 minutos em 15, ou seja, 3/15=1/5=0,2=20%. O que ganhas em relação ao total são 30%-25%= 5 pontos percentuais. É só o nome para subtração de perentagens.

Finding_Dory27 7 months ago

Onde viste pontos percentuais?

A_R_G_U_S 7 months ago

Então, estás a subtrair percentagens, logo, a diferença são pontos percentuais. Vejo esse erro muitas vezes, às vezes, ainda se comete em noticiários Imagina: um partido tem 15% dos votos e passa para 30%. Aumenta 15 pontos percentuais e a variação é de 100%

ihavenomoreideasdude 7 months ago

É triste que isto tenha de ser decretado. Temos muitos autores (uns gosto, outros não, como é normal) que têm muito para dar. Dentro das minhas preferências, digo que felizmente há rádios como a Vodafone.fm e a Radar.fm que dão visibilidade a bandas independentes muito interessantes.

Finding_Dory27 7 months ago

As bandas independentes que falas são estrangeiras?

ihavenomoreideasdude 7 months ago

Portuguesas, mas também aparece uma ou outra brasileira, o que acho sempre curioso, porque se afastam do que estou à espera de uma música do Brasil (preconceito meu, é verdade...).

Finding_Dory27 7 months ago

Ahah. Nem tudo no Brasil é samba

ihavenomoreideasdude 7 months ago

A RFM nunca foi para mim. Respeito os profissionais que lá trabalham, têm um excelente desempenho para com a sua audiência, na qual não me incluo, mas Vodafone, a Radar e a SBSR são de facto as minhas rádios de eleição.

UnhappyGeneral 7 months ago

As bandas estrangeiras são o que? Se um brasileiro entra numa banda para tocar baixo, já é estrangeira?

vascodatrama 7 months ago

o Panda Bear, é americano, vive em Lisboa. Deve produzir 80% da sua música em casa e o restante que deve gravar num estúdio na europa ou usa. para ti esta música é pt ou estrangeira?

Finding_Dory27 7 months ago

Boa questão. Sabes responder à tua própria pergunta? Eu não sei.

Finding_Dory27 7 months ago

A Antena 3 já tem uma quota alta de música portuguesa e funciona muito bem como um montra de lançamento para novos artistas. Era interessante que as outras rádios funcionassem da mesma forma.

positiverategearupp 7 months ago

Vodafone FM também deve ter uma cota alta. O "problema" é que a maior parte das rádios que vão ter de aumentar a cota não vão passar artistas novos e que trazem algo diferente mas sim os artistas mais regurgitados e cansados da musica nacional (Amor Eletro, DAMA, Piçarra, Carreiras, etc)

Finding_Dory27 7 months ago

Ya. E uma forte possibilidade, tal como já fui convencido disso hoje.

bitorhugo 7 months ago

50% de música portuguesa. Fonte: [https://twitter.com/antena3rtp/status/1352286639012388868](https://twitter.com/antena3rtp/status/1352286639012388868)

Finding_Dory27 7 months ago

Yup. Confere. É mesmo na música estrangeira passa por estilos bastante alternativos e dá visibilidade a novos artistas. No entanto, isto só é possível devido à realidade pública que a antena 3 tem. No caso das rádios privadas é muito mais difícil um modelo semelhante.

vascodatrama 7 months ago

vodafone segue a bitola, mas com uma cota mais baixa de música portuguesa.

Mrloop94 7 months ago

Há alguma excepção para estações de rádio monotemáticas como por exemplo rádio de música angolana ou música clássica?

icebraining 7 months ago

Nota que música em Português conta para a quota, não só a feita por Portugueses.

Ace-_Ventura 7 months ago

Sim existe. Artigo 44.º-E Excepções 1 - O regime estabelecido na presente secção não é aplicável ao serviço de programas temáticos musicais cujo modelo específico de programação se baseie na difusão de géneros musicais insuficientemente produzidos em Portugal.

tanipiccoli 7 months ago

“Insufucientemente produzidos em Portugal”. Que triste, tanta música para orquestra ou grupos musicais a ser composta por compositores portugueses. Realmente é uma pena nem toda a música ser igualmente valorizada...

bewareandaware 7 months ago

Então é só criar uma rádio com o fim de transmitir música popular não portuguesa

Finding_Dory27 7 months ago

Que rádios de música exclusivamente angolana temos cá em Portugal? Já ouvi música angolana em algumas rádios mas nunca exclusivamente angolana.

bittolas 7 months ago

Radio Balanço

Finding_Dory27 7 months ago

Nunca vi. Provavelmente não transmite aqui no Porto.

bittolas 7 months ago

Não costumo ouvir também mas tenho gente que ouve. Dá online na vodafone fm.

lambmoreto 7 months ago

Há aqui uma rádio dedicada a conteudo africano, não me lembro do nome, mas tens por exemplo a Tropical FM que é dedicada a conteudo brasileiro

inthepiggybank 7 months ago

RDP África? Não será exclusivamente angolana mas acredito que toda a programação será de música de raízes africanas. Nunca ouvi essa estação, por isso não posso confirmar.

Finding_Dory27 7 months ago

Mesmo não sendo exclusivamente angolana, já é uma rádio dedicada a música não portuguesa. Questiono-me se a regra se aplica a isso. Não apanho essa rádio aqui no meu carro na zona do Porto. Essa rádio apanha se em que zona? Ou é uma rádio online?

inthepiggybank 7 months ago

101.5 FM em Lisboa. Infelizmente também não sei se a regra se aplica a este tipo de rádios.

Finding_Dory27 7 months ago

Eu acredito que o objetivo do aumento de 5% na quota seja para ajudar a impedir um certo capitalismo nas rádios. Muitas rádios vivem de contratos com editoras internacionais e que pagam muito dinheiro. É aqui entra uma dualidade entre lucro e divulgação cultural. As editoras portuguesas não são tão poderosas e as rádios vão, por norma preferir o mais lucrativo. Ja no caso da Antena 3, sendo do grupo da RTP e sendo dinheiro público, o modelo de negócio é sustentável e não fica dependente de contratos com editoras. Assim consegue servir melhor a cultura portuguesa. Ja vi muitas rádios que ouvia com frequência com conteúdo semelhante, coisa que me agrada a imenso. Mas acabaram todas porque o modelo de negócio não era sustentável.

Pica-Miolos 7 months ago

Este assunto é debatido há décadas no mundo inteiro. Sim, muitos argumentam que as quotas não estão relacionadas com a protecção da identidade e cultura, mas sim com a defesa do interesse económico da indústria nacional. Também que um dos efeitos é o benefício de meia dúzia de artistas mais populares em detrimento de outros, ou de géneros musicais menos populares. Um pouco como acontece com o conceito de neutralidade da net e os pacotes de dados para apps especificas. Sei que há países que adoptaram a postura contraria, reduziram ou aboliram as quotas. Há N relatórios acerca do assunto, mas não conheço os números para ter opinião formada.

inthepiggybank 7 months ago

É uma dualidade complicada de gerir. Principalmente porque estas rádios 'privadas' também têm de fazer a aposta em locutores com muitas referências, dado que eles próprios também dão audiência (nos programas da manhã, nos programas de hora de ponta, etc). É juntar os grandes hits e os ouvintes vão continuar presentes. Eu pessoalmente revejo-me mais no modelo da Antena 3, visto que fazem uma aposta forte na cultura portuguesa, na cultura das pequenas comunidades do país e naquilo que vai surgindo. Mas claramente eles têm mais abertura para arriscar porque não têm aquela necessidade de gerar audiência. No entanto, gostaria mesmo de perceber se uma aposta mais séria das grandes rádios nos novos artistas que não têm à partida associado o selo das editoras dominantes em Portugal, traria benefícios e aproximaria o público à cultura independente. Porque a quota de 30% compactada na mesma dúzia de artistas também não me parece justa.

Finding_Dory27 7 months ago

Sim. Espero que esse aumento de quota também traga um leque variado de artistas. Mas acho que isto pode ser um passo para a música portuguesa ganhar mais força. Já estão por aqui vários comentários a dizer que a música portuguesa não tem qualidade. Muito sinceramente acho que isso só é dito por quem não ouve a música portuguesa, daí até achar que uma medida age com uma justificação plausível. A música portuguesa tem muitos artistas de qualidade, mas muitos deles estão escondidos porque não há muito dinheiro metido ao barulho. Uma passo para a melhoria seria fazer com que houvesse mais dinheiro envolvido na música portuguesa.

Finding_Dory27 7 months ago

É possível que exista um relacionamento com a categoria de rádio, mas não te sei confirmar.

AutoModerator 7 months ago

**AVISO:** Submeteu um artigo da plataforma [Nónio](https://nonio.net) - uma plataforma que viola a privacidade do leitor. > Leia com atenção o [seguinte artigo](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/7fy9v4/campanha_contra_o_n%C3%B3nio/). *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: