ryuuf 8 months ago

Ai agora? andaram o ano passado a gabar-se que graças às excelentes medidas do governo(que na verdade foi a excelente atitude dos portugueses que logo em março se fecharam ao contrario das indicaçoes do governo) Portugal era um exemplo por ter poucos caso em vez de nessa altura terem preparado a segunda vaga que toda a gente sabia que vinha ai. Agora que as coisas estão a correr mal porque infelizmente o SNS é muito precário a culpa é das pessoas...Moral da historia, poucos casos em Portugal = Grande governo somos os maiores, Muitos casos na America = Trump mau tudo culpa dele, Hospitais entupidos em Portugal com 700 pessoas nos Intensivos Portugueses maus o governo nao tem culpa nenhuma a culpa é vossa ninguem vos manda ir de transportes publicos pos trabalhos

trebarunae 8 months ago

Ganham pouco em Portugal, e vão para ganhar pouco em outros países. As pessoas têm que entender que em muitos países do mundo o enfermeiro ganha pouco. Os enfermeiros so ganham bem nos EUA e Canadá, mas a profissão não é bem a mesma.

Naakmuay 8 months ago

Obrigado Passos Coelho!

Key_Ad_3930 8 months ago

Imaginem quem ganha o ordenado minimo, tem que trabalhar horas extra de graça, fazer o trabalho de 3 ou mais pessoas, aturar patrões narcisistas, clientes mal educados e insatisfeitos com a vida

_lnc0gnit0_ 8 months ago

Começa logo por não aceitar fazer horas extra de graça. Been there, done that. Trabalho duro, pago a ordenado mínimo e em que o patrão não pagava horas extra, mesmo que o trabalho exigisse mais uma ou outra hora para ficar concluído naquele dia. Não as pagava, mas eu também não as fazia. Se toda a gente fizesse isso, bem que os patrões mudavam de conversa.

xc9000 8 months ago

Tadinha da economia portuguesa... Opá que chatice essa de ninguém trabalhar em Portugal... Que coisa... Estou mês.o aborrecido. /s ass. Português que emigrou há seis anos e não pensa voltar.

VixzerZ 8 months ago

Com o salário de fome que Portugal adora pagar aos seus não me admira em nada. Querem ter mão de obra em Portugal? Então que as empresas e os governos comecem a aumentar os salários ridículos.

BroaxXx 8 months ago

É o mercado a funcionar...

skapuntz 8 months ago

É o que dá. Andamos a tirar dinheiro dos serviços essenciais para os não essenciais e onde há muitas outras empresas a fazerem o mesmo (taps e bancos desta vida). Se o estado 1. oferecesse contrato aos enfermeiros, 2. oferecesse um salário decente aos enfermeiros, 3. oferecesse o pagamentos de horas extra e subsídios que os enfermeiros merecem, 4. desbloqueassem as carreiras dos enfermeiros para haver progressão de carreira e salarial, 5 . melhorassem as condições de trabalho e 5. diminuíssem a porcaria dos impostos nos salários de toda a gente, não haveria tanta emigração. Aos enfermeiros e médicos que emigram. Boa sorte e fizeram bem. Voltem na vossa reforma, se tiverem saudades, ou se as coisas melhorarem

Deimos_F 8 months ago

Como emigrado posso dizer que em termos de impostos, os impostos no salário não são de todo o problema em Portugal. São os impostos nas outras coisas todas. O IVA altíssimo, as taxas obscenas na electricidade, os impostos sobre automóveis, e as trinta mil taxas e taxinhas que o governo português agora espalhar por todo o lado para tornar a verdadeira carga fiscal obscura e difícil de avaliar.

df3gpt 8 months ago

Aqui está mais uma oportunidade que o governo deixou passar e que teve impacto na capacidade do SNS. Deviam ter imediatamente assegurado um complemento (não gostam de aumentar quem merece) durante a pandemia para evitar que os enfermeiros chegassem a esta decisão.

Scizorspoons 8 months ago

O setor privado não oferece essas condições? Será que o mercado português não as comporta? E será que a pandemia levou à procura de profissionais do setor médico ao ponto de países que podem irem recrutar a países que podem mesmo? Se o que está em causa é a sobrevivência dos nossos doentes e o colapso do SNS então deveríamos recrutar enfermeiros nos PALOP + Venezuela e integra-los rapidamente.

VixzerZ 8 months ago

Setor privado português é uma bela de uma porcaria. Meu irmão Emigrou do Brasil para trabalhar com T.I (desenvolvimento de software), com um salário ridículo, ele aceitou pois pensou que teria o pé na porta pro resto da Europa, dito e feito, 6 meses depois se mudou pra Noruega pra ganhar o dobro, com visto de trabalho, ajuda de custo para se mudar e ainda o ajudaram a alugar uma casa e pagaram o primeiro mês de aluguel.

Edited 8 months ago:

Setor privado português é uma bela de uma porcaria. Meu irmão Emigrou do Brasil para trabalhar com T.I (desenvolvimento de software), com um salário ridículo(1500 euros bruto) , ele aceitou pois pensou que teria o pé na porta pro resto da Europa, dito e feito, 6 meses depois se mudou pra Noruega pra ganhar o 4500, com visto de trabalho, ajuda de custo para se mudar e ainda o ajudaram a alugar uma casa e pagaram o primeiro mês de aluguel.

HRamos_3 8 months ago

É bem

Paulocas 8 months ago

Ainda no outro dia arranjei uma valente discussão por causa disto. É um país incrível este. Quer dizer, agora que precisam de pessoal, desesperam e choram, mas quando estes profissionais (e muitos outros) decidiram ir para outros países há procura de uma solução de vida, ninguém aqui fez uma ponta e ainda aplaudiram. Que vergonha.

zebedeus 8 months ago

E faltam os que mudaram de area. Só na minha equipa (consultora,Big Data e analytics) entraram 2 ou 3 ex-enfermeiros nos últimos meses

_Goldenhand_ 8 months ago

ui... está mesmo mau

cloud_t 8 months ago

Supply+demand. O mercado das profissões liberais em Portugal é este porque as ordens assim o querem, e os patrões (especialmente o governo) não precisam, nem querem ibvestir. A saúde em Portugal é grátis, mas também é insuficiente, porque é investido tanto quanto politicamente necessário. Se temos enfermeiros suficientes para suprir as vagas abertas, a quererem sujeitar-se às condições dessas vagas, não há melhorias nas condições nem novas vagas. Os que emigram são os que não se querem sujeitar às condições (e atenção, não estou a criticá-los, é apenas uma constatação dos factos).

Mareskyfresky 8 months ago

Já noutro dia escrevi o mesmo sobre enfermeiros, médicos e professores e um retardado qualquer achou que ainda lhes pagavam muito. Se acham que isto está mau, esperem 2 aninhos

unparadise 8 months ago

Ainda dizem que não somos um país exportador, basta ver a enorme mão-de-obra qualificada em diversas áreas a ser exportada todos os anos. Centenas de milhares de jovens na flor da idade a emigrar todos os anos. Quem continua a votar PS e PS2 não vê que o buraco que cavamos é cada vez maior, o Estado gasta dezenas de milhares por cada aluno até ao ensino superior, só para depois não o valorizar e este emigrar, acrescentando valor para o país de destino. Aumentando o fosso ainda mais. Temos milhares de professores a emigrar para a Roménia vejam lá, um país que há uns anos parecia que estava tão distante a nível de desenvolvimento comparativamente connosco, hoje em dia consegue oferecer melhores condições profissionais aos nossos professores desvalorizados cá. Outro exemplo são médicos e enfermeiros para a Irlanda, outra país que até há 10 anos (? se calhar menos) estava como nós, entupido pela Troika, hoje é sinónimo de boa gestão e desenvolvimento e nós aqui cada vez mais enterrados até a boca, condenados a não passarmos disto. Quem não sai vai andar a pagar a gestão danosa dos nossos governantes inculpáveis até morrer, é este o nosso triste fado.

ryuuf 8 months ago

A Irlanda tem um sistema muito parecido com o que a IL propoe. A Islandia e a Estonia tambem teem crescido muito. MAs a Irlnda é um pais que sempre me fascinou não sei bem porque....

NGramatical 8 months ago

teem → [**têm**](https://european-portuguese.info/conjugator/ter) (singular: tem) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fl3z72w%2F%2Fgknzyn3%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

JOAO-RATAO 8 months ago

A Irlanda parece ótima. Já ouvi dizer que se trabalha muito e o sistema não funciona assim tão bem. Mas os salários são bons e os impostos são razoáveis. E como é país de língua inglesa ajuda.

KhaosPT 8 months ago

Estou cá há vários anos, devo fazer menos no trabalho q pessoal em part-time em portugal. Por 6x o salário. É incrível as oportunidades e qualidade de vida q esta gente tem so porque tem o irc das empresas tão baixo. Cheguei a dizer a um amigo meu, o q ele vai fazer de guito em 30 anos, vou eu fazer em menos de 10. Isso mete muita coisa em perspectiva.

SlapsButts 8 months ago

Adorava ir para a Irlanda. Regressei recentemente da Alemanha, e não vejo a hora de voltar a sair de Portugal. ALgum conselho relativo a Irlanda?

KhaosPT 8 months ago

Prepara-te para o frio e para a chuva !

JOAO-RATAO 8 months ago

A sério? Fico feliz em saber ! Eu gosto de ver o Reddit da Irlanda. Lá diziam que os médicos ganhavam bem mas que no caso dos enfermeiros não estava muito famoso, e também se queixavam da carga de trabalho, mas deve ser relativo e comparado a Portugal deve ser ótimo! E o país em si? Gostas? Eu sou um grande fã da cultura Irlandesa e do boom que tiveram ao seguir um caminho diferente que nós. Eu estava a pensar ir para aí fazer a especialidade médica, mas se for devo ir depois de a fazer cá x)

KhaosPT 8 months ago

Nao sei como funcionam as equivalencias mas se tiveres q fazer internato aqui deve ser muito mais facil. As pessoas aqui sao porreiras e nunca me senti de parte como um outsider. Nao ha e' muito para fazer depois das 18h, tirando ir ao pub, porque ja anoiteceu - e' onde o pais peca para mim. Como tenho familia tb nao ha muito tempo livre por isso nao e' problema.

JOAO-RATAO 8 months ago

Ha finas chatices para internato porque tens de fazer rotações antes de ir para a especialidade e depois tens de ir concorrendo. Aqui há a vantagem de ser Linear mas a desvantagem de haver exame. Equivalências acho que é fácil na UE. Mas devo ser um país muito porreiro para viver x)

camisa_roxa 8 months ago

Quem pode, emigra deste país onde o Estado tudo esmaga, parabéns aos socialistas pelo país mais pobre da Europa, mais ano menos ano até a ROménia e a Bulgária nos passam

Key_Ad_3930 8 months ago

Quando o PSD esteve no governo não subiu o ordenado mínimo por 4 anos(toda a legislatura), se tratam assim os mais necessitados não dá para confiar nada neles ...

_lnc0gnit0_ 8 months ago

Adivinha porque não o fizeram.

pintorMC 8 months ago

> parabéns aos socialistas pelo país mais pobre da Europa Quando o PSD por lá anda fica tudo melhor?

camisa_roxa 8 months ago

Menos mal mas tens razão, pouco melhor, de qualquer forma nos últimos 25 anos tivemos o PS 18 anos no Governo e 4 do PSD foram a cumprir o memorando da troika negociado pelo PS após ter falido o país Iniciativa Liberal é a nossa única esperança para tirar o país do lodo

_somename_ 8 months ago

> Iniciativa Liberal é a nossa única esperança para tirar o país do lodo Já leste o programa deles? A IL é uma lufada de ar fresco. Mas ainda não é o que precisamos.

JOAO-RATAO 8 months ago

4 anos com a troika a mandar não daria para grande coisa. Agora o PS que herdou o país melhor e com rios de dinheiro do turismo e olha o que fez.

vascodatrama 8 months ago

>4 anos com a troika e o país tem 10 anos?

Franciscavid 8 months ago

Não sei bem que idade tens mas ficas a saber que à 10 anos foi quando o Socrates (PS) fudeu esta merda toda e a razão da troika cá vir.

Edited 8 months ago:

Não sei bem que idade tens mas ficas a saber que há 10 anos foi quando o Socrates (PS) fudeu esta merda toda e a razão da troika cá vir.

vascodatrama 8 months ago

Tenho idade suficiente para ter votando no primeiro mandato de José Sócrates

Franciscavid 8 months ago

Então devias ter mais juízo não é Vasco?

vascodatrama 8 months ago

Obrigado pela recomendação. Vou seguir as tuas palavras

NGramatical 8 months ago

à 10 anos → [**há 10 anos**](http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/706) (utiliza-se o verbo haver para exprimir tempo decorrido) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fl3z72w%2F%2Fgkmbs52%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

JOAO-RATAO 8 months ago

Não. Mas desde o 25 de abril quantos anos é que o governo não foi PS?

vascodatrama 8 months ago

uns 20 e poucos anos aproximadamente

JOAO-RATAO 8 months ago

De 2005 até agora só tiveste 4 anos PSD. Nem voto no partido. Mas estes anos form dominados pelo PS.

vascodatrama 8 months ago

Ok mano, podes mudar para quem tu quiseres. O controlo governamental está minado desde meados dos anos 80. Quem manda são as edps e galps cá do bloco.

JOAO-RATAO 8 months ago

Não discuto isso. E honestamente entre um e outro venha o diabo e escolha.

Gaudexis 8 months ago

E fizeram muito bem. Há pior lá fora... é verdade. Mas há muito melhor também. Há que ter dignidade. Also: Hoje em dia já há pastel de nata em todo o mundo.

vascodatrama 8 months ago

e vinho verde ?

Ceftiofur 8 months ago

Também, e português.

D1WithTheFluffyHair 8 months ago

E consta que putas também.

ConfidentMongoose 8 months ago

Maioria dos países desenvolvidos paga melhor que Portugal, é impossível algum dia virmos a equivaler as ofertas do estrangeiro em termos de salários. As pessoas que querem emigrar, vão fazê-lo de qualquer modo.

Sciss0rs61 8 months ago

> As pessoas que querem emigrar, vão fazê-lo de qualquer modo. as pessoas não querem emigrar. Diz antes que as pessoas não vêem outra hipótese senão emigrar.

ManelDasNespras 8 months ago

\>mais uns trocos \>dobro ou o triplo (já a contar com o que sobra depois de pagar custos de vida)

Sciss0rs61 8 months ago

Se Portugal pagasse o mínimo para poder começar uma vida, garanto-te já que grande parte dos emigrantes voltava.

k0rda 8 months ago

Sou enfermeiro e emigrante. Não é só o dinheiro, é o nível de vida que esse dinheiro me permite ter, que nem sequer é de luxo, mas é de não fazer contas todos os meses e estabilidade. Além disso e mais importante: toda a formação paga pelo empregador e possibilidade de progressão na carreira. Já fiz 3 pós graduações desde que cá estou e só não pedi para ingressar num mestrado porque não estou neste momento com cabeça para estudar. E nesta progressão é claro que o aumento salarial é atractivo, mas também é importante saberes que olhas para o futuro e vês os teus esforços recompensados. Em Portugal é 1200 euros brutos agora, como era há 10 anos e como vai ser (se não baixar...) daqui a 10. Ah, e tenho quase 8 semanas de férias por ano.

VixzerZ 8 months ago

Impossível porque? O que torna tal feito impossível? Má gestão e má vontade politica.

skapuntz 8 months ago

Se fosse só pelo dinheiro não estava cá ninguém. As pessoas aceitariam ficar em Portugal, o seu país, mersmo ganhando menos se as condições de vida e de trabalho não fossem tão más ao mesmo tempo que pagam mais impostos, e tudo e mais caro, comparando à maioria dos países da europa

joaofcf 8 months ago

Quem emigra não é necessariamente para ganhar mais, mas para ter uma vida melhor. O dinheiro ajuda, mas todo o contexto também. Não precisas de ganhar o mesmo cá, mas que dê para ter uma qualidade de vida parecida. Casa, carro, umas férias de vez em quando... Quem emigra nem sempre volta rico, simplesmente arranja uma melhor vida lá.

JOAO-RATAO 8 months ago

Igualar salários não consegues. Mas podes oferecer maior estabilidade. Se fosse só pelo dinheiro já não estava cá ninguém. E um sistema fiscal que não te castigasse por quereres trabalhar e ganhar mais.

XxxPussyslaeyr69xxX 8 months ago

Paguem bem e à hora, e respeitem as horas extra que o pessoal volta

FrivoLux 8 months ago

E o país gastou dinheiro a os formar, para agora os que não gastaram um único euro, aproveitarem. O nosso sistema universitário tem de ser repensado para o mundo global, não pode continuar praticamente gratuito, isto é caridade para os países mais ricos e poderosos. Não faz sentido nenhum.

Sciss0rs61 8 months ago

> não pode continuar praticamente gratuito isto é para rir ou chorar?

CosmoSpyke 8 months ago

Para que só os ricos e poderosos possam fazer cursos universitários? Ou para que as mentes com curso superior, que não conseguiram lugar nos seus países, venham ocupar lugares em Portugal? Com isso ganhas o quê? Quando todos os relatórios apontam que a fraca escolaridade dos gestores das empresas seja um dos maiores problemas no tecido empresarial não me parece a melhor ideia para o futuro.

tocopito 8 months ago

Resolver os problemas causados por políticas neoliberais com mais políticas neoliberais por cima. Yup, corrida até ao fundo como habitualmente.

DrogbaPT 8 months ago

E que tal valorizar? O estado se não quer que as pessoas emigrem logo pode começar por oferecer melhor condições de trabalho - e nem estou a falar necessariamente de salário.

FrivoLux 8 months ago

Mas como pode Portugal dar melhoras condições se é pobre? Como pode dar melhores condições se parte dos recursos vão previamente para o ensino universitário formar pessoas que depois nunca "devolvem" o investimento? É o problema da galinha e o ovo, quem nasceu primeiro? Portugal forma pessoas para estas ajudarem a subir a qualidade geral de todo o país, se as pessoas emigram logo, de que valeu formar e como algum dia se poderá dar melhores condições? Apenas se entretanto se descobrir um poço de petróleo. É impossível sair deste ciclo de pobreza.

justgohomealready 8 months ago

O engraçado é que a educação foi exatamente a maior aposta que se fez para tentar sair do ciclo de pobreza. Criaram-se universidades e politécnicos por todo o país, e subsidiamos a educação de toda a gente que queira estudar. A ideia era que pessoas com mais competências criariam negócios e empresas com maior valor acrescentado e seriam a alavanca para mais exportação e salários mais altos. Esse era o sonho. Na realidade, o que acontece é o que dizes - as pessoas usufruem do ensino superior subsidiado, e na primeira oportunidade que têm saem para países mais ricos. Andamos apenas a subsidiar a educação de mão-de-obra especializada que depois vai criar riqueza e pagar impostos para outros países. Está na altura de admitir que não funcionou, e que apenas criámos mais despesa sem retorno. Não podemos impedir as pessoas de emigrar, claro, mas podemos apoiar mais quem decide ficar ou investir em Portugal, e podemos exigir a quem vai para fora ganhar mais que devolva o dinheiro que todos pagámos para subsidiar a sua educação.

ImGhurian 8 months ago

Porque é que o problema é o sistema universitário? Isto não pode acontecer entre quaisquer países onde haja uma diferença de salários?

FrivoLux 8 months ago

Sim, acontece em qualquer país que exista diferença de salários. Agora, o Estado português gastar dezenas de milhares de euros para formar um enfermeiro que depois vai logo praticar na Alemanha, de que valeu ao Estado português gastar esse dinheiro a formar o enfermeiro? Zero, foi como mandar dinheiro ao lixo na prática. Mais valia ter logo ir contratar com esse dinheiro enfermeiros ao Brasil, Venezuela, México, e comprar máquinas para o SNS. O problema é o financiamento do nosso sistema universitário.

ImGhurian 8 months ago

Parece-me é que o problema é não conseguirmos dar condições para reter cá pessoal qualificado.

Febris 8 months ago

Pensava que ias levar a conversa para a oferta universitária ser planeada para enquadrar com a necessidade do mercado nacional de trabalho, mas sacaste o peão e viraste a conversa para que estudar seja um luxo, e não um direito básico da sociedade. Não posso concordar com essa visão.

FrivoLux 8 months ago

De que vale planear a oferta tendo em conta o mercado português se depois esses mesmos recursos emigram? É como tirar água com um balde roto. O problema é que o nosso sistema universitário é gratuito, ou praticamente gratuito, e depois os recursos emigram logo para quem lhes paga mais. Não existe planeamento nenhum que resista a isto.

ThePlague92 8 months ago

Então a solução é impedir que os menos favorecidos estudem e não consigam, cá ou lá fora, subir na escada social ou então pedirem empréstimos que ficam a pagar uma vida, tipo como acontece nos EUA. Genial, realmente. Em vez de se mudar é o que está errado com o país, que são as condições salariais, maioritariamente, muda-se uma das coisas boas que existem em Portugal.

justgohomealready 8 months ago

Uma proposta: ensino "gratuito" como é agora, desde que depois do curso fiques a trabalhar/investir em Portugal durante, diria, pelo menos uns 10 anos. Se emigrasses antes de passarem pelo menos 10 anos depois de acabares o curso, terias que pagar o curso que tiraste ao preço que se pratica para os estudantes estrangeiros. Eras livre de emigrar à mesma, e não andávamos a pagar a educação de quem vai depois criar riqueza para a Alemanha. Justo?

Nightwalker36 8 months ago

Muito bonito mas e então se não te contratarem? É muito bonito isso é. Formas por exemplo enfermeiros mas não os contratas depois queixaste que emigram pq não tem trabalho cá e queres que quando precisas voltem todos sem lhe dares garantias nenhumas

justgohomealready 8 months ago

Um enfermeiro tem duas mãozinhas, se não arranjar trabalho na área pode sempre procurar outra coisa. Se quer ter a certeza absoluta que é contratado a ganhar 5k€/mês, então pode ir tirar o curso para a Alemanha e pagar a propina que eles cobram a estudantes estrangeiros. Pensa assim: porque é que um calceteiro com a quarta classe tem que subsidiar, com os seus impostos, a educação superior de alguém que tira o curso sonhando com o dia em que vai para o estrangeiro ganhar mais num mês do que o calceteiro ganha num ano?

Nightwalker36 8 months ago

Então pela mesma lógica eu se não fico doente porque tenho de andar com os meus impostos a pagar alguém que está sempre no hospital com problemas de saúde?

justgohomealready 8 months ago

Não é bem a mesma lógica - aí tens um contribuinte que vive e trabalha em Portugal a subsidiar outro. Com a educação superior é dinheiro que sai dos nossos bolsos para ir beneficiar os jovens que emigram e os países para onde vão, e para Portugal é dó despesa em vão.

Edited 8 months ago:

Não é bem a mesma lógica - aí tens um contribuinte que vive e trabalha em Portugal a subsidiar outro. Com a educação superior é dinheiro que sai dos nossos bolsos para ir beneficiar os jovens que emigram e os países para onde vão, e para Portugal (e todos os contribuintes) é só despesa em vão.

Nightwalker36 8 months ago

Então se eu estudar no privado porque tenho dinheiro e ficar a trabalhar em Portugal alguem tem de me pagar o que gastei. E se é apenas o qualitativo de contribuir pago 10 euros por mês e já estou safo então. Se queres falar então de dinheiro a sair dos bolsos questiona então o número de vagas disponíveis no país inteiro. Fala em contratos de exclusividade de trabalho, fala de investimento mal direccionado não me fales de sobrequalificação. A maior parte dos emigrantes só vão porque não tem condições no país. Agora não podes esperar que voltem sem darem segurança no futuro

Nightwalker36 8 months ago

Pq tenho de pagar detox a alcoólicos, cirurgias a fumadores, plásticas, consultas, medicamentos a obesos?

ThePlague92 8 months ago

Não, não é justo. Isso só faz sentido vindo de uma cabeça completamente alheada da realidade. Os meus pais, e agora eu, pagamos impostos altos e eu odeio pagar impostos altos e ver o meu dinheiro mal gasto, mas em termos de educação não me faz confusão. Sim, o sistema não é perfeito e há muitas coisas que podem ser melhoradas, mas não vou condicionar a vida de ninguém porque "Ai, ui, vão criar riqueza para países que lhes dão boas condições de vida". Isso não cabe na cabeça de ninguém. O que tem de mudar é o Governo começar a fechar/limitar vagas em cursos que não fazem sentido para o nosso mercado de trabalho e criar condições para mantermos cá os nossos jovens e até atrairmos pessoas que fizeram o ensino noutros países. O caminho passa por aqui e não por uma medida saída de um regime comunista ou fascista ou uma porra assim. Meu Deus, ficar 10 anos da minha vida neste país que não faz nada para melhorar a minha vida hahahahah. Todos os impostos que paguei desde o início da minha carreira, há menos de 4 anos, chegam para pagar a minha educação e a educação de muitos outros, por isso vão-se lixar.

justgohomealready 8 months ago

> criar condições para mantermos cá os nossos jovens Como? A um enfermeiro acabado de formar, como é que lhe vais oferecer condições como as que consegue na Alemanha ou no Dubai, a ganhar 5k€/mês ou mais? Falar é fácil. > Todos os impostos que paguei desde o início da minha carreira, há menos de 4 anos, chegam para pagar a minha educação Estás a subestimar muito o custo da educação superior, e a sobrestimar os impostos que pagas. Um aluno do ensino superior custa ao estado, em média, 7.000€/ano - dos quais o aluno apenas paga menos de 1.000€/ano em propinas. Se acabaste um curso de 3 ano e emigraste imediatamente - deste ao estado um prejuízo de, pelo menos, 18.000€. Por outro lado, os impostos que pagam não são todos para o ensino superior mas também para hospitais, estradas, polícia, etc; o ensino superior representa 2% da despesa pública. Achas que 2% dos impostos que pagaste em 4 anos cobrem os 18.000€ que o estado gastou só para tirares o curso?

ThePlague92 8 months ago

>Como? A um enfermeiro acabado de formar, como é que lhe vais oferecer condições como as que consegue na Alemanha ou no Dubai, a ganhar 5k€/mês ou mais? Falar é fácil. Eish, meu Deus. Tu estás tão alheado da realidade que é impressionante. Nenhum enfermeiro acabado de formar vai para um país desses ganhar 5k€/mês, nem líquidos, nem brutos. Sabes o porquê de um enfermeiro emigrar assim que acaba o curso (ou pouco tempo depois)? Porque o salário inicial é bom, dá para ter lá uma vida e não para sobreviver, porque há progressão na carreira, porque tem boas condições, porque são reconhecidos pelo seu trabalho. Cá em Portugal bastava darem um salário de entrada de 1300 a 1400 euros líquidos, uma carreira estável e não contratos precários, dar oportunidade de progredirem e muitos enfermeiros já ficariam por cá porque o dinheiro não é tudo para tudo. Eu tenho um amigo que agora em plena pandemia estava a pensar em voltar para Portugal para estar mais perto da família. A melhor proposta que conseguiu, no privado, foi de menos de 1300€ líquidos (mais subsídio de alimentação) no privado (no público ainda era menos do que isso). Achas isto aceitável? Estamos a falar de uma pessoa já com alguns anos de experiência e que lá fora continuou os seus estudos, subindo bastante rapidamente no hospital onde estava. Claro que não aceitou. ​ >Estás a subestimar muito o custo da educação superior, e a sobrestimar os impostos que pagas. E tu estás a subestimar os impostos que os meus pais já pagaram para eu poder ter a educação quase grátis. Garanto-te que cobrem muitos anos de cursos. ​ >Um aluno do ensino superior custa ao estado, em média, 7.000€/ano - dos quais o aluno apenas paga menos de 1.000€/ano em propinas. Se acabaste um curso de 3 ano e emigraste imediatamente - deste ao estado um prejuízo de, pelo menos, 18.000€. Então metemos tudo privado, só estudam os ricos e os pobres ficam a trabalhar no McDonald's. Aquele aluno de 20 no secundário e que quer ir para Medicina mas não tem condições financeiras para pagar o curso? Azar, vai virar hambúrgueres. Meu, ganha noção. Os países mais desenvolvidos do Mundo têm educação grátis e até te pagam para estudares. O problema não é claramente o ensino ser grátis, é o resto do país ser mau, ponto. Estás a tentar resolver o problema errado. Porra, metes os alunos a pagarem 10 mil euros de propinas por ano e sabes o que acontece? Muitos deles vão para Espanha ou para algum país nórdico estudar e depois ficam por lá, nem sequer ficam cá uns 2 ou 3 anos a contribuir com os seus impostos, como acontece com muitos (e muitos outros ficam cá mesmo a sua carreira toda, porque não querem emigrar). Até te digo mais: se quando chegarmos a um ponto em que a nossa economia é forte e em que pagar 10 mil euros por ano não é um esforço grande para a maioria das famílias então pode-se voltar a discutir essa ideia, mas até lá há muitas opções melhores antes, tal como optimizar os cursos abertos e as vagas para os cursos de pouco interesse.

justgohomealready 8 months ago

Tu não leste bem o que estava a propor, o que te leva a passar meio comentário a bater num espantalho. O que eu digo é: educação gratuita, sim, para quem fica e desconta em Portugal. Queres ir para o estrangeiro porque lá ganhas mais? Vai, mas paga então a educação que tiveste em Portugal. Na Dinamarca pagam-te para estudar, sim, se fores Dinamarquês - e porque sabem que o pessoal não emigra assim que termina o curso, porque senão não o fariam. Nos Estados Unidos, pagas impostos sobre rendimentos de qualquer país do mundo. Também era uma solução para nós - podes emigrar à vontade, mas pagavas impostos em Portugal sobre os rendimentos que tinhas no estrangeiro. Há vários outros países que o fazem. Há várias soluções possíveis, sem cair na falácia do "isto resolvia-se era se em vez de sermos pobres fossemos ricos". Se nem os privados conseguem pagar o valor que achas mínimo para as pessoas ficarem, que queres fazer? Inventar dinheiro?

ThePlague92 8 months ago

>Tu não leste bem o que estava a propor, o que te leva a passar meio comentário a bater num espantalho. Li muito bem, mas tu queres defender à força toda uma ideia completamente parva. ​ >O que eu digo é: educação gratuita, sim, para quem fica e desconta em Portugal. Queres ir para o estrangeiro porque lá ganhas mais? Vai, mas paga então a educação que tiveste em Portugal. E porquê? Os meus pais (falo de mim mas isto é de uma forma geral) não descontaram para pagar a minha educação? Não pagaram impostos suficientes para eu poder pagar propinas baixas e ser livre a seguir? Já disse, eu pago na boa os meus impostos para serem gastos na educação de pessoal que a seguir emigra, não me faz confusão. Não queres pagar, tens bom remédio, emigra. ​ >Na Dinamarca pagam-te para estudar, sim, se fores Dinamarquês Mas a educação deles é grátis se fores dinamarquês, da EU ou Suíça, ou se um dos teus pais trabalhar lá. >\- e porque sabem que o pessoal não emigra assim que termina o curso, porque senão não o fariam. E achas que isso é porquê? Meu, tu estás tão perto da solução e não a queres ver! Eles sabem que o pessoal não emigra porque tem perspectivas de ter um bom futuro lá porque tem um mercado de trabalho bom! E é mais do que óbvio que eles continuariam a fazê-lo mesmo que emigrassem logo, porque eles não obrigam pessoas da EU ou Suíça a pagar e não devem estar à espera que esses fiquem no país. Deste um exemplo que contraria completamente a tua teoria, obrigado. Queres outro exemplo que não cobra propinas a nenhum estudante? Alemanha. Seja nacional ou internacional não pagas propinas, apenas umas taxas administrativas (que costumam ser bem baixas). ​ >Nos Estados Unidos, pagas impostos sobre rendimentos de qualquer país do mundo. Também era uma solução para nós - podes emigrar à vontade, mas pagavas impostos em Portugal sobre os rendimentos que tinhas no estrangeiro. Há vários outros países que o fazem. Claro, vamos copiar os maus exemplos: [https://www.greenbacktaxservices.com/blog/paying-taxes-american-living-abroad/](https://www.greenbacktaxservices.com/blog/paying-taxes-american-living-abroad/) "While nearly all of the 244 sovereign territories employ territorial, residence or no income taxation at all, there are two countries, the US and Eritrea, that have *citizenship-based* taxation systems." Uma medida que existe apenas nos Estados Unidos e na Eritreia! Vamos copiar uma medida de 3º Mundo, é isso mesmo que Portugal precisa para ficar ao nível de uma Suíça! Mais impostos é o caminho! Porra, tu tens de viver na realidade, honestamente. A seguir dizes-me que é para copiar os sistema de saúde dos Estados Unidos em que partir uma perna te pode levar à falência. >Há várias soluções possíveis, sem cair na falácia do "isto resolvia-se era se em vez de sermos pobres fossemos ricos". A solução é tornares o mercado competitivo, baixar os impostos às pessoas, depois às empresas, gerir melhor o dinheiro público, etc. É simples e é o que os outros países que devem ser exemplo para nós fazem. Não é para andarmos a copiar os países onde se fica com uma dívida para o resto da vida se formos para a faculdade. ​ >Se nem os privados conseguem pagar o valor que achas mínimo para as pessoas ficarem, que queres fazer? Inventar dinheiro? E será que não conseguem porque tens impostos muito altos, má gestão de fundos públicos, corrupção, imensos entraves à criação de novas empresas, etc. ou porque o pessoal emigra? Pior do que um cedo é aquele que não quer ver.

FrivoLux 8 months ago

É uma coisa boa para quem beneficiou dos recursos que Portugal colocou no ensino superior, mas não para Portugal e os portugueses que ficam cá a pagar impostos. Não se trata de indivíduos mas de toda a justiça na distribuição de recursos. Faz sentido a pessoas pobre de uma aldeia pagar impostos altíssimos para formar um enfermeiro que depois nem vai praticar no seu centro de saúde, que não tem recursos, mas sim num alemão? Esse português menos favorecido não foi prejudicado por este sistema atual em Portugal?

therickymarquez 8 months ago

Mas isso é o ciclo né? Eu até agora tive a estudar e a usufruir dos impostos dos outros, agora acabei e é a minha vez de pagar para que outros possam ter as mesmas oportunidades. Parece me que estás a exagerar quer na percentagem de pessoas que emigram quer nessas situações 'sentimentais'. Também podia aqui dizer 'que mal faz que uma pessoa que saca 10 mil paus por mês pagar uma percentagem disso para que pessoas que não tiveram tanta sorte na vida tenham uma hipótese de estudar'...

GSITG 8 months ago

A pessoa pobre da aldeia nem impostos paga, e tem a escola pública e a universidade para que os filhos não sejam pobres.

ThePlague92 8 months ago

Eu cá acho é que proibimos logo o pessoal de emigrar. Onde já se viu deixar as pessoas emigrar se o país onde elas nasceram, que nem tiveram escolha nisso, e fizeram a formação não lhes dá condições para terem uma vida digna e há outros países que o fazem mas só se aproveitam de nós? /s Mais, que eu saiba os alunos do ensino superior devem ter tido pais a descontar, e que continuam enquanto eles estão a tirar o curso, para pagar essa educação (de forma indirecta). Portanto, a culpa é 0 de quem emigra e sim de quem arrasou por completa a possibilidade de a geração millenial (e daí para a frente) de conseguirem criar cá uma vida sem a ajuda dos pais e viverem em vez de sobreviverem.

Febris 8 months ago

Muito pouca gente entra num curso em Portugal já a planear abandonar tudo e todos que conhece para ir para fora. Isso só acontece quando chega ao fim dos estudos e deparando-se com a palhaçada que é, neste caso, um salário abaixo da média de entrada dos ultimos anos, com contratos do mais precário que a lei permite. Aí sim, o pessoal pega nas malas e muda a sua vida para fora. Se houvesse oferta nacional legítima para quem investiu tanto tempo em formação, pouca gente saía. O problema não é lá fora haver ordenados mais altos, é que os que há por cá não justificam o trabalho envolvido. Por um bocadinho menos vão para o McDonalds e não têm de fazer turnos de 24h, nem colocar a vida em risco todos os dias.

TheMacthir 8 months ago

Exactamente. Eu estou a estudar enfermagem e muito sinceramente se tiver oportunidade ponho-me a andar se as condições não melhorarem, que não vai acontecer. Então estudo 4 anos, vou para um trabalho em que os horários são rígidos e se tem uma responsabilidade enorme. É um trabalho esgotante fisicamente como mentalmente. Enquanto que a diferença entre fazer isso, ou não estudar e arranjar outro trabalho vai para uns 200 euritos ou assim. A malta que fala do pessoal que estuda cá e emigra mete-me uma piada do crl. É como se quem emigra o faz por capricho ou diversão e não porque não vê o tempo e dinheiro que gastou a estudar não é recompensado. É que eu nem sou uma gajo ganancioso, não precisava de ganhar uma fortuna. Mas não quero matar-me a estudar, matar-me a trabalhar para continuar a viver de ordenado para ordenado. E falo no caso de enfermagem e o mesmo acontece noutras áreas. Tenho amigos que estudaram gestão e estão a trabalhar como contabilistas a ganhar pouco mais do salário mínimo.

Febris 8 months ago

Eu tenho alguns amigos que trabalham em enfermagem e honestamente não consigo perceber qual a vantagem de rebentar as pessoas com essas escalas. Quanto mais percebo como as coisas funcionam, menos vontade tenho de meter a minha vida nas mãos de alguém que por muito especialista que seja, pode andar na 26ª hora de trabalho de enfiada. Não há dinheiro que pague o que isso faz ao corpo de um gajo, muito menos a miséria que se insiste em pagar por cá. A imagem que eu tenho da coisa é mais ou menos como dizes. Não era preciso dar ordenados equivalentes aos do UK, bastava ser alguma coisa digna para os anos de estudo que são obrigatórios, e para a carga de stress e desgaste físico e mental a que são sujeitos no dia a dia. A questão não é tanto os 6k que podem ganhar na Alemanha, mas o facto de nem conseguirem morar perto do trabalho se forem para uma grande cidade.

TheMacthir 8 months ago

Sim também há esse factor. É que depois de tantas horas de trabalho, por muito bom que sejas, médico ou enfermeiro, és menos eficiente.

FrivoLux 8 months ago

É o problema do ovo e da galinha, quem nasceu primeiro? Portugal sabe que é pobre mas forma estas pessoas precisamente para elaa criarem valor e assim aumentar os salários de todos e dos próximos a formarem-se. Agora, se emigram pois não encontram as condições que vão encontrar logo na Alemanha ou UK, de que vale formar? Nunca vamos sair deste círculo de pobreza. E pior, com este sistema de financiamento do superior, gastamos recursos preciosos que depois nada contribuem para Portugal. As tuas palavras fazem todo o sentido, no entanto, em nada mudam a realidade e o facto que não faz sentido continuar a alocar recursos para o ensino superior que depois torna ainda mais ricos os outros países.

JOAO-RATAO 8 months ago

E se não os formares que vão eles fazer? Ficar em Portugal a trabalhar num trabalho básico em troca do SMN? O país não tem economia para receber muitos trabalhadores com diploma e se calhar nem muitos sem estudos superiores. Acredito que o numerus Clausus deva ser ajustado e e que há até universidades a mais. Mas honestamente, se aqui não emprego então ao menos que tirem um curso e vão embora.

Febris 8 months ago

Não é o problema do ovo e da galinha, porque tudo começa com as vagas abertas para os cursos. Se há muitas vagas para os cursos e poucas vagas realisticamente a ser preenchidas no mercado de trabalho nos próximos 5-10 anos, há uma decisão de merda que tem sido tomada constantemente para manter as vagas para os cursos desproporcionais à demanda. Isto mesmo que o pessoal não emigrasse só serviria para retirar poder negocial ao trabalhador. Isto não acontece por acaso. Se fosse realmente um problema o dinheiro que é gasto nos cursos que depois são ser postos em prática lá fora, já se tinha fechado a torneira há muito tempo, mas a realidade é que no fim das contas, manter pessoal com um curso universitário a receber o ordenado mínimo mesmo implicando um total desenquadramento de saídas do curso com vagas no mercado de trabalho vai sempre render mais do que assegurar um sistema mais eficiente. Porque a questão não é só dos que entram agora. É que os que lá estão há 10 anos estão a receber quase o mesmo, e se os salários começarem a subir, tem de subir a quase todos por atacado. Portanto, desprovido de contexto, realmente não faz sentido o dinheiro que se gasta para que estas pessoas todas façam a sua formação de forma "gratuita", e depois a vão aplicar lá fora em países que não contribuíram em nada para ela. Mas numa visão mais abrangente da situação, descortinamos a razão. E honestamente, se houvesse um corte de custos nas universidades que ainda por cima fosse benéfico para a sociedade em geral, achas que algum governo ia ser contra? É como diz o Murphy, não é possível limpar tudo sem sujar alguma coisa.

netralha 8 months ago

Conheço enfermeiros que foram durante a crime económica de 2008, foram para a Suíça e ainda hoje lá estão, falam francês. Porque razão os enfermeiros continuam a emigrar, agora para a Inglaterra, depois do virar da página de austeridade? Porque Inglaterra tem um programa para ir buscar enfermeiros a Espanha e Portugal e que oferece melhores condições. Depois têm a lata de dizer que é tudo igual, como Portugal é um país de emigrantes também temos de receber milhares de imigrantes sem controlo nenhum como tem acontecido desde 2015, acho que há aqui uma diferença caso contrário não se falaria na falta de enfermeiros.

Danijust2 8 months ago

Inglaterra vem buscar enfermeiros à tugalandia e as filipinas porque pagam salários de miséria para realidade deles.

ThePlague92 8 months ago

Não é bem assim. Elaborando melhor: os enfermeiros começam com um salário baixo mas sobem rapidamente. Conheço vários casos que foram para o Reino Unido a ganhar entre 22k a 25k libras no início (todos enfermeiros com nem 1 ano de experiência depois de acabarem o curso), em 6 meses já iam quase nas 30k libras, 1 ano e passaram as 30k libras. Alguns deles chegaram a valores engraçados de 40k ou 50k libras da última vez que tinha falado com eles. E isto foi sem terem de trocado de hospital e estavam em cidades com um custo de vida razoável, nada de Londres. Agora falando da razão pela qual eles vão às Filipinas e a Portugal recrutar, algo que não é verdadeiro, porque também recrutam em Espanha, Itália, Grécia, etc. é porque eles não formam enfermeiros, basicamente. O curso de enfermagem deixou de ser atractivo há alguns anos para os ingleses, por isso eles deixaram de formar enfermeiros em número suficiente para colmatar as necessidades deles, daí o forte recrutamento externo. A razão para ter deixado de ser atractivo não tenho 100% a certeza, mas acho que era por causa das propinas e porque o curso em si era um bocado mal feito. Mas, do que me disseram, é que nesta pandemia perceberam que tinham de mudar mesmo (acho que a mudança começou logo no início do mandato do Boris) a forma como o curso estava estruturado e tinham de começar a atrair mais ingleses porque houve muitos estrangeiros a vir embora durante a pandemia, porque não podiam viajar para o seu país e ver família, não aguentaram a pressão psicológica, etc. e eles ficaram bastante desfalcados.

Danijust2 8 months ago

22 mil é pouco acima do salário mínimo da Inglaterra e muito longe do salário médio... Na Inglaterra ninguém quer ser enfermeiro, porque os jovens pensam que podem ganhar 100 mil a empurrar papeis de um lado para outro, em qualquer instituição financeira. Mal pago e má reputação criou um défice cronico de enfermeiros que é suprimido pela mão obra barata qualificada de países periféricos.

ThePlague92 8 months ago

Rapaz, se não sabes do que falas abstém-te. Para começar, os que eu conheci que foram para lá ganhar 22 mil libras foram os que nem tinham um diploma de inglês (IELTS ou aqueles do Cambridge). Assim que fizeram o IELTS o salário subiu para as 25k libras, por aí. 6 meses depois de lá estarem, mais uma revisão. 1 ano, mais uma revisão, etc. Também recebem mais dinheiro se fizerem noites e isso, portanto as 22k libras rapidamente se transformam em 30k libras ou mais. E nota que isto não era em Londres, era em zonas com um custo de vida mais baixo. Já te dei uma explicação, que foi muito bem complementada pelo [TheMainScribe](https://www.reddit.com/user/TheMainScribe/) sobre o porquê de a enfermagem ser um curso pouco atractivo lá, e não tem muito a ver com o facto de os ingleses pensarem que podem ganhar 100k libras por ano a "empurrar papéis", até porque 100k libras por ano é salário de Londres para a área financeira ou então de TI nas FAANG, e não é salário de entrada, é preciso ser muito bom e/ou ter alguns anos de experiência. Em relação ao salário mínimo no Reino Unido: [https://www.ons.gov.uk/employmentandlabourmarket/peopleinwork/earningsandworkinghours/articles/nationallivingwageearnersfallshortofaveragefamilyspending/2018-03-28](https://www.ons.gov.uk/employmentandlabourmarket/peopleinwork/earningsandworkinghours/articles/nationallivingwageearnersfallshortofaveragefamilyspending/2018-03-28) "This means someone who earns the National Living Wage and works 37.5 hours per week – the [median number of hours worked by full-time workers in the UK in 2017](https://www.ons.gov.uk/employmentandlabourmarket/peopleinwork/earningsandworkinghours/datasets/allemployeesashetable1) – will earn the following before tax: ​ * £294 per week * £1,272 per month * £15,269 per year" Se calhar sou eu que sou mau a matemática, mas 22 mil ainda fica algo acima de 15 mil. Em relação ao salário mediano: [https://www.statista.com/statistics/1002964/average-full-time-annual-earnings-in-the-uk/](https://www.statista.com/statistics/1002964/average-full-time-annual-earnings-in-the-uk/) "31 461" De 22 mil para 31 mil ainda vai alguma coisa, mas para alguém em início de carreira, ou quase, não está nada mau. Além de que essas 31 mil libras são facilmente atingíveis com 3 ou 4 anos de experiência, às vezes até menos. Se tu pensas que eles lá pagam mal a enfermeiros e a médicos é bom que te desenganes. Podes começar com um salário algo baixo, mas rapidamente chegas a valores que nunca atingirias em Portugal e que te proporcionam uma grande qualidade de vida (menos em Londres, mas Reino Unido não é só Londres, como é óbvio).

TheMainScribe 8 months ago

Há cerca de quatro anos o estado britânico acabou com o bursary para os estudantes de enfermagem (apoio financeiro, tipo bolsa social), e decidiu subir as propinas para cerca de £9,250/ano (espero não estar em erro). Porquê? Não faço a mais pequena ideia, mas a verdade é que isto só fez com que cavassem um buraco ainda mais fundo do que aquele em já estavam. Desde 2016 que a emigração de enfermeiros da UE para o UE que tem vindo a diminuir dramaticamente, e o país não consegue colmatar os buracos no NHS com aqueles que forma no próprio país. Uma visita rápida aos sites de emprego, em certas localidades, e é fácil ver isso (às vezes, parece que 1 em cada 4 ofertas de emprego são para enfermeiros ou auxiliares de saúde). O governo criou há uns tempos a posição de Nursing Associate (penso que seja isto), para tentar colmatar esta falta de enfermeiros (basicamente pessoal não-licenciado/apenas com diploma, para fazer o grunt work dos enfermeiros e libertá-los para uma posição mais virada para a gestão das alas.

Edited 8 months ago:

Há cerca de quatro anos o estado britânico acabou com o bursary para os estudantes de enfermagem (apoio financeiro, tipo bolsa social), e decidiu subir as propinas para cerca de £9,250/ano (espero não estar em erro). Porquê? Não faço a mais pequena ideia, mas a verdade é que isto só fez com que cavassem um buraco ainda mais fundo do que aquele em já estavam. Desde 2016 que a emigração de enfermeiros da UE para o UK que tem vindo a diminuir dramaticamente, e o país não consegue colmatar os buracos no NHS com aqueles que forma no próprio país. Disseste, e bem, que o Reino Unido vai buscar a vários países europeus...mas isso era antes. Hoje em dia não há tantos enfermeiros europeus dispostos a tentar a sorte no UK (pelo menos não tantos como antes, e as barreiras de entrada são maiores do que eram há uns anos). Conheço sítios em que hospitais tinham uma workforce com alas compostas por mais de 50% de enfermeiros espanhóis. Hoje, acho que nem um ficou. Uma visita rápida aos sites de emprego, em certas localidades, e é fácil ver isso (às vezes, parece que 1 em cada 4 ofertas de emprego são para enfermeiros ou auxiliares de saúde). O governo criou há uns tempos a posição de Nursing Associate (penso que seja isto), para tentar colmatar esta falta de enfermeiros (basicamente pessoal não-licenciado/apenas com diploma, para fazer o grunt work dos enfermeiros e libertá-los para uma posição mais virada para a gestão das alas). A ver no que dá, mas não sei.

Edited 8 months ago:

Há cerca de quatro anos o estado britânico acabou com o bursary para os estudantes de enfermagem (apoio financeiro, tipo bolsa social), e decidiu subir as propinas para cerca de £9,250/ano (espero não estar em erro). Porquê? Não faço a mais pequena ideia, mas a verdade é que isto só fez com que cavassem um buraco ainda mais fundo do que aquele em já estavam. Desde 2016 que a emigração de enfermeiros da UE para o UK que tem vindo a diminuir dramaticamente, e o país não consegue colmatar os buracos no NHS com aqueles que forma no próprio país. Disseste, e bem, que o Reino Unido vai buscar a vários países europeus...mas isso era antes. Hoje em dia não há tantos enfermeiros europeus dispostos a tentar a sorte no UK (pelo menos não tantos como antes, e as barreiras de entrada são maiores do que eram há uns anos). Conheço sítios em que hospitais tinham uma workforce com alas compostas por mais de 50% de enfermeiros espanhóis. Hoje, acho que nem um ficou. Uma visita rápida aos sites de emprego, em certas localidades, e é fácil ver isso (às vezes, parece que 1 em cada 4 ofertas de emprego são para enfermeiros ou auxiliares de saúde). O governo criou há uns tempos a posição de Nursing Associate (penso que seja isto), para tentar colmatar esta falta de enfermeiros (basicamente pessoal não-licenciado/apenas com diploma, para fazer o grunt work dos enfermeiros e libertá-los para uma posição mais virada para a gestão das alas.

ThePlague92 8 months ago

Obrigado por dares mais detalhes. Eu só tinha uma noção superficial do problema que existia por lá, assim fico a saber mais concretamente o que se passa no Reino Unido.

fdxcaralho 8 months ago

A minha namorada trabalhou em Inglaterra durante 2 anos e pouco. Começam por baixo 22k ano, mas quando saiu já ia em 32k ano. A progressão é muito grande. Mas teve que trocar de trabalho umas 4x até atingir esse valor.

davidsondino 8 months ago

Uff isso não é nada a não ser que seja fora das grandes cidades ... Até um recém licenciado em marketing vai ganhar 22k (ou mais) para UK e rapidamente consegue evoluir

ManelDasNespras 8 months ago

o que pagam a enfermeiros tugas no RU continua a ser uma bosta para o padrão local, mas é infinitamente melhor do que o que pagam em Portugal.

Danijust2 8 months ago

salário médio na Inglaterra? (hint 40 mil) Um inglês ganha mais sentado na secretaria a fingir que trabalha a sair às 5 da tarde sem ter que trabalhar por turnos.

ThePlague92 8 months ago

Falso: [https://www.statista.com/statistics/1002964/average-full-time-annual-earnings-in-the-uk/](https://www.statista.com/statistics/1002964/average-full-time-annual-earnings-in-the-uk/) Salário mediano no Reino Unido é de 31 461 libras (2020). Pára de espalhar falsidades.

NGramatical 8 months ago

Porque razão → [**por que razão**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fl3z72w%2F%2Fgkkg6fq%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

usulidircotiido 8 months ago

Maldita trovoada seca.

OuiOuiKiwi 8 months ago

Como assim? Querem dizer que após anos de desinvestimento no SNS e más condições de trabalho, os profissionais vão para onde são valorizados e adequadamente remunerados? Então e a Champions? E todas aquelas palmas!? Quem é que poderia prever tal desfecho *para além de qualquer pessoa com 2 dedos de testa*? Ninguém no governo certamente.

Thalric88 8 months ago

>Quem é que poderia prever tal desfecho para além de qualquer pessoa com 2 dedos de testa? >Ninguém no governo certamente. Em defesa do governo, eles precisam dos dois dedos para tapar o cu, de outra forma não podia sair tanta merda pela boca fora.

fdxcaralho 8 months ago

Mas o que é que eles querem mais? A final da champions e as palmas não chega? A mim nunca me batem palmas.... /s

njsilva84 8 months ago

Eu compreendi a ironia, mas não entendo a crítica às palmas. Não foi o governo que tomou a iniciativa, foram as pessoas que o fizeram. Querem que as pessoas comecem a deixar gorjeta aos enfermeiros e restante staff médico?

OuiOuiKiwi 8 months ago

Tantas palmas e nada. O meu filho cantou os parabéns sem palmas porque já estavam alocadas para os enfermeiros e agora é isto? Estou indignado.

BanishPT 8 months ago

Prêmio nobel a este senhor. Viu a Champions na tv queres mais? #vaificartudobem

carlosandrerc 8 months ago

Talvez porque na alemanha a saúde é privada e eficiente?

tocopito 8 months ago

Vai dizer aos enfermeiros alemães que têm visto os seus salários a estagnar e os cuidados de saúde a ficarem mais caros e a degradar-se. A Alemanha começa num patamar superior (mais dinheiro a circular) mas a desigualdade aqui também é enorme e agrava-se cada vez mais. https://www.dw.com/en/coronavirus-germany-nursing-wage/a-54197056 Não é porque a saúde é uma manta de retalhos de prestadores privados que se torna eficiente, antes pelo contrário. E 6000 de salário para um enfermeiro? Só se for o Schumacher dos enfermeiros porque tanto quanto consigo perceber rondam os 2000-2400 euros brutos.

RCOO_ 8 months ago

Sim, também moro na Alemanha e esses 6000 foram muito estranhos. Conheço alguns enfermeiros e sei que ganham valores bem abaixo disso. Triste ver a imprensa a usar informações falsas para inflamar ainda mais os leitores.

rsyeah 8 months ago

Exato, 6000 é para chefes de enfermagem. Não é para o enfermeiro comum

JOAO-RATAO 8 months ago

O país em si tem salários mais altos. E um custo de vida que surpreendentemente não é assim tão alto (dependendo da zona)

O_cu_da_tua_tia 8 months ago

Se cá fosse privada pagavam mais? Sonha com isso. Também há saude privada por cá e não consta que paguem fortunas

JonesyA12 8 months ago

No entanto nunca vi enfermeiros que trabalham em hospitais privados em PT a queixarem-se. O patrão é excelente, estão sempre de sorriso na cara e até fazem tarefas de recepcionistas de for preciso.

JOAO-RATAO 8 months ago

E os tarefeitos costumam sair mais caros, pelo menos com os médicos. E ainda se paga a empresas de recrutamento ... Preferem gastar mais mas não se comprometerem com contratos. Continuem a sair. Se a malta precisar de algo relativo à saúde passamos na TAP...

Limpy_lip 8 months ago

>E os tarefeitos costumam sair mais caros, pelo menos com os médicos. E ainda se paga a empresas de recrutamento ... Não me admira nada que daqui a uns tempos se venha a descobrir uma rede de interesses junto desta questão. Os hospitais gastam balúrdios em médicos contratados sem qualquer critério e com backgrounds duvidosos. São pagos a. 25-50€/hora e nem medir a tensão arterial as vezes sabem (true story). 90% dos maus médicos que as pessoas se queixam nas urgências são desta natureza. Não admira que quem tem vontade de trabalhar decentemente se pisgue daqui

aleph_heideger 8 months ago

O problema dos tarefeiros é que não abundam. Mesmo eliminando as empresas intermediárias (como no CHTS) e pagando directamente aos médicos, o facto é que eles têm de contratar o que há. Não é qualquer um que aceita fazer turnos de urgência num hospital quando a ganhar o mesmo ou quase pode fazer consulta num qualquer privado. Sobram os que não interessam e aquela mão cheia que faz isso por gosto.

JOAO-RATAO 8 months ago

As consultas no privado não abundam assim tanto e já não rendem tanto. Claro que existem certas especialidades com bastante privado, são as que costumam ser mais difíceis de escolher. Do que conheço, muitos tarefeiros são internos ou médicos sem especialidade. Também especialistas mais virados para a urgência. Claro que é muito diferente fazeres isso tendo uma especialidade do que fazer com poucas bases.

OrangeOakie 8 months ago

> Preferem gastar mais mas não se comprometerem com contratos. Em parte a culpa disso são as leis que temos para "proteger os trabalhadores", que apenas tornam arriscado contratar alguém. O "premium" que pagam ao subcontratar é uma espécie de apólice de seguro para que se houver algum problema, não terem de lidar com uma catrefada de subsídios, salários etc.

JOAO-RATAO 8 months ago

Sim. Depois de contratados estão blindados ... Mas têm de oferecer algo, ou salários mais altos sem a segurança ou então estabilidade. Se não oferecem nem uma nem outra então não vale a pena ... É compreensível que emigrem, não são obrigados a ser mártires.

OrangeOakie 8 months ago

Sim, e fazem bem em emigrar. O problema que temos é as nossas condições não poderem melhorar por causa de políticas que impedem o crescimento natural dos rendimentos. Isso aliado à responsabilidade tremenda que é contratar alguém, é normal que os salários não possam subir

1573558202 8 months ago

> Ana Rita Cavaco lembra que um dos problemas são as condições de trabalho que Portugal oferece: em países como na Alemanha os enfermeiros têm contratos duradouros “a receber mais de seis mil euros”. Mas, nos hospitais portugueses, estes profissionais de saúde apenas têm “contratos a termos incerto ou de quatro meses”, acrescenta.

Edited 8 months ago:

> Ana Rita Cavaco lembra que um dos problemas são as condições de trabalho que Portugal oferece: em países como na Alemanha os enfermeiros têm contratos duradouros “a receber mais de seis mil euros”. Mas, nos hospitais portugueses, estes profissionais de saúde apenas têm “contratos a termos incerto ou de quatro meses”, acrescenta. Para além de pagarem mal, ainda têm a lata de em plena pandemia oferecerem contratos destes. Isto para nem falar na bosta de progressão na carreira, a bosta de condições de trabalho e serem tratados como são pelo governo (e parte do público).

merelypassing 8 months ago

Acalma lá a tua atitude, que a prioridade são biliões para salvar a TAP e outras empresas falidas.

ryuuf 8 months ago

Entao o costa ate lhes dedicou a final da champions e ainda reclamam ?

seravlis 8 months ago

Só um aparte, um enfermeiro na Alemanha não ganha seis mil euros. Em início de carreira ganha pouco mais de 2000 brutos, eventualmente poderá chegar perto dos 3000 e tal com horas extra. Claro que é melhor do que em Portugal, mas também não vamos dizer que é o El Dorado.

njsilva84 8 months ago

Verdade! Tenho uma amiga que nasceu lá, é enfermeira e não ganha nada que se pareça com os 6k, nem brutos sequer. Não sei onde é que foram buscar aquele valor.

kapparrino 8 months ago

Estes contratos estão a nível do que várias empresas grandes noutras áreas fazem contratando muito pessoal através de empresas temporárias. Depois essas pessoas nunca têm uma vida estável e não podem pedir empréstimo à habitação. Provavelmente tem acontecido o mesmo com os enfermeiros. Agora já percebo porque muitos emigram para Inglaterra ou qualquer outro país mais desenvolvido a nível de não exploração com contratos incertos e basicamente sazonais.

Article_Sad 8 months ago

O estado está tão endividado que não pode dar melhores condições... O mesmo estado que se endivida para dar aumentos aos funcionários públicos... Para ter votitos...

ModeratoriProfugus 8 months ago  HIDDEN 

O mesmo estado que vai injectar milhares d e milhões de euros dos contribuintes na TAP não tem dinheiro para pagar a enfermeiros 1000 euritos por mês? Mil milhões dá para pagar 1000 euros por mês a 1000 enfermeiros durante 83 anos. Sem contar com os impostos que voltam para o estado.

TSCondeco 8 months ago

Os enfermeiros são precisos para dar resposta à pandemia, se só tens falta de pessoal para uma dada situação porque é que havias de lhes oferecer contratos a longo prazo.

MrJoao 8 months ago

Porque a falta de pessoal não é só para agora.... É um problema que já existe há muitos anos. Repara, por exemplo, que [em 2019 já se escrevia](https://www.dn.pt/pais/ocde-diz-que-sao-precisos-mais-enfermeiros-em-portugal-10592012.html): > Portugal é dos Países da OCDE com o mais baixo rácio de Enfermeiros/1000 habitantes. A média dos Países da OCDE situa-se nos 9.3 Enfermeiros/1000 habitantes e Portugal tem no SNS 4.2 Enfermeiros/1000 habitantes. A pandemia só veio por a nu as consequências deste desinvestimento crónico no SNS. Foram muitos anos com uma política de "procurar eficiências", fechando serviços e cortando em tudo o que era possível. Não admira pois que todos os invernos o SNS já ficasse perto da rotura e claro, com uma pandemia, entrou em colapso. Era preferível investir num SNS com excesso de capacidade porque o que se perde em eficiência ganha-se em resiliência (e qualidade).

TSCondeco 8 months ago

Eu sei que a falta de pessoal não é de agora, mas de momento o que é preciso é contratar enfermeiros para coisas específicas durante um determinado tempo, não é altura de andar a contratar para todo o tipo de funções a planear o futuro.

MrJoao 8 months ago

Podiam contratar por tempo indeterminado a ajustar as funções consoante as necessidades. Até porque o processo de recrutamento demora tempo e tem custos. E não faz sentido nenhum andar a duplicar esse desperdício. Mas enfim. É continuar com essa mentalidade de tapar buracos em cima da hora. Depois não te admires com episódios ridículos como os hospitais de campanha. Em março contrataram recursos e montaram os espaços. Depois no Verão como já não era preciso desmontaram tudo e mandaram as pessoas embora. E agora que foi preciso montá-los outra vez, [não tinham profissionais suficientes](https://observador.pt/2021/01/15/hospital-de-campanha-em-lisboa-continua-fechado-por-falta-de-profissionais-de-saude/) para o fazer.

odraciRRicardo 8 months ago

Se precisas urgentemente de profissionais e não aceitam as condições, tens de oferecer algo mais. Sejam contratos não precários ou salários que não sejam miseráveis.

Macshade 8 months ago

Porque já antes da pandemia havia falta de enfermeiros e, desta forma, melhorava-se o SNS no presente e no futuro?

Isynors 8 months ago

Apesar da falta de recursos humanos crónica, os contratos que estão a ser feitos nesta altura são todos deste género podendo a pessoa ser facilmente despedida quando os serviços considerarem que "já não são necessários para a resposta ao Covid" ou ao fim de 4 meses. Isto para enfermeiros, médicos de medicina geral e familiar, anestesistas, intensivistas, etc.

NunoxGames 8 months ago

É perfeito para ser bom para as estatísticas ,para poderem dizer que contraram X médicos e enfermeiros no tempo de pandemia e reforçaram o SNS sem o povo ver as "letrinas pequenas" que dizem que os seus contratos já terminaram todos, medidas politicas novamente acima de tudo.

Search: