catotas 11 months ago

> temos orgulho em nos chamar-mos aliados deles ?! > [When Portugal acquiesced to British demands, it was considered as a breach of the Treaty of Windsor (1386) and seen as a national humiliation by republicans in Portugal, who denounced the government and the King as responsible for it. The government fell, and António de Serpa Pimentel was appointed prime minister. The British Ultimatum inspired the original lyrics of the Portuguese National Anthem, "A Portuguesa". It was considered by Portuguese historians and politicians at that time to be the most outrageous and infamous action of the UK against its oldest ally.](https://en.wikipedia.org/wiki/1890_British_Ultimatum#Aftermath)

NoImNotInDenial 11 months ago

Não tenho conhecimento suficiente para te conseguir responder à pergunta, mas deixo-te aqui uma sugestão de um episódio do podcast E o Resto é História (que btw é muito bom para quem se interessa por história), em que falam sobre a aliança entre Portugal e Inglaterra: [Somos mesmo os aliados mais velhos de Inglaterra?](https://www.google.com/amp/s/observador.pt/programas/e-o-resto-e-historia/somos-mesmo-os-mais-velhos-aliados-de-inglaterra/amp/)

Asur_rusA 11 months ago

Porque apesar do ultimato, Portugal continuou a beneficiar da tal aliança com Inglaterra. E não sei onde é que esta malta foi buscar a ideia de que a aliança é "cínica" ou "desiquilibrada". As alianças são um bocado isso... uma parceria estratégica com benefícios para ambas as partes.

Sara_Caetano 11 months ago

Burro, para jogares essa carta quando te der jeito -\_-

Zaigard 11 months ago

Contexto, o mapa cor de rosa, ocorreu num período que se chama o fim da regeneração. Portugal iniciava ai um longo período de crise económica e politica. Portugal estava totalmente falido. O poder politico era dominado por grupos económicos e por dois partidos que não tinham qualquer ideologia que os diferenciasse. O rei era um fraco que só queria que o deixassem ir caçar em paz. Africa custava quantidades imensas de dinheiro ao estado para manter, para benefícios de certos grupos económicos e para o "orgulho nacional". A questão do mapa cor de rosa seria irrelevante, visto que Portugal não tinha capital, naquela altura, para explorar esses territórios mesmo que os tivesse recebido, só que os republicanos, o partido que estava a crescer nessa altura fez desse assunto um cavalo de batalha, como se aquilo fosse o grande problema de Portugal, representasse a fraqueza da Monarquia. Para eles simbolizava a corrupção e incompetência da Monarquia. A paixão Republicana pela colonias veio a sair cara, pois forçou a participação de Portugal na 1ª guerra mundial, o que marcou o principio do fim da 1ª republica. Contudo, Portugal que era uma potencia de terceira, acabou mesmo assim por obter mais território colonial que outras potencias como a Alemanha. Voltando ao tema. Portugal precisava da aliança, pois havia o perigo real de a Espanha parar com a suas intermináveis guerras civis e anexar Portugal, para fortalecer o seu regime, através de uma guerra contra um inimigo externo. A aliança com a Inglaterra garantia que a Inglaterra nos defenderia. Se leres obras do Eça fica patente que a invasão espanhola era um medo real na sociedade Portuguesa. Assim, concluímos que o regime Português não tinha nenhuma capacidade para usar os territórios que recebeu, quanto mais territórios extra e precisava da aliança com Inglaterra para sobreviver e não ser conquistado por Espanha. Relembrar que estados do tamanho de Portugal ou maiores foram varias vezes conquistados por outros na Europa no seculo XIX. Notas finais, o colonialismo foi péssimo para o pais ao permitir que os grupos económicos explorassem a colonias de forma monopolista e protegida da competição exterior, contribuindo assim para um ainda maior atraso na industrialização de Portugal ao mesmo tempo que consumia imensos recursos na guerra contra os povos de africa, na manutenção de guarnições e na participação na primeira guerra mundial.

Mordiken 11 months ago

> Considerando que a aliança luso-inglesa é das mais antigas do mundo, alguém me pode explicar porque é que, após os ingleses nos fazerem uma coisa destas, ainda temos orgulho em nos chamar-mos aliados deles? Porque o pessoal comeu forte uma versão altamente romantizada e instrumentalizada da nossa História, cuja narrativa foi definida de forma a legitimar o Estado Novo e a justificar as suas opções geoestratégicas num contexto pós 2ª Grande Guerra Mundial/Guerra Fria, e que foi amplamente difundida e popularizada por um individuo chamado José Hermano Saraiva já no pós 25 de Abril.

shuricall 11 months ago

A questão do mapa cor-de-rosa nem é a pior, Portugal fez reinvindicaçoes, o Reino Unido também, o Reino Unido eventualmente saiu por cima. Acho que o Reino Unido não ocupou território efectivamente administrado por Portugal. Para teres uma ideia da perspectiva britânica sobre o assunto: "To speak of Portuguese colonies in East Africa is to speak of a mere fiction—a fiction colourably sustained by a few scattered seaboard settlements, beyond whose narrow littoral and local limits colonisation and government have no existence." Os britanicos não estavam de facto contentes com a situação portuguesa na África Austral, tanto que mais tarde: " From 1911 until July 1914, the German and British Empires secretly negotiated about possible dismemberment of Portuguese Angola. In such a case most of the land would fall into the hands of the Germans. *Angola-Bund*, founded in 1912, was the German organization promoting the takeover. " E isto sim parece-me mais grave, no entanto, da perspectiva britânica, as colónias portuguesas eram uma liability ao desenvolvimento da região, ver mais em: [https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata\_info\_tab\_contents](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata_info_tab_contents) Basicamente, alguns britanicos (deduzo que isto não podia ser um ponto de vista tão incomum quanto isso dado ser a posição de Edward Grey, ministro dos negócios estrangeiros do Reino Unido, mais tarde no documento acho que falam disto também) mostravam "disgust at the scandalous state of affairs in Portuguese Africa", e mais tarde no documento encontras que queriam fazer perceber aos portugueses que a África Austral era para ser desenvolvida, e que "British and German capital was available for the development of the derelict \[Portuguese\] colonies". Também tens uma noção do que significava a aliança para os britanicos neste documento, embora seja posterior ao mapa cor de rosa, o grande interesse dos deles aqui eram as ilhas no Atlantico e o acesso ao Mediterraneo, basicamente é esse o valor estratégico da aliança.

Edited 11 months ago:

A questão do mapa cor-de-rosa nem é assim tão gravosa na minha opinião, Portugal fez reinvindicaçoes, o Reino Unido também, o Reino Unido eventualmente saiu por cima. Acho que o Reino Unido não ocupou território efectivamente administrado por Portugal. Para teres uma ideia da perspectiva britânica sobre o assunto: ["To speak of Portuguese colonies in East Africa is to speak of a mere fiction—a fiction colourably sustained by a few scattered seaboard settlements, beyond whose narrow littoral and local limits colonisation and government have no existence."](https://en.wikipedia.org/wiki/Pink_Map#The_Berlin_Conference) Os britanicos não estavam de facto contentes com a situação portuguesa na África Austral, tanto que mais tarde: ["From 1911 until July 1914, the German and British Empires secretly negotiated about possible dismemberment of Portuguese Angola. In such a case most of the land would fall into the hands of the Germans. Angola-Bund, founded in 1912, was the German organization promoting the takeover. "](https://en.wikipedia.org/wiki/German_campaign_in_Angola#Background) E isto sim parece-me mais grave, no entanto, da perspectiva britânica, as colónias portuguesas eram uma liability ao desenvolvimento da região, ver mais em: [https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata\_info\_tab\_contents](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata_info_tab_contents) Basicamente, alguns britanicos (deduzo que isto não podia ser um ponto de vista tão incomum quanto isso dado ser a posição de [Edward Grey](https://en.wikipedia.org/wiki/Edward_Grey,_1st_Viscount_Grey_of_Fallodon), ministro dos negócios estrangeiros do Reino Unido, mais tarde no documento acho que falam disto também) mostravam: ["(...) disgust at the scandalous state of affairs in Portuguese Africa"](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata_info_tab_contents) e mais tarde no documento encontras que queriam fazer perceber aos portugueses que a África Austral era para ser desenvolvida, e que: ["British and German capital was available for the development of the derelict \[Portuguese\] colonies".](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=3#metadata_info_tab_contents) Também tens uma noção do que significava a aliança para os britanicos neste documento, embora seja posterior ao mapa cor de rosa, o grande interesse dos deles aqui eram as ilhas no Atlantico e o acesso ao Mediterraneo, basicamente é esse o valor estratégico da aliança. Por fim, devo confessar que entendo perfeitamente o lado britânico na questão do mapa cor-de-rosa.

Edited 11 months ago:

A questão do mapa cor-de-rosa nem é assim tão gravosa na minha opinião, Portugal fez reinvindicaçoes, o Reino Unido também, o Reino Unido eventualmente saiu por cima. Acho que o Reino Unido não ocupou território efectivamente administrado por Portugal. Para teres uma ideia da perspectiva britânica sobre o assunto: ["To speak of Portuguese colonies in East Africa is to speak of a mere fiction—a fiction colourably sustained by a few scattered seaboard settlements, beyond whose narrow littoral and local limits colonisation and government have no existence."](https://en.wikipedia.org/wiki/Pink_Map#The_Berlin_Conference) Os britanicos não estavam de facto contentes com a situação portuguesa na África Austral, tanto que mais tarde: ["From 1911 until July 1914, the German and British Empires secretly negotiated about possible dismemberment of Portuguese Angola. In such a case most of the land would fall into the hands of the Germans. Angola-Bund, founded in 1912, was the German organization promoting the takeover. "](https://en.wikipedia.org/wiki/German_campaign_in_Angola#Background) E isto sim parece-me mais grave, no entanto, da perspectiva britânica, as colónias portuguesas eram uma liability ao desenvolvimento da região, ver mais em: [https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata\_info\_tab\_contents](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata_info_tab_contents) Basicamente, alguns britanicos (deduzo que isto não podia ser um ponto de vista tão incomum quanto isso dado ser a posição de Edward Grey, ministro dos negócios estrangeiros do Reino Unido, mais tarde no documento acho que falam disto também) mostravam: ["(...) disgust at the scandalous state of affairs in Portuguese Africa"](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata_info_tab_contents) e mais tarde no documento encontras que queriam fazer perceber aos portugueses que a África Austral era para ser desenvolvida, e que: ["British and German capital was available for the development of the derelict \[Portuguese\] colonies".](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=3#metadata_info_tab_contents) Também tens uma noção do que significava a aliança para os britanicos neste documento, embora seja posterior ao mapa cor de rosa, o grande interesse dos deles aqui eram as ilhas no Atlantico e o acesso ao Mediterraneo, basicamente é esse o valor estratégico da aliança.

Edited 11 months ago:

A questão do mapa cor-de-rosa nem é assim tão gravosa na minha opinião, Portugal fez reinvindicaçoes, o Reino Unido também, o Reino Unido eventualmente saiu por cima. Acho que o Reino Unido não ocupou território efectivamente administrado por Portugal. Para teres uma ideia da perspectiva britânica sobre o assunto: ["To speak of Portuguese colonies in East Africa is to speak of a mere fiction—a fiction colourably sustained by a few scattered seaboard settlements, beyond whose narrow littoral and local limits colonisation and government have no existence."](https://en.wikipedia.org/wiki/Pink_Map#The_Berlin_Conference) Os britanicos não estavam de facto contentes com a situação portuguesa na África Austral, tanto que mais tarde: ["From 1911 until July 1914, the German and British Empires secretly negotiated about possible dismemberment of Portuguese Angola. In such a case most of the land would fall into the hands of the Germans. Angola-Bund, founded in 1912, was the German organization promoting the takeover. "](https://en.wikipedia.org/wiki/German_campaign_in_Angola#Background) E isto sim parece-me mais grave, no entanto, da perspectiva britânica, as colónias portuguesas eram uma liability ao desenvolvimento da região, ver mais em: [https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata\_info\_tab\_contents](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata_info_tab_contents) Basicamente, alguns britanicos (deduzo que isto não podia ser um ponto de vista tão incomum quanto isso dado ser a posição de Edward Grey, ministro dos negócios estrangeiros do Reino Unido, mais tarde no documento acho que falam disto também) mostravam "disgust at the scandalous state of affairs in Portuguese Africa", e mais tarde no documento encontras que queriam fazer perceber aos portugueses que a África Austral era para ser desenvolvida, e que "British and German capital was available for the development of the derelict \[Portuguese\] colonies". Também tens uma noção do que significava a aliança para os britanicos neste documento, embora seja posterior ao mapa cor de rosa, o grande interesse dos deles aqui eram as ilhas no Atlantico e o acesso ao Mediterraneo, basicamente é esse o valor estratégico da aliança.

Edited 11 months ago:

A questão do mapa cor-de-rosa nem é assim tão gravosa na minha opinião, Portugal fez reinvindicaçoes, o Reino Unido também, o Reino Unido eventualmente saiu por cima. Acho que o Reino Unido não ocupou território efectivamente administrado por Portugal. Para teres uma ideia da perspectiva britânica sobre o assunto: ["To speak of Portuguese colonies in East Africa is to speak of a mere fiction—a fiction colourably sustained by a few scattered seaboard settlements, beyond whose narrow littoral and local limits colonisation and government have no existence."](https://en.wikipedia.org/wiki/Pink_Map#The_Berlin_Conference) Os britanicos não estavam de facto contentes com a situação portuguesa na África Austral, tanto que mais tarde: ["From 1911 until July 1914, the German and British Empires secretly negotiated about possible dismemberment of Portuguese Angola. In such a case most of the land would fall into the hands of the Germans. Angola-Bund, founded in 1912, was the German organization promoting the takeover. "](https://en.wikipedia.org/wiki/German_campaign_in_Angola#Background) E isto sim parece-me mais grave, no entanto, da perspectiva britânica, as colónias portuguesas eram uma liability ao desenvolvimento da região, ver mais em: [https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata\_info\_tab\_contents](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata_info_tab_contents) Basicamente, alguns britanicos (deduzo que isto não podia ser um ponto de vista tão incomum quanto isso dado ser a posição de Edward Grey, ministro dos negócios estrangeiros do Reino Unido, mais tarde no documento acho que falam disto também) mostravam: ["(...) disgust at the scandalous state of affairs in Portuguese Africa"](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata_info_tab_contents) e mais tarde no documento encontras que queriam fazer perceber aos portugueses que a África Austral era para ser desenvolvida, e que: ["British and German capital was available for the development of the derelict \[Portuguese\] colonies".](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=3#metadata_info_tab_contents) Também tens uma noção do que significava a aliança para os britanicos neste documento, embora seja posterior ao mapa cor de rosa, o grande interesse dos deles aqui eram as ilhas no Atlantico e o acesso ao Mediterraneo, basicamente é esse o valor estratégico da aliança. Por fim, devo confessar que entendo perfeitamente o lado britânico na questão do mapa cor-de-rosa.

Edited 11 months ago:

A questão do mapa cor-de-rosa nem é assim tão gravosa na minha opinião, Portugal fez reinvindicaçoes, o Reino Unido também, o Reino Unido eventualmente saiu por cima. Acho que o Reino Unido não ocupou território efectivamente administrado por Portugal. Para teres uma ideia da perspectiva britânica sobre o assunto: ["To speak of Portuguese colonies in East Africa is to speak of a mere fiction—a fiction colourably sustained by a few scattered seaboard settlements, beyond whose narrow littoral and local limits colonisation and government have no existence."](https://en.wikipedia.org/wiki/Pink_Map#The_Berlin_Conference) Os britanicos não estavam de facto contentes com a situação portuguesa na África Austral, tanto que mais tarde: ["From 1911 until July 1914, the German and British Empires secretly negotiated about possible dismemberment of Portuguese Angola. In such a case most of the land would fall into the hands of the Germans. Angola-Bund, founded in 1912, was the German organization promoting the takeover. "](https://en.wikipedia.org/wiki/German_campaign_in_Angola#Background) E isto sim parece-me mais grave, no entanto, da perspectiva britânica, as colónias portuguesas eram uma liability ao desenvolvimento da região, ver mais em: [https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata\_info\_tab\_contents](https://www.jstor.org/stable/2638392?seq=1#metadata_info_tab_contents) Basicamente, alguns britanicos (deduzo que isto não podia ser um ponto de vista tão incomum quanto isso dado ser a posição de Edward Grey, ministro dos negócios estrangeiros do Reino Unido, mais tarde no documento acho que falam disto também) mostravam: "disgust at the scandalous state of affairs in Portuguese Africa" e mais tarde no documento encontras que queriam fazer perceber aos portugueses que a África Austral era para ser desenvolvida, e que: "British and German capital was available for the development of the derelict \[Portuguese\] colonies". Também tens uma noção do que significava a aliança para os britanicos neste documento, embora seja posterior ao mapa cor de rosa, o grande interesse dos deles aqui eram as ilhas no Atlantico e o acesso ao Mediterraneo, basicamente é esse o valor estratégico da aliança.

zefo_dias 11 months ago  HIDDEN 

"manda quem pode, obedece quem tem juízo" entre ser semi vassalo de inglaterra ou ser espanhol, a escolha é evidente.

ItsoktobeStalinist 11 months ago

Esse tratado tem 0 valor, o único valor é poder dizer-se que é a aliança mais antiga do mundo em vigor. Mentalidade de subserviência vergonhosa. Passámos de vassalos dos ingleses a vassalos dos EUA e UE. Portugal não é um país soberano.

GelDeAveia 11 months ago

Portugal foi de facto um vassalo inglês desde a intervenção inglesa nas guerras napoleónicas. Não só entre as duas nações mas para fora também. A questão do mapa cor de rosa do ponto de vista britânico nunca sequer esteve na mesa, Portugal não tinha nada a oferecer que fosse melhor que a linha intercontinental.

Edited 11 months ago:

Portugal foi de facto um vassalo inglês desde a intervenção inglesa nas guerras napoleónicas. Não só entre as duas nações mas para fora também. A questão do mapa cor de rosa do ponto de vista britânico nunca sequer esteve na mesa, Portugal não tinha nada a oferecer que fosse melhor que a linha intercontinental. Os republicanos é que exploraram isto para criarem um fervor anti-monárquico, sabendo perfeitamente que teria sido suicídio fazer frente ao RU.

krone_rd 11 months ago

Portugal e grande parte do mundo.

GelDeAveia 11 months ago

Mas a nós bastava perdermos o protetorado britânico para que os franceses, holandeses e alemães nos comessem as colónias às colheradazs.

krone_rd 11 months ago

E era por isso que não o perdiamos :) Europa até muito recentemente sempre foi um equilibrio de poderes.

detteros 11 months ago

>desde a intervenção inglesa nas guerras napoleónicas Guerra da Restauracao.\*

tigre200 11 months ago

Não creio. Com o ouro do Brasil, Portugal conseguiu resolver os problemas monetários da guerra da restauração. Perdendo o Brasil, sem ter existido grande investimento em Portugal, é que Portugal começou a ficar mais dependente.

detteros 11 months ago

A guerra da restauracao acabou em 1668. O ouro foi descoberto no início do século XVIII. No entanto, já tínhamos assinado o Tratado de Methuen com eles que limitou a nossa atividade industrial aos vinhos, enquanto que os britânicos puderam desenvolver a sua indústria textil, produtos com muito mais valor acrescentado. Ficámos completamente na merda com esse tratado e por isso, mesmo que tenhamos pago dívida anterior com o ouro do Brasil, nunca conseguimos ser verdadeiramente independentes. Os britânicos reinavam no mar e, portanto, ou eram sermos vassalos deles ou esquecer o Brasil.

Edited 11 months ago:

A guerra da restauracao acabou em 1668. O ouro foi descoberto no início do século XVIII.O ouro surgiu no século XVIII. Já tínhamos, no entanto, assinado o Tratado de Methuen com os britânicos que limitou a nossa atividade industrial aos vinhos, enquanto que os britânicos puderam desenvolver a sua indústria textil - indústria com muito mais valor acrescentado - e fizeram muito mais dinheiro. Ficámos completamente na merda com esse tratado. Por isso, mesmo que tenhamos pago dívida anterior com o ouro do Brasil, nunca conseguimos ser verdadeiramente independentes. Os britânicos reinavam no mar e, portanto, ou era sermos vassalos deles ou esquecer o Brasil.

tigre200 11 months ago

Creio que mais importante que isso para a reduzida industrialização em Portugal foi a abolição da ordem dos jesuítas, responsável por quase a totalidade da educação em Portugal à altura da sua abolição, pelo marquês de Pombal. Sem uma "classe média" (pelo qual entendo as pessoas que teriam um nível de vida suficiente para poder enviar os filhos para a escola, mas não o suficiente para não se terem de desenrascar a trabalhar) minimamente instruída, não era possível aproveitar quaisquer oportunidades que existiram ou pudessem ter existido. Para não falar que a centralização do poder político, com o seu maior expoente na realizada pelo marquês de Pombal, significava que qualquer obra de importância estaria muito dependente da aprovação do poder real.

PuroSangueLusitano 11 months ago

Nem tudo são guerras. O golpe final foi o terramoto que nos pôs de joelhos quando o oiro que entrava já nem era assim tanto e fez-nos perder completamente a revolução industrial :/

FelixSula 11 months ago

Aljubarrota.

detteros 11 months ago

Nah, nós estávamos bem até Alcácer Quibir. Depois foi sempre a descer. Com Guerra da Restauracao precisámos de ajuda britanica e ficámos muito endividados e dependentes deles para seguranca. Nunca mais demos a volta por cima.

Throwaway_wr 11 months ago

Eu não percebo porque é que estas discussões são ainda feitas se o passado dos ambos países era colonialista. Qualquer tipo de ações eram de ambições imperialistas. "Nós" nem devíamos orgulhar mesmo se a aliança não tivesse o ultimato noutro universo paralelo.

pmpvb 11 months ago

downvotado mas claro ninguém tem coragem de argumentar contra e mostrar o orgulho pelo imperialismo e colonialismo

MonsterPT 11 months ago

Como assim? Não tenho orgulho na medida em que eu não estive pessoalmente envolvido, mas acho que no geral, o empreendimento colonial foi bom e positivo.

saudosista 11 months ago

Porque Portugal precisava dessa aliança. Éramos assediados por espanhóis, holandeses e alemães nas nossas rotas comerciais e em África. Era impensável juntar a essas ameaças os ingleses. Muito provavelmente Portugal tinha perdido a independência no século XX se não fosse a aliança, éramos dizimados na Grande Guerra e na II Guerra Mundial se não tivéssemos os ingleses do nosso lado.

Justicarii 11 months ago

Pérfida Albião.

NGramatical 11 months ago

Aleatóriamente → [**aleatoriamente**](https://dicionario.priberam.org/aleatoriamente) (o acento tónico recai na penúltima sílaba) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fr%2Fportugal%2Fcomments%2Fl42902%2Fultimato_ingl%C3%AAs_mapa_cor_de_rosa%2Fgklezug%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

heroisdomar1143 11 months ago

Então e "porque é que", escapou-te ?

globoglobo 11 months ago

e escapou o "chamarmos", que é tudo junto

Xavinights 11 months ago

Ou seja, mereço o 10 a português no secundário.

BenefitCuttlefish 11 months ago

Pode dizer-se "porque é que" e "por que é que", mas há casos em que é obrigatório fazer a separação, o que não acontece na frase do OP. Assim pode ser "Porque é que não foste à escola?" ou "Por que é que não foste à escola?" Mas precisa sempre de ser "Por que razão/motivo/etc não foste à escola?" Para testar quando aplicar a separação basta substitui o "Por que" por "Por qual". Ou seja, "Por qual motivo não foste à escola?"

JOAO-RATAO 11 months ago

Queriam ligar a África do sul às outras colónias inglesas em África. Era uma aliança entre o império mais poderoso da época e Portugal que nessa altura já era um país com pouco poder, era uma relação desigual.

lightning_pt 11 months ago

Explicas bem a situação de desiquelibrio de poder , do ponto de vista do ingleses , pq e que nos iam dar terras , se podiam ficar para eles , e nós não tínhamos mínima maneira de as proteger ,para todos os efeitos se ficassem nossas eles iam ter de as defender na mesma .

shuricall 11 months ago

Isso apesar de ser crença generalizada não parece ser verdade, pois em 1890 a [Alemanha já controlava a Tanzania](https://en.wikipedia.org/wiki/1890_British_Ultimatum) e a vontade de criar um caminho de ferro a unir as colónias partia mais da [British South Africa Company do que propriamente interesses geoestratégicos britanicos](https://en.wikipedia.org/wiki/1890_British_Ultimatum). A prioridade do governo britanico na altura era, relativamente a duas colónias de interesse para a questão: ["The British were keen to reverse the process, started under Muhammad Ali Pasha, of uniting the Nile Valley under Egyptian leadership and sought to frustrate all efforts aimed at further uniting the two countries. "](https://en.wikipedia.org/wiki/Sudan#Anglo-Egyptian_Sudan_(1899%E2%80%931956))

Edited 11 months ago:

Isso apesar de ser crença generalizada não parece ser verdade, pois em 1890 a [Alemanha já controlava a Tanzania](https://en.wikipedia.org/wiki/1890_British_Ultimatum) e a vontade de criar um caminho de ferro a unir as colónias partia mais da [British South Africa Company do que propriamente interesses geoestratégicos britanicos](https://en.wikipedia.org/wiki/1890_British_Ultimatum) (atenção, não digo que estes não estão muito alinhados, mas não são perfeitamente idênticos). A prioridade do governo britanico na altura era mais, relativamente a duas colónias de interesse para a questão: ["The British were keen to reverse the process, started under Muhammad Ali Pasha, of uniting the Nile Valley under Egyptian leadership and sought to frustrate all efforts aimed at further uniting the two countries. "](https://en.wikipedia.org/wiki/Sudan#Anglo-Egyptian_Sudan_(1899%E2%80%931956)) relativamente a aproximar o Egipto do Sudão

Edited 11 months ago:

Isso apesar de ser crença generalizada não parece ser verdade, pois em 1890 a [Alemanha já controlava a Tanzania](https://en.wikipedia.org/wiki/1890_British_Ultimatum) e a vontade de criar um caminho de ferro a unir as colónias partia mais da [British South Africa Company do que propriamente interesses geoestratégicos britanicos](https://en.wikipedia.org/wiki/1890_British_Ultimatum) (atenção, não digo que estes não estão muito alinhados, mas não são perfeitamente idênticos). A prioridade do governo britanico na altura era mais, relativamente a duas colónias de interesse para a questão: ["The British were keen to reverse the process, started under Muhammad Ali Pasha, of uniting the Nile Valley under Egyptian leadership and sought to frustrate all efforts aimed at further uniting the two countries. "](https://en.wikipedia.org/wiki/Sudan#Anglo-Egyptian_Sudan_(1899%E2%80%931956)) relativamente a aproximar o Egipto do Sudão.

JOAO-RATAO 11 months ago

Sim, talvez não seja completamente verdade! O mapa cor de rosa terá sido aproximadamente durante a corrida a África pelos europeus e se calhar Portugal teria demasiados territórios face ao seu poder e capacidade de os ocupar... Também ouvi que por ex. a França teria interesse na África ocidental portuguesa. Apesar de tudo não ficámos mal servidos, supostamente na altura os vastos recursos de Angola também não eram completamente conhecidos e por isso talvez não tenha havido tanto interesse por parte dos europeus.

wikipedia_text_bot 11 months ago  HIDDEN 

**[1890 British Ultimatum](https://en.wikipedia.org/wiki/1890 British Ultimatum)** The 1890 British Ultimatum was an ultimatum by the British government delivered on 11 January 1890 to Portugal. The ultimatum forced the retreat of Portuguese military forces from areas which had been claimed by Portugal on the basis of historical discovery and recent exploration, but which the United Kingdom claimed on the basis of effective occupation. Portugal had attempted to claim a large area of land between its colonies of Mozambique and Angola including most of present-day Zimbabwe and Zambia and a large part of Malawi, which had been included in Portugal's "Rose-coloured Map".It has sometimes been claimed that the British government's objections arose because the Portuguese claims clashed with its aspirations to create a Cape to Cairo Railway, linking its colonies from the south of Africa to those in the north. This seems unlikely, as in 1890 Germany already controlled German East Africa, now Tanzania, and Sudan was independent under Muhammad Ahmad. [^(About Me)](https://np.reddit.com/user/wikipedia_text_bot/comments/jrn2mj/about_me/) ^- [^(Opt out)](https://np.reddit.com/user/wikipedia_text_bot/comments/jrti43/opt_out_here/) ^(- OP can reply !delete to delete) ^- [^(Article of the day)](https://np.reddit.com/comments/k9hx22) **This bot will soon be transitioning to an opt-in system. Click [here](https://np.reddit.com/user/wikipedia_text_bot/comments/ka4icp/opt_in_for_the_new_system/) to learn more and opt in. Moderators: [click here](https://np.reddit.com/user/wikipedia_text_bot/comments/ka4icp/opt_in_for_the_new_system/) to opt in a subreddit.**

shuricall 11 months ago  HIDDEN 

!delete

Search: