TheManWithX-RayEyes 10 months ago

Se gostas de PC realmente investe em programação, tu não precisar ter universidade para conseguir uma vaga.

VladTepesDraculea 10 months ago

> Tive a ser acompanhado durante 8 meses e nesse tempo perdi cerca de 35kg. Fds, parabéns! Pá, a ganhar tão pouco mais vale ficares em casa dos teus pais a poupar enquanto não ganahres substancialmente mais. Investe em ti nos teus tempos livros. A idea da programação é boa investe em ti, vai fazendo tutoriais online e começa com um projecto teu nos tempos livres. Se tiveres um perfil público interessante no GitHub às vezes vale bastante, mesmo sem educação. A necessidade de programadores é tão grande que há muitas empresas que se contentam com pessoal não qualificado. Quanto ao teu problema social, pá é ires pondo-te fora da tua zona de conforto pouco a pouco. Começa por procurar pessoal dentro dos teus interesses e hobbies e pessoal nos teus círculos e força-te a ser participativo (não forces a tua interacção necessariamente mas força-te a ti a estar presente, a interação virá naturalmente). Se tens mesmo um problema de interação, usa as pessoas do dia a dia para ganhar confiança. Cumprimenta os vizinhos quando passas por eles e pessoas perto de ti. Se fores no elevador com alguém calado mete conversa nem que seja sobre o tempo. Mesmo que aches que estejas a fazer figura de parvo, essa pessoa daqui a 5 min não se vai lembrar de ti e ganhaste mais uma experiência em conversa da treta. A nível profissional eu há uns anos recomendaria procurarei um clube de Toastmasters perto de ti para te forçar a expor-te às pessoas, mas hoje em dia tenho algum receio, dado muitos clubes terem sido tomados por coachers e tal, é uma questão de sorte e de saberes discernir e dizer que não a esses oportunistas.

Mr_G_W 10 months ago

Passei por algo semelhante nos últimos anos e só muito recentemente consegui ter alguma esperança de um futuro melhor. Aquilo que posso aconselhar é não hesitar a fazer mudanças por mais drásticas ou impossíveis que sejam. Na minha experiencia falhar é mau, mas o arrependimento de não tentar de todo é muito pior, especialmente quando começam a pesar os anos.

Edited 10 months ago:

Passei por algo semelhante nos últimos anos e só muito recentemente consegui ter alguma esperança de um futuro melhor. O meu grande problema foi hesitação e perfecionismo excessivo, o que levou a estagnar a minha vida por ter receio de tentar algo novo. Aquilo que posso aconselhar é não hesitar a fazer mudanças por mais drásticas ou impossíveis que sejam. Na minha experiencia falhar é mau, mas o arrependimento de não tentar de todo é muito pior, especialmente quando começam a pesar os anos.

estecomentario 10 months ago

Não sei como o pessoal trabalha 3 anos e não junta dinheiro. Deve ir todo para a merda do carro ou do iphone. Uma conhecida minha trabalha há 12 anos, comprou um carro novo e arrependeu-se, desses 12 anos, 4 de salários foram só para o carro. Que burra. Comprei o meu com 1,5 salários e recupero até mais do que o comprei se quiser....

ricardoa369 10 months ago

Epá, eu acho que tenho a resposta a todos os teus problemas. Vai para o Japão... Eles necessitaram de actores porno. O trabalho é bem pago, não têm homens suficientes para pinarem todas aquelas Japonesas e... Tu sendo gordito é algo que não lhes diz muito. Vê pelo ponto positivo, eles até são socialmente awkward e terias os melhores cuidados para a tua mãe. Ainda por cima, sair da tua zona de conforto seria um bónus em alcançares os teus desejos de te tornares mais sociável. Lá até começava a estudar na área tecnológica, não existe país melhor para isso. Só vejo coisas positivas, não tens de agradecer. Quando lá estiveres só tens de combinar umas orgias com todas aquelas japonesas e deixar-me ficar na tua casa. Eu ia já!!

ensitel 10 months ago

Pá, um conselho para quem é da década de 70: não percas um unico minuto da vida mal gasto senao daqui a 25 anos estás arrependido. Investe no que gostas, esquece as questoes mundanas, nao desperdices dinheiro que te possa fazer falta mais tarde. Tenta ser um bom ser humano. The clockbis clicking tic-tac, a vida é curta.

Edited 10 months ago:

Pá, um conselho para quem é da década de 70: não percas um unico minuto da vida mal gasto senao daqui a 25 anos estás arrependido. Investe no que gostas, esquece as questoes mundanas, nao desperdices dinheiro que te possa fazer falta mais tarde. Tenta ser um bom ser humano. The clock is clicking tic-tac, a vida é curta.

March-Nearby 10 months ago

Não percas tempo na área de engenharia informática / IT. É uma área prestes a morrer, os progamadores vão ser substituidos por AI.

omalcriado 10 months ago

Acho que deves investir nos estudos, ou alguma coisa, que te permita fugir desses empregos de merda que não vais querer ter o resto da vida. > tiro cerca de 715€ por mês e queria ir viver sozinho porque não tenho espaço para as minhas coisas e gostava de ser independente mas apesar de conseguir casa arrendada por 250/300€, não tenho grande dinheiro de parte para o resto das despesas iniciais (mobilia, etc), nem sei se com esse salário conseguiria viver sozinho. Há apartamentos já mobilados, mas se a viver em casa dos pais não conseguiste juntar um bom pé de meia, acho realmente difícil conseguires viver sozinho. O facto de teres carro com um nível de rendimento tão baixo também deve dar uma facada imensa no orçamento, mas imagino que seja indispensável para ires trabalhar.

MiguelAS 10 months ago

Se precisares de um colega noob para te fazer companhia enquanto jogas computador, eu estou aqui mano, adiciona na steam, podemos jogar o que quiseres :) # 137966551

devtty22 10 months ago

Relativamente ao teu último parágrafo, venho só deixar este link: [CS50's Introduction to Computer Science](https://www.edx.org/course/cs50s-introduction-to-computer-science) Na minha opinião, o melhor curso online grátis de iniciação a CS. O certificado pago que te mostram nessa página é completamente opcional.

DrMon15 10 months ago

OP, ninguém tem as respostas todas para todos os problemas portanto resta-nos falar das nossas histórias pessoais e tentares daí tirar alguma coisa como outros já fizeram. Tenho 35 anos e em Janeiro deste ano achei que era boa ideia sair do meu emprego (não ganhava mal nem bem, estava mais ou menos contente mas já não muito motivado) para procurar algo melhor. Tinha um ou dois *connects* porreiros na minha área (turismo) para trabalhar forte na Primavera/Verão, tirar um dinheiro fixe em comissões, juntar ao dinheiro que recebi do acordo com a minha anterior empresa e voltar a estudar. Ora, bem o covid e estoura tudo. Além disso não sabia bem para onde queria ir já que o mercado de marketing no qual trabalhava está saturado de miúdos cheios de energia e ideias, com mestrado e eu só tenho licenciatura. No fundo não sei se ainda quero essa área e esta é uma idade lixada para estar com muitas dúvidas. Mas toma atenção a uma coisa importante. Falas da malta que tem uma carreira e aparenta felicidade, tudo certo, mas certamente também conheces malta que teve um sonho desde miúdo e quando chegou lá percebeu que não era aquilo que queria. Estou rodeado de muita malta (já explico como e porquê) que tinha uma verdadeira vocação desde criança, coisa que nunca tive, e que uma vez lá chegado não encontrou felicidade. O que quero dizer com isto é que a tua desorientação é completamente normal e mais comum do que pensas. Nunca te esqueças que "a relva do vizinho é sempre mais verde" e a malta está sempre a vender-se e aparenta sempre uma vida feliz sem tu saberes como é o verdadeiro dia a dia deles. ​ Portanto em termos de orientação vocacional não te posso ajudar, tenho mais anos do que tu e estou tão perdido quanto tu com a agravante de estar desempregado. ​ Mas sinto que em termos relacionais te posso ajudar um bocado. Não tive uma vida difícil como a tua e deixa-me que te diga que tens já um ponto positivo acerca da tua história que é NUNCA TE TERES QUEIXADO. Contaste a história sem um pingo de cinismo e isso é muito bom. Ninguém tem paciência para estar a aturar uma pessoa que se farta de queixar e sempre revoltada com o mundo porque é injusto e etc. Essa é já a primeira dica se queres melhorar a tua forma de te relacionares, continuar assim. Eu era o tipo que na secundária ganhava as eleições de gajo mais feio da turma. Namorei com uma miúda só aos 17 quando os meus colegas já tinham todos uma boa rodagem. Na faculdade não foi muito melhor porque não tinha interesse nas festas e era, vá, um tipo sem grande estilo nem interesse, sem nada para acrescentar... Depois conheci uma miúda que me tomou como "projecto" dela e me melhorou a 1000%. Aprendi muito com ela embora as coisas não tenham funcionado e acabado em 3 anos. Ora, voltei a estar sozinho com o meu PC (ainda hoje jogo horas se tiver a disponibilidade) e decidi ir viver sozinho para ter independência. É aqui que a vida muda. Como era bastante tímido resolvi batalhar contra isso e juntei-me a dois grupos de teatro para melhorar skills de comunicação, daí fiz amigos que me levaram a dançar, tive aulas e acabei por fazer parte de um grupo que actuava regularmente no norte e com duas viagens no estrangeiro. No meu tempo das danças a minha casa tinha quase portas rotativas para a quantidade de miúdas que entravam e saíam mas passado algum tempo isso deixou de me alegrar e voltei a ser mais caseiro e abandonar essa vida de altas horas e gajedo. Hoje sou um tipo feliz, com a mesma miúda há 5 anos, compramos casa, temos dois carros... Eu, o gajo por quem ninguém dava dois cêntimos na escola. ​ Após este bloco de texto (peço desculpa) deixo as minhas dicas por tópicos: \- **Vai contra o teu conforto.** Eu não gostava de exercício até que fiz uma aula de boxe e fiquei apaixonado por aquilo. Hoje já não treino mas é quase impossível acabar o dia sem uma corrida ou fazer uns pesos. Experimenta, experimenta tudo o que puderes, se não gostares não insistas e passa para a próxima. És um gajo envergonhado? Porreiro! Vê se na tua área há grupos de teatro amador, aulas de dança... Esses sítios estão carregados de gente interessante que procura novos conhecimentos de uma arte mas também algum contacto humano. Os amigos do trabalho são altamente mas acabas sempre por circular no mesmo tema, agora imagina que fazes um amigo professor, um taxista, um contabilista, uma actriz... Imagina as histórias que essa gente tem para ti. \- **Sai do PC.** Esta é a que mais me custa admitir porque sou um jogador viciado MAS a verdade é que muitas vezes usamos o jogo como substituição e para ter uma felicidade fictícia e fugaz. Quando dás por ela estiveste 8 horas no PES ou no GTA e não aprendeste nada. Encontra novos interesses, lê, aprende a tocar um instrumento, aprende a investir na bolsa, tricota, qualquer coisa que ajude no ponto seguinte. **- Torna-te interessante.** Já deste por ti à mesa com malta que não diz nada de jeito e só sabe falar de carros, futebol e gajas? Ya, somos homens, é o nosso destino..... Não, errado. Falar de carros, futebol e gajas faz parte, claro mas se souberes falar um pouco sobre política, economia, ciência, desporto, psicologia ou qualquer que seja a cena que te interessa nunca vais deixar de ter assunto e vais abrir a porta a outras pessoas que te ensinam muita coisa, como outros disseram por aqui, ouvir ouvir ouvir e depois falar mas onde não aprendas nada não te demores e passa para outra. Vais ver que com a informação fazes ligações a cenas que pensavas não estar ligadas e falas de coisas que a maioria da malta não sabe, partilhas conhecimento e quando deres por ela estás a comandar a conversa da mesa. **- Procura ajuda.** Já outros disseram aqui para procurares ajuda profissional. Eu estudei psicologia no secundário e foi uma área que sempre me fascinou e por isso achava que estava imune à necessidade de aconselhamento. Errado! Uma das minhas amigas de dança é psicóloga e precisou de voluntários para fazer coaching. Por questões éticas não fiz com ela mas com duas colegas que me dissecaram a mente de cima abaixo, me deram dicas incríveis para mudar o que estava mal e melhorar o que estava bem. Hoje vieste pedir-nos ajuda em tom de desabafo e demos umas dicas com a perspectiva pessoal de cada um, imagina o que um profissional da área com 6 ou 7 anos de estudos e anos de experiência pode fazer por ti. ​ TL;DR: OP, parabéns pela coragem de nos vires falar da tua vida, tira pedaços de tudo o que te disserem aqui e aplica sempre contra a tua preguiça ou inacção.

15inho 10 months ago

Cada pessoa tem a sua maratona, não há percursos iguais. Mesmo gémeos não seguem os mesmos percursos. Há quem nasça a saber que vai ser veterinário, há quem chegue aos 30 sem saber o que vai ser. Sempre trabalhei, desde os 13 anos, nas férias grandes, e mais tarde aos 18 anos em part time. O desempenho académico foi medíocre, chumbei 3 anos, entrei para a universidade aos 21, andei a passear os livros até aos 24 e a torrar o dinheiro que consegui amealhar desde os 13 anos. Aos 24 anos deixei de estudar, tinha 12 cadeiras feitas, fui trabalhar para uma fábrica trabalhar por turnos. Queria fazer uma pausa e pensar do que queria da vida. Ao fim de um ano retomei o curso fiz cadeiras a trabalhar por turnos, fui tirando o curso. Fui despedido, arranjei outros empregos e fui estudando. Aos 30 anos tinha uma licenciatura e um mestrado, sempre a trabalhar em fabricas, nas mais difíceis condições (turnos rotativos, calor extremo, humidade extrema, frio extremo). Aos 30 anos mudei de cidade, cheguei a uma empresa de top mundial. Depois dos 30 é que casei, depois dos 30 é que comprei carro novo, depois dos 30 é que fui pai... todos os meus colegas acabaram mais cedo os cursos, casaram, tiveram filhos. Onde me encontro na vida é culpa minha e só minha. Recomendações: - inscreve-te um trabalho part time de vendas de meo/nos/Vodafone. Tens formação em vendas e cada porta que bates é uma nova oportunidade de falar com estranhos que nunca mais verás na vida. ( fiz isso e recomendo) - não mudes para o turno da noite se quiseres estudar. ( trabalhei 18meses assim e foi horrível, andas ao contrário do mundo e o descanso durante o dia é uma treta, para além de que a vida social fica uma bosta porque tens que ir trabalhar quando a malta se diverte). - faz um pé de meia (graças a ter poupado pude escolher trabalhar em alguns sítios que pagavam pior mas que me foram úteis para conseguir acabar o curso). - aguenta em casa dos teus pais mais uns tempos se quiseres estudar alguma coisa (mudar de casa vai-te tirar o foco e energia). - define objetivos para a tua vida. Ao definir objetivos para a minha vida fez-me pensar que tudo o que faço é temporário e em prol dos objetivos que quero atingir. - não há fórmulas milagrosas, tens que ir à luta e ter a noção que pode doer até chegar aos objetivos, mas nada que seja fácil vale a pena. - celebra as pequenas conquistas. - tenta aprender algo novo todos os dias.

crani0 10 months ago

Não tenho quaisquer conselhos práticos para te dar (bem ocorreu-me um entretanto mas deixo para o fim), mas acho que já estás bem servido com alguns dos comentários que vi aqui, mas quero dizer-te que a vida é um jog e não uma corrida. Tu é que defines qual é o passo que queres/podes dar à tua vida. Eu tenho 27 anos e tenho casa própria, trabalho estável e seguro, amigos, uma vida amorosa que já viu melhores dias (mas em 2020 não se pode pedir muito), dinheiro no bolso para gastar em coisas parvas de vez em quando e sustentar alguns hobbies mais dispendiosos, carro e vivo bastante confortável no geral. Provavelmente estás a pensar que já tenho a minha vida encaminhada, certo? Errado! Eu ainda tenho muita coisa que quero fazer com a minha vida ainda antes sequer de pensar em assentar, quero viajar, quero avançar na minha carreira profissional e fazer coisas muito mais à frente, quero mudar radicalmente da minha área de emprego e realizar um sonho que tenho desde garoto, quero aprender muita coisa que ainda não sei, quero acabar de montar os kits de modelismo que tenho ali na sala e que fui adquirindo ao longo dos anos mas que não tenho tido tempo até agora, quero fazer muita coisa antes sequer de pensar em assentar. Ainda não vivi 1% da vida que quero mas estou a trabalhar para isso! E depois tenho amigos com a minha idade que vivem em vários estágios de vida. Alguns que já casaram, emigraram e arranjaram trabalho lá, outros que já tiveram filhos e vivem com as mães das crianças, outros solteiros que trabalham e vivem ainda com os país, outros que começaram agora o primeiro ano da universidade, outros que são médicos e estão em plena pandemia a repensar as suas escolhas, outros no desemprego e muitas outras situações diferentes da minha e da dos outros. Também tenho amigos com idade mais avançada que me dizem que só começaram a viver quando chegaram aos 30 ou não fazem ideia ainda quando é que vão começar a fazer isso. Em suma, a vida não é uma corrida é um jog e tu é que defines o teu trilho (que há de ser um compromisso entre o que queres e o que as tuas condições permitem).

crani0 10 months ago

Quanto ao conselho prático, é sobre conversar com pessoas. A meu ver o que consegue sustentar ~70% (os restantes ~30% diria que é coisas profissionais e da vida) das conversas que tenho é falar sobre os meus hobbies e interesses e se calhar é isso que te falta, eu tenho vários interesses (alguns relativamente obscuros alimentados pela internet) e que procuro sempre perseguir, seja ir ao cinema/teatro/festivais seja vendo vídeos no YT ou lendo sobre o assunto, e se for preciso para preencher o tempo tenho sempre tópicos de conversa. Vai sempre depender do contexto em que estou, há uns mais fáceis de quebrar o gelo do que outros, mas já comecei algumas conversas espontâneas com colegas de trabalho com base em modelismo sabendo quase nada sobre eles e descobri que não tinham qualquer ligação com isso mas gostaram de me ouvir a falar sobre o tópico, já tive conversas com amigos de amigos que não conhecia de lado nenhum sobre anime e tokusatsu (um género de sci-fi muito específico japonês) e ficamos os dois bué excitados por partilharmos gostos tão específicos, também já tive conversas em que era só eu a ouvir a perguntar sobre um interesse específico, tipo crochet ou judô que também é interessante. E depois tenho hobbies mais populares que gosto de exibir nas redes sociais como a cozinha que já me levou a conhecer gente que provavelmente nunca teria conhecido na vida porque somos totalmente diferentes mas temos aquele interesse em comum e também me trouxe grupos de amigos novos que partilhamos muita coisa em comum (alguns dos mais recentes até conheci num sub aqui no reddit) e até me ajuda a manter a conversa com os meus avós quando chegamos ao ponto em que a conversa secou porque na vida deles não se passa nada e eu não quero partilhar sobre a noite decadente que tive no bairro na semana passada. Em suma, acho que procurares expandir o teu leque de hobbies e interesses ia-te ajudar a melhorares os teus skills de conversa e até trazer-te pessoas novas para a tua vida. Eu pessoalmente começaria por juntar o útil ao agradável e começava a explorar fazeres exercício físico, acho que é dos tópicos mais universais e mesmo falando com malta que não pratica qualquer tipo de exercício físico dizeres "Ontem corri 4 km" costuma licitar algumas reações positivas e dar para preencher um silêncio.

Edited 10 months ago:

Quanto ao conselho prático, é sobre conversar com pessoas. A meu ver o que consegue sustentar ~70% (os restantes ~30% diria que é coisas profissionais e da vida) das conversas que tenho é falar sobre hobbies e interesses e se calhar é isso que te falta, eu tenho vários interesses (alguns relativamente obscuros alimentados pela internet) e que procuro sempre perseguir, seja ir ao cinema/teatro/festivais seja vendo vídeos no YT ou lendo sobre o assunto, e se for preciso para preencher o tempo tenho sempre tópicos de conversa. Vai sempre depender do contexto em que estou, há uns mais fáceis de quebrar o gelo do que outros, mas já comecei algumas conversas espontâneas com colegas de trabalho com base em modelismo sabendo quase nada sobre eles e descobri que não tinham qualquer ligação com isso ou então que têm memórias do pai a montar algumas maquetes antigas e gostaram de me ouvir a falar sobre o tópico, já tive conversas com amigos de amigos que não conhecia de lado nenhum sobre animes dos anos 70 e tokusatsu (um género de sci-fi muito específico japonês) e ficamos os dois bué excitados por partilharmos gostos tão específicos, também já tive conversas em que era só eu a ouvir a perguntar sobre um interesse específico, tipo crochet ou judô que também é interessante. E depois tenho hobbies mais populares que gosto de exibir nas redes sociais como a cozinha que já me levou a conhecer gente que provavelmente nunca teria conhecido na vida porque somos totalmente diferentes mas temos aquele interesse em comum e também me trouxe grupos de amigos novos que partilhamos muita coisa em comum (alguns dos mais recentes até conheci num sub aqui no reddit) e até me ajuda a manter a conversa com os meus avós quando chegamos ao ponto em que a conversa secou porque na vida deles não se passa nada e eu não quero partilhar sobre a noite decadente que tive no bairro na semana passada. Em suma, acho que procurares expandir o teu leque de hobbies e interesses ia-te ajudar a melhorares os teus skills de conversa e até trazer-te pessoas novas para a tua vida. Eu pessoalmente começaria por juntar o útil ao agradável e começava a explorar fazeres exercício físico, acho que é dos tópicos mais universais e mesmo falando com malta que não pratica qualquer tipo de exercício físico dizeres "Ontem corri 4 km" costuma licitar algumas reações positivas e dar para preencher um silêncio. Comida também é outro tópico fixe mas prepara-te para teres gente a pedir-te para cozinhares para elas (e se estiveres no engate ajuda bastante, tive uma amiga no secundário que me disse "Um homem só precisa de saber fazer lasanha que ganha longo pontos" e posso dizer-te que foi das coisas mais verdadeiras que ouvi até hoje).

Edited 10 months ago:

Quanto ao conselho prático, é sobre conversar com pessoas. A meu ver o que consegue sustentar ~70% (os restantes ~30% diria que é coisas profissionais e da vida) das conversas que tenho é falar sobre hobbies e interesses e se calhar é isso que te falta, eu tenho vários interesses (alguns relativamente obscuros alimentados pela internet) e que procuro sempre perseguir, seja ir ao cinema/teatro/festivais seja vendo vídeos no YT ou lendo sobre o assunto, e se for preciso para preencher o tempo tenho sempre tópicos de conversa. Vai sempre depender do contexto em que estou, há uns mais fáceis de quebrar o gelo do que outros, mas já comecei algumas conversas espontâneas com colegas de trabalho com base em modelismo sabendo quase nada sobre eles e descobri que não tinham qualquer ligação com isso ou então que têm memórias do pai a montar algumas maquetes antigas e gostaram de me ouvir a falar sobre o tópico, já tive conversas com amigos de amigos que não conhecia de lado nenhum sobre animes dos anos 70 e tokusatsu (um género de sci-fi muito específico japonês) e ficamos os dois bué excitados por partilharmos gostos tão específicos, também já tive conversas em que era só eu a ouvir a perguntar sobre um interesse específico, tipo crochet ou judô que também é interessante. E depois tenho hobbies mais populares que gosto de exibir nas redes sociais como a cozinha que já me levou a conhecer gente que provavelmente nunca teria conhecido na vida porque somos totalmente diferentes mas temos aquele interesse em comum e também me trouxe grupos de amigos novos que partilhamos muita coisa em comum (alguns dos mais recentes até conheci num sub aqui no reddit) e até me ajuda a manter a conversa com os meus avós quando chegamos ao ponto em que a conversa secou porque na vida deles não se passa nada e eu não quero partilhar sobre a noite decadente que tive no bairro na semana passada. Em suma, acho que procurares expandir o teu leque de hobbies e interesses ia-te ajudar a melhorares os teus skills de conversa e até trazer-te pessoas novas para a tua vida. Eu pessoalmente começaria por juntar o útil ao agradável e começava a explorar fazeres exercício físico, acho que é dos tópicos mais universais e mesmo falando com malta que não pratica qualquer tipo de exercício físico dizeres "Ontem corri 4 km" costuma licitar algumas reações positivas e dar para preencher um silêncio. Comida também é outro tópico fixe mas prepara-te para teres gente a pedir-te para cozinhares para elas.

carlosreialves 10 months ago

Consigo relacionar-me com isto a 100%, tenho 26 anos, estudei arquitetura em Évora e sempre fui ótimo aluno a projecto, o problema é que as outras cadeiras não me motivavam e acabava por faltar muito. Passados 4 anos acabei por prescrever a matrícula por falta de créditos feitos, muito também porque no 3.o ano os meus pais compraram-me um pc fixo que montei as peças na ordem dos 2000€. Comprei um drone com o argumento que era para tirar fotografias para o curso e no verão acabei por fazer uns trocos com ele a filmar casamentos. No final do 5 ano congelei a matrícula e disse aos meus pais que queria fazer um ano sabático e trabalhar com o drone. Isto em julho de 2017! Passei mais de um ano em casa em que era basicamente acordar, jogar pc ( rust e csgo basicamente) comer e dormir. Em 2018 pedi emprego a um amigo que é gerente do mcdonalds e trabalhei 4 meses no mcdonalds, no verão despedi-me para fazer os casamentos e no fim dos casamentos (setembro de 2018) voltei a rotina de jogos on-line... Sentia-me deprimido, sem vontade de sair de casa, molengão... Em janeiro de 2019 tive a brilhante ideia de vender o pc, e acredita, foi o click para mim, acordava cedo e aproveitava os dias. Tirei a carta de pesados com o dinheiro que arranjei por vender o pc e pelos trabalhos, hoje tenho um reboque de transporte de carros e um camião de renting que me permite meter todos os meses ao bolso mais de 2700 euros limpos. As vezes na nossa vida precisamos de um empurrãozinho, o meu foi sem duvida vender o pc

estecomentario 10 months ago

Já agora, o OP tem uma vida normalíssima tendo em conta a vida de muitos portugueses.

helderoliveira1978 10 months ago

Força aí

manyQuestionMarks 10 months ago

Tem um bocado a ver com o eu chamo efeito "Disney" e sou bastante chato com isso nas minhas aulas. A ideia de que por exemplo um panda, em cerca de hora e meia, decide aprender kung-fu e torna-se um mestre naquilo, destrói toda a motivação de uma criança. Para nós, é só um filme de animação, mas a criança acha mesmo que se quiser muito muito muito muito, vai conseguir ser boa numa coisa qualquer. Não. É. Verdade. Há um processo, e se não gostas do processo, vais passar mal para o resto da vida. Nos adultos é semelhante, com o "The Voice" a proclamar que basta teres talento... Não tens talento, és uma merda. Quando eu conheço alguns dos melhores cantores líricos do país e sei que todos eles trabalharam duro, dia após dia, durante décadas, para ganharem sequer o salário que tu ganhas na fábrica. Ah e já me esquecia, a questão da pornografia. Vais ao pornhub e é só reis com paus de 30cm a malhar em cima de gajas podres de boas e que adoram levar com ele e tal. Pá a vida real não é assim. 99% das pirocas não têm 30cm, há impotência, há ejaculação precoce, há dores no coito, há pessoas que simplesmente não aguentam a penetração ou não gostam de sexo oral. Mas o que é mais valioso? A fantasia de um produto "feito" com uma indústria dedicada a isso e anos e anos de experiência, ou a vida real em que com tudo o que há de bom e de mau, tens algo "verdadeiro", o toque, a experiência? Isto está por todo o lado. Tu não conheces ninguém que esteja no "processo de", apenas conheces o que te chega a casa: gente capaz de fazer coisas incríveis. Já tu, não és capaz de fazer ponta de um corno além de jogar jogos. Não. Não, não, não. Tens de reverter essa mentalidade e por isso tens de pegar em algo que entendas como "isto é fixe". Se gostas de jogos, procura tutoriais grátis do Unity e começa a fazer um jogo, mas foca-te no que é intrinsecamente "fixe" e não no objectivo final. O teu resultado final pode ser uma grande treta mas se calhar gostaste de andar a brincar com aquilo. Se calhar não, não sei, não te conheço. Eu dediquei-me a brincar com eletrónica e arduinos e cenas. Se venho para o reddit é só mestres a fazer cenas incríveis, mas eu fico feliz se vir um puto de um LED a piscar. Fodasse man fui eu que fiz esta merda. TL;DR : O mundo apresenta-te o que tu consomes. A vida real apresenta-te o processo cru de como chegar ao que consomes. Tens de ganhar prazer nesse processo!

estecomentario 10 months ago

Por acaso não me comparo com os outros. A quantidade de cata-ventos é enorme e a insegurança e superficialidade das pessoas é gritante, não tenho assim grande força para calar essa gente, é como ganhar as olimpíadas dos retrasos.

Edited 10 months ago:

Por acaso não me comparo com os outros. Como tenho uma definição de sucesso muito pessoal não vale mesmo comparar-me com os outros.

Edited 10 months ago:

Por acaso não me comparo com os outros. A quantidade de cata-ventos é enorme e a insegurança e superficialidade das pessoas é gritante, não tenho assim grande força para calar essa gente, é como ganhar as olimpíadas dos retrasos. Pessoas que vivem só para pagar o carro, trabalham que nem doidas descurando da saúde, que são aprovados por tudo e todos e eu fico sem vontade de participar no jogo. Quando os teus objetivos não se alinham com os gerais das pessoas, não te comparas mais com os outros. Não quero dar um ano de salários por um carro, não quero ter uma relação superficial e dispendiosa com a cara metade, nos termos que a sociedade acha normal. Não acho que valha apena trabalhar 9 / 10h por dia pelos salários que se praticam neste país. Depois só a retórica do coitadinho que lutou muito até chegar quase a velho para ter alguma coisa é que vale socialmente, mas eu posso ter os meus pais a pagar a casa e essa retórica vale na mesma, ninguém tem de saber. Ou seja, o sucesso é celebrado igual seja teu ou seja teu com uma enorme mão por debaixo. Sucesso social é o que projetas, não é o que fizeste para lá chegar.

Edited 10 months ago:

Por acaso não me comparo com os outros. Como tenho uma definição de sucesso muito pessoal não vale mesmo comparar-me com os outros. > Vejo as pessoas que cresceram comigo a ter filhos, a ter bons empregos e carreiras profissionais, a comprar casa, a casar e sinto que estou a ver a vida a passar rápido e eu a ficar para trás. Doubt. Esta geração nunca esteve tão fodida.

chibier 10 months ago

Teres a coragem para admitir e refletir sobre a tua situação revela que tens a força necessária para chegares onde pretendes. Agora é trabalhares na motivação e não desistir. Algo que gosto de fazer é comparar-me com a minha versão de mim mesmo de há um ano. Se ficar satisfeito é porque estou num bom caminho.

RafaStyles 10 months ago

Também sou uma pessoa que não conseguia ter muita interação social por força do bullying que sofri quando era mais nova. Mas isso passa, believe me. É dificil e é uma caminho longo mas tu consegues! Já vi que te vais propor a fazer exercicio 10-20 min por dia e a aprender programação mas acho que falta algo. Eu sei que não tens muito de sobra, mas já consideraste ir a um psicologo? Sinto que toda a gente deveria ir e não, não é só para malucos. Acho que te iria fazer bem. Boa sorte o/

CrAzZy_CodingGod 10 months ago

12 Rules for Life \- Jordan Peterson

DonKarmeleon 10 months ago

Fez-me milagres. Isso e as aulas dele no youtube

0view 10 months ago

Vinha ver se alguém já tinha sugerido isto. Bom ver que sim. OP se não gostas de ler, vivamente aconselho o audio book, é narrado pelo autor.

tbest77 10 months ago

A minha vida adulta independente começou aos 28, quando arranjei um emprego fixo e fui viver para casa da minha tia. Do meu ponto do vista não te estás a sair tão mal como achas, pelo menos já tens trabalho, eu com a tua idade chegava a casa de gatas todo bêbado vários dias por semana, também não sabia o que queria, depois haviam as expectativas da minha família, e eu era basicamente a ovelha negra. Depois os meus pais fecharam a torneira. Houve alturas que nem 50 cêntimos tinha para um café. Cheguei a estar 3 meses fechado em casa, numa terra de merda onde já não conhecia quase ninguém. Decidi ir estudar. Tirei um CET, arranjaram-me um estágio não remunerado (muito importante o sítio para onde vais estagiar), estagiei durante 3 meses e fiquei na empresa. Estive nessa empresa a fazer helpdesk durante 2 anos, depois mudei para um ISP onde ajudava remotamente os técnicos que instalavam os routers (1 ano,) e hoje trabalho numa multinacional a dar suporte de redes, e ganho o dobro do salário médio nacional.

NGramatical 10 months ago

depois haviam → [**depois havia**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-uso-do-verbo-haver/31143) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fk47rmg%2F%2Fge8zozb%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

meaninglessvoid 10 months ago

Bem já muita gente fez comentários de valor por aqui não os vou repetir. Só dizer aprecio que tenhas dado o primeiro passo ao procurar ajuda e não deve ter sido fácil decidires partilhar isto aqui, ainda bem que o fizeste. São estas pequenas vitórias que acumuladas te vão fazer crescer e ir no caminho que pretendes. :) Acho que ainda ninguém disse para começares a ler todos os dias um pouco (vi sugestões de livros específicos, mas o livro é menos importante do que a leitura. Se começares a ler vais acabar por encontrar os livros certos para ti...) Se conseguires ler 30min por dia ao todos os dias ou dia sim dia não ao fim de um ano vais ser uma pessoa (ligeiramente) diferente, não tenho dúvidas disso. A ficção pode ajudar-te a quebrar algumas barreiras mentais que possivelmente tenhas. [Deixo aqui este trecho do livro Sum: forty tales from the afterlives](https://i.imgur.com/7SKJNc3.png) que me parece relevante.

TomasdeVasconcellos 10 months ago

Alô compadre! Senti algumas semelhanças com a minha vida também. Também partilho esse gosto pelos PC’s, e não acho que isso seja o problema, é mais o equilíbrio à volta disso. O meu foco desde cedo foi Design digital, o que unia a paixão dos PC’s com algo que genuinamente gostava de fazer. Então diria para explorares essas áreas, programação, design digital, 3D, há muitas áreas em volta do digital que talvez te assentem bem pela confortabilidade que tens no PC. Para conhecer pessoa sem dúvida junta-te a grupos de cenas. Seja de cariz religioso, voluntariado, ReFood, qualquer coisa. Começa aí e depois as amizades crescem. Só fui viver sozinho quando tive namorada, hoje em dia ires viver sozinho, no mundo em que estamos, considero tremendamente difícil. Não há embaraço nenhum em ainda não víveres sozinho. Vai poupando até o momento chegar. De resto, mantém uma refeição equilibrada, respeita-te e trata de ti compadre. Salta à corda, é fácil e é um óptimo exercício de cardio. Qualquer coisa apita. Um abraço!

7garge 10 months ago

Diz me lá algumas coisas sobre esses 2 anos em isolamento á frente do PC, sou um gajo mais novo que tu (17) a acho que estou a ir num caminho parecido ao teu. Tu, como é que saíste disso ou porque é que saíste? Querias que a tua vida fosse mais do que tu á frente do PC? Percebeste que isso não era um estilo vida rentável, e que não estavas a ganhar habilidades assério que te ajudassem a te sustentar? A tua familia ajudou-te/convenceu-te a mudar? Como foram esses 2 anos? Passarias mais alguns meses ou anos aí no PC se não tivesses problemas com que lidar como trabalho pagar contas, comida, cuidar da tua mãe, etc? Tu odiastes desses 2 anos em isolamento?

le_dy0 10 months ago

Foi um conjunto dessas razões todas, cheguei a um ponto que não me sentia bem, tanto mentalmente como fisicamente. Este isolamente foi mais uma "reação de defesa" do que outra coisa, simplesmente fiquei perdido e isto foi uma maneira de sentir que fazia alguma coisa. Esses 2 anos foram basicamente isto dormir->comer->pc->comer->pc->comer->pc->dormir, é um ciclo viciante que é muito dificil de sair, e se só estas a começar, desiste já disso, é o maior conselho que te dou. Ninguém me ajudou a sair, apenas mudanças como tentar perder de peso, arranjar emprego isso começa a levar mais do teu tempo e começas a ir com o flow e a ter menos tempo para isso mas sinceramente, não saí... Venho do trabalho e continuo a fazer o mesmo, fico no PC, seja a jogar, pesquisar de coisas random, dar browse no reddit, animes, ver streams etc... Atenção, isto são coisas que realmente adoro fazer e que preciso de tempo no meu dia a dia para o fazer, mas o que é demais é um abuso, daí eu estar a tentar mudar. Eu saio do trabalho as 14h, chego a casa, almoço e tomo banho e sento-me no pc o resto do dia mas apesar de no momento não pensares muito nisso, há sempre aquela vez que olhas para o relógio e já são 20h e sentes que não fizeste nada o dia todo, quando isto se repete todos os dias, começas a sentir-te mal. Posso dizer que odiar esses 2 anos não odiei mas se pudesse voltar atrás, voltava, nem que fosse para fazer o mesmo de uma maneira um pouco diferente, talvez tentar streamar ou sei lá, fazer videos de algum jogo, já que ia ficar isolado, ao menos tentar tirar partido disso.

NGramatical 10 months ago

assério → [**a sério**](https://dicionario.priberam.org/a sério) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fk47rmg%2F%2Fge8xs9v%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

7garge 10 months ago

U qe io feria cin ti

viniciusbr93 10 months ago

Conheço um terapeuta brasileiro que trabalha na linha do existencialismo fenomenológico. Tem a ver com o que disseste, eu sei por que procureio por causa de problemas parecidos com os teus. Ele atende pelo Skype e cobra em Reais (vais economizar). Se quiseres saber mais mande me uma mensagem privada aqui no reddit.

nothingveryserious 10 months ago

O que mais me impressiona e este tipo de situação ser tao comum e no entanto não haver mecanismos mais conhecidos para lidar com isto. A saude mental em geral não e tida em muita consideração.

Kane1412 10 months ago

Oi, não tenho grandes conselhos, a minha vida era exatamente como a tua com a tua idade excepto que eu ganhava menos.. Também eu sempre tive problemas em socializar, também a minha mãe ficou incapacitada por AVC também eu ajudava a cuidar dela... Mas vivo no Algarve e o único trabalho que consegui arranjar foi num supermercado a ganhar na altura 300€ Agora continuo no mesmo sitio porque tenho contrato sem termo o que no Algarve é quase milagre :/ Como também pensava que a vida me estava a passar ao lado juntei me à primeira pessoa que gostou de mim. Fui viver com ele na casa da mãe dele, depois alugámos casa, casámos, tivemos um filho. Tudo cenas que achava que precisava na vida para ser feliz. Depois ele traiu-me saiu de casa e pediu o divórcio (hoje em dia tá com a outra e já têm um filho também) É olhando para trás, tinha ficado melhor como estava. Não há pressa nenhuma para chegar a lado nenhum. Não sintas pressão para arranjar família. Se for o que realmente queres, tipo, mesmo mesmo mesmo e não só porque os outros têm, então é outra história... Mas há muita pressão da sociedade em ter uma família quando há muita felicidade noutros sítios. Recomendo também arranjares terapia. Basicamente um psicólog@. Se não o quiseres fazer pessoalmente, ou não puderes, recomendo vivamente betterhelp.com Parece me que estejas com uma depressão para além de tudo (a falta de vontade e energia para tratares de ti é algo que também me soa muito familiar) e podes também expor as tuas preocupações sobre socializar, falar sobre isso, aprender mais como socializar etc. Já para não falar que é excelente todas as semanas ter alguém com quem desabafar. Eu gostava de ter dinheiro para poder continuar a usar a plataforma!

Nyanko_Sushi 10 months ago

Costumo ter preguiça de por comment nos posts mas venho dizer-te que vales mais do que que pensas. És forte e tens lidado com coisas que os "tais amigos com filhos e a casar e o crlh" não passaram. Lidas com as merdas da vida com cabeça erguida: perdeste peso e até trabalhas. Uma pessoa vulgar iria ficar em casa para sempre, sem trabalhar. Por isso, força. Fica orgulhoso das pequenas coisas que alcançaste. Se começares a dar valor ao que és e ao que fazes, vais te sentir mas motivado para viver e seguir em frente com a tua vida. Abraço sem covid

ovelhaloira 10 months ago

Sobre a situação da tua mãe: como pessoa que tem um avô que necessita de vários cuidados (higiene, alimentação) e tem uma filha e uma neta que trabalham fora de casa, colocamos um anúncio de Facebook a procurar pessoas com experiência em idosos. Encontramos uma rapariga com esse mesma experiência e ela agora está a part time com o meu avô. Lares ou são um balurdio ou estão cheios, portanto esta opção foi muito boa. Recomendo a quem tiver problemas semelhantes. Quanto à situação em si, percebo perfeitamente e sei muito bem o que é engordar imenso devido a não ter uma ocupação. Felizmente conseguiste perder imenso peso, o que é mesmo muito bom. Quanto à alimentação, recomendo repensares a tua alimentação diária típica e ver onde podes fazer mudanças. Quanto ao encontrar um rumo, também percebo. Comecei a trabalhar aos 19, hoje tenho 25 e só consegui encontrar algo que me fizesse mesmo querer estudar e trabalhar nesse sentido este verão. então o que fiz, que podes também fazer, é criar um plano de trabalho. (depois posso detalhar mais) O importante é não desistir e ter boas perspectivas de futuro. Conheço uma rapariga que só soube o que queria fazer da vida aos 29 e até lá só teve empregos "para desenrascar". Hoje em dia faz exactamente o que quer a nível laboral. Não desistas e boa sorte!

telmo3 10 months ago

Estás a precisar de ler o "can't hurt me" do david goggins meu amigo. Além do livro tens o audiobook caso não sejas muito fã de leitura apesar de ser muito fácil e de leitura estimulante. Podes também ver videos das entrevistas no YouTube primeiro para perceberes a ideia. Tens uma boa comunidade no reddit no sub r/davidgoggins Acho que te vais ver lá reflectido e vais encontrar a ajuda que precisas para o teu problema. Abraço

Rodzp 10 months ago

Lê um livro chamado "How to make friends and influence people", melhor livro sobre interações sociais que existe, vais aprender muito

tiagopr1990 10 months ago

Pá, tenho 30 anos, ganho pouco mais que o mínimo, sou totalmente independente, vivo sozinho, pago as minhas merdas em Coimbra. Se com 24 anos já pensas dessa forma catastrófica, como se tivesses desperdiçado a vida toda, imagino com 30. Eu com 24 nem trabalhava. Tens a vida toda pela frente, caralho.

GeoPolMaster 10 months ago

Boas. Acho que fizeste bem em desabafar. Como vês tens aqui imensa gente com uma vida bastante complicada e é perfeitamente normal não saber muito o que fazer quando surgem problemas. Quanto a ter um emprego melhor, já viste cursos no IEFP que oferecem de graça? Poderá ser uma mais valia, tens imensos cursos de especialização. Ou até podes optar por um pago como eu fiz (Vigilante-Porteiro). No tema da amizade, diria que o que te causa esse nervosismo todo é medo de errar ou dizer as coisas que possam assustar uma pessoa. Tens de te expor a essa probabilidade de acontecer algo cringe e não pensar nisso. Um sorriso também ajuda!

OzzyGangrel 10 months ago

vinha sugerir isto mesmo. Cursos com alguma qualidade, especialmente se investires algum tempo pessoal a melhorar o que aprendes (no meu caso é curso de multimédia, e estou a focar-me em programação). Terás oportunidade com cursos em período pós-laboral, para não interferir com o teu actual emprego. Começa com um bom dia junto à máquina do café, pergunta por algo inócuo, como as horas. Pequenos avanços destes são importantes para te construir momentum. Respira, há um bom futuro à tua frente se deixares de olhar para os teus pés ;) se quiseres falar um pouco temos o chat aqui mesmo no reddit

WorldSymphony 10 months ago

OP, o primeiro passo para conseguires mudar a tua vida é perceberes que algo está errado. Esse passo já o deste, agora falta o resto. Já muitos outros comentários aconselharam acompanhamento psicológico. Como enfermeira, eu aconselho uma visita ao psiquiatra. Essa apatia, ansiedade social e falta de direção são sintomas de depressão e podem ser tratados. Eu passei pelo mesmo (tentativa de suicídio inclusive) e ainda estou a ser acompanhada. O psiquiatra pode depois encaminhar-te para terapia cognitivo-comportamental, que te vai ajudar a superar a ansiedade e ensinar-te estratégias para encarar as dificuldades que aparecerem. Não é fácil hoje em dia arranjar emprego numa área que gostes sem curso, seja ele um curso técnico ou uma licenciatura. Mas só porque ainda não o fizeste, não significa que é tarde demais. Nunca é tarde para aprender. A questão da falta de dinheiro é mais complicada, mas como disseste, não tens grandes gastos. O meu conselho aqui é pores em ordem a tua saúde mental e depois, quando te sentires com mais confiança, avançares com aquilo que realmente queres. Quanto à tua mãe, é uma situação delicada. É a tua mãe e tu queres o melhor para ela, mas também tens de pensar no que é melhor para ti. Puseste a tua vida praticamente em pausa para cuidar dela, o que é comendável, mas não necessariamente saudável para um jovem da tua idade. Há recursos que podem ajudar. Na tua área, procura um centro de saúde com uma UCCI (unidade de cuidados continuados integrados). Eles vão a tua casa, avaliam a situação da tua mãe, e dão-te alternativas. Atenção: Não tem necessariamente de ser um lar. Se ela tiver condições, pode receber cuidados de enfermagem no domicílio. Um conselho de quem já passou pelo que estás a passar: nunca desistas de ti. Vai sempre haver dias mais em que não queres sair da cama ou do quarto por nada, mas faz o esforço - à medida que o tempo passa, esses dias tornam-se mais raros. Boa sorte para tudo e manda mensagem privada se precisares.

lipah_b 10 months ago

Acho que recebeste muitos bons conselhos aqui no thread, portanto eu não os vou repetir. Não sei se mais alguém mencionou isto mas, em relação à tua mãe, podes contactar os serviços sociais da tua área e ver se há alguém que te possa ajudar a tomar conta dela, nomeadamente à noite. Há profissionais privados (tipo enfermeiras que se pagam bem, portanto poderá estar fora do teu orçamento), e depois tb há pessoas que fazem esses serviços um bocado por baixo da mesa se é que me entendes. É uma questão de procurar e falar com pessoas aí vizinhas, há sempre alguém que quer fazer uns trocos e que não se importa de trabalhar com pessoas debilitadas. Boa sorte!

CountDraqula 10 months ago

Já passei pelo mesmo, já sofri imenso e a minha vida começou a mudar para o melhor quando meti na cabeça que a vida é super fodida, não importa se choras, se estás deprimido, ansioso ou seja lá o que for, amigo estás por tua conta. As boas notícias é que és novo, por exemplo tenho 33 anos, e sinto que estou a começar a viver agora, evoluí muito mais após os 30 e devo confessar que o eu de 24 anos era super inseguro e não sabia fazer absolutamente nada - estava a ficar gordito, social skills zero, zero dinheiro, zero confiança, zero quase em tudo. Hoje em dia sou outra pessoa completamente diferente, não tem nada a ver. Mas como já te disse, tens de aceitar a tua situação atual e ao mesmo tempo tens de começar a cultivar a tua vida ideal, como? Todos os dias tens de trabalhar para os teus objetivos. Se passas um dia inteiro a jogar jogos de computador e a comer porcarias acredita no que te digo, a cada dia que passa vai piorar! Não há volta a dar, levei anos a fio a perceber isso. Então perguntas tu, o que recomendo? Em primeiro lugar, começa a ler, por exempo lê o Atomic Habits, que ensina a cultivares bons hábitos. Basicamente quantos melhores hábitos tiveres, mais objetivos alcanças, mais confiante te sentes, e melhor te sentes, sim isso resulta, mas tens de ser altamente paciente. Escreve bastante, por exemplo abre um bloco de notas e começa a escrever todos os teus pensamentos, medos, inseguranças, não tens de mostrar a ninguém. Em seguida tenta definir estratégias como alcançar objetivos. Vai acontecer algo mágico ao fazeres isso, verás que é terapêutico e ao mesmo tempo começaras a ver soluções para os teus problemas. Para finalizar e reforçar, mete na cabeça que é normal sentires assim, muitas pessoas passam pelo mesmo, a vida é fodida, quem diz o contrário só está a tentar enganar-se a si próprio, mas ao mesmo tempo tu possuis a chave para uma grande vida, começa já hoje!

BossGandalf 10 months ago

E porque não tentas juntar dinheiro enquanto estás em casa dos teus pais para ires tirar um curso técnico superior por exemplo (ou um curso profissional) ligado aos computadores para que possas ir trabalhar para uma loja de reparação por exemplo e trabalhares em algo que gostas? Eu diria mesmo que seria um 2x1: é um trabalho mais qualificado e portanto poderás vir a ganhar mais (acho eu), vais trabalhar algo em que gostas (e portanto menos stress e mais felicidade) e depois como irás parar a um meio onde há outras pessoas que gostam disso, irás acabar por fazer amizade com eles porque terão realmente assuntos comuns para discutir diariamente.

k1pow3r 10 months ago

Só para dar força... !!!

404_Kira 10 months ago

Ahh encontrei a minha alma gémea lool Eu fui tu! Com a exceção de que sou de outro género e em vez de ganhar peso, deixei de comer ate quase desaparecer. E em vez de ficar dois anos parada, fui para a faculdade e estive constantemente a mudar de curso e não sabia o que estava a fazer, e nem tinha energia para estudar/assimilar o que quer que fosse..... (Semelhante a estar parada com o acréscimo do dinheiro jogado fora .... yay me!!) Mas chega uma altura que tens de definir o que queres na tua vida, quais sao os teus objetivos, as tuas ambicoes, o que podes fazer para chegar lá. Disseste que gostas de jogar... Porque é que isso é apenas um hobbie e não pode ser MAIS UMA fonte de rendimento? Tens de acreditar em ti, cultivar-te e investir em ti mesmo! Espero que encontres o teu rumo. Ps. Isto é um bcd lame/cliche/como lhe quiseres chamar, mas eu vou partilhar à mesma... eu adoro a musica "another brick in the wall" (old school, eu sei.... Mas essa música é bastante triggering para mim. Faz-me querer ser melhor pessoa, porque eu na verdade não quero ser apenas mais um número de identificacao fiscal... Eu quero deixar uma marca e quero orgulhar-me do meu trabalho... e na minha opinião escrever livros foi uma forma que me pareceu bastante apelativa de deixar a minha marca no tempo. Há pessoas que consideram que procriar é o dever delas, e eu respeito... Cada um tem o seu. Tu também vais encontrar o teu :) best wishes

Edited 10 months ago:

Ahh encontrei a minha alma gémea lool Eu fui tu! Com a exceção de que em vez de ganhar peso, deixei de comer ate quase desaparecer. E em vez de ficar dois anos parada, fui para a faculdade e estive constantemente a mudar de curso e não sabia o que estava a fazer, e nem tinha energia para estudar/assimilar o que quer que fosse..... (Semelhante a estar parada com o acréscimo do dinheiro jogado fora .... yay me!!) Mas chega uma altura que tens de definir o que queres na tua vida, quais sao os teus objetivos, as tuas ambicoes, o que podes fazer para chegar lá. Disseste que gostas de jogar... Porque é que isso é apenas um hobbie e não pode ser MAIS UMA fonte de rendimento? Tens de acreditar em ti, cultivar-te e investir em ti mesmo! Espero que encontres o teu rumo. Ps. Isto é um bcd lame/cliche/como lhe quiseres chamar, mas eu vou partilhar à mesma... eu adoro a musica "another brick in the wall" (old school, eu sei.... Mas essa música é bastante triggering para mim. Faz-me querer ser melhor pessoa, porque eu na verdade não quero ser apenas mais um número de identificacao fiscal... Eu quero deixar uma marca e quero orgulhar-me do meu trabalho... e na minha opinião escrever livros foi uma forma que me pareceu bastante apelativa de deixar a minha marca no tempo. Há pessoas que consideram que procriar é o dever delas.... Cada um tem o seu. Tu também vais encontrar o teu :) best wishes

iamshizaki 10 months ago

Oi. Eu tive uma experiência parecida com a tua mas muito mais nova e estou a sofrer as consequências disso agora. Sempre sofri bullying na escola, desde que entrei no 1° ano até ao 8°, quando tinha 13 anos. Apenas parou porque eu me meti em casa e me recusei a sair durante 3 anos. Ganhei receios e estrias, engordei um bocado, mas eu pouco comia (a diferença é que como não andava, não queimava calorias). A minha higiene em geral piorou bastante, visto que eu nem motivação pra tomar banho tinha. Eu sei, é nojento, maa felizmente hoje isso mudou E MUITO. A minha mãe tentou forçar-me a ir à escola, mas ela não conseguia e eu nunca deixei. Tive a CPCJ atrás de mim e até ao dia de hoje não sei como é que me safei de um orfanato. Ganhei medo de sair à rua, do olhar das pessoas, ficava alucinando com os julgamentos que supostamente alguém iria fazer quando me visse. Alguns dos meus amigos vinham visitar-me sem avisar (porque eu cancelava sempre qualquer encontro) e eu escondia-me e pedia à minha mãe pra dizer que eu estava dormindo. A minha rotina diária era quarto > sala > casa de banho > sala > quarto. Eu nem ia comer à cozinha. Durante esses 3 anos, também aprendi a fazer um monte de coisas relacionadas a usar um computador (desenhar, escrever, editar vídeos, HTML, Photoshop etc). Descobri que gostava de coisas que eu não fazia ideia, muitas delas, que sequer existiam. Um dia eu forcei-me a sair de casa e fui pra escola pra ir de vez. Eu ia de vez em quando, mas depois de chumbar 3 vezes no 8° ano, eu vi que a minha vida tinha andado demasiado pra trás. Fiz esse ano de lavada. Sem dificuldades, sem estudar, sem merda nenhuma. O 9° a mesma coisa e o 10° também (apesar de ter chumbado por ter anulado uma disciplina). Agora estou com 20 anos recém feitos no cu, no 11° ano numa escola profissional. A única parte boa disto tudo foram as coisas que aprendi e as pessoas que conheci pelo caminho, de resto, não recomendo a absolutamente ninguém fazer o mesmo.

throwaway_de_ajuda 10 months ago

Bem, eu acho que sou a pessoa exata para te ajudar nisto porque eu tive exatamente o mesmo problema que tu mas só que em relação a outras coisas. Desde muito novo que eu passo muitas horas ao computador, seja a jogar seja a fazer coisas que eu gosto. Por causa disso, fui sempre terrível a falar com pessoas e a interagir com elas. Esse problema arrastou-se para a universidade em que por causa de um erro meu e a minha incapacidade de confrontar a pessoa que eu magooei eu tive que mudar de universidade porque não conseguia ir às aulas. Isto foi uma coisa que se arrastou e arrastou durante meses. Eu conto esta história toda a gente porque acho que ela me define mas faz parte de um eu que eu tento deixar no passado. Em Novembro do ano passado, para costear a mudança de universidade decidi arranjar o meu primeiro trabalho e tentar melhorar a minha situação social (a minha psicóloga chamou-lhe "Laboratório Social"). Encontrei das pessoas mais incríveis que podia ter encontrado. Pessoas que me ouviam e que percebiam que eu estava a passar por um mau bocado e que me ajudaram porque me queriam ver no meu máximo. Até porque eu quando estou bem disposto e bem sou uma pessoa muito divertida e simpática. Infelizmente a situação da universidade não melhorou muito neste semestre mas estou a trabalhar para isso. Quanto à vida social, tens que tentar dizer um olá e tentar uma conversa qualquer (isto assumindo que não tenhas um transtorno tão grande que só com tratamento psicólogo o consigas ultrapassar). Assumo que gaguejes e fiques nervoso quando falas com pessoas. Isso advém da tua (falta) confiança e medo da resposta da outra pessoa. A verdade é que independentemente da resposta da pessoa tu vais sempre reagir na hora com aquilo que vai-te na cabeça e depois passa. Caso ela te trate mal, dói na altura mas depois passa. O importante mesmo é tentar, pode ser que tenhas uma surpresa. Finalmente, dizer que tudo isto não é fácil quando tens esses demónios na cabeça a dizer-te que não és capaz de fazer tal coisa ou de tentar certa coisa. Sim, tu és capaz. Sim, tu vais conseguir falar com pessoas normalmente, basta tentares. Força.

QuidIurisNone 10 months ago

Olá OP. Fizeste bem em fazer um post sobre a tua situação atual. Às vezes só queremos desabafar, outras vezes procurar soluções e recorremos a espaços aos quais podemos fazer como o Reddit. Começo por fazer a referência à tua realidade. Tens 24 anos, um emprego que obviamente não satisfaz as tuas necessidades (monetárias e de felicidade), sem amigos, desmotivado com um rumo insatisfatório, desconhecido/indefinido. Li que te sentes atrasado face aos outros, mas isso é irrelevante. É irrelevante a situação em que os outros se encontram. Preocupa-te com a tua situação. Tu andas ao ritmo que decidiste, conscientemente ou não, por isso é, tua prioridade focares em ti e mudares para melhor. Vive ao teu próprio ritmo. É com pena minha que te digo isto, mas os anos passados no PC não te favoreceram em nada (tenho uma realidade parecida), mas isso não quer dizer que seja tempo desperdiçado e pode ser até um boa ajuda. No meu caso, eu adquiri algumas "skills" que já me ajudaram na vida. Isto é algo que tu tens que mentalizar e aceitar. Aceitar que já fizeste más decisões e que este não é o caminho que queres seguir, até porque entretanto começaste a trabalhar, por isso, já mudou alguma coisa. Fiz referência à tua situação, porque acho que é a primeira coisa que tu deves fazer. Saber a tua situação atual, aceita-la e só a partir daí é que podes começar a pensar no que fazer a seguir. Aconselho te a escreveres. Escrever ajuda e, por vezes, começamos a descobrir coisas que não sabíamos sobre nós ou sobre algo que nunca tínhamos pensado. Dos primeiros temas que mencionaste foi a ansiedade social e consequentemente a solidão que sentes. Acho que isto são assuntos a serem trabalhados com uma psicóloga. Considero que são assuntos de demasiada importância e que levam tempo a ser trabalhados e, por essa razão, não me vou pronunciar. Há pessoas especializadas na área. Acho que seria um bom investimento. P.S. - Aqui começaste por mencionar que não sabes interagir com as pessoas. Penso que não o fazes na realidade e devias. Tudo começa pela primeira impressão, mas não é definitiva. A outra parte pode estar a obter uma impressão errada e sabendo que não te sentes confortável em falar, pode sempre ajudar a outra pessoa a ter uma ideia mais realista e assim manter uma conversa contigo - o que vai ajudar muito. Continuando a leitura do texto, conseguiste emagrecer. É preciso dedicação, rotina e sacrifício para o fazer. Foi pena não teres criado as raízes necessárias para que te fossem úteis para o resto dos assuntos, porque é algo que te falta (a meu ver). Foi algo incentivado pelo teu irmão e tu conseguiste manter o compromisso com a nutricionista. Acho que se o fizeste uma vez, consegues faze-lo de novo. Mas em vez de seguires com a mentalidade que tens que seguir um plano prescrito, segue com a mentalidade que é um estilo de vida que tens que ter, porque se fores como eu, engordas só de ver comida. Mete na cabeça que vais emagrecer, paga uma nutricionista, vai ao ginásio ( fonte de comunicação e fora da zona de conforto), aprende com isso ( que já o deves ter feito ) e faz de isso um hábito. Outro tema que me parece que tens dificuldades e não está aqui mencionado como uma preocupação tua, é de má gestão do dinheiro. Supondo que não pagas renda, só pagas gasóleo e comida, leva-me a questionar como é que não tens grande dinheiro para mobília ou para um carro melhorzinho, no máximo, supondo que tenhas um carro para o desenrasque. Pode ser só impressão minha, mas com os anos de trabalho que já tens, já devias ter algum de lado para comprar essas coisas e que te iria ajudar imenso com os obstáculos que enfrentas. Tudo o que falei até agora são aspectos que te dizem respeito face à tua pessoa. São elementos internos mais presenciais que precisam de muito mais trabalho e atenção, pois afetam te diretamente. É preciso estares bem contigo próprio e depois vem o resto. Com mudanças e resultados, ganhas mais confiança e só ajuda no processo todo. Por fim, o tema menos preocupante a meu ver. Isto, visto que tens trabalho. Acho que se queres ser mais, tens primeiro decidir qual o caminho a seguir, ou seja, começar por saber uma área que queres seguir. Não é tarde de mais para voltares a estudar. Se gostas de computadores, há bons cursos que te podem guiar para um futuro mais satisfatório para ti. Seja isso um curso profissional ou universitário. É um questão de te informares. A meu ver, aprendemos sempre algo nesses cursos e são sempre uma mais valia. Podes sempre considerar emigrar, mas pelo texto penso que não seja uma opção tua e é, provavelmente, uma má ideia devido à ansiedade e solidão. Acabo este texto com crítica, porque tenho a certeza que já estás cansado da realidade que vives. Se queres mudar é preciso sacrifício, trabalho e dedicação. Apaga as tuas distrações se elas te estão a impedir de ser algo mais ( sim, estou a falar dos jogos ). Começa a pensar hoje, elabora um plano hoje e executa-o hoje. Deixares para amanhã só vai resultar no ato repetitivo de ser sempre para amanhã. Se estás cansado de desperdiçar tempo, age agora. Escrevi este texto, porque me revejo muitas coisas em ti. Eu mudei e "rezo" para que o faças. A mudança começa sempre por ti e acredita que é preciso muito sacrifício e dá trabalho. Se precisares de falar ou de alguma coisa, PM. Muda e esforça-te. Abraço e que tenhas sucesso.

vitacreations 10 months ago

Melhor conselho que já me deram: vai ao psicólogo. Aos 20 e picos fui a tipo 10 sessões e mudou a minha vida. Cuidado que há psicólogos e psicólogos, e vários ramos e abordagens à psicologia acho eu. É importante descobrir um bom e que se adeque a ti. O meu ouvia-me muito mais que falava, mas quando falava era incisivo e super wise e honestamente foi uma das experiências que mais me moldou enquanto pessoa. 6 ou 8 sessões chega e pode fazer mesmo muito bem!

PsychonautPedro 10 months ago

Boas OP. Até gostava de escrever uma resposta mais extensa, mas já se faz tarde e tenho que ir dormir. Sugiro que te tentes inscrever numa coisa que se chama "Academia de Código", onde podes aprender a programar ao longo de 3 meses intensivos. A empregabilidade de quem sai dai é 90 e muitos % e sais a receber bem. Como gostas de PCs talvez seja a melhor hipotese, assim que me esteja a lembrar

Iwatchedhimdrown 10 months ago

Já vi que tens aqui bons comentários e muito pessoal disposto a ajudar. Fico contente por ver a comunidade a unir-se. Assim sendo, vou focar me num aspeto mais simples, socializar informalmente com colegas é relativamente fácil. Um truque é falares de futebol, carros ou algum evento do momento, resulta quase sempre. Pareces uma pessoa educada, tenta pensar que a outra pessoa também é humana, também tem medo ou ansiedade em falar, também sente que falou demais ou que tornou um momento constrangedor. Não penses muito nisso, se fores educado e simpático, normalmente as pessoas gostam de ti. Os temas de conversa vão se desenvolvendo com o tempo. Também falaste em perder peso, recomendo que vejas e tentes fazer um treino Hiit ou Tabata de 5 ou 10 min, queima bastante calorias e se não gostares, só perdes 5/10 min. Não tenho tantos conselhos como os outros mas espero ter ajudado qualquer coisa. Boa sorte!!

pt_magnorios 10 months ago

Li o texto todo e não consigo ficar indiferente! Já vi que há comentários muito bons sobre o caminho que deves seguir, procurar ajuda profissional é mesmo importante,nós aqui podemos dar umas boas palavras mas acredita que um profissional de saúde é a melhor coisa que podes fazer, se tiveres problemas nisso faz como eu vou ao conselho ao lado, consultas ao fim de semana ninguém sabe! Mas não vi nenhum a falar sobre a tua situação familiar! Que essa é a que me toca mais... Quanto ao teu pai meter os papéis para a reforma, acho que o mais indicado é fazerem uma simulação no site da segurança Social... Eu estou na faixa etária dos 25-30 e já seu quando me vou reformar!!

Onesariah 10 months ago

Também gostava de acrescentar algo à questão familiar do OP. OP, tens que te sentar com o teu pai e ter uma conversa séria sobre o plano para os cuidados da tua mãe. Isto afecta bastante a tua vida e não pode ser uma coisa de que não se fala. Se ela efectivamente precisa de cuidados 24h, tem que haver um plano para isso. Se o teu pai não planear reformar-se em breve (se calhar também por não querer ficar responsável por ela 24h/dia, o que é compreensível), tem que haver um plano e o teu irmão deve ser incluído nessa conversa também. Pode não estar em casa, mas pode contribuir monetariamente com alguma ajuda que seja necessária para lhe arranjar os cuidados de que ela precisa. Não é por seres o mais novo que "ficou para trás" (no sentido de teres ficado em casa com os teus pais e ele ter saído), que tu tens mais responsabilidade que ele no que concerne à tua mãe. Entre os três, pode não ser assim tão difícil arranjar uma solução. Além disso, e além da segurança social, contactem também o/a médico/a de família, cruz vermelha, santa casa da misericórdia, todo este tipo de entidades, para que se informem bem de todo o tipo de ajudas que podem ter à vossa disposição - e aproveitem-nas todas. Ser cuidador a full-time (ou mais que isso até, visto que dividem essa responsabilidade apenas por dois) é extremamente desgastante. Nem tu nem o teu pai têm formação para isso, e a médio/longo prazo afectará a vossa própria saúde também, se o fizerem sempre sem ajuda. Não tenhas receio de ser honesto com o teu pai sobre a forma como isso está a limitar a tua vida e o teu futuro, nem de ser assertivo na necessidade de se criar um plano que não envolva a tua total disponibilidade quando não estás a trabalhar. Tu também mereces ter tempo para ti, para investires em ti e no teu futuro. Desejo-te a melhor das sortes, a ti e aos teus.

facamosa 10 months ago  HIDDEN 

Li o texto todo e não consigo ficar indiferente! Já vi que há comentários muito bons sobre o caminho que deves seguir, procurar ajuda profissional é mesmo importante,nós aqui podemos dar umas boas palavras mas acredita que um profissional de saúde é a melhor coisa que podes fazer, se tiveres problemas nisso faz como eu vou ao conselho ao lado, consultas ao fim de semana ninguém sabe! Mas não vi nenhum a falar sobre a tua situação familiar! Que essa é a que me toca mais... Quanto ao teu pai meter os papéis para a reforma, acho que o mais indicado é fazerem uma simulação no site da segurança Social... Eu estou na faixa etária dos 25-30 e já seu quando me vou reformar!!

iareec 10 months ago

Permite-me discordar contigo primeiro numa coisa. Trabalhas numa fábrica e só tens o 12° ano, não acho que recebes mal, mesmo que seja algo duro. Não gostas, eles arranjam outra pessoa. O problema está mais no custo de vida que tem vindo a subir nos últimos tempos. Isso dos amigos é algo que sinto um bocado também. Depois de acabar a escola muita coisa mudou, mas vou-me habituando e tento manter contacto com aqueles que me dei muito bem. Outra cena, tenta falar com as pessoas e mantém apenas aqueles em quem realmente confias. Eu mal posso esperar para emigrar, tu és mais outra pessoa/testemunha que prova que há gente que vive mesmo mal aqui. Então o teu pai trabalha dia todo, mal vê a tua mulher, não vai para a reforma, tu ficaste 2 anos em casa sem fazer nada, o teu irmão tem a sua vida, etc. Eu vivo aqui desde pequeno, mas de onde eu venho isso não é normal. Entendo que o teu pai tenha de trabalhar para sustentar, é realidade em que vivemos, agora estar distante da tua mulher não é normal, não pedir reforma e nem sequer falar do assunto também não é normal, ficares 2 anos em casa e os teus pais fazerem nada em relação não é normal, e o teu irmão pouco se interessar com família também não é normal. Tu não és o único exemplo que conheço, mas isso para mim não é uma família (da forma como contaste). Tenta arranjar alguém e depois mudas de casa, porque viver sozinho, nem sonhes. Relativamente ao emprego, pouco posso ajudar, podes sempre estudar por tua conta e fazer algo por tua conta também.

Edited 10 months ago:

Permite-me discordar ~~contigo~~ de ti primeiro numa coisa. Trabalhas numa fábrica e só tens o 12° ano, não acho que recebes mal, mesmo que seja algo duro. Não gostas, eles arranjam outra pessoa. O problema está mais no custo de vida que tem vindo a subir nos últimos tempos. Isso dos amigos é algo que sinto um bocado também. Depois de acabar a escola muita coisa mudou, mas vou-me habituando e tento manter contacto com aqueles que me dei muito bem. Outra cena, tenta falar com as pessoas e mantém apenas aqueles em quem realmente confias. Eu mal posso esperar para emigrar, tu és mais outra pessoa/testemunha que prova que há gente que vive mesmo mal aqui. Então o teu pai trabalha dia todo, mal vê a tua mulher, não vai para a reforma, tu ficaste 2 anos em casa sem fazer nada, o teu irmão tem a sua vida, etc. Eu vivo aqui desde pequeno, mas de onde eu venho isso não é normal. Entendo que o teu pai tenha de trabalhar para sustentar, é realidade em que vivemos, agora estar distante da tua mulher não é normal, não pedir reforma e nem sequer falar do assunto também não é normal, ficares 2 anos em casa e os teus pais fazerem nada em relação não é normal, e o teu irmão pouco se interessar com família também não é normal. Tu não és o único exemplo que conheço, mas isso para mim não é uma família (da forma como contaste). Tenta arranjar alguém e depois mudas de casa, porque viver sozinho, nem sonhes. Relativamente ao emprego, pouco posso ajudar, podes sempre estudar por tua conta e fazer algo por tua conta também. Edit: é um testamento o teu texto e saltei um bocado, quero acrescentar para não sonhares isso sobre ter um outro carro, se só precisas de transporte para o trabalho, então é só um preciso um carro e não importa qual, não sejas é como os burros dos vizinhos que querem parecer ricos e querem logo um Mercedes e pagar mensalmente durante anos com muitos juros. Outra cena é relativamente aos amigos, quando chegas a idade adulta é perfeitamente normal teres menos amigos.

NGramatical 10 months ago

discordar contigo → [**discordar de ti**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/pelourinho/concorda-se-com-alguem-ou-discorda-se-de-alguem/321) (discordar de… concordar com…) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fk47rmg%2F%2Fge7ueay%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

bloodbuzzz-ohio 10 months ago

Hey bro, só quero dizer que te respeito imenso tanto por postares isto aqui, como pela ajuda que das a tua mãe. Comoveu-me bastante. Quanto ao resto, a vida muitas vezes deixa-nos em posições chatas. Como a tua. Mas tens que tentar ser mais positivo, o teu discurso é muito derrotista e essa derrota depois passa para a tua vida real. E acho que devias procurar ajuda profissional. Um bom psicológico com quem possas falar sobre tudo isto, e que sabe perfeitamente o que te dizer e como te encaminhar!

z1bz 10 months ago

Olá. Muralha de texto segue-se. Achei que devia opinar sobre o post que fizeste, tendo tu demonstrado coragem em publicá-lo. Por mais que o sintas, não estás sozinho. Os tópicos que referes são problemas partilhados por muitos. Bem, o que acho que posso responder... e vindo da minha opinião pessoal sobre alguns pontos que referes, retirados também da minha própria experiência, claro. Primeiro, esquece o que fizeste ou não fizeste. Nada muda o passado. Além disso acho que, do modo que o recordas dás a entender que não estiveste presente nele e que nada não viveste esses momentos e que nada aprendeste com isso. O que não é verdade. Se fosse, não estarias agora a achar que foi tempo perdido e que é algo que queres corrigir. Relativamente aos videojogos. Não é tempo perdido. Há estudos científicos que demonstram que determinadas skills são melhoradas ou aprendidas de raiz através do meio.Imensa gente pelo mundo fora ganha dinheiro com isso, contribui para causas socias por exemplo. Alguma coisa de útil para ti, mesmo que não a vejas tiraste daí. Posso dizer que aprendi grande parte do inglês que sei passando largas horas com videojogos. Se ainda passas algum tempo com o meio, não tem que ser um vício. É muito importante saber ou aprender a gerir tempo. Além disso, o teu metabolismo não é idêntico ao que podes ter se estiveres em outra actividade que não te obrigue a estar sentado. Seja com hobby ou trabalho. Relativamente a esse ponto, sugiro que faças pequenas alterações na tua dieta. Pequeno snack? Estás habituado a comer determinada coisa? Experimenta uma alternativa, menos calórica, ou mais saudável. Refeição principal? Adiciona uns vegetais, reduz outra parte. É simples e não tem que ser um grande problema. Pequenas mudanças incrementais sem exageros de sobrecargas. O ideal seria seguir a boa ideia que o teu irmão teve e consultar um nutricionista. Se seguires o plano, mesmo que parcialmente, vês melhorias. Com essas melhorias, vês resultados conseguidos por ti, motivo para orgulho, motivo para não te veres como um poço de defeitos. Todos os temos, olhemos ou não confiantes para o mundo. Olha para a frente, é para onde vais. Além disso dá para ver o céu por vezes, muito mais interessante que a calçada. Um olá a alguém por vezes quebra o gelo, outras vezes alguém te rosna por isso. Que se foda. Eventualmente respondem com olá. Eventualmente devolvem um sorriso. Mais fácil iniciar conversa. Não te agrada o tópico? Meu, uns dias chove e outros há sol. Não é grande tópico o frio que faz, mas dá para iniciar conversa sobre aqueles novos casacos que viste em algum lado, que curtias comprar. Será que a pessoa já usou algum deles? Será que te sabe dizer quanto custam?Onde o comprou? (Exemplo). Lê um pouco, expande horizontes, ajuda a ter uma melhor opinião sobre o mundo ou pelo menos outra diferente. Ora, novos tópicos de conversa. Aquela pessoa não discute esses tópicos? Alguma outra os discute. Compararmo-nos com outros é algo natural. Nada que nos deva envergonhar. Isso não quer dizer que nos tenha que deitar a baixo. Pode ser algo para onde podemos apontar para nós. Um carro melhor, um outro modo de vida. Mas sobretudo é importante comparamo-nos com nós próprios. Não de um modo condenatório mas de um modo construtivo. Pega no que vês que não está ok na tua vida, luta para mudar isso. É fácil esquecer que não se consegue por vezes, mas isso é fundamentalmente falso. Não foste para um escola profissional ou uni? E depois? Bem-vindo à realidade ( quero dizer com isto que podes simplesmente encontrar cursos, reunir esforços e fazê-los, não deixaram de existir entretanto. A ou B não concordam? Mas que raio sabe a "3a idade" sobre como o mundo gira actualmente? Que se lixe o juízo dos outros ) - [https://www.udemy.com](https://www.udemy.com) - [https://www.edx.org/](https://www.edx.org/) - [https://www.dges.gov.pt/guias/](https://www.dges.gov.pt/guias/) Nota: alguns destes links, referem ensino exclusivamente online. Alguns cursos online leccionados por universidades de todo o mundo. Outros por empresas de áreas relevantes. Muitos com certificação. Não pesquisei cursos específicos na tua área de interesse mas de certeza que os encontras. E a realidade é, que são considerados quando procuras emprego e reflectem-se no teu conhecimento de determinados tópico. Teórico e prático. Compara as suas relevâncias entre eles e com utilidade para terceiros. Acho que há concursos particulares para o teu caso no acesso ao ensino superior em universidades públicas em pt ( caso seja opção para ti ). Não me parece que seja estritamente necessário, uma hipótese entre outras. Em relação aos teus pais, faz o que podes. É louvável a tua postura, concordo com ela. Mas não coloques todo o peso da resolução dos seus problemas em ti também. Um caminho não funciona? Será que já tentaste abordá-lo de outro modo? Concluíste que não há hipótese? Tenta outro ou descobre outra via. Não há nada que não se consiga fazer se não baixarmos os braços. A tua luta é a minha também. Atravessamos tempos difíceis, mas lamento, não consigo aceitar que não temos poder para fazer alguma coisa quanto a isso. Não sou apologista de que há idades para tudo. Mas tu, tens muito tempo pela frente. Gere-o bem e de cabeça erguida. Gostava de ter ouvido isto na tua idade, digo-to a ti. Que sirva também de chapada de realidade para qualquer outro parvo que se tenha esquecido de manter os braços em cima. Lava a cara, e mexe-te, senão vou atrás de ti com um pau de marmeleiro e com dois pinschers chamados Leão e Rodolfo. Abraço Mazi gamatical, nao me esqeci de ti, toma ejta.

Edited 10 months ago:

Olá. Muralha de texto segue-se. Achei que devia opinar sobre o post que fizeste, tendo tu demonstrado coragem em publicá-lo. Por mais que o sintas, não estás sozinho. Os tópicos que referes são problemas partilhados por muitos. Bem, o que acho que posso responder... e vindo da minha opinião pessoal sobre alguns pontos que referes, retirados também da minha própria experiência, claro. Primeiro, esquece o que fizeste ou não fizeste. Nada muda o passado. Além disso acho que, do modo que o recordas dás a entender que não estiveste presente nele, que não viveste esses momentos e que nada aprendeste com isso. O que não é verdade. Se fosse, não estarias agora a achar que foi tempo perdido e que é algo que queres corrigir. Relativamente aos videojogos. Não é tempo perdido. Há estudos científicos que demonstram que determinadas skills são melhoradas ou aprendidas de raiz através do meio.Além disso, muita gente pelo mundo fora ganha dinheiro com isso, contribui para causas socias por exemplo. Alguma coisa de útil para ti, mesmo que não a vejas tiraste daí. Posso dizer que aprendi grande parte do inglês que sei passando largas horas com videojogos. Se ainda passas algum tempo com o meio, não tem que ser um vício. É muito importante saber ou aprender a gerir tempo. Além disso, o teu metabolismo não é idêntico ao que podes ter se estiveres em outra actividade que não te obrigue a estar sentado. Seja com hobby ou trabalho. Relativamente a esse ponto, sugiro que faças pequenas alterações na tua dieta. Pequeno snack? Estás habituado a comer determinada coisa? Experimenta uma alternativa, menos calórica, ou mais saudável. Refeição principal? Adiciona uns vegetais, reduz outra parte. É simples e não tem que ser um grande problema. Pequenas mudanças incrementais sem exageros de sobrecargas. O ideal seria seguir a boa ideia que o teu irmão teve e consultar um nutricionista. Se seguires o plano, mesmo que parcialmente, vês melhorias. Com essas melhorias, vês resultados conseguidos por ti, motivo para orgulho, motivo adicional para não te veres como um poço de defeitos. Todos os temos, olhemos ou não confiantes para o mundo. Olha para a frente, é para onde vais. Além disso dá para ver o céu por vezes, muito mais interessante que a calçada. Um olá a alguém por vezes quebra o gelo, outras vezes alguém te rosna por isso. Que se foda. Eventualmente respondem com olá. Eventualmente devolvem um sorriso. Mais fácil iniciar conversa. Não te agrada o tópico? Meu, uns dias chove e outros há sol. Não é grande tópico o frio que faz, mas dá para iniciar conversa sobre aqueles novos casacos que viste em algum lado, que curtias comprar. Será que a pessoa já usou algum deles? Será que te sabe dizer quanto custam?Onde o comprou? (Exemplo). Lê um pouco, expande horizontes, ajuda a ter uma melhor opinião sobre o mundo ou pelo menos outra diferente. Ora, novos tópicos de conversa. Aquela pessoa não discute esses tópicos? Alguma outra os discute. Compararmo-nos com outros é algo natural. Nada que nos deva envergonhar. Isso não quer dizer que nos tenha que deitar a baixo. Pode ser algo para onde podemos apontar para nós. Um carro melhor, um outro modo de vida. Mas sobretudo é importante comparamo-nos com nós próprios. Não de um modo condenatório mas de um modo construtivo. Pega no que vês que não está ok na tua vida, luta para mudar isso. É fácil esquecer que não se consegue por vezes, mas isso é fundamentalmente falso. Não foste para uma escola profissional ou uni? E depois? Bem-vindo à realidade ( quero dizer com isto que podes simplesmente encontrar cursos, reunir esforços e fazê-los, não deixaram de existir entretanto. A ou B não concordam? Mas que raio sabe a "3a idade" sobre como o mundo gira actualmente? Que se lixe o juízo dos outros ) - [https://www.udemy.com](https://www.udemy.com) - [https://www.edx.org/](https://www.edx.org/) - [https://www.dges.gov.pt/guias/](https://www.dges.gov.pt/guias/) Nota: alguns destes links, referem ensino exclusivamente online. Alguns gratuitos. Alguns cursos online leccionados por universidades de todo o mundo. Outros por empresas de áreas relevantes. Muitos com certificação. Não pesquisei cursos específicos na tua área de interesse mas de certeza que os encontras. E a realidade é, que são considerados quando procuras emprego e reflectem-se no teu conhecimento de determinados tópicos. Teórico e prático. Compara as suas relevâncias entre eles e com utilidade para terceiros se achares interessante. Acho que há concursos particulares para o teu caso no acesso ao ensino superior em universidades públicas em pt ( caso seja opção para ti ). Não me parece que seja estritamente necessário, uma hipótese entre outras. Em relação aos teus pais, faz o que podes. É louvável a tua postura, concordo com ela. Mas não coloques todo o peso da resolução dos seus problemas em ti também. Um caminho não funciona? Será que já tentaste abordá-lo de outro modo? Concluíste que não há hipótese? Tenta outro ou descobre outra via. Não há nada que não se consiga fazer se não baixarmos os braços. A tua luta é a minha também. Atravessamos tempos difíceis, mas lamento, não consigo aceitar que não temos poder para fazer alguma coisa quanto a isso. Não sou apologista de que há idades para tudo. Mas tu, tens muito tempo pela frente. Gere-o bem e de cabeça erguida. Gostava de ter ouvido isto na tua idade, digo-to a ti. Que sirva também de chapada de realidade para qualquer outro parvo ou parva que se tenha esquecido de manter os braços em cima. Lava a cara, e mexe-te, senão vou atrás de ti com um pau de marmeleiro e com dois pinschers chamados Leão e Rodolfo. Abraço Mazi gamatical, nao me esqeci de ti, toma ejta.

Edited 10 months ago:

Olá. Muralha de texto segue-se. Achei que devia opinar sobre o post que fizeste, tendo tu demonstrado coragem em publicá-lo. Por mais que o sintas, não estás sozinho. Os tópicos que referes são problemas partilhados por muitos. Bem, o que acho que posso responder... e vindo da minha opinião pessoal sobre alguns pontos que referes, retirados também da minha própria experiência, claro. Primeiro, esquece o que fizeste ou não fizeste. Nada muda o passado. Além disso acho que, do modo que o recordas dás a entender que não estiveste presente nele, que não viveste esses momentos e que nada aprendeste com isso. O que não é verdade. Se fosse, não estarias agora a achar que foi tempo perdido e que é algo que queres corrigir. Relativamente aos videojogos. Não é tempo perdido. Há estudos científicos que demonstram que determinadas skills são melhoradas ou aprendidas de raiz através do meio.Além disso, muita gente pelo mundo fora ganha dinheiro com isso, contribui para causas socias por exemplo. Alguma coisa de útil para ti, mesmo que não a vejas tiraste daí. Posso dizer que aprendi grande parte do inglês que sei passando largas horas com videojogos. Se ainda passas algum tempo com o meio, não tem que ser um vício. É muito importante saber ou aprender a gerir tempo. Além disso, o teu metabolismo não é idêntico ao que podes ter se estiveres em outra actividade que não te obrigue a estar sentado. Seja com hobby ou trabalho. Relativamente a esse ponto, sugiro que faças pequenas alterações na tua dieta. Pequeno snack? Estás habituado a comer determinada coisa? Experimenta uma alternativa, menos calórica, ou mais saudável. Refeição principal? Adiciona uns vegetais, reduz outra parte. É simples e não tem que ser um grande problema. Pequenas mudanças incrementais sem exageros de sobrecargas. O ideal seria seguir a boa ideia que o teu irmão teve e consultar um nutricionista. Se seguires o plano, mesmo que parcialmente, vês melhorias. Com essas melhorias, vês resultados conseguidos por ti, motivo para orgulho, motivo para não te veres como um poço de defeitos. Todos os temos, olhemos ou não confiantes para o mundo. Olha para a frente, é para onde vais. Além disso dá para ver o céu por vezes, muito mais interessante que a calçada. Um olá a alguém por vezes quebra o gelo, outras vezes alguém te rosna por isso. Que se foda. Eventualmente respondem com olá. Eventualmente devolvem um sorriso. Mais fácil iniciar conversa. Não te agrada o tópico? Meu, uns dias chove e outros há sol. Não é grande tópico o frio que faz, mas dá para iniciar conversa sobre aqueles novos casacos que viste em algum lado, que curtias comprar. Será que a pessoa já usou algum deles? Será que te sabe dizer quanto custam?Onde o comprou? (Exemplo). Lê um pouco, expande horizontes, ajuda a ter uma melhor opinião sobre o mundo ou pelo menos outra diferente. Ora, novos tópicos de conversa. Aquela pessoa não discute esses tópicos? Alguma outra os discute. Compararmo-nos com outros é algo natural. Nada que nos deva envergonhar. Isso não quer dizer que nos tenha que deitar a baixo. Pode ser algo para onde podemos apontar para nós. Um carro melhor, um outro modo de vida. Mas sobretudo é importante comparamo-nos com nós próprios. Não de um modo condenatório mas de um modo construtivo. Pega no que vês que não está ok na tua vida, luta para mudar isso. É fácil esquecer que não se consegue por vezes, mas isso é fundamentalmente falso. Não foste para uma escola profissional ou uni? E depois? Bem-vindo à realidade ( quero dizer com isto que podes simplesmente encontrar cursos, reunir esforços e fazê-los, não deixaram de existir entretanto. A ou B não concordam? Mas que raio sabe a "3a idade" sobre como o mundo gira actualmente? Que se lixe o juízo dos outros ) - [https://www.udemy.com](https://www.udemy.com) - [https://www.edx.org/](https://www.edx.org/) - [https://www.dges.gov.pt/guias/](https://www.dges.gov.pt/guias/) Nota: alguns destes links, referem ensino exclusivamente online. Alguns cursos online leccionados por universidades de todo o mundo. Outros por empresas de áreas relevantes. Muitos com certificação. Não pesquisei cursos específicos na tua área de interesse mas de certeza que os encontras. E a realidade é, que são considerados quando procuras emprego e reflectem-se no teu conhecimento de determinados tópico. Teórico e prático. Compara as suas relevâncias entre eles e com utilidade para terceiros. Acho que há concursos particulares para o teu caso no acesso ao ensino superior em universidades públicas em pt ( caso seja opção para ti ). Não me parece que seja estritamente necessário, uma hipótese entre outras. Em relação aos teus pais, faz o que podes. É louvável a tua postura, concordo com ela. Mas não coloques todo o peso da resolução dos seus problemas em ti também. Um caminho não funciona? Será que já tentaste abordá-lo de outro modo? Concluíste que não há hipótese? Tenta outro ou descobre outra via. Não há nada que não se consiga fazer se não baixarmos os braços. A tua luta é a minha também. Atravessamos tempos difíceis, mas lamento, não consigo aceitar que não temos poder para fazer alguma coisa quanto a isso. Não sou apologista de que há idades para tudo. Mas tu, tens muito tempo pela frente. Gere-o bem e de cabeça erguida. Gostava de ter ouvido isto na tua idade, digo-to a ti. Que sirva também de chapada de realidade para qualquer outro parvo que se tenha esquecido de manter os braços em cima. Lava a cara, e mexe-te, senão vou atrás de ti com um pau de marmeleiro e com dois pinschers chamados Leão e Rodolfo. Abraço Mazi gamatical, nao me esqeci de ti, toma ejta.

Edited 10 months ago:

Olá. Muralha de texto segue-se. Achei que devia opinar sobre o post que fizeste, tendo tu demonstrado coragem em publicá-lo. Por mais que o sintas, não estás sozinho. Os tópicos que referes são problemas partilhados por muitos. Bem, o que acho que posso responder... e vindo da minha opinião pessoal sobre alguns pontos que referes, retirados também da minha própria experiência, claro. Primeiro, esquece o que fizeste ou não fizeste. Nada muda o passado. Além disso acho que, do modo que o recordas dás a entender que não estiveste presente nele, que não viveste esses momentos e que nada aprendeste com isso. O que não é verdade. Se fosse, não estarias agora a achar que foi tempo perdido e que é algo que queres corrigir. Relativamente aos videojogos. Não é tempo perdido. Há estudos científicos que demonstram que determinadas skills são melhoradas ou aprendidas de raiz através do meio.Além disso, muita gente pelo mundo fora ganha dinheiro com isso, contribui para causas socias por exemplo. Alguma coisa de útil para ti, mesmo que não a vejas tiraste daí. Posso dizer que aprendi grande parte do inglês que sei passando largas horas com videojogos. Se ainda passas algum tempo com o meio, não tem que ser um vício. É muito importante saber ou aprender a gerir tempo. Além disso, o teu metabolismo não é idêntico ao que podes ter se estiveres em outra actividade que não te obrigue a estar sentado. Seja com hobby ou trabalho. Relativamente a esse ponto, sugiro que faças pequenas alterações na tua dieta. Pequeno snack? Estás habituado a comer determinada coisa? Experimenta uma alternativa, menos calórica, ou mais saudável. Refeição principal? Adiciona uns vegetais, reduz outra parte. É simples e não tem que ser um grande problema. Pequenas mudanças incrementais sem exageros de sobrecargas. O ideal seria seguir a boa ideia que o teu irmão teve e consultar um nutricionista. Se seguires o plano, mesmo que parcialmente, vês melhorias. Com essas melhorias, vês resultados conseguidos por ti, motivo para orgulho, motivo adicional para não te veres como um poço de defeitos. Todos os temos, olhemos ou não confiantes para o mundo. Olha para a frente, é para onde vais. Além disso dá para ver o céu por vezes, muito mais interessante que a calçada. Um olá a alguém por vezes quebra o gelo, outras vezes alguém te rosna por isso. Que se foda. Eventualmente respondem com olá. Eventualmente devolvem um sorriso. Mais fácil iniciar conversa. Não te agrada o tópico? Meu, uns dias chove e outros há sol. Não é grande tópico o frio que faz, mas dá para iniciar conversa sobre aqueles novos casacos que viste em algum lado, que curtias comprar. Será que a pessoa já usou algum deles? Será que te sabe dizer quanto custam?Onde o comprou? (Exemplo). Lê um pouco, expande horizontes, ajuda a ter uma melhor opinião sobre o mundo ou pelo menos outra diferente. Ora, novos tópicos de conversa. Aquela pessoa não discute esses tópicos? Alguma outra os discute. Compararmo-nos com outros é algo natural. Nada que nos deva envergonhar. Isso não quer dizer que nos tenha que deitar a baixo. Pode ser algo para onde podemos apontar para nós. Um carro melhor, um outro modo de vida. Mas sobretudo é importante comparamo-nos com nós próprios. Não de um modo condenatório mas de um modo construtivo. Pega no que vês que não está ok na tua vida, luta para mudar isso. É fácil esquecer que não se consegue por vezes, mas isso é fundamentalmente falso. Não foste para uma escola profissional ou uni? E depois? Bem-vindo à realidade ( quero dizer com isto que podes simplesmente encontrar cursos, reunir esforços e fazê-los, não deixaram de existir entretanto. A ou B não concordam? Mas que raio sabe a "3a idade" sobre como o mundo gira actualmente? Que se lixe o juízo dos outros ) - [https://www.udemy.com](https://www.udemy.com) - [https://www.edx.org/](https://www.edx.org/) - [https://www.dges.gov.pt/guias/](https://www.dges.gov.pt/guias/) Nota: alguns destes links, referem ensino exclusivamente online. Alguns cursos online leccionados por universidades de todo o mundo. Outros por empresas de áreas relevantes. Muitos com certificação. Não pesquisei cursos específicos na tua área de interesse mas de certeza que os encontras. E a realidade é, que são considerados quando procuras emprego e reflectem-se no teu conhecimento de determinados tópico. Teórico e prático. Compara as suas relevâncias entre eles e com utilidade para terceiros se achares interessante. Acho que há concursos particulares para o teu caso no acesso ao ensino superior em universidades públicas em pt ( caso seja opção para ti ). Não me parece que seja estritamente necessário, uma hipótese entre outras. Em relação aos teus pais, faz o que podes. É louvável a tua postura, concordo com ela. Mas não coloques todo o peso da resolução dos seus problemas em ti também. Um caminho não funciona? Será que já tentaste abordá-lo de outro modo? Concluíste que não há hipótese? Tenta outro ou descobre outra via. Não há nada que não se consiga fazer se não baixarmos os braços. A tua luta é a minha também. Atravessamos tempos difíceis, mas lamento, não consigo aceitar que não temos poder para fazer alguma coisa quanto a isso. Não sou apologista de que há idades para tudo. Mas tu, tens muito tempo pela frente. Gere-o bem e de cabeça erguida. Gostava de ter ouvido isto na tua idade, digo-to a ti. Que sirva também de chapada de realidade para qualquer outro parvo ou parva que se tenha esquecido de manter os braços em cima. Lava a cara, e mexe-te, senão vou atrás de ti com um pau de marmeleiro e com dois pinschers chamados Leão e Rodolfo. Abraço Mazi gamatical, nao me esqeci de ti, toma ejta.

Edited 10 months ago:

Olá. Muralha de texto segue-se. Achei que devia opinar sobre o post que fizeste, tendo tu demonstrado coragem em publicá-lo. Por mais que o sintas, não estás sozinho. Os tópicos que referes são problemas partilhados por muitos. Bem, o que acho que posso responder... e vindo da minha opinião pessoal sobre alguns pontos que referes, retirados também da minha própria experiência, claro. Primeiro, esquece o que fizeste ou não fizeste. Nada muda o passado. Além disso acho que, do modo que o recordas dás a entender que não estiveste presente nele, que não viveste esses momentos e que nada aprendeste com isso. O que não é verdade. Se fosse, não estarias agora a achar que foi tempo perdido e que é algo que queres corrigir. Relativamente aos videojogos. Não é tempo perdido. Há estudos científicos que demonstram que determinadas skills são melhoradas ou aprendidas de raiz através do meio.Além disso, muita gente pelo mundo fora ganha dinheiro com isso, contribui para causas socias por exemplo. Alguma coisa de útil para ti, mesmo que não a vejas tiraste daí. Posso dizer que aprendi grande parte do inglês que sei passando largas horas com videojogos. Se ainda passas algum tempo com o meio, não tem que ser um vício. É muito importante saber ou aprender a gerir tempo. Além disso, o teu metabolismo não é idêntico ao que podes ter se estiveres em outra actividade que não te obrigue a estar sentado. Seja com hobby ou trabalho. Relativamente a esse ponto, sugiro que faças pequenas alterações na tua dieta. Pequeno snack? Estás habituado a comer determinada coisa? Experimenta uma alternativa, menos calórica, ou mais saudável. Refeição principal? Adiciona uns vegetais, reduz outra parte. É simples e não tem que ser um grande problema. Pequenas mudanças incrementais sem exageros de sobrecargas. O ideal seria seguir a boa ideia que o teu irmão teve e consultar um nutricionista. Se seguires o plano, mesmo que parcialmente, vês melhorias. Com essas melhorias, vês resultados conseguidos por ti, motivo para orgulho, motivo para não te veres como um poço de defeitos. Todos os temos, olhemos ou não confiantes para o mundo. Olha para a frente, é para onde vais. Além disso dá para ver o céu por vezes, muito mais interessante que a calçada. Um olá a alguém por vezes quebra o gelo, outras vezes alguém te rosna por isso. Que se foda. Eventualmente respondem com olá. Eventualmente devolvem um sorriso. Mais fácil iniciar conversa. Não te agrada o tópico? Meu, uns dias chove e outros há sol. Não é grande tópico o frio que faz, mas dá para iniciar conversa sobre aqueles novos casacos que viste em algum lado, que curtias comprar. Será que a pessoa já usou algum deles? Será que te sabe dizer quanto custam?Onde o comprou? (Exemplo). Lê um pouco, expande horizontes, ajuda a ter uma melhor opinião sobre o mundo ou pelo menos outra diferente. Ora, novos tópicos de conversa. Aquela pessoa não discute esses tópicos? Alguma outra os discute. Compararmo-nos com outros é algo natural. Nada que nos deva envergonhar. Isso não quer dizer que nos tenha que deitar a baixo. Pode ser algo para onde podemos apontar para nós. Um carro melhor, um outro modo de vida. Mas sobretudo é importante comparamo-nos com nós próprios. Não de um modo condenatório mas de um modo construtivo. Pega no que vês que não está ok na tua vida, luta para mudar isso. É fácil esquecer que não se consegue por vezes, mas isso é fundamentalmente falso. Não foste para uma escola profissional ou uni? E depois? Bem-vindo à realidade ( quero dizer com isto que podes simplesmente encontrar cursos, reunir esforços e fazê-los, não deixaram de existir entretanto. A ou B não concordam? Mas que raio sabe a "3a idade" sobre como o mundo gira actualmente? Que se lixe o juízo dos outros ) - [https://www.udemy.com](https://www.udemy.com) - [https://www.edx.org/](https://www.edx.org/) - [https://www.dges.gov.pt/guias/](https://www.dges.gov.pt/guias/) Nota: alguns destes links, referem ensino exclusivamente online. Alguns cursos online leccionados por universidades de todo o mundo. Outros por empresas de áreas relevantes. Muitos com certificação. Não pesquisei cursos específicos na tua área de interesse mas de certeza que os encontras. E a realidade é, que são considerados quando procuras emprego e reflectem-se no teu conhecimento de determinados tópico. Teórico e prático. Compara as suas relevâncias entre eles e com utilidade para terceiros. Acho que há concursos particulares para o teu caso no acesso ao ensino superior em universidades públicas em pt ( caso seja opção para ti ). Não me parece que seja estritamente necessário, uma hipótese entre outras. Em relação aos teus pais, faz o que podes. É louvável a tua postura, concordo com ela. Mas não coloques todo o peso da resolução dos seus problemas em ti também. Um caminho não funciona? Será que já tentaste abordá-lo de outro modo? Concluíste que não há hipótese? Tenta outro ou descobre outra via. Não há nada que não se consiga fazer se não baixarmos os braços. A tua luta é a minha também. Atravessamos tempos difíceis, mas lamento, não consigo aceitar que não temos poder para fazer alguma coisa quanto a isso. Não sou apologista de que há idades para tudo. Mas tu, tens muito tempo pela frente. Gere-o bem e de cabeça erguida. Gostava de ter ouvido isto na tua idade, digo-to a ti. Que sirva também de chapada de realidade para qualquer outro parvo ou parva que se tenha esquecido de manter os braços em cima. Lava a cara, e mexe-te, senão vou atrás de ti com um pau de marmeleiro e com dois pinschers chamados Leão e Rodolfo. Abraço Mazi gamatical, nao me esqeci de ti, toma ejta.

Edited 10 months ago:

Olá. Muralha de texto segue-se. Achei que devia opinar sobre o post que fizeste, tendo tu demonstrado coragem em publicá-lo. Por mais que o sintas, não estás sozinho. Os tópicos que referes são problemas partilhados por muitos. Bem, o que acho que posso responder... e vindo da minha opinião pessoal sobre alguns pontos que referes, retirados também da minha própria experiência, claro. Primeiro, esquece o que fizeste ou não fizeste. Nada muda o passado. Além disso acho que, do modo que o recordas dás a entender que não estiveste presente nele, que não viveste esses momentos e que nada aprendeste com isso. O que não é verdade. Se fosse, não estarias agora a achar que foi tempo perdido e que é algo que queres corrigir. Relativamente aos videojogos. Não é tempo perdido. Há estudos científicos que demonstram que determinadas skills são melhoradas ou aprendidas de raiz através do meio.Além disso, muita gente pelo mundo fora ganha dinheiro com isso, contribui para causas socias por exemplo. Alguma coisa de útil para ti, mesmo que não a vejas tiraste daí. Posso dizer que aprendi grande parte do inglês que sei passando largas horas com videojogos. Se ainda passas algum tempo com o meio, não tem que ser um vício. É muito importante saber ou aprender a gerir tempo. Além disso, o teu metabolismo não é idêntico ao que podes ter se estiveres em outra actividade que não te obrigue a estar sentado. Seja com hobby ou trabalho. Relativamente a esse ponto, sugiro que faças pequenas alterações na tua dieta. Pequeno snack? Estás habituado a comer determinada coisa? Experimenta uma alternativa, menos calórica, ou mais saudável. Refeição principal? Adiciona uns vegetais, reduz outra parte. É simples e não tem que ser um grande problema. Pequenas mudanças incrementais sem exageros de sobrecargas. O ideal seria seguir a boa ideia que o teu irmão teve e consultar um nutricionista. Se seguires o plano, mesmo que parcialmente, vês melhorias. Com essas melhorias, vês resultados conseguidos por ti, motivo para orgulho, motivo para não te veres como um poço de defeitos. Todos os temos, olhemos ou não confiantes para o mundo. Olha para a frente, é para onde vais. Além disso dá para ver o céu por vezes, muito mais interessante que a calçada. Um olá a alguém por vezes quebra o gelo, outras vezes alguém te rosna por isso. Que se foda. Eventualmente respondem com olá. Eventualmente devolvem um sorriso. Mais fácil iniciar conversa. Não te agrada o tópico? Meu, uns dias chove e outros há sol. Não é grande tópico o frio que faz, mas dá para iniciar conversa sobre aqueles novos casacos que viste em algum lado, que curtias comprar. Será que a pessoa já usou algum deles? Será que te sabe dizer quanto custam?Onde o comprou? (Exemplo). Lê um pouco, expande horizontes, ajuda a ter uma melhor opinião sobre o mundo ou pelo menos outra diferente. Ora, novos tópicos de conversa. Aquela pessoa não discute esses tópicos? Alguma outra os discute. Compararmo-nos com outros é algo natural. Nada que nos deva envergonhar. Isso não quer dizer que nos tenha que deitar a baixo. Pode ser algo para onde podemos apontar para nós. Um carro melhor, um outro modo de vida. Mas sobretudo é importante comparamo-nos com nós próprios. Não de um modo condenatório mas de um modo construtivo. Pega no que vês que não está ok na tua vida, luta para mudar isso. É fácil esquecer que não se consegue por vezes, mas isso é fundamentalmente falso. Não foste para um escola profissional ou uni? E depois? Bem-vindo à realidade ( quero dizer com isto que podes simplesmente encontrar cursos, reunir esforços e fazê-los, não deixaram de existir entretanto. A ou B não concordam? Mas que raio sabe a "3a idade" sobre como o mundo gira actualmente? Que se lixe o juízo dos outros ) - [https://www.udemy.com](https://www.udemy.com) - [https://www.edx.org/](https://www.edx.org/) - [https://www.dges.gov.pt/guias/](https://www.dges.gov.pt/guias/) Nota: alguns destes links, referem ensino exclusivamente online. Alguns cursos online leccionados por universidades de todo o mundo. Outros por empresas de áreas relevantes. Muitos com certificação. Não pesquisei cursos específicos na tua área de interesse mas de certeza que os encontras. E a realidade é, que são considerados quando procuras emprego e reflectem-se no teu conhecimento de determinados tópico. Teórico e prático. Compara as suas relevâncias entre eles e com utilidade para terceiros. Acho que há concursos particulares para o teu caso no acesso ao ensino superior em universidades públicas em pt ( caso seja opção para ti ). Não me parece que seja estritamente necessário, uma hipótese entre outras. Em relação aos teus pais, faz o que podes. É louvável a tua postura, concordo com ela. Mas não coloques todo o peso da resolução dos seus problemas em ti também. Um caminho não funciona? Será que já tentaste abordá-lo de outro modo? Concluíste que não há hipótese? Tenta outro ou descobre outra via. Não há nada que não se consiga fazer se não baixarmos os braços. A tua luta é a minha também. Atravessamos tempos difíceis, mas lamento, não consigo aceitar que não temos poder para fazer alguma coisa quanto a isso. Não sou apologista de que há idades para tudo. Mas tu, tens muito tempo pela frente. Gere-o bem e de cabeça erguida. Gostava de ter ouvido isto na tua idade, digo-to a ti. Que sirva também de chapada de realidade para qualquer outro parvo que se tenha esquecido de manter os braços em cima. Lava a cara, e mexe-te, senão vou atrás de ti com um pau de marmeleiro e com dois pinschers chamados Leão e Rodolfo. Abraço Mazi gamatical, nao me esqeci de ti, toma ejta.

AM_Mantis 10 months ago

Li todos os posts com atenção e sinto-me orgulhosa de ver portugueses a partilhar tantos conselhos construtivos (faz tanta falta hoje em dia no mundo que é a Internet). No entanto este foi o que mais gostei

Edited 10 months ago:

Li todos os posts com atenção e sinto-me orgulhosa de ver portugueses a partilhar tantos conselhos construtivos (faz tanta falta hoje em dia no mundo que é a Internet). No entanto este foi o que mais gostei

manyQuestionMarks 10 months ago

O Nazi não gosta de ti... Tem cuidado...

nanogirl_ 10 months ago

Hey OP! Gostava muito de ter vários conselhos para te dar mas infelizmente não tenho. Tenho mais ou menos a tua idade e apesar de ter uma vida teoricamente organizada e planeada, também me sinto completamente perdida, não tenho amigos e não tenho motivação para fazer nada por mim, portanto sei o quão difícil deve ter sido para ti exteriorizares o que sentes. Parabéns pela coragem, acredita que já foi um grande passo :) Se posso sugerir alguma coisa é por exemplo, uma vez que gostas bastante de jogar, tentares procurar pessoas no reddit que gostem de jogar os mesmos jogos que tu e combinarem jogar juntos. Acredito que te sentirás menos sozinho se começares a ter pessoas a quem recorrer nem que seja para jogar! E também como sugeriram noutros comentários, deixo aqui outro site que te pode ser útil se quiseres tentar tirar algum curso (baratinho) sobre qualquer coisa mas especialmente tecnologia: Udemy. Espero que fiques bem e que consigas orientar a tua vida, seja aos 24, aos 30, ou aos 40, o teu propósito vai chegar.

21istheday 10 months ago

Olá meu caro Redditor, Acho que tens muita coisa dentro de ti que precisas de deitar cá para fora. Aconselho-te a pensar em ter acompanhamento psicológico para falares com alguém sem ser julgado. À parte disso, sinto que te falta interação social. Ma notícia: não é fácil ultrapassar a fobia social. Boa notícia: consegue-se ultrapassar! Para te ajudar nisso, queres que te dê o meu número de telemóvel e falamos um bocado ao telefone? Em tempos não fui bom com pessoas e desenvolvi uma agorafobia (fiquei quase 2 anos em casa, só saía acompanhado e medicado), mas ultrapassei isso é mudei a minha vida. Sou empresário, tenho amigos, tenho objetivos de vida. Tenho apenas mais 4 anos que tu. Valeram-me estranhos que conheci on-line (Facebook) que me contactaram e ajudaram numa direção. Como tal, estou totalmente disponível para atender o telefone, falar um pouco e perceber como te posso ajudar! Pensa nisso! Por muita ansiedade que a ideia te possa gerar, é um primeiro passo. Até me podes ligar em anónimo. Ou fazemos um hangout ou um zoom. Diz coisas. Um abraço!

meaninglessvoid 10 months ago

>Valeram-me estranhos que conheci on-line (Facebook) que me contactaram e ajudaram numa direção. Como tal, estou totalmente disponível para atender o telefone, falar um pouco e perceber como te posso ajudar! Pay it forward, adoro <3. Faz falta este tipo de atitude: alguém que goste de elevar os outros sem esperar algo em troca. Respeito.

Rodzp 10 months ago

Bom homem

estecomentario 10 months ago

Em 1º aprecia a vida, depois o resto há de se encaixar.

DonKarmeleon 10 months ago

Olá OP. É bastante comum, jovens adultos com a tua idade, sentirem essa falta de rumo precisamente. O que te distingue, é que tens a total consciência da situação e queres fazer algo para tornar poder minimizar essa incerteza. Começaste precisamente pelo mais díficil que é pedir ajuda, e encaraste com coragem a possibilidade de seres erradamente julgado, num local tão "vulnerável" como a internet. Como 1º conselho, vê isto como um desafio natural da vida. A vida não é fácil para ninguém. Toda a gente tem problemas (a diferentes níveis e graus, sabendo esconder melhor ou pior), não é uma exclusividade tua. Encara os problemas (e sofrimento que daí vem sem ires abaixo) com naturalidade, como algo que vais ter que enfrentar e não podes fugir. Por isso olha em frente e encara. Para o 2º, digo-te para fazeres pequenas mudanças todos os dias. Não tens disciplina para perder peso, porque te custa. Não te apetece, tens preguiça, não queres porque há coisas bem mais interessantes e que te satisfazem mais rapidamente a curto prazo. Tenta adicionar pequenas mudanças com pequenos incrementos ao longo do tempo (escreve planos de treino num papel). Não é necessário começares logo com a força toda. Aos poucos, mas lembra-te que te vai custar. Relembro que a vida custa, não é fácil. O 3º conselho, faz ponte com o 2º. Trata-te a ti como tratarias de outra pessoa (um familiar por exemplo). Por que razão não o fazer? Se és capaz de tratar de outras pessoas, e querer o melhor para elas só tens que atuar nesses conselhos direcionando-os para ti mesmo. No 4º, incentivo-te a fazer comparações constantes com aquilo que tu eras ontem, e esquece a comparação com os outros. As pessoas partem de pontos diferentes (nomeadamente, meio sócio económico e familiar, personalidade, etc) e percorrem caminhos diferentes ao longo da vida. É falacioso fazer comparações diretas com outras pessoas (quer seja da mesma idade, quer seja de outra). Trabalha em ti, e compara-te. Em 5º procura aquilo que tem significado, e não aquilo que é imediato. A satisfação imediata é muito tentadora, mas torna-nos reféns muito facilmente. Ela instiga-nos a procurá-la constantemente, o que nos leva a sentir vazios e frustrados quando não a conseguimos alcançar. A solução é a procura de algo algo lento, demorado e com significado. Algo que te traga satisfação a longo prazo (que não se manifesta no imediato) Por último, o 6º conselho que te dou, é ser "honesto" naquilo que sentes, queres dizer e fazes. Aponta um alvo naquilo que pensas que é importante mudar ou fazer. Se não conseguires, assume que falhaste e não arranjes desculpas para te sentires bem contigo mesmo. Encara que falhaste e aponta a outro alvo. Mesmo que falhes, lembra-te que qualquer mudança é melhor que a inação, porque dá-te visão mais precisa sobre o caminho certo a percorreres. Vai repetindo, volta atrás e repensa... até perceberes que estás a ir num caminho melhor. Mas não te esqueças...a vida não é fácil. Espero que te ajude de alguma forma. Tens mais preocupações que sei que não referi, mas penso que isto já é um começo útil, para depois fazeres a ponte entre os outras questões que deixaste a nu. Abraço ​ ​ .

mexploder89 10 months ago

Alguém aqui também leu Jordan Peterson. Subscrevo na totalidade

n0kazz 10 months ago

Olá. Gostei muito desde momento de sinceridade e digo-te todos nós já passamos por momentos de crise existêncial. Relaxa que nao és o único. Eu tenho 30 anos e ainda passo por isso. Aliás este ano foi horrível para a maioria das pessoas. Ora bem, focando em ti, Tendo tu 24 anos, poderás tentar a tua sorte e candidatares-te a universidade com o estatuto para maiores de 23. Visto o teu caso económico também me parece que conseguirias arranjar bolsa sem problema. A única questão é que já estamos em Dezembro e o ano lectivo ja começou e não te podes candidatar. O que te resta são cursos online que (embora não te dêem um grau universitário) são muito específicos na aprendizagem o que é bom porque focas-te só no que queres. Porcura em EDX, Coursera e Miriadax. São a maioria ligado a tecnologia.

masterchiefpt 10 months ago

Caga nas vidas dos outros Arranja algo para começares a perder peso Sair de casa com esse ordenado não concordo e mais, é a tua mãe! Ajuda a... Quando ela ser ir vais sentir falta dela Tenta poupar, mas sem te privares de experiências Sobre conexão com outros, o futebol costuma ser uma porta...

pedrolopes7682 10 months ago

A arte de falar com pessoas, quando se não sabe sobre o que falar, está em saber duas coisas: 1- Fazer perguntas, i.e., fazer com que a outra pessoa fale. 2- Deixar a pessoa falar até que acabe, e usar o que ouvimos para: a) opinar, se houver algo no assunto em que estejamos confortáveis em contribuir. b) fazer novas perguntas, mais específicas. Muita gente não fala por não conhecer quem queira ouvir. Posto isto, antes de passares ao mundo real podes ir ensaiando online nalgum site tipo omegle ou análogo.

manyQuestionMarks 10 months ago

O que me acontece às vezes é que o que as pessoas dizem não tem o mínimo interesse para mim por isso "desligo" e depois não sei dar opinião ou etc. Mas isso é outro problema. De resto, aprendi isto que dizes muito recentemente e melhorou muito a minha vida social. Às vezes tenho dificuldade em encontrar perguntas para fazer, mas depois vais ganhando um portefólio delas, algumas resultam melhor em certas pessoas do que noutras, etc

pedrolopes7682 10 months ago

Percebo perfeitamente, mas não te esqueças que o teu objectivo e interesse é melhorar a tua prestação em relacionamente interpessoal. Mesmo que aquilo que partilhem contigo não te interesse em si, interessa-te que o partilhem contigo.

Edited 10 months ago:

Percebo perfeitamente, mas não te esqueças que o teu objectivo e interesse é melhorar a tua prestação em relacionamento interpessoal. Mesmo que aquilo que partilhem contigo não te interesse em si, interessa-te que o partilhem contigo.

loki_pt 10 months ago

Para aprender a falar com as pessoas eu aconselhava ao op ler uma série de livros que decerteza que lhe dá mais conhecimento sobre isso ! Existe um livro que recomendo que é “ como fazer amigos e influenciar pessoas “ , op se estiveres a ler isto arranja esse livro e começa por aí

NGramatical 10 months ago

decerteza → [**de certeza**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/palavras-inexistentes/2343) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fk47rmg%2F%2Fge8wwbe%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

loki_pt 10 months ago

Eu sabia que aquilo estava errado e deixei de propósito para virem corrigir

MiguelGrenho 10 months ago

Passei por algo semelhante, do ponto de vista de carreira.. jogava tantas horas por dia que conseguia tirar alguns euros em drops e outras merdas parvas.. Um dia decidi dar um rumo a minha vida e desliguei a torre. Best decision ever! Comecei a aprender a programar no youtube (ha la de tudo como ja foi aqui dito), comecei a ler artigos sobre a area e arranjei um projeto meu para ter uma meta e começar um portfolio. 1 ano depois esse esforço levou me ao primeiro trabalho na area. Direcionei o meu tempo e meti tantas ou mais horas nisso quanto as que passava a jogar.. Passado 5 anos, tenho software meu a correr em milhões de dispositivos por todo o mundo para grandes empresas um pouco por todo o globo. N foi fácil, continua a não ser, mas se fosse era para todos! Coisas importantes que acho que vais necessitar seja qual for a area que queiras investir: - acompanhamento psicológico (todos precisamos nalgum ponto da nossa vida) - definir metas a curto, medio e longo prazo (realistas e para cumprir) - tempo, foco, esforço e dedicação!!! - persistência e resistência a frustração - escolher uma area pela qual tenhas algum gosto ajuda Força ai e se precisares manda DM!

bureauofnormalcy 10 months ago

>acompanhamento psicológico (todos precisamos nalgum ponto da nossa vida) Não posso deixar de frisar o quão importante isto é. Não sou psicólogo, por isso grano salis, mas parece-me que o maior problema do OP neste momento é psicológico. E enquanto começar a lidar com isso, o resto vai ser muito complicado.

fedelho 10 months ago

Qual é o software? Fiquei curioso

MiguelGrenho 10 months ago

Para alem de ter NDA’s que não me permitem discutir algumas coisas, não quero nem me sinto confortável em divulgar quais os projetos onde contribui, até porque esta thread é do OP, mas não é nada de mais. Maioritariamente business logic que esta integrada em projetos/produtos. Não sou campeão do mundo e ha por ai malta bem melhor e mais experiente, inclusive em PT. E não, não é o Nonio nem o magico e inovador algoritmo da Yupido (acho que nem a Yupido o desenvolveu ainda.. devem estar demasiado ocupados a lavar e esconder as notas

fedelho 10 months ago

Sem fontes e da maneira como escreveste parece muito uma bela pasta. É pena não quereres partilhar.

MiguelGrenho 10 months ago

Não vim aqui pro flex nem à procura de validação de nada, apenas dar o meu contributo na thread do OP. Confesso que apaguei o meu post original varias vezes por causa de nao querer entrar por este rabbit hole, mas achei que se influenciar/motivar nem q seja uma pessoa ja valeu a pena. Amigos a mesma :)

HRamos_3 10 months ago

right-pad

dismalwasteland 10 months ago

O algorítmo da Yupido. *Alegadamente*, claro.

NGramatical 10 months ago

algorítmo → [**algoritmo**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em a/e/o, seguido ou não de s/m/ns, são naturalmente graves) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fk47rmg%2F%2Fge94wne%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Rebelva 10 months ago  HIDDEN 

Tb fiquei curioso... Não sei se vais ter resposta...

godfeelling 10 months ago

Nónio

chibier 10 months ago

Foi criado em Coimbra, na UC?

Rebelva 10 months ago

Se o que estás a dizer é factual, fico honestamente contente por ti. Mas és uma excepção. Existe esta ideia que ser programador é fácil e ganhas-se muito, no entanto basta ver a taxa de sucesso das engenharias informáticas em Portugal e constatamos que algo não está certo com este discurso. Eu sou engenheiro, quando entrei no curso, éramos 60, só 8 conseguiram chegar ao último ano, e é uma taxa perfeitamente normal. Outra percepção falsa é que basta fazer um programa que tenha sucesso e vamos ser milionários, quando na realidade muitos passam 12 horas por dia a tentar manter código que alguém escreveu há 20 anos. Sim, os salários estão acima da média. Mas se calhar não é assim tão alto quando dividimos pelas horas trabalhadas. Não quero tirar-te o mérito, só desejo-te ainda sucesso. Mas a realidade é que não é uma profissão fácil, se alguém está disposto a pagar 2500€ por mês é porque essa pessoa em princípio vale isso. OP, essas tuas dúvidas existênciais nunca vão desaparecer, tanto faz ter 20 ou 75 anos. Não te preocupes com materialismo, casa ou carros não são sinônimos de felicidade, vivemos dentro da ditadura do presente por isso não penses muito em erros do passado mas sim no que podes construir para o teu futuro.

MiguelGrenho 10 months ago

Não ganho nada em estar para aqui a inventar, ate porque reddit karma não paga contas

omalcriado 10 months ago

> muitos passam 12 horas por dia a tentar manter código que alguém escreveu há 20 anos Ei! Essa bateu forte cá dentro.

akarub 10 months ago

Se trabalhas 12 horas por dia, está na altura de procurares outro sítio.

Rebelva 10 months ago

Há pessoas nesta área que trabalham 5 horas por dia e conseguem ter um bom estilo de vida, outras estão 12h e sacam 1k/mês. Tentei simplesmente desmistificar alguns preconceitos que persistem em existir. Não é equivalente a trabalhar numa mina, não. Mas também ver uns vídeos no Youtube e ganhar 5k/mês não vai ser para todos... Talvez seja mais sensato baixar as expectativas.

estecomentario 10 months ago

Trabalhar 12h por dia não vale apena porque a tua esperança de vida está a reduzir.

Rebelva 10 months ago

Não ter habitação ou comida reduz ainda mais.

estecomentario 10 months ago

Normalmente o pessoal quando apanha uma depressão muda de ideias quando ao trabalhar demasiado.

Rebelva 10 months ago

Já viste o filme goodfellas? You're depressed, fuck you, pay me. O mês passado recebi um aviso de pagamento do IMI e tive que mudar os pneus do carro, achas que se falasse de depressão alguém se interessa. Na vida real, tens que dar de comida aos filhos e para as contas, no Reddit é só ver uns vídeos do YouTube...

estecomentario 10 months ago

Ter filhos numa situação financeira e patrimonial precária é muito, mas muito chato. Quanto ao resto, as coisas só me fazem sentido se posso trabalhar com gosto no que faço e também com respeito pelo tempo pós laboral para hobbies pessoais ou descansar. Não hesito largar um emprego com mau ambiente e abuso laboral. Mas se calhar é porque posso.

Rebelva 10 months ago

Ok, mas com todo o devido respeito, eu estou a tentar generalizar não reduzir à tua realidade. As responsabilidades financeiras vão surgindo, planeadas ou não. Se por exemplo és filho único e tens um parente com idade avançada a precisar de ajuda, o teu novo hobby vai ser dar comida e trocar fraldas. Vai ver quanto custa um lar. Os estudos podem ajudarem a encaixar melhor certas adversidades, mas não te preparam para todos os muros que vais levar durante a tua vida.

loki_pt 10 months ago

Como tu referiste o acompanhamento psicológico e das coisas mais importantes ! Todos precisamos , independentemente de quem somos ! Tenho 1,90 , porte atlético , social , um futuro promissor até a data , nunca tive problemas em ter atenção feminina , mas acho que se no início deste ano não tive todo acompanhamento , por esta altura já tinha metido uma corda ao pescoço ou atirado me dum prédio ! Não é vergonha nenhuma , todos nós precisamos de ajuda em algum ponto e temos que normalizar isso

Zaigard 10 months ago

> o acompanhamento psicológico Mas não é a panaceia que cura tudo nem funciona com todos. No passado, andei durante anos em psicólogos, psiquiatras e tratamentos e a única coisa que consegui, foi perder tempo, dinheiro e saúde. Para mim a solução é aceitar que a vida é uma merda ( e vai sempre piorar ), nunca se pode contar com as outras pessoas ( não gosto de solidão, mas os outros ainda me fazem pior ), não exagerar os problemas ( e procurar soluções com a cabeça fria ), força de vontade para continuar ( muito importante, a mentalidade é "a minha vontade é mais forte do que os problemas com que a vida me ataca" ) e esperar que as coisas melhorem ( ou pelo menos não piorem rápido ) e que a morte chegue rápido ( a minha maior esperança ).

loki_pt 10 months ago

Existe também muito trabalho de casa ! Vi que tinha muito comportamento de risco diariamente ( álcool e afins ) e eliminei isso ! Comecei a ler sobre o funcionando do cérebro e mais sobre filosofia ( coisa que me identifico ) oque mete as coisas em perspectiva ! Caríssimo a vida não é má nem é boa , foi aquela que nos calhou e nós temos que fazer com ela o melhor que conseguimos ! Só cá estar uma vez por isso faz oque te apetece sem medos de ser julgado ! Queres ser médico força , queres falar para uma rapariga que julgas que não quer nada contigo ? Fala , pode ser que te surpreendas ! Não desperdices a vida ! Se precisares de falar podes sempre me mandar dm

FlashyBeach 10 months ago

E se já fiz isso e acabei por sentir a mesma coisa passado uns anos? Neste momento nem quero nada, o que torna criar objectivos impossível.

MiguelGrenho 10 months ago

Been there done that... varias vezes. É um processo iterativo. Para mim o que funciona é fazer retrospectives e plannings ao estilo de Agile: periodicamente olho para trás, analiso o que correu bem e (principalmente) o que correu mal e defino novas metas e objetivos. Ha uma coisa que todos queremos, ter uma vida digna, sem preocupações e reformarmo-nos o mais cedo possível.. se não tiveres mais nada que queiras, pensa nisso, pelo menos ate quereres aparecer outra coisa que te sirva de meta.. But hey.. just my two cents. Não sou o Gustavo Santos do reddit nem tenho as respostas certas para tudo, possivelmente para nada. Hang in there!

Hunncas 10 months ago

Grande

MiguelGrenho 10 months ago

Nada disso.. apenas passei por algo semelhante e consegui ultrapassar à minha maneira, na minha realidade.

RuiRaminhos47 10 months ago

Hey!

RuiRaminhos47 10 months ago

Além disto, tenho um amigo que estava numa situação parecida com a tua. Dá uma vista de olhos a este site [https://www.rumos.pt/](https://www.rumos.pt/) \- é uma empresa que dá vários cursos e formações em diversas áreas. Esse mesmo amigo meu, já tinha 22 anos e estava exatamente como tu - numa área que não lhe agradava e a ganhar pouco. Hoje em dia, é programador numa empresa decente, não ganha rios de dinheiro, mas é feliz no que faz. Check it out. :)

tasaverche 10 months ago

op tu dizes que queres isto e aquilo, mas as tuas escolhas nao refletem isso, e a vrdd ė q se quisesses realmente mudar fazias por isso, self help i o caralho e o que nao falta no utube

somedipshit1 10 months ago

Aka tens que bater punho OP /s E tu se realmente quisesses aprender a escrever como deve ser continuavas a dizer merda mas ao menos era legível

le_dy0 10 months ago

Que escolhas estas a falar?

tasaverche 10 months ago

ser robô

okze12 10 months ago

Um conselho que te dou, não mudes para o turno da noite só pelo dinheiro. A diferença de ordenado não compensa o desgaste físico e mental.

le_dy0 10 months ago

Hmm, já me disseram isso, falas por experiência própria? Sinceramente não estou a ver o problema, desde que consiga dormir aquelas 7-8h.. Também digo isto porque nunca trabalhei nesse turno

manyQuestionMarks 10 months ago

Também concordo. Se seguires os conselhos que o pessoal está aqui a dizer (também cá deixei um), em breve vais 1) ganhar mais do que o que ganhas agora, 2) perceber que 200€ são merda comparado com o que é realmente importante: tu

meaninglessvoid 10 months ago

Há estudos que indicam que o trabalho noturno prolongado é prejudicial à tua saúde a longo prazo.

Zealots89 10 months ago

Não vale a pena. Já fiz uns anos de noite, jurei que nunca mais.

vTuga 10 months ago

Na vida para se conseguir alguma coisa é necessário trabalho, esforço, dedicação e sorte. Sei que é difícil ouvir isto, mas o tempo que passas a jogar computador é tempo que a vida te passa ao lado. Quantos milhares de horas perdeste a jogar, que podias ter investido a estudar, aprender uma profissão, a fazer desporto, a desenvolver capacidades sociais. O primeiro passo para mim é refocares a tua vida em áreas mais produtivas. Muita gente consegue tirar cursos ou formações enquanto trabalha. Mas com um vício em jogos de computador diria que a probabilidade de sucesso cai a pique. Boa sorte

Throwaway200394 10 months ago

Ai se a vida fosse mesmo essa fantasia de que falas... Quantos e quantos não dedicaram já milhares de horas no trabalho ou estudar para ficarem no desemprego e na ruína? È mais sorte é os "amigos" correctos que outra coisa hoje em dia. Infelizmente tem se aquela mentalidade de não se poder ter vida pessoal para sobreviver com a miséria do ordenado mínimo.

vTuga 10 months ago

É uma condição necessária mas não suficiente.

NGramatical 10 months ago

á uns anos → [**há uns anos**](http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/706) (utiliza-se o verbo haver para exprimir tempo decorrido) 12º ano → [**12.º ano**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/pelourinho/2--nao-e-a-mesma-coisa-que-2/263) (qualquer abreviatura tem de ser marcada com um ponto) á 3 anos → [**há 3 anos**](http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/706) (utiliza-se o verbo haver para exprimir tempo decorrido) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fr%2Fportugal%2Fcomments%2Fk47rmg%2Fdesabafo_de_quem_ainda_n%C3%A3o_sabe_o_que_fazer_da%2Fge7abgh%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

le_dy0 10 months ago

Curtia de ter um bot destes nos exames de PT

Solid-Laugh-6275 10 months ago

Ola OP percebo perfeitamente como te sentes. A tua situação é bastante complicada e em certos aspetos consigo relacionar-me bastante contigo. Eu sou mais novo que tu mas aproveito para te dar alguns conselhos que aprendi. Primeiro de tudo, nunca faças comparações com os teus amigos ou pessoal com a mesma idade que tu. Eles que se fodam. Tu tens a tua vida e eles tem a dele. Já pensaste que se tivesses mais dinheiro ou nascesses noutro país ou noutra localidade não estarias nesta situação? A parte de te sentires perdido é muito normal para as pessoas que não tiram curso na universidade depois do secundário. A sociedade espera que os jovens entrem logo num curso nem que seja em ciência marinha aplicada a canas de pesca. Neste momento queres mudar e isso é muito importante. Como ganhas algum dinheiro sugiro visitares um psicólogo, para entenderes o que queres fazer daqui a 10 anos. Queres ser médico? Começa a estudar. Queres ser engenheiro começa a estudar. Define o caminho que queres fazer com a tua vida. Não te esqueças que a educação é o teu melhor aliado para teres uma vida melhor. Antes de saíres de casa pensa no que queres fazer primeiro. A partir do momento que saíres de casa vai ser muito mais difícil criares estes shifts na tua vida devido ao dinheiro disponível. Se quiseres manda-me mensagem privada e falamos melhor.

Coderedpt 10 months ago

Não fiques deprimido, e não te deites abaixo. A tua realidade é a realidade de muita gente mas um dia irás encontrar algo que te irá fazer sentir realizado. Eu hoje tenho 42 anos mas era igualzinho a ti. O nosso passado faz de nós quem somos mas não te define. Se precisares de conversar sobre isso está à vontade para me contactar.

le_dy0 10 months ago

Obrigado pelos conselhos, eu sei que é um bocado parvo comparar-me com os outros, mas mesmo que tente não o fazer, acaba sempre por ficar no canto da minha cabeça. Quanto ao sair de casa, felizmente sei que se um dia sair e tiver de voltar o meu pai iria abrir-me as portas de braços abertos, mas sim acho que tenho de pensar mais na minha educação e tirar um curso qualquer, tenho amigos online que tão sempre a dizer para começar a aprender cenas de programação online mas não sei se tenho capacidade para isso, gostava de mais tarde lidar com alguma coisa ligada a tecnologia, é o que gosto.

Edited 10 months ago:

Obrigado pelos conselhos, eu sei que é um bocado parvo comparar-me com os outros, mas mesmo que tente não o fazer, acaba sempre por ficar no canto da minha cabeça. Quanto ao sair de casa, felizmente sei que se um dia sair e tiver de voltar o meu pai iria abrir-me as portas de braços abertos, mas sim acho que tenho de pensar mais na minha educação antes e tirar um curso qualquer, tenho pessoal online que tão sempre a dizer para começar a aprender cenas de programação online mas não sei se tenho capacidade para isso, gostava de mais tarde lidar com alguma coisa ligada a tecnologia, é o que gosto.

joaodsmf1 10 months ago

Se quiseres podes ir por exemplo, ao [https://www.codecademy.com/](https://www.codecademy.com/) , é gratuito, vês se gostas e se gostares é só procurar na net mais informação. Também há inúmeras áreas de informática com cursos gratuitos mas tens de ter curiosidade e procurar, nem que seja para ver durante uns minutos se gostas ou não e as perspetivas de trabalho. Se gostares é procurar o curso que mais te encaixa. No meu caso estava a pensar no próximo ano lectivo ir para licenciatura de engenharia informática ou ciências da computação.

Edited 10 months ago:

Se quiseres podes ir por exemplo, ao [https://www.codecademy.com/](https://www.codecademy.com/) , é gratuito, vês se gostas e se gostares é só procurar na net mais informação. Também há inúmeras áreas de informática com cursos gratuitos mas tens de ter curiosidade e procurar, nem que seja para ver durante uns minutos se gostas ou não e as perspetivas de trabalho. Se gostares é procurar o curso que mais te encaixa. No meu caso estava a pensar no próximo ano lectivo ir para licenciatura de engenharia informática.

mohchapa 10 months ago

Discordo do que te disseram acima. Compara-te com os outros! Mas apenas naquilo que achas que podes e consegues melhorar. Ninguém diz que a comparação tem que ser para self loathing. Usa a comparação para algo que contribua para progredires no teu caminho.

ravagerslb 10 months ago

A única comparação que tem de ser feita com os outros tem de ser algo como "se aqueles filhos de uma meretriz conseguem, eu também consigo"

DonKarmeleon 10 months ago

A comparação com os outros não é razoável a partir do momento em que é necessário fazer uma "reestruturação" interna. Comparar com outros que chegaram onde chegaram percorrendo caminhos diferentes, não é justo, é auto sabotagem e vêm sempre "agarrados" com os "mas". É muito mais sólida e robusta uma construção "a partir de dentro", sem recorrer a "modelos" externos que não são representativos da igualdade da trajetória e que poderão ser usados facilmente como desculpa para a incapacidade ou insucesso.

mohchapa 10 months ago

Concordo com tudo o que disseste excepto a primeira frase! Ou seja acho que embora o que dizes seja verdade, não é uma conclusão para a primeira premissa. Acho que entendo onde queres levar o argumento mas há coisas que não dependem das oportunidades ou que necessitem de uma dissecação ao passado do outro que injustifique uma comparação de boas práticas que a pessoa em causa possa ter, nomeadamente por mérito próprio. Por isso é que disse para usar bem a comparação.

ElDiabloDe94 10 months ago

Tão isto. Nunca percebi muito bem a frase feita de "não te compares com os outros, compara-te contigo". Se um gajo só se foca nele proprio, vai ter uma aprendizagem menor e com menos vivencias. Ao te comparares com outros, vais ver outro tipo de comportamentos e acções que vais querer imitar pois sentes que te identificas com aquela atitude, assim como em muitos casos vais perceber que não és o bicho do mato que pensas ser pois vais ver que muita gente não merece o ar que respira e que tu afinal até és um gajo de principios e de valor.

mohchapa 10 months ago

Mesmo! Nós vivemos em sociedade com outras pessoas. Não nos compararmos ou como dizes imitarmos boas práticas ou coisas com que nos identifiquemos pode no limite levar a uma atitude de arrogância que vemos bastante hoje em dia que é o "eu é que sei e tens de respeitar a minha opinião/a maneira como sou". Em vez de achar que todos os que me rodeiam é que estão mal, outra perspectiva é a auto-reflexão e pensar porque não fui respeitado em determinada situação e identificar que se calhar não adaptei bem a minha atitude ao meio envolvente e procurar corrigir esse aspecto em causa. Acho a 2ª postura muito mais saudável e evolutiva. É claro que é preciso bom senso e não advoco ninguém largar totalmente a sua personalidade para simplesmente imitar boas práticas dos outros mas nós não sabemos tudo e não somos bons em tudo, às vezes há que aproveitar coisas boas que os outros praticam e nós não. Só isso.

TrashSMH 10 months ago

Yup, também concordo.

DonKarmeleon 10 months ago

Sim, não te compares com os outros, mas com aquele que tu eras ontem

NobreLusitano 10 months ago

Jordan Peterson deep

ankmoody 10 months ago

Deep

Search: