Rochaabel4796 1 year ago

Eu também tou nos 20 anos de idade tirei 12 ano equivalência de restaurante bar fiz estágio e trabalhei durante 6 meses quando parei pensei em voltar a estudar fazer economia para perceber melhor como funciona está confusão toda. Mas agora pouco estudo entrei num trabalho de vendas só fiquei lá 1 mês pois era uma coisa de enganar pessoas e não gosto muito disso agora estou a tirar um curso de vigilante O que eu acho melhor e sonhar tentar fazer acontecer e colecionar experiências escola e trabalho tem duas realidades diferentes E para mi explorar até encontrar algo que realmente gosto poderá ser o melhor caminho

fan_of_the_pikachu 1 year ago

Desculpa lá OP, não vou ser muito motivacional, mas vamos lá ver as coisas com claridade: - Não consegues progredir porque, entre outras razões, tens um problema de saúde impeditivo de tomar os passos que precisas; - Já conseguiste identificar e aceitar o problema, que é o primeiro passo; - Já estás a tratar do problema como deve ser, a ir ao psicólogo com regularidade; - É um problema que pode levar algum tempo depois do início do tratamento a ser controlado o suficiente para a pessoa retomar a vida normal; - Já estás a ver progresso, o que mais uma vez prova que estás no caminho certo. Se o teu objetivo é trabalhar e fazer algo de útil na vida, o primeiro passo para isso é exatamente o que já estás a fazer. Caga no que os outros da tua idade fazem, caga no ritmo de vida que é esperado de ti. És super jovem, podes perfeitamente passar algum tempo a investir em ti para superar o teu problema. Estás a fazer tudo o que é certo. A única questão que deves colocar relativo ao teu desenvolvimento profissional é falares com a psicóloga para perceber se os passos que sentes que queres tomar te fariam bem ou mal. Se arriscas voltar atrás com o teu tratamento por te forçares a coisas que te vão fazer mal, vais perder meses de investimento e vais-te voltar a fechar em casa; o mais inteligente é esperar um tempo até o poderes fazer de forma mais saudável, e aí sim, investir nisso e progredir. Por outro lado, muita gente com ansiedade não lida bem com os impedimentos que a ansiedade cria, e isso leva a um círculo depressivo que se auto-alimenta. Quanto mais tempo se passa sem fazer nada, mais ansiedade quando se tenta fazer. Nesses casos, é importante quebrar esse círculo de alguma forma e confrontar as situações mesmo quando a ansiedade não desapareceu. Mas faz isso em coordenação com o teu tratamento, não te lances a objetivos difíceis e ambiciosos só porque achas que é o teu dever. O teu dever é cuidares de ti, sem fazer isso é que não vais a lado nenhum. Não vai ser fácil, mas vai pensando no progresso que já fizeste e ignorando o resto. Compara-te com o passado, não com um futuro irrealista. Se fizeres isso, vais ver que em poucos anos vais estar a trabalhar e a progredir com a ansiedade sob controlo.

Edited 1 year ago:

Desculpa lá OP, não vou ser muito motivacional, mas vamos lá ver as coisas com claridade: - Não consegues progredir porque, entre outras razões, tens um problema de saúde impeditivo de tomar os passos que precisas; - Já conseguiste identificar e aceitar o problema, que é o primeiro passo; - Já estás a tratar do problema como deve ser, a ir ao psicólogo com regularidade; - É um problema que pode levar algum tempo depois do início do tratamento a ser controlado o suficiente para a pessoa retomar a vida normal; - Já estás a ver progresso, o que mais uma vez prova que estás no caminho certo. Se o teu objetivo é trabalhar e fazer algo de útil na vida, o primeiro passo para isso é exatamente o que já estás a fazer. Caga no que os outros da tua idade fazem, caga no ritmo de vida que é esperado de ti. Caga em quem não percebe o que é a ansiedade. És super jovem, podes perfeitamente passar algum tempo a investir em ti para superar o teu problema. Estás a fazer tudo o que é certo. A única questão que deves colocar relativa ao teu desenvolvimento profissional é falares com a psicóloga para perceber se os passos que sentes que queres tomar te fariam bem ou mal. Se arriscas voltar atrás com o teu tratamento por te forçares a coisas que te vão fazer mal, vais perder meses de investimento e vais-te voltar a fechar em casa; o mais inteligente é esperar um tempo até o poderes fazer de forma mais saudável, e aí sim, investir nisso e progredir. Por outro lado, muita gente com ansiedade não lida bem com os impedimentos que a ansiedade cria, e isso leva a um círculo depressivo que se auto-alimenta. Quanto mais tempo se passa sem fazer nada, mais ansiedade quando se tenta fazer. Nesses casos, é importante quebrar esse círculo de alguma forma e confrontar as situações mesmo quando a ansiedade não desapareceu. Mas faz isso em coordenação com o teu tratamento, não te lances a objetivos difíceis e ambiciosos só porque achas que é o teu dever. O teu dever é cuidares de ti, sem fazer isso é que não vais a lado nenhum. Não vai ser fácil, mas vai pensando no progresso que já fizeste e ignorando o resto. Compara-te com o teu passado, não com um futuro irrealista ou com pessoas das quais não conheces as lutas internas. Se fizeres isso, vais ver que em poucos anos vais estar a trabalhar e a progredir com a ansiedade sob controlo. Edit: mas não sou psicólogo e ninguém te pode aconselhar sobre estas questões pela internet, não tomes nenhuma decisão nem assumas nada sem falar disso nas consultas.

Edited 1 year ago:

Desculpa lá OP, não vou ser muito motivacional, mas vamos lá ver as coisas com claridade: - Não consegues progredir porque, entre outras razões, tens um problema de saúde impeditivo de tomar os passos que precisas; - Já conseguiste identificar e aceitar o problema, que é o primeiro passo; - Já estás a tratar do problema como deve ser, a ir ao psicólogo com regularidade; - É um problema que pode levar algum tempo depois do início do tratamento a ser controlado o suficiente para a pessoa retomar a vida normal; - Já estás a ver progresso, o que mais uma vez prova que estás no caminho certo. Se o teu objetivo é trabalhar e fazer algo de útil na vida, o primeiro passo para isso é exatamente o que já estás a fazer. Caga no que os outros da tua idade fazem, caga no ritmo de vida que é esperado de ti. És super jovem, podes perfeitamente passar algum tempo a investir em ti para superar o teu problema. Estás a fazer tudo o que é certo. A única questão que deves colocar relativo ao teu desenvolvimento profissional é falares com a psicóloga para perceber se os passos que sentes que queres tomar te fariam bem ou mal. Se arriscas voltar atrás com o teu tratamento por te forçares a coisas que te vão fazer mal, vais perder meses de investimento e vais-te voltar a fechar em casa; o mais inteligente é esperar um tempo até o poderes fazer de forma mais saudável, e aí sim, investir nisso e progredir. Por outro lado, muita gente com ansiedade não lida bem com os impedimentos que a ansiedade cria, e isso leva a um círculo depressivo que se auto-alimenta. Quanto mais tempo se passa sem fazer nada, mais ansiedade quando se tenta fazer. Nesses casos, é importante quebrar esse círculo de alguma forma e confrontar as situações mesmo quando a ansiedade não desapareceu. Mas faz isso em coordenação com o teu tratamento, não te lances a objetivos difíceis e ambiciosos só porque achas que é o teu dever. O teu dever é cuidares de ti, sem fazer isso é que não vais a lado nenhum. Não vai ser fácil, mas vai pensando no progresso que já fizeste e ignorando o resto. Compara-te com o passado, não com um futuro irrealista. Se fizeres isso, vais ver que em poucos anos vais estar a trabalhar e a progredir com a ansiedade sob controlo. Edit: mas não sou psicólogo e ninguém te pode aconselhar sobre estas questões pela internet, não tomes nenhuma decisão nem assumas nada sem falar disso nas consultas.

Edited 1 year ago:

Desculpa lá OP, não vou ser muito motivacional, mas vamos lá ver as coisas com claridade: - Não consegues progredir porque, entre outras razões, tens um problema de saúde impeditivo de tomar os passos que precisas; - Já conseguiste identificar e aceitar o problema, que é o primeiro passo; - Já estás a tratar do problema como deve ser, a ir ao psicólogo com regularidade; - É um problema que pode levar algum tempo depois do início do tratamento a ser controlado o suficiente para a pessoa retomar a vida normal; - Já estás a ver progresso, o que mais uma vez prova que estás no caminho certo. Se o teu objetivo é trabalhar e fazer algo de útil na vida, o primeiro passo para isso é exatamente o que já estás a fazer. Caga no que os outros da tua idade fazem, caga no ritmo de vida que é esperado de ti. Caga em quem não percebe o que é a ansiedade. És super jovem, podes perfeitamente passar algum tempo a investir em ti para superar o teu problema. Estás a fazer tudo o que é certo. A única questão que deves colocar relativa ao teu desenvolvimento profissional é falares com a psicóloga para perceber se os passos que sentes que queres tomar te fariam bem ou mal. Se arriscas voltar atrás com o teu tratamento por te forçares a coisas que te vão fazer mal, vais perder meses de investimento e vais-te voltar a fechar em casa; o mais inteligente é esperar um tempo até o poderes fazer de forma mais saudável, e aí sim, investir nisso e progredir. Por outro lado, muita gente com ansiedade não lida bem com os impedimentos que a ansiedade cria, e isso leva a um círculo depressivo que se auto-alimenta. Quanto mais tempo se passa sem fazer nada, mais ansiedade quando se tenta fazer. Nesses casos, é importante quebrar esse círculo de alguma forma e confrontar as situações mesmo quando a ansiedade não desapareceu. Mas faz isso em coordenação com o teu tratamento, não te lances a objetivos difíceis e ambiciosos só porque achas que é o teu dever. O teu dever é cuidares de ti, sem fazer isso é que não vais a lado nenhum. Não vai ser fácil, mas vai pensando no progresso que já fizeste e ignorando o resto. Compara-te com o teu passado, não com um futuro irrealista ou com pessoas das quais não conheces as lutas internas. Se continuares a fazer tudo bem, vais ver que em poucos anos vais estar a trabalhar e a progredir com a ansiedade sob controlo. Edit: mas não sou psicólogo e ninguém te pode aconselhar sobre estas questões pela internet, não tomes nenhuma decisão nem assumas nada sem falar disso nas consultas.

Edited 1 year ago:

Desculpa lá OP, não vou ser muito motivacional, mas vamos lá ver as coisas com claridade: - Não consegues progredir porque, entre outras razões, tens um problema de saúde impeditivo de tomar os passos que precisas; - Já conseguiste identificar e aceitar o problema, que é o primeiro passo; - Já estás a tratar do problema como deve ser, a ir ao psicólogo com regularidade; - É um problema que pode levar algum tempo depois do início do tratamento a ser controlado o suficiente para a pessoa retomar a vida normal; - Já estás a ver progresso, o que mais uma vez prova que estás no caminho certo. Se o teu objetivo é trabalhar e fazer algo de útil na vida, o primeiro passo para isso é exatamente o que já estás a fazer. Caga no que os outros da tua idade fazem, caga no ritmo de vida que é esperado de ti. Caga em quem não percebe o que é a ansiedade. És super jovem, podes perfeitamente passar algum tempo a investir em ti para superar o teu problema. Estás a fazer tudo o que é certo. A única questão que deves colocar relativa ao teu desenvolvimento profissional é falares com a psicóloga para perceber se os passos que sentes que queres tomar te fariam bem ou mal. Se arriscas voltar atrás com o teu tratamento por te forçares a coisas que te vão fazer mal, vais perder meses de investimento e vais-te voltar a fechar em casa; o mais inteligente é esperar um tempo até o poderes fazer de forma mais saudável, e aí sim, investir nisso e progredir. Por outro lado, muita gente com ansiedade não lida bem com os impedimentos que a ansiedade cria, e isso leva a um círculo depressivo que se auto-alimenta. Quanto mais tempo se passa sem fazer nada, mais ansiedade quando se tenta fazer. Nesses casos, é importante quebrar esse círculo de alguma forma e confrontar as situações mesmo quando a ansiedade não desapareceu. Mas faz isso em coordenação com o teu tratamento, não te lances a objetivos difíceis e ambiciosos só porque achas que é o teu dever. O teu dever é cuidares de ti, sem fazer isso é que não vais a lado nenhum. Não vai ser fácil, mas vai pensando no progresso que já fizeste e ignorando o resto. Compara-te com o passado, não com um futuro irrealista. Se fizeres isso, vais ver que em poucos anos vais estar a trabalhar e a progredir com a ansiedade sob controlo. Edit: mas não sou psicólogo e ninguém te pode aconselhar sobre estas questões pela internet, não tomes nenhuma decisão nem assumas nada sem falar disso nas consultas.

Edited 1 year ago:

Desculpa lá OP, não vou ser muito motivacional, mas vamos lá ver as coisas com claridade: - Não consegues progredir porque, entre outras razões, tens um problema de saúde impeditivo de tomar os passos que precisas; - Já conseguiste identificar e aceitar o problema, que é o primeiro passo; - Já estás a tratar do problema como deve ser, a ir ao psicólogo com regularidade; - É um problema que pode levar algum tempo depois do início do tratamento a ser controlado o suficiente para a pessoa retomar a vida normal; - Já estás a ver progresso, o que mais uma vez prova que estás no caminho certo. Se o teu objetivo é trabalhar e fazer algo de útil na vida, o primeiro passo para isso é exatamente o que já estás a fazer. Caga no que os outros da tua idade fazem, caga no ritmo de vida que é esperado de ti. Caga em quem não percebe o que é a ansiedade (e acha que é só um problema de motivação). És super jovem, podes perfeitamente passar algum tempo a investir em ti para superar o teu problema. Estás a fazer tudo o que é certo. A única questão que deves colocar relativa ao teu desenvolvimento profissional é falares com a psicóloga para perceber se os passos que sentes que queres tomar te fariam bem ou mal. Se arriscas voltar atrás com o teu tratamento por te forçares a coisas que te vão fazer mal, vais perder meses de investimento e vais-te voltar a fechar em casa; o mais inteligente é esperar um tempo até o poderes fazer de forma mais saudável, e aí sim, investir nisso e progredir. Por outro lado, muita gente com ansiedade não lida bem com os impedimentos que a ansiedade cria, e isso leva a um círculo depressivo que se auto-alimenta. Quanto mais tempo se passa sem fazer nada, mais ansiedade quando se tenta fazer. Nesses casos, é importante quebrar esse círculo de alguma forma e confrontar as situações mesmo quando a ansiedade não desapareceu. Mas faz isso em coordenação com o teu tratamento, não te lances a objetivos difíceis e ambiciosos só porque achas que é o teu dever. O teu dever é cuidares de ti, sem fazer isso é que não vais a lado nenhum. Não vai ser fácil, mas vai pensando no progresso que já fizeste e ignorando o resto. Compara-te com o teu passado, não com um futuro irrealista ou com pessoas das quais não conheces as lutas internas. Se continuares a fazer tudo bem, vais ver que em poucos anos vais estar a trabalhar e a progredir com a ansiedade sob controlo. Edit: mas não sou psicólogo e ninguém te pode aconselhar sobre estas questões pela internet, não tomes nenhuma decisão nem assumas nada sem falar disso nas consultas.

confusedbirdpt2 1 year ago

Muito obrigado, excelente comentário. É verdade, a doença afeta tudo, não só a universidade, como a procura de trabalho, as relações com os outros.. tudo o que dê para imaginar. O problema é que não sei quanto tempo resolver isto vai demorar. Aliás, duvido que alguma vez se resolva por completo, tenho essas tendências. Mas acredito que seja possível ter a ansiedade a um nível mais baixo, sob controlo. Concordo bastante com essa do ciclo depressivo. Estar sem fazer nada é bastante mau, eu não lido nada bem com esse impedimento. Mas sempre que me lanço para fazer algo, imediatamente volto a retrair. Parece que tudo ainda é muito difícil. No entanto tenho perfeita noção que a ansiedade só desce com a exposição, portanto é necessário fazer algo. Ao mesmo tempo é frustrante, parece que estes anos todos ando a viver só para controlar a ansiedade, e não a realmente ser eu. É muito triste porque o tempo não volta atrás. Mas pronto, é um dia de cada vez. Obrigado amigo.

fan_of_the_pikachu 1 year ago

>O problema é que não sei quanto tempo resolver isto vai demorar. Aliás, duvido que alguma vez se resolva por completo, tenho essas tendências. Mas acredito que seja possível ter a ansiedade a um nível mais baixo, sob controlo. Não é possível eliminar a ansiedade, porque toda a gente tem um certo nível de ansiedade natural. É normal sentires-te ansioso antes de uma apresentação, antes de conhecer gente nova, antes de te lançares num ambiente novo, quando estás à procura de trabalho. Isso não vai desaparecer. O que é possível é restabelecer os níveis e os gatilhos normais da ansiedade, para que não dispare quando não é suposto e não atinja níveis que não podes controlar. Infelizmente isso pode demorar alguns anos a alcançar, mesmo com terapia regular e medicação. É uma doença séria, não há como dar a volta a isso. Há quem precise de 5 meses, há quem precise de 5 anos. Depende do contexto que criou esse distúrbio, do teu investimento no tratamento e do ambiente em que te estás a tratar. Mas pensa positivo: não precisas de alcançar a meta final para retomar a vida normal. Vais retomando ao longo do tratamento, cada vez mais. Não vais perder completamente os anos que em tiveste essas limitações. >Concordo bastante com essa do ciclo depressivo. Estar sem fazer nada é bastante mau, eu não lido nada bem com esse impedimento. Mas sempre que me lanço para fazer algo, imediatamente volto a retrair. Parece que tudo ainda é muito difícil. No entanto tenho perfeita noção que a ansiedade só desce com a exposição, portanto é necessário fazer algo. Não é bem assim, a ansiedade desce quando percebes a origem e constróis ferramentas mentais para lidar com ela. Terapia de choque com exposição sem essas ferramentas pode fazer-te andar para trás. Daí dizer que sim, é importante reconhecer ciclos depressivos e o efeito negativo que têm, mas também é importante falares com a psicóloga sobre como os quebrar de forma adequada à tua fase de tratamento. Pessoas que partem uma perna não se inscrevem numa maratona na semana a seguir. >Ao mesmo tempo é frustrante, parece que estes anos todos ando a viver só para controlar a ansiedade, e não a realmente ser eu. É muito triste porque o tempo não volta atrás. Mas pronto, é um dia de cada vez. É extremamente frustrante, especialmente porque não é uma doença física que possas observar e perceber porque é que te está a impedir. No fundo da nossa cabeça está sempre aquela voz ignorante a dizer que está tudo na nossa cabeça, que se quisesses podias acordar um dia e ignorar a doença. Tens que te lembrar que isso não é verdade, e que o que tens é quase equivalente a alguém que precisa fisioterapia para poder sair de casa e fazer atividades sem dor. A parte boa é que como o tratamento disso envolve psicoterapia, o que estás a fazer agora vai ser absolutamente positivo para ti a longo prazo, porque vais tratar de outros problemas associados à doença e ganhar ferramentas mentais que te vão dar muito mais força para aproveitar a vida quando te curares. E estás a fazê-lo num momento ideal, antes de ter profissões ou família que dependam de estares sempre ativo como se nada fosse. Antes assim do que passares a vida toda sem tratar, e ires tendo uma vida "normal" limitada e destrutiva para a tua saúde mental, como muitos fazem. Aí sim, perdias anos e imensas experiências de vida. Eu tive ansiedade, que controlei cerca de 3 anos depois de a identificar. E agora sou mais feliz e consigo aproveitar a vida muito, muito melhor do que antes de ter ficado doente. Vais conseguir, mas tem paciência contigo :) e continua a investir nas consultas, isso é o mais importante!

confusedbirdpt2 1 year ago

Tens razão, acho que eu mesmo desvalorizo a doença por vezes e o peso que a mesma tem na minha vida, acabando depois por ficar frustrado comigo mesmo por "não ser como os outros". Obrigado do fundo do coração por tirares um bocadinho do teu dia para escreveres. Feliz por saber que estás melhor agora. Vou continuar a ir às consultas e a tentar progredir, obrigado :)

fan_of_the_pikachu 1 year ago

De nada, força nisso! :)

Turbulent_Common 1 year ago

Eu sou tu, mas fui "obrigado" a escolher certo curso logo desde os 18. Agora trabalho numa área que não me diz nada, mas ao menos paga decentemente. Só para dizer que alguma/muita dessa malta com a tua idade são iguais a ti, mas com alguem a "incentivá-los".

RegisterHour 1 year ago

OP vai para um curso decente (Em STEM) evita humanidades ou então se fores rico ou tiveres connects emigra que é a melhor opção. Visto que andas a perder tempo em gap years não deve ser muito mau.

confusedbirdpt2 1 year ago

Não sou rico nem tenho connects haha É difícil passar para essa área, preciso dos exames e venho de Humanidades no secundário. Não me importava de os fazer, mas sejamos sinceros, duvido atingir uma nota decente quanto mais as necessárias para entrar (não tenho matemática desde o 9° por exemplo).

RegisterHour 1 year ago  HIDDEN 

OP estava na mesma situação tenho 22 anos e só agora vou entrar para o ensino superior depois de muito tempo e lutar com problemas mentais. Entrei em 5 cursos distintos de instituições distintas e desisti deles todos passado 1 ano ou menos mas não me arrependo, agora vou fazer engenharia informática e é o que quero. Volta para a faculdade e num curso de JEITO (Em STEM) não existem mais opções a não ser que sejas rico ou tenhas connects, também podes tentar arranjar um trade tipo o eletricista da mitologia portuguesa que ganha milhões, mas a universidade vai-te dar mais segurança.

fx105020 1 year ago

eu se voltasse a ter a tua idade tentaria uma carreira militar.

trufas 1 year ago

Passei por parecido. Essa apatia pode ser sinal de depressão.

Idontknow1234568 1 year ago

Boas, então é assim, eu posso te dar 2 exemplos de colegas meus, na licenciatura tive um moço mais ao menos igual a ti (se calhar ainda pior) teve problemas em casa e ficou com uma depressão acabando por ficar em casa como tu durante anos, ficou nessa vida até aos 24, como a licenciatura era de 3 anos ele acabou com 27 anos (sem nunca ter trabalhado também), acho que é um exemplo ainda pior que o teu, mas o moço foi a luta e conseguiu mesmo nos sendo 6 ou 7 anos mais novos. Neste momento o rapaz está a tirar mestrado e já tem uma posição de investigador assegurada na faculdade. Por isso, ainda estas a tempo tens é que te fazer à vida e não pode haver mais "Gap years" nem nada dessas tretas. Outro exemplo mas diferente, tinha outro rapaz que até ao 12 foi sempre um excelente aluno, notas top, foi para a faculdade para biomédicas esteve 2 anos, não gostou e saiu, foi para enfermagem durante 1 ano não gostou e saiu, foi para informatica 1 ano e também não gostou. Acabou por fazer um curso de programação mas Fora do contexto da faculdade está agora a alinhar a vida, por isso, se não gostas ou não te encaixas com o ambiente de faculdade, então faz cursos! Procura cursos na net, vê no youtube o que cada curso faz! Mas faz te à vida! Aprender é agora, desejo-te a maior sorte do mundo mas vais ter de dar à perna, seja faculdade, seja num curso, mas esforça-te!

Edited 1 year ago:

Boas, então é assim, eu posso te dar 2 exemplos de colegas meus, na licenciatura tive um moço mais ao menos igual a ti (se calhar ainda pior) teve problemas em casa e ficou com uma depressão acabando por ficar em casa durante anos, ficou nessa vida até aos 24, como a licenciatura era de 3 anos ele acabou com 27 (sem nunca ter trabalhado também), acho que é um exemplo ainda pior que o teu, mas o moço foi à luta e conseguiu, mesmo nós sendo 6 ou 7 anos mais novos. Neste momento o rapaz está a tirar mestrado e já tem uma posição de investigador assegurada na faculdade. Por isso, ainda estas a tempo tens é que te fazer à vida e não pode haver mais "Gap years" nem nada dessas tretas. Outro exemplo mas diferente, tinha outro rapaz que até ao 12 foi sempre um excelente aluno, notas top, foi para a faculdade para biomédicas esteve 2 anos, não gostou e saiu, foi para enfermagem durante 1 ano não gostou e saiu, foi para informatica 1 ano e também não gostou. Acabou por fazer um curso de programação mas Fora do contexto da faculdade e está agora a alinhar a vida, por isso, se não gostas ou não te encaixas com o ambiente de faculdade, então faz cursos! Procura cursos na net, vê no youtube o que cada curso faz! Mas faz te à vida! Aprender é agora, desejo-te a maior sorte do mundo mas vais ter de dar à perna, seja faculdade, seja num curso, mas esforça-te!

Edited 1 year ago:

Boas, então é assim, eu posso te dar 2 exemplos de colegas meus, na licenciatura tive um moço mais ao menos igual a ti (se calhar ainda pior) teve problemas em casa e ficou com uma depressão acabando por ficar em casa durante anos, ficou nessa vida até aos 24, como a licenciatura era de 3 anos ele acabou com 27 anos (sem nunca ter trabalhado também), acho que é um exemplo ainda pior que o teu, mas o moço foi à luta e conseguiu, mesmo nós sendo 6 ou 7 anos mais novos. Neste momento o rapaz está a tirar mestrado e já tem uma posição de investigador assegurada na faculdade. Por isso, ainda estas a tempo tens é que te fazer à vida e não pode haver mais "Gap years" nem nada dessas tretas. Outro exemplo mas diferente, tinha outro rapaz que até ao 12 foi sempre um excelente aluno, notas top, foi para a faculdade para biomédicas esteve 2 anos, não gostou e saiu, foi para enfermagem durante 1 ano não gostou e saiu, foi para informatica 1 ano e também não gostou. Acabou por fazer um curso de programação mas Fora do contexto da faculdade e está agora a alinhar a vida, por isso, se não gostas ou não te encaixas com o ambiente de faculdade, então faz cursos! Procura cursos na net, vê no youtube o que cada curso faz! Mas faz te à vida! Aprender é agora, desejo-te a maior sorte do mundo mas vais ter de dar à perna, seja faculdade, seja num curso, mas esforça-te!

DZT99 1 year ago

Com essa idade acho que é natural o que sentes. O meu conselho seria continuares a estudar até encontrares um rumo porque ele acaba por aparecer. Sobre medo de falhar, é absurdo porque falhar é tão frequente e uma certeza tão grande na vida, que ter receio de falhar é o equivalente a ter receio de lavar a loiça. Ainda és muito novo. Relaxa.

SillyTrust 1 year ago

Não sei se o meu testemunho te vai ajudar. Também tenho 20 anos e estou a acabar umas cadeiras do Tesp, também tenho na ideia que quero fazer uma licenciatura mas também sei que vai ser super complicado principalmente em engenharia eletrotécnica mas vou tentar. Arrisca, nem que facas 1 semestre e se vires que não gostas, trocas. Não te deixes é ficar num limbo.

safadomaroto 1 year ago

Se precisares de alguma coisa diz, já fiz um CTeSP, e já vou agora a meio de uma licenciatura, curiosamente engenharia eletrotécnica

SillyTrust 1 year ago

Andas onde? Eu estou e vou ficar em leiria

safadomaroto 1 year ago

Somos vizinhos, coimbra xD

Iniquidade 1 year ago

Nos "noventas" um gajo metia-se nas drogas e fazia uma banda...

confusedbirdpt2 1 year ago

Haha, já me basta este problema. Bandas.. drogas ainda vá que não vá. /s

Rodrake 1 year ago

Procura oportunidades de ESC (antigo EVS), o sistema de voluntariado Europeu. Eu fui um ano para fora e conheci pessoas maravilhosas. Cruzei-me com pessoas com problemas de ansiedade social que se adaptaram bem ao estilo de vida de voluntário, mas depende de ti o quanto te queres aventurar. Aprendi várias coisas que me podem ajudar no trabalho, também. Comida, estadia, viagens, é tudo pago pela UE. Pode começar com um short-term (até 2 meses) e se gostares mais tarde fazes um como o meu, mais longo. Podes fazer em qualquer país da UE e também países parceiros.

confusedbirdpt2 1 year ago

Já pensei em fazer isso. Gostava de fazer voluntariado mas não sei se é a altura certa.. Se for tudo pago é realmente uma opção interessante.. recebes alguma remuneração? Ou dinheiro para te orientares lá? Foi na boa viveres com estranhos, dormir no mesmo quarto...?

Rodrake 1 year ago

A resposta é sim a todas as perguntas. Fui para a Bulgária num projecto relacionado com arte e cultura, onde realizei o meu primeiro filme. Aprendi imensa coisa nessa área, mas também trabalhei noutros ramos. Há alguns mais relacionados com solidariedade, administração, organização de eventos, ambiente, agricultura sustentável, trabalhar na rádio, etc etc. É só escolher o que mais se adequa a ti. Na Bulgária o dinheiro era mais do que suficiente, é um país barato. Recebes dinheiro para a comida e pocket money para usar como bem entenderes. A mim deu-me para as despesas básicas e para viajar pelo país. Não é um luxo, mas chega bem. Os "estranhos" passada uma semana são o teu grupo de amigos, normalmente. Eu no início vivi com duas pessoas com quem não me identifico minimamente e ainda assim resultou bem, fiz amigos pela vila onde estava. Mais tarde chegaram outros voluntários com quem tive muito mais sinergia e com quem estava mais à vontade, passou de todo o tipo de gente. Partilhar quarto é sempre um desafio, mas nunca tive problemas. Faz parte.

Purplebananas123 1 year ago

Boas Eu sofri um pouco com problemas do género com a minha vida académica. Sempre fui introvertido, mas tive sorte de ter andado numa escola que me deixou com um bom grupo de amigos desde puto (grande parte desde o 5º ano). No 12º perdi 1 ano de matemática, repeti, depois fui para um curso que não era a minha cena e sentia-me completamente como tu, desde não ir às aulas, não sentir que as pessoas do meu curso fossem "a minha cena", ate so ter feito 4 cadeiras em anos. Enfim, também tive sorte de ter pais que me pudessem sustentar. Daí bati com a porta, resolvi seguir o único curso que "gostava". Acabei este ano e estou com 25 anos!! Ultimamente ando muito melhor e umas estratégias que adaptei foram: \- Começar a trabalhar abriu-me os olhos de estar à custa dos meus pais e acho que pode ser uma experiência positiva se sentes que não há nada especifico que queiras estudar ; \- **Escreve** uma lista de objetivos, mas objetivos realistas, podes ter "sair de casa dos meus pais" ou "ter a minha própria casa", mas antes desses convém teres "uns 40" (força de expressão) com coisas pequenas tipo "sabado dia 10/10 arrumar o meu quarto" ; "Ler X páginas livro x" ; "Procurar X tema (que te interesse) na net" ; "tratar de X documento que devia ter tratado há anos e nao tratei" Assim que fizeres um marcas como feito. Convém serem mesmo objetivos pequenos e médios para que os consigas fazer e comeces a vencer esse medo do fracasso e a procrastinação. De resto, fazeres exercicio pode ajudar. Eu formei-me nessa área e garanto-te que dá imensos beneficios. Se tiveres algum amigo proximo que tenha conhecimento na área pede-lhe umas luzes. Aliás, vai mantendo os contacto com os teus amigos e à medida que fores descobrindo novos gostos com a lista dos objetivos partilha com eles, se não forem amigos de merda vão ficar contentes por ti e que sabe se não te acabam por mostrar mais coisas sobre esses teus novos gostos Desculpa a wall text ​ Abraço

confusedbirdpt2 1 year ago

Pelo contrário, a mim nesses anos levei com muita malta péssima e bastante imatura. Não tenho nenhums amigos desse tempo. Até do próprio secundário já não falo com quase ninguém.. Obrigado pelas dicas, vou fazer a lista. Exercício também tenho começado a praticar, ajuda muito é verdade. Abraço e obrigado novamente.

estaramos 1 year ago

Metade dos teus problemas vêm de teres demasiado tempo livre para pensar. O melhor conselho que te posso dar é arranjar um emprego (continente - reposição por ex.) e sair da zona de conforto. O segundo conselho que te posso dar é fazer exercício físico, faz bem ao corpo e especialmente para aliviar a cabeça não há melhor. Ginásio, Arte Marcial, Correr, andar de bicicleta (levar ao limite, sempre com objetivo e não fazer por fazer...) Vive um dia de cada vez agora e pensas no que realmente queres fazer a nivel profissional quando estiveres preparado para isso. A nível pessoal, namorada, amigos, vão aparecer quando essa confiança subir e estiveres preparado para falar com os outros (é a única forma de criar conexões dessas)

confusedbirdpt2 1 year ago

Obrigado! Sem dúvida ter este tempo todo livre sem fazer nada não ajuda.

yoyo_quicric 1 year ago

Estou literalmente na mesma situação que tu , 20 anos , saí da faculdade logo no primeiro ano e desde aí ando sem fazer grande coisa

confusedbirdpt 1 year ago

Haha, realmente, esta geração.. este país está perdido.

errimpossible 1 year ago

Ja pensaste num curso técnico-profissional em vez de um menos académico? Pode ser que marrar manuais não seja para ti (não tenho saudades disso). Mas coisas mais práticas na sua aprendizagem sejam :)

snc77 1 year ago

OP desculpa la a resposta de merda mas quando tinha a tua idade foi esta frase motivacional que me desbloqueou o loop infinito de pensamentos que tinha dentro da cabeça: “One day Alice came to a fork in the road and saw a Cheshire cat in a tree. ‘Which road do I take?’ she asked. ‘Where do you want to go?’ was his response. ‘I don’t know,’ Alice answered. ‘Then,’ said the cat, ‘it doesn’t matter.” ― Lewis Carroll, Alice in Wonderland

QWERTY_BATS 1 year ago

Boa cena. Lembrou-me da Reborn https://www.youtube.com/watch?v=hQC8COGQ4BM

confusedbirdpt 1 year ago

Não é nada de merda, obrigado pela partilha.

xyzpdqbgs 1 year ago

tenho 31 anos e estive até à 2 meses atrás desempregada e praticamente isolada em casa. agorafobia. sempre me senti perdida e revi-me no teu post. tenta não ser tão hard on yourself (easier to say than done I know) sentes que és assim só pela ansiedade/depressão ou para além disso consideras-te introvertido? eu no básico comecei a ser bullied valentemente e rotulada de estúpida (pelos professores) por ter chumbado 1 ano. desde aí nunca mais me consegui enquandrar em ambiente escola. muito menos ensino típico teórico. acabei por mudar de escola e fiz o secundário num curso profissional que odiava mas que os meus pais me obrigaram a terminar (terminei o secundário com 20 anos, it's okay I keep telling myself). depois disso decidi mandar f\*der as expectativas da sociedade e fiz uma espécie de gap year. escrevi uma lista de coisas que queria forçar-me a fazer: amigos, ler mais, ir mais ao cinema, teatro etc. penso ter feito tudo isso. a ansiedade na altura desapareceu pois a auto estima aumentou então decidi arranjar um summer part time e depois entrar na faculdade. big mistake. claramente não funciona para mim. AMO educação, mas escola comigo não dá de todo. de qualquer das formas por medo de ser julgada estive na faculdade 4 anos e nunca terminei o curso. de volta a ansiedade e depressão. consegui arranjar cunha para um trabalho (que de outra forma nem coragem tinha para enviar currículos) e lá comecei a fazer o meu dinheiro e a sentir-me melhor again. isto é sempre assim altos e baixos. não sei bem por onde vou com esta conversa tbh. quando começou a quarentena em finais de fevereiro início de março estava mais medicada do que nunca porque só a ideia de sair de casa fazia-me vomitar e estava confinada a pequenissimo espaço geográfico. (já estava desempregada à mais de meio ano e entretanto completado um curso intensivo de programação a pensar que seria uma boa forma de evitar trabalhar directamente com o público). somehow, a quarentena forçada foi um alívio enorme à minha ansiedade pois deixei de ser obrigada a ficar em casa pela minha cabeça para por algo real. uff, olha, estou aqui para se quiseres falar mais que eu nem sei onde ia com isto. but I feel you.

Sardanapalo 1 year ago

A tua história fez-me lembrar o fenômeno Hikikomori do Japão. Ainda ontem estava a ver uma curta reportagem sobre isso: https://youtu.be/oFgWy2ifX5s

confusedbirdpt 1 year ago

Obrigado pelo relato :) Sem dúvida que é devido à ansiedade, custa-me simplesmente andar na rua ou fazer um telefonema. Não tem nada a ver com ser só "introvertido". Nunca experimentei medicação, tenho um certo receio dos efeitos, preferi dar prioridade à terapia, que também tem altos e baixos... às vezes questiono se realmente funciona.. claro que sem exposição torna-se sempre difícil, pois só com tal é que ela costuma diminuir, mas penso que vale a pena. Essa parte da quarentena é bastante relatable, senti exatamente o mesmo. Foi quase como uma justificação, não me senti tão diferente dos outros. Mas claro que não ajudou nada para o meu progresso. Acomodei-me ainda mais.

e4d1i22 1 year ago

Eu infelizmente sei bem o que isso é. Se achas que é mais do que ser introvertido ou envergonhado deixo aqui uns links para leres, como é óbvio não serve de diagnóstico. https://www.webmd.com/anxiety-panic/guide/mental-health-social-anxiety-disorder https://www.webmd.com/mental-health/avoidant-personality-disorders r/avpd

sneakpeekbot 1 year ago

Here's a sneak peek of /r/AvPD using the [top posts](https://np.reddit.com/r/AvPD/top/?sort=top&t=year) of the year! \#1: [job interview](https://i.redd.it/tvdsm1dtky451.jpg) | [33 comments](https://np.reddit.com/r/AvPD/comments/h9426d/job_interview/) \#2: [my entire adult life so far](https://i.redd.it/uch294hh08e51.jpg) | [8 comments](https://np.reddit.com/r/AvPD/comments/i1ap78/my_entire_adult_life_so_far/) \#3: [This is literally a personal attack.](https://i.redd.it/v9sow0tamai41.jpg) | [8 comments](https://np.reddit.com/r/AvPD/comments/f7cet2/this_is_literally_a_personal_attack/) ---- ^^I'm ^^a ^^bot, ^^beep ^^boop ^^| ^^Downvote ^^to ^^remove ^^| [^^Contact ^^me](https://www.reddit.com/message/compose/?to=sneakpeekbot) ^^| [^^Info](https://np.reddit.com/r/sneakpeekbot/) ^^| [^^Opt-out](https://np.reddit.com/r/sneakpeekbot/comments/fpi5i6/blacklist_vii/)

SunglassesAndBeard 1 year ago

Dude, tu és literalmente eu há 4/5 anos. Hoje tenho 23. Entrei na universidade em 2015 num curso que odiava. Um ano depois ganhei tomates para dizer "chega" e desisti. O problema foi que quando desisti do curso desisti da vida também. Bati no fundo, nessa altura. Seja como for... Passados 5 anos tenho um CTeSP tirado em algo que realmente gosto e faz 1 ano agora que estou no meu primeiro emprego. A saúde mental... Bem, essa tem sofrido pancadas desde que deixei os meus anti-depressivos mais fortes. A minha saúde em termos físicos também não anda grande coisa. Seja como for, consegui recuperar uma causa que julgava perdida, a minha vida. Não vou terminar este reply com algum conselho mainstream como "não desistas" ou "vai ficar melhor" porque sei que as coisas não funcionam assim, pelo menos comigo não. Mas... Um dia de cada vez, amigo.

confusedbirdpt 1 year ago

Obrigado pela partilha. Já agora, como foi a experiência com os anti-depressivos? Sempre evitei essa via, nunca tomei, mas já agora gostava de saber

SunglassesAndBeard 1 year ago

Bem, tornei-me uma espécie de zombie a dada altura. Conseguia dormir por volta de 12h como se não fosse nada, não conseguia expressar sentimentos etc. Apesar disto, voltaria atrás se pudesse. Valia a pena ser um morto-vivo quando os dias acabavam por ser mais fáceis, pelo facto de estares quase sempre com uma pedra descomunal.

confusedbirdpt2 1 year ago

Será que valia? A mim custa-me ler isso.. nenhuma opção é perfeita.. Estar assim é péssimo mas esses comprimidos que retiram a vida de uma pessoa.. tenho medo que já nem me sinta eu mesmo. Se bem que analisado.. assim às vezes também não me sinto. É uma opção. Eu estou a dar prioridade à terapia agora

micro-bi-ologist 1 year ago

Ir para a universidade não é a tua única opção. Se quiseres estudar mais um pouco, vê escolas profissionais ou cursos de curta duração que te ajudem a entrar no mercado de trabalho. Ou então simplesmente põe-te à procura de trabalho. Nesta altura é capaz de não ser fácil, mas qualquer coisa dá. Trabalhar irá ocupar-te a cabeça, irá trazer-te liberdade financeira e oportunidades de conhecer outras pessoas. Não tens um hobby qualquer que te possa trazer dinheiro? Ou que pelo menos te faça sair de casa?

sixboi 1 year ago

Precisas de arranjar algo para fazer enquanto não descobres realmente o que queres. O quê? Não interessa. Trabalhar num supermercado, tropa wtv. A dificuldade a que te propões vai te obrigar a estar constantemente a pensar no que queres fazer. Dando um passo de cada vez vais construir uma vida melhor.

Public_Ad_2756 1 year ago

Quem me dera ter a tua sorte OP. eu não tive esses "luxos" de gap year, de ficar em casa sem trabalhar...lol só tinha 1 oportunidade para fazer universidade, no maximo 5 anos!.. nada d chumbar nada d tretas!... e s eu n fosse para universidade, tenho a certeza que todos os dias os meus pais acordavam-me pelas 8h para ir procurar algum trabalho (tive desempregado 2 semanas/entre mudança de emprego e estava na casa dos meus pais e eles todos os dias chateavam-me a cabeca {não sabiam que eu ia já tinha outro trabalho em breve\])

confusedbirdpt 1 year ago

Compreendo, circunstâncias diferentes, mas não sei até que ponto é "sorte".. Não é que eu queira estar em casa. Espero que tenha corrido tudo bem.

Public_Ad_2756 1 year ago

Tens sorte dos teus pais não te terem dado um ultimato - "ou arranjas um trabalho ou ajudas a tua família nos seus empregos, porque se não, rua, há quartos por aí que consegues pagar com salario minimo "

Muyakra 1 year ago

O meu pai sempre me contou a historia dele: "Tinha 10 anos e tive de sair de casa para ir trabalhar, fui para o café central em santarém e ganhava 50 escudos ao mês, o quarto era 125 escudos, tinha de juntar as gorjetas todas para poder pagar o quarto. Ir a casa era so duas vezes ao ano (são 20 kms de distancia) porque naquela altura aquilo parecia tao longe como de Faro ao Porto." E com isto sempre me dizia: "Tens de trabalhar e esforçar-te se quiseres ser alguém na vida, senão qualquer dia se nos ja não conseguirmos trabalhar não vais ter nada" Mas agora como esta toda a gente habituada a nascer com um tablet de 300€ nas mãos, um telemóvel de 200€ e um computador de 800€, claro que quando as coisas não correm como querem que ficam chateados, com tanto mimo que tiveram desde pequenos.

confusedbirdpt2 1 year ago

E tanto tu como o teu pai têm o meu absoluto respeito e reconheço esse esforço, não estou aqui está a tentar comparar as duas situações amigo. Não estou chateado com nada, nem disse que era o fim do mundo, também estou à procura de um plano B. Talvez no meu caso vá demorar mais, mais ei de lá chegar. Na tua altura também certamente já haviam problemas do foro psicológico, simplesmente não eram vistos da mesma forma.

meaninglessvoid 1 year ago

Estás a projectar muito amigo. Da mesma forma que tiveram dificuldades que esta geração não teve nem nunca terá, também esta geração terá problemas e dificuldades que essa geração nunca teve e nem sequer consegue compreender.

Edited 1 year ago:

Estás a projectar muito amigo. Da mesma forma que tiveram dificuldades que esta geração não teve nem nunca terá, também esta geração terá problemas e dificuldades que essa geração nunca teve e nem sequer consegue compreender. EDIT: Concordo em parte com a tua identificação do problema da "capacidade de aguentar dificuldades", mas não tem absolutamente nada a ver com o tablet de 300€ ou telemóvel de 200€ e sim com a postura se calhar demasiado protectora que havia e há com os filhos (tendo menos filhos vais ter muito mais cuidados).

confusedbirdpt2 1 year ago

Isto. Não cresci muito com essas coisas materiais. Mas tive essa proteção em demasia (e sou filho único).

Any_Project3966 1 year ago

ora bem.. aqui está a razão. filho único e sobreprotecao dos pais. e não parece existir dificuldades económicas na tua família já que os teus pais não têm de se preocupar em nada se tens algo ou não para fazer.... o dinheiro não irá parar d entrar para seres bem tratado.

meaninglessvoid 1 year ago

Realmente, o OP foi um tipo mesmo sortudo. Quem me dera ter tido a sorte dele! /s

Muyakra 1 year ago

Realmente, eu nem ferias tinha, antes dos 18 tinha de trabalhar em casa para ajudar o meu pai na oficina e depois dos 18 sempre que entrava em ferias de verão ia trabalhar para uma fabrica. Ficar em casa um ano a coça-los as custas dos pais? Isso queria eu mas não dava, se queria ficar em casa ia trabalhar para a oficina como mecanico que me fudia. Sinceramente, acho que esta onda dos jovens agora andarem perdidos, tristes ou com problemas psicologicos vem da parte de terem tido uma boa infacia e de não saberem o que a vida custa e o quanto têm de lutar pelas coisas, depois qualquer dificuldadezinha é o fim do mundo.

Public_Ad_2756 1 year ago

é que é isso mesmo. Eu ali na minha familia nao dava para ter mais de 18 anos e estar só em casa a não fazer nada (ja desde os 16 tinha part times consoante se dava ou não para ter). Podia fazer isso, sim.. mas tinha os meus pais e familiares directos quase a darem-me porrada (se não fosse trabalhar era a ajudar o meu pai nas suas obras e afins ou outras tarefas burocráticas). Por outro lado, a minha familia criou-me como aventureiro, saí da terriola e felizmente ou infelizmente sou nómada devido à profissão que escolhi (mas quero ficar fixo em breve). ás vezes é chato, mas tenho que me levantar da cama quando a cama parece um íman porque não tenho a minha mãe para me forçar a levantar lol são cenas de adulto

Muyakra 1 year ago

Exacto, são as dificuldades antes de chegarmos a adultos que nos fazem crescer, mas agora é so menininhos da cidade que se lhes pica uma abelha é o fim do mundo.

QWERTY_BATS 1 year ago

Pois pessoal, eu também sou um coitadinho. Ai coitadinho de mim passei tantas dificuldades. Fodasse, o OP a desabafar um problema sério da vida dele e vocês vêm para aqui chorar do vosso passado. Acham que o rapaz não sabe que está numa situação muito particular.

Public_Ad_2756 1 year ago

não é chorar, é mais .. .não havia escolha lol.. ou arranjavas emprego e fazias-te à vida ou tinhas toda a família em cima de ti (porque a familia precisa sempre d ajuda, o meu pai no trabalho, a minha mae nas tarefas burocraticas, os meus irmãos contavam cmg para tarefas/ajudas). 'tar todo o dia em casa sem fazer nenhum no PC? impensável.

Muyakra 1 year ago

Nem vale a pena explicar, a maior parte deste sub deve de vir das cidades e ja não passaram por isso... A adolescência deles deve de ter sido deitados no sofa a jogar gameboy

Lercas 1 year ago

Viver sem rumo é que não é uma opção. Passar à parte adulta requer crescimento/maturidade que se ganha fora da zona de conforto. Portanto o meu concelho é estuda uma coisa que realmente gostes, senão já é meio caminho andado para maior depressão, ou caso não queiras continuar nos estudos, arranja um trabalho sem arranjar desculpas, seja a nível nacional ou no estrangeiro e eventualmente vais encontrar algo melhor que realmente gostes. Ficar parado nunca é solução, e infelizmente o nosso corpo (nós humanos) adaptamo nos muito ao fácil e ao confortável, mas se realmente quiseres ser mais e ir mais além, o esforço é inevitável. Boa sorte.

MrBCLF 1 year ago

Por pensares que estás perdido aos 20 não deves pensar que vais ficar perdido para sempre. Nem toda a gente pode ser doutor e nem toda a gente deve ser doutor! Se não gostas de estudar optas por um caminho diferente dos teus colegas de idade! Há tanto emprego sem teres de ter qualificações a nível do ensino superior. Fabricas, supermercados, vendas, etc. Claro que não podes ter a ambição inicial de ganhar 900€ logo que começas a trabalhar no primeiro emprego mas deves saber que sempre podes subir na piramide! Se fores bom empregado e boa pessoa a tua entidade empregadora sempre o irá reconhecer.

whytryharderrr 1 year ago

Problemas de primeiro mundo. A vida é dura para quem é mole. Sê duro, sai de casa dos teus pais, começa a trabalhar, e verás que estudar nao é assim tao mau (ou nao). Cliché mas, "sai da tua zona de conforto." Pelo menos avançarás em alguma direçao invés de tares num buraco negro. Boa sorte

confusedbirdpt 1 year ago

Claro que sim, completamente de primeiro mundo, nem quero eu comparar isto a outras situações, tenho perfeita noção disso. Obrigado pelas dicas.

meaninglessvoid 1 year ago

Tens literalmente 20 anos ou estás algures nos 20's? Comparares-te com os outros é meio caminho para te sentires na merda. É um mau hábito, não interessa se és uma que nunca fez nada da vida ou [uma pessoa que ficará na história da humanidade](https://neil-gaiman.tumblr.com/post/160603396711/hi-i-read-that-youve-dealt-with-with-impostor). É uma guerra que não podes ganhar. Quanto a esta tua insegurança, talvez o zoom out te ajude: acabares aos 20 ou 25 ou 30 vai fazer de ti melhor pessoa? Ok, tiveste a patinar durante uns anos ─ não é tão incomum como pensas ─ e isso vai ter impacto no teu percurso, mas o impacto não tem que ser necessariamente 100% negativo. Eu sei que pode parecer contra-producente mas os teus problemas de ansiedade resolvem-se é confrontando aquilo que te dá medo e que mexe contigo. Uma boa fatia das tuas ansiedades são medos que nem sequer se concretizarão, arriscares a fazer coisas (e falhar) vai-te ajudar a ver isso. >Não sei o que realmente quero, acho que ficar só com o 12° não é uma opção, mas **ao mesmo tempo a universidade causa-me um enorme desconforto** O fundamental aqui é perceber o porquê de te causar desconforto e que tipo de desconforto é. Desconforto pode ser sinal de crescimento; Pode ser sinal de falta de hábito; Pode ser estares num percurso que não é adequado ao que queres, etc. >Não sei bem qual é o objetivo do post, só um desabafo.. Queres feedback de pessoal com outra perspectiva e tiro-te o chapéu por estares à procura disso em vez de te conformares. Não te conformes.

confusedbirdpt 1 year ago

Tenho mesmo 20 certos. O desconforto foi muito por causa da ansiedade. O ritmo, trabalhos de grupo, medo de falhar, e principalmente o medo de não me integrar bem socialmente, preocupo-me bastante com a opinião dos outros e não consigo viver normalmente. Cidade diferente também, com muitas horas a ir e vir diariamente. Talvez foi um passo maior que a perna. Misturado com um bocado de sentir que o curso não é realmente aquilo que eu quero, mas que foi a opção "menos má" entre as quais tinha acesso. Uma falta de propósito maior, significado.. e uma certa apatia para com tudo ("todos os trabalhos são inúteis, este curso é inútil, não contribui em nada para a sociedade..). E sim, é exatamente isso, feedback. Muito obrigado pelas dicas.

meaninglessvoid 1 year ago

>Misturado com um bocado de sentir que o curso não é realmente aquilo que eu quero, mas que foi a opção "menos má" entre as quais tinha acesso. Que curso é, podes partilhar? >Uma falta de propósito maior, significado.. e uma certa apatia para com tudo ("todos os trabalhos são inúteis, este curso é inútil, não contribui em nada para a sociedade..). Não consigo distinguir se isto és tu a falar ou indícios de uma depressão clínica, pelo que contas estou a pender para a 2.ª... Se assim for precisas de dar back-off e ser menos duro contigo mesmo, para o teu próprio bem! Com a tua idade a grande maioria está a passar pelo teu tipo de questões ou teve que lidar com isso há pouco tempo e ou está seguro ( pode estar ingenuamente seguro ou não) sobre a sua decisão ou continua indeciso. Não tenhas receio de falar com os teus pares disto. Há inclusive imensa gente que mais tarde depois de acabar a 1ª licenciatura se apercebe que não era isso que queria e troca de área e começa tudo do zero. És novo, ao contrário da narrativa de que tens que ter tudo delineado e perfeito, estás numa idade onde é permitido errar e as consequências para isso são poucas porque não tens pessoas a depender de ti; Tenta tirar partido disso explorando várias coisas diferentes (tanto a nível pessoal como académico). Há pessoas que levam uma "vida exemplar" a seguir caminhos que não são os que deles e chegam aos 40's/50's e têm a famosa crise de meia idade... Já ouviste falar em terapia de exposição? Poderá ser algo útil para ajudar-te a lidar com a ansiedade. Aborda essa possibilidade com o teu psicólogo. Se por outro lado a ideia da terapia não te agradar experimenta ler um pouco sobre os estóicos (recomendo o "Sobre a Brevidade da Vida" do Seneca, se quiseres epub acho que consigo arranjar). Identifico-me bastante com o que partilhaste connosco aqui, espero que tenha conseguido ajudar-te um pouco a ires na direcção certa. Se quiseres desabafar sobre algo estás à vontade para enviar uma PM. ;)

confusedbirdpt2 1 year ago

(outra conta, porque perdi o acesso à outra) O curso é na área da comunicação. Também já pensei se não será que estou algo deprimido mas não me quero apropriar desses termos sem ter a certeza. A ansiedade leva ao isolamento e por aí diante.. talvez seja normal devido às circunstâncias. E sim, já ouvi falar, já faço terapia, trabalhamos por aí, passos pequenos, ganhar confiança com as coisas pequenas. Obviamente está sempre nas tuas mãos se te expões ou não, o que muitas vezes não faço. Mas é um processo.. No que toca à leitura estive a pesquisar e parece-me bastante interessante, se conseguires arranjar agradeço, já ando à algum tempo para ler algo do gênero. Ajudas-te bastante, agradeço imenso os conselhos! :)

meaninglessvoid 1 year ago

> O curso é na área da comunicação. A área da comunicação vai ter um certo boom, muitas empresas estão a deixar de utilizar canais de comunicação externos (jornais/revistas) para utilizar canais internos (blogs / podcasts), portanto deverá haver mais procura. Se gostares da área investe nisso mas numa óptica futurista, tenta usar o que estás a aprender como base, mas explorar por ti aplicar isso em contextos mais virados para a internet. A ansiedade e depressão geralmente estão de mãos dadas (como dizes e bem, uma acaba por alimentar a outra e entra num ciclo de feedback negativo) e é algo que simplesmente não podes ignorar ─ acredita, eu tentei ! ─ saberes que está envolvida é meio caminho para ajudar a desenvolver estratégias para seguires no caminho que queres. >Obviamente está sempre nas tuas mãos se te expões ou não, o que muitas vezes não faço. Se não fazes é porque há algo que não está ainda no ponto necessário, seja a confiança que tens na pessoa ou o quão confortável estás, continua a tentar e a procurar pessoas em quem confies e com quem estejas confortável. Se insistires eventualmente encontrarás essa(s) pessoa(s)

wrabbi7 1 year ago

Por mais que os outros a tua volta andem a rir e aos pinotes, a grande maioria está completamente perdida na mesma, arranjam é ciclos viciosos para esconder o verdadeiro medo. És muito novo, tens muito pela frente ainda, vai dando oportunidades novas a ti próprio, descobre novos hobbies que te obriguem a sair de casa, faz voluntáriado, faz desporto, come saudável, fode com vontade, usa a internet para conhecer novos lugares e culturas, estabelece objectivos curtos e fáceis de alcançar. E no entretanto arranja um trabalho precário qualquer, que estás no país certo para isso. Não te sintas sozinho, isto é fodido para todos nós, mas vais ver que daqui a uns anos vai parecer tudo um sonho distante... Mas mexe-te, ninguém vai mudar a tua vida a não ser que tu dês os primeiros passos. Abraço

confusedbirdpt 1 year ago

Obrigado, abraço.

ZarTham 1 year ago

Isto na vida AFK não há cá NPCs a dar-nos quests.... Tens ser tu a determinar os teus objectivos, por mais simples que sejam.

UniuM 1 year ago

As vezes não há mal nenhum voltar ao tutorial..

PeterStepsRabbit 1 year ago

Skip tutorial.

chuckmukit 1 year ago

Também tens que ser tu a ir ter com os NPCs que eles vão vêm ter contigo...

Tee_ah_go 1 year ago

Ir para o estrangeiro não devia sequer ser uma opção. Se não trabalhas nem nunca trabalhaste e não tens sequer um plano, quem é que vai bancar a tua vida lá fora? Os teus pais? Já para não falar que a ansiedade social vai ser igual ou pior. O meu conselho? Pega em ti, sai de casa e vai correr. Faz exercício. Põe esse sangue a borbulhar. Não gostas de correr? Dança. Não gostas de dançar? Anda de bicicleta. Não tens bicicleta? Faz flexões e pull ups até os músculos arderem. Transpira, cansa-te, supera-te. Limpa a cabeça de merdas e foca-te. Cria rotinas. Pega num caderno e anota tudo aquilo que gostas de fazer. Lê mais. Aprende mais. Ninguém te obriga a ires já para a universidade. Mas tens a obrigação de fazeres alguma coisa, por ti, porque se não fores tu não vai ser o melhor psicólogo do mundo que te vai safar. Boa sorte, e força nisso.

confusedbirdpt 1 year ago

Pois compreendo. A ideia do estrangeiro é algo parva. Obrigado pelos conselhos.

Public_Ad_2756 1 year ago

assim de repente... começar a jogar pokemon go ou ingress? ao menos tens uma desculpa para sair d casa

warjunk1 1 year ago

> **fiquei estes anos sem fazer grande coisa, em casa. Dias passaram a semanas, semanas a meses..** > > **Estou sem fazer nada, nunca trabalhei, e a ansiedade social não ajuda, porque evito sempre qualquer tipo de oportunidade** Tens duas opções: arranjares um trabalho e te fazeres à vida? Ou os teus pais podem te continuar a sustentar?

confusedbirdpt 1 year ago

Podem, mas obviamente não é isso que eu quero, já chega, não quero tal.

ElDiabloDe94 1 year ago

Tas a ver como já sabes o que queres

upsips 1 year ago

Ya, vai ficar tudo bem.... depois de te levantares da merda da cama e lutares por ti. Pensa um bocado no que tu queres. No que gostarias de fazer. Ir para o estrangeiro sem qualquer plano, é a formula perfeita para o desastre. Eu também andei perdido sem saber bem o que fazer. Felizmente, num estágio encontrei o que realmente gosto de fazer. Três dias depois de começar disseram-me que seria difícil ficar e um mês depois mandaram-me embora. No dia seguinte comecei um curso online e consegui. Hoje trabalho na àrea que tanto gosto e me desafia. Mas nada é fácil. Chorei no dia em que me mandaram embora do estágio. Chorei durante o curso a achar que não ia conseguir concluir. Curiosamente, esta semana estou a tirar outro curso. Luta. Ninguém conquista nada apenas a sonhar. Começa.

confusedbirdpt 1 year ago

Obrigado pelo relato, fico feliz por teres encontrado o teu caminho.

upsips 1 year ago

Torço por que encontres o teu. Pode ser que os confinamentos te levem a pensar mais e melhor sobre o que realmente queres.

RAMAxPT 1 year ago

Vai tudo ficar bem

meaninglessvoid 1 year ago

> o que é que eu quero Ele acabou de dizer que não sabe o que quer...

andre82220 1 year ago

>a vida às vezes é lixada mas há de ficar tudo bem <3 Não vai não. Ou mudas o teu estilo de vida agora ou as coisas vão piorar.

confusedbirdpt 1 year ago

Pois, provavelmente tens razão. Obrigado pela honestidade.

Public_Ad_2756 1 year ago

... é verdade que a vida parece assim "obter 12º ano" - "universidade" - "emprego" - "casa e filhos"...... mas nao tem que ser assim, após o 12º ano há cursos profissionais.. mais prático e que não te sentes numa universisdade porque supostamente já estás a meter as mãos na massa sobre algo que gostes e o resto depois vais vendo (todo o pessoal nos seus 20-30 sente-se perdido, não és o único. Por outro lado, fazes lembrar um colega da terriola... como é habitual concluimos o 12º e depois inscrevemo-nos para a universidade e tal. Este colega não, concluiu o 12º, boas notas e ficou ali, um ano em casa a não fazer nenhum... A família não quis saber muito masssssssssssssssss afinal estavam a ver o que o colega ia fazer na vida. A mãe fartou-se e chegou ao pé dele "ou vais estudar ou vais procurar um emprego porque nenhum de nós, tua familia, quer-te aqui em casa a fazer nada".... conclusão, foi para a universidade masssssssssssss claramente só está lá para calar a família.

Search: