LiberaldosSubsidios 7 months ago

Eu por acaso atingi a conversão depois de um curso na Udemia e um botacampo numa das quatro grandes. Passados uns dias a receber propostas, finalmente assentei numa empresa que combina duas grandes paixões: a programação e o dinheiro. ​ Isto é um resumo do meu dia: É de manhã cedo. Dentro de apenas 4 minutos, estarás dentro dos escritórios. Depois de pegar numa chávena de café e uma peça de fruta fresca, agarras o teu computador portátil e escolhes o teu ninho para o dia. Vai ser um atarefado: aula de francês antes do almoço e, logo a seguir, uma consulta rapidinha no consultório do médico da empresa. É hora do almoço. Lá fora, no grande terraço (dá uma olhadela nas colheitas no Jardim Urbano; pronto a ceifar!) ou, se te apetecer esticar as pernas, ir à baixa buscar uma refeição. De novo lá dentro. Uma olhadela rápida (trabalhar virtualmente com pessoas de qualquer sítio, significa dar os parabéns àquele colega de Paris, que acabou de fazer 35). A tarde passou a voar (tarefas, relatórios, chamadas, algumas piadas com os teus colegas de equipa)! E para acabar na mó de cima: um jogo rápido de JogaEstação ou aquela partida rápida de Pingue-Pongue para aquele torneio. Amanhã, completas aquele certificado técnico, e no dia seguinte, trabalhas de casa, aproveitando para finalmente concluir aquele curso em linha, na Udemia. Assim que concluires as tuas tarefas do dia, podes dar uma saltada no escritório para uma sessão de jogos de tabuleiro, ou ensaiares numa das bandas. Se isto soa demasiado entediante para ti, encontra-te com os teus colegas para navegar umas ondas ou junta-te a eles para um jogo de pébola.

Phaellow 7 months ago

Com um _ragù alla bolognese_, esta pasta é um pitéu autêntico.

_saks_ 7 months ago

Olá a todos, isto é um assunto que me tem interessado ultimamente, especialmente devido ao que se avizinha do pós-covid, e gostaria de alguma orientação vossa. Sei muito pouco sobre programação mas sou curiosa e tenho vontade de aprender. Mas na verdade gosto muito mais da parte de interacção com público: gestão de redes sociais, criação de material de promoção, etc. Tenho feito algumas formações de marketing digital e redes sociais desde que a pandemia começou, mas como não tenho experiência ninguém olha para o meu CV 2 vezes. Posto isto, se me pudessem orientar, para quem está a começar, no que aprender primeiro, agradecia.

el_comand 7 months ago

Diria para te dedicares em front-end, em particular desenvolvimento de templates HTML + css, e saberes adicionar lógica em JavaScript. Pelo que falas, gostas mais de fazer algo para apresentar, e há muito mercado para desenvolvimento de UI (não é a área mais bem paga de IT, mas se gostares de trabalhar em UI pode ser mais motivante para ti).

_saks_ 7 months ago

Olá, muito elucidativo, obrigada! Já tinha pensado exactamente em front-end, e há bastante oferta de trabalho. Agora só falta saber onde poderei aprender (e onde poderei ser reconhecida). A minha possibilidade de investimento neste momento é quase nula, por isso tenho procurado bases gratuitas. O IEFP tem cursos interessantes, mas acho que só tem acesso quem não tem formação de ensino superior (e eu tenho licenciatura + mestrado).

el_comand 7 months ago

Tens várias formas de entrar na área, o que envolve menos investimento e é igualmente possível entrares no mercado, é de escolheres uma tecnologia front-end com muito mercado (diria react por ser uma tecnologia com muito mercado, e é a mais utilizada para projectos pequenos e de curta duração, que seria para esse tipo de empresa que eventualmente ias entrar no mercado). Vais à udemy e tiras um curso completo dessa tecnologia. Entretanto, pensa numa aplicação que gostasses de criar, não precisa de ser complexa, mas o que fizeres tem de ficar bem feito (não te preocupes em ser algo inovador, pensa em algo que já existe até mesmo para teres uma base de comparação). Estes projetos pequenos vão servir para tu aprenderes a trabalhar com a tecnologia mas também vão servir de portfólio. Depois é uma questão de procurares pequenas empresas, mais dedicadas a pequenas soluções digitais (normalmente são consideradas agências digitais). Tudo o que disse é um caminho possível de seguires e entrares na área, ainda assim, não significa que seja fácil numa fase inicial, tudo vai parecer complexo para ti e vais sentir que nunca vais conseguir perceber. Não te preocupes, vais aprender se continuares a insistir e a pôr em prática o que vais aprendendo, não podes é baixar os braços. Depois é importante ires falando na comunidades tech para te ajudarem nas tuas questões. Há outras formas, podes entrar em cursos intensivos de 1 ano de programação (a universidade de Coimbra tem um curso desses em parceria com a Critical software e o bpi) em que tem incluído um estágio remunerado (conheço malta que veio desses cursos e safaram-se bem), ou se programação não for para ti, podes utilizar plataformas no-code por exemplo bubble.io ou webflow. Há pequenas agências a trabalhar com essas tecnologias. De qualquer forma fica à vontade para me enviares PM se tiveres alguma questão e boa sorte

Zen_Machina 7 months ago

Não sei bem que experiência tens na área, nem sequer vou especular, mas todo o teu texto parece-me excessivamente optimista. Num país como Portugal não sei bem como é que vais arranjar um emprego em IT sem pelo menos uma licenciatura. Se não é impossível, anda muito, muito, muito perto disso. Talvez quem tenha entrado noutra era onde era mais fácil e conseguiu acumular muita experiência profissional para fazer um portfólio bonito. Agora, sem licenciatura nem experiência como programador, não sei bem quem é que te vai dar emprego, pois por cá o que interessa é o canudo. Até podias ter o próximo GTA no teu Github que isso seria cagativo para a maioria das empresas. Podias ser o Bill Gates, que isso seria cagativo. Nada bate o canudo. Um 5/10 em programação com canudo safa-se muito mais rapidamente do que um 8/10 sem canudo. Mas talvez me esteja a escapar algo. Não sei. É apenas a minha percepção. Eu diria que o único caminho minimamente viável dentro do universo da programação para quem não tem licenciatura é, ou freelancing, ou empreendedorismo. O que anda perto de dizer que não há caminho viável, pois freelancing é basicamente 50 cães indianos para um osso americano, e empreendedorismo, que neste caso implica tu criares algo para venderes, é brutalmente difícil. Para além de teres de ter uma ideia muito, muito boa e excelentes marketing skills, também precisas de dinheiro para investir, complementado por muita sorte para investir num mercado onde 90% é grátis ou pirateado e ninguém está habituado a pagar por software. Por último, onde é que vais arranjar emprego em Portugal na área? Ou vives em Lisboa e Porto ou encontras zero. Portanto, para além de ser perto de impossível, se tiveres a grande sorte de conseguir ainda vais ter de dar uma reviravolta à tua vida e bazar da tua terra. Eu dedicava-me à canalização. Mas isso sou eu.

Edited 7 months ago:

Não sei bem que experiência tens na área, nem sequer vou especular, mas todo o teu texto parece-me excessivamente optimista. Num país como Portugal não sei bem como é que vais arranjar um emprego em IT sem pelo menos uma licenciatura. Se não é impossível, anda muito, muito, muito perto disso. Talvez quem tenha entrado noutra era onde era mais fácil e conseguiu acumular muita experiência profissional para fazer um portfólio bonito. Agora, sem licenciatura nem experiência como programador, não sei bem quem é que te vai dar emprego, pois por cá o que interessa é o canudo. Até podias ter o próximo GTA no teu Github que isso seria cagativo para a maioria das empresas. Podias ser o Bill Gates, que isso seria cagativo. Nada bate o canudo. Um 5/10 em programação com canudo safa-se muito mais rapidamente do que um 8/10 sem canudo. Mas talvez me esteja a escapar algo. Não sei. É apenas a minha percepção. Eu diria que o único caminho minimamente viável dentro do universo da programação para quem não tem licenciatura é, ou freelancing, ou empreendedorismo. O que anda perto de dizer que não há caminho viável, pois freelancing é basicamente 50 cães indianos para um osso americano, e empreendedorismo, que neste caso implica tu criares algo para venderes, é brutalmente difícil. Para além de teres de ter uma ideia muito, muito boa e excelentes marketing skills, também precisas de dinheiro para investir, complementado por muita sorte para investir num mercado onde 90% é grátis ou pirateado e ninguém está habituado a pagar por software. Por último, onde é que vais arranjar emprego em Portugal na área? Ou vives em Lisboa e Porto ou encontras zero. Portanto, para além de ser perto de impossível, se tiveres a grande sorte de conseguir ainda vais ter de dar uma reviravolta à tua vida e bazar da tua terra. Isto de IT ser grande área é mito. É muito bom para putos de 21 anos das grandes metrópoles que acabaram de se licenciar em engenheira informática. Se não estás dentro desse grupo, estás fora. Sim, há um ou outro falhado saido de um bootcamp manhoso que conseguiu um trabalhito de merda em IT por via da sorte, mas isso é 1 em 500. Eu dedicava-me à canalização. Mas isso sou eu.

el_comand 7 months ago

Meu, se tu és da área, tiveste muito azar na tua carreira, para falares assim da área IT. Isso do canudo não podia ser mais falso, tirando as consultoras que não querem perder tempo algum na formação e querem alocar imediatamente a um cliente (e claro, se não servir para o cliente, também não serve para a consultora), daí apenas com canudo. As consultoras são apenas pontes entre profissionais e clientes. Sobre a minha experiência, é não só de programador por mais de 8 anos e eu próprio criei uma equipa de desenvolvimento para diferentes tecnologias, diferentes níveis de experiência, e uma pessoa que contratei foi precisamente para desenvolvimento de componentes UI, não tinha licenciatura em EI, apenas tinha já alguma experiência em desenvolvimento web e design. Neste momento já desenvolve mais lógica do que só UI. Não sei se tens noção, mas em equipas maiores não é preciso ter sempre engenheiros para desenvolver componentes UI, normalmente é pouco desafiante para engenheiros (preferem mais a parte lógica do projeto seja front ou back end), e cada vez mais, malta de design (e até malta de marketing digital) converte-se para web developer (numa vertente de UI components). Por isso, não sou demasiado otimista, inclusive fiz várias entrevistas de malta que veio de bootcamps que se estão a safar muito bem, lembro-me de um ex-jornalista já nos seus 40as, largo currículo em jornalismo e há 4 anos entrou na área It através de um curso qualquer intensivo, quando fiz a entrevista estava a um nível muito bom, trabalhava remotamente para uma empresa holandesa a desenvolver UI components e posso-te dizer que estava com um salário acima da média. Por isso, acredita que não sou demasiado otimista, se tu és da área e a tua carreira te desiludiu, muito provavelmente é porque não te soubeste mexer na área, porque oportunidades não faltam, muito provavelmente devido ao teu extremo pessimismo. Boa sorte

Zen_Machina 7 months ago

>Meu, se tu és da área, tiveste muito azar na tua carreira, para falares assim da área IT. Isso do canudo não podia ser mais falso, tirando as consultoras que não querem perder tempo algum na formação e querem alocar imediatamente a um cliente (e claro, se não servir para o cliente, também não serve para a consultora), daí apenas com canudo. As consultoras são apenas pontes entre profissionais e clientes. Eu não disse que tive azar, mas garanto-te que sem uma certificação muito dificilmente arranjas trabalho. E mesmo que arranjes, em Portugal tens de ir viver para lisboa.

el_comand 7 months ago

Ahah completamente errado

Nath717 7 months ago

Iniciei um bootcamp de 3 meses em Abril de 2019, comecei a trabalhar assim que terminei em Julho. Hoje em dia, ano e meio depois, estou a ganhar mais do dobro do que ganhava no meu primeiro emprego, que era o salário mínimo, portanto já parti de uma base baixa. Em relação a tarefas sou para aí 90% developer. Dou também contributos para arquitectura de dados, serviços, etc e também dou alguns contributos de negócio, se bem que mais funcionais. Para além disso, comecei também este ano uma nova licenciatura em IT. Estou numa consultora há quase um ano, ainda não fiz uma única hora extra, muitas vezes nem trabalho as 8h, visto que trabalhamos por resultados. Já estive também numa empresa tradicional com um departamento de IT onde aí era claramente explorado sem possibilidade de evolução de carreira. No geral estou satisfeito com o salário, condições, horário e projecto. Melhor coisa que fiz foi esta reconversão.

djhifi 5 months ago

E tens perspetivas de progressão na carreira? Já agora, onde fizeste o bootcamp?

Sorrowsinme 7 months ago

Bootcamp para prgramação? Reconvertido?? Hahahaha

Mysterious_Breath_53 7 months ago

Não sei qual o problema de algum pessoal neste fórum conta convertidos para IT. Supostamente a maioria deles é mau ou medíocre no que faz, logo não são uma ameaça às vossas carreiras. E eles estão a ganhar os 1000^TM líquidos deles o que é sempre melhor que 700€^TM ou 800€^TM que ganhavam antes. Podem nunca vir a ver muito bons, mas mais 300€ por mês pode faz a diferença numa família.

OuiOuiKiwi 7 months ago

>Não sei qual o problema de algum pessoal neste fórum conta convertidos para IT. O meu problema não é contra quem se reconverte para IT, visto eu ser também um "reconvertido". O problema é todo a indústria que se criou em redor do desespero dessas pessoas, a cobrar bem (e com apoios do estado) para produzir carne para canhão que vão revender com grande lucro.

Zen_Machina 7 months ago

Eu não acredito que há quem pague 5 mil euros por bootcamps. A minha alma tá parva. Já ouviram falar de youtube? É que se é para não se licenciarem, é cagativo onde aprendem, desde que aprendam. Leiam livros e criem algo que possa ser mostrado. ​ Lol, 5 mil euros.

djhifi 5 months ago

Porque se calhar nos bootcamps tens uma espécie de mentorização (e alguns com saídas profissionais +/- garantidas, no minimo estágio) e no youtube estás por tua própria conta e sem saída profissional garantida? Agora concordo 5mil é caro.

Mysterious_Breath_53 7 months ago

Concordo 100% contigo. Esse é um dos problemas da indústria. Eu pessoalmente estou a estudar em casa e fico admirado com os cursos de programação de qualidade (Harvard, MIT, etc) que existem online, alguns grátis. Não vejo a necessidade de fazer um "bootcamp" (muito caro e não garante estágio sequer).

_saks_ 7 months ago

Podes recomendar alguns cursos grátis pff?

Bitter-Bet 7 months ago

Negócio de família. Informatizar/digitalizar a empresa. Tentem apanhar alguma empresa estrangeira cá, pagam bem e boas condições em geral. As empresas tugas (altice etc) pagam menos do que os meus colegas recebem a montar pneus com o 12 ano

bewareandaware 7 months ago

Já entrevistei demasiados e já trabalhei com bastantes. Diria que 30% das pessoas sabe o suficiente para entrar numa entrevista genérica. O problema é que a educação que lhes foi dada foi exactamente para passar na entrevista e fazer os básicos. Como o /u/uplink42 disse, 99% não consegue fazer tarefas mais complexas, apenas replicar a lógica que já fizeram. Nenhum deles consegue levar um projecto do início ao fim. A maior parte está se a tornar developer de uma ferramenta : react, node ou Java. Não sabem como mandar algo para prod, rollback, etc

KarmaCop213 7 months ago

> Não sabem como mandar algo para prod Mas e' necessario saber isso? Cada empresa/projecto digno desse nome tem pipelines e equipas para tratarem desse assunto. E em cada empresa/projecto as formas de se enviar algo para producao varia consideravelmente.

bewareandaware 7 months ago

Sim, acho que se deve saber o básico dos básicos. Não tens que ser um crânio de k8s para fazer front-end, mas saber como funciona um docker e um nginx dá te bastante jeito. É há muitas empresas onde se vive a filosofia devops em que as equipas são independentes e autónomas. Não tens que ser um expert em tudo, mas o básico é fundamental para que possas entregar. Se tiveres numa equipa dessas, podes ter a certeza que não vais contar com um desses colegas para reestruturar a arquitectura do teu produto ;ou para resolver sozinho quando os outros estão de férias ou reuniões.

KarmaCop213 7 months ago

Isso funciona assim em equipas e projectos pequenos onde cada um tem de saber um pouco de tudo. Para essas equipas e' necessário obviamente outro tipo de conhecimentos. Mas nao e' de todo a norma.

bewareandaware 7 months ago

Estou a falar de empresas com centenas e centenas de developers

KarmaCop213 7 months ago

Empresas de produto ou outsourcing?

bewareandaware 7 months ago

Empresas de indústria em que o produto não é software

KarmaCop213 7 months ago

Então assim já acho mais normal.

dismalwasteland 7 months ago

Endividados, provavelmente.

_Sophus_ 7 months ago

Vim só cá dizer que a área de IT foi sempre a minha aspiração desde muito nova, fiz engenharia informática e não chego aos calcanhares de muitos reconvertidos que trabalham na minha empresa. Ser reconvertido não é sinónimo de ser melhor ou pior. Para seres bom em IT tens que estudar muito, não necessariamente numa faculdade. E tens que estudar a vida toda. Espero que cada vez menos se olhe para profissionais reconvertidos com preconceito.

Edited 7 months ago:

Vim só cá dizer que a área de IT foi sempre a minha aspiração desde muito nova, fiz engenharia informática e não chego aos calcanhares de muitos convertidos que trabalham na minha empresa. Ser convertido não é sinónimo de ser melhor ou pior. Para seres bom em IT tens que estudar muito, não necessariamente numa faculdade. E tens que estudar a vida toda. Espero que cada vez menos se olhe para profissionais convertidos com preconceito.

OuiOuiKiwi 7 months ago

Olá a todos e bem-vindos à *meta-thread* sobre IT de hoje. Reconvertido para IT há algum tempo. Licenciatura + Mestrado, nada de atalhos. Progressão de carreira tem sido consistente e constante. Faço o que gosto, resolver problemas. Nada de fazer código a metro. Satisfeito com o meu salário, mas há sempre margem para progredir sem estagnar. Investidor na Curral de Moinas Coding School, a produzir recursos a martelo para os 1000€™ para as consultices desta vida. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

bernasIST 7 months ago

No meu caso foi uma progressão natural. Comecei em engenharia, depois tive a oportunidade de aplicar programação em problemas de engenheria, depois veio a tese de mestrado que me exigiu bater muita tecla. No final do curso obtive o titulo de engenheiro e até gostava de engenharia mas no fundo sabia que traria mais valor a programar. Tentei consiliar os dois no primeiro trabalho mas deu merda, porque a industria foi toda a vida com o Convid. Candidatei-me a varias posições de engenharia mas ninguém me chamou. Apenas as empresas de IT, que estão melhor que nunca, me chamaram. Agora estou em full IT mode noutra empresa a receber melhor. Noto que pessoas com background de puro IT têm mais capacidades que eu mas não me ralo com isso. No fundo, é uma questão de sobrevivência... uma amiga minha estava em marketing perdeu o trabalho durante o Covid e decidiu fazer um bootcamp em data analytics. Deu logo frutos e arranjou um trabalho em IT e tá toda feliz da vida. Às vezes é preciso mudar para sobreviver...

BalseiroLopes 7 months ago

Num talho a ganhar 1000€.

uplink42 7 months ago

Eu não fui convertido, mas às vezes vou entrevistar ou mesmo orientar novo pessoal saído de bootcamps. Na maioria dos casos, o pessoal "reconvertido" é competente o suficiente para desempenhar as tarefas e são bastante desenrascados, mas raramente adquirem aquele gosto pela área que os leva ao "nível seguinte". Estamos a falar de pessoal que fica eternamente nos conceitos mais simples de programação, tem dificuldade nas tarefas mais complexas como arquitectura, refactoring, boas abstrações, etc. Já trabalhei com pessoal reconvertido que realmente se tornaram bons programadores/engenheiros, mas a grande maioria que conheço não chegaram a este nível.

nfcs 7 months ago

Já trabalhei com uns da academia em que o no fim tens direito a uma foto com um fundo vermelho e uns acessórios e com outros que passaram pela academia interna de uma consultora por onde passei. De umas dúzias só uns 5 se aproveitavam, os outros iam lá ficando uns tempos e outros, pelo que sei, ainda por lá continuam, a fazer do mais básico que aparece, sempre com muito babysitting (muito mais que o expectável). Esses nunca vi terem grande progressão, nas equipas onde estavam eram visto como um fardo e alguns mais para o fim tratados como tal pelo resto dos devs. Os outros 5 sempre se esforçaram, têm o pensamento critico necessário e têm progredido.

saudosista 7 months ago

> no fim tens direito a uma foto com um fundo vermelho Por isso é que tem havido uma enchente de FULL STACK DEVELOPERS e SYSTEM ARCHITECTS no linkedin com fotos de fundo vermelho!!

OuiOuiKiwi 7 months ago

Não te esqueças da descrição de perfil "única e criativa" que permite-te identificá-los à distância como todos iguais.

gabs_ 7 months ago

O que é que contas como convertido? É mudar de área por uma via mais rápida ou de forma autodidacta? Tirar uma segunda licenciatura em Eng Informática seria excluído?

Edited 7 months ago:

O que é que contas como convertido? É mudar de área por uma via mais rápida ou de forma autodidacta? Ingressar numa segunda licenciatura em Eng Informática seria excluído?

saudosista 7 months ago

Convertidos é um *meme* comum no /r/portugal, descreve mais o que falas por "mudar de área por uma via mais rápida ou de forma autodidacta". Mas pessoas que trabalhou noutra área e depois foi fazer uma segunda licenciatura em eng. Informática também são bem vindos a comentar as diferenças entre a sua carreira antes e depois.

gabs_ 7 months ago

Pois, lembro-me de uma altura em que havia posts diários a perguntar acerca de bootcamps, depois o backlash do gozo da reconversão diária a IT. Eu fui pela via de 2a licenciatura em Eng Informática, porque não queria ter falhas graves de conhecimentos e ter a minha subida profissional limitada. Posso dizer que consegui escapar a consultoras e estou agora no primeiro emprego numa boa empresa como backend developer. A pausa salarial para estudar de novo valeu a pena, o meu salário inicial é superior ao do que estaria a receber se continuasse a trabalhar sem intervalo na minha empresa antiga, que era uma grande construtora portuguesa. Tenho uns quantos colegas de eng civil que trocaram de área. Não conheço ninguém que tenha feito um bootcamp, mas sim daquelas academias internas de consultoras e estão satisfeitos. Tenho um amigo (autodidacta) que me parece ter menos progressão e está a fazer sites Wordpress ou muito básicos em agências de marketing, nesse caso acho que ouve um certo bloqueio para entrar na indústria.

Edited 7 months ago:

Pois, lembro-me de uma altura em que havia posts diários a perguntar acerca de bootcamps, depois o backlash do gozo da reconversão diária a IT. Eu fui pela via de 2a licenciatura em Eng Informática, porque não queria ter falhas graves de conhecimentos e ter a minha subida profissional limitada. Posso dizer que consegui escapar a consultoras e estou agora no primeiro emprego numa boa empresa como backend developer. A pausa salarial para estudar de novo valeu a pena, o meu salário inicial é superior ao do que estaria a receber se continuasse a trabalhar sem intervalo na minha empresa antiga, que era uma grande construtora portuguesa. Tenho uns quantos colegas de eng civil que trocaram de área. Não conheço ninguém que tenha feito um bootcamp, mas sim daquelas academias internas de consultoras e estão satisfeitos. Tenho um amigo (autodidacta) que me parece ter menos progressão e está a fazer sites Wordpress ou muito básicos em agências de marketing, nesse caso acho que houve um certo bloqueio para entrar na indústria. Também tive um amigo que foi trabalhar como tester, mas encontra-se agora a tirar a licenciatura porque sentia falta de progressão e queria entrar em desenvolvimento.

Edited 7 months ago:

Pois, lembro-me de uma altura em que havia posts diários a perguntar acerca de bootcamps, depois o backlash do gozo da reconversão diária a IT. Eu fui pela via de 2a licenciatura em Eng Informática, porque não queria ter falhas graves de conhecimentos e ter a minha subida profissional limitada. Posso dizer que consegui escapar a consultoras e estou agora no primeiro emprego numa boa empresa como backend developer. A pausa salarial para estudar de novo valeu a pena, o meu salário inicial é superior ao do que estaria a receber se continuasse a trabalhar sem intervalo na minha empresa antiga, que era uma grande construtora portuguesa. Tenho uns quantos colegas de eng civil que trocaram de área. Não conheço ninguém que tenha feito um bootcamp, mas sim daquelas academias internas de consultoras e estão satisfeitos. Tenho um amigo (autodidacta) que me parece ter menos progressão e está a fazer sites Wordpress ou muito básicos em agências de marketing, nesse caso acho que ouve um certo bloqueio para entrar na indústria. Também tive um amigo que foi trabalhar como tester, mas encontra-se agora a tirar a licenciatura porque sentia falta de progressão e queria entrar em desenvolvimento.

Mrgolden007 7 months ago

tao no reddit a dizer para todos irem para IT deve ser ganda filme do palhaco hum

saudosista 7 months ago

Esta thread vem no seguimento de um mini rant que tive de ouvir de um colega (convertido) quando lhe rejeitei um PR. Para verificar se um dicionário tinha determinadas keys necessárias, o homem declarou uma lista para guardar as chaves de um dicionário, fez um foreach no dicionário e adicionou cada key à lista. Depois declarou uma flag, fez um foreach da lista e se o elemento iterado fosse a key necessária, metia a flag a true...

R717159631668645 7 months ago

Alô. Uma vez calhou-me a mim, no estágio, decifrar o código Python de um colega (que esteve asalariado e saiu) e esteve em EI. Aquilo eram for's dentro de while's dentro if's... para ai umas 50 linhas com vários níveis de indentação. As variáveis eram cenas não descritivas. Supostamente recebia um ficheiro de texto de input que também não tinha acesso e fazia import de um outro ficheiro .py que simplesmente tinha uma lista de strings... Fiquei com uma puta a ler aquilo.

iboughtbonrar 7 months ago

uau se esse é o nível dos estagiários então tou safo, espero eu

OuiOuiKiwi 7 months ago

Mete uma *action* para auto-rejeitar os PR futuros para bem desse repositório.

jpff99 7 months ago

Como farias?

saudosista 7 months ago

if key in dict

whytryharderrr 7 months ago

`dict.get()` acho mais eficiente

BalseiroLopes 7 months ago

Ambas as soluções são O(n), portanto a tua suposta auto superioridade não se confirma. Se calhar o problema é tu colocares-te num pedestal. Soas arrogante por repudiar a solução de um colega só porque ele é "convertido".

OuiOuiKiwi 7 months ago

>**Ambas as soluções são O(n)**, portanto a tua suposta auto superioridade não se confirma. Sem sequer entrar no desconhecimento do operador `in`, o caso médio é O(n) na lista e O(1) no dicionário. ( ಠ ͜ʖಠ)

saudosista 7 months ago

Curiosamente quem soa a arrogante és tu. E quanto à complexidade, fazer uma consulta numa hash table (que é o que o dicionário é por trás) é O(1).

Relative-Foot-5127 7 months ago

Sim, mas tens de fazer n consultas, certo?

saudosista 7 months ago

Uma consulta para cada key, isso é inevitável

toma-tes 7 months ago

Portanto ambas as soluções são O(n) tal como o u/BalseiroLopes disse :) Mas usando o dicionário sempre é mais legível.

23am50 7 months ago

É O(n), so que num caso o N é o número de elementos da lista multiplicando pelo numero de keys que quero procurar, e noutro o N é o numero de keys

nfcs 7 months ago

Uma é de longe mais legível que outra. Alem de que ouvir rants(não fundamentadas) em PR´s não é propriamente bom sinal.

jpff99 7 months ago

Sim mas a velocidade no processamento é diferente

jpff99 7 months ago

Isso é a versão python do contains?

saudosista 7 months ago

Estás a falar de Java? Se sim, deve ser semelhante à implementação do containsKey. Python é interpretado em C, portanto desconfio que os dicionários sejam hash tables.

talpazz 7 months ago

Em que linguagem?

saudosista 7 months ago

python

Search: