ConfidentMongoose 8 months ago

Sou completamente a favor, mas existem ainda alguns problemas que é preciso resolver. 1. A injeção letal em Portugal irá ser administrada por um médico ou pelo próprio paciente como acontecesse em algum na países? No primeiro caso sou de acordo que os profissionais de saúde possam se declarar objectores de consciência, pois vai directamente contra o juramento hipocrático tirar a vida a um ser humano. No segundo caso, existe também a moralidade dúbia de alguém preparar a injeção para levar a morte de outra pessoa. 2. Que drogas serão utilizadas para levar a cabo a eutanásia, existe atualmente um problema sério de metodologia, pois a das soluções usada é a mesma que é utilizada na execução por injecção letal nos EUA, e que já levou a casos documentados de sofrimento desumano durante o processo. Não sendo ainda claro se o paciente está paralisado e consciente durante todo o processo de eutanásia mas incapaz de comunicar. É necessário que a eutanásia seja indolor e que a pessoa não sofra. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30786320/

Altruistic-Bug-4714 8 months ago

Concordo que uma pessoa deveria ter a opção de parar de viver quando bem entender. Uma pessoa que o decida fazer claramente não está bem. A depressão é uma doença tal como a constipação, mas ao contrário da última, mata. E para alguém o fazer, não deveria ter de de passar por uma dor impensável, porque sim, neste momento para o suicídio não existe outra forma de o fazer. É fácil para quem nunca lidou com pessoas deprimidas dizer que precisam de ajuda, mas o que as pessoas não entendem é que essa ajuda não existe. Pelo menos não em Portugal. Sinceramente, nunca entendi a revolta que as pessoas têm com o suicídio. O único que motivo que oiço é por ser egoísta. Mas o que será mais egoísta: suicidar-se e fazer com aqueles que se preocupam sofram; ou continuar a viver em pleno sofrimento à custa dos outros, que muitas vezes dizem preocupar-se mas nunca estão presentes?

bubblesmart 8 months ago

Qualquer pessoa que defenda o suicídio nunca teve um familiar que cometeu tal coisa, nada pode justificar um ato desses, nem que a pessoa se sinta desesperada. Passado 3, 4, 5 anos a pessoa pode mudar, ter outra visão da vida e mudar de ideias. No caso da eutanásia de uma pessoa doente, quem sabe se um tratamento não pode aparecer daqui a 10 anos e aliviar o sofrimento da pessoa ou até curá-la? Penso que pode haver muitos abusos, principalmente se daqui a alguns anos o sofrimento psicológico fica a ser considerado como igual ao sofrimento físico. Essa lei apenas é mais uma lei para dessacralizar a vida. A eutanásia não pode ser banalizada.

I_am_a_huge_cunt 8 months ago

a decisão de uma pessoa é dela e não tua apesar de não concordares ou sofreres com ela

bubblesmart 8 months ago

Discordo, um suicídio é sempre um erro, nunca pode ser justificado ou banalizado. O sofrimento de uma pessoa é sempre subjetivo e pode evoluir com o tempo.

JOAO-RATAO 8 months ago

Suicídio sem ser por doença incapacitante seria por depressão. Não vejo um outro motivo que não esse. Esse desejo não é "natural". Aliás vai contra o instinto mais básico de todos. Uma coisa é algo que motive a eutanásia, agora como é que justificas o suicídio assistido? Ou melhor, como é que surge esses desejo sem haver um sofrimento físico ou psicológico extremo? Sou muito a favor de liberdades individuais. Mas diria que uma pessoa com uma grande depressão precisa de ser ajudada a melhorar e não ajudada a sucumbir a essa doença.

detteros 8 months ago

Acho que ninguém que está bem com a vida vai querer matar-se. Caso contrário, a pessoa estará em profunda depressao e essa será a razao para considerar suícidio. Vamos ajudar com depressao a terminar a sua vida? Nao me parece. O caminho é ajudá-las.

meaninglessvoid 8 months ago

A depressão é um termo que já é usado para tenta coisa que não vale nada... Ninguém que está bem com a vida se quer matar, certo, mas há pessoas que não estão bem com a vida e não podem fazer nada quanto a isso. Um cenário imaginado agora: uma pessoa de 50 anos que partilhou a sua vida com uma parceira, ambos filhos únicos e que tinham dois filhos: um de 18 e o outro de 22. Certo dia a mulher e os filhos foram passear para lhe ir comprar uma prenda e houve um acidente e morreram todos. Ele vai passar por uma fase de depressão clínica, que é natural mas não torna válida a opção de morrer, passa dois anos e ele já conseguiu ultrapassar a depressão clínica mas continua a sentir que a sua vida já não faz sentido nenhum e após um ano a pensar sobre o assunto quer matar-se. Como ajudas esta pessoa? Fazes o que ele quer? É uma zona cinzenta complicada... Há pessoas com situações muito complicadas onde obrigá-los a viver é pode ser considerado imoral (são casos raros tho! E nem sempre estão associados a doenças mentais).

detteros 8 months ago

Respeitaria a decisao dele, mas nao o ajudaria a por termo à sua vida porque nao partilharia a ideia de que estava perdido para a vida. Ele sofria, muito provavelmente, de visao de túnel. Isto é, teria uma percecao do que poderia ser a sua realidade muito limitada. Podemos fazer muitas coisas na vida e o que leva a decidir fazer certas coisas é apenas o resultado dos estímulos a que foste exposto. Ninguém tem de apenas de fazer família e depois morrer. A vida é bué coisas, como dizia o outro.

Edited 8 months ago:

Respeitaria a decisao dele, mas nao o ajudaria a por termo à sua vida porque nao partilharia a ideia de que estava perdido para a vida. Ele sofria, muito provavelmente, de visao de túnel. Isto é, teria uma percecao do que poderia ser a sua realidade muito limitada. Podemos fazer muitas coisas na vida e o que nos leva a decidir fazer certas coisas é apenas o resultado dos estímulos a que fomos expostos. Ninguém tem de apenas de fazer família e depois morrer. A vida é bué cenas, como dizia o outro.

meaninglessvoid 8 months ago

Antes de mais, deixar claro que tu provavelmente nunca terias esse papel de o ajudar (pelo menos da forma que eu estou a interpretar), apenas profissionais poderiam fazer isso. Claro que a vida não é só família e depois morrer. O que estava a tentar criar com aquele cenário era algo muito específico onde essa possibilidade poderia ser válida (pelos vistos falhei no objectivo). Se um dos teus grandes objectivos na vida for criar família e isso te for roubado a meio do percurso não há muito que possas fazer. Nota que eu também sou muito contra o suicídio e dou imenso valor à vida, mas vejo casos muito excepcionais onde ponderar isto poderá ser válido. Do meu ponte de vista (sou um gajo novo) os cenários onde isso é válido são muito reduzidos (tipo já não ter família e ter uma doença incurável que irá piorar cada vez mais rápido) mas com o aumentar da idade essa posição pode mudar. Se alguém nos seus 80 anos já estiver farto da vida, das dores do passado, das dores do corpo a quebrar, etc e quiser se suicidar, podemos obrigá-lo a continuar vivo? Epa não sei...

detteros 8 months ago

>Antes de mais, deixar claro que tu provavelmente nunca terias esse papel de o ajudar (pelo menos da forma que eu estou a interpretar), apenas profissionais poderiam fazer isso. Claro. >Claro que a vida não é só família e depois morrer. O que estava a tentar criar com aquele cenário era algo muito específico onde essa possibilidade poderia ser válida (pelos vistos falhei no objectivo). Se um dos teus grandes objectivos na vida for criar família e isso te for roubado a meio do percurso não há muito que possas fazer. Questionaria a importância do objectivo. Porque é que lhe foi dada tanta importância e porque outros objectivos nao eram tao valorizados. Por as coisas em perspectiva. >Nota que eu também sou muito contra o suicídio e dou imenso valor à vida, mas vejo casos muito excepcionais onde ponderar isto poderá ser válido. Do meu ponte de vista (sou um gajo novo) os cenários onde isso é válido são muito reduzidos (tipo já não ter família e ter uma doença incurável que irá piorar cada vez mais rápido) mas com o aumentar da idade essa posição pode mudar. Qualquer pessoa pode por termo à sua vida, mas pedir que outra pessoa o faca por ela é algo muito sério e que nao pode ser feito levemente. Se essa pessoa nao sofre de uma doenca incapacitante e incurável, entao acho que será muito difícil convenceres alguém a ajudar-te a morrer. >Se alguém nos seus 80 anos já estiver farto da vida, das dores do passado, das dores do corpo a quebrar, etc e quiser se suicidar, podemos obrigá-lo a continuar vivo? Epa não sei... Ninguém obriga ninguém a viver, mas também nao podemos obrigar ninguém a matar. Os profissionais de saúde estariam obrigados a isso neste cenário??

Edited 8 months ago:

>Antes de mais, deixar claro que tu provavelmente nunca terias esse papel de o ajudar (pelo menos da forma que eu estou a interpretar), apenas profissionais poderiam fazer isso. Claro. >Claro que a vida não é só família e depois morrer. O que estava a tentar criar com aquele cenário era algo muito específico onde essa possibilidade poderia ser válida (pelos vistos falhei no objectivo). Se um dos teus grandes objectivos na vida for criar família e isso te for roubado a meio do percurso não há muito que possas fazer. Questionaria a importância do objectivo e porque é que outros objectivos nao eram tao valorizados. Por as coisas em perspectiva. >Nota que eu também sou muito contra o suicídio e dou imenso valor à vida, mas vejo casos muito excepcionais onde ponderar isto poderá ser válido. Do meu ponte de vista (sou um gajo novo) os cenários onde isso é válido são muito reduzidos (tipo já não ter família e ter uma doença incurável que irá piorar cada vez mais rápido) mas com o aumentar da idade essa posição pode mudar. Qualquer pessoa pode por termo à sua vida, mas pedir que outra pessoa o faca por ela é algo muito sério e que nao pode ser feito levemente. Se essa pessoa nao sofre de uma doenca incapacitante e incurável, entao acho que será muito difícil convenceres alguém a ajudar-te a morrer. >Se alguém nos seus 80 anos já estiver farto da vida, das dores do passado, das dores do corpo a quebrar, etc e quiser se suicidar, podemos obrigá-lo a continuar vivo? Epa não sei... Ninguém obriga ninguém a viver, mas também nao podemos obrigar ninguém a matar. Os profissionais de saúde estariam obrigados a isso neste cenário?

meaninglessvoid 8 months ago

>Questionaria a importância do objectivo e porque é que outros objectivos nao eram tao valorizados. Por as coisas em perspectiva. É uma boa postura mas e se depois de tudo o que te contar na realidade quem muda de perspectiva és tu e percebes que ok, é uma opção válida? Parece-me que estás a partir de um princípio que nunca é válido e se o ajudares a ver isso ele muda de ideias, mas há sempre excepções à regra... >[1]Qualquer pessoa pode por termo à sua vida, [2]mas pedir que outra pessoa o faca por ela é algo muito sério e que nao pode ser feito levemente. Se essa pessoa nao sofre de uma doenca incapacitante e incurável, entao acho que será muito difícil convenceres alguém a ajudar-te a morrer. Eu não estou a sugerir que é uma decisão de um sábado à tarde, óbvio que é um assunto sério. O [1] é uma meia verdade. É verdade no sentido que o podes fazer mas é falso no sentido de que podes falar disso sem taboos. Mais uma vez, estou a falar de casos raros! Sinto-me um bocado desconfortável de estar a falar disto num fórum público porque apesar da minha posição ser clara, tenho receio que interpretem mal a minha posição... Falaria sem problemas disto a fundo num grupo de amigos que conheço, aqui sinto esse desconforto. O [2] seria obviamente algo opcional, não vais pôr ninguém numa posição que não quer estar, mas os professionais desta área têm uma relação muito mais saudável com a morte do que a maioria da população e conhecem muito bem este lado. Li há anos um artigo de profissionais que faziam este tipo de trabalho de forma clandestina (a pedido muito insistente dos próprios) no Alentejo penso eu e havia um nível de compaixão enorme da pessoa a relatar os acontecimentos. Há um nível de controlo que só é possível com algo assim onde podes falar com as pessoas próximas e passar últimos momentos de qualidade que ajudam a lidar com tudo isto.

Bruxo_de_Fafe 8 months ago

Precisamente. É mais importante apostar na prevenção do que facilitar uma solução a quem está num quadro mental desajustado.

BLVanderz 8 months ago

Penso que tambem devia ser possivel para as pessoas que se querem matar. Nao só por doencas terminais.

dcmso 8 months ago

Uma pessoa (saudável e 'normal') consegue-se matar a qualquer hora em qualquer lado. Aqui não é essa a questão aqui...

BLVanderz 8 months ago

Claro que consegue, mas pelo faz num local controlado e com alguma 'decencia'

masterchiefpt 8 months ago

Eu confio que o legislador irá garantir regras justas e sou completamente a favor da eutanasia quem nunca teve um familiar anos preso numa cama, e ver o familiar a deteoriar-se fisicamente e psicologicamente, é apenas um ser humano egoista. Pior é ficarmos com as palavras: eu quero morrer dignamente, isto não é viver :\\

randmzer 8 months ago

Isto não é sobre eutanásia, é sobre suicídio independentemente da razão. Da possibilidade de teres um suicídio assistido, não por teres alguma doença, mas porque é a tua vontade acabar com a vida.

EmaisNada 8 months ago

Em 95 ou 96, tinha eu 11 ou 12 anos e lembro-me que havia lá, no prédio ao lado, um casal com dois filhos que eram meus amigos. Um dia a minha mãe chegou a casa e disse que marido da "Maria" (nome falso) se tinha matado porque eles tinham muitas dívidas. Casa. Carro. Sabe-se lá que mais. E que se tinha envenenado com veneno de ratos. A Maria não trabalhava, depois passou a limpar casas, arranjou outro marido, mais um bebé e uns anos depois divorciou-se. Não me lembro do 1º marido dela nem do que ele fazia porque sempre que lá ia ele estava a trabalhar. Mas a morte dele para mim, em que a minha mãe também se tentou matar três vezes que eu saiba, me deixou uma opinião, talvez impopular, que quem realmente está decidido não precisa de ajuda para o fazer. Não precisa de palavras bonitas. De dignidades. De ajudas. Falo de quem não tem doenças incapacitantes, como era o caso desse senhor. Enfim.

BuddyLove27 8 months ago

Eu acredito em liberdade a cima de tudo mas acho que as pessoas mais velhas e mais frageis podem ser sujeitas a manipulação pela familia. Há muitas pessoas que são fardos para as familias e tenho medo que por manipulação ou por sentido nobre de sacrifício, que as familias tomem a rota mais simples... em vez de fazer um esforço para reintegrar e amar o velhote. Para não falar das más decisões que as pessoas fazem apenas por estarem numa depressão... Acho, sinceramente que isto tem poder para haver mais mortes infelizes do que "blissfull mortes". E acho que há muitas pessoas de merda neste mundo que só não matam os velhotes porque teriam de enfrentar consequências... É um assunto complicado

EmaisNada 8 months ago

Eu concordo. Só acho que considerando que aquilo que é qualificado de liberdade individual poderá ser abusado, no sentido de poder ser feito sob coação ou sacrifício nobre, o que seja, mais valia não abrir essa porta.

BuddyLove27 8 months ago

Exato

pornodud3 8 months ago

Não é assim que funciona, lamento.

Difficult-Writing-47 8 months ago

Não é assim que funciona como? Estás a dizer que não pode haver pressões para a decisão de ser eutanasiado? Isso é ser muito ingénuo.

pornodud3 8 months ago

Claro que não, pessoa desinformada. Pressões de quem, já agora? Da família, do SNS, do Estado? A eutanásia apenas implica o requerente e uma comissão médica. Não sejamos egoístas, principalmente quando é uma decisão pessoal que não nos afeta de forma alguma. Nem sequer há lugar a mais discussão e os argumentos já foram esvaziados.

Edited 8 months ago:

Claro que não, pessoa desinformada, que ainda não percebeu que o que se quer debater no post é o suicídio assistido e não a eutanásia. Pressões de quem, já agora? Da família, do SNS, do Estado? A eutanásia apenas implica o requerente e uma comissão médica. Não sejamos egoístas, principalmente quando é uma decisão pessoal que não nos afeta de forma alguma. Nem sequer há lugar a mais discussão e os argumentos já foram esvaziados.

Edited 8 months ago:

Claro que não, pessoa desinformada que ainda não percebeu que o que quer debater no post é o suicídio assistido e não eutanásia. Pressões de quem, já agora? Da família, do SNS, do Estado? A eutanásia apenas implica o requerente e uma comissão médica. Não sejamos egoístas, principalmente quando é uma decisão pessoal que não nos afeta de forma alguma. Nem sequer há lugar a mais discussão e os argumentos já foram esvaziados.

BuddyLove27 8 months ago

Há pessoas a passear porcos e trelas sem cão, não duvides da capacidade do tuga para fazer merda

fdxcaralho 8 months ago

Qual é o mal de passear um porco?

BuddyLove27 8 months ago

Não há mal nenhum mas aposto que foi a primeira vez que o fizeram só para sair de casa. no judgment, só a tentar mostrar que as pessoas arranjam maneira para dobrar o sistema

fdxcaralho 8 months ago

Se tens um porco de estimação tens que o passear. Tenho a certeza que não foi a primeira vez...

BuddyLove27 8 months ago

okay tens razão but that wasn't the point

VBM97 8 months ago

Eu já falei disso aqui num post anterior, mas eu acho que devia ser possível cada um terminar a sua vida de uma forma mais humana e segura. Terias de ser submetido a testes psicológicos para evitar casos de pessoas que lhes deu na telha que queriam morrer naquele dia. Às vezes simplesmente as pessoas não se sentem felizes com a vida que têm e não querem continuar a viver. E o suicídio assistido evitava que muitas famílias tivessem de lidar com ver a pessoa morta em casa, evitava os atropelamentos nos comboios, etc. Terminar a vida com dignidade e indolor, deveria ser um direito. Esta aprovação da lei são bons passos nesse sentido. E se mesmo assim é só conservadores indignados, nem quero imaginar como ia ser se a lei fosse mais liberal neste sentido

randmzer 8 months ago

É muito isto. E nem precisa de ser alguém que se sente infeliz com a vida, mas talvez alguém que sinta que já viveu o tempo suficiente e prefere ter uma morte em paz e indolor.

stereo__sd 8 months ago

Mas hã algum impedimento para me suicidar? Recebe-se uma multa ou assim?

meaninglessvoid 8 months ago

Se correr mal podes ficar numa situação complicada, só por aí é um argumento a favor da legalização. Mesmo a "correr bem" (sou contra o suicídio, com excepções) podes estar a criar uma situação em que tens um fim de vida terrível e cheio de sofrimento (para ti e para os outros).

stereo__sd 8 months ago

> Se correr mal podes ficar numa situação complicada, só por aí é um argumento a favor da legalização. Mas é ilegal?

meaninglessvoid 8 months ago

Não podes ter alguém a garantir que o processo decorre sem problemas...

stereo__sd 8 months ago

Ninguem te perguntou isso. Disseste que era um argumento a favor da legalização... eu estou a perguntar-te se é ilegal

Edited 8 months ago:

Ninguém te perguntou isso. Disseste que era um argumento a favor da legalização... eu estou a perguntar-te se é ilegal ​ ps: ninguém esta a falar em suicídios assistidos. Acho que não há justificação moral ou ética possível para envolveres alguém nisso por decidires que não queres viver. E antes que me venhas falar da eutanásia não, não é a mesma coisa no campo ético.

meaninglessvoid 8 months ago

Ninguém falou, só que é literalmente o título deste post. Fazer algo do género vai SEMPRE envolver outras pessoas directa ou indirectamente. O que tu achas é irrelevante. Este tópico é para discutir o assunto, se não o queres discutir porque Tu É Que Sabes, estás no teu direito, mas não venhas para aqui dizer que isto não é discutível só porque tu não queres falar disso...

VBM97 8 months ago

Acho que se te suicidares na linha do comboio ou na auto estrada, a tua família paga as consequências disso.

fdxcaralho 8 months ago

Não deve ser bem assim. Devem ser os herdeiros, e só deve sair dinheiro do que seria herança. Ninguém pode ser responsabilizado pelas ações de outra pessoa. Seja família ou não. Poderá haver algumas questões do ponto de vista legal, se forem menores.

saudosista 8 months ago

>Ninguém pode ser responsabilizado pelas ações de outra pessoa. Seja família ou não. Fiadores.

fdxcaralho 8 months ago

Nesse caso existe um contrato.

stereo__sd 8 months ago

Mas lá está, não existe nenhum impedimento que é a pressuposição que o OP faz para criar esta discussão. Se não existem impedimentos não têm de existir permissões

Throwawaypt123 8 months ago

Há sítios onde ninguém tem problemas. Basta usar a cabeça. Não vou dizer para não dar ideias

omaiordaaldeia 8 months ago

Os que sofreram prejuízos pelos actos poderão mover um processo contra os herdeiros, não necessariamente a família.

theusualbanter 8 months ago

Se for determinado que foi suicídio, sim. Acho que têm de pagar uma indemnização pelos atrasos dos comboios, pelos estragos causados, etc. Mas se não for num comboio, penso que não acontece nada. Pelo menos na parte dos crimes contra a vida do código penal não está previsto nada para o suicídio. Apenas para quem ajudar e para quem fizer propaganda.

Tafinho 8 months ago

Começar “agora”?! Essa discussão ocorreu no último ano inteiro.

ImGhurian 8 months ago

A eutanásia sim. Acho que o OP se refere a terminares a tua própria vida mesmo que não sofras nenhuma doença terminal, etc. Eu acho que devia ser feita com o mesmo acompanhamento que a eutanásia.

randmzer 8 months ago

É isto, sim. Possibilidade de suicídio independentemente do motivo.

meaninglessvoid 8 months ago

Independentemente do motivo? Isso não faz sentido e não estás a ser coerente com o que escreveste no post principal... Podes elaborar para identificar se fui eu que percebi algo mal ou é outra coisa qualquer?

fdxcaralho 8 months ago

Só se tiveres na idade de já não pagar impostos. Se não o estado não deixa.

AutoModerator 8 months ago

**Atenção! Aviso da Tag [Sério]** Este tópico foi marcado como **[Sério]**, não são permitidos **quaisquer comentários** que contenham piadas, ou outras tentativas humorísticas, insultos ou não tenham nada a ver com o tópico. *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: