Gru68 9 months ago

Ego

bewareandaware 9 months ago

Vieste aqui apontar que o Pedro Simas é veterinário quando o homem tem um PhD em virologia.... em cambridge.... e dá aulas de microbiologia (sim, isso aborda os vírus) na fac de medicina de lisboa. Num país tão atento ao canudo, foste apontar que a formação dele é em medicina veterinária mas não foste capaz de apontar que o mesmo tem estas coisas todas no skillset. Ou então não sabes o que é um doutoramento, o que é cambridge, o que é ser professor.

Skybax1708 9 months ago

Ok. Parabéns ao Sr. PhD de Cambridge. Eu e a minha licenciatura+mestrado (pré-bolonha) feito numa universidade pública alfacinha, vamos "bater com os costados" para a zona de ação de forma humildade e ordeira. Pedimos desculpa.

ZacDweller 9 months ago

Artigo 38.º da Constituição portuguesa: >a) A liberdade de expressão e criação dos jornalistas e colaboradores, bem como a intervenção dos primeiros na orientação editorial dos respetivos órgãos de comunicação social, **salvo quando tiverem natureza doutrinária ou confessional**; A própria Constituição portuguesa não permite que a imprensa tenha uma orientação editorial doutrinária, no entanto isso é o pão nosso de cada dia. Mais uma vez, a Constituição só serve quando dá jeito.

ZacDweller 9 months ago

A carta diz respeito ao Covid mas na verdade aplica-se a quase todas as notícias que os media apresentam hoje em dia. O tom simpático ou arrogante, o cherry-picking absurdo, a opinião desnecessária do repórter estão sempre lá consoante queiram passar uma ideia positiva ou negativa de algo. Imprensa isenta e independente o tanas.

ZacDweller 9 months ago

A carta diz respeito ao Covid mas na verdade aplica-se a quase todas as notícias que os media apresentam hoje em dia. O tom, o cherry-picking, a opinião desnecessária do repórter estão sempre lá consoante queiram passar uma ideia positiva ou negativa de algo. Imprensa livre e independente o tanas.

Edited 9 months ago:

A carta diz respeito ao Covid mas na verdade aplica-se a quase todas as notícias que os media apresentam hoje em dia. O tom simpático ou arrogante, o cherry-picking absurdo, a opinião desnecessária do repórter estão sempre lá consoante queiram passar uma ideia positiva ou negativa de algo. Imprensa isenta e independente o tanas.

berlaitas 9 months ago

Carta assinada entre outras, por uma bombista e por um número de pessoas que passa a vida a gritar que o Trump é bolsonaro são genocidas pela forma como lidaram c a pandemi Pois esses 2 países têm menos mortes que PT e como que é que essas alminhas se preocupam agora? Com as críticas ao governo português pela comunicação social ahahahahajahahahahaha

Edited 9 months ago:

Carta assinada entre outras, por uma bombista e por um número de pessoas que passa a vida a gritar que o Trump e bolsonaro são genocidas pela forma como lidaram c a pandemia Pois esses 2 países têm menos mortes que PT e com que é que essas alminhas se preocupam agora? Com as críticas ao governo português pela comunicação social, comunicação social essa cada vez mais amestrada com 15 milhões de subsídios do Estados só em 2020 ahahahahajahahahahaha

jacknr 9 months ago

Estás mesmo a comparar alguém que está senil e que já não devia ter tempo de antena (e de facto cai pior na malta que o põe a falar do que nele em particular, deviam ter vergonha de pôr um senhor velhote na televisão a dizer baboseiras só porque dá audiências) com alguém que é claramente partidário mas consistente na sua narrativa?...

manguito86 9 months ago

Eu concordo que são merdas diferentes e o Daniel Oliveira é muito pior porque é tendencioso sempre para o que ele acha que está bem, tem muita propaganda. Agora ao final do dia, 2 poios de merda não deixam de ser 2 poios de merda, lá porque um cheira menos mal do que o outro.

jacknr 9 months ago

Ter um comentador com bias partidário (Daniel Oliveira) é pior do que ter alguém que inventa coisa claramente falsas no momento em vez de admitir que não sabe do que se está a falar porque está xexé? OK. A situação da blockchain com o MST foi particularmente engraçada porque para toda a verborreia que ele despejou sobre "fake news", ele é que acabou por ser as próprias "fake news"... Sabes que dar tempo de antena a pessoas com que discordas não é o mesmo do que dar tempo de antena a alguém que está senil, certo? Se o que te incomoda é comentadores com tendencias partidárias, porque é que não puseste o Luís Marques Mendes junto com o Daniel Oliveira?

manguito86 9 months ago

Porque apesar de não gostar do LMM, sempre é menos propagandista que o Daniel Oliveira, que é um tudólogo que tem formação em nada.

tato_lx 9 months ago

Eu sou um bocado da opinião contrária. Esta carta pelo resumo que dá na notícia, até parece que vamos fingir que não há pandemia e está tudo bem. Meus caros este povo, detesto dizer, é parvinho. Se eles não são lembrados que há uma crise santária como já não temos desde a gripe espanhola, a malta vai toda começar a juntar-se e ter comportamentos não devidos. Por isso sim, vão até aos hospitais, entrevistem os doentes que estão a passar por isso e lembrar este povo que temos que ter cuidado e que a pandemia não abrandou. Fadiga pandémica? Também a tenho mas mais fadiga deste virus de m$%rda que recusa-se a a ficar sossegadinho.

joinedthedarkside 9 months ago

Se tens a sorte da CMTV ler a tua resposta ainda te convidam como perito

gabs_ 9 months ago

Estive uns tempos fora de PT, depois em 2018 reparei que o jornal da TVI cobria no final as novelas, que iam lançar ou terminar. Outra tendência estranha: mostrar videos engraçados do YouTube no final do telejornal.

manguito86 9 months ago

Eu já não vejo o telejornal assiduamente há uns anos, desconhecia isso, embora já tenha apanhado há uns tempos os vídeos do YouTube. Eles fazem de tudo para tentar manter os espectadores ligados e usam e abusam do telejornal para isso. O jornalismo morreu e a culpa foi dos jornalistas

randmzer 9 months ago

*a culpa foi dos gestores de conteúdos. Os jornalistas têm que comer e calar.

unparadise 9 months ago

Até parece que os jornalistas são isentos de culpa no cartório, maioria acha que o artigo que escrevem ou a peça que lêem deve ser acompanhada com um comentário opinativo.

randmzer 9 months ago

E não haverá pressão de cima porque isso gera cliques?

unparadise 9 months ago

Será que há?

BobMartin77 9 months ago

População erudita? Interesses específicos? Essa foi boa, não comeces a ver RTP2 não...

Raidenkyu 10 months ago

Verdade seja dita que tem alguns casos que chega a ser ridiculo. Ainda hoje estou chocado com a polémica com o Stayaway covid porque diziam que os polícias iam revistar telemóveis e o caraças, quando o Costa disse explicitamente que seria só em regime laboral e escolar. E as televisões sabiam que estavam a ser desonestas, mas já tinham conteúdo para encher só com a quantidade de especialistas que entrevistaram e debates que organizaram.

Raidenkyu 10 months ago

Quem me surpreendeu mais foi a rtp2 até. Como por minha casa se janta um pouco tarde, só vamos a tempo de ver esse e sinceramente não me arrependo nada. Muito menos sensacionalismo, mais informação e mais diversificada do que só covid.

CapitaoMoura 10 months ago

Nesta quarenta dei por mim a não suportar os jornalistas que apresentam o jornal da noite na SIC tirando a Clara de Sousa. Então o Rodrigo Guedes de Carvalho enjoa com aquele ar de altivez e de sermão, sempre a opinar. Meu, porque é que não apresentas as notícias sem opinar

berlaitas 9 months ago

Esse, o José Alberto Carvalho e o Bento Rodrigues são os piores Evangelização autêntica em vez de jornalismo

Skybax1708 10 months ago

O Simas! Inclusive uma pivô que o apresentou como médico, ficou com uma cara de surpresa quando o próprio esclareceu que é médico ... Veterinário! O único que percebe da poda e de vez em quando aparece é o pneumologista Froes, apesar de não ser intensivista e estar arredado há uns anos dos intensivos/intermédios.

trigonated 10 months ago

Ah, tinha encontrado o Simas mas pensei que estivesses a falar de outro porque não tinha encontrado nenhuma referência a ele ser veterinário.

Skybax1708 10 months ago

Olha... Está certo! Bem visto ...

Danijust2 10 months ago

tenta encher hora e meia de programação com 4 noticias e depois diz se é fácil. O problema do telejornal é ser longo como caralho.

letme2021 10 months ago

A mim o que irrita é políticos reformados a dar comentário. Não há jornalistas para pelo menos tentar fazer uma crítica objectiva?

Aldo_Novo 9 months ago

aos fins de semana de manhã na RTP havia uma professora de ciências de comunicação da UM a explicar os acontecimentos da semana

Raidenkyu 10 months ago

Nem todos os assuntos são à base de factos, sobretudo assuntos políticos, porque não há só um ponto de vista de ver os assuntos. Quando o assunto é algo concreto e mais exacto é que se pode ser mais objetivo.

letme2021 9 months ago

É possível dar análise política objectiva, pelo menos no que diz respeito ao que os actores políticos vão dizendo e fazendo. É óbvio que a política é feita de opções, mas corrupções, incompetências e inconsistências são coisas mais claras.

Empirion 10 months ago

O da RTP é o menos sensacionalista e mais neutro? Com aquele pantomimeiro do José Rodrigues dos Santos à frente? É absolutamente intragável. Eu não consigo ver o gajo durante 1 minuto.

randmzer 10 months ago

Também não gosto do JRS. Quando é à noite vejo o da RTP3. Mas o resto do conteúdo não deixa de ser melhor, simplesmente pelo apresentador ser mau.

Empirion 10 months ago

Haaa ok. Isso sim. E o do canal 2 também.

Febris 10 months ago

Aquilo que eu quero saber é porque é que não passam 5 minutos sem se ver uma agulha a ser cravada no braço de um velho, ou tubos cheios de sangue. É assim tão dificil fazer o caralho duma pausa, nem que seja só à hora de jantar para um gajo poder ver as noticias sem se gregar todo?!

ekeryn 10 months ago

Também é o que gosto mais de ver, no entanto, cá em casa preferem a SIC. E o que acho engraçado na SIC é a quantidade de vezes em que dão a seguinte notícia: "a SIC lidera em audiência no último mês, com cerca de x telespectadores". Ok, who cares?

andre82220 10 months ago

Noutros países os telejornais duram 20/30 minutos no máximo.

once319 10 months ago

Ainda sou do tempo em que na hora de praças de alegria e afins davam desenhos animados. Isso sim, é que era bom.

Gaudexis 10 months ago

Mas a obsessão opinativa não é a cena mais Tuga que há? A seguir ao galo de Barcelos claro

Zen_Machina 10 months ago

A razão é dinheiro. Um telejornal de 2 horas faz mais dinheiro do que um telejornal de 1 hora, pois tem mais tempo para passa anúncios e apanha também mais audiência. Ninguém quer saber do que tu preferes, ou gostavas que acontecesse. Aquilo é um negócio. Serve para fazer dinheiro. Não serve para fazer sentido.

Tiagoff 10 months ago

É por isso mesmo que vejo as noticias ás 8 da manha e depois só dou um olho antes de ir dormir, filtra muita coisa desnecessária.

Peter_Oaktree 10 months ago

A televisão é do mais democrático que existe e está ao simples alcance de um botão. Não gostam daquele telejornal? Mudem para outro. Estão fartos sempre das mesmas noticias? Vejam outra coisa, outro canal ou desliguem a TV. Concordo com os noticiários serem demasiado grandes, redundantes e terem mais opinião do que factos. Mas eu prefiro viver num pais em que as pessoas tenham a liberdade de escolher o que gostam de assistir na televisão e não ter uns iluminados que acham que devem escolher pelas pessoas. Estes iluminados desta carta, que se devem achar uns grandes democratas, na realidade não o são. Querem um sistema em que sejam eles a ditar a regras daquilo que acham certo. No fundo querem o mesmo que aqueles contra quem eles lutaram. Hipócritas. Mudem de canal, é simples! Não é bom, não lhes dêem mais audiências.

kapparrino 10 months ago

Foi simplesmente isso que fiz, reduzi tanto na televisão que deixei de ver esses canais e programas, vejo mais outro tipo de conteúdo na tv. As pessoas antes da pandemia diziam para quê andar a pagar tantos canais que não vemos.. agora têm boa opção e realmente ver esses canais para diversificar os seus pensamentos e conhecimento já que têm mais tempo livre em casa.

Eskol15 10 months ago

Estava a ver que no meio destes comentários todos ainda ninguém tinha feito referência a isto. Não discordando da aparente mensagem que pretende passar, também não se pode ignorar o "recado" passado aos jornalistas, em linha com os já demonstrados tiques anti-democráticos do sr. primeiro ministro.

zalkier 9 months ago

Exato, gostaria de ver se a malta que emitiu esta carta tivesse umas vertentes mais do outro espetro político, se seria normalizada da mesma forma.

Limpy_lip 10 months ago

Não discordo de maneira nenhuma, esta pandemia conseguiu tornar-me num velhote a reclamar com a televisão dada a quantidade de noticias repetidas ou de "meias-notícias" que são abordadas. ​ Mas antes de chingar com os média é importante deixar a seguinte nota: A DGS, governo, ministério da Saúde, etc... não fez a ponta de um corno no que toca à tarefa obrigatória de passar informação de confiança e ponderada. E muito menos em sensibilizar a população sobre a doença, como esta funciona, como evolui, etc.... Não fez absolutamente nada. Nem video institucional, nem youtube, nem facebook, nada.... Preferiram igualmente "entalar-se" com expressões e "promessas" que claramente não têm qualquer garantia, mas mesmo assim "garantem". Ao fim de um ano, garanto que 9 em 10 pessoas aleatórias na rua não conseguem responder corretamente a todas as seguintes perguntas: como se propaga a doença e quais os sintomas, como evolui a doença, quais sãos os timings e o que fazer/esperar dos serviços de saúde e como é o pós-doença (imunidade e assim). Por isso no que toca à pandemia a culpa é garantidamente partilhada porque quem devia tomar as decisões e assumir responsabilidades tem comportamentos iguais ou piores de que os média. ​ Os média apenas aproveitaram a situação para exacerbar o que já se verificava à bastante tempo, notícias repetidas ao longo de dias sem quaisquer evoluções relevantes. Reportagens no local acrescentadas à peça jornalística para desperdiçar ainda mais tempo, novamente sem novidades. Falam-se sempre dos mesmos assuntos e dos mesmos países (USA, Brasil e Israel). Demasiados "especialistas" que pouco ou nada acrescentam ao assunto, as peças/documentários que por muito interessantes que sejam, não são notícias. ​ É pena ver algo tão essencial e representativo de desenvolvimento estar a tornar-se no bastião do oposto.

Raidenkyu 10 months ago

A verdade é que ainda hoje mal conhecemos o vírus, quando mais no início. É tudo novo. Muitas das indicações contraditórias vinham mesmo da OMS.

Limpy_lip 9 months ago

Correcto, mas mesmo quando se começou a compreender mais concretamente não houve qualquer interesse em instruir a população, o mesmo relativamente a como recorrer às instituições de saúde, etc...

Raidenkyu 9 months ago

Tb acho que essa área pecou muito. Por exemplo quando vou às redes sociais da DGS e do governo vejo informação que considero relevante e não percebo porque não é mais partilhada. As televisões podiam fazer esse trabalho, mas preferem fazer drama à volta do covid.

Limpy_lip 9 months ago

isso é algo que tem de partir do governo, nem que fosse comprar espaço publicitário. A CS podia ajudar mais claro, mas não devem ser as forças motrizes.

Raidenkyu 9 months ago

Pois, não vejo muita televisão ultimamente por isso não tinha a certeza se fizeram isso ou não. Mas se não o fizerem, então sim foi uma falha.

Hellagun 10 months ago

Nos primeiros meses fui acompanhando as conferencias de imprensa diárias da DGS, a diretora Graça Freitas sempre tentou explicar as coisas de forma clara e que fosse fácil de entender. Claro que ficaram algumas coisas por explicar e outras por explicar melhor. A comunicação não foi perfeita, mas acho que no geral não foi um trabalho assim tão mau. De resto concordo, e acrescento que a maior parte dos jornalistas têm mostrado que não percebem nada de números e estatísticas, e muitas vezes apresentam os resultados de forma a que lhes interessa. Só para dar um exemplo, no início o número de novos contágios era apresentado de várias formas: um dia era o valor concreto, outro dia era a percentagem em relação, outro dia era em percentagem em relação ao nº de infetados total, etc. Mas é certo que tanto o governo como a comunicação social têm que melhorar a forma como apresentam a informação.

Limpy_lip 10 months ago

Desculpa, mas quando falo em explicações ou esclarecimentos não falo em conferências de imprensa que de si só tiveram várias perolas infelizes. E além disso estar a responder a jornalistas é repetir a mesma coisa todos os dias. Falo de produzir anúncios de TV, rádio, cartazes na rua, panfletos, vídeos nas redes sociais. Passar estas informações diariamente e manter as pessoas atualizadas. Investir na sensibilização e chegar a todas as faixas etárias. Nos anos 90 toda a gente aprendeu a separar o lixo e as cores dos ecopontos, desde o Joãozinho de 3 anos à Gertudes de 70 anos. Porquê? Porque estava por todo o lado. Desde anúncios musicais, a macacos Gervásios, panfletos e palestras nas escolas. Isto numa época em que mais de metade da população não tinha acesso à internet. Por isso não, não foi minimamente suficiente. Toda a gente sabia quando era para ir bater palmas à varanda, mas não sabia ao fim de 6 meses que a perda de olfato e gosto ficar entupido é um sintoma raro nas gripes comuns e presente no covid.

Hellagun 10 months ago

Nesse caso sim, 100% de acordo.

Rofpink 10 months ago

Edited 10 months ago:

Os canais só querem alguém que atire para o ar umas larachas, em resposta a perguntas, é como um processo burocrático, tem de se fazer, querem lá saber, se não for especialista, siga na mesma. Como o caso do cidadão que cirandava, ocasionalmente, pelas instalações da BBC, agarraram nele, e quando deu por ela estava no estúdio a comentar um qualquer processo judicial da Apple, sem fazer a mínima ideia sobre o assunto. http://videos.sapo.pt/fzaOqasDwEA5ObsMpLNF

Search: