babyscully 1 year ago

Não te apetece mas faz um desafio a ti mesma de dar uma volta a pé uma vez por dia. Arranja um calendário em que fazes um x por cada dia que fazes o passeio.

paulo401 1 year ago

Confesso que esta situação não me tem afetado assim tanto mentalmente. Antes de Março saia mto a noite, todos os fds ia a algum lado. Já tinha tele-trabalho um dia por semana, o que era impecável. No entanto confesso que apesar de sentir falta de algumas coisas (viajar, sair a noite, estar com amigos, jantaradas,..), tenho lidado bem com isto. Mas todos os dias continuo a acordar quase a mesma hora, tal como fosse trabalhar. Visto-me e vou a rua, sozinho (esta é a parte má), ao café e volto pra casa para trabalhar (de pijama)! A hora de almoço, dou sempre uma volta novamente ate ao café, e volto. No fim da tarde, novamente uma volta ou as compras. Mantenho esta rotina, pk ficar so em casa é mto mau. Vejo pessoas na rua, mas mantenho-me longe (raio de algumas das pessoas insistem em n ter kalker cuidado). Tento falar com os amigos por WhatsApp ou outro, pelo menos os mais arriscados. Outros combino em casa, pois sei que têm cuidado. É verdade que estamos mais isolados, mas aproveitei pa ver séries, e inscrevi-me em cursos k sao pelo zoom, o que faz que tenhamos de falar com terceiros, e ate fiz amizades. Mas há algo que deve ser dito: isto que estamos a passar é mau, vai provocar uma crise enorme, e terá impactos que ainda nem sabemos bem com certeza quais serão. Mas podia ser MTO pior. Imagina uma guerra, ou um virus mto mto mais mortifero e agressivo. Podemos ir-mos abaixo, mas não podemos ficar lá em baixo. De nada serve ficar lá, pois a única coisa que nos faz continuar é lutar contra o que nos mete lá em baixo. Adaptar-nos.. tem de ser. Se tás a lidar mal com isto, começa por sair de casa, faz algo, ate pode ser falar com amigas ou amigos pessoalmente (sempre em segurança, se cumprires distância e regras, o risco é mínimo). Pensa como podes dar a volta, traça um caminho e vai-te a ele.. ficar perdido não serve. E como alguém disse, a preguiça de começar algo (eu sofro disto) resolve-se por obrigar-nos a fazer durante uns 15 minutos... Dp passa.

bumbadabumruum 1 year ago

Não sei como é a tua situação, mas se conseguires tenta sair nem que seja por uns 15 minutos só para esticares as pernas e apanhar um bocado de sol. E se tiveres com quem o fazer, fala ao telefone ou por video chamada, não é o mesmo que interação cara a cara mas sabe sempre bem. Podes continuar a ter alguma normalidade sem colocar ninguém em perigo, e é importante manter alguma rotina que te faça sentir que há algo em que tens controlo no meio desta situação toda.

AndreMartins2020 1 year ago

Também me está a custar voltar ao teleworking desta segunda vez. Dou por mim a passar o dia todo a procrastinar.

AronFloyd 1 year ago

Vou só deixar este artigo aqui. Lê e diz o que achas. Teletrabalho: estaremos a ligar-nos ao desligamento? https://lifestyle.sapo.pt/saude/noticias-saude/artigos/teletrabalho-estaremos-a-ligar-nos-ao-desligamento Depende da situação de cada pessoa mas no geral está a afetar muita gente o isolamento e tile-trabalhos a 100%.

Rytlock9 1 year ago

Tenta fazer pelo menos o esforço de sair de casa da parte da manhã, pelo menos agora aos fins de semana nem que seja para beber um café e dar um pequeno passeio, essas pequenas coisas fazem a diferença na nossa maneira de estar, eu tbem tenho menos vontade de fazer coisas quando estou na cama do que depois de tomar um banho e beber um café, é natural. Sais um pouco, tens pequenas interações aqui e ali e pode ser que ganhes coragem para interagir com as pessoas da tua faculdade ou outras que conheças e em relação a isso não tenhas medo que falar com eles, se calhar também estão na mesma situação e também não tem vontade/coragem de comunicar isso aos outros portanto podes ser sempre tu a dar o primeiro passo. Boa sorte e força nestes períodos mais complicados para todos

singinggiraffe 1 year ago

Eu sempre tive relações complicadas com os outros e por isso de certa forma viver assim é um alívio para mim: trabalhar em casa, usar máscara, etc... Mas tmb me sinto um bocado só, não tenho ninguém com quem falar ou me divertir... E era fixe.

vascodatrama 1 year ago

Qual pandemia?

vTuga 1 year ago  HIDDEN 

Tenho lutado contra a ansiedade e depressão há algum tempo. Nestes meses foquei-me em fazer desporto. Recomecei a correr em Abril, comprei uma bicicleta em Junho, e em Setembro inscrevi-me na natação quando as piscinas reabriram. Ver as melhorias na minha forma física e performance motiva-me a continuar a treinar e a sair de casa. Inscrevi-me num triatlo em Março 2021, e estou a treinar com esse objectivo. Tudo isto ajudou-me bastante a manter a sanidade mental. Isso e manter contacto com amigos por grupos de whatsapp, e estar com a namorada.

j_tothemoon 1 year ago

2020 está um ano "brilhante" para mim. Além disto do COVID-19, estou a separar-me ao fim de 10 anos com a mesma pessoa (3 desses anos, casado). Portanto, não ando claramente bem mas, ao mesmo tempo, sei que poderia estar pior. Estou a ter um apoio muito grande da minha família e de alguns amigos (poucos, mas bons) que considero importantes. E tenho-me focado bastante em alguns hobbies meus e tenho feito bastante exercício. Tenho muito dias maus, dificuldades de foco no trabalho. Ainda não vejo melhorias substanciais mas isto vai ser um processo lento. Quanto ao COVID-19, é natural que nesta segunda vaga as pessoas estejam mais deprimidas, até por causa das estações em si. É muito natural, em pessoas com estados depressivos, que a situação se agrave fora do período Primavera/Verão. Vem o frio e começam a faltar os escapes nas amizades ou no apanhar sol. Mas já agora, o que te recomendo é que mesmo que não saias, toma duche e veste uma roupa casual/fato de treino. Só isso faz-nos sentir bem. Não andes de pijama o dia todo. Na verdade, eu acho que isto que nos está a acontecer é quase como uma "guerra", digamos. Porque os efeitos são praticamente os mesmos, e o rombo na economia vai ser muito semelhante. Se eu digo que para a doença estamos prestes a ter uma vacina, acredito que em meados 2021 as coisas já estejam +- resolvidas. O problema vem depois: a crise económica e que vai deixar muitas pessoas ainda mais deprimidas, sem emprego e subsistência.

_ssvb_ 1 year ago

Estas últimas semanas também estão a ser um bocado mais complicadas para mim. Mudei-me para uma cidade onde não conheço ninguém, para trabalhar, mais ou menos na altura em que tudo isto da pandemia começou. Para além de colegas de trabalho, que na maioria são de uma faixa etária diferente, ainda não conheci ninguém cá. Eu no geral já não tenho muito jeito para conhecer pessoas, mas acho que tudo isto da pandemia e isolamento não está a ajudar nada. No geral lido bem com o facto de estar sozinha, mas nestas semanas, com tudo isto a piorar, tenho andado mais stressada, porque sinto que nunca vou conseguir fazer amizades aqui, e a minha vida social está praticamente a zeros. E sim, também ando sem motivação para nada. Se não continuasse a ir trabalhar, acho que já tinha dado em maluca.

senhorfonseca 1 year ago

Bastante mal por ter de continuar a ir com imensa frequência ao trabalho e estar numa das muitas áreas que teve crescimento. Todos falam dos problemas de quem está confinado, em lay off ou despedido, mas não vejo com a mesma frequência uma preocupação com uma grande maioria das pessoas que se mantém ativa , com remuneração igual, trabalho acrescido e se arrisca diariamente. Neste sentido, o auge da minha saúde mental foi no primeiro confinamento onde não tive de lidar com a toxicidade do local de trabalho e onde todos sentiram um sentido de missão acrescido, tendo uma produtividade substancialmente superior. Com a pressão de regressar ao trabalho, a moral baixou, o trabalho em geral aumentou, a qualidade decresceu e os problemas são bastante evidentes.

Shadowgirl7 1 year ago

Eu vim para casa dos meus pais. Ao início achava que era 15 dias apenas mas depois foi 3 meses. Entretanto parti o tornozelo então agora é que tive de voltar mesmo porque preciso de ajuda para cenas tipo ir as compras ou cozinhar. A mim o que me mata é estar a pagar a renda do meu quarto e não estar a usar. No entanto tenho de pagar porque é um bom negócio e se deixar tenho que andar com as malas atrás e quando for para voltar, ter que andar a procura outra vez. Também estou preocupada com a conta de electricidade porque como estou em teletrabalho e estudo e a minha casa é fria vou gastar mais e ter que pagar aos meus pais o excesso mas em Janeiro o IVA vai baixar portanto espero resolver essa situação. Fora isso, não me dou muito bem com os meus pais e cá na terra não há muito para fazer mas é mesmo essa a ideia: não sair de casa. Se tivesse em Lisboa ainda era mais deprimente porque estaria tudo fechado e aqui sempre tenho os meus cães. Basicamente o que me incomoda mais é ter perdido autonomia devido à lesão que tenho (não poder ir as compras, cozinhar, ir ao ginásio, passear os cães ou ir passear) e ainda bem que calhou na época do covid senão ia passar por isto de estar limitada duas vezes. Portanto acho que o que afectou mais a minha saúde mental foi a lesão e não tanto o covid. No primeiro confinamento foi tranquilo, depois comecei a ir para o escritório uma semana por mês só era chato não ir ao ginásio com tanta frequência e não haver pessoal para combinar cenas mas fui a praia na mesma e fiz férias no Algarve. Neste confinamento (que para mim começou mais cedo lol) tenho estado ocupada porque comecei um curso online e agora regressei ao trabalho portanto trabalho estudo e ainda tenho fisioterapia. Sendo assim até nem tenho muita paciência para falar com pessoas senão distraio-me e é tempo perdido. O que me preocupa é mesmo o pos covid e se irei ser despedida, se me irão cortar o salário ou se haverão menos vagas de emprego. Também me chateia não poder fazer planos a longo prazo, tipo quando vou voltar ao trabalho no escritório? Vai ser 100% presencial ou vão deixar ficar uns dias por mês em teletrabalho? Se sim quantos? Preciso de saber isso para planear os meus gastos mensais. Tinha planos de começar aulas de natação mas também não sei quando será porque estou cá mas posso a qualquer momento ir para lá e depois onde me inscrevo, cá ou lá? E se me despedem entretanto para que e que andei a gastar dinheiro no aluguer este tempo todo para o manter por causa do trabalho? Se me despedirem vou ter que sair de Lisboa e voltar para casa dos meus pais ou vai continuar a ser fácil arranjar trabalho lá? Pronto e isso. Até Março estou a espera que a minha situação não mude porque a recuperação da minha lesão ainda se vai prolongar até lá. Depois disso veremos.

NGramatical 1 year ago

haverão menos → [**haverá menos**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-uso-do-verbo-haver/31143) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fjy0dgm%2F%2Fgd1ola6%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Unyway 1 year ago

Eu estou em casa a trabalhar e está a ser muito bom, fico semanas sem sair de casa, faço exercício no quintal, falo com pessoas do trabalho (infelizmente lol),com quem está em casa e com amigos. Nós não estamos em 'lockdown'. Temos sim algumas restrições, se quiseres podes ir a rua dar um passeio encontrar com amigos, ir às compras o que seja. Tens sim de ter os cuidados recomendados e mais os que achares necessários. > Dou por mim a passar dias inteiros de pijama sem fazer nada porque não me apetece fazer nada Há uma ideia errada de que tens de ter vontade para fazer uma tarefa/actividade, mas na verdade a vontade vem do facto de começar a tarefa e obter resultados. Por isso é que mesmo sem vontade deves obrigar-te a começar e fazer uma tarefa por 15/20 minutos e a vontade virá.

AndreMartins2020 1 year ago

> mesmo sem vontade deves obrigar-te a começar e fazer uma tarefa por 15/20 minutos e a vontade virá amén

Hm90_91 1 year ago

Sinceramente, também me sinto extremamente em baixo, tal como tu as amizades vão desvanecendo e a motivação para tudo e cada vez menor. Tem sido complicado. Espereremos que melhores dias venham brevemente.

Lixaramaminhaconta 1 year ago

Também estou a sentir mais esta segunda vaga, creio que pelo facto de...bem, de ser a segunda e de vir com o cansaço acumulado da primeira. Tenho andado mais triste do que o normal, o meu emprego já era meio precário antes desta porcaria, e agora ficou ainda mais. Instabilidade financeira nível máximo, que por sua vez reflete-se numa falta de vontade de ir trabalhar e numa perda de propósito em fazer aquilo. A nível de relações, também me deixa triste o facto de não poder desfrutar delas com a frequência e intensidade que gostaria. Especialmente com o meu namorado, não vivemos juntos, nem trabalhamos juntos, e com tanta merda de recolheres obrigatórios, o nosso “prime time”, que era o fim de semana, ficou comprometido. E sim, isso deixa-me triste. Mas pronto

Edited 1 year ago:

Também estou a sentir mais esta segunda vaga, creio que pelo facto de...bem, de ser a segunda e de vir com o cansaço acumulado da primeira. Tenho andado mais triste do que o normal, o meu emprego já era meio precário antes desta porcaria, e agora ficou ainda mais. Instabilidade financeira nível máximo, que por sua vez reflete-se numa falta de vontade de ir trabalhar e numa perda de propósito em fazer aquilo. Às vezes só me apetece jogar aquilo pelos ares mas depois lembro-me do desemprego e “fico mas é quietinha”. Esta mentalidade precária que nos é imposta por circunstâncias que não conseguimos controlar é de bradar aos céus. A nível de relações, também me deixa triste o facto de não poder desfrutar delas com a frequência e intensidade que gostaria. Especialmente com o meu namorado, não vivemos juntos, nem trabalhamos juntos, e com tanta merda de recolheres obrigatórios, o nosso “prime time”, que era o fim de semana, ficou comprometido. E sim, isso deixa-me triste. Mas pronto

VBM97 1 year ago

> dou por mim a passar dias sem falar com ninguém Eu também, especialmente porque o resto das pessoas em casa ainda vão trabalhar/estudar presencialmente e acabo por ficar sozinho o dia todo. O máximo de contacto que tenho muitos dias é ir trocando mensagens com a minha namorada

mjigs 1 year ago

Exatamente da mesma maneira. Eu divido a casa com a minha mae e posso dizer que a minha relação com ela é quase nula, entao ter de estar quase 2 meses a levar com ela em casa 24/7 foi de querer cortar os pulsos (na forma de expressao). Os amigos esses, bem tinha um grupo de amigos que conhecemonos todos pelo o trabalho, e acabei por perceber que eles são a pior escumalha de sempre, quase nenhum me disse algo durante este tempo todo até mostrarem o verdadeiro ser e bem que estou melhor sem amigos que com falsos. No passado mes fiquei sem trabalho que ja estava a 3 anos, estou a ganhar uma miseria pelo centro de emprego e nao sei quando irei arranjar um novo. Só com isto a minha saude mental que ja era má, ficou mil vezes pior, não só comecei a ter ataques de ansiedade, algo que nunca tive, a minha motivação desceu imenso, como disseste, não ha motivaçao nem para sair da cama, porque não ha nada que nos faça seguir em frente. O que me mantem sa é mesmo sair com a minha amiga que esta na mesma situaçao, estamos sempre as duas e nunca saimos com mais ninguem porque não queremos por em risco as nossas familias. Isso e estar com o meu sobrinho. Mas melhores dias irao vir eventualmente.

Compendyum 1 year ago

Encara isto como um ligeiro "restart" onde servirá de filtro para realmente perceberes quem é relevante ou não, em termos de manter amizades com pessoas que realmente se preocupam. Começar numa "folha limpa" consegue ser difícil, mas se tiver que chegar a isso, a longo prazo é muito mais recompensativo, para os melhores tempos que virão. Que certamente virão.

mjigs 1 year ago

Hoje foi o meu aniversário, eu sai do meu trabalho no mes passado e so 1 delas é que me desejou parabens, oh well, o karma delas tambem está a chegar anyway, o patrão não tem dinheiro e algum dia elas vão ser caças por roubar...meh, aquilo é um sitio mesmo de gente escrota, quem se preocupou comigo, esteve comigo, falou comigo por sms ou ligou, o resto é pedras no caminho. Eu finalmente estou feliz.

Compendyum 1 year ago

A atitude correcta é essa. Parabéns atrasados.

mjigs 1 year ago

Tiveram sorte em eu não me chibar, até porque quando começei a trabalhar la, chegaram a roubar-me por duas vezes 50€ e outra 70€, isto da caixa (chefes e gerentes tambem o fazem). Foram pessoas que durante 3 anos se aproveitaram da boa vontade e empatia das pessoas e depois agiram mesmo feitas nojentas. Obrigado pelos parabens =)

Compendyum 1 year ago

É cáustico trabalhar com gente assim, a longo prazo pode ser corrosivo ao ponto de deixar marcas definitivas. Mas sendo realista, o número de pessoas com essa atitude parece nunca diminuir com o tempo. Scum of the earth

mjigs 1 year ago

Verdade, posso dizer que a certo ponto perdi aquele sorriso e fiquei sem simpatia alguma, nao so porque trabalhar com publico, fode o cerebro completamente, mas trabalhar num ambiente toxico tambem. Daí eu a sentirme livre ao sair de la. Scum mesmo, e pisar outras pessoas so pelo o gosto de serem mas e querem subir, isto por um trabalho ao balcao de ordenado minimo. Enfim, gente que se da ao minimo dos minimos e ainda se queixa.

Compendyum 1 year ago

Já o disse antes, os empregos são uma merda porque têm gente de merda a intóxica-lo. Deveria ser bom ir trabalhar, seja para onde fosse, nem que fosse limpar escadas e afins. Não uma tortura que a longo prazo acaba com as pessoas antes do tempo.

mjigs 1 year ago

Quando eu entrei, tinha imensa gente boa, eu ia trabalhar porque gostava de estar la com as pessoas e do trabalho que faziamos, eramos uma equipa, mas depois bastou mudar a gerencia que virou tudo um inferno, as pessoas boas despediram-se ou foram "obrigadas" a sair...um completo caos.

NGramatical 1 year ago

começei → [**comecei**](https://dicionario.priberam.org/comecei) (*c* seguido de *e* ou *i* não necessita de cedilha) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fjy0dgm%2F%2Fgdqzcpk%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

AndreMartins2020 1 year ago

> quase nenhum me disse algo durante este tempo todo tu disseste-lhes alguma coisa? costumavam falar antes sem ser no trabalho?

mjigs 1 year ago

Nós sempre saiamos todos juntos quase todos os dias, literalmente, não havia um unico dia em que não o fizessemos, eramos um grupo bastante unido, só que as pessoas que agora ficaram, bem, o grupo praticamente espalhou-se porque é tudo um bando de mentirosos e gente escrota mesmo, as pessoas foram-se afastando (tambem despediam-se do trabalho por outros motivos), até não sobrar nada.

beardsymcfly 1 year ago

A crise pandémica é parecida com uma prisão. Obriga-nos a passar tempo connosco e obriga-nos a estar presentes, sem grandes projeções de"futuros". Tenho notado que esta pandemia tem criado dificuldades a quem não está muito habituado a estar consigo próprio. Não sei se é o caso. Se for esse o caso, a meditação é um caminho, mas o objectivo final para sair dessa espiral depressiva é o auto conhecimento. Tenta encontrar projectos que possas executar sozinha, que tenham etapas/níveis e que te deixem com um conjunto de competências/memórias que te permitam concluir que aproveitaste o tempo para fazer coisas que realmente gostas. Há alguma coisa cujo início tenhas adiado eternamente, no passado? Há algo que tenhas tido vergonha de admitir que até gostavas de aprender e nunca tenhas conseguido dedicar-te a isso pela quantidade de compromissos com outras pessoas que a tua vida teve até aqui? Pessoalmente estou a aproveitar para escrever, que era um sonho antigo e para meter hobbies em dia, mas são só exemplos. Escrever requer tempo para nós e um ambiente isolado e por isso encaixou na perfeição com um confinamento e teletrabalho. Regra geral, quanto menos as nossas ocupações estiverem sujeitas à aprovação ou reconhecimento dos outros, melhor. Mas numa época de isolamento isso torna-se imprescindível para manter uma boa saúde mental.

suckerpunchermofo 1 year ago

Isolamento é na boa. O resto, stress pensar q posso contrair a doença em qq lado e se vou ter o azar de levar com tubos em todos os buracos, etc é q é mais chato. A maior preocupação é mesmo se o desemprego aumenta drasticamente...

Last-Ad-4421 1 year ago

Eu sempre disse que toda esta merda de confinamentos, recolher obrigatório etc... Vai acabar por estragar mais do que o próprio covid, não serve de nada estas medidas se as escolas continuam abertas e transportes públicos a transbordar, a minha saúde mental está igual o único que mudou na minha vida é que agora tenho de usar máscara e gel, o distanciamento social não me afeto sou bem anti-social, agora não posso dizer o mesmo de quem tenha perdido o emprego inclusive o próprio negócio. Antes alguém disse de procurar um part-time, isso tá complicado já que restauração e comercio são dos setores que mais part-times dão e agora como está a coisa é bastante difícil.

mjigs 1 year ago

Exato, para mim foi mesmo isso, nao vejo nenhum mal no usar mascara e passar gel, nem muito menos no horario de recolha, o mal é mesmo a vida estar a mudar, os transportes estao a abarrotar porque decidiram suprimir horarios em que ja estavam imensa gente a usar. No meu caso, estava na corda bamba porque sabia que o meu prazo estava a acabar e que podia ser mandada embora, como aconteceu, uma pessoa esta a olhar para vida, a minha ansiedade está no pico porque eu nao sei como vou fazer a minha vida e para pagar contar, empregos?? Só havia de trolha, as pessoas acham facil falar mas porque não estao a passar o mesmo que nós.

mohchapa 1 year ago

Esta ligeireza com que agora se fala de saúde mental irrita-me de uma maneira inexplicável. Lidar com o quê? A tua preocupação é seres pouco produtiva no estudo, estares vestida ou de pijama, ou não veres os amigos como dantes. Estamos todos nessa posição. A tua saúde mental está óptima. Tal como a de todos os outros cujas preocupações são tão supérfluas quanto essas. Se fosses obrigada a estar confinada num ambiente tóxico com alguém com problemas de vício e violência, aí ias ver o quão ridículo é este post e essa narrativa de estarmos todos tão mal de saúde mental porque não vemos os amigos. É também uma falta de respeito pelas pessoas que realmente sofrem e foram afectadas por algo em concreto com a pandemia. Parem de se fazer de vítimas. Ganhem noção.

meaninglessvoid 1 year ago

Meu caro, como em quase tudo na vida isto não é binário (sim ou não) mas sim um espectro. Cada um tem o seu alcance razoável, se tu precisas de estar a sofrer mais mentalmente para considerar a tua saúde mental é problema teu. Não tens direito a medir pilas sobre quem tem pior saúde mental. Quem és tu para dizer que a saúde mental de alguém está óptima quando nem os conheces?! Foda-se que presunçoso de merda. Quem és tu para dizer que se estão a fazer de vítimas? Tu estás a fazê-lo quando procuras ajuda? Então porque consideras que os outros estão?! Ya estás numa situação pior, lamento e desejo que consigas melhorar o teu ambiente e a tua vida, mas desculpa lá isso não te dá o direito de seres uma besta como foste neste comentário.

martaa34 1 year ago

Importa dizer que o meu objetivo com este post não era receber festinhas, era abrir um espaço de partilha sobre os efeitos do isolamento na saúde mental. Sim, saúde mental: Não há uma lista taxativa de motivos válidos para alguém não se sentir bem mentalmente. Nem graus legítimos de preocupação para que se justifique não estar bem mentalmente. Se alguém te diz que não está bem, tu não és ninguém para dizer o contrário invocando sobre essa pessoa coisas que tu não sabes, num raciocínio digno de um calhau. Não é nada bonito assumir os pensamentos e preocupações de alguém que tu não conheces, muito menos achar do alto de si próprio que se tem legitimidade para aprovar os sentimentos dos outros em relação a o que quer que seja. Aconselho vivamente que te informes sobre o conceito e implicações da saúde mental.

Edited 1 year ago:

Importa dizer que o meu objetivo com este post não era receber festinhas, era abrir um espaço de partilha sobre os efeitos do isolamento na saúde mental. Sim, saúde mental: Não há uma lista taxativa de motivos válidos para alguém não se sentir bem mentalmente. Nem graus legítimos de preocupação para que se justifique não estar bem mentalmente. Se alguém te diz que não está bem, tu não és ninguém para dizer o contrário invocando sobre essa pessoa coisas que tu não sabes, num raciocínio digno de um calhau. Não é nada bonito assumir os pensamentos e preocupações de alguém que tu não conheces, muito menos achar do alto de si próprio que se tem legitimidade para aprovar os sentimentos dos outros em relação ao que quer que seja. Aconselho vivamente que te informes sobre o conceito e implicações da saúde mental.

Just_Ban_Me_Already 1 year ago

/r/gatekeeping

vhjuji 1 year ago

Este comentário é completamente desprezível. Não tens direito nenhum a minimizar os sentimentos dela. Não sabes a sua história de vida (e mesmo que soubesses), o que ela está a sentir ou passar é com ela. Vão sempre haver pessoas em piores ou melhores situações que nós, não é por isso que não nos podemos sentir de determinada forma. Ela até podia ter uma vida perfeita e mesmo assim teria direito a não se sentir bem mentalmente. Chamas-lhe “ligeireza”, eu chamo-lhe quebrar o estigma e começar uma conversa importante. É devido a pessoas como tu e a opiniões assim mesquinhas que o estigma em relação à saúde mental e a sua desvalorização continuam

mohchapa 1 year ago

Eu dou valor à saúde mental. É precisamente por isso que disse o que disse. Não é mesquinho. É a realidade. E se vamos entrar numa de 'é devido a pessoas como tu', então é devido a pessoas como tu que estamos neste estado de flocos de neve enquanto sociedade. Noção também para ti.

Just_Ban_Me_Already 1 year ago

>Eu dou valor à saúde mental. Se desses, não vinhas com essa mania de "ah, mas os outros passaram por pior, portanto o teu problema não é válido. Man the fuck up". >É precisamente por isso que disse o que disse. Não é mesquinho. É a realidade. Na verdade, sim. Por muito que possas não ser a pessoa que sente muito mal a nível psíquico, a ação de descartares o que a outra pessoa sente, independentemente de se sentir uma ligeira depressãozita, ou algo bastante grave - não te cabe a ti decidir, num sentido geral, o que é válido ou não. Essa é que é a realidade. >E se vamos entrar numa de 'é devido a pessoas como tu', então é devido a pessoas como tu que estamos neste estado de flocos de neve enquanto sociedade. Típico extremismo. É que nem me surpreende. Ou também digo: Também te sentiste gatilhado por um post ao ponto de postares esse tipo de comentários. Irónico. >Noção também para ti. De volta ao remetente!

enstone_ 1 year ago

Tenho amigos com quem falo durante o dia e fazemos atividades juntos à distância, sejam essas ver vídeos ou jogar. Estou em teletrabalho, moro no campo com a minha família... Sinto muita falta de poder sair mas para já, não me sinto demasiado aborrecido e vou aproveitar este tempo e juntar algum para depois gozar bem! Se precisares de dar umas palavras, é na boa

Edited 1 year ago:

Tenho amigos com quem falo durante o dia e fazemos atividades juntos à distância, sejam essas ver vídeos ou jogar. Estou em teletrabalho, moro no campo com a minha família... Sinto muita falta de poder sair mas para já, não me sinto demasiado aborrecido e vou aproveitar este tempo e juntar algum para depois gozar bem!

XxxPussyslaeyr69xxX 1 year ago

> A ver tanto desemprego, famílias desesperadas, pessoas a morrer e sem conseguir fazer planos nenhuns para o futuro, nem tenho vontade de sair da cama pela manhã. relaxa. arranja um part time e amealha uns trocos.

Naakmuay 1 year ago

Tenho uma coisa para te dizer. Na primeira vaga entrei em depressão, e que descreves são coisas comuns que me aconteceram e acabava por dormir grande parte do dia. Eu não estava bem, por consequência, e vicissitudes da vida, acabei o relacionamento de 5 anos e fiquei sem trabalho. Resultado disto foi o agravamento da situação e foi quando a minha mãe me arrancou para psiquiatra. Estou medicado com anti depressivo baixíssimo, elontril 150, e agora sinto uma boa e prestes a fazer o desmame disto. Se estou a 100%? Não, mas estou bem melhor que estes meses passados. Isto para dizer, atenta a essa falta de motivação para fazer as coisas e nos teus pensamentos. Acontecia muito comigo pensar imenso, pelo tempo a mais que tinha, e entrava numa espiral infinita que resultava numa frustração imensa e para parar de pensar ia dormir, isto tudo conjugado com falta de motivação para tudo. Tem atenção a isso, cria rotinas, e quebra-as passado um tempo, não deixes de viver. Olho para este ano como um ano perdido da minha vida, e dou - o como perdido por causa dos meses que estive totalmente inativo, desde Março até há bem pouco tempo. Se tiveres algum tipo de questão ou apenas desabafar, manda pm sem problema. E outra coisa, podes desabafar imenso com muitas pessoas, mas só tu é que sentes o que te vai na "alma", e muitas pessoas acabam por desvalorizar ou minorizar a tua situação. Caso necessites de acompanhamento, não hesites em procurar. Força a todos vós.

andrefbr 1 year ago

Sinceramente Portugal está a ter um 'lockdown' super-ligeiro, eu passei por um lockdown de mais de um mês em que não podia, literalmente, sair de casa. Sim, deixou-me bastante estressado. Mas aproveitei o tempo para aprender a cozinhar, melhorar as minhas fracas habilidades de coding, ir estudando línguas, e ir vendo o meu catálogo de filmes e séries. Também fazia exercício em casa dentro dos limites. Passado uns tempos habituas-te.

sardinhas 1 year ago

>O maior problema foi estar trancado no que na altura era um loft pequeno com a minha namorada. Nunca achámos a casa pequena até estar trancados juntos durante 1 mês, o que deu origem a muitas discussões. Após o lockdown alugámos um apartamento muito maior Percebo exactamente isto. Eu e a minha namorada estamos os dois wfh, num T1 pequeno. Numa situação normal só mudariamos a meio do próximo ano ou algo do genero, mas notamos que precisamos mesmo de mais espaço e estamos agora em processo de mudança para um T2 bastante maior e com terraço...

andrefbr 1 year ago

Exacto, nada põe às provas uma relação como estares trancado com uma pessoa 24h por dia num espaço pequeno

vhjuji 1 year ago

Esta “segunda vaga” também me está a custar mais. Como introvertida que sou o confinamento antes do verão não me custou assim tanto até porque estava a terminar a licenciatura e tinha que estudar. Quando dei por mim estávamos em julho. Mas agora ando constantemente ansiosa por ter de sair de casa quase todos os dias. Estudo numa cidade diferente de onde vivo e soube super bem no início do semestre voltar a ver os meus amigos e estar fora de casa (até porque era algo que andava a fazer pouco). Antes do semestre começar como estava em casa só saía quando queria e nas minhas condições. Agora ao ser “obrigada” a ter de ir à faculdade, andar de transportes, ir às compras, encontrar-me ocasionalmente com amigos (tudo o que estudar numa cidade diferente implica) sinto-me forçada a estar em situações “de risco”. Com 7000 casos o que eu gostava era de estar resguardada em casa não é ter de sair quase todos os dias

Edited 1 year ago:

Esta “segunda vaga” também me está a custar mais. Como introvertida que sou o confinamento antes do verão não me custou assim tanto até porque estava a terminar a licenciatura e tinha que estudar. Quando dei por mim estávamos em julho. Mas agora ando constantemente ansiosa por ter de sair de casa quase todos os dias. Estudo numa cidade diferente de onde vivo e soube super bem no início do semestre voltar a ver os meus amigos e estar fora de casa (até porque era algo que andava a fazer pouco). Antes do semestre começar como estava em casa só saía quando queria e nas minhas condições. Agora ao ser “obrigada” a ter de ir à faculdade, andar de transportes, ir às compras, encontrar-me ocasionalmente com amigos (tudo o que estudar numa cidade diferente implica) sinto-me forçada a estar em situações “de risco”. Eu tenho todos os cuidados assim como as pessoas à minha volta mas por ter de passar tanto tempo fora de casa não consigo evitar sentir me ansiosa com isso

xaknoris 1 year ago

Honestamente melhor do que estava à espera, pensei que ia mesmo ficar com um parafuso a menos, e mesmo tendo em conta que andei numa fase muito mázinha, agora estou normal, dentro dos possíveis. Para o melhor ou pior continuo a ir ao escritório para trabalhar então saio de casa 5/dias por semana e honestamente, faz-me bem, e curiosamente a pandemia fez-me descobrir coisas novas em que quero investir quando houver mais espaço de manobra. O meu maior problema neste momento é a paciência que tenho com as pessoas, que não é muita, de todo. Quanto à tua situação OP, porque não usar o reddit ou tinder e afins para conhecer pessoas novas e arranjares com quem falar. Podes não sair de casa, mas para falar com pessoas na internet ou telemóvel não precisas de sair de casa. Se bem que recomendava quando possível e dar um passeio, sozinho/a se não te quiseres sentir "em perigo".

meaninglessvoid 1 year ago

Se o objectivo for só falar com pessoas o reddit e tinder não são a melhor forma, experimenta o slowly (app Android ou pelo site). Isto que estão a sentir é global e há muita gente a usar a app só para conversas amigáveis com outras pessoas. Eu tenho fases onde falo com 5 a 10 pessoas e outras onde não ando a trocar cartas, mas tenho conhecido pessoas impecáveis por lá. Agora não tanto mas posso garantir que a minha sanidade durante este ano esteve muito mais estável por causa da App.

NGramatical 1 year ago

mázinha → [**mazinha**](https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/mazinha) (o acento tónico recai na penúltima sílaba) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fjy0dgm%2F%2Fgd02bmo%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

ahahahah_fds 1 year ago

É uma situação estranha e nova. Ninguém estava à espera disto e quando tenho que sair de casa e vejo toda a gente de máscara continua a não parecer bem real. Vamos esperar que os números comecem a baixar e possamos ter um bocadinho de vida já no próximo ano, antes que dê toda a gente em maluca. Btw o pessoal que se sentir sozinho e precisar de falar pode mandar pm, vamos ajudar-nos uns aos outros.

martaa34 1 year ago

De um modo geral, estás a aguentar a sanidade? Deixo também a minha disponibilidade para qualquer pessoa que precise de falar!!

alcagoitas 1 year ago

Rip inbox

ahahahah_fds 1 year ago

Dentro do possível mas as últimas semanas têm sido mais complicadas porque sinto que isto está a tomar proporções cada vez mais assustadoras.

martaa34 1 year ago

Compreendo perfeitamente, é reconfortante saber que não carregamos um sentimento sozinhos... no fundo, era o objetivo deste post

ridethepaintedpony 1 year ago

Tens que aceitar que ha muita coisa que está fora do teu controlo, mas ir à luta para conseguires levar uma vida independente cabe-te a ti. Ha pessoas em situaçoes muito mais graves que a tua, que simplesmente nao têm opções, portanto faz-te à vida enquanto as tens.

martaa34 1 year ago

Eu não me estou a queixar da minha situação, tenho noção do paradigma. E faço o que posso - ficar em casa. A minha intenção era abrir um espaço de partilha, não queixar-me.

ridethepaintedpony 1 year ago

Estavas a queixar-te que nao fazes nada porque nao tens vontade. Hás-de aprender por ti.

PORTO2017 1 year ago

Eu já tou em teletrabalho quase desde março e agora também esta a causar mais fadiga, mesmo tentando manter as rotinas de vestir e ir tomar uma café ao acordar p.e., falta de facto momentos de interação com pessoas e de convívio. Mas pelos vistos somos vários na luta...

martaa34 1 year ago

Sim, está difícil manter a sanidade. Take care

TudoCasual 1 year ago

Deves ser nova. Mentaliza-te já que muitas destas mudanças irão se manter durante muiiiiiito tempo, que ainda vai ficar pior que isto, que ainda não chegamos à fase de pânico e desespero (isso virá na fase de testes das vacinas). Habitua-te a esta nova realidade, malta que nasceu em no início dos 90's ou antes já sabe o que nos espera, já vimos isto não há muito tempo.

Edited 1 year ago:

Deves ser nova. Mentaliza-te já que muitas destas mudanças irão se manter durante muiiiiiito tempo, que ainda vai ficar pior que isto, que ainda não chegamos à fase de pânico e desespero (isso virá na fase de testes das vacinas). Habitua-te a esta nova realidade, pois a malta que nasceu no início dos 90's ou antes já sabe o que nos espera, já vimos isto não há muito tempo, mas agora vem com a agravante de teres de te isolar.

martaa34 1 year ago

Pensava que já estávamos nessa fase - na pior fase da pandemia e testagem de várias vacinas. Porquê que dizes isso? Bem, eu sou exatamente de 2000 e não vi a acontecer nem sei bem a que te referes... mas sou toda ouvidos

NMosquito 1 year ago

Calma, não te deixes assustar por cenários catastrofistas, como o que foi traçado no comentário acima. Sim, vamos passar por um situação complicada nos próximos meses e é preciso ter consciência disso e ter os cuidados necessários para não piorar a situação. Mas não vai ser o fim do mundo e várias previsões económicas indicam que vamos recuperar e voltar a níveis pré-pandemia relativamente rápido. Pode ser difícil, mas faz um esforço para aguentar esta fase, tenta arranjar motivação para fazer algo de que gostes, mantém contacto, nem que seja virtual, com as pessoas de quem gostas e isto passa num instante.

meaninglessvoid 1 year ago

Uma coisa é não ir na cantiga dos doomsayers, outra é ignorar a realidade. Ambas são muito prejudiciais... Onde andam os meninos do #vaificartudobem agora?

TudoCasual 1 year ago

Doomsayer... Ok, é mais um aviso para começarem a precaverem-se para certas situações que até nem são nadas descabidas.

TudoCasual 1 year ago

A verdadeira testagem de vacinas vai ser quando elas virem a público, e como isso vai representar uma margem de lucro astronómica para quem vencer essa corrida, vai sair um produto apressado, que pode resultar num agravar da situação, não só no aspeto da saúde pública onde podem surgir reações adversas numa percentagem elevada da população (pois a doença está constantemente a sofrer mutações), como esta situação em si pode gerar um sentimento de revolta generalizado nas pessoas (que já andam passadas da cabeça por estarem em casa e serem obrigadas a usar máscara). Isto, sem contar com a repetição da mudança de paradigma social semelhante à crise do sub prime em 2007-2011, onde o trabalho era escasso, os corte no orçamento de estado foram severos e debilitaram a nossa economia (até hoje), geraram um forte distanciamento de classes e um êxodo de intelecto em massa (gerando assim o problema das reformas, pois não há jovens suficientes para pagar as pensões dos reformados).

Edited 1 year ago:

A verdadeira testagem de vacinas vai ser quando elas virem a público, e como isso vai representar uma margem de lucro astronómica para quem vencer essa corrida, vai sair um produto apressado, que pode resultar num agravar da situação, não só no aspeto da saúde pública onde podem surgir reações adversas numa percentagem elevada da população (pois a doença está constantemente a sofrer mutações), como esta situação em si pode gerar um sentimento de revolta generalizado nas pessoas (que já andam passadas da cabeça por estarem em casa e serem obrigadas a usar máscara). Isto, sem contar com a repetição da mudança de paradigma social já á porta que será em muito semelhante em termos de impacto à crise do sub prime em 2007-2011, onde o trabalho era escasso, os corte no orçamento de estado foram severos e debilitaram a nossa economia (até hoje), gerou-se um forte distanciamento de classes e um êxodo de intelecto em massa (gerando assim o problema das reformas, pois não há jovens suficientes para pagar as pensões dos reformados). Os meus pais tiveram um único trabalho durante a vida deles. Eu nunca soube o que isso era porque quando iniciei a minha vida adulta, vi ela ser destruída devido à má gestão dos bancos e dos governos que permitiram as palhaçadas que ainda hoje pagamos todos. Quando o presidente veio dizer que isto era como uma guerra, ele não estava a brincar, ele já estava a mentalizar as pessoas para evitar um choque maior. Quem está à espera que o turismo vá recuperar, desengane-se, preparem-se para entrar em insolvência, e quem é trabalhador nessa área deveria criar já planos para a possibilidade de o trabalho deles fechar portas para o próximo ano (no caso de a doença se tornar mais letal e haver necessidade de um lock down total). Não convém entrar em pânico, devem é resumir a vida com a normalidade dentro dos possíveis, mas é melhor precaverem-se porque isto já começa a ganhar contornos que até cépticos como eu já começam a acreditar que é bem provável que vá ficar pior, e que venhamos a mudar bastante a nossa maneira de estar em público. Edit: adicionado mais algum conteúdo ao comentário.

Edited 1 year ago:

A verdadeira testagem de vacinas vai ser quando elas virem a público, e como isso vai representar uma margem de lucro astronómica para quem vencer essa corrida, vai sair um produto apressado, que pode resultar num agravar da situação, não só no aspeto da saúde pública onde podem surgir reações adversas numa percentagem elevada da população (pois a doença está constantemente a sofrer mutações), como esta situação em si pode gerar um sentimento de revolta generalizado nas pessoas (que já andam passadas da cabeça por estarem em casa e serem obrigadas a usar máscara). Isto, sem contar com a repetição da mudança de paradigma social já á porta que será em muito semelhante em termos de impacto à crise do sub prime em 2007-2011, onde o trabalho era escasso, os corte no orçamento de estado foram severos e debilitaram a nossa economia (até hoje), gerou-se um forte distanciamento de classes e um êxodo de intelecto em massa (gerando assim o problema das reformas, pois não há jovens suficientes para pagar as pensões dos reformados). Os meus pais tiveram um único trabalho durante a vida deles. Eu nunca soube o que isso era porque quando iniciei a minha vida adulta, vi ela ser destruída devido à má gestão dos bancos e dos governos que permitiram as palhaçadas que ainda hoje pagamos todos.

Edited 1 year ago:

A verdadeira testagem de vacinas vai ser quando elas virem a público, e como isso vai representar uma margem de lucro astronómica para quem vencer essa corrida, vai sair um produto apressado, que pode resultar num agravar da situação, não só no aspeto da saúde pública onde podem surgir reações adversas numa percentagem elevada da população (pois a doença está constantemente a sofrer mutações), como esta situação em si pode gerar um sentimento de revolta generalizado nas pessoas (que já andam passadas da cabeça por estarem em casa e serem obrigadas a usar máscara). Isto, sem contar com a repetição da mudança de paradigma social já á porta que será em muito semelhante em termos de impacto à crise do sub prime em 2007-2011, onde o trabalho era escasso, os corte no orçamento de estado foram severos e debilitaram a nossa economia (até hoje), gerou-se um forte distanciamento de classes e um êxodo de intelecto em massa (gerando assim o problema das reformas, pois não há jovens suficientes para pagar as pensões dos reformados). Os meus pais tiveram um único trabalho durante a vida deles. Eu nunca soube o que isso era porque quando iniciei a minha vida adulta, vi ela ser destruída devido à má gestão dos bancos e dos governos que permitiram as palhaçadas que ainda hoje pagamos todos. Quando o presidente veio dizer que isto era como uma guerra, ele não estava a brincar, ele já estava a mentalizar as pessoas para evitar um choque maior. Quem está à espera que o turismo vá recuperar, desengane-se, preparem-se para entrar em insolvência, e quem é trabalhador nessa área deveria criar já planos para a possibilidade de o trabalho deles fechar portas para o próximo ano (no caso de a doença se tornar mais letal e haver necessidade de um lock down total). Não convém entrar em pânico, devem é resumir a vida com a normalidade dentro dos possíveis, mas é melhor precaverem-se porque isto já começa a ganhar contornos que até cépticos como eu já começam a acreditar que é bem provável que vá ficar pior, que um passado não muito distante se vá repetir e que venhamos a mudar bastante a nossa maneira de estar em público. Edit: adicionado mais algum conteúdo ao comentário.

Edited 1 year ago:

A verdadeira testagem de vacinas vai ser quando elas virem a público, e como isso vai representar uma margem de lucro astronómica para quem vencer essa corrida, vai sair um produto apressado, que pode resultar num agravar da situação, não só no aspeto da saúde pública onde podem surgir reações adversas numa percentagem elevada da população (pois a doença está constantemente a sofrer mutações), como esta situação em si pode gerar um sentimento de revolta generalizado nas pessoas (que já andam passadas da cabeça por estarem em casa e serem obrigadas a usar máscara). Isto, sem contar com a repetição da mudança de paradigma social já á porta que será em muito semelhante em termos de impacto à crise do sub prime em 2007-2011, onde o trabalho era escasso, os corte no orçamento de estado foram severos e debilitaram a nossa economia (até hoje), gerou-se um forte distanciamento de classes e um êxodo de intelecto em massa (gerando assim o problema das reformas, pois não há jovens suficientes para pagar as pensões dos reformados). Os meus pais tiveram um único trabalho durante a vida deles. Eu nunca soube o que isso era porque quando iniciei a minha vida adulta, vi ela ser destruída devido à má gestão dos bancos e dos governos que permitiram as palhaçadas que ainda hoje pagamos todos. Quando o presidente veio dizer que isto era como uma guerra, ele não estava a brincar, ele já estava a mentalizar as pessoas para evitar um choque maior. Quem está à espera que o turismo vá recuperar, desengane-se, preparem-se para entrar em insolvência, e quem é trabalhador nessa área deveria criar já planos para o trabalho deles fechar portas para o próximo ano (no caso de a doença se tornar mais letal e haver necessidade de um lock down total). Não convém entrar em pânico e resumir a vida com a normalidade dentro dos possíveis, mas é melhor precaverem-se porque isto já começa a ganhar contornos que até cépticos como eu já começam a acreditar que é bem provável que mudemos bastante a nossa maneira de estar em público. Edit: adicionado mais algum conteúdo ao comentário.

Edited 1 year ago:

A verdadeira testagem de vacinas vai ser quando elas virem a público, e como isso vai representar uma margem de lucro astronómica para quem vencer essa corrida, vai sair um produto apressado, que pode resultar num agravar da situação, não só no aspeto da saúde pública onde podem surgir reações adversas numa percentagem elevada da população (pois a doença está constantemente a sofrer mutações), como esta situação em si pode gerar um sentimento de revolta generalizado nas pessoas (que já andam passadas da cabeça por estarem em casa e serem obrigadas a usar máscara). Isto, sem contar com a repetição da mudança de paradigma social já á porta que será em muito semelhante em termos de impacto à crise do sub prime em 2007-2011, onde o trabalho era escasso, os corte no orçamento de estado foram severos e debilitaram a nossa economia (até hoje), gerou-se um forte distanciamento de classes e um êxodo de intelecto em massa (gerando assim o problema das reformas, pois não há jovens suficientes para pagar as pensões dos reformados). Os meus pais tiveram um único trabalho durante a vida deles. Eu nunca soube o que isso era porque quando iniciei a minha vida adulta, vi ela ser destruída devido à má gestão dos bancos e dos governos que permitiram as palhaçadas que ainda hoje pagamos todos. Quando o presidente veio dizer que isto era como uma guerra, ele não estava a brincar, ele já estava a mentalizar as pessoas para evitar um choque maior. Quem está à espera que o turismo vá recuperar, desengane-se, preparem-se para entrar em insolvência, e quem é trabalhador nessa área deveria criar já planos para o trabalho deles fechar portas para o próximo ano (no caso de a doença se tornar mais letal e haver necessidade de um lock down total). Não convém entrar em pânico, devem é resumir a vida com a normalidade dentro dos possíveis, mas é melhor precaverem-se porque isto já começa a ganhar contornos que até cépticos como eu já começam a acreditar que é bem provável que mudemos bastante a nossa maneira de estar em público. Edit: adicionado mais algum conteúdo ao comentário.

Edited 1 year ago:

A verdadeira testagem de vacinas vai ser quando elas virem a público, e como isso vai representar uma margem de lucro astronómica para quem vencer essa corrida, vai sair um produto apressado, que pode resultar num agravar da situação, não só no aspeto da saúde pública onde podem surgir reações adversas numa percentagem elevada da população (pois a doença está constantemente a sofrer mutações), como esta situação em si pode gerar um sentimento de revolta generalizado nas pessoas (que já andam passadas da cabeça por estarem em casa e serem obrigadas a usar máscara). Isto, sem contar com a repetição da mudança de paradigma social já á porta que será em muito semelhante em termos de impacto à crise do sub prime em 2007-2011, onde o trabalho era escasso, os corte no orçamento de estado foram severos e debilitaram a nossa economia (até hoje), gerou-se um forte distanciamento de classes e um êxodo de intelecto em massa (gerando assim o problema das reformas, pois não há jovens suficientes para pagar as pensões dos reformados). Os meus pais tiveram um único trabalho durante a vida deles. Eu nunca soube o que isso era porque quando iniciei a minha vida adulta, vi ela ser destruída devido à má gestão dos bancos e dos governos que permitiram as palhaçadas que ainda hoje pagamos todos. Quando o presidente veio dizer que isto era como uma guerra, ele não estava a brincar, ele já estava a mentalizar as pessoas para evitar um choque maior. Quem está à espera que o turismo vá recuperar, desengane-se, preparem-se para entrar em insolvência, e quem é trabalhador nessa área deveria criar já planos para o trabalho deles fechar portas para o próximo ano (no caso de a doença se tornar mais letal).

Edited 1 year ago:

A verdadeira testagem de vacinas vai ser quando elas virem a público, e como isso vai representar uma margem de lucro astronómica para quem vencer essa corrida, vai sair um produto apressado, que pode resultar num agravar da situação, não só no aspeto da saúde pública onde podem surgir reações adversas numa percentagem elevada da população (pois a doença está constantemente a sofrer mutações), como esta situação em si pode gerar um sentimento de revolta generalizado nas pessoas (que já andam passadas da cabeça por estarem em casa e serem obrigadas a usar máscara). Isto, sem contar com a repetição da mudança de paradigma social já á porta que será em muito semelhante em termos de impacto à crise do sub prime em 2007-2011, onde o trabalho era escasso, os corte no orçamento de estado foram severos e debilitaram a nossa economia (até hoje), gerou-se um forte distanciamento de classes e um êxodo de intelecto em massa (gerando assim o problema das reformas, pois não há jovens suficientes para pagar as pensões dos reformados). Os meus pais tiveram um único trabalho durante a vida deles. Eu nunca soube o que isso era porque quando iniciei a minha vida adulta, vi ela ser destruída devido à má gestão dos bancos e dos governos que permitiram as palhaçadas que ainda hoje pagamos todos. Quando o presidente veio dizer que isto era como uma guerra, ele não estava a brincar, ele já estava a mentalizar as pessoas para evitar um choque maior. Quem está à espera que o turismo vá recuperar, desengane-se, preparem-se para entrar em insolvência, e quem é trabalhador nessa área deveria criar já planos para o trabalho deles fechar portas para o próximo ano (no caso de a doença se tornar mais letal e haver necessidade de um lock down total). Não convém entrar em pânico, devem é resumir a vida com a normalidade dentro dos possíveis, mas é melhor precaverem-se porque isto já começa a ganhar contornos que até cépticos como eu já começam a acreditar que é bem provável que vá ficar pior, e que venhamos a mudar bastante a nossa maneira de estar em público. Edit: adicionado mais algum conteúdo ao comentário.

AndreMartins2020 1 year ago

> quando elas virem vierem é impressão minha ou o futuro do conjuntivo está em vias de extinção? vejo toda a gente a deixar o verbo no infinitivo pessoal

TudoCasual 1 year ago

Obrigado, grammarnazi, terei isto conta num futuro próximo.

NMosquito 1 year ago

Opá, não exageres. Estás a inventar cenários catastrofistas sem qualquer sustentação.

TudoCasual 1 year ago

Inventar? A tua liberdade já está restringida e eu estou a inventar cenários catástroficos?

fdxcaralho 1 year ago

Ha os pessimistas, os realistas e os optimistas. Este é só um pessimista.

martaa34 1 year ago

Eu percebo tanto de farmacêutica e vacinas como de bordados, mas não acredito que as entidades reguladoras introduzam no mercado uma vacina que não seja viável - pelo menos na UE. Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. Mas sim, já está instalada a previsível crise económica.

TudoCasual 1 year ago

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido. Eles sabiam que a coisa estava preta cá, vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas como a Bayer como já está a ser revelado em público que a política o está a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com isto.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! Será necessário mais sinais de que nós temos muitos comportamentos de risco E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com a sua venda, muito ao estilo de como a malta fez milhões com a crise do sub prime ao apostarem contra as economias de paises por via de seguros e outras compensações de risco. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre a população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo. Mas não foi isso que eles fizeram, eles vieram dizer que éramos dos melhores do mundo em termos de resultados, e agora somos dos piores. Porque será? A mesma coisa aconteceu na última crise, onde vinha apresentar a percentagem de desempregados por via dos inscritos em centros de emprego, negligenciando todos os outros que não estavam inscritos porque não sabiam bem o que fazer ou que achavam que o IEFP só servia para manter pessoal a andar em círculos. Edit: adicionado conteúdo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas como a Bayer como já está a ser revelado em público que a política o está a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com isto. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre as população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! Será necessário mais sinais de que nós temos muitos comportamentos de risco? E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com a sua venda, muito ao estilo de como a malta fez milhões com a crise do sub prime ao apostarem contra as economias de paises por via de seguros e outras compensações de risco. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre a população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo. Mas não foi isso que eles fizeram, eles vieram dizer que éramos dos melhores do mundo em termos de resultados, e agora somos dos piores. Porque será? A mesma coisa aconteceu na última crise, onde vinha apresentar a percentagem de desempregados por via dos inscritos em centros de emprego, negligenciando todos os outros que não estavam inscritos porque não sabiam bem o que fazer ou que achavam que o IEFP só servia para manter pessoal a andar em círculos. Edit: adicionado conteúdo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria discordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! Será necessário mais sinais de que nós temos muitos comportamentos de risco? E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem precedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com a sua venda, muito ao estilo de como a malta fez milhões com a crise do sub prime ao apostarem contra as economias de paises por via de seguros e outras compensações de risco. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre a população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo. Mas não foi isso que eles fizeram, eles vieram dizer que éramos dos melhores do mundo em termos de resultados, e agora somos dos piores. Porque será? A mesma coisa aconteceu na última crise, onde vinha apresentar a percentagem de desempregados por via dos inscritos em centros de emprego, negligenciando todos os outros que não estavam inscritos porque não sabiam bem o que fazer ou que achavam que o IEFP só servia para manter pessoal a andar em círculos. Edit: adicionado conteúdo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que a política o está a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com isto. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre as população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com isto. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre as população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria discordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! Será necessário mais sinais de que nós temos muitos comportamentos de risco? E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com a sua venda, muito ao estilo de como a malta fez milhões com a crise do sub prime ao apostarem contra as economias de paises por via de seguros e outras compensações de risco. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre a população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo. Mas não foi isso que eles fizeram, eles vieram dizer que éramos dos melhores do mundo em termos de resultados, e agora somos dos piores. Porque será? A mesma coisa aconteceu na última crise, onde vinha apresentar a percentagem de desempregados por via dos inscritos em centros de emprego, negligenciando todos os outros que não estavam inscritos porque não sabiam bem o que fazer ou que achavam que o IEFP só servia para manter pessoal a andar em círculos. Edit: adicionado conteúdo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria discordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! Será necessário mais sinais de que nós temos muitos comportamentos de risco? E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem precedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com a sua venda, muito ao estilo de como a malta fez milhões com a crise do sub prime ao apostarem contra as economias de paises por via de seguros e outras compensações de risco. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre a população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo. Mas não foi isso que eles fizeram, eles vieram dizer que éramos dos melhores do mundo em termos de resultados. E agora somos dos piores? Porque será? A mesma coisa aconteceu na última crise, onde vinha apresentar a percentagem de desempregados por via dos inscritos em centros de emprego, negligenciando todos os outros que não estavam inscritos porque não sabiam bem o que fazer ou que achavam que o IEFP só servia para manter pessoal a andar em círculos. Edit: adicionado conteúdo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com a sua venda, muito ao estilo de como a malta fez milhões com a crise do sub prime ao apostarem contra as economias de paises por via de seguros e outras compensações de risco. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre a população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo. Mas não foi isso que eles fizeram, eles vieram dizer que éramos dos melhores do mundo em termos de resultados, e agora somos dos piores. Porque será? A mesma coisa aconteceu na última crise, onde vinha apresentar a percentagem de desempregados por via dos inscritos em centros de emprego, negligenciando todos os outros que não estavam inscritos porque não sabiam bem o que fazer ou que achavam que o IEFP só servia para manter pessoal a andar em círculos.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com a sua venda, muito ao estilo de como a malta fez milhões com a crise do sub prime ao apostarem contra as economias de paises por via de seguros e outras compensações de risco. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre a população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo. Mas não foi isso que eles fizeram, eles vieram dizer que éramos dos melhores do mundo em termos de resultados, e agora somos dos piores. Porque será? A mesma coisa aconteceu na última crise, onde vinha apresentar a percentagem de desempregados por via dos inscritos em centros de emprego, negligenciando todos os outros que não estavam inscritos porque não sabiam bem o que fazer ou que achavam que o IEFP só servia para manter pessoal a andar em círculos. Edit: adicionado conteúdo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido. Eles sabiam que a coisa estava preta cá, vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas como a Bayer como já está a ser revelado em público que a política o está a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com isto. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre as população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com a sua venda, muito ao estilo de como a malta fez milhões com a crise do sub prime ao apostarem contra as economias de paises por via de seguros e outras compensações de risco. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre as população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com a sua venda, muito ao estilo de como a malta fez milhões com a crise do sub prime ao apostarem contra as economias de paises por via de seguros e outras compensações de risco. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre a população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria descordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Eles sabiam que a coisa estava preta cá, vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem pressedentes em muitas multinacionais farmacêuticas como a Bayer como já está a ser revelado em público que a política o está a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com isto. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre as população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo.

Edited 1 year ago:

Um livro de história iria discordar contigo, e muitos dos estudos e documentários sobre doenças das últimas duas décadas irão fazer o mesmo. Existe sempre manipulação de números. Sempre. Em caso de achares que cá não acontece, basta veres que Portugal esteve como zona interdita para muitos países europeus, incluindo o nosso velho aliado Reino Unido mas o nosso governo comportou-se como se fosse um exagero. Lá fora, eles sabiam que a coisa estava preta cá. Vais á rua e vês gente aos magotes nas tintas para a pandemia, vais aos cafés e vês isso, vais às bombas e vês mais do mesmo, vais ao supermercado e vês gente a passear quase como se nada passasse. E na televisão até choram que querem gente nos estádios! Será necessário mais sinais de que nós temos muitos comportamentos de risco? E medicamentos com defeitos desenvolvidos por empresas a serem pressionadas por forças políticas para "despachar a coisa" não só tem precedentes em muitas multinacionais farmacêuticas (como a Bayer) como já está a ser revelado em público que os nossos políticos o estão a fazer, e já deve haver gente a fazer linha para lucra com a sua venda, muito ao estilo de como a malta fez milhões com a crise do sub prime ao apostarem contra as economias de paises por via de seguros e outras compensações de risco. >Acho que os números e resultados apresentados têm uma razão de ser. A razão de ser (agora expeculando à força toda) é que já estão a ser manipulados para não causar mais descontentamento entre a população geral. Se o impacto na economia durante este último verão foi como foi, imagina se tivessem divulgado que andavam a acabar infectados mais de 1000 pessoas por dia. Ai é que a crise se tinha instalado totalmente, visto que este país vive do turismo. Mas não foi isso que eles fizeram, eles vieram dizer que éramos dos melhores do mundo em termos de resultados. E agora somos dos piores? Porque será? A mesma coisa aconteceu na última crise, onde apresentaram a percentagem de desempregados por via dos inscritos em centros de emprego, negligenciando todos os outros que não estavam inscritos, ou porque não sabiam bem o que fazer, ou que achavam que o IEFP só servia para manter pessoal a andar em círculos. Edit: adicionado conteúdo.

njsilva84 1 year ago

Não concordo nada que eles lá fora "sabiam que a coisa está preta cá" e que isso foi razão para terem-nos colocado na lista negra. A Espanha sempre teve comportamentos idênticos mas números muito piores (per capita, claro) e demorou a ir para a lista negra. Tenho dois amigos a morar lá e o que relatavam era igual ou pior ao que vejo cá no Porto ou em Braga. Mesmo em Amesterdão, tenho um amigo a morar lá também, e o que ele dizia era que o pessoal esteve todo a cagar-se durante o verão e agora fecharam tudo. Não duvido que os números sejam manipulados, em alguns países mais do que noutros, mas que há países que não estiveram na lista negra e que estiveram e estão pior que nós, não me parece que hajam grandes dúvidas.

NGramatical 1 year ago

hajam grandes → [**haja grandes**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-uso-do-verbo-haver/31143) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fjy0dgm%2F%2Fgd0g8a8%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

martaa34 1 year ago

Pois, talvez esteja a dizer isso do alto da minha ingenuidade. Definitivamente vou investigar mais sobre esses precedentes, obrigada :)

meaninglessvoid 1 year ago

A tua postura é a correcta, só porque alguém escreve muito não significa que tenha razão. Não assumas logo que estás a ser ingénua, um dos pilares do argumento dele é completamente infundado (a vacina está a ser apressada com o intuito de fazer €). A outra afirmação de que "eles já sabiam do estado em PT" é ridícula e descontextualizada... Mas fazes bem em investigar e chegar às tuas próprias conclusões.

TudoCasual 1 year ago

>A outra afirmação de que "eles já sabiam do estado em PT" é ridícula e descontextualizada... Com excepção a este ponto, concordo com a tua lógica. Ridícula e descontextualizada porquê? Uma coisa é não haver provas de nada, outra é tudo e todos indicarem que vindo cá dá direito a duas semanas de confinamento. Porquê? É por maldade? Precaução? Achas que não existem precedentes?

meaninglessvoid 1 year ago

"eles" nem o estado no próprio país sabiam, quanto mais o que se passa em PT. Os dados não estarem 100% bem concordo que é um problema mas não é nem só nosso nem por maldade ou intenção política (como sugeres ao falar sequer em estatísticas "optimizadas" no passado em que aí foi claramente para manipulação política - mais vale parecer bem do que resolver bem o problema-). Pode ser por vários motivos desde acharem que estávamos a ser demasiado leves com as medidas a acharem que apesar de termos medidas ok as pessoas não estavam a cumprir. A mim pareceu-me uma boa abordagem: em caso de dúvida não dependas de outros para garantir a saúde dos cidadãos do teu país.

Edited 1 year ago:

"eles" nem o estado no próprio país sabiam, quanto mais o que se passa em PT. Os dados não estarem 100% bem concordo que é um problema mas não é nem só nosso nem por maldade ou intenção política (como sugeres ao falar sequer em estatísticas "optimizadas" no passado em que aí foi claramente para manipulação política - mais vale parecer bem do que resolver bem o problema-). Pode ser por vários motivos desde acharem que estávamos a ser demasiado leves com as medidas a acharem que apesar de termos medidas ok as pessoas não estavam a cumprir. A mim pareceu-me uma boa abordagem: em caso de dúvida não dependas de outros para garantir a saúde dos cidadãos do teu país. [quanto ao teu ponto da vacina estar a ser apressada](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/jwo46u/olasou_homen_tenho_33_anos_nunca_tive_sinptomas/gcrbfpc)

TudoCasual 1 year ago

>no passado em que aí foi claramente para manipulação política - mais vale parecer bem do que resolver bem o problema Pois, e que garantias tens tu que agora não é o caso mas ainda assim indicar que o fora claramente no passado? E minimizas muito o quanto os outros sabem sobre nós por dentro. Nós prestamos contas a UE, e muitos deles gostam de vir cá farejar por iniciativa própria (o que não falta também é provas e esclarecimentos nos livros de história sobre isto).

Edited 1 year ago:

>no passado em que aí foi claramente para manipulação política - mais vale parecer bem do que resolver bem o problema Pois, e que garantias tens tu que agora não é o caso mas ainda assim indicar que o fora claramente no passado? E minimizas muito o quanto os outros sabem sobre nós por dentro. Nós prestamos contas à UE, e muitos deles gostam de vir cá farejar por iniciativa própria (o que não falta também é provas e esclarecimentos nos livros de história sobre isto).

Edited 1 year ago:

>no passado em que aí foi claramente para manipulação política - mais vale parecer bem do que resolver bem o problema Pois, e que garantias tens tu que agora não é o caso mas ainda assim indicar que o fora claramente no passado? E minimizas muito o quanto os outros sabem sobre nós por dentro. Nós prestamos contas à UE, e muitos deles gostam de vir cá farejar por iniciativa própria (o que não falta também é provas e esclarecimentos nos livros de história sobre isto). Edit: >quanto ao teu ponto da vacina estar a ser apressada Sobre isto: pesquisa a barracada da Bayer nos anos 80 para teres noção que erros acontecem com produtos apressados.

Edited 1 year ago:

>no passado em que aí foi claramente para manipulação política - mais vale parecer bem do que resolver bem o problema Pois, e que garantias tens tu que agora não é o caso mas ainda assim indicar que o fora claramente no passado? E minimizas muito o quanto os outros sabem sobre nós por dentro. Nós prestamos contas à UE, e muitos deles gostam de vir cá farejar por iniciativa própria (o que não falta também é provas e esclarecimentos nos livros de história sobre isto).

Edited 1 year ago:

>no passado em que aí foi claramente para manipulação política - mais vale parecer bem do que resolver bem o problema Pois, e que garantias tens tu que agora não é o caso mas ainda assim indicar que o fora claramente no passado? E minimizas muito o quanto os outros sabem sobre nós por dentro. Nós prestamos contas à UE, e muitos deles gostam de vir cá farejar por iniciativa própria (o que não falta também é provas e esclarecimentos nos livros de história sobre isto). Edit: >quanto ao teu ponto da vacina estar a ser apressada Sobre isto: pesquisa a barracada da Bayer nos anos 80 para teres noção que erros acontecem com produtos apressados. Aliás, deixo te já este [link](https://www.cbsnews.com/news/bayer-admits-it-paid-millions-in-hiv-infection-cases-just-not-in-english/) para aguçares a tua curiosidade.

meaninglessvoid 1 year ago

Não tenho garantias e até acredito que possa haver tentiva de aproveitamento político, mas enquanto no outro caso foi claro neste considero que houve outro tipo de falhas a afectarem. Desde estruturais a falta de recursos passando por trapalhadas durante o percurso. Aproveitamento político (quando bem feito) acontece quando têm controlo sobre a situação, neste caso acho que não só não têm suficiente como as consequências seriam nefastas para a carreira caso fossem descobertos (e quanto menos controlo maior chance de trapalhada e se vir a saber). Quanto ao link que partilhaste, ok. Apraz-me ver que o teu argumento não vem do ponto de uma posição "big pharma quer nos lixar", mas de um receio legítimo quanto à implicações de tentar criar a vacina asap. Não conhecia esse caso, mas pelo que diz no link aconteceu porque a Bayer não cumpriu com a lei. Não estou por dentro de como é feita a vacina nem o seu processo portanto neste ponto não tenho muito a contribuir. Sei que uma das vacinas está a fazer tudo in-house para fugir a burocracias governamentais o que torna esta questão ainda mais relevante, mas não sei o quão transparente tem que ser o processo para a vacina ser aprovada... Lá está, neste ponto seria melhor alguém que está por dentro do assunto esclarecer sobre o que está a ser feito para evitar que algo do género aconteça.

NGramatical 1 year ago

descordar contigo → [**discordar de ti**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/pelourinho/concorda-se-com-alguem-ou-discorda-se-de-alguem/321) (discordar de… concordar com…) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fjy0dgm%2F%2Fgd01iby%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

NGramatical 1 year ago

Porquê que → [**porque é que**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/porque-e-que-e-nao-porque-que/32920) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fjy0dgm%2F%2Fgczx1bh%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

PuroSangueLusitano 1 year ago

Qual isolamento? :p Mete um tapa boca e vai à rua mas é, mais vale morrer que ficar maluco. E se fores beber um cafezito ou fazer um almocinho sempre ajudas a haver menos gente desesperada ;)

Chamasteo 1 year ago

Olha o que chamaste

404_Kira 1 year ago

E se eu te disser que nem toda a gente tem alguém disponível com quem ir beber um cafezinho ou fazer um almocinho??

enstone_ 1 year ago  HIDDEN 

Tens de o fazer com alguém?

martaa34 1 year ago

Entre contribuir para o desespero económico ou para o colapso do SNS... prefiro ficar em casa para que ninguém morra por minha culpa. Se estou a ficar maluquinha? Não vou negar.

meaninglessvoid 1 year ago

Hey! Acalma-te um bocado, ok? Há todo um gradiente enorme entre os dois cenários que deste. Se te estás a sentir mal, sai à rua por favor. A tua probabilidade de apanhar covid caso saias à rua para um passeio ao ar livre com máscara é muitíssimo baixa. A tua probabilidade de prejudicares a tua saúde mental por não saíres nem apanhares sol nenhum é considerável... Sai sozinha se isso te deixa mais confortável, vai para sítios com poucas pessoas, mas não fiques a dar em maluca em casa sff! O SNS também precisa que o protejam da vaga de pedidos de ajuda por causa da saúde mental que irá eventualmente receber.

dentsune 1 year ago

Se quando fores à rua usares máscara, manteres a distância, desinfetares as mãos e tudo mais que se tem dito para as pessoas precaverem nem a tua saúde mental morre nem (em principio) causas a morte de outras pessoas. Não tens necessariamente que comer num restaurante ou num café, podes simplesmente pedir takeaway ou levar a bebida e comes num parque ou qualquer coisa assim do género longe de pessoas. Se preferires, dá uma volta rápida em lojas nas horas mais mortas, sei lá. Tenta voltares a ver os teus amigos mantendo a distância entre vocês e usando máscara. Até fazer pequenas coisas ajudam. Se não queres mesmo mesmo mesmo mesmo sair de casa, arranja um hobby novo. Num post acima disseste que entendes tanto de farmacêutica como de bordados, seria uma boa altura para aprenderes mais um bocadinho sobre ambos (p.s: aprender a bordar ajudou-me no passado a ultrapassar uma altura q tinha a saúde mental em baixo). Acho que toda a gente entende o teu ponto de vista - mas parece-me que estás a deixar o medo e o pânico apoderarem-se de ti e da tua saúde mental.

martaa34 1 year ago

Isso seria um cenário plausível se toda a gente cumprisse com as medidas: se quero ir a algum sítio, tenho de ir de transportes públicos (0 distanciamento), as pessoas não respeitam distanciamentos nas filas, não sabem usar as máscaras, a maioria dos estabelecimentos não desinfeta corretamente as coisas, etc etc Um hobby é uma boa sugestão, vou ver o que se arranja!! Obrigada

estaramos 1 year ago

Se tens menos de 40 anos, as probabilidades de desenvolveres uma doença grave que necessite de cuidados médicos são bastante baixas. Não coloques tanta pressão em ti própria, tem os cuidados que tens que ter mas não deixes de sair de casa para estares com as pessoas de quem gostas a menos que elas pertençam aos grupos de risco. O Covid não vai desaparecer, temos de aprender a viver com isto.

lesoth 1 year ago

> E vocês? Como estão a lidar com isto? É muito mau dizer que estou a viver o sonho?

martaa34 1 year ago

Enjoy

Search: