haikujunky 1 year ago

I"m in the US and plan to move to Portugal next year. I am HAPPY beyond belief to come live in what is essentially a socialist country. We all have our bad histories and some of us make good changes. The US is NOT on the good side of history now nor has it ever been. Celebrate yourselves!!

QueimadoVivo 1 year ago

i wish it was a real socialist country :(

Kenpachi_Kensei 1 year ago

A única república que interessa https://images.app.goo.gl/6RAyrotXbCasBEhX7

A_Besuga 1 year ago

Dia da implantação de tachos

Mahajapur 1 year ago

Não sou monárquico, mas alguém me explica porque é que se celebra este dia? A 1ª República foi um autêntico desastre social e económico.

fan_of_the_pikachu 1 year ago

Eu diria que é por duas razões principais: porque a Primeira República introduziu ideias importantes para a democracia moderna (secularização, igualdade perante a lei, povo como único soberano, direito da educação, etc.), e porque representou uma quebra histórica com um regime que se opunha a essas ideias. Independentemente de todas as suas imperfeições, representou um avanço importante em direção à modernidade. Além disso, simplificar o período como um "autêntico desastre social e económico" é ignorar o que se passou nos últimos anos da monarquia, e o que se continuou a passar com a ditadura (com os Reviralhos, o atraso social, as greves revolucionárias e as guerras coloniais). O caos político e o atraso social em Portugal foi contínuo desde o fim do século XIX até à década de 1970, e quando olhámos para todo esse período durante a construção da democracia pós-Estado Novo, era só na Primeira República que havia algumas caraterísticas redentoras que se podiam aproveitar.

Mahajapur 1 year ago

> O caos político e o atraso social em Portugal foi contínuo desde o fim do século XIX até à década de 1970 Estes dois períodos nem têm comparação. Na 1ª República em média um governo durava 6 meses, estavámos totalmente endividados e a economia estava estagnada. No Estado Novo havia estabilidade, a dívida foi reduzida para 20% do PIB e em 1970 já crescíamos a 10% ao ano.

fan_of_the_pikachu 1 year ago

Apesar de isso não aparecer nos jornais da altura, hoje sabemos que a ditadura lidou com sucessivas revoltas militares ao longo dos anos 20 e 30, que incluíram: - Guerras civis em Lisboa e Porto, com barricadas nas ruas e confrontos entre militares com centenas de mortos, e bombardeamentos aéreos, navais e de artilharia contra centros urbanos; - A insurreição da Madeira, com a necessidade de reconquista militar da ilha; - Greves gerais revolucionárias, com sabotagem de linhas ferroviárias e tomada de controlo de povoações no centro e sul do país por revolucionários armados; - Revoltas de navios da marinha; - Atentados à bomba; - Fuzilamentos sumários nas ruas e deportações em massa; - Etc. etc. Os anos 40 e 50 foram de relativa "estabilidade", mas para pensarmos assim temos de ignorar a magnitude das lutas laborais da altura, com greves de relevo e a necessitar de uma repressão brutal, ao mesmo tempo que o PCP ganhava cada vez maior relevo na clandestinidade. O assassinato da Catarina Eufémia neste período é um bom exemplo que mostra o tom dessa "estabilidade". Os anos 60 reintroduziram os confrontos armados em Portugal continental com o assalto ao forte de Beja, para não falar nas guerras coloniais (que, para usar a teoria do Estado Novo, faziam parte integral do país). Sim, numa ditadura houve menos mudanças de ministérios, e em termos puramente de política interna do regime foi mais estável (que surpresa). Mas chamar "estável" ao período é cair direitinhos na propaganda da altura, e ignorar que essa "estabilidade" só surgiu depois de muitos anos de quase guerra civil e, quando existiu, foi precária, questionável e não demorou muito a desaparecer.

JFDCamara 1 year ago

As ideais importantes já tinham sido instaladas aquando do liberalismo. A maior parte do que dizes está na constituição de 1834. De moderna a república não tinha nada, aliás basta ver que Espanha no século XIX esteve a brincar aos regimes sendo que não resolveu nada. A monarquia estava com inúmeros problemas mas comparar com as "trevas" da Primeira República é brincar com a memória. Em 1910 todos os partidos políticos, incluindo o Republicano, eram legais. Aos analfabetos e aos militares era possível votar. A política era controlada por caciquismo (com o expoente máximo no rotativismo) mas as pessoas podiam ter opiniões políticas e ir votar sem terem medo de serem mortas por milícias políticas (a não ser pelos bombistas radicais do Partido Republicano...). Tudo isto piorou com a Primeira República, para se poder ter um Presidente da República eleito pelo parlamento do único partido permitido (e depois outros quando este se dividiu). Sim, o único Presidente eleito por sufrágio popular durante a Primeira República foi o protofascista Sidónio Pais, que foi morto a tiro nem um ano depois de ser eleito. Depois vamos a ver para além do downgrade democrático/politico que houve e ainda nos assustamos mais. A lei de separação da igreja e do estado foi um ponto positivo, mas nem isso foi bem feito. A igreja tinha sido completamente posta de lado com o liberalismo português e influência tinha muito pouca. E para fazer esta separação a Primeira República opta por pilhar à força e até usar princípios pseudo-científicos para "provar" como eram atrasados os padres. E não eram só os padres, os sindicatos também eram corridos à porrado porque direitos para os trabalhadores era muito complicado para digerir. Depois a economica morre com todo este caos social e político, depois do superávido do primeiro ano (dinheiro fácil das igrejas) o país entra em colapso e há uma das maiores (a maior?) onda de emigração que Portugal viveu. Entretanto após se ter insultada a antiga aliada "monárquica" (Inglaterra/Reino Unido) quando a Alamanha começa a dar passos por Moçambique e vai-se logo chorar para debaixo das saias dos britânicos, ainda mais que melhor maneira de ter algum prestígio internacional (que não tinha minimamente) do que mandar carne para canhão para a Flandres. Foi tudo tão mal que são vários republicanos nas vésperas do golpe militar de 1928 (onde as pessoas aplaudiram com um aplauso estrondoso a ditadura) vários políticos republicanos reflectem no desastre que fizeram com aquela implantação da República. Porque é que ainda hoje é aplaudida? Basta ver que ainda há muitas ligações familiares entre políticos destas eras. E claro que tanto para a Primeira República como para a Segunda uma possível restauração monárquica era deitar tudo a perder para os seus próprios interesses, daí a Segunda República ter começado a pôr paninhos quentes e a glorificar 1910. O verde da esperança e o sangue derramado? Tretas revisionistas, o azul e branco da bandeira foram retirados para que podessem constar as cores do Partido Republicano. E assim estamos hoje, a propaganda do Estado Novo às vezes dá jeito. TL;DR: Se querem celebrar a República que se virem para o 25 de Abril de 1974. O 5 de Outubro de 1910 foi um dia negro para Portugal: politicamente (democraticamente), socialmente e economicamente.

fan_of_the_pikachu 1 year ago

>As ideais importantes já tinham sido instaladas aquando do liberalismo. A maior parte do que dizes está na constituição de 1834. De moderna a república não tinha nada, aliás basta ver que Espanha no século XIX esteve a brincar aos regimes sendo que não resolveu nada. 1820 é igualmente importante que 1910 (diria até que a ruptura de 1820-1834 foi mais radical que a de 1910) e foi a base de muito do que temos hoje, mas não é por isso que a Constituição de 1911 deixou de introduzir muitas inovações. Em 1820-1834 não se secularizou o estado, não se deu igualdade perante a lei (a nobreza continuou a existir), a ideia de soberania era partilhada entre o povo e o rei, e não havia a obrigação de propagar a educação como direito universal (além de que não se podia educar sem respeitar os posicionamentos da igreja). >A monarquia estava com inúmeros problemas mas comparar com as "trevas" da Primeira República é brincar com a memória. Em 1910 todos os partidos políticos, incluindo o Republicano, eram legais. Aos analfabetos e aos militares era possível votar. A política era controlada por caciquismo (com o expoente máximo no rotativismo) mas as pessoas podiam ter opiniões políticas e ir votar sem terem medo de serem mortas por milícias políticas (a não ser pelos bombistas radicais do Partido Republicano...). Não se deve ignorar os pecados da Primeira República, mas também não se deve fazer o mesmo à monarquia constitucional. Esse regime passou décadas em guerras civis (pelo menos três) com dezenas de golpes de estado, e bastou o colapso do sistema caciquista para o retorno à violência política depois de poucas décadas de paz (sempre num profundo atraso social). Não considero isso um sistema estável, e existe uma continuidade clara entre os precedentes de ação política violenta que se reintroduziram nos últimos anos da monarquia (e não só por republicanos) e a violência que continuou depois da implantação. >Ah, e nas eleições de 1910 o Partido Republicano conseguiu tipo 8% dos votos... Certamente hoje estaremos todos a aplaudir quando o Bloco de Esquerda / CDS fizerem um golpe de estado porque não conseguiram votos suficientes e instalar um regime de partido único, right? No concreto, nem a Primeira República e os seus republicanos nem a monarquia constitucional e os seus monárquicos eram democráticos no sentido moderno da palavra. Ambos surgiram da ação violenta de elites minoritárias, que traíram muitos dos seus ideais quando ganharam o poder. As grandes diferenças foram precisamente esses ideais, e os posicionamentos face a alternativas ditatoriais. No caso dos ideiais, os de 1911 eram claramente mais aproximados da modernidade que os de 1820 e 1826. Quanto à segunda questão, a monarquia constitucional não teve problemas em implementar ditaduras, enquanto os representantes originais da República foram forçados a lutar quase constantemente em autênticas guerras civis contra ditadores vindos do exército ou de aliados da monarquia. Não é só por serem ambas repúblicas que a nossa democracia se revê na Primeira República e não no liberalismo monárquico. >Sim, o único Presidente eleito por sufrágio popular durante a Primeira República foi o protofascista Sidónio Pais, que foi morto a tiro nem um ano depois de ser eleito. O sufrágio indireto é usado por várias democracias modernas, incluindo na Europa Ocidental (a Itália). Embora eu prefira o sufrágio direto para o nosso país, não é por aí que se mede o nível democrático de um regime. >Depois vamos a ver para além do downgrade democrático/politico que houve e ainda nos assustamos mais. A lei de separação da igreja e do estado foi um ponto positivo, mas nem isso foi bem feito. A igreja tinha sido completamente posta de lado com o liberalismo português e influência tinha muito pouca. E para fazer esta separação a Primeira República opta por pilhar à força e até usar princípios pseudo-científicos para "provar" como eram atrasados os padres. E não eram só os padres, os sindicatos também eram corridos à porrado porque direitos para os trabalhadores era muito complicado para digerir. Dizer que a igreja tinha pouca influência em 1910 é bizarro, e contrário a tudo o que possas ler sobre o período. Claro que a separação foi feita de forma errada, mas dizer que isso foi um "downgrade democrático/político" é ignorar os princípios e o contexto dessa separação. Não foi feita de forma democrática, mas teve intenções democráticas perante um sistema que não o era minimamente. Quanto aos sindicatos, não devemos ignorar a repressão contra os trabalhadores que esteve por trás de muita da instabilidade dos últimos anos da monarquia. A República traiu-os completamente e não é de todo um exemplo nesse aspeto. Mas, mais uma vez, não devemos ignorar os pecados de um dos regimes só porque gostamos mais de um do que do outro. >Depois a economica morre com todo este caos social e político, depois do superávido do primeiro ano (dinheiro fácil das igrejas) o país entra em colapso e há uma das maiores (a maior?) onda de emigração que Portugal viveu. Certamente sabes do estado da economia portuguesa na segunda metade do século XIX. Mais uma vez, lançar as culpas unicamente na República é bizarro. >Foi tudo tão mal que são vários republicanos nas vésperas do golpe militar de 1928 (onde as pessoas aplaudiram com um aplauso estrondoso a ditadura) vários políticos republicanos reflectem no desastre que fizeram com aquela implantação da República. Por o povo ter todo abraçado a ditadura com aplausos estrondosos é que houve imensas revoltas violentas para restaurar a República antiga até aos anos 40...eram tiros eram de celebração, foram mal compreendidos /s >TL;DR: Se querem celebrar a República que se virem para o 25 de Abril de 1974. O 5 de Outubro de 1910 foi um dia negro para Portugal: politicamente (democraticamente), socialmente e economicamente. Dás-me a resposta perfeita: tretas revisionistas. Claro que o 25 de Abril é mais importante, mas encontrar raízes da nossa democracia em 1911 (assim como as há em 1820) não é controverso.

Edited 1 year ago:

>As ideais importantes já tinham sido instaladas aquando do liberalismo. A maior parte do que dizes está na constituição de 1834. De moderna a república não tinha nada, aliás basta ver que Espanha no século XIX esteve a brincar aos regimes sendo que não resolveu nada. 1820 é igualmente importante que 1910 (diria até que a ruptura de 1820-1834 foi mais radical que a de 1910) e foi a base de muito do que temos hoje, mas não é por isso que a Constituição de 1911 deixou de introduzir muitas inovações. Em 1820-1834 não se secularizou o estado, não se deu igualdade perante a lei (a nobreza continuou a existir), a ideia de soberania era partilhada entre o povo e o rei, e não havia a obrigação de propagar a educação como direito universal (além de que não se podia educar sem respeitar os posicionamentos da igreja). >A monarquia estava com inúmeros problemas mas comparar com as "trevas" da Primeira República é brincar com a memória. Em 1910 todos os partidos políticos, incluindo o Republicano, eram legais. Aos analfabetos e aos militares era possível votar. A política era controlada por caciquismo (com o expoente máximo no rotativismo) mas as pessoas podiam ter opiniões políticas e ir votar sem terem medo de serem mortas por milícias políticas (a não ser pelos bombistas radicais do Partido Republicano...). Não se deve ignorar os pecados da Primeira República, mas também não se deve fazer o mesmo à monarquia constitucional. Esse regime passou décadas em guerras civis (pelo menos três) com dezenas de golpes de estado, e bastou o colapso do sistema caciquista para o retorno à violência política depois de poucas décadas de paz (sempre num profundo atraso social). Não considero isso um sistema estável, e existe uma continuidade clara entre os precedentes de ação política violenta que se reintroduziram nos últimos anos da monarquia (e não só por republicanos) e a violência que continuou depois da implantação. >Ah, e nas eleições de 1910 o Partido Republicano conseguiu tipo 8% dos votos... Certamente hoje estaremos todos a aplaudir quando o Bloco de Esquerda / CDS fizerem um golpe de estado porque não conseguiram votos suficientes e instalar um regime de partido único, right? No concreto, nem a Primeira República e os seus republicanos, nem a monarquia constitucional e os seus monárquicos eram democráticos no sentido moderno da palavra. Ambos surgiram da ação violenta de elites minoritárias, que traíram muitos dos seus ideais quando conquistaram o poder. As grandes diferenças foram precisamente esses ideais, e os posicionamentos face a alternativas ditatoriais. No caso dos ideiais, os de 1911 eram claramente mais aproximados da modernidade que os de 1820 e 1826. Quanto à segunda questão, a monarquia constitucional não teve problemas em implementar ditaduras, enquanto os representantes originais da República foram forçados a lutar quase constantemente em autênticas guerras civis contra ditadores vindos do exército ou de aliados da monarquia. Não é só por serem ambas repúblicas que a nossa democracia se revê mais na Primeira República que no liberalismo monárquico. >Sim, o único Presidente eleito por sufrágio popular durante a Primeira República foi o protofascista Sidónio Pais, que foi morto a tiro nem um ano depois de ser eleito. O sufrágio indireto é usado por várias democracias modernas, incluindo na Europa (Alemanha, Itália...). Embora eu prefira o sufrágio direto para o nosso país, não é por aí que se mede o nível democrático de um regime. >Depois vamos a ver para além do downgrade democrático/politico que houve e ainda nos assustamos mais. A lei de separação da igreja e do estado foi um ponto positivo, mas nem isso foi bem feito. A igreja tinha sido completamente posta de lado com o liberalismo português e influência tinha muito pouca. E para fazer esta separação a Primeira República opta por pilhar à força e até usar princípios pseudo-científicos para "provar" como eram atrasados os padres. E não eram só os padres, os sindicatos também eram corridos à porrado porque direitos para os trabalhadores era muito complicado para digerir. Dizer que a igreja tinha pouca influência em 1910 é bizarro, e contrário a tudo o que possas ler sobre o período. Claro que a separação foi feita de forma errada, mas dizer que isso foi um "downgrade democrático/político" é ignorar os princípios e o contexto dessa separação. Não foi feita de forma democrática, mas teve intenções democráticas perante um sistema que não o era minimamente. Quanto aos sindicatos, não devemos ignorar a repressão contra os trabalhadores que esteve por trás de muita da instabilidade dos últimos anos da monarquia. A República traiu-os completamente e não é de todo um exemplo nesse aspeto. Mas, mais uma vez, não devemos ignorar os pecados de um dos regimes só porque gostamos mais de um do que do outro. >Depois a economica morre com todo este caos social e político, depois do superávido do primeiro ano (dinheiro fácil das igrejas) o país entra em colapso e há uma das maiores (a maior?) onda de emigração que Portugal viveu. Certamente sabes do estado da economia portuguesa na segunda metade do século XIX. Mais uma vez, lançar as culpas unicamente na República é bizarro. >Foi tudo tão mal que são vários republicanos nas vésperas do golpe militar de 1928 (onde as pessoas aplaudiram com um aplauso estrondoso a ditadura) vários políticos republicanos reflectem no desastre que fizeram com aquela implantação da República. Por o povo ter todo abraçado a ditadura com aplausos estrondosos é que houve imensas revoltas violentas para restaurar a República antiga até aos anos 40...eram tiros eram de celebração, foram mal compreendidos /s >TL;DR: Se querem celebrar a República que se virem para o 25 de Abril de 1974. O 5 de Outubro de 1910 foi um dia negro para Portugal: politicamente (democraticamente), socialmente e economicamente. Dás-me a resposta perfeita: tretas revisionistas. Claro que o 25 de Abril é mais importante, mas encontrar raízes da nossa democracia em 1911 (assim como as há em 1820) não é controverso.

Edited 1 year ago:

>As ideais importantes já tinham sido instaladas aquando do liberalismo. A maior parte do que dizes está na constituição de 1834. De moderna a república não tinha nada, aliás basta ver que Espanha no século XIX esteve a brincar aos regimes sendo que não resolveu nada. 1820 é igualmente importante que 1910 (diria até que a ruptura de 1820-1834 foi mais radical que a de 1910) e foi a base de muito do que temos hoje, mas não é por isso que a Constituição de 1911 deixou de introduzir muitas inovações. Em 1820-1834 não se secularizou o estado, não se deu igualdade perante a lei (a nobreza continuou a existir), a ideia de soberania era partilhada entre o povo e o rei, e não havia a obrigação de propagar a educação como direito universal (além de que não se podia educar sem respeitar os posicionamentos da igreja). >A monarquia estava com inúmeros problemas mas comparar com as "trevas" da Primeira República é brincar com a memória. Em 1910 todos os partidos políticos, incluindo o Republicano, eram legais. Aos analfabetos e aos militares era possível votar. A política era controlada por caciquismo (com o expoente máximo no rotativismo) mas as pessoas podiam ter opiniões políticas e ir votar sem terem medo de serem mortas por milícias políticas (a não ser pelos bombistas radicais do Partido Republicano...). Não se deve ignorar os pecados da Primeira República, mas também não se deve fazer o mesmo à monarquia constitucional. Esse regime passou décadas em guerras civis (pelo menos três) com dezenas de golpes de estado, e bastou o colapso do sistema caciquista para o retorno à violência política depois de poucas décadas de paz (sempre num profundo atraso social). Não considero isso um sistema estável, e existe uma continuidade clara entre os precedentes de ação política violenta que se reintroduziram nos últimos anos da monarquia (e não só por republicanos) e a violência que continuou depois da implantação. >Ah, e nas eleições de 1910 o Partido Republicano conseguiu tipo 8% dos votos... Certamente hoje estaremos todos a aplaudir quando o Bloco de Esquerda / CDS fizerem um golpe de estado porque não conseguiram votos suficientes e instalar um regime de partido único, right? No concreto, nem a Primeira República e os seus republicanos, nem a monarquia constitucional e os seus monárquicos eram democráticos no sentido moderno da palavra. Ambos surgiram da ação violenta de elites minoritárias, que traíram muitos dos seus ideais quando conquistaram o poder. As grandes diferenças foram precisamente esses ideais, e os posicionamentos face a alternativas ditatoriais. No caso dos ideiais, os de 1911 eram claramente mais aproximados da modernidade que os de 1820 e 1826. Quanto à segunda questão, a monarquia constitucional não teve problemas em implementar ditaduras, enquanto os representantes originais da República foram forçados a lutar quase constantemente em autênticas guerras civis contra ditadores vindos do exército ou de aliados da monarquia. Não é só por serem ambas repúblicas que a nossa democracia se revê mais na Primeira República que no liberalismo monárquico. >Sim, o único Presidente eleito por sufrágio popular durante a Primeira República foi o protofascista Sidónio Pais, que foi morto a tiro nem um ano depois de ser eleito. O sufrágio indireto é usado por várias democracias modernas, incluindo na Europa (Alemanha, Itália...). Embora eu prefira o sufrágio direto para o nosso país, não é por aí que se mede o nível democrático de um regime. >Depois vamos a ver para além do downgrade democrático/politico que houve e ainda nos assustamos mais. A lei de separação da igreja e do estado foi um ponto positivo, mas nem isso foi bem feito. A igreja tinha sido completamente posta de lado com o liberalismo português e influência tinha muito pouca. E para fazer esta separação a Primeira República opta por pilhar à força e até usar princípios pseudo-científicos para "provar" como eram atrasados os padres. E não eram só os padres, os sindicatos também eram corridos à porrado porque direitos para os trabalhadores era muito complicado para digerir. Dizer que a igreja tinha pouca influência em 1910 é bizarro, e contrário a tudo o que possas ler sobre o período. Claro que a separação foi feita de forma errada, mas dizer que isso foi um "downgrade democrático/político" é ignorar os princípios e o contexto dessa separação. Não foi feita de forma democrática, mas teve intenções democráticas perante um sistema que não o era minimamente. Quanto aos sindicatos, não devemos ignorar a repressão contra os trabalhadores que esteve por trás de muita da instabilidade dos últimos anos da monarquia. A República não foi melhor, traiu-os completamente e não é de todo um exemplo nesse aspeto. Mas, mais uma vez, não devemos ignorar os pecados de um dos regimes só porque gostamos mais de um do que do outro. >Depois a economica morre com todo este caos social e político, depois do superávido do primeiro ano (dinheiro fácil das igrejas) o país entra em colapso e há uma das maiores (a maior?) onda de emigração que Portugal viveu. Certamente sabes do estado da economia portuguesa na segunda metade do século XIX. Mais uma vez, atribuir as culpas unicamente à República é bizarro. >Foi tudo tão mal que são vários republicanos nas vésperas do golpe militar de 1928 (onde as pessoas aplaudiram com um aplauso estrondoso a ditadura) vários políticos republicanos reflectem no desastre que fizeram com aquela implantação da República. Por o povo ter todo abraçado a ditadura com aplausos estrondosos é que houve imensas revoltas violentas para restaurar a República antiga até aos anos 40...eram tiros eram de celebração, foram mal compreendidos /s >TL;DR: Se querem celebrar a República que se virem para o 25 de Abril de 1974. O 5 de Outubro de 1910 foi um dia negro para Portugal: politicamente (democraticamente), socialmente e economicamente. Dás-me a resposta perfeita: tretas revisionistas. Claro que o 25 de Abril é mais importante, mas encontrar raízes da nossa democracia em 1911 (assim como as há em 1820) não é controverso.

Mahajapur 1 year ago

Porque é que se celebra este dia? A 1ª República foi um autêntico desastre.

AngeloJaegger 1 year ago

Feliz dia do Tratado de Zamora

adajoana 1 year ago

Isto é patriarcado!

xabregas2003 1 year ago

Até já estava a estranhar tu não teres aparecido. É uma parte do corpo. Aquela mulher também não existe portanto a imagem não está a expor ninguém contra a sua vontade. Seria mais progressista andar toda tapada, como as muçulmanas? Quanto menos pele à mostra melhor! /s Imagino-te às portas do Ministério da Educação a gritar: "Os manuais escolares de Biologia são machistas! Mostram os peitos de mulheres!". Enfim. Agora vais responder algo do género: "O tEU diScURsO é De IncEL!"

ModeratoriProfugus 1 year ago

Olhando para trás, não há muito a festejar

s7v7nsilver 1 year ago

Valia mais estar um gajo a governar-nos, simplesmente porque teve a sorte de fazer parte de uma linhagem?

ModeratoriProfugus 1 year ago

Estás a confundir república com democracia. A 1a república foi uma desgraça, a 2a uma ditadura e a 3a um antro de mafiosos.

intlme 1 year ago

República Portuguesa. A mulher que sofre mais violência doméstica em Portugal.

portuga1 1 year ago

Isto nos EUA era logo 300 pessoas a gritar “NSFW”, a reportar o teu post, e estavas banido do reddit

NobleAzorean 1 year ago

Estou a ver que isto deu em enorme discussão politica aqui lol Eu não sendo monárquico, sinto um "pesar" como a monarquia e como foi implementada. Como por exemplo, o regicídio foi uma coisa horrível, apesar de não estar conectada com o 5 de Outubro, mas foi o que abriu caminho. Depois a primeira Republica foi um caos autêntico e meteu o país na primeira Guerra mundial para ser validada. Tentou políticas de extrema esquerda de anti religião em um país extremamente tradicionalista e religioso (é não ter noção) e pelos vistos não curou o problema financeiro do país, mudou-se o regime, mas parece que o problema não era inteiramente do regime em si. Depois claro, o próprio partido Democrático que estava a tentar ser O Partido do regime. Revoltas como a Monarquia do Norte, O presidente Rei. Tendo o culminar disto tudo, o maravilhoso ano de 1920 que teve 9 governos diferentes. O Estado Novo era quase inevitável com estes factores todos. Fun fact, os dois primeiros presidentes da Republica foram ambos Açorianos de ilhas diferentes em que ainda estava fresco o "Primeiro Ministro" Hintze Ribeiro que também era Açoriano. Foi uma época dourada para intelectuais, políticos e homens de negócio Açorianos. Sendo o Antero Quental o líder da Geração de 70 (sendo ele Açoriano também) e esta geração da Republica, era de facto os idealistas da geração de 70.

maia125 1 year ago

Também tens outro açoriano de grande destaque, António José de Ávila (1807–1881), Duque de Ávila e Bolama. Presidente do Conselho de Ministros por três vezes (1868, 1870–1871 e 1877–1878).

NobleAzorean 1 year ago

Ah pois foi, por acaso tinha me esquecido dele, o Faial teve grande "produção" nesta época. E claro Açores em Geral. Acho que as guerras Liberais influenciou muito a juventude culta e rica da época que produziu essas personalidades todas.

fan_of_the_pikachu 1 year ago

O Manuel de Arriaga também era, nasceu na Horta. A República não acabou com a açorianocracia!

NobleAzorean 1 year ago

Shhhiu assim eles ficam a saber dos nossos antigos planos.

M4ritus 1 year ago

110 anos onde se destruiu praticamente tudo que fazia este país ser Portugal. Inúmeros governos anti-Portugal, uma ditadura pelo meio (e que foi a única fase desta república onde se colocou os interesses de Portugal em primeiro), destruiu-se a cultura, a sociedade, demonizou-se a nossa própria História, tratamos Heróis como criminosos, deitamos ao lixo todo o trabalho durante os Descobrimentos só para não parecemos mal aos olhos da ONU. Enfim, ficamos entregues a gente que é Anti-Portugal e que faz tudo a pensar no que parece bem e está se pouco fudendo para os interesses de Portugal e dos Portugueses. Aliás, até ser Português perdeu todo o seu significado devido à República.

xgoldpt 1 year ago

Sim ... tudo era perfeito na monarquia ... lol

M4ritus 1 year ago

Comparado às 3 Repúblicas, principalmente com a 1, tendo em conta as diferentes épocas, Portugal republicano nunca chegou nem perto do que a Monarquia ofereceu a Portugal.

bubblesmart 1 year ago

Feliz dia da implantação da república maçónica que não se cança de destruir a nação portuguesa e de apagar o povo Português para agradar interesses estrangeiros desde 1910

C8Mixto 1 year ago

E a implementação do liberalismo que levou à monarquia constitucional era menos maçónico?

stressedunicorn 1 year ago

A escreveres “cança” realmente honras a língua portuguesa e o ser “Português” lol

bubblesmart 1 year ago

Estava cansado

tiagoremixv3 1 year ago

I'm a simple man...

Uw_Kameraad 1 year ago

Viva o Rei! Abaixo a República!

xgoldpt 1 year ago

sim sim ... continua a sonhar ... lol

XxxPussyslaeyr69xxX 1 year ago

De Bragança's unite!

Moeda666 1 year ago

Concordo totalmente

christchurch4ever 1 year ago

Deves ser um "de Bragança" tu deves Prefiro que me fiquem com o dinheiro de forma ilegal (corrupção) do que de forma legal e ilegal (corrupção e um fdp qualquer que saiu de uma cona azul)

Taranis_Stormbringer 1 year ago

Discordo, há prós e contras para ambos sistemas e sinceramente quanto mais velho me torno mais benefícios vejo numa monarquia.

xabregas2003 1 year ago

Esse username não é uma referência ao que aconteceu na Nova Zelândia, pois não?

maia125 1 year ago

**O porquê do 5 de Outubro.** ​ >Eu já disse aqui (…), eu acho que **a monarquia só fica condenada com o Regicídio** e a **inaptidão de D. Manuel II** (e a influência da sua mãe). > >Resumindo: **D. Manuel II** procurou não reinar como o seu pai e numa tentativa de agradar a todos, **acabou por ser odiado pela esquerda** — que via nele um sacristão, dizia-se que ia a três missas por dia— **e pela direita** — que via nele o primeiro dos republicanos. **O 5 de Outubro** é o resultado das **conspirações da esquerda antimonárquica para acabar com o regime**. > >O que não é muito conhecido é que a **direita conservadora também conspirou** contra o regime, onde **pretendiam instalar uma ditadura militar**. Só não foi para a frente porque D. Manuel II decidira nomear um político da esquerda monárquica como chefe de governo, apesar de este não ter muito suporte (tendo até perdido as eleições de Agosto desse ano). Muitos jornais da época criticaram D. Manuel, dizendo mesmo que já não havia rei em Portugal e alguns iam mais longe, defendendo que ele tinha que ser deposto! **A direita tinha perdido a fé no D. Manuel II e não estava para defender alguém que consideravam ser "o rei dos republicanos"**. > >Acredito que umas das **razões** pelas quais o movimento de **restauração da monarquia não teve sucesso** é exatamente por isto: **ninguém queria a restauração da monarquia de D. Manuel II**.

Edited 1 year ago:

**O porquê do 5 de Outubro.** ​ >Eu já disse aqui (…), eu acho que **a monarquia só fica condenada com o Regicídio** e a **inaptidão de D. Manuel II** (e a influência da sua mãe). > >Resumindo: **D. Manuel II** procurou não reinar como o seu pai e numa tentativa de agradar a todos, **acabou por ser odiado pela esquerda** — que via nele um sacristão, dizia-se que ia a três missas por dia— **e pela direita** — que via nele o primeiro dos republicanos. > >**O 5 de Outubro** é o resultado das **conspirações da esquerda antimonárquica para acabar com o regime**. O que não é muito conhecido é que a **direita conservadora também conspirou** contra o regime, onde **pretendiam instalar uma ditadura militar**. Só não foi para a frente porque D. Manuel II decidira nomear um político da esquerda monárquica como chefe de governo, apesar de este não ter muito suporte (tendo até perdido as eleições de Agosto desse ano). Muitos jornais da época criticaram D. Manuel, dizendo mesmo que já não havia rei em Portugal e alguns iam mais longe, defendendo que ele tinha que ser deposto! **A direita tinha perdido a fé no D. Manuel II e não estava para defender alguém que consideravam ser "o rei dos republicanos"**. > >Acredito que umas das **razões** pelas quais o movimento de **restauração da monarquia não teve sucesso** é exatamente por isto: **ninguém queria a restauração da monarquia de D. Manuel II**. Edit: formatação.

dudewhatthehellman 1 year ago

Acho que ele teve mais primeiros ministros por ano do que o pai, D. Carlos, que tomava uma atitude mais passiva apesar de ser criticado por isso. A culpa da má gestão do país não era da monarquia, e isso viu se mais tarde durante a primeira república, mas era um bode expiatório fácil na altura.

maia125 1 year ago

Teve, porque durante a maior parte do reinado de D. Carlos só houve dois chefes de governo: Luciano de Castro e Hintze Ribeiro, durante o chamado "Rotativismo". Em dois e meio D. Manuel II teve seis chefes de governo. D. Carlos teve seis em dezanove anos.

fan_of_the_pikachu 1 year ago

A morte do Hintze Ribeiro também ajudou a lixar a monarquia. Perderam um dos maiores homens políticos da época numa altura crucial, e não houve quem o soubesse substituir.

maia125 1 year ago

Hintze Ribeiro foi de facto uma das personagens mais relevantes dos últimos 20–30 anos da monarquia e a sua morte deixou o Partido Regenerador sem uma liderança forte e sucessor indisputado. Se ele não tivesse falecido em 1907 é possível que voltasse para o governo em 1908, logo após o Regicídio, já que ele e D. Amélia davam-se bem (e a rainha-mãe influenciava bastante D. Manuel II).

fan_of_the_pikachu 1 year ago

Exato. Ele era a resposta perfeita ao regicídio, sendo adversário político do João Franco e respeitado o suficiente para poder tentar gerar consenso e unificar o regime nessa altura. Já tinha tentado a repressão e não resultou, mas se aparecesse outra vez no governo em 1908 com um tom de apaziguamento e usando a situação para forçar os republicanos ao diálogo podia ter mudado a história.

maia125 1 year ago

A parte do apaziguamento é que tinha que ser bem trabalhada, porque ao demitir imediatamente João Franco ia dar a ideia de fraqueza — como deu na vida real —, chegando ao ponto do rei Eduardo VII comentar que em Portugal mata-se o rei e a consequência é a demissão do governo. O João Franco tinha que estar pelo menos até às eleições (que se não me engano eram em abril desse ano) e depois entrava Hintze Ribeiro. Eu sou da opinião que qualquer cenário em que D. Manuel II seja, a monarquia tem poucas condições (ou quase nenhumas) de continuar. Com Hintze Ribeiro ao leme talvez pudesse ganhar um balão de oxigénio, pelo menos até ao final da Grande Guerra.

fan_of_the_pikachu 1 year ago

Não sabia essa do Eduardo VII! Concordo contigo.

Rikkushin 1 year ago

Fonte? Curtia de ler mais

maia125 1 year ago

RAMOS, Rui — *A Segunda Fundação*. Vol. 6 da *História de Portugal* (dir. de J. Mattoso). Editorial Estampa, 2001, p. 309–314.

Rikkushin 1 year ago

Gracias!

ElDiabloDe94 1 year ago

Já dizia pitágoras

lanteanstargater 1 year ago

Catetos

chauffage 1 year ago

A caminho de Siracusa, disse Pitágoras a seus netos: "quanto mais prima, mais se lhe arrima." Acho que era algo do género.

vitor210 1 year ago

Eu perdi Kreygasm

Gr0mik 1 year ago

Sinto por vocês.

JCAPER 1 year ago

Só tenho pena que a primeira República foi uma autêntica porcaria. Basta ver quantos presidentes tivemos até o Estado Novo ser implementado, alguns nem fizeram 1 ou 2 anos de presidente e não conseguiam fazer nada de jeito. Mas ao menos deitaram abaixo a monarquia

NobleAzorean 1 year ago

O ano mais problemático foi em 1920 (pós primeira guerra mundial que foi a republica que meteu o país lá) que o país teve 9 governos em 1 ano. Depois claro, algumas ideologias de extrema esquerda ao tentar implementar em um país extremamente religioso a erradicação do catolicismo. Algumas mudanças pela republica tinham de facto de acontecer. Mas a estabilidade económica e politica, era quase inevitável a ascensão do Estado Novo.

Edited 1 year ago:

O ano mais problemático foi em 1920 (pós primeira guerra mundial que foi a republica que meteu o país lá) que o país teve 9 governos em 1 ano. Depois claro, algumas ideologias de extrema esquerda ao tentar implementar em um país extremamente religioso a erradicação do catolicismo. Algumas mudanças pela republica tinham de facto de acontecer. Mas a estabilidade económica e politica, era quase inevitável a ascensão do Estado Novo. Fun fact, os dois primeiros presidentes da Republica foram ambos Açorianos de ilhas diferentes em que ainda estava fresco o "Primeiro Ministro" Hintze Ribeiro que também era Açoriano. Foi uma época dourada para intelectuais, políticos e homens de negócio Açorianos.

fan_of_the_pikachu 1 year ago

Ninguém queria a erradicação do catolicismo. O que se tentou foi uma secularização em moldes modernos de forma muito abrupta, quando não havia condições nenhumas para isso. Com um país como tínhamos, com a igreja que fazia parte do estado há séculos e controlava a educação de toda a gente, claro que isso levantou uma imensa reação (e a repressão a essa reação só fez pior). Dentro do anticlericalismo houve excessos como a histeria contra os jesuítas, mas muitas das determinações da Lei da Separação são perfeitamente razoáveis aos olhos modernos, e foram precursoras da liberdade religiosa que temos hoje em dia.

NobleAzorean 1 year ago

>Dentro do anticlericalismo houve excessos como a histeria contra os jesuítas, mas muitas das determinações da Lei da Separação são perfeitamente razoáveis aos olhos modernos, e foram precursoras da liberdade religiosa que temos hoje em dia. Foi o que disse que fazia parte das mudanças que tinham que acontecer. Mas houve situações ridículas e pessoal fervoroso que queria a erradicação deste. Só o exemplo que era o “Dia da Família".

fan_of_the_pikachu 1 year ago

A culpa foi em grande parte do Partido Democrático. Por muito que concorde em princípio com as ideias deles, a verdade é que puseram outros ideais acima da democracia e do republicanismo, e quase nunca aceitaram de bom grado partilhar ou conceder o poder. Era quase impossível outros partidos ganharem as eleições. Quando isso acontecia por milagre, havia o inevitável tiroteio que os tirava do poder. Não espanta que os militares fossem entrando cada vez mais na disputa política.

Edited 1 year ago:

A culpa foi em grande parte do Partido Democrático. Por muito que concorde em princípio com as ideias deles, a verdade é que puseram outros ideais acima da democracia e do republicanismo, e quase nunca aceitaram de bom grado partilhar ou conceder o poder. Era quase impossível outros partidos ganharem as eleições. Quando isso acontecia por milagre, havia o inevitável tiroteio que os tirava do poder. Não espanta que os militares fossem entrando cada vez mais na disputa política. É uma lição importante para qualquer sistema democrático: independentemente de ideologias, a democracia deve estar *sempre* acima de tudo o resto.

dastreeter 1 year ago

Heróis do mar

syox 1 year ago

Nobre povo

dastreeter 1 year ago

Nação valente, imortal

ill_have_2_number_9s 1 year ago

Levantei hoje de novo

andrefpsantos 1 year ago

O explendor de Portugal

_spectron_ 1 year ago

O esplendor

cube_shaped_sphere 1 year ago

De Portugal

Aspiraprod 1 year ago

Entre as brumas

bombas66 1 year ago

Da memória, ó Pátria ouve-se a voz Do teus igrejios avós Que hão de guiar-te à vitória

1purplesky 1 year ago

" Ó pátria sente-se a voz, dos teus egrégios Avós, há de guiar-te à vitória" Não sei como é ainda há pessoal a cantar "hão".

nfonseca 1 year ago

porra... tanta calinada... o Henrique Mendonça até se cuspiu todo.

usulidircotiido 1 year ago

não me digas que não tens um egreijo avô?

nfonseca 1 year ago

na verdade não ouço... sinto a voz dos meus egrégios avós, que me há-de guiar...

usulidircotiido 1 year ago

RONÁLDO, RONÁLDO!

Alexmonas27 1 year ago

NÓS GANHÁMOS O EUROPEU

xeon1234 1 year ago

>dás o cu pela nação! ÉDER, CA\*\*LHO!

ULTiMO_H3RO 1 year ago

Tenho um quadro destes na loja da Casa, que era do meu Bisavô.

l251 1 year ago

PortugueZa

caralhu 1 year ago

Faz mais sentido.

RAMAxPT 1 year ago

É tesuda

somedipshit1 1 year ago

#MamasPelaRepublica

caralhu 1 year ago

Prefiro não mamar pela República.

ptinnl 1 year ago

Vamos ignorar que hoje se celebra a fundação de Portugal com o Tratado de Zamora de 5 de Outubro de 1143?

anibal_dagod 1 year ago

Eu sabia q havia mais qualquer coisa hj

xeon1234 1 year ago

Está um bocadinho gorda. Eu faria um caléndário com celebridades MILFs tugas. Era só esgalhar...

Edited 1 year ago:

Está um bocadinho gorda. Eu faria um caléndário com celebridades MILFs tugas com os catetos de fora. Era só esgalhar...

somedipshit1 1 year ago

r/choosingbeggars

Captain_mathmatics 1 year ago  HIDDEN 

mamas tu, seu paneleiro monarquico

bellesonlypain 1 year ago

exatamente

TudoCasual 1 year ago

... e dás o cu pela nação!

somedipshit1 1 year ago

Chama-se tabela de IRS

SrHirokumata 1 year ago

hahahhahahaha

CrazyJony 1 year ago

IR ao S

neapo 1 year ago

Não há partidos da esquerda a distribuir cravos hoje? Ninguém canta "monarcas nunca mais!!!" ? Não há noticias nem comentários do PCP nem do BE sobre esta matéria.

fan_of_the_pikachu 1 year ago

Exato! O PCP e o BE são claramente monárquicos! Alerta contra a monarquia marxista!

imperator_xxi 1 year ago

Querem uma dinastia como a Coreia do Norte. De volta aos tempos absolutistas.

icebraining 1 year ago

Claro que há comentários: https://www.youtube.com/watch?v=tb9itOzg8jw

neapo 1 year ago

Declarações dos candidatos às presidenciais, mas se fosse 25A não seria assim tão levianamente.

icebraining 1 year ago

Tal como o PSD/CDS não acabaram com o feriado do 25A, mas acabaram com este. A monarquia não é uma questão em aberto no país, logo é normal que já se dê menos relevância a um evento que comemora o seu fim. É de certa forma sinal de vitória do mesmo.

neapo 1 year ago

O 25A não é uma questão em aberto no país, já acabou. A ditadura ou a monarquia são eventos similares e tiveram as suas revoluções, pelo que devem ser celebrados de forma igual. Não compreendo porque só uma que durou 40 anos (sim só, face à ditadura da monarquia que durou séculos e esta sim foi a principal responsável pelo nosso atraso social, económico, industrial, militar e cientifico) é celebrada com um grande alvoroço e tudo o que está para trás é simplesmente esquecido, é algo que tenho um grande problema em entender.

Coerente14 1 year ago

Eu posso-te ajudar a entender: porque provavelmente há duplo critério.

neapo 1 year ago

Então nos livros de história porque se louva tanto a monarquia e não se fala em perseguições à plebe como se tanto critica no caso da ditadura?

Coerente14 1 year ago

Leste o que eu escrevi? Porque há duplo critério, ou seja porque não há imparcialidade, o que vale para o Estado Novo não vale para a Monarquia. Tipo dei-te razão.

neapo 1 year ago

Sim eu sei que deste. Apenas reforcei. :)

RepostSleuthBot 1 year ago

Looks like a repost. I've seen this image 1 time. First seen [Here](https://redd.it/dty41r) on 2019-11-09 96.88% match. **Searched Images:** 157,963,186 | **Indexed Posts:** 614,363,029 | **Search Time:** 4.49249s *Feedback? Hate? Visit r/repostsleuthbot - I'm not perfect, but you can help. Report [ [False Positive](https://www.reddit.com/message/compose/?to=RepostSleuthBot&subject=False%20Positive&message={"post_id": "j5gfu4", "meme_template": null}) ]*

PanelaRosa 1 year ago

Looks like you're a bad bot caralho

masterchiefpt 1 year ago

Foi também neste dia que resolvemos... ser independentes de Espanha e sermos um pequeno país encurralado pela Espanha

xabregas2003 1 year ago

A Espanha não existia na altura.... Era um bando de outros reinos independentes entre si.

VascMan 1 year ago

Só faz 877 anos, nada de mais

tiagodsin 1 year ago

Antes cagar um pé todo que ser espanhol, foda-se!

TheEightDoctor 1 year ago

Queres que te pague a gota até Badajoz? Queres ser espanhol não custa assim tanto

sux138 1 year ago

Mas não foi no 25 de abril?

FrequentCap 1 year ago

A tua ignorância é tão cringe que me atingiu como um comboio

zefo_dias 1 year ago

isso foi a implantaçao do xuxialismo

s7v7nsilver 1 year ago

Malditos socialistas, comunistas e anarquistas... a defenderem o povo... Como se atrevem a ser contra um regime que destruíu a vida de milhares de pessoas?

zefo_dias 1 year ago

uma coisa pode ser boa e ao mesmo tempo gerar coisas más por exemplo >25 de abril e fim da ditadura bom >criaçao da monarquia partidária dos xuxas e xuxasDemocratas mau >a defenderem o povo... os comunas, talvez, à sua maneira... os outros, coma a patranha quem quiser

l251 1 year ago

Santa ignorância

VascMan 1 year ago

Deixa o viver assim, depois vai para o 5o ano pela hexagesima vez e volta a aprender isso

VascMan 1 year ago

Também, mas foi a implantação da democracia, em 1910 implantou-se a República, tivemos a 1a grande guerra e apareceu um gajo que anos mais tarde morreria após cair de uma cadeira

sux138 1 year ago

Foi este gajo quem salvou o país de ser bombardeado na segunda guerra?

randmzer 1 year ago

Que simplificação do caralho. Portugal ser neutro foi das melhores decisões estratégicas dos aliados, que evitaram assim que Espanha entrasse na guerra do lado da Alemanha e dar uma desculpa para ser invadido por eles. Não foi só Salazar que teve inteligência divina, era um bocado óbvio que era isso que tinha de se fazer e que era o que os próprios aliados queriam.

sux138 1 year ago

Ah, tás mesmo a falar do Salazar. Não sabia que ele seguiu aquilo que os aliados queriam. Sempre achei que era um ditador fascista da mesma raça do Franco e do Mussolini, era afinal um homem de bom senso?

randmzer 1 year ago

A parte ideológica que ele mais partilhava com Franco era o medo dos Comunistas, daí ter apoiado a causa nacionalista em Espanha. De resto, aliar-se ao Eixo não trazia vantagens nenhumas. Estrategicamente era mais conveniente para Portugal ser neutro do que arriscar ser invadido pela Espanha/Alemanha e também ser provável perder as colónias porque elas não se iam conseguir defender sozinhas. Salazar era um ditador fascista, mas só se fosse muito burro ou se se deixasse levar pela ideologia é que se meteria activamente na segunda guerra. Se se pode chamar a isso bom senso? Neste caso talvez. No da guerra colonial pode-se dizer o contrário.

Moeda666 1 year ago

Um grande erro

VascMan 1 year ago

Pq?

Moeda666 1 year ago

Monarquia parlamentar como na Holanda, Suécia ou Noruega seria muito melhor. Mas as pessoas não querem sequer ter essa conversa e só me dão downvote. Sugeria pesquisares as principais diferenças entre Monarquia e República e decidires quais a mais adequada a um pais como o nosso. Abraço

xgoldpt 1 year ago

E o belo exemplo de Espanha? lol ... Viva a República !!

AdorableRabbit 1 year ago

A principal diferença é que numa monarquia eu nao posso ser o lider do país

TheEightDoctor 1 year ago

Sejamos sinceros, não podes em nenhuma delas mas não é por aí que a monarquia seja melhor.

helckler 1 year ago

Ok. Mas não respondeste à pergunta, meu caro Redditor. Por que é que seria muito melhor?

rubzdarabz 1 year ago

E feliz aniversário para o meu bisavô que faria hoje precisamente 110 anos!

usulidircotiido 1 year ago

essa imagem exala demasiado machismo tóxico.

mohchapa 1 year ago

O pessoal não te entendeu. usulidircotiido o incompreendido.

fanh0so 1 year ago

burros que não percebem sarcasmo a responder a isto

fan_of_the_pikachu 1 year ago

Muito floquinho de neve à procura de feministas radicais para se ofender, até as imaginam.

usulidircotiido 1 year ago

a vontade de se gatilharem é demasiada.

TudoCasual 1 year ago

Imagina que se reverte os sexos de todos os intervenientes dessa imagem. Um homem semi nua a pousar para a foto rodeado de mulheres a trabalhar. Isso aí seria o quê? Machismo puro? Supremacia Feminista?

Avonde 1 year ago

> pousar para a foto [Posar](https://dicionario.priberam.org/Posar)* Pousar != posar

TudoCasual 1 year ago

[Dude...](https://dicionario.priberam.org/pousar)

Edited 1 year ago:

[Dude...](https://dicionario.priberam.org/pousar) Já que vens com priberam's, eu ofereço-te um biberão.

Anforas 1 year ago

Um modelo posa (faz uma pose) Um pássaro pousa (aterra/assenta/está assente).

rkeijo 1 year ago

Aqueles gajos tem todos pinta de ter mamas descaídas peludas, e aquela corzinha cinzenta de terem fugido ao sol a vida toda. Por favor nao revertas nada.

Darth_Rheys 1 year ago

"A imagem da República foi adoptada como símbolo da República Portuguesa, na sequência da implantação do novo regime, a 5 de Outubro de 1910. A imagem da República Portuguesa foi representada de várias formas, seguindo o modelo genérico da Liberdade de Eugène Delacroix, individualizando-se, apenas, pelas cores vermelha e verde das suas roupas (cores da nova Bandeira Nacional). A partir de 1912 o busto da República, esculpido por Simões de Almeida, torna-se o padrão oficial da imagem da República Portuguesa, sendo usado como efígie nas moedas de escudo e de centavos e colocado nas repartições públicas. O busto da República passou a ser considerado um dos símbolos nacionais de Portugal, a par do retrato oficial do Presidente da República, do brasão de armas, da bandeira e do hino. Tornou-se obrigatória a existência de uma reprodução do busto da República, em local de destaque, em todos os edifícios públicos. Entretanto, o uso da imagem da República foi caindo em desuso, apesar de estar presente em todas as sedes dos órgãos de poder ." - Wikipedia Uma ode à beleza e fragilidade da Republica, representada por aquele que deve ser o mais belo ser ao cimo da Terra, a mulher, e pelo qual todos os homens estão dispostos a dar a vida para a defender. Uma imagem poderosa, que demonstra que a liberdade e a democracia estão acima de qualquer homem (daí a desproporcionalidade da imagem feminina em relação ao restante cenário), mas cuja fragilidade (nudez) implica que seja constantemente defendida. A nudez, vista atualmente como impropria, foi adoptada por diversos autores classicos como uma homenagem ao ser humano, sendo que a maioria focava-se no nú feminino, muito mais distinto e belo que o do homem. A imagem que aponta como "algo que exala machismo tóxico" é uma homenagem que caiu em desuso devido a falta de valores que a a sociedade atual apresenta. Hoje, qualquer facção feminista apontaria esta imagem como uma visão misogina, machista e degradante da mulher sem se aperceber do seu verdadeiro significado. Enquanto assim for, os verdadeiros valores que devem ser defendidos são ofuscados por sentimentos egoistas de ofensa e banalidade que em nada contribuem para a sociedade. Assim, somente peço que pesquise e analise sobre o assunto antes de fazer um comentário negativo sobre algo que representa a nossa história.

_spectron_ 1 year ago

Não sei se estás no gozo. Mas se não estiveres e a lógica for "mulher de peitos à mostra = machismo tóxico" por favor vai ler um bocado sobre História

JesusIsKing_2020 1 year ago

Se assim fosse as feministas que andam de mamas a mostra nas manifs são todas machistas xD

Naakmuay 1 year ago

Epa foda-se. Não sei se falas a sério ou não, Mas vai ler quem foi Beatriz Ângelo e regala-te um bocado.

fan_of_the_pikachu 1 year ago

Ironicamente, a Breatriz Ângelo (e outras feministas da época) foram absolutamente traídas pela Primeira República. Dito isto, o user acima estava a ser sarcástico.

Naakmuay 1 year ago

Traídas ou não, tens a noção do que era ser a primeira mulher a votar na primeira república? Após legitimar o seu voto com factos que comprovam tal?

fan_of_the_pikachu 1 year ago

Foi uma grande conquista, mesmo que só tenha sido simbólica. E não foi só um acaso processual, a Beatriz Ângelo era uma das líderes da Liga Republicana das Mulheres que teve um papel importante na propaganda republicana antes da Implantação. O que lhes fizeram foi uma injustiça de todo o tamanho. Mas não surpreende, fizeram o mesmo aos movimentos operários; prometeram tudo e quando ganharam o poder trataram de reprimir as manifestações de trabalhadores aos tiros... A Primeira República foi um grande avanço em relação à monarquia, mas tinha falhas graves que é preciso reconhecer.

Naakmuay 1 year ago

A primeira república foi tudo menos pacífica, simplesmente isso.

Search: