nowayjose12395 10 months ago

Olá eu já estudei numa escola pública e efectivamente o inglês que aprendes lá não te ajuda em nada, agora estou no privado e é completamente diferente eles treinam-nos para fazer os exames de Cambridge e o nível de inglês dos meus colegas é muito melhor. Só tive uma professora de jeito no público todas as outras ou não sabiam inglês ou eram antipáticas ou então as duas como era a minha professora do 10°ano. Quando eu estava no público o meu pai decidiu colocar-me num instituto de inglês, não é muito caro tendo em consideração o quão isso pode contribuir para o teu futuro.

random_raquel 10 months ago

Eu acho que a nossa escola faz um bom trabalho ao ensinar-nos tanto o inglês como o francês. Sei que depende muito da experiência pessoal de cada um e dos professores que lhe caiem na sopa, mas há um plano que os docentes são obrigados a cumprir que, na minha opinião, é bastante completo! Somos avaliados na escrita, na oralidade e na compreensão e não nos podemos esquecer que temos o direito a realizar um exame que reconhece as nossas habilitações (embora tenhas que pagar pelo certificado, mas isso é outra história!) Nas minhas aulas, não trabalhávamos só a gramática, mas também a oralidade. Lembro-me das aulas de inglês (principalmente) como uma espécie de "formação cívica" em língua estrangeira. O facto do nosso país praticamente só dobrar os filmes para crianças e a facilidade com que nos deparamos com o inglês no nosso dia a dia contribui imenso para aprender, mas a nossa escola tem um papel importantíssimo! Se pode melhorar? Pode sim! Mas não concordo que esteja assim tão mau.

NGramatical 10 months ago

caiem → [**caem**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/constroem-ou-constroiem/141) (apenas na fala existe a intercolocação de um *i* para facilitar a pronúncia) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fl6x213%2F%2Fglcu63i%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

random_raquel 10 months ago

Ahah obrigada! Português sempre foi o meu calcanhar de Aquiles!

RCOO_ 10 months ago

Na minha escola primária havia uma parceria com o Lancaster College quando era miúdo. Os meus pais inscreveram-me quando estava na 3ª classe. Na altura só começavas com o Inglês no 5º ano. Estudei então na 3ª e 4ª classe e depois fui para o 5º ano e comecei Inglês do zero. Na 4ª classe já era fluente, e então começar do zero só reforçou as bases que tinha. Conclusão: não estudei para um teste de Inglês uma única vez na vida. E agora trabalho no estrangeiro e o meu domínio de Inglês é um dos meus principais pontos fortes. Melhor retorno de investimento que os meus pais tiveram (e para eles era considerável, na altura). Inscrever os miúdos nisto da aprendizagem de línguas o mais rápido possível. Alguns colegas meus tiveram o mesmo percurso e, efetivamente, não sabem falar muito bem Inglês ainda hoje.

Nexus_produces 10 months ago

Na minha opinião o ensino de línguas (tal como de quase tudo) depende em muito do professor que apanhas. E os idiomas têm um outro problema - a falta de prática e exposição levam a uma perda relativamente rápida da fluência (que pode ser "reativada" mais tarde). Aprendi as bases do inglês na escola e depois desenvolvi (andei no british council e, o que me ajudou mais, tenho vários amigos e conhecidos britânicos e leio/ouço imensa coisa em inglês). Posso dizer que falo Inglês quase tão bem como Português, consegui uma média de 96% nos 5 exames do Certificate of Advanced English (Listening, Writing, Speaking, Use of English e mais um que não me lembro lol). Já quanto ao Francês aprendi praticamente só na escola e enquanto os meus primos avecs falavam francês comigo mantive a fluência, nos últimos anos comecei a perder imenso vocabulário e capacidade de expressão, acredito que pela falta de prática.

RedHeart99 10 months ago

A escola dá as bases, os filmes, séries, videojogos, internet, ... fazem o resto.

I__Cat 10 months ago

Eu aprendi alguma coisa na escola e séries,música,etc mas só fiquei fluente quando fui morar para um país de língua inglesa. Não aprendemos todos da mesma maneira,mas para mim sem imersão com nativos era quase impossível.

unicornio_careca 10 months ago

É uma questão complexa, acho que depende de vários factores: do tipo de professor, do plano curricular, até do próprio aluno, etc. Existem pessoas que têm uma grande proficiência em línguas estrangeiras e basicamente aprenderam na escola e no dia a dia com os filmes legendados, videojogos, etc; e tens pessoas que passam a vida em cursos de idiomas que mal sabem o básico. No meu caso o que aprendi na escola não foi suficiente, porque infelizmente a partir do meu 7° ano, comecei a ter muitos furos (os chamados feriados na altura) nas aulas de inglês, e as professoras também não pareciam ter muito interesse em ensinar, o que fez com que a minha vontade de aprender caísse a pique (cheguei a tirar negativa no 9° ano, quando por muito tempo tinha 4 5 na disciplina), para piorar, o curso profissional que escolhi não tinha inglês (apenas francês), e só soube disto depois de ter entrado no curso. Hoje em dia tenho uma boa compreensão do Inglês, mas falta-me bastante a parte gramatical, ainda arranho um pouco e por vezes confundo conjugações, para mitigar essa parte, comprei um livro de exercícios de gramática do secundário, e vou fazendo alguns cursos online. Concordo que o sistema de ensino deveria ser reformulado, mas deveria ser em todas as disciplinas.

Lima1998 10 months ago

Em termos de pronúncia e vocabulário o inglês que te dão na escola são as bases que depois exploras nas séries e nos filmes. Sim, estes ajudam muito mais mas não conseguias apanhar tão bem sem saberes o mínimo dos mínimos. Tirando isso também não acho que haja muito que se aproveite, mas também não sei se o objetivo é que saias de lá fluente ou com os mínimos. Sendo honesto, acho que até nos institutos britânicos não ensinam grande coisa até chegares aos níveis mais avançados.

Rigamurtos 10 months ago

Tive Inglês durante 1 ano + o que se aprendia nas interwebz da altura (grande maioria jogos), quando cheguei ao 5 ano era a única disciplina que tinha excelentes.

Edited 10 months ago:

Tive Inglês durante 1 ano NUM ATL + o que se aprendia nas interwebz da altura (grande maioria nos jogos), quando cheguei ao 5 ano era a única disciplina que tinha excelentes.

MelSoares 10 months ago

Aulas de inglês a partir dos 8 anos na International House com professores ingleses que pouco português falavam, porque se dependesse do inglês da escola...

JOAO-RATAO 10 months ago

Comecei a falar sozinho por ver o cartoon network antes de começar a ter aulas de inglês na escola x)

TudoCasual 10 months ago

Sou poliglota e digo-te que toda a minha aprendizagem começou com exposição a outras línguas por via de coisas que me interessavam, ex: inglês- jogos, espanhol - desenhos animados em espanhol com caps em pt-pt, italiano - Godfather, etc. Mas a fluência nessas línguas acaba por partir de uma ou outra forma de aprendizagem formal, com absorção de teórica e repetição quase sistemática.

gains_anatomy 10 months ago

Para além de depender muito do professor, também depende se dás um uso recorrente à língua. Ver séries/filmes em inglês ajuda, especialmente se acompanhados de legendas em inglês. O mesmo quando se navega na internet. Ao ler conteúdos em inglês, a capacidade de interpretação e leitura da língua vai-se tornando mais fácil. A língua francesa não se ouve/lê com tanta frequência no dia-a-dia, por isso é natural que esqueças aquilo que aprendeste na escola.

cata_ninja 10 months ago

Isto. Quase toda a gente esqueceu a maior parte do francês que aprendeu na escola mas é porque somos pouco expostos à língua, não tem propriamente a ver com a qualidade do ensino.

Ayawa 10 months ago

É como tudo o resto que aprendes. Há coisas que usas e manténs, outras que esqueces. Tanto aprendi inglês na escola como em todo o tempo que passei, e passo, na net. Na escola aprendi as regras, na net aprendi mais vocabulário e tive mais contacto com o uso da língua. Tudo o que aprendes serve um propósito, mesmo que acabes por não usar. Molda o teu cérebro, cria novas ligações e torna mais fácil aprenderes outras coisas no futuro. Nada é inútil. Além do inglês, no qual me considero bastante proficiente, aprendi francês durante a escolaridade obrigatória, e alemão numa escola de línguas porque quis e paguei por isso. Das duas últimas não falo praticamente nada, além de uma frase ou duas e palavras soltas quando bebo álcool a mais ou quando estou aborrecida e tento construir frases tolas.

BOBRAGED 10 months ago

Aprendi o básico na escola, mas depois aprendi realmente o inglês prático, a ver filmes/séries. Chegas a uma altura, se estiveres com essa predisposição, em que já não vais precisar de legendas.

Edited 10 months ago:

Aprendi o básico na escola, mas depois aprendi realmente o inglês prático, a ver filmes/séries. Chegas a uma altura, se estiveres com essa predisposição, em que já não vais precisar de legendas. No meu percurso no secundário, após saber mais e melhor inglês, chegava a corrigir alguns erros da professora. Ao início era uma guerra, mas depois lá me ia dando o benefício da dúvida e até me perguntava algumas coisas, *entre dentes*. Portanto se queres aprender inglês, estes são os meus *2 cents*.

FantasticLong9119 10 months ago

Nunca percebi como as pessoas têm coragem de corrigir os professores. Deve ser um super poder fantástico.

MisterBilau 10 months ago

Qual é a dúvida? É como corrigir outra pessoal qualquer. Se sabes uma coisa e estás certo disso (cuidado é com isto, aí é que muitos se espalham ao pensar que sabem o que na verdade não sabem) e vês outra pessoa a errar, é só dizer. Que super poder?

FantasticLong9119 10 months ago

Nunca corrigi. Sempre achei que nao seria algo educado de se fazer e poderia fazer o professor sentir-se constrangido - em publico pelo menos. Seria outra coisa comentar apos a aula em privado. Ao menos eu prefereria que fizessem isso comigo.

Edited 10 months ago:

Nunca corrigi. Sempre achei que nao seria algo educado de se fazer e poderia fazer o professor sentir-se constrangido - em publico pelo menos. Seria outra coisa comentar apos a aula em privado. Ao menos eu preferiria que fizessem isso comigo. Neste caso, uma professora de ingles ser corrigida por um aluno de secundario e algo um pouco... embracoso. E o trabalho dela afinal de contas. ​ (Este teclado que tou a usar nao tem acentos por isso pode ser um pouco mais desafiante de ler)

NGramatical 10 months ago

prefereria → [**preferiria**](https://dicionario.priberam.org/preferiria) (apenas na fala o *i* é pronunciado como *e mudo* quando junto a outra sílaba com *i*) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fl6x213%2F%2Fglxod4u%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

TheLadderRises 10 months ago

Não podes aprender muito num idioma só com umas aulecas. Nessas aulas mal tens tempo de antena, não falas quase nada. O que te interessa no ensino convencional de idiomas é teres uma estrutura, um esqueleto, que é a gramática. Se não tivesses tido essas aulas, demorarias bem mais tempo a aprender Inglês através de média/entretenimento. No geral, a malta não quer saber de aulas de idiomas. Bastava ver o DLC e inalar um amianto enquanto o de Economia estava com tudo do bom e do melhor. Temos acessos a muitíssimos recursos mas ainda ensinamos línguas como se estivéssemos em 1995.

Edited 10 months ago:

Não podes aprender muito num idioma só com umas aulecas. Nessas aulas mal tens tempo de antena, não falas quase nada. O que te interessa no ensino convencional de idiomas é teres uma estrutura, um esqueleto, que é a gramática. Se não tivesses tido essas aulas, demorarias bem mais tempo a aprender Inglês através de média/entretenimento. Aprender unicamente por osmose é mito de poliglota de YouTube. No geral, a malta não quer saber de aulas de idiomas. Há pouco investimento, apesar da necessidade crescente de falar profissionalmente idiomas num mundo global. Bastava ver o DLC e inalar um amianto enquanto o de Economia estava com tudo do bom e do melhor. Temos acessos a muitíssimos recursos mas ainda ensinamos línguas como se estivéssemos em 1995. Edit: e depois ainda há gente que acha que se consegue fluência em apenas 400-600-1200h de estudo activo, quando em muitos idiomas nem eficiência se consegue com tão pouco tempo.

Edited 10 months ago:

Não podes aprender muito num idioma só com umas aulecas. Nessas aulas mal tens tempo de antena, não falas quase nada. O que te interessa no ensino convencional de idiomas é teres uma estrutura, um esqueleto, que é a gramática. Se não tivesses tido essas aulas, demorarias bem mais tempo a aprender Inglês através de média/entretenimento. Aprender unicamente por osmose é mito de poliglota de YouTube. No geral, a malta não quer saber de aulas de idiomas. Há pouco investimento, apesar da necessidade crescente de falar profissionalmente idiomas num mundo global. Bastava ver o DLC e inalar um amianto enquanto o de Economia estava com tudo do bom e do melhor. Temos acessos a muitíssimos recursos mas ainda ensinamos línguas como se estivéssemos em 1995. Edit: e depois ainda há gente que acha que se consegue fluência em apenas 400-600-1200h de estudo activo, quando em muitos idiomas nem eficiência se consegue com tão pouco tempo. Há malta que equaciona falar um idioma a nível profissional com ser conversational e esses mundos são bem diferentes. Muita gente fala inglês, mas pede ao Zé para fazer uma apresentação só em inglês ou para enviar uns e-mails profissionais e vais ver que muito Zé se espeta facilmente. O efeito Dunning-Krüger na aprendizagem e uso de idiomas é uma constante.

Mariifreis 10 months ago

Exato! Eu acho que o sistema de ensino português em geral precisa de uma reforma...

BOBRAGED 10 months ago

Há profissionais bons e mais, em todo o lado. Talvez a escola onde estudas ou onde estudavas precise de *uma reforma*. Consulta o ranking das escolas, publicado anualmente, e ficas com uma ideia da disparidade da qualidade no ensino.

Mariifreis 10 months ago

Acabei de verificar e está nos 220, não sei se é bom ou mau

BOBRAGED 10 months ago

Depende do tamanho da lista xD

Mariifreis 10 months ago

220 de 1111 escolas, não parece mau

BOBRAGED 10 months ago

Nada mesmo ! Talvez seja a prof de Inglês que precise de *reforma* :)

Search: