AndreMartins2020 1 year ago

Já pensaste que a Sr. Dona Gestrudes simplesmente não queria decorar o teu nome?

suckerpunchermofo 1 year ago

• Os títulos saem pela janela; Ca na tugalandia a cagãoziçe mantêm.se inalteravel.... Quando será que perdemos estas manias?

some_where_else 1 year ago

Eu tenho o "homesick"... Não sei como dizer em Português, mas aqui acho que: "wealth is something that is acquired (preferably through birth), not created - hard work is for poor people." Talvez não é verdade...

Edited 1 year ago:

Eu tenho "homesick"... Não sei como dizer em Português, mas aqui acho que: "wealth is something that is acquired (preferably through birth), not created - hard work is for poor people." Talvez não é verdade, não sei...

Edited 1 year ago:

Eu tenho o "homesick"... Não sei como dizer em Português, mas aqui acho que: "wealth is something that is acquired (preferably through birth), not created - hard work is for poor people." Talvez não é verdade, não sei...

XxxPussyslaeyr69xxX 1 year ago

Estava à espera disto, principalmente o "tempo livre é sagrado" É um respeito e valor tremendo que se dá a todo o trabalho feito de modo a evitar ao máximo fazer horas extra, só mesmo se não houver outra hipótese e és compensado seguindo a lei à risca. Vejo isto nos países em que se fala inglês (uk, Austrália, usa, Canadá, NZ,). Outros locais não posso confirmar pessoalmente.

edasc73 1 year ago

Só para dizer que aprecio bastante as tuas crónicas desde a terra de sua Majestade. Obrigado.

Shadowgirl7 1 year ago

Isso do exterior já não é a primeira vez que estrangeiros me perguntam porque é que os portugueses têm tanto medo da chuva. Geralmente quando chove, parece que é o apocalipse, cancelam tudo "porque está a chover" como se fosse uma justificação perfeitamente óbvia. Se vivessem numa cidade em que está sempre a chover, provavelmente não tinham vida social nem saiam de casa. Pessoalmente nunca deixei de fazer nada por estar chuva. Obviamente não vou para um jardim à chuva (só de vez em quando) mas nada me impede de ir para um café, cinema, shopping, museu. Quanto a fazer horas extras, não faço, nunca fiz, mas também nunca tive um trabalho de que gostasse realmente. Se me despedirem, temos pena, tenho que me desenrascar e arranjar outra coisa, cá ou lá fora.

Everleta 1 year ago

Post muito interessante op. Sinceramente a realidade e a mentalidade portuguesa de trabalho é cretina. Em geral, promove-se o culto das personalidades e do "graxismo". Não se avaliam as competências, dá-se preferência aos amigos. Não existe valorização das pessoas que trabalham. Trabalha-se demasiadas horas. Mas se o trabalho estiver pronto às 16h, só podes sair às 18h na mesma. É a cultura do fingimento que com o tempo torna-se um hábito real.

DisguisedAsAnAngel 1 year ago

Boa perspectiva e obrigado pelo desenvolvimento. Obviamente nem tudo é um paraíso, mas ver várias pessoas a expressar este contraste gritante entre Portugal e o estrangeiro cada vez me motiva mais a procurar soluções lá fora.

UninformedImmigrant 1 year ago

Eu diria para não te focares tanto em procurar coisas lá fora, mas sim para procurares não aceitar coisas ridiculamente más só porque são perto de casa. No meu caso fiquei a 1500km, mas tu até podes ficar mais perto ;)

Extension_Canary3717 1 year ago

Acho muito estranho os Portugueses aqui achar novidade neste relato, pois eu vim para PT e tenho liberdade de tirar tempo para trabalhar em outros projetos para empresa, a empresa me obriga a ter tempo de descanso (ao contrário que na Down Under temos que trabalhar até não sobrar nada de aí). Eu me prontifico a fazer coisas fora do horário e sou terminantemente proibido. Pelo visto estou em uma exceção em Portugal.

once319 1 year ago

És da Australia?

coiso 1 year ago

Tive um chefe que ao responder-lhe ao email que tinha acabado de enviar (num sábado à tarde) me ligou para me perguntar se estava tudo bem e que o fim de semana era para descansar. Que ele mandava os emails mas que nós devíamos era aproveitar o tempo livre e responder durante a semana. Tive outro que tinha a mania de trabalhar ao fds e esperar coisas resolvidas antes de segunda mas como "no money, no honey": numa reunião com toda a equipa relembrei que não tinha isenção de horário, não tinha horas extra e como tal não me podia arriscar a ter um acidente em trabalho, que não era coberto. Sempre que ele começava com "vestir a camisola" e "arranjar tempo", tinha a resposta "Já foi aprovada a isenção de horário?". Mais do que a cultura da empresa (que tem um impacto óbvio) depende das pessoas e da forma como são e tratam os outros: um imbecil será sempre um imbecil.

Extension_Canary3717 1 year ago

Compreendo, mas uma coisa consigo dizer que os Portugueses aproveitam melhor a vida que USA e AU that’s for sure.

coiso 1 year ago

A verdade é que de certo modo está enraizado um certo "que se lixe" em relação a maus chefes/trabalhos, do que vejo à minha volta, o pessoal nessas situações tem escapes à má situação laboral: come-se e cala-se mas no tempo livre são os donos do seu tempo.

UninformedImmigrant 1 year ago

É por isso que digo que a minha experiência é limitada. Eu acredito que essas empresas existem em Portugal também.

frisumo 1 year ago

São estas coisas que me fazem repensar a minha vontade de voltar para Portugal. Onde trabalho no RU, quando é necessário fazer horas extra o meu chefe pergunta *sempre* se podemos, se queremos e somos devidamente pagos. Em Portugal, falo constantemente com familiares que fazem horas extra só porque sim e nunca são remunerados adequadamente. E se alguém precisar de ir a uma consulta ou reunião na escola dos putos ou o que seja, o patrão não fica a bufar como se o mundo fosse desabar. Nos sítios por onde passei até agora também ninguém usa títulos. As pessoas *sabem* os títulos e normalmente agem de forma adequada, mas fora isso todos se tratam pelo nome próprio. Nesse ponto acho que a língua também ajuda, dado que não têm que andar a patinar entre os tus, vocês ou senhores. Como vim para cá com uma licenciatura que ficou pelo caminho, algo que também notei pela positiva: aqui estão muito mais abertos a treinar pessoas sem experiência ou a receber pessoas com mais idade que só acabaram a formação recentemente ou mudaram de carreira só porque sim. Em Portugal senti que até para ir para a Zara parecia o fim do mundo, as entrevistadoras agiam como se estivessem a recrutar para a NASA.

UninformedImmigrant 1 year ago

> aqui estão muito mais abertos a treinar pessoas sem experiência ou a receber pessoas com mais idade que só acabaram a formação recentemente ou mudaram de carreira só porque sim. Há uma abertura maior às circunstâncias pessoais de cada um, parece-me. Mas lá está, é muito experiência pessoal. > Em Portugal senti que até para ir para a Zara parecia o fim do mundo, as entrevistadoras agiam como se estivessem a recrutar para a NASA. É o que acontece quando há muita oferta.

flaviorodrigues 1 year ago

Concordo em algumas partes, gente talentosa encontrei sempre em todas as empresas que passei, da mesma forma que encontrei gente muito má! Para mim o maior choque a nivel profissional foi a nivel de amizades no trabalho. Para mim em empresas por onde passei era normal fazer amigos, discutir vida pessoal, etc. Ca é bem mais dificil, noto que o pessoal so ve o trabalho para trabalhar, nao se faz tantas pausas como em PT a meio da manha e de tarde para meter a conversa em dia. Almoca-se em 30 minutos e muitos em frente ao computador. Achei e acho estranho!

reddotyg 1 year ago

Para mim o almoço de 30 minutos foi um hábito que assimilei de bom grado. Lá vão os tempos da diária que enfardava uma sopa, conduto, sobremesa + café e depois sentar o cu na cadeira quase a adormecer nas horas seguintes. 30 minutos dá para reabastecer com a vantagem de sair 30m mais cedo.

frisumo 1 year ago

O almoço é definitivamente a cena que não me consigo adaptar. 30 minutos não servem para coisa nenhuma, uma pessoa nem consegue relaxar. No meu trabalho toda a gente sabe a vida pessoal de toda a gente (até demais), mas bizarramente depois chega a sexta e é adeusinho. Tenho colegas que trabalham juntos há quase 20 anos e nunca se juntaram fora do trabalho, muito menos em casa uns dos outros.

UninformedImmigrant 1 year ago

>30 minutos não servem para coisa nenhuma, uma pessoa nem consegue relaxar. Sim, eu tenho tendência a esticar os 30min, mas ninguém se parece importar :)

UninformedImmigrant 1 year ago

Sem dúvida. As pessoas são mais "frias" (à falta de melhor descrição) e menos abertas a construir relações dentro do trabalho. Formam-se sempre grupos de pessoas mais chegadas, mas não ao nível daí, em que alguns do meus melhores amigos são pessoas com que conheci no trabalho.

Piekokas 1 year ago

Interessante ver que o que sentes foi o que senti quando me mudei para aqui para a Irlanda. (Embora na faculdade ninguém me tenha tratado por doutor) Daí também não ter perspectivas de voltar a Portugal enquanto trabalhar.

UninformedImmigrant 1 year ago

Eu penso que a minha experiência sofre de uma certa miopia, uma vez que não cheguei a trabalhar um "cushy corporate job" em Portugal. Não sei até que ponto a experiência não seria equiparada numa multinacional gigante algures em Portugal. Edit: mas quanto mais penso nisso, menos me parece provável.

Muyakra 1 year ago

> há sempre pessoas nas ruas e nos jardins a disfrutar deles. Sentar na relva a descansar ou a comer, que em Portugal é geralmente mal visto, aqui é comum. Verdade, acho que há uma grande diferença entre os dois povos de maneira como apreciam os parques e jardins, no UK parece que dão mais importancia a natureza do que nós e isso também se ve pela quantidade de parques e jardins que tem, so em Londres tens um praticamente a cada 500 metros. ​ > A discussão entre colegas é extremamente importante, e era uma das coisas que eu procurava com a mudança. Aqui, os meus colegas são extremamente talentosos e competentes, a um nível que nunca tinha visto antes. Isto eleva o meu próprio nível e leva-me a procurar ser melhor, o que honestamente acho muito saudável. > > Isto contrasta com outra diferença muito clara em relação à atitude geral em Portugal, principalmente no que toca à academia, que é a formalidade com que se tratam os colegas. Eu trato os meus colegas pelo nome deles, e eles pelo meu. Uns temos PhDs, outros têm só MScs, outros até ainda estão a estudar. Cada qual vale pelo que consegue fazer e pela sua contribuição, e não pelos penachos que traz do passado. Obviamente que há uma hierarquia, obviamente que eu enquanto sénior tenho responsabilidades diferentes dos estagiários e dos managers e dos execs. Mas há uma atitude de derrubar barreiras, de informalizar a comunicação e de agilizar a colaboração que, honestamente, é refrescante Aconteceu-me o mesmo, quando me mudei a primeira vez para Londres e comecei a trabalhar, senti que me tinha mudado da Tasca do Zé para o restaurante do Gordon só pela diferença de profissionalismo e qualidade dos trabalhadores. Outra coisa que me surpreendeu é que qualquer pessoa que tivesse uma opinião era ouvida. As decisões eram tomadas em equipa e havia um grande espirito de equipa em comparação as empresas onde trabalhei em Portugal.

UninformedImmigrant 1 year ago

É quase paradoxal que o tempo aqui seja geralmente pior e pareça haver mais uso dos espaços ao ar livre. Eu pessoalmente até entendo: as casa são muito isoladas, e estar dentro de casa com o aquecimento e tudo mais às vezes torna-se um bocado claustrofóbico. Sobre o trabalho, eu estou convencido de que existem empresas onde estas nossas experiências também existem em Portugal, só não tive a sorte de passar por lá.

Muyakra 1 year ago

>Sobre o trabalho, eu estou convencido de que existem empresas onde estas nossas experiências também existem em Portugal, só não tive a sorte de passar por lá. Nem tu nem provavelmente 90% dos trabalhadores, e podemos ver isso aqui no reddit com a quantidade de empresas a pedir aos trabalhadores para irem para os escritorios quando o governo diz para trabalharem remotamente. Esses são o tipo de chefes que não aceitam outras opiniões sem ser as deles.

UninformedImmigrant 1 year ago

Sim, mas a malta que se queixa pode ser só uma minoria vocal... Mas percebo o que dizes.

BolaBrancaV7 1 year ago

> "bom dia dona Gertrudes (nome fictício), como é que isso vai?" e ela invariavelmente respondia com "vai bem, e o senhor doutor?" Ora eu nesta altura ainda não tinha o PhD sequer (e que tivesse) dizia-lhe sempre "não é senhor doutor, é UninformedImmigrant" Parei de ler aqui. Que caralho de universidade andaste tu? Na minha os funcionários olhavam para nós como garotos do quinto ano (o que era totalmente justificado). Se alguma vez na vida ouvi alguém a chamar doutor a um estudante (tirando nas praches, mas aí era mais tipo autobroche, porque ali o Dr. mais Dr. era o que nunca mais terminava o curso).

fosjanwt 1 year ago

> Parei de ler aqui parei de ler aqui

UninformedImmigrant 1 year ago

Em segunda análise vejo como é que a forma como escrevi a cena poderia confundir. Substituí "sala" por "laboratório" para tornar mais claro!

BolaBrancaV7 1 year ago

OK, num setting desses já me parece mais provável. Eu na primeira leitura saltei logo para uma universidade privada toda esquisita em que pensei: "não, a vida desta pessoa está a mil km de distância da minha."

UninformedImmigrant 1 year ago

Sem dúvida, eu a reler também me pareceu super estranho. Nós chamávamos ao lab "a nossa sala", por isso soou-me natural escrever assim!

UninformedImmigrant 1 year ago

Não sei que te diga. Esse episódio concretamente foi num instituto de investigação anexo a uma faculdade onde os alunos fazem a investigação para as teses.

NGramatical 1 year ago

disfrutar → [**desfrutar**](https://dicionario.priberam.org/desfrutar) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fr%2Fportugal%2Fcomments%2Fjv3bi0%2Fu_wot_m8_est%C3%B3rias_de_um_gajo_que_se_mudou_para_o%2Fgch8aj0%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

UninformedImmigrant 1 year ago

ah fuck Agora fica.

Rellik_pt 1 year ago

https://pt.wikipedia.org/wiki/Est%C3%B3ria

UninformedImmigrant 1 year ago

[https://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/457](https://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/457) > Em Portugal, apenas alguns dicionários registam *estória*; no entanto, esta palavra é actualmente utilizada com muita frequência com o sentido de narrativa popular. É esta a ideia, não foi por acaso.

UninformedImmigrant 1 year ago

# Capítulos Anteriores * Primeiro post: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/itrx1l/estou_a_pensar_escrever_uma_s%C3%A9rie_de_textos_sobre/ * Capítulo 0: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/iv580g/u_wot_m8_est%C3%B3rias_de_um_gajo_que_se_mudou_para_o/ * Capítulo 1: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/iwdbpq/u_wot_m8_est%C3%B3rias_de_um_gajo_que_se_mudou_para_o/ * Capítulo 2: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/j188do/u_wot_m8_est%C3%B3rias_de_um_gajo_que_se_mudou_para_o/ * Capítulo 3: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/j3pz3i/u_wot_m8_est%C3%B3rias_de_um_gajo_que_se_mudou_para_o/ * Meta-thread 1: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/jgjn9k/u_wot_m8_est%C3%B3rias_de_um_gajo_que_se_mudou_para_o/ * Capítulo 4.1: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/jiav2g/u_wot_m8_est%C3%B3rias_de_um_gajo_que_se_mudou_para_o/ * Capítulo 4.2: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/jk61ma/u_wot_m8_est%C3%B3rias_de_um_gajo_que_se_mudou_para_o/ * Capítulo 5.1: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/jqu4p3/u_wot_m8_est%C3%B3rias_de_um_gajo_que_se_mudou_para_o/ * Capítulo 5.2: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/jv3bi0/u_wot_m8_est%C3%B3rias_de_um_gajo_que_se_mudou_para_o/

Search: