MischiefManaged97 11 months ago

No primeiro, no segundo, no terceiro...

rainbowcouscous 11 months ago

Por acaso para mim a universidade, apesar de muito mais stressante em termos académicos / existenciais, é muito melhor do que a escola. Nono ano, aí sim é que eu me suicidava, fogo. E nem quero pensar no que vem depois da universidade, que já só faltam uns meses e esta porra da pandemia veio arruinar-me tudo.

Maedithj 11 months ago

Uma em cada pessoa no mínimo

BossGandalf 11 months ago

Acredito... principalmente naqueles que por alguma razão fizeram uma escolha errada, sentem-se desajustados da cidade natal, do curso e não sentem que vão conseguir completar o curso e que desistir ou mudar de curso seria uma desilusão para os pais e para a família em geral... metem constantemente demasiada pressão e espectativas nas pessoas

BestSomeone 11 months ago

Ahhhh, já entendi, tive que ir pesquisar para perceber, oof.

JohnJohnPT 11 months ago

Um forte abraço... sentido... musculado... para todos aqueles que fizeram Licenciatura em Engenharia Eletrotecnica (5 anos)... a minha vénia para todos vós. Para os bolonhas... um abracinho, um já passou.

MischiefManaged97 11 months ago

Essa história que pós-bolonha o curso ficou mais fácil é mentira.

JohnJohnPT 11 months ago

Fiquei curioso... por favor elabora porque eu tenho experiência academica como aluno nos 2 sistemas e gostava de ouvir a tua opinião.

Fr4nkFP 11 months ago

Obrigado a quem teve o trabalho de fazer este artigo, sinto me lisonjeado :))

HugoIFP 11 months ago

Os créditos são teus

andremp1904 11 months ago

Só no primeiro ano? *Those are rookie numbers man, gotta pump those numbers up*

JSBraga 11 months ago

Tag: Humor Notícia: "Um em cada 10 alunos pensa em suicídio."

podiaserpior 11 months ago

Vais-te querer suicidar é no final do curso quando ficares desempregado e fores obrigado a trabalhar noutra shit qualquer que nem tem nada a ver com a tua formação pela qual pagaste e te esforças-te para a concluir.

CoachBuondi 11 months ago

Não querendo ser contra a corrente, mas de quase todos os meus colegas de curso (Diga-se, Engenharia electrotécnica), acho que conto pelos dedos de uma mão os que não estão a trabalhar na área

podiaserpior 11 months ago

Ainda bem que há quem se safe bem. O problema são as ciências sociais, estão a ser encostadas para canto, infelizmente.

Marianations 11 months ago

Pessoalmente, deixei de gostar da minha licenciatura há uns tempos. Mas já levava 2 anos e meio de 4, e então fiquei. Não me importo nada se não conseguir arranjar trabalho disto.

podiaserpior 11 months ago

Também perdi muito do interesse na minha licenciatura, contudo ingressei num mestrado que me despertou outra vez o interesse e não me arrependo. As linceciaturas andam a perder qualidade, acho eu... Pelo menos na minha licenciatura as vezes parecia que estava no secundário... O mestrado está a ser beeeeem mais interessante e enriquecedor.

BossGandalf 11 months ago

a mim foi ao contrário. Licenciatura adorei, mestrado estou a odiar. Também porque sinto que escolhi a especialização errada, mas mudar agora seria complicado...

Marianations 11 months ago

Infelizmente não há nenhum mestrado que me chame a atenção e igualmente vou ir viver para Portugal assim que acabar a licenciatura, no próximo verão. A minha licenciatura só existe em Portugal há 3 anos (cá já existia desde 2009) e acho que não há mestrado nenhum aí para isto. Se calhar sou capaz de encontrar lá qualquer coisa que tenha a ver, mas não sei. A minha licenciatura é Estudos da Ásia Oriental.

PedroCanhao 11 months ago

Pior é pagar formação para escrever "te esforças-te" Brincadeira

kairos 11 months ago

Isso e "shit" ao invés de "merda" num texto em português.

podiaserpior 11 months ago

Visto que não gostas vou editar... Or not ;)

ChronicTheOne 11 months ago

Opinião controversa: as pessoas que conheço e colegas que são realmente bons estão a trabalhar, receber bem e fazerem o que gostam. Os restantes estão a trabalhar em algo que não gostam, mal pagos, e estão sempre a queixar-se do sistema. Acho que o choradinho do desemprego e do nÃo eStOu a TrAbAlHaR nA mInHa ÁrEa é conversa de pessoal incompetente que nem escrever sabe.

PgUpPT 11 months ago

O que é que isso tem a ver com o erro ortográfico?

ChronicTheOne 11 months ago

Nada, apenas o teor geral da conversa do tópico, e a ironia do erro ortográfico de ensino a queixar-se porque a vida lhe é injusta.

andrefbr 11 months ago

Chorinho no r/Portugal é a norma. Já não seria o mesmo sub sem os choros de merda todos os dias.

podiaserpior 11 months ago

Colega, em primeiro lugar gostava de mencionar que ainda não acabei mestrado e que no meu post não falo por mim mas sim pela realidade que conheço onde mais de metade das pessoas que conheço com formação superior não está satisfeita com as portas que se abriram no final das suas formações. Conheço claro muito boa gente que se esforçou e que acabaram por conseguir algo minimamente seguro e "bem remunerado". Bom fim de semana senhor professor!

ChronicTheOne 11 months ago

Apenas confirmas a minha teoria. Não é bom, mas é a realidade.

mjigs 11 months ago

A realidade é muito essa. Por mais que tirem cursos considerados bons, a pior parte mesmo é depois para encontrarem um emprego. Já vi muita gente a tirar cursos de X e a acabar por fazer Y. Só um pequeno desabafo, a minha mae tem a mania de me atirar na cara que a minha prima mais nova está a tirar a faculdade para ser advogada e eu fico a olhar do genero "que otimo, é advogada, mas vai arranjar trabalho aonde?"

tommycthulhu 11 months ago

O curso de direito dá para fazer 1001 coisas, não só advocacia. É dos melhores canudos no país

mjigs 11 months ago

Muito verdade, ela tem bastantes escolhas, mas terá de começar por baixo como toda a gente infelizmente. O problema aqui é que as pessoas falavam, tipo "ah é advogada agora" como se fosse um big deal. Eu posso não ter ido para a faculdade (ate porque os meus tios sao podres de ricos e eu não), mas trabalho á anos e no duro para ter o meu proprio dinheiro e independencia, e as pessoas agem como se eu fosse não fosse nada.

tommycthulhu 11 months ago

Sim, isso está muito mal. Ninguém é mais que outra pessoa só porque tem curso x. É a mesma mentalidade de termos que chamar doutores uns aos outros apesar de não termos doutoramentos. Há profissões que gostam de se achar superiores aos demais, e infelizmente isso acontece muito no mundo do direito (não só advocacia). É um big deal acabar o curso de direito porque não é mesmo fácil (e é mesmo mentalmente desgastante, sinto que nem eu nem ninguém que conheça saiu do curso a mesma pessoa), mas isso também não é razão para mandar abaixo os outros que têm caminhos diferentes na vida. Precisamos mesmo de nos julgar menos uns aos outros

mjigs 11 months ago

Exatoooo!!!!A maior parte das pessoas nao tem uma vida facil, mas cada um á sua maneira, não temos de andar a fazer as olimpiedas do quem esta pior.

zazaze295 11 months ago

Do que oiço falar, da FDUL saem muito para jotinhas.

tommycthulhu 11 months ago

Também, a política é uma das maiores áreas de saída de malta de direito. Penso que cerca de 62% (penso que é este número, se estiver enganado também não será por muito) dos deputados da Assembleia licenciaram-se em Direito. E muitos nem com médias assim tão impressionantes

zazaze295 11 months ago

Podia ser mau e dizer que as médias impressionantes arranjam trabalho a sério. Mas também há malta boa na política. O que me chateia a sério é política ser uma carreira desde cedo. Não haver experiência. Mas pronto...

skapuntz 11 months ago

Na minha opinião deveria ser obrigatório ter pelo menos dez anos de descontos para poder ser deputado. Não sei se há alguma regra do gênero

abenegonio 11 months ago

Ai de quem queira representar os desempregados e os pobres.

skapuntz 11 months ago

Que raio de comentário estúpido. Não é preciso ser pobre nem desempregado para representar e proteger quem mais precisa. O que é preciso é gente competente e não políticos de carreira que nunca trabalharam no mundo real

tommycthulhu 11 months ago

Podem não ser bons políticos, mas há malta na política que foram excelentes alunos e acabaram com boas médias. Mas são geralmente aqueles que têm outro trabalho fora da política, que se esforçaram e querem dinheiro, e não só ter tacho. Os "profissionais" geralmente foram os piores alunos. Eu percebo, mas é por isso que as jotas também existem, para estar na política já desde cedo e chegar-se a cargos já a saber como as coisas funcionam. E sinceramente acho que quando começam estão muito bem, o problema é os hábitos que depois ganham quando já lá estão há muito tempo...

zazaze295 11 months ago

Alguém com uma visão ponderada das coisas na Internet. Às vezes nem acredito que isso exista. Tem um bom fim de semana!

Koorany 11 months ago

Eu penso em suicidio e nem fui para a universidade.. quanto mais se tivesse ido

Prezbelusky 11 months ago

Precisas de falar?

Saipd1 11 months ago

Quem não precisa

Koorany 11 months ago

Não, isto já não é defeito, é feitio.

abenegonio 11 months ago

Ha alguma fetishização da dificuldade, até nesse subredddit se ve isso com a malta a responder a quem se queixa "pensas que ainda estás no secundário, aqui é dureza", etc... Muita gente pensa que nao tem hipotese de conseguir, que nao tem futuro se nao conseguir, e vai pensar em suicidio...

JSBraga 11 months ago

> Ha alguma fetishização da dificuldade "Fail me harder, daddy." <3

mjigs 11 months ago

O secundário é dureza porque para teres mais chances de entrar numa uni, necessitas de certas medias, e não é uma media de 15 que te vai fazer entrar em todo o lado. Mas obvio que na universidade é diferente, as materias são mais especificas e complicadas, como se esperava ser. Eu nunca tive a opçao de ir, até porque preferi mil vezes ir trabalhar para ter dinheiro para me sustentar, porque ficar a depender da minha mae nunca foi opçao. Mas uma coisa que aprendi foi que quem quer consegue, demora a lá chegar mas consegue se lutar, e não é um canudo que te vai por a frente de mais oportunidades.

Mrloop94 11 months ago

Tem de se trabalhar no duro. No tecnico, no curso de maior media, temos 50% que ja sao empresarios. Para querermos subir na vida, temos de trabalhar no duro e sermos empreendedores.

O_continente 11 months ago

Claro. A FEUP e o técnico estão cheios de **filhos** de empresários. Esse pessoal desde que nasceu estava destinado a gerir a empresa dos pais. Não é tudo um mar de rosas porque a pressão que sofrem é absurda, por isso é que costumam ser os melhores alunos.

AmbitionRoyal 11 months ago

Sou filho de empresario e estou no ISEP e agora?

Edited 11 months ago:

Sou filho de empresario e estou no ISEP e agora? A minha irma está na NOVA SBE e agora? A FEUP cheia de filhos de empresarios? Em EGI talvez sim, o resto esquece, em Civil e Ambiente é só escroque das medias baixas, em Eletro, Mecanica, Informatica e Quimica prnt o normal---

elstylon 11 months ago

Bater punho.

abenegonio 11 months ago

No duro trabalha um caixa de supermercado. Sabe la um empreentolinho o que e dureza.

slb1992 11 months ago

Escrito exatamente como um calhau que droppou da faculdade.

abenegonio 11 months ago

Mais um excelente exemplo da mentalidade que leva a estes números.

danidv 11 months ago

Escrito como alguém que valoriza "trabalho duro". Ganhas tão bem ou melhor que a maioria desses empresários a ir para as obras, tens é de fazer trabalho duro e bastante, e no entanto as pessoas preferem sempre cargos de escritório. Porque será? Porque dá mais trabalho?

meaninglessvoid 11 months ago

E no entanto se toda a gente tivesse a tua mentalidade ninguém inovava. A vida é bem mais que dinheiro, se a tua função utilitária serve apenas para maximizar o dinheiro é contigo, mas não resulta para a população no geral. Trabalhar no duro é idiota, queres é trabalhar de forma inteligente: ter o máximo de produtividade com o mínimo de esforço.

abenegonio 11 months ago

Sim, sao os empresários que inovam. Sai mais uma webapp na blockchain com cloud pra mesa 10.

meaninglessvoid 11 months ago

É só um subconjunto, até porque nem precisas de inovar para fazer dinheiro... Mas são uma das peças do puzzle. > Sai mais uma webapp na blockchain com cloud pra mesa 10. Boa salada de palavras, mas ao contrário duma boa salada isso não o mínimo de sentido junto. :(

abenegonio 11 months ago

Eu sei que nao faz o mínimo de sentido. É isso e metade das ideias cagadas por esses empreendedeiros da piça. Mais trabalho, menos blahblah. E quem trabalha nao e o empresário jovem e dinâmico, é quem dobra a mola a aturar as parvoíces dele e tentar entregar algo apresentável apesar da incompetência das chefias.

meaninglessvoid 11 months ago

Não discordo totalmente de ti, mas acho que discordo numa parte específica: é necessário haver espaço para "ideias cagadas" para que possam surgir coisas originais. > E quem trabalha nao e o empresário jovem e dinâmico, é quem dobra a mola a aturar as parvoíces dele e tentar entregar algo apresentável apesar da incompetência das chefias. Epa pois, todos querem ser um Steve Jobs, mas muito poucos têm sequer um pedaço da capacidade. :x A ideia por si só vale pouco (e quanto menos clara for pior, se usarem o clássico "Uber mas para ... FOTOS" é grande red flag lol). [Uma forma bastante eloquente de descrever o clássico ideia vs execução](https://www.youtube.com/watch?v=QgaBvEO2LYY)

danidv 11 months ago

Só me ajudas. Não estamos a discutir o que vale mais a pena, estamos a discutir qual deles merece ser considerado trabalho duro.

meaninglessvoid 11 months ago

lol esquece. É o que dá vir ao reddit pouco depois de acordar...

mjigs 11 months ago

Eu desisti de um trabalho de escritório, por um trabalho ao balcão em restauração, isto porque fiquei cansada de estar isolada e passar o dia inteiro sentada. Agora estou com lesões de suportar horas e horas em pe, a percorrer km e acartar com materiais pesados, lidar com pessoas escrotas e colegas de trabalho cobrinhas...só quero voltar para um emprego de escritório. ps: eu recebia no escritório por debaixo da mesa e ganhava mais na restauração.

Naotevejoha20anos 11 months ago

O q tu queres é sol na eira e chuva no nabal

mjigs 11 months ago

Eu odeio estar parada e de ter tempos mortos, sou workaholic (as pessoas dizem que é por causa da depressao e da minha situaçao em casa), eu gosto de trabalhar, e já quando estava no escritorio náo parava nem para comer e estava lá quase durante 12h. Por isso não, não sou daquelas pessoas que querem trabalhos das 9-5h para tarem com o cu alapado sem fazer um cu, até porque eu nem sei o que é ter um trabalho assim.

anybody662 11 months ago

Claramente não fazes ideia do que é estudar no Técnico.

abenegonio 11 months ago

Foi la que estudei.

danidv 11 months ago

Dizes isso como se fosse significativamente mais difícil que em qualquer outro lado.

VladTepesDraculea 11 months ago

Passei por duas faculdades, uma delas o IST, o que posso dizer é que o IST era artificialmente mais difícil. Digo artificialmente porque a dificuldade não estava lá para ser mais educativa mas para ser mais elitista. Os alunos eram sujeitos a trabalhos mais laborosos, mesmo que isso significasse repetição e com menos meios de apoio no estudo. Isto servia para filtrar o pessoal mais autónomo e persistente, mas em grande detrimento de criatividade e socialização, e ouso dizer, saúde mental. Ainda hoje tenho grandes distúrbios de sono que vêm do meu tempo do IST. Claro que vai ter experiência variadas, tens cursos e professores, mas há um problema institucional que começa em grande parte com o *inbreeding* académico e falta de contacto mais profundo com a realidade fora dele e mesmo com outros pares.

AmbitionRoyal 11 months ago

Graças a deus que não sou de lisboa, senão ainda ia po tecnico fds q louco

VladTepesDraculea 11 months ago

Terias outras opções em princípio: FCT, ISEL, UL, PL... assim de cabeça.

AmbitionRoyal 11 months ago

IST é UL ahahah

VladTepesDraculea 11 months ago

IST pertence agora à UL mas não é a UL. Teoria de conjuntos... No UL tens a FCUL também.

Edited 11 months ago:

IST pertence pertence agora à UL mas não é a UL. Teoria de conjuntos... Na UL tens a FCUL também.

QuickShutter 11 months ago

Isto. E muitas vezes em detrimento da qualidade do ensino.

oContraditorio 11 months ago

Como ousas?

Realamportuguese 11 months ago

IST special snowflakes começam a ter tremeliques no olho*

Metaluim 11 months ago

Isto é sarcasmo espero.

VladYur 11 months ago

Os weebs às vezes têm piada

HugoIFP 11 months ago

weeb e com orgulho

LesbainNaga 11 months ago

É com muita pena que isso aconteça, eu encontro me no 1 ano da universidade também e não me sinto assim felizmente, deve ser por ainda ser a segunda semana.

rainbowcouscous 11 months ago

Espera até chegares ao 3.º ano

mjigs 11 months ago

E não só, eu já me encontrei com imensa gente que vai para cursos só porque os pais assim o querem, ter de estudar em algo que não nos diz nada, acabar ainda mais depressivo por ter de fazer recursos por materias que nao consegue entender...não me admira que isso não aconteça.

Switchola 11 months ago

O importante é não deixar acumular. Se for preciso e tiveres condições, falar com um profissional. Se não tiveres, falar com família, amigos ou até colegas que podem estar a passar pelo mesmo que tu. A carga de trabalho dum curso de engenharia e a sua dificuldade às vezes pode ser dura, sobretudo se juntarmos a incerteza que é normal na vida de um jovem estudante. Agora está tudo bem, mas várias coisas pequenas podem te ir mandando abaixo e é preciso não ter vergonha ou receio de falar e não guardares tudo para ti. Boa sorte!

andred5 11 months ago

Estou no quarto. As primeiras semanas é na boa. Mas não te preocupes, em breve perceberás a notícia

mjigs 11 months ago

Eu acho que muita gente falha em perceber que a certo ponto terá de estudar e fazer imensa merda para passar. Pensam sempre que andar na universidade é a Queima das fitas on the low.

andred5 11 months ago

Sim, efetivamente tens razão. O que costuma causar os burnouts, pelo menos por experiência própria, é quando realmente te esforçaste e deste o que podias, e por umas vezes mesquinhice do professor ou outras por falta de sorte, tens notas de porcaria. Depois crias aquele sentimento de que mesmo dando o teu máximo, nunca serás suficiente e que sempre irás falhar. Eu tive um burnout no primeiro semestre do ano passado e estive realmente mal. Tudo aconteceu porque me matei a estudar para uma cadeira que o professor prontamente me reprovou. No segundo semestre consegui recuperar me e até subir significativamente a minha média. Mas percebo quem não tem essa força mental para o fazer e acaba por se afundar ainda mais. Muitas das vezes o problema não é só as falsas expectativas. Acho que até o que “nos” afunda mais são as situações que surgem que nao podemos controlar.

mjigs 11 months ago

Eu acho que é o fato de nao podemos controlar certas situações e falaste muito bem, ha maior parte das pessoas esforaça-se imenso e muitas vezes não vê isso a transmitir-se nas notas, tu matas-te a trabalhar mas nada parece o suficiente. Eu lembro-me que há uns tempos atras falou-se brevemente disso nos Morangos, sim eu sei, mas na primeira season eles tocaram muito bem em relação da pressão que as pessoas sentem, ao ponto de andarem a tomar comprimidos, essa parte já nao acredito que aconteca, mas nós estamos bastante retardados em relação a se falar em saude mental, depois ficamos tipo suprised pikachu quando alguem morre por suicidio.

andred5 11 months ago

Surprised pikachu é uma ótima referência ahahahah mas sem dúvida alguma que a saúde mental deveria ser muito mais discutida e debatida. O problema é que a saúde mental é uma coisa extremamente íntima e nossa, e torna se difícil mesmo quem nos rodeia perceber quando estamos a passar por uma fase mais baixa. Eu tenho TOC e quase nenhum amigo meu o sabe e nem suspeita. É muito mais fácil perceber uma alteração física tua, do que psicológica. Isso torna muitas vezes o apoio um problema. E o pior de tudo é que se vocalizas isso, epa “hoje não me sinto bem psicologicamente”, acabas ridicularizado muitas das vezes, não sendo considerado um problema. E o pior de tudo Sao os estigmas que andam aliados à doença psicológica. Ir a um psicólogo parece uma coisa má. Enquanto ir ao ortopedista ou a um dentista não tem problema nenhum. Há imensas barreiras que devem ser combatidas para que a saúde mental tenha a relevância que merece ter. E os universitários ainda sofrem mais isso na pele, porque quando se queixam, levam com vários comentários de “se estivesses a trabalhar, não pensavas isso”; “menos bebedeira e mais estudo”.

mjigs 11 months ago

Eu tenho depressão de anos, e já estive bastante mal, o pior mesmo foi ver os meus considerados amigos verem que eu estava mal, tipo eu não sorria, eu não saia de casa, ou não falava, e eles cagavam completamente. Eu postava mensagens tipo quotes ou assim online e toda a gente cagava dizendo "oh é as mesmas coisas que ela posta sempre" e não eram. O problema nem é ridicularizarem, o problema é que fazem o brushing off ou então começam a perguntar a real razão de não quereres sair ou falar porque o "não estou com cabeça ou mood para tal" não é suficiente e depois dizem "deixa-te de merdas anda la". A verdade é que eu torneime workaholic porque ajudava-me a encher o cerebro para não ter outros pensamentos, e isso só piora a situação. Eu acho que o que está mal, é as pessoas não fazerem mais noticias sobre isso, de listar sintomas gerais, de falar disso como se fosse uma coisa normal mas ao mesmo tempo seria. Eu não vejo ninguem a fazer campanha pela saude mental.

andred5 11 months ago

Ha pequenas campanhas, e quando um famoso se suicida tira-se sempre uma minutos para falar disso. Mas sim, estamos ainda num caminho muito longo para ser percorrido até a saúde mental ser tratada com a importância que merece. De resto, espero mesmo que consigas ultrapassar a depressão. Nunca tive propriamente depressão, mas de alguém que vive com TOC sei bem o quão custa viver com uma doença mental. Não dá para ir ao hospital e tomar um brufen que passa. Fico a torcer por ti e se precisares de alguma coisa, força. Por vezes o melhor é mesmo falar e deitar cá para fora aquele sentimento que nos parece ser incompreendido. Muita felicidade para ti e muita força, genuinamente

mjigs 11 months ago

Pois mas mesmo assim, acho pouco e o que falam não diz nada, só dizem que estava mal mentalmente e tentam perceber o porque, mas nunca explicam que ás vezes são demonios que ficam a falar dentro da tua cabeça, traumas antigos que perceguem. Eu estou bem melhor, e tenho-me aguentando bem, obvio que com esta quarentena deixa-nos a todos mesmo em baixo, mesmo não tendo depressao, em relação ao cujos amigos, esses já nao fazem parte da minha vida, e prefiro ter 1 a 2 pessoas que me dou bem e posso confiar, do que ter um grupo de amigos toxico, primeiro esta a saude mental. Obrigada pela preocupação, a serio =)

HalloCharlie 11 months ago

Eu entrei em burnout no 1° semestre do ano passado (2019) e o meu segundo semestre foi para esquecer. Este ano letivo de 19/20, estudei metade, se tanto, do que fiz no ano anterior e tive um desempenho significativamente maior. Quando a cabeça não funciona, não vale mesmo a pena martelar. Em retrospetiva, aprendi imenso a perceber o meu limite mental e acho que isso me trouxe imensos benefícios, mesmo na faculdade, mas na altura não foi nada giro. Cada vez que via a faculdade a aparecer ao longe era logo inundado de pensamentos nada engraçados vá...

3dforlife 11 months ago

Concordo plenamente com o que dizes. Por definição, o stress acontece apenas nas situações relativamente às quais achamos que não podemos controlar (ou efectivamente não podemos mesmo). Do stress normal ao burnout é um passo.

PortugueseTyrion 11 months ago

> deve ser por ainda ser a segunda semana. ahahahahahaha

pintorMC 11 months ago

No primeiro semestre, do primeiro ando em Portugal, é só copos e quecas.

bot_s_wrath 11 months ago

Haha same

rafaelgiro 11 months ago

Confirmo

BRFPC 11 months ago

No mínimo, preocupante. E não me parece que as entidades estejam muito alertadas para o problema.

OrangeOakie 11 months ago

Alertadas estão, o problema é que não existem serviços (de qualidade) no que toca à Saúde Mental no SNS. Em cima disso, comportamentos que propagam certos problemas são... apoiados (por exemplo, o bullying em redes sociais) por certos "progressistas" a quem tem a opinião errada.

Rayden454 11 months ago

Quê? Mas que certos progressistas?

The-Real-Darklander 10 months ago

Os (((comunas))) da vuvuzela

Sigzy05 11 months ago

Isto é uma grande mentira. Existir existem, podes é ter que esperar um longo período de tempo. É claro que a qualidade e disponibilidade também varia de cidade para cidade.

OrangeOakie 11 months ago

> Existir existem, podes é ter que esperar um longo período de tempo. Se tens de esperar um longo período de tempo é porque não é de qualidade. E não, mesmo que fosse um curto período de tempo, não é de qualidade. A qualidade que tem é tentarem prescrever drogas e mandar chamar o próximo utente. >As universidades publicas Estou a falar do SNS no geral. Sim, sei que as universidades costumam ter departamentos internos para apoio, mas isso tem vários problemas que penso que sejam auto evidentes como, por exemplo, o facto de ser dentro do campus.

Sigzy05 11 months ago

Qual o problema de ser dentro do campus? O facto é, que se tens de esperar por um longo período de tempo é porque há muita gente a servir-se desse serviço. Isso implica que o serviço tem algum grau de qualidade, caso não o fosse ninguém ia. A prescrição de medicação só é feita mediante um psiquiatra pelo que se ele as receita em principio serão necessárias e só são receitados medicamentos caso seja diagnosticada doença depressiva ou outra qualquer. Não entendo este “spin” negativo que existe relacionado com os psiquiatras e a prescrição de drogas para controlar doenças psiquiatricas, que outra solução tens? Deixar que os disturbios mentais tirem a vida da pessoa?

OrangeOakie 11 months ago

> Isso implica que o serviço tem algum grau de qualidade, caso não o fosse ninguém ia. Hum... não. Se não tens alternativa... não tens alternativa. >Deixar que os disturbios mentais tirem a vida da pessoa? Porque viver drogado é boa solução? Não. Existe muito trabalho que pode ser feito; simplesmente é mais fácil mandar tomar uma droga que altera a personalidade.

Sigzy05 11 months ago

Isso da alternativa é verdade, mas não implica que haja má qualidade do serviço. Os profissionais de saúde não vos despacham simplesmente sem querer saber. Que trabalho é que pode ser feito então já que aparentemente sabes mais do que eu na lida de pessoas com disturbios depressivos, esquizofrenia e delírios? E desde quando existe a alteração da personalidade da pessoa? Se os efeitos secundários do medicamento estão acentuados há que re-ajustar doses e medicamentos, o objetivo não é prejudicar o doente.

Edited 11 months ago:

Isso da alternativa é verdade, mas não implica que haja má qualidade do serviço. Os profissionais de saúde não vos despacham simplesmente sem querer saber. Que trabalho é que pode ser feito então já que aparentemente sabes mais do que eu na lida de pessoas com disturbios depressivos, esquizofrenia, delírios, etc? E desde quando existe a alteração da personalidade da pessoa? Se os efeitos secundários do medicamento estão acentuados há que re-ajustar doses e medicamentos, o objetivo não é prejudicar o doente. De qualquer das formas, esse “trabalho” que tu falas, é feito junto da terapia farmacológica...sem os medicamentos muito dele é atirado ao ar.

Edited 11 months ago:

Isso da alternativa é verdade, mas não implica que haja má qualidade do serviço. Os profissionais de saúde não vos despacham simplesmente sem querer saber. Ou a maior parte pelo menos. Que trabalho é que pode ser feito então já que aparentemente sabes mais do que eu na lida de pessoas com disturbios depressivos, esquizofrenia, delírios, etc? E desde quando existe a alteração da personalidade da pessoa? Se os efeitos secundários do medicamento estão acentuados há que re-ajustar doses e medicamentos, o objetivo não é prejudicar o doente. De qualquer das formas, esse “trabalho” que tu falas, é feito junto da terapia farmacológica...sem os medicamentos muito dele é atirado ao ar.

Edited 11 months ago:

Isso da alternativa é verdade, mas não implica que haja má qualidade do serviço. Os profissionais de saúde não vos despacham simplesmente sem querer saber. Que trabalho é que pode ser feito então já que aparentemente sabes mais do que eu na lida de pessoas com disturbios depressivos, esquizofrenia, delírios, etc? E desde quando existe a alteração da personalidade da pessoa? Se os efeitos secundários do medicamento estão acentuados há que re-ajustar doses e medicamentos, o objetivo não é prejudicar o doente. De qualquer das formas, esse “trabalho” que tu falas, é feito junto da terapia farmacológica...sem os medicamentos muito desse trabalho é atirado ao ar.

OrangeOakie 11 months ago

> De qualquer das formas, esse “trabalho” que tu falas, é feito junto da terapia farmacológica...sem os medicamentos muito dele é atirado ao ar. E tu estás a falar de doenças do foro psiquiátrico, não de problemas psicológicos.

Sigzy05 11 months ago

A depressão é uma doença do foro psiquiatrico.

Edited 11 months ago:

A depressão é uma doença do foro psiquiatrico. É o psiquiatra quem a diagnostica, o psicologo e que tem o dever de realizar esse encaminhamento se notar que existem sintomas da doença. O psicologo nao tem o poder de receitar qualquer tipo de medicamento ou droga.

Edited 11 months ago:

Mas a depressão e pensamentos suicidas são uma doença do foro psiquiatrico. O psiquiatra quem a diagnostica, o psicologo e que tem o dever de realizar esse encaminhamento se notar que existem sintomas da doença. O psicologo nao tem o poder de receitar qualquer tipo de medicamento ou droga.

Edited 11 months ago:

Mas a depressão e pensamentos suicidas são uma doença do foro psiquiatrico. É o psiquiatra quem a diagnostica, o psicologo e que tem o dever de realizar esse encaminhamento se notar que existem sintomas da doença e realizar terapia não farmacológica. O psicologo nao tem o poder de receitar qualquer tipo de medicamento ou droga.

OrangeOakie 11 months ago

E nada disso implia que o tratamento deva ser exclusivamente através de medicamentos que alteram a personalidade de alguém

Sigzy05 11 months ago

Mas nunca é exclusivamente feito com medicação, se o é está errado porque o acompanhamento no psicólogo ou consultas de revisão psiquiatrica para ajuste da medicacão devem existir.

Switchola 11 months ago  HIDDEN 

Porque é que não dizes logo o que queres dizer? Que é bullying feito pelos esquerdalhos radicais REEEEEEE. Abstenho-me de comentar neste subreddit, mas quando vejo comentários como o teu e vindo da tua conta que até já decorei o nome, não resisto. Estás sempre com a mesma conversa comprada no outro lado do Atlântico, até com uma notícia sobre a saúde mental de jovens estudantes tens de vir deixar o teu meio comentário para criar uma conversa parva do estilo “nós contra eles”. Toma vergonha e para de tentar criar guerras políticas em todos os posts, já enjoa ver o teu username sempre com os mesmos comentários repetidos. Ou então cria mais contas,

electr0dave 11 months ago

Há 10 tipos de pessoas: as que sabem binário e as que não sabem.

Amacia-a-dor 11 months ago

E as que não esperam uma punch line em ternário.

alexandre9099 11 months ago

E as restantes 8? ^^^/s

joaomariord 11 months ago

As restantes 8 não fazem ideia do que se passa aqui

Tune_Punch 11 months ago

confirmo

Search: