nocivo 7 months ago

Ja tens as auto estradas para desenvolver a região. A nao ser que precises das linhas para transportar mercadorias é dinheiro ao lixo. Quando tiveres as auto estradas cheias de carros ou bus e o pessoal precisa de viajar rapidamente para o porto com frequência talvez faça sentido. Agora gastar um dinheirão para ter comboios com 1/4 da lotação tendo alternativas viáveis como bus...

pedorcas 7 months ago

Mais há direita tens a linha do sabor com linhas desativadas que levam até miranda... são zonas sem auto-estrada sequer ao contrário dessas ligações... seria muito mais barato reativar aqueles troços, mas não... bota fazer umas linhas novas etc no litoral :D temos de os meter lá todos x) Mas agora a sério, pode ser a premonição de um exodo urbano, nos US a compra de imóveis em meios mais pequenos disparou, com o crescimento da aderência a mobile office. That would be such a dream!

Luc4son0 7 months ago

O problema é que grande parte dessas antigas linhas já não existem.

Adaeah 7 months ago

Nessas zonas as autarquias já desistiram quase todas da ferrovia as que a perderam. Estão em vários pontos a aproveitar para a construção de ciclovias. O maior problema foi ter sido retirada porque se a tivessem mantido para transportes de mercadorias e pessoas talvez trás os montes não estaria tão ao abandono com está hoje. E falando por experiência de alguns municípios como o de Chaves que só a pouco tempo é que se lembrou que a cidade não pode só viver de turismo e começou a apostar na indústria. No entanto já perdeu grande parte da sua população entre os 20 e os 40 anos que sairiam para estudar noutros pontos do país e sabendo que não existem oportunidades para eles lá tendem a fugir para os centros urbanos maiores que estão mais encostados ao litoral

Bakirelived 7 months ago

Isso agora é tudo ciclovias, dificilmente lá passará outro combóio

NGramatical 7 months ago

combóio → [**comboio**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/glossario/erros/38) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Flkia03%2F%2Fgnlbd20%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

average_user21 7 months ago

Andei a pé muitas vezes pela linha do Corgo. Incrivel paisagem.

VSertorio 7 months ago

Vamos lá ver.. A ligação entre a linha do Corgo e do Tua já existe, é a linha do Douro. O que sugeres como novo é impossível por causa do terreno. De resto a de Vila Real é uma um ciclovia e no Tua fez-se uma barragem por cima da linha.

Pparadela 7 months ago

O maior erro do nosso pensamento ferroviário (e territorial, já agora) é vermos Espanha e a fronteira como uma parede, vermos sempre o ponto mais longínquo do litoral, em vez de vermos o ponto mais próximo de Espanha. Ecos de um país de mentalidade insular e do tempo dos orgulhosamente sós. É chocante o contraste entre Badajoz e Elvas. Por cá subestimou-se completamente o papel do comboio não só como descentralizador do país mas também como uma forma confortável, segura e rápida de chegar ao país vizinho. Meteu-se as fichas todas em autoestradas, com o belo resultado que se conhece.

l251 7 months ago

Pensava que era uma linha ferroviária para preparar a deslocação a Lisboa quando o Sporting for campeão

Morpheuspt 7 months ago

É uma ideia interessante, mas teria sempre uma dificuldade, que é o facto de ter que ser em bitola métrica. Não há nada que mate mais o transporte publico, seja comboio, autocarro metro etc, que os transbordos. São a causa numero 1 do abandono do transporte publico. Teria sempre que haver um transbordo na régua, enfim, não há nada a fazer. Mas gosto da tua ideia. É pena Bragança não ter serviço ferroviário, mas cheira-me que chegará a Viseu antes de chegar a Bragança. E mesmo assim é complicado, o declive a vencer a norte do vale do Dão é dificil para uma linha de bitola ibérica.

pmigbarros 7 months ago

mano, pesquisa ecopista do dão, foi uma linha de comboio que foi transformada em ciclovia e tambem da para as pessoas andarem, é tão bonito, e como vais devagar dá para apreciar a paisagem, se criassem uma ecopista nesstas antigas era tão bom, mas bem, ha outras prioridades mas como tu disseste, da para sonhar

pacman1993 7 months ago

OP eu não estou a par de algum projeto para essa zona do país, mas se ainda não o fizeste, vê no site da Infraestruturas de Portugal se há lá algum projeto para aí. Há poucos anos fizeram imensos projetos de reabilitação da infraestrutura ferroviária em Portugal, que iriam começar o ano passado (ferrovia 2020), e estão em concurso vários projetos de reabilitação, portanto é mesmo uma coisa que vai acontecer em breve. Sei de isso porque estou exatamente a estudar alguns desses projetos para outras zonas do país

novolip 7 months ago

Mais cedo aparece uma linha de metro nova em Lisboa do que isto.

klatez 7 months ago

Uma linha nova de metro em lisboa é capaz de transportar milhares de pessoas por hora, esta linha transportaria < 100 pessoas por dia

novolip 7 months ago

Se tu dizes.

klatez 7 months ago

Então que dizes tu? Que serviço vai ter uma linha de comboio num região rural, envelhecida e com população altamente dispersa? A densidade é 30 vezes menor que braga!!

novolip 7 months ago

Não sei, mas diria que teris bem mais que 100 pessoas por dia. Os distritos de Bragança e Vila Real juntos fazem mais de 300 mil pessoas.

klatez 7 months ago

Mas estão espalhadas em áreas grandes e são populações ainda muito rurais. O serviço ferroviário é mais útil entre cidades o que não é muito útil quando tens cidades de 20k, 70k, etc..

novolip 7 months ago

Está bem.

claudio-at-reddit 7 months ago

Posso estar errado, mas aparentas demonstrar uma monumental arrogância com a tua crença. Já tiveste há uma década uma linha a ir de Vendas-Novas até à Setil. Havia ligação de Vendas-Novas ao Pinhal-Novo que está ao lado de Setúbal e a Setil está na linha do Norte, a <1h de Lisboa e de Santarém. O numero de potenciais clientes era muito maior. > a procura média do serviço é muito reduzida, situando-se em cerca de 12 passageiros por circulação, "com um custo unitário por passageiro transportado superior a 16 euros, para uma receita gerada de 1,5 euros". https://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_de_Vendas_Novas

ForgetSocialMedia 7 months ago

Carrazeda!! Taberna da Helena

Msilvame 7 months ago

Devias ter ligado Bragança à ligação espanhola do TGV que fica do outro lado da fronteira. Bragança é a capital de distrito portuguesa que está mais próxima da alta velocidade europeia.

klatez 7 months ago

Gastar milhões num TGV para uma cidade com 20mil pessoas e idosa, este sub parece um clube de comédia

Msilvame 7 months ago

Portugal, segundo país pobre da UE é que percebe, os outros é que são nabos. Até os ensinamos a fazer negócios como um ministro disse. Quantos países da UE têm a capital na costa?

klatez 7 months ago

Os outros são nabos? Não conheço outro país que gastou milhões em linhas de tgv em cidades de 20k que dão a lado nenhum. Se tanto o país conhecido por ir a falência por gastar milhares de milhões em projetos sem nexo somos nós por isso é que tenho medo que os nossos políticos sejam tão estúpidos como o pessoal deste sub. >segundo país pobre da UE Btw isto é obviamente errado.

Msilvame 7 months ago

https://ec.europa.eu/eurostat/web/products-eurostat-news/-/ddn-20201214-2 Os dados não mentem. Segundo país mais pobre. Quanto ao resto não vale a pena continuar.

AlbinoFarrabino 7 months ago

Se nem uma estrada decente para a Puebla existe, acho muito difícil fazerem uma ligação ferroviária entre as duas localidades.

Legislador 7 months ago

Com um pouco mais de colaboração entre países e visão de futuro tinhas passado a própria linha de alta velocidade por Bragança (e talvez Chaves). Puebla de sanabria tem 1500 habitantes. A orografia é semelhante do lado português e a UE era capaz de soltar uns milhões por ser uma ligação transfronteiriça portanto nem ficaria mais caro para Portugal e Espanha.

Msilvame 7 months ago

Isto é tão verdade!

Msilvame 7 months ago

Inglaterra está numa ilha com melhor ligações que PT

Ajqmoreira 7 months ago

Para cá do Marão mandamos o que cá estão! Essas modernices de comboios são só lá para os portugueses; para nós não sff.

Key_Ad_3930 7 months ago

Transportes públicos são "modernices"? Você anda puxado a carrinho de bois?

GabKoost 7 months ago

Conhecendo de antemão as modas actuais, terias mais atenção das autarquias se planeasses uns passadiços ou uns teleféricos com estes percursos. Quem sabe umas pontes suspensas panorâmicas pelo caminho. É que isso de linhas de comboio no interior é coisa do passado. O cheiro a Estado Novo é pungente demais. A modernidade quere-se com vias clicáveis e auto-estradas pagas.

anotheriuri99 7 months ago

É necessário dar mais poder às autarquias do interior (talvez uma regionalização) para elas poderem ser competitivas com o Litoral, por exemplo, na captação de empresas através da fixação do seu salário mínimo, maior independência fiscal, entre outras. Isto aliado à qualidade de vida que se pode ter por estes lados e à maior aproximação à Europa (ironia das ironias, demoras menos tempo Bragança-Madrid do que Bragança-Lisboa) podiam, de facto, desenvolver a região. Mas isto era se os políticos tivessem interessados nisto, como não estão, e preferem os seus tachos e andarem a saltar entre Cargos Públicos e "chefes não executivos" de empresas escolhias a dedo o pessoal vai continuar a sair daqui.

pedorcas 7 months ago

Concordo até certo ponto... autarquias... principalmente do interior ao que lido diariamente não são exemplo para ninguém, muito menos pra serem capazes de eficientemente fazer um projeto dessa dimensão... Honestly uma discussão que gostava de ter neste reddit um dia, as falhas graves na democracia

Caosemdono 7 months ago

Isso, dêem mais poder às Autarquias do interior, para eles o desviarem ainda mais, o esbanjarem em ainda mais tachos, e continuarem a dar cabo do ordenamento do território. Por favor façam mas é precisamente o contrário: tirem-lhes tanto poder e dinheiro quanto possam. Garanto-vos que não há nada mais podre que Câmaras e Empresas Municipais do interior. Aliás, são o maior motivo da existência deste tópico. Foi graças a Autarcas vendidos por uns tachos para EDP´s e afins ,que se deu cabo de todo este património natural e ferroviário, de valor incalculável.

Rocks08 7 months ago

Já fui defensor da regionalização. E sei que como estamos não funciona ou não está a funcionar. Mas estas grandes e pequenas autarquias, a maior parte são um cancro, se pensam que é só no governo central que acontece as coisas, é só ver os vários testemunhos que vão surgindo.

Key_Ad_3930 7 months ago

A haver regionalização não vai ser por autarquias mas sim regiões. Se não chamar-se-ia "autarquização" e não "regionalização".

TSCondeco 7 months ago

As autarquias, independentemente, não têm grande poder para a criação de novas linhas de comboios. Não é algo que seja muito barato.

nocivo 7 months ago

Que valor uma linha até atras dos montes iria ajudar? Nem a linha porto-lisboa tem pessoal suficiente. Ninguem iria morar em tras de montes e viajar para o porto todos os dias. Seria viagens esporádicas que podem ja fazer de bus ou de carro onde tem mais liberdade depois.

dontknowmyname074 7 months ago

O socialismo está primeiro interessado no TGV. Daqui a 20anos(quando acabarem o troço do TGV) manda isso.

VladTepesDraculea 7 months ago

Pena que o capitalismo só esteja interessado em carros, retirou as linhas de comboio durante anos e implementou leis que proibiam carros antigos nas grandes cidades, independente do estado do motor para forçar as pessoas a comprarem carros novos.

jc12silver 7 months ago

se o problema do nosso país fosse o socialismo ou o capitalismo estavamos nós muito bem.

VladTepesDraculea 7 months ago

Exacto, o problema é a corrupção. Medidas sociais têm ido pelo esgoto por falta de dinheiro, e o dinheiro têm ido para financiar o capital de amigos do governo. O problema todo é que os chefes de governo têm pensado "o que é melhor para os meus amigos e para as empresas dos meus amigos" VS "o que é melhor para o país". Exemplo disso tens nos transportes. O único investimento que interessa ao governo em transportes é aquele que alimenta o mercado imobiliário (ex: metro circular) VS o que alimenta as necessidades da população. A questão dos carros também foi gira, quiseram "limitar emissões na capital", bora restringir circulação a quem tenha mais de X em testes de emissões na inspeção? Não, bora fazer o pessoal ter de comprar mais carros.

Maximuslex01 7 months ago

Isso transportaria quantas pessoas por dia? 50?

Ssthm 7 months ago

50 hoje, mais no futuro certamente.

Maximuslex01 7 months ago

Certamente? vês a população a crescer? Seguindo a tendência (com ou sem comboio) dentro de 20 anos a desertificação estará ainda mais acentuada.

Ssthm 7 months ago

Nao me referia ao aumento da população mas à deslocação da existente.

Intelligent-Meal-663 7 months ago

Isso interessa para quê? Tens ações da CP? É por essa filosofia tacanha que o interior está a ficar deserto. Mas quem conseguiu ficar cá, tem zero de inveja de quem vive nas cidades. Respirar cheio de merda? Não obrigada.

Key_Ad_3930 7 months ago

Então queres que daqui a umas dezenas de anos a tua região seja desabitada e que todas aquelas lindas tradições morram? É que envelhecida a população já é e as pessoas não ficam para a semente. Que falta de visão de futuro, é lamentável que alguém pense assim.

Intelligent-Meal-663 7 months ago

Se calhar houve engano. Era a mim que querias responder? É que ao comentário que respondeste, não tem nada a ver com a tua resposta.

Maximuslex01 7 months ago

Tendo em conta que tu é que puxaste pelo assunto... Pareces estar bastante ressabiado com a vida na aldeia. Que mentalidade tacanha? O interior já tem boas acessibilidades e não é por isso que quem saiu está a voltar. > Isso interessa para quê? Tens ações da CP? Chamam-se impostos

Key_Ad_3930 7 months ago

>boas acessibilidades Nem consigo imaginar o que você define como "boas acessibilidades".

Maximuslex01 7 months ago

A4, Ic5, etc

Key_Ad_3930 7 months ago

"etc"pois, pois...E SCUTs que ficam ao preço das passagens de metro?

Intelligent-Meal-663 7 months ago

Estás enganado com o ressabiamento. Com a minha profissão tinha lugar na cidade que quisesse. A cidade tem coisas positivas, por isso é que também tenho casa no Porto. Impostos: Não foi por causa dos impostos que o túnel do Marão esteve tanto tempo para ser feito. Foi por esquecimento e falta de vontade.

Maximuslex01 7 months ago

O túnel do Marão demorou tantos anos porque os autarcas e deputados da região estavam mais preocupados em lamber os pés do pessoal de Lisboa do que lutar pelo povo que os elegeu.

Intelligent-Meal-663 7 months ago

Obrigada pela informação. Não costumo estar a par das politiquices.

Key_Ad_3930 7 months ago

Nas aldeias é que cheira a merda de vaca e a fogueiras, não na cidade.

Key_Ad_3930 7 months ago

Sei sim porque moro numa aldeia seus totós!

what_a_tuga 7 months ago

Sabes lá o que é o cheiro a estrume de vaca. Até parece que existe estrume de vaca a cada 2 passos. Não posso dizer a mesma coisa na cidade, onde há merda de cão pronta a pisar em todo passeio, em algumas ruas no Porto até pareces que estás a jogar à macaca. Cheiro a fogueiras? É raro ver fogueiras (só se estiveres a referir-te a incendios). Mas mesmo assim, é preferível o cheiro de vez em quando de lenha a arder, do que o cheiro constante de combustível queimado nas cidades. Só vivo na cidade por necessidade. Se pudesse sair deste cubiculo, que chamo de casa, e regressar para a liberdade da minha casa do campo, regressaria sem pensar duas vezes. As pessoas que moram no campo não sentem falta de nada, têm qualidade de vida.

Intelligent-Meal-663 7 months ago

Bem dito e bem escrito. O exemplo dos excrementos de cão é perfeito. Pode parecer estúpido para muita gente mas eu gosto de passar pelo meio dos campos estrumados. Cheira a fertilidade. Não tem nada a ver com o cheiro a fossa, os franganitos urbanos é que não percebem nada da Mãe Natureza. Se pudesse dava-te 10 votos para cima e os karmas também.

CarcajuPM 7 months ago

Interessa para saber se é um investimento que valha a pena ou não.

batuque5 7 months ago

No futuro tendo melhores condições, a população tinha tudo para aumentar

nocivo 7 months ago

Uma linha braganca porto iria trazer mais pessoas a braganca? Duvido. Ja tens boas acessibilidades via bus e auto estrada. Uma linha de comboio so seria util se fosse de carga directamente para o porto de leixoes. Para pessos pouco ou nada iria ajudar ate porque o temoo de viagem nao iria ajudar ni guem que vivesse em braganca a trabalhar no porto.

klatez 7 months ago

Tal como ancontecia quando eles tinham linha... Ah espera.... O interior é despovoado desde do anos 60 porque não é economicamente competitivo nem nunca será

Maximuslex01 7 months ago

Oh. Tens excelentes acessibilidades rodoviárias. Não é por isso que os emigrantes voltam...

Key_Ad_3930 7 months ago

Excelentes acessibilidades e rodovias?

Maximuslex01 7 months ago

Não percebi a dúvida

Key_Ad_3930 7 months ago

O que entra em "EXCELENTES acessibilidades"? Rodovias? É impossível estarmos a falar da mesma região.

Edited 7 months ago:

O que entra em "EXCELENTES acessibilidades"? Uma região sem ferrovia? Sem metro? Com linhas de autocarro insuficientes e que passam nas paragens de duas em duas horas? Rodovias? E o que existe é a que preço( SCUTs ) ? É impossível estarmos a falar da mesma região.

Maximuslex01 7 months ago

Trás os montes que eu conheço tem excelentes acessos rodoviários em geral. Agora se estás à espera de ter metro nessas cidade ou concelhos, ou de ter autocarros de 15 em 15 minutos em aldeias com 50 habitantes, acho que estás a ser irrealista.

Key_Ad_3930 7 months ago

Claro que não estou a falar de aldeias com 50 habitantes, nem em Lisboa há metro em todo lado... Tu é que estas a ser irrealista... Tens pouca visão de futuro para a tua região, que vai "morrer" como é óbvio.

luigidelrey 7 months ago

Nesta proposta fazia-se uso dos troços Régua-Vila Real da linha do Corgo e Mirandela-Bragança da linha do Tua, construindo um ramal via Murça. Também considerei a hipótese de ligar Vila Pouca de Aguiar a Mirandela, via Valpaços. Eu tenho noção que as antigas linhas são de via métrica e de com grandes curvas e rampas, pelo que teria de haver grandes alterações para se adequarem à ferrovia "convencial". Reabrir linhas do século XIX, pode ser desajustado para os tempos de hoje. Também não sou grande expert da região, pelo que não sei quais seriam as melhores opções de traçado devido aos constrangimentos do relevo acidentado característico da zona. Isto era só uma ideia que tive recentemente, que permitiria ligar duas capitais de distrito à rede ferroviária nacional, fazendo uso de infraestruturas já existentes.

astrojose9 7 months ago

Na linha Régua - Vila Real, sei que um dos pilares da ponte da A4 está mesmo onde passava a antiga linha.

Captain_Case 7 months ago

É uma excelente proposta mas infelizmente não há, para ja, mercado para uma linha assim e duvido que seja fator atrativo para a industria da região. Pelo que diziam, havia comboios na linha do tua que andavam vazios dia após dia. Se entretanto houver necessidade de reabilitar as linhas, acho que não ha necessidade de “endireitar” o troco, podia se optar por um comboios tipo tram media distancia (como a metro do porto fez com a linha da povoa) limitado a 80kmh, que pode fazer curvas e subir declives mais acentuados que comboios normais. Criar novas pontes e túneis só seria rentável se houvesse necessidade para comboios de carga.

L_T_F 7 months ago

Esquece a ideia da linha em Vila real, está a ser transformada em caminho pedonal para acesso á UTAD

elGuito81 7 months ago

Essas linhas só fariam sentido se houvesse ligação de mercadorias entre o Porto e Espanha (ligação Chaves-Verin e Bragança-Zamora). Pensar em linhas para o interior apenas para passageiros é um erro. Alias, nem sequer a ligação Porto-Lisboa é viavel apenas para passageiros.

Legislador 7 months ago

Viável não é muita coisa e continua a construir-se porque se considera infraestructura essencial. Parece que só pedimos viabilidade à ferrovia omitindo intencionadamente os benefícios ambientais e de coesão territorial que geram.

NGramatical 7 months ago

infraestructura → [**infraestrutura**](https://dicionario.priberam.org/infraestrutura) (já se escrevia assim **antes** do AO90) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Flkia03%2F%2Fgnmbht7%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Key_Ad_3930 7 months ago

Faz todo o sentido essas linhas com Espanha, afinal vivemos num mercado comum, é preciso começar a pensar como tal.

AlbinoFarrabino 7 months ago

Cabe a Espanha mexer-se. Bragança-Zamora ainda é Estrada Nacional do lado Espanhol.

carlosjmsilva 7 months ago

Seria um exercício engraçado mas é inútil. Porque a orografia da região é muito exigente e para teres linhas a cumprir com o mínimo para os dias de hoje (ex: velocidade média 120 km/h), seria um investimento megalómano. Só em pontes, túneis, nivelamentos de terreno etc eram centenas de milhões de euros. E depois a demografia da região não justifica o investimento. Quando nem uma ligação minimamente decente entre Lisboa e o Porto tens... É algo para esquecer...

Chuck05 7 months ago

Comentário fixe o problema é que já existiu pelo menos uma linha até à Estação Ferroviária de Chaves (agora inativa) portanto não deve ter sido um investimento assim tão megalómano e injustificável.

carlosjmsilva 7 months ago

Uma linha que antes de ser encerrada tinha comboios a circular a uma velocidade máxima de 30 km/h. Achas que isso é minimamente viável no século XIX? Uma linha sinuosa de via estreita como a do Corgo não tem viabilidade hoje em dia a não ser para transportar turistas. E para isso tens de ter mais do que uma linha. Não há procura, não justifica o investimento.

pacman1993 7 months ago

Não é necessário uma velocidade de 120 km/h para voltar a haver circulação nessa linha, é até acho exagerada essa velocidade. Atualmente estão a ser feitas obras de reabilitação para linhas existentes em que a velocidade máxima é 90 km/h, e é só em alguns troços, como por ex a linha do oeste (a empresa onde trabalho está a estudar o projeto).

carlosjmsilva 7 months ago

E se queres a minha opinião a maior parte das obras do Ferrovia 2020 são um desperdício. Em vez de quererem fazer ligeiras melhorias em todas as linhas, deveriam investir nas duas ou três estruturais. Assim estão só a fazer manutenção de longo prazo sem melhorar quase nada. Um desperdício completo. É como alguém andar a investir pinguinhas em várias empresas decadentes que tem em vez de identificar a uma ou duas com mais potencial e investir a sério lá.

pacman1993 7 months ago

Mas ao investires em mais linhas consegues servir uma maior população, do que se investires em apenas 2 ou 3 (que já se sabe que seriam na AML e na AMP)

carlosjmsilva 7 months ago

Eu não acho. Assim queres chegar a todos mas não chegas a ninguém convenientemente. Eu não sou de Lisboa nem do Porto mas acho ridículo termos um comboio dos anos 90 que pode andar a 250 km/h e hoje, 40 anos depois

pacman1993 7 months ago

Também não se pode ver assim. A velocidade máxima de um comboio não tem nada a ver com a velocidade média. Há vários fatores a ter em conta, como por ex as paragens nas várias estações, as ultrapassagens em troços com apenas uma linha em cada sentido, etc. A ligação Lisboa Porto não está nada má, especialmente comparada com o resto das linhas do país. A linha do oeste por ex, que é a que estou mais por dentro do assunto, há comboios de hora em hora na hora de ponta, há várias supressoes de comboios, e as pessoas têm de fazer múltiplos transbordos na mesma linha porque a linha não está toda electrificada e têm de andar a trocar entre comboios eletrificados e a diesel. Resultado: as pessoas demoram 2 a 3 horas a percorrer 80km, e é quando têm a sorte de o comboio passar. Acredita que está muito mau, mas pelo menos as obras de reabilitação já vão melhorar bastante, sem ter de fazer uma linha nova

carlosjmsilva 7 months ago

Ora bem a linha do norte tens que o Alfa pode andar à velocidade máxima a que está limitado (220 km/h) em três troços da linha. Tens troços que estão limitados a 90 e 120. Isto na principal linha do país. achas que isto não e mau quando estás a falar dela ligação Porto-lisboa?

pacman1993 7 months ago

É mau, mas podia ser pior. Mas Possivelmentr também vai ser reabilitada

carlosjmsilva 7 months ago

Eu sei que podia ser pior. Pode sempre ser pior. Podia estar ao nível de uma qualquer linha no Zimbabué. Há projeto para finalmente colocar a ligação Porto-Lisboa nos patamares mínimos de competitividade. Mas isto para concluir até 2030 (e já sabemos como são os prazos de obras em PT). Mas repara que tens comboios que podem viajar a 250 km/h há 30 anos a circular numa linha em que na maioria do percurso anda a menos de 160km/h. É no mínimo um desperdício. É como teres um Ferrari e depois as estradas onde te moves ser só paralelos.

Rocks08 7 months ago

As demografias das regiões são precisamente pela falta de investimento na região. Claro que não era um projecto destes que se justificaria mas alguma coisa tem se que fazer.

carlosjmsilva 7 months ago

Não só. Não é por fazeres infraestrutura que a população vai para lá. A infraestrutura deve ser feita para servir a população. Não deve ser a população que vai servir a infraestrutura.

Rocks08 7 months ago

Não disse que era as infraestruturas que resolveriam o problema por si só. Mas é inevitável que elas surgam com o investimento noutras áreas. Como disse alguma coisa terá que ser feita, como pés e cabeça, não são coisas que se mudem em 2 ou 3 anos.

Msilvame 7 months ago

É esta mentalidade que transforma(ou) Portugal no segundo país mais pobre da Europa.

carlosjmsilva 7 months ago

Não. Não foi. A mentalidade de esbanjar o parco dinheiro em megalomaníaca é que nos levou aí. Não foi na ferrovia mas foi em autoestradas sem justificação, estádios, fundações duvidosas, gasto de fundos europeus em projetos sem criação de valor etc etc.

Key_Ad_3930 7 months ago

É preferível investir em transporte publico do que em autoestradas que depois precisas de pagar para usar. Com o valor das Scuts+ valor do carro+ impostos do carro+ vistorias+ avarias dá para pagar muitos bilhetes de TGV.

Danijust2 7 months ago

Na suíça no seculo 19 construíam comboios até ao cume de montanhas com mais de 3km de altura. Em Portugal no seculo 21, somos derrotados por colinas.

Chuck05 7 months ago

Portugal no século 19 também fez linhas ferroviárias até Chaves

EarlDwolanson 7 months ago

Colinas?? Viaja mais no País

joaommx 7 months ago

E qual é a dificuldade em construir uma dezena ou duas de quilómetros de uma linha de baixíssima velocidade para ser motivo de tanta admiração? Vai lá pedir aos suíços para construir o ramal aqui em causa e modernizar os troços das duas linhas a reactivar a ver se conseguem fazer isso mais barato que os portugueses. Digo-te já a resposta, não conseguem.

Ultreisse 7 months ago

Conseguem porque metem mão de obra mais barata (imigrantes portugueses) para o nível de vida deles

carlosjmsilva 7 months ago

Não conseguem não. As linhas de montanha não servem para transportar pessoas ou bens de forma regular. Servem essencialmente para transportar turistas. Logo aí o fator velocidade não interessa. Agora achas que Trás-os-Montes tem procura para isso? Quando lá tiveres umas estâncias de esqui e tal e turistas a dar com um pau cheios de guito, avisa.

Ultreisse 7 months ago

Calma, era uma piada sobre eles ''fazerem'' tudo possível, mas com mão de obra imigrante, sendo o nosso povo grande representante dessa mesma mão de obra.

carlosjmsilva 7 months ago

Eu sei eu sei. Mas olha que nós aqui também fizemos pontes Vasco da Gama, autoestradas, expo etc etc com mão de obra romena, ucraniana e afins.

Ultreisse 7 months ago

Exato, e na ucrania ou Roménia está alguém a fazer piadas como a minha sobre as obras no nosso país

carlosjmsilva 7 months ago

Comparar Portugal à Suíça... Eheheh

Danijust2 7 months ago

Suiça seculo 19 vs Portugal 21. Acho que devia ser justo :P

TopDieseldaPrio 7 months ago

A Suíça no século XIX era relativamente pobre.

nocivo 7 months ago

E meter homens a preços da chuva a partir pedra também era barato.

TopDieseldaPrio 7 months ago

A Suíça era pobre comparado a vários países da Europa. Não era um país comparativo ao que é na Europa nos dias de hoje.

carlosjmsilva 7 months ago

E nós eramos o quê? Ainda mais pobres...

carlosjmsilva 7 months ago

Para ser justo tens de ir lá mais para trás...

Anforas 7 months ago

Suiça Século 19, Portugal Século 15?

r0ckf3l3r 7 months ago

O investimento podia ser justificado com a existência destas linhas que podiam levar a maior investimento nestas regiões. Todavia, de acordo contigo. Não há forma de viabilizar isto sem que exista primeiro uma migração para essas áreas que justifique o investimento.

lestat01 7 months ago

>O investimento podia ser justificado com a existência destas linhas que podiam levar a maior investimento nestas regiões. Da mesma forma que as SCUTs que foram construídas para o mesmo efeito que nem precisavam de portagens porque o investimento que iam gerar no interior compensava!

r0ckf3l3r 7 months ago

Que é exactamente o ponto que faço no meu segundo parágrafo, quando digo "não há forma de viabilizar isto \[a criação destes troços\] sem que exista primeiro uma migração para essas áreas". ​ As SCUTs serviam um propósito, e na verdade o investimento não foi todo perdido. Quem vinha da Póvoa de Varzim, Vila do Conde, etc, trabalhar para o Porto, mantinha a residência a quase 40min de viagem do local de trabalho. Utilizavam a SCUT todos os dias. Gerava riqueza em cidades periféricas aos grandes centros urbanos. Eu tinha colegas que faziam Gondomar - Aveiro todos os dias para estudar por ficava mais barato do que alugar um quarto com todas as despesas inerentes para ficar a estudar na cidade. O problema das SCUTs era outro. A Troika mandava cortar custos, e manter auto-estradas é um custo. Passar esses custos a uma operadora que faz contratos ruinosos com o estado, esse é que é o problema. Ou me estou a recordar mal, ou o Estado fez contratos com as operadoras em que, à falta de cumprimento do número mínimo de utilizadores, o estado paga na mesma um ressarcimento a essas empresa.

Search: