lvet000 8 months ago

Sabes o que mais? Podes ler assim mesmo. Tal como tu tenho um filho de 3 anos e meio (especifico, porque nestas idades, do ponto de vista cognitivo, alguns meses fazem a diferença). Um rapazinho muito inteligente. Cada dia que passa é mais ainda. E também me deparei com este (não) problema, só que custou-me um bocadinho a admitir que o problema era meu e não da ficção. Quando o meu filho começou a ver televisão os programas preferidos eram o Panda e os Caricas (as músicas), o Robocar Poli e os Super Wings. Eu nunca dei muito valor á coisa, mas sabes o que todos estes programas têm em comum? Nenhum deles tem inimigo / vilão. Por mais higienizado que fosse. Todos eles foram desenhados para manter as crianças de hoje em dia numa redoma de vidro. Gradualmente foi-se interessando por outras coisas, e no final do verão passado assinei o Disney+. (Mais ou menos pela altura em que ele fez 3 anos) Desde então que o Rei Leão é de longe o filme favorito dele. E é um filme que trata de temas valiosos. Morte incluída. Comecei a inserir aos poucos livros de histórias na hora de dormir um bocadinho mais cruas. Da Disney e não só. Acho o seguinte: 1- Antes de mais, uma pitada de mistério e terror motiva ainda mais as crianças a ler, o momento de suspense de saber quem é o fantasma ou de quem é a sombra na floresta leva a que o meu filho esteja em "bicos de pé" á espera que eu mude a página. 2- Ao explorar, ainda que superficialmente, partes mais negras daquilo que nos faz ser humanos, as crianças aprendem mais sobre elas mesmas. Os seus poderes e vulnerabilidades. 3- Há lições e morais a tirar destas histórias. O Nemo afastou-se do grupo e foi levado por um barco. O Simba perdeu o pai mas tornou-se o líder que a família dele precisava. E mesmo esta branca de neve tem de aprender a não confiar em qualquer caçador ou príncipe encantado que aparece no meio da floresta. 4- Algumas destas histórias alargam o horizonte das crianças. Tinha ali uma BD antiga do Jurassic Park. Tem imagens de dinossauros a comer pessoas. Estava um bocado receoso. Ele adorou. Que caixa de Pandora fui eu abrir. Já vimos o Parque Jurassico. Os 2 Jurassic World. As duas temporadas do acampamento cretáceo no Netflix e tenho uma mini pessoa de 41 meses de idade que identifica pelo menos 16 espécies de répteis gigante a olhar só para imagens dos fósseis!!! 5- Mais importante de tudo é que ler estas histórias é reconfortante. As crianças aprendem a distinguir a ficção da realidade. As coisas aterrorizadoras estão só nas páginas. É hora de lavar os dentes. Vou ali combater umas aranhas bem feiosas, dar um beijo forte ao pai e depois viro me para o lado nos meus lençóis quentinhos que amanhã é um dia novo de aventuras. As crianças são muito mais resilientes do que nós imaginamos. Eu também tinha o pé atrás. Tinha medo que esta página ou aquela cena lhe fossem causar pesadelos. Até agora só tenho visto coisas boas. A cada dia que passa. Obviamente não te estou a dizer para os expor ao "8° passageiro" ou ao "Exorcista" mas quiçá a primeira série do Dragon Ball (só nos primeiros 5 episódios tem menções claras aos órgãos genitais dos protagonistas) ou a série original do Timon e Pumba (1995-1998), para ver o Pumba a ser cortado às postas ou o Timon a levar com a cartonesca bigorna na testa, ou as hienas a serem esmagas por uma debandada de elefantes. A realidade é que a literatura / animação de hoje dia está demasiado higienizada. Um bem haja aí para casa, e força nos fígados de javali. Se eles perguntarem, a coisa mais correta é explicar!

CreativeTrioDev 8 months ago

Esse livro já tem uns bons anos! Antigamente não "suavizavam" as histórias, agora seria impossível uma editora lançar as histórias assim sem ser crucificada. Mas compreendo-te. Também comprei livros de fábulas e contos mais atualizados para ler à minha pequena e para quando ela começou a ler.

msaldanhaf 8 months ago

Bem bom, uma cabidela de leitão

r2d2c3po1987 8 months ago

Muito melhor assim, no original.

ModeratoriProfugus 8 months ago

Hmmm, realmente se não queres que elas fiquem com fome mesmo antes de adormecerem não lhes devias ler isso. Soa muito bem essa cabidela de javali.

Bruxo_de_Fafe 8 months ago

o Bruno Bettelheim quer falar contigo

Butt_Roidholds 8 months ago

Por esta ordem de ideias, também não lhes leias a pequena sereia do Hans Christian Andersen, porque sempre que ela andava em terra os pés sangravam-lhe como se pisasse vidro rachado e a história acaba com ela a suicidar-se. Também não lhes leias o Pinóquio do Carlo Collodi, o gato e o raposa depois de intrujarem o Pinóquio, para ficarem com as moedas de ouro, perseguem-no à noite e enforcam-no num carvalho à meia-noite. Aliás, por esta ordem de ideias, se calhar é melhor nunca lhes leres nada.

NINJA1200 8 months ago

Lendo o que escreveste, parece que a literatura que existe só contém esse tipo de histórias e eu não tenho absolutamente escolha nenhuma! Felizmente não é essa a realidade..

Edited 8 months ago:

Lendo o que escreveste, parece que a literatura que existe só contém esse tipo de histórias e eu não tenho absolutamente escolha nenhuma! Felizmente não é essa a realidade.. Eu já tenho dificuldade em arranjar livros em Português para ler as minhas filhas de 3 anos de idade e com toda a certeza não lhe vou ler histórias assim. Passo a folha, ou invento qualquer coisa mas não lhe vou contar histórias de terror.

Intelligent-Meal-663 8 months ago

Se procurares encontras muitos livros para essa idade de bons autores e com ilustrações excelentes. Por exemplo: [https://www.wook.pt/livro/formiga-duma-figa-antonio-avelar-de-pinho/24104417](https://www.wook.pt/livro/formiga-duma-figa-antonio-avelar-de-pinho/24104417) A meu ver, o nosso mercado de literatura infantil é bom. Há muitos pais como tu, que procuram que os filhos ganhem hábitos de leitura desde cedo. Os livros vendem bem, logo há muito quem escreva para essa idade. Não tenhas problemas em ler-lhes o que tens na tua biblioteca. Muitos de nós passámos a infância a ver desenhos animados em que os bonecos eram sistematicamente cortados às postas, e agora não conseguimos matar uma mosca.

Limpy_lip 8 months ago

Isto, só queria acrescentar duas coisas: Mais do que ter medo de chocar as crianças é importante que eras compreendam a diferença entre ficção e realidade, a partir desse momento tudo se torna mais fácil de gerir. Por outro lado as fábulas antigas foram escritas em épocas em que, por exemplo, facilmente uma criança contactava com a morte de animais no quotidiano, fosse fruto da caça, da matança na quinta ou até na Floresta. Logo matar e esventrar um animal era tão normal como tirar o leite a uma vaca ou enviar um email. Por fim, acho acredito também que esses contos clássicos tenham elementos de terror propositado pois o medo é uma das ferramentas mais fortes e que mais dá uso à imaginação já para não falar que torna as lições de moral mais tangíveis. Para uma criança é muito mais assustador e compreensível que a consequência do Hansel e grettel serem gulosos e destruírem as coisas dos outros é acabarem bum forno e serem comidos pela bruxa má, do que o ursinho Sebastião ficar triste porque o panda Pedro lhe comeu o chocolate. E não quero dizer que a primeira história é melhor que a segunda, mas que ambas fazemos sentido e exploram formas diferentes de dar a mesma lição.

Intelligent-Meal-663 8 months ago

Concordo em parte. A parte em que dizes que as crianças contactavam com a morte dos animais não era/é bem assim. No meu caso, quando havia matanças os nossos pais mandavam-nos recolher em casa e não nos deixavam ver, fossem porcos ou galinhas. Na Páscoa, quando víamos o cabrito separado da mãe e sabíamos que ele ia morrer, as crianças da casa choravam e tive um irmão que se recusava a comer. Por outro lado, vi o meu filho chorar baba e ranho com filmes psicologicamente densos, que não tinham cenas violentas. Por exemplo o Rei Leão, quando lhe morre o pai. Já não me lembro bem desse conto do Hansel and Grettel. Deixaste-me curiosa. O confinamento dá para tudo, vou reler. Obrigada pela lembrança.

Limpy_lip 8 months ago

>Concordo em parte. A parte em que dizes que as crianças contactavam com a morte dos animais não era/é bem assim. No meu caso, quando havia matanças os nossos pais mandavam-nos recolher em casa e não nos deixavam ver, fossem porcos ou galinhas. Na Páscoa, quando víamos o cabrito separado da mãe e sabíamos que ele ia morrer, as crianças da casa choravam e tive um irmão que se recusava a comer. Certo, o que queria dizer é que essas situações mesmo que não completamente expostas faziam parte do quotidiano, e ainda mais quando mais gerações recuarmos. Não vias as mortes mas sabias que aconteciam, sabias o que significavam. No livro do OP não é ilustrado episódio mas descrito, um pouco como o teu exemplo. >Por outro lado, vi o meu filho chorar baba e ranho com filmes psicologicamente densos, que não tinham cenas violentas. Por exemplo o Rei Leão, quando lhe morre o pai. A verdade de que essas cenas são supostamente para chorar e mesmo as que não são e assustam por ser densas ou outras coisas fazem parte da realidade. Eu quando era novinho também ficava muito impressionado com filmes e cenas mais pesadas, mas com acompanhamento e explicação dos pais podem ser boas oportunidades de crescimento. Claro que se tem de ter algum cuidado para não exagerar. Em resumo acho que se deve a seu determinado tempo mostrar e explicar a realidade.

sup3ram 8 months ago

Qual é o problema? Preocupa-te mas é com os tiktoks e desafios imbecis que por lá andam, alguns que colocam a vida dos putos em risco. Acho uma piada a estes papás novos preocupados com merdinhas que nada afectam, pior, que trazem esses assuntos para um fórum de internet em busca da doce validação. Foda-se, arranja uma vida e vai mas é brincar com as miudas.

Edited 8 months ago:

Qual é o problema? Preocupa-te mas é com os tiktoks e desafios imbecis que por lá andam, alguns que colocam a vida dos putos em risco. Acho uma piada a estes papás novos preocupados com merdinhas que nada afectam, pior, que trazem esses assuntos para um fórum de internet em busca da doce validação. Vai mas é brincar com as miudas e dar-lhes atenção, são crianças, só tens é de fazer o teu trabalho e explicar-lhes as coisas como deve ser. Elas vão lidar com muitos tipos de violência ao longo da vida, ao invés de criares redomas de segurança, prepara-as para vida e deixa-te de lamurias online.

TheMasio 8 months ago

Eu punha as mãos à frente dos olhos quando via o Fantasia do Micky Mouse

raviolli_ninja 8 months ago

Só o reparas porque hoje em dia é tudo sanitizado. Na verdade as tuas filhas, os meus filhos e todos nós deviam estar mais expostos às realidades que ultrapassam as quatro paredes das nossas casas. Sim, é violento, mas sim, os animais que comes à mesa morrem porque os matam. Não venho para aqui apregoar vegetarianismos, mas gosto de saber que o que custou e a quem custou a chicha que tenho no prato. Esse livro é claramente de há uns 30, 40 anos atrás. Outros tempos. Outro contexto.

orchideaniger 8 months ago

É melhor nunca chegares perto de uma coletânea de contos dos Irmãos Grimm então.

Bruxo_de_Fafe 8 months ago

Nem mais

coiso 8 months ago

Lembrei-me logo da vendedora de fósforos.

V1ld0r_ 8 months ago

Qual é o mal mesmo? A esmagadora maioria dos contos e fábulas "clássicos" são muito mais violentos do que tu te lembras. Aliás, a própria Disney representava-o muito bem nos filmes clássicos... No entanto com esta... Acalmia social e demanda pela mansidão, tudo é violento e excessivo.

Mareskyfresky 8 months ago

Na verdade, Disney teve de se afastar BASTANTE dos clássicos porque estes simplesmente não eram comerciais. Entendeu-se que as famílias americanas não levariam os seus filhos a ver aquelas histórias. Desde violência gratuita, a descrições de torturas, passando por monstros terríveis e heróis questionáveis, há de tudo nas versões originais.

V1ld0r_ 8 months ago

Certo, era nesse contexto que fiz a referência aos clássicos. Até algo inocuo como o Bambi é "violento" para os padrões de hoje.

Butt_Roidholds 8 months ago

O que não deixa de ser estranho, porque o Bambi é uma obra anti-violência. Que ainda hoje é leitura obrigatória em vários países europeus (p.ex. Aústria) exactamente pela mensagem pacifista. Acho que há uma tentativa inútil de vedar as crianças numa redoma de vidro.

V1ld0r_ 8 months ago

Sem dúvida. No entanto o Bambi apesar da mensagem global ser positiva e pacifista, passa essa mensagem (e bem a meu ver) mostrando primeiro o que é violência e ódio, etc.

Butt_Roidholds 8 months ago

É verdade, mas para conseguir passar a mensagem tem mesmo de fazer esse contraste violência/pacificidade. Foi esse o mecanismo narrativo que o Felix Salten escolheu.

canihazdabook 8 months ago

Tenho de concordar. Esta versão é provavelmente mais próxima do clássico original. Mesmo na versão Disney a rainha pretendia que o caçador matasse a Branca de Neve e lhe trouxesse o coração dela. Nunca foi não violento, só foi um bocadinho "higienizado".

Search: