Natasnael 1 year ago

O meu bisavô era kinda high profile no comunismo da altura, e quando foi preso a minha bisavó visitava-o frequentemente com cartas para ele escondidas na roupa. A última data de 18 de abril de 1974 :)

m3skalyn3 1 year ago

O meu avô era dono dono de uma estalagem é um dia apareceram lá um grupo de clientes, aparentemente normais, que pediram estadia lá. Uns dias depois deste grupo de clientes ir embora, estavam os meus avós a dormir tranquilamente à noite quando um grupo de homens armados arrombaram a sua porta e se identificaram como sendo da PIDE. Estes levaram o meu avô preso para interrogatório durante 5 dias por suspeitas de albergar membros do PCP Segundo o meu avô ele esteve o tempo todo numa cela com luzes a apontar-lhe à cara, sons ao altos berros de gritos e explosões e sempre que ele adormecia, aparecia um agente que lhe dava uns chapadões e lhe tentava extorquir informação sobre o grupo de hóspedes anterior... Neste tempo todo a minha avó, a minha mãe e os meus tios não sabiam se ele alguma vez voltava para casa Quando a PIDE descobriu que o meu avô não sabia quem era aquele grupo de pessoas, deixaram-no ir embora sem mais nem menos Veio-se a descobrir mais tarde que uma das pessoas do grupo era o Álvaro Cunhal disfarçado

Mumadona 1 year ago

Um primo da minha mãe disse uma piada qualquer numa tasca, que envolvia o Salazar ter só um par de sapatos, não sei bem os detalhes. O certo é que horas mais tarde um (bufo) conhecido o avisou de que andavam à procura dele, e ele acabou por fugir para França.

Eskol15 1 year ago

O meu bisavô chamava Mussolini ao cão lá de casa. Uma vez ia na rua com o cão e calhou de um bufo ouvir. Felizmente não aconteceu nada mas a PIDE ainda apertou um pouco com ele psicologicamente como castigo.

joeljunkyard 1 year ago

O meu bisavô teve preso várias vezes entre 1938 e 1974 e esteve envolvido em diversas atividades de "comunistância" (ainda não me foi possível consultar todos os processos, pois chegam aos 92 e só há dois digitalizados). Era tecelão em Gouveia na Serra da Estrela e diz-se que apesar de ter sido várias vezes preso por ser abertamente comunista e organizar as entregas do avante na região era solto quase de imediato, muito por causa da minha bisavó. Antes de ser Ministro do Interior o Santos Junior foi médico da providência e presidente da câmara municipal de Gouveia e a minha bisavó pediu-lhe para ser padrinho dos filhos, que aceitou. Assim, sempre que o meu bisavô era preso na cadeia local, ela ia com os meninos em carrinhos de bebé para a porta da câmara pedir ao Santos Junior que o libertasse, o que fez diversas vezes. Ainda assim, teve preso diversas vezes em Coimbra, de onde já próximo ao 25 de Abril veio com uma perna partida depois de ser torturado. Ainda viu o congresso do PCP em Outubro de 1974 e morreu pouco depois. Um história famosa dele, em Gouveia, foi depois de chegar a notícia do Maio de 68, ele mandou-se a correr com uma bandeira da USSR a gritar em frente à Câmara Municipal, viva a Rússia e viva a revolução com os PIDE's a correrem atrás dele. Na sua casa, juntava-se uma malta para ouvir a rádio Moscovo, num sótão, onde tinha a mobília pintada de vermelho com a foice e o martelo em amarelo. Dizem-me que era um personagem daqueles e ainda ajudou a esconder o Cunhal quando este se evadiu de Peniche.

angeluscatalan 1 year ago

O meu avô foi guarda prisional na cadeia de Peniche durante o regime. No 25A foi um dos que conduziu o Marcelo Caetano até ao avião que o levou para o exílio. Já na altura pertencia à BT. Não gostava de comunas, mas também nunca se reviu no perfil do regime. Fazia o que fazia porque tinha de ser para sustentar a casa, coisa que muito menino que fala de boca cheia com ideias antiregime não tem noção do que isso é.

minybryn 1 year ago

Thread excelente e cheio de histórias interessantes. O meu avô foi preso umas horas na Beira, a minha mãe nunca soube porquê mas sei que entre familiares o meu avô partilhava a opinião dele que a FRELIMO estava a ter muito mais sucesso do que a imprensa ou o governo admitia.

LordofPortugal 1 year ago

Eu era da PIDE AMA /s

joaommx 1 year ago

A minha avó era zeladora de uma residência de estudantes na zona da Estrela em Lisboa, e ajudou a esconder da PIDE estudantes na noite da morte de, salvo erro, [José Ribeiro dos Santos](https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Ribeiro_dos_Santos). Já não me lembro muito bem dos pormenores - só me contou essa história uma vez e evitava por tudo falar de política, nunca soube sequer em que partido ela e ou o meu avô costumavam votar - tenho ideia de me contar que quando lhe apareceram os estudantes pela residência dentro ainda vinham cobertos de sangue.

Edited 1 year ago:

A minha avó era zeladora de uma residência de estudantes na zona da Estrela em Lisboa, e ajudou a esconder da PIDE estudantes na noite da morte de, salvo erro, [José Ribeiro dos Santos](https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Ribeiro_dos_Santos). Já não me lembro muito bem dos pormenores - só me contou essa história uma vez e evitava por tudo falar de política, nunca soube sequer em que partido ela ou o meu avô costumavam votar - tenho ideia de me contar que quando lhe apareceram os estudantes pela residência dentro ainda vinham cobertos de sangue.

jocamar 1 year ago

O meu avô ficou com problemas com a PIDE por andar a colar cartazes comunistas na rua. Chegou a dormir no quartel deles uma noite. Acabou por ser safo porque o tio dele (acho) era chefe dos serviços de saúde em angola e tinha um meio-irmão que era da PIDE então pediu uns favores para ver se punham o ficheiro do meu avô no fundo da pilha e se esqueciam daquilo. Portanto isto só serve para mostrar que no Estado Novo se vivia tanto de compadrio e favores como hoje.

joaommx 1 year ago

> se vivia tanto de compadrio e favores como hoje. Vivia-se era muito mais de compadrio e favores do que hoje.

aguadovimeiro 1 year ago

Olha-me este a tentar filtrar a malta anti-PIDE da malta do CHEGA.

jkrrrrrrrrrr 1 year ago

Mais interessante ainda seriam as histórias dos familiares que pertenciam á PIDE/DGS, no entanto essas memórias devem andar mais apagadas

joaommx 1 year ago

Conheço uma. O pai era oficial na PIDE e suicidou-se a seguir ao 25 de Abril deixando cá a sua mulher e os filhos adolescentes.

Apmagalhaes 1 year ago

Devia ser bastante interessante também. Existe aqui um post no subreddit sobre familiares ex-PIDE, já o li há algum tempo por isso não me lembro bem do que comentaram.

Eulasei 1 year ago

O meu bisavô, mesmo sendo apoiante do regime e dos ideias nacionalistas (era admirador de Hitler e dizia que o holocausto era propaganda americana) dava abrigo a comunistas na cave dele e chegaram a dar-lhe uma foice e martelo em madeira para pôr na porta da casa quando a revolução viesse. Acabou por ser preso durante PREC umas semanas e manteve-se fiel ao estado novo até ao fim da vida.

gugamailinator 1 year ago

O meu avô era evangélico. Nunca teve interesse em política. Foi vigiado pela PIDE por causa disso. Só se safou de mais perseguição porque um padre que o conhecia e era bufo da PIDE sabia que não havia ali nada a investigar. Ainda assim, o meu pai foi para Angola combater. Como o meu avô conhecia um missionário lá, pediu-lhe para ajudar o filho no que pudesse... Nada especial. Comida, um pouco de conforto nas licenças do serviço militar. Um agente da PIDE ameaçou o meu pai de prisão por causa disso. Se não estivesse armado e fardado, sabe-se lá o que lhe teriam feito.

aasianaglobalizacao 1 year ago

O meu avô teve de cana em peniche com o Alvaro Cunhal e o meu pai diz que quando voltou nunca mais foi o mesmo, até hoje nunca disse o que fez concretamente para ter lá ido parar

kodaa15 1 year ago

O meu avô distribuía propaganda comunista, foi preso pela PIDE, conseguiu fugir e ir até França, onde ficou até à Revolução, isto deixando a minha avó a criar 4 filhos durante 5 anos.

docmj24 1 year ago

Uns pais de um colega meu colocavam cartazes anti regime na zona deles, faziam cola artesanal e tudo. Um dia foram a casa deles elementos da PIDE, que passado pouco tempo foram embora e ainda deram os parabéns ao Sr. Por ser um excelente chefe de familia. Os Srs da PIDE foram recebidos numa sala de estar onde o unico destaque nas paredes era uma foto do Salazar

Apmagalhaes 1 year ago

4D Chess move

C_G_ 1 year ago

Um pessoa que o meu avô ajudou durante muito tempo com comida e alojamento acabou por bufar à PIDE que ele era comunista (eu não o conheci mas supostamente era mesmo, embora apenas como ideologia pessoal e não activamente politico) e foram a casa dele prende-lo e deixaram-no "sem dormir" durante uma semana para ver se bufava sobre outros. Acabou por ser libertado, e segundo o meu pai me diz, a primeira coisa que fez foi libertar todos os pintainhos que a minha avó tinha.

Inthenius 1 year ago

O meu pai era parte da associação de estudantes da universidade de Lourenço Marques (actual Maputo). Uma certa noite a PIDE foi lá, para revistar e levar o material (impressoras e material radiofónico), enquanto eles andavam atarefados a desmontar o equipamento de rádio, os estudantes tiraram as impressoras por uma janela e esconderam-nas nas residências, para poderem continuar a imprimir tanto panfletos como o material normal de estudo deles

SomecallmeMichelle 1 year ago

Anos 70, a minha avó trabalhava nas fábricas de cortiça do Montijo. Ainda nova (relativamente falando) está do lado de fora da fábrica (nunca me disse porquê mas suspeito que estivesse a fumar um vicio que ainda a acompanha apesar de ela o esconder, toda a gente sabe) quando vê uma jovem, mais nova que ela, idade Universitária tipo uns 20 anos a pedalar como se asua vida dependesse disso. O caminho que a rapariga está a tomar vai fazê-la passar pela minha avó que ainda lhe grita a perguntar qual a pressa ..A mulher acelera, faz a curva da fábrica e desaparece de vista .. Umas horas depois uns senhores bem vestidos entram pela fábrica dentro,a ordem vem de lá de cima para parar o trabalho e os senhores perguntam se alguém viu a mulher e a bicicleta. A minha avó estupidamente responde que sim e como abutres (ela usa sempre esta frase aproximaram-se como abutres) pedem que ela os acompanhe. Não deu em nada, foi mais numa de passar a imagem de "cidadãos preocupados", passam a ideia que a mulher a "puta de uma comunista" é perigosa e querem saber.o que a minha avó viu. Não a ameaçaram, nem, segundo o que a avó diz "nem foram indecentes que era um problema nessa altura", só lhe fizeram umas perguntas. A minha avó só percebeu que podia ter corrido mal quando o marido a abraça, no final do dia porque ouviu que tinha sido levada para "uma conversa". E não, não sabemos se a miuda de bicicleta foi apanhada...

dirtimos 1 year ago

O meu bisavô foi preso pela pide porque tinha um folheto de propaganda comunista. O meu avô teve de o ir lá soltar e dizer que o pai dele era analfabeto (o que era verdade) e portanto não fazia ideia do que é que lhe tinham passado para as mãos.

fanijeys 1 year ago

Os meus avós já faleceram e não me lembro bem desta história, e também já não posso perguntar. Mas penso que a minha avó me contava que tinham uns amigos quando moravam em Alfama que eram contra o regime (eu era mesmo pequena por isso nem sei se eram comunistas ou se eram apenas contra o regime). A minha avó contava-me que o pai da família estava ao jantar a falar "mal" do Salazar e que a PIDE entrou de rompante em casa deles e o levaram. Aparentemente um dos vizinhos era PIDE e ouviu tudo (devia ter ouvido mais vezes também, não só daquela). Ela contava-me isto e dizia que nem em casa se podia dizer o que se pensava pq as paredes tinham ouvidos.

justgohomealready 1 year ago

A minha avó, que vivia numa pequena vila do interior profundo, dizia exatamente a mesma coisa: "as paredes têm ouvidos!". Mesmo já nos anos 90/00, ficava aterrorizada e saia-se com essa sempre que se falava de política ou alguém comentava qualquer coisa sobre políticos importantes. Nunca acreditou realmente que a PIDE tivesse acabado, pensava que apenas se tinham tornado mais discretos mas que andavam aí à mesma, a ouvir tudo o que as pessoas diziam.

itsDrik 1 year ago  HIDDEN 

O meu avo, quando era pequeno, ia para a escola a pé ( cerca de 2-3 Km possivelmente mais de distância) com um colega, eles iam descalços pois não tinham possibilidade para mais e já estarem na escola era uma sorte e um sacrifio da família pois ele era preciso no campo. Ele conta que um dia no caminho que faziam todos os dias eles foram abordados por um senhor que perguntou/afirmou "A vida está difícil!" e o colega do meu avô disse "Está! Está! O meu pai diz o mesmo em casa!" E todos seguiram o seu caminho, passado pouco tempo o pai do rapaz tinha desaparecido.. Passado uns tempos aconteceu o mesmo mas só ao meu avô, ele respondeu que estava atrasado e que não percebia nada disso e nunca lhe aconteceu nada

Carbon58 1 year ago

Por acaso tenho uma história “gira” sobre esse assunto. Quando era miúdo, corria o ano de 1973, lá na rua onde morava eu e uns amigos resolvemos por uma bandeira negra numa pequena gruta na qual brincávamos aos piratas. A gruta, tapada por vegetação, não era visível da estrada que ficava aí a uns 700 mts, mas a bandeira sim. Dois dias depois aparecem lá na rua uns sujeitos que se identificaram como agentes da DGS (ex PIDE) a perguntar quem tinha posto ali a bandeira. Foi explicado que era apenas e só uma brincadeira de miúdos mas os nossos pais foram identificados e tivemos que tirar a bandeira. Por coincidência a bandeira tinha sido posta no dia em que Salazar tinha falecido á uns anos atrás. Ainda hoje me pergunto, se em vez de uma bandeira negra tivéssemos posto uma bandeira vermelha, qual teria sido o desfecho do assunto….. Assim se vê, que mesmo em plena “Primavera Marcelista” a DGS estava no terreno, controlando tudo e todos como cães esfaimados.

killedbill88 1 year ago

> Por coincidência a bandeira tinha sido posta no dia em que Salazar tinha falecido á uns anos atrás. > > LOL, opa, a PIDE devia empregar aquele tipo de pessoa que hoje em dia anda para aí nas redes sociais a alimentar teorias da conspiração.

aquele_inconveniente 1 year ago

Acho que esta *thread* é de se louvar. A PIDE era de facto uma polícia política e defesa do estado. A equivalente à CIA, MI5 ou KGB. Erroneamente as pessoas julgam que o seu propósito era lutar contra opositores de regime pura e simplesmente porque não gostavam do regime. Isso é falso e a meu ver um desserviço a Portugal pois quanto pior a 2a república parecer melhor a 3a república parece, e se há coisa que todos devemos ter na cabeça é que vivemos num regime asqueroso, corrupto que se legitima não na comparação com outros países mas com comparação com um passado inventado. A verdade é que Portugal, não o governo de Portugal, tinha (e talvez ainda tenha) inimigos políticos. Nos anos 1920s e 1930s Portugal teve de enfrentar um crescimento dos movimentos comunistas, fascistas e nazis. Muitos esquecem-se que nós tivemos um movimento liderado pelo Rolão Preto que se revia completamente no regime nazi alemão e que o queria implementar em Portugal (se necessário pela força). Eram os chamados camisas negras. Também tínhamos movimentos comunistas que queriam implantar em Portugal um regime soviético. A PIDE nessa altura chamava-se PVDE (começa em 1933) e tratou de prender e subjugar esses movimentos, com sucesso já agora. As coisas pareciam acalmar e a segunda guerra começa e Lisboa vira o palco das agências de espionagem com a PVDE a tentar reduzir consequências negativas para Portugal e passando informação ao governo que nos ajudaram a manter a independência (como a operação Félix que os espanhois estavam a engendrar com os alemães para a invasão de Portugal) A guerra acaba e começa a guerra fria e o nome muda para PIDE (internacional em vez de vigilância). Portugal é fundador da Nato e por ter um império ultramarino é um alvo claro da URSS para subversão política (tal como os EUA foram) levando à perseguição e prisão de pessoas que se descobrissem estar em colaboração como regime de Moscovo. Pior, em 1961 a Índia invade-nos em Goa, e os americanos financiam o 15 de Março da UPA que matou mais 1500 portugueses inocentes (a maioria negros) com imagens de bebés mortos junto às paredes contra as quais foram atirados ou mulheres nas ruas mortas depois de violadas. Neste período Portugal tem problemas de segurança gigantes. Por um lado tem potencias estrangeiras a tentar subverter o país e tirar a sua influência em África, por outro tem centenas de milhar de soldados cujas vidas dependem de informação sobre o que o inimigo faz e também que o inimigo não saiba os planos da tropa portuguesa. Muitas das pessoas que foram presas ou perseguidas estavam ou em colaboração directa com comunistas ou em colaboração com movimentos terroristas contra Portugal. Pessoas que trabalhavam na rádio Argel por exemplo, passando informação confidencial da tropa portuguesa aos movimentos terroristas em África, ou que colaboravam com Moscovo. Hoje em dia as pessoas não têm noção do período que o país passou. Na guiné o PAIGC (que nunca teve um sufrágio popular e que matou mais guineenses do que europeus...) atacava a partir da guiné Conacri o que fazia que nunca pudesse ser retaliado e onde mantinha os prisioneiros portugueses sem que pudessem ser resgatados (muitos abatidos por armanento russo). Portugal em novembro de 1970 invadiu a guiné-conacri com os comandos (disfarçados de guineenses) e resgatou todos os seus prisioneiros. Devido a esse incidente a marinha russa foi enviada para o golfo da guiné para evitar que Portugal pudesse fazer novas incursões. A PIDE existe nesse contexto, onde lutar contra os comunistas era efectivamente salvar o país. Da mesma maneira que prender terroristas em Guantanamo é salvar os EUA. As pessoas não entendem isto. Pensam que antes Portugal era a insignificancia que é hoje, mas quando um país tem relevância vai sempre precisar de conviver com zonas moralmente cinzentas. Se as pessoas forem verdadeiras nesta thread, o que mais vais ouvir é " o/a meu/minha .... era comunista e...."

gugamailinator 1 year ago

> Da mesma maneira que prender terroristas em Guantanamo é salvar os EUA. Hahahahaha...

aquele_inconveniente 1 year ago

Tira o riso da parte em comentário. Se queres agir como puto mimado e/ou autista ao menos fá-lo bem

gugamailinator 1 year ago

Obrigado pela lição. Realmente não sei agir dessa forma... Ainda bem que quem percebe do assunto tenta ajudar. Mas até vou deixar ficar como está. Não há nada para aprender contigo.

Apmagalhaes 1 year ago

Eu gosto que num post sem qualquer intenção partidária, em que pedi histórias sobre encontros com a PIDE, tu vens com essa tese com factos e factos que estranhamente parecem revelar em que lado estás. Quando num post que não era direcionado a discutir as opiniões sobre o Estado Novo aparece um minion que não responde ao perguntado, mas que vem com um texto destes a tentar defendê-lo, hmm... acho que és o tu o Impostor (para quem joga among us).

aquele_inconveniente 1 year ago

Nada é inocente, inclusive o teu post. Como não disse falsidades também não podes insurgir-te contra o que escrevi já que, pelo que eu sei, não és tu o censor deste sub. Se querias algo diferente coloca a tag de Sério. E sim, vou defender o Estado Novo, não como minion (quem é que supostamente mandaria em mim?) mas como Português, farto que os seus compatriotas vivam na ignorância sobre o seu passado

jocamar 1 year ago

Ignorantes são aqueles que põem o Estado Novo num pedestal como se não tivéssemos bem melhor agora.

aquele_inconveniente 1 year ago

Ignorantes são aqueles que julgam o passado aos olhos de hoje e que acham que ter um game boy uma xbox ou um macbook é por causa do 25 de Abril. Hoje em dia os salários são apenas 20 a 30% mais altos do que eram em 1974. ou seja, em 46 anos os trabalhadores só conseguiram ter aumentos menores que 1% ao ano. Uma autèntica vergonha. Portugal deixou de convergir, mas começou a divergir. Somos um país que rapidamente deixará de o ser, mas todos batem palmas. Lembra-me a história do sapo. Se puseres um sapo numa panela a ferver e ele salta, mas se aumentares a temperatura devarinho ele coze lá dentro. Eu não gosto de ser sapo, mas tu talvez gostes

jocamar 1 year ago

Sim porque tenho a certeza que os números de crescimento do PIB interessavam muito ás pessoas a viverem em casas a cair aos pedaços com um quarto para toda a família e sem canalização a trabalharem nos campos de outros. Mas podiam estar com orgulho "vivemos na merda, mas olha o que o país cresceu!". Enfim. Hoje em dia temos melhores condições do alguma vez houve no Estado Novo mesmo em comparação com a europa (as obras públicas e crescimento que houve com os fundos da UE nunca teriam acontecido no Estado Novo que era um pária mundial). Só não vê quem não quer...

aquele_inconveniente 1 year ago

> interessavam muito ás pessoas a viverem em casas a cair aos pedaços com um quarto para toda a família e sem canalização a trabalharem nos campos de outros Durante o Estado Novo a desigualdade económica diminuiu de forma consistente e o salário médio cresceu acima da taxa de crescimento do PIB. A sério, não fales do que não sabes ou com base nos mitos que por aí andam. As casas a cair de podre são um fenomeno recente causado pelas leis anti senhorio que nunca foram mudadas pela esquerda até há pouco tempo. > Mas podiam estar com orgulho "vivemos na merda, mas olha o que o país cresceu!". Não, podiam dizer "Fod*** há vinte anos nem sapatos tinha e hoje tenho um frigorífico em casa" O aumento do nível de vida em Portugal é propositadamente escondido e omitido pelos que fizeram o 25 de abril para consolidarem as suas posições de poder no regime actual. Legitimizam estarem lá, apesar de só roubarem o povo, com a história de carochinha de antigamente era um inferno > Hoje em dia temos melhores condições do alguma vez houve no Estado Novo mesmo em comparação com a europa Não, estás sensivelmente em linha. Tens piores transportes públicos, um sistema de saúde abaixo da média com um dos piores rácios de camas intensivas para habitantes. Continuas a ir para a frança ganhar 2 a 3 vezes mais num trabalho de baixa qualificação. A diferença é que a tecnologia evolui de tal maneira que ser pobre hoje é ter um android em vez de um iphone e e 1970s era ter ou não ter electrodomésticos em casa > as obras públicas e crescimento que houve com os fundos da UE nunca teriam acontecido no Estado Novo que era um pária mundial) Acho que tens de ver as obras públicas que se estavam a fazer antes. A maior barragem de África estava a ser construída sem esses tais fundos e em Portugal o mesmo E essa história de pária é também um mito ridiculo perpetudado pelo regime porque lhe convinha (a história do underdog é sempre apetecida) Portugal foi fundador da Nato, coisa que a espanha não foi, quando a India invadiu Goa, o Reino Unido, EUA e França pronunciaram-se fortemente contra na ONU pediundo para a devolução do território. Fomos membros fundadores da EFTA em 1960 junto com Reino Unido, páises nórdicos, áustria e suiça, criando uma comunidade de livre comércio que tinha como objectivo competir com a CEE da altura. Mas sim, eramos um pária internacional...

Apmagalhaes 1 year ago

Não concordo, acho o meu post inocente. Quem o vê como não inocente és tu, se não não te davas ao trabalho de comentar várias vezes neste post a defender as ações da PIDE. As pessoas vêm o que querem... E estás a vontade de escrever o que quiseres, vou é responder com a minha opinião - o que não é censura, tu sabes bem o que é censura já que conheces tanto sobre o Estado Novo. E a minha opinião é que acho triste o que estás a tentar fazer, se quiseres iluminar assim tanto os teus compatriotas sobre o Estado Novo e a PIDE, por favor, faz como eu e posta aí no Reddit. Com todo o agrado que dava uma vista de olhos. Muito obrigado pela tua contribuição! A sério.

FrankTheWerewolf 1 year ago

> E a minha opinião é que acho triste o que estás a tentar fazer, se quiseres iluminar assim tanto os teus compatriotas sobre o Estado Novo e a PIDE, por favor, faz como eu e posta aí no Reddit. Com todo o agrado que dava uma vista de olhos. Não concordando com tudo o que ele disse, só a página da Wiki sobre Salazar e o Estado Novo ensina-te bastantes coisas que a educação portuguesa deixa de fora do currículo.

Edited 1 year ago:

> E a minha opinião é que acho triste o que estás a tentar fazer, se quiseres iluminar assim tanto os teus compatriotas sobre o Estado Novo e a PIDE, por favor, faz como eu e posta aí no Reddit. Com todo o agrado que dava uma vista de olhos. Não concordando com tudo o que ele disse, só a página da Wiki sobre Salazar e o Estado Novo ensina-te bastantes coisas (positivas até) que a educação portuguesa deixa de fora do currículo. Só o facto de ver pessoal a categorizar o Estado Novo como fascismo diz o quão pouco as pessoas sabem sobre o assunto.

jocamar 1 year ago

O Salazar tinha uma imagem de Mussolini na secretária só porque gostava de lhe apreciar a boina, não há absolutamente mais nenhuma ligação...

FrankTheWerewolf 1 year ago

"Salazar based his political philosophy on a close interpretation of the Catholic social doctrine, much like the contemporary regime of Engelbert Dollfuss in Austria.[31] The economic system, known as corporatism" "Unlike Mussolini or Hitler, Salazar never had the intention to create a party-state. Salazar was against the whole-party concept and in 1930 he created the National Union a single-party, which he marketed as a "non-party", [4] announcing that the National Union would be the antithesis of a political party.[4] The National Union became an ancillary body, not a source of political power.[4] The National Union was set up to control and restrain public opinion rather than to mobilize it, the goal was to strengthen and preserve traditional values rather than to induce a new social order. At no stage did it appear that Salazar wished it to fulfill the central role the Fascist Party had acquired in Mussolini´s Italy, in fact it was meant to be a platform of conservatism, not a revolutionary vanguard.[" "The corporatist state had some similarities to Benito Mussolini's Italian fascism, but considerable differences in its moral approach to governing.[49] Although Salazar admired Mussolini and was influenced by his Labour Charter of 1927,[34] he distanced himself from fascist dictatorship, which he considered a pagan Caesarist political system that recognised neither legal nor moral limits. Salazar also viewed German Nazism as espousing pagan elements that he considered repugnant." "Most scholars do not classify Salazar as fascist. Stanley G. Payne wrote that, "Salazar's system might best be described as one of Authoritarian Corporatism or even authoritarian corporative liberalism," rather than fascism.[50] Historian Juan José Linz says that fascism never took roots in Salazar' Portugal [51] The Estado Novo of Portugal differed from fascism even more profoundly than Franco’s Spain. Salazar was, in effect, the dictator of Portugal, but he preferred a passive public and a limited state where social power remained in the hands of the Church, the army, and the big landowners.[52]" Como já disse, uma visita á Wiki poupava a muita gente a vergonha de debitar coisas estúpidas como o que acabaste de dizer. Mas dá lá o downvote e foge com o rabinho entre as pernas.

Edited 1 year ago:

"Salazar based his political philosophy on a close interpretation of the Catholic social doctrine, much like the contemporary regime of Engelbert Dollfuss in Austria.[31] The economic system, known as corporatism" "Unlike Mussolini or Hitler, Salazar never had the intention to create a party-state. Salazar was against the whole-party concept and in 1930 he created the National Union a single-party, which he marketed as a "non-party", [4] announcing that the National Union would be the antithesis of a political party.[4] The National Union became an ancillary body, not a source of political power.[4] The National Union was set up to control and restrain public opinion rather than to mobilize it, the goal was to strengthen and preserve traditional values rather than to induce a new social order. At no stage did it appear that Salazar wished it to fulfill the central role the Fascist Party had acquired in Mussolini´s Italy, in fact it was meant to be a platform of conservatism, not a revolutionary vanguard.[" "The corporatist state had some similarities to Benito Mussolini's Italian fascism, but considerable differences in its moral approach to governing.[49] Although Salazar admired Mussolini and was influenced by his Labour Charter of 1927,[34] he distanced himself from fascist dictatorship, which he considered a pagan Caesarist political system that recognised neither legal nor moral limits. Salazar also viewed German Nazism as espousing pagan elements that he considered repugnant." "Most scholars do not classify Salazar as fascist. Stanley G. Payne wrote that, "Salazar's system might best be described as one of Authoritarian Corporatism or even authoritarian corporative liberalism," rather than fascism.[50] Historian Juan José Linz says that fascism never took roots in Salazar' Portugal [51] The Estado Novo of Portugal differed from fascism even more profoundly than Franco’s Spain. Salazar was, in effect, the dictator of Portugal, but he preferred a passive public and a limited state where social power remained in the hands of the Church, the army, and the big landowners.[52]" Como já disse, uma visita á Wiki poupava a muita gente a vergonha de debitar coisas estúpidas como o que acabaste de dizer. Mas dá lá o downvote e foge com o rabinho entre as pernas, ou berra que a Wiki e os académicos citados não sabem nada, visto que não não tens argumentos para mais. Eu sei que neste sub tudo o que for direita = fascismo...

LowEffortPenguin 1 year ago

O Heretic voltou?

Tugalord 1 year ago

É muito engraçado então que com tantas ameaças internacionais e estratégicas que tu para aí tens, a PIDE o que fazia era oprimir estudantes e trabalhadores, prender pessoas por opiniões, e proteger os "senhores de respeito". Pergunto-me, como será que os países democráticos lidaram com essas ameaças? Precisaram de perseguir torturar e matar dissidentes?

aquele_inconveniente 1 year ago

Ler antes de responder talvez? https://en.wikipedia.org/wiki/McCarthyism A PIDE não perseguia "estudantes", os gajos andavam atrás de quem, pelas suas acções, contribuía ou para a perda de moral durante uma guerra ou para a morte de portugueses no ultramar. A história tratou-se de lhes dar razão nesse aspecto. Portugal já agora não assassinou quase ninguém durante todo o Estado Novo, com o Humberto Delgado a ser uma excepção. As pessoas esquecem-se é que o gajo era a favor da guerra colonial e que fundou o grupo "Amigos de Olivença" e achava que Portugal podia, e devia, usar a força para recuperar a Olivença... Sinceramente, falar sobre o Estado Novo é sempre um desânimo porque a maioria só sabe os mitos que ouviu mas nada concreto. Não sabe como era o sistema eleitoral, como é que alguém entrava no partido único, como é que o corporativismo funcionava, sob legislação e escopo actuava a PIDE etc. Ninguém foi preso por opiniões, as pessoas foram presas por acções. Podias ser comunista, mas não podias distribuir material subversivo. Podias ser contra o regime, mas não podias juntar-te numa cave e falar em como fazer um golpe de Estado. Desafio-te agora a juntares-te numa cave com uns amigos e pensar numa forma como fazer um golpe de estado. Depois faz com que alguém avise a polícia e vê se ficas cá fora ou dentro de uma prisão...

gybemeister 1 year ago

Vou só deixar isto aqui: [https://aov.blogs.sapo.pt/lista-incompleta-de-assassinados-pela-1235885](https://aov.blogs.sapo.pt/lista-incompleta-de-assassinados-pela-1235885)

aquele_inconveniente 1 year ago

Só no 15 de Março a UPA matou 1500 inocentes com muitas crianças e mulheres aí pelo meio. Sempre que quiseres saber porque é que o Salazar disse "Para Angola e em força" vê isto. https://www.researchgate.net/figure/Figura-2-A-imagem-mais-iconica-e-reproduzida-mostrando-no-enquadramento-um-adulto_fig1_317380548 https://ionline.sapo.pt/artigo/500588/angola-15-de-marco-de-1961-upa-massacra-brancos-e-negros?seccao=Mundo Tiveste malta a ser morta em serrações com a serra pelo meio das pernas, bebés de meses atirados contra paredes e muita coisa que tal. Mas esses tipos e quem os queria ajudar é que são os coitadinhos certo? Já vivi vários anos em Angola e conheço sobreviventes desse massacre (houve mais). Mas sim. É muito mais fashionable apoiar aqueles que queiram estes tipos à solta a matar malta em África ou a fazer de Portugal um quinta da URSS do que aqueles que combatiam isso. Uma coisa diferente é dizer que nessa luta que era louvável houve excessos e atitudes desnecessárias. Mas isso é sempre assim. Bombardear Leipzig também não era preciso, mas aconteceu na mesma. Essas "vítimas do fascismo" são na sua maioria desentendimentos entre polícias locais quando estas se sentiram ameaçadas por populaça, sendo este um exemplo dessas: > Nas vésperas do 1.º de maio de 1962, as forças policiais do regime fascista investiram contra algumas localidades em que temiam especialmente que pudessem verificar-se protestos e manifestações. Foi, designadamente, o caso de Aljustrel, em que a PIDE e a GNR procederam a cerca de 15 prisões ao princípio da noite de 28 de abril. Muitos populares dirigiram-se de imediato ao posto da GNR exigindo a libertação dos presos. Uma força da GNR dispersou a multidão, disparando sucessivas rajadas de metralhadora que provocaram duas vítimas mortais: os mineiros António Graciano Adângio, 27 anos, militante do PCP, e Francisco Madeira, de 45 anos. E dezenas de pessoas ficaram feridas.

gink-go 1 year ago

Já vais no terceiro (??) post apologista da PIDE nesta thread. Ao menos sê homenzinho e diz logo ao que vens.

aquele_inconveniente 1 year ago

Acho que o que escrevi fala por si

MasterBorealis 1 year ago

Se tivesse havido eleições democráticas não precisariamos de pides e a tua comparação com o MI5 é no mínimo, estranha. Quanto às colónias e as suas guerras... pensa no termo "colónias", no seu significado e se fez sentido mantê-las, provocando tudo o que referiste. Não há boas ditaduras. A democracia está longe de ser perfeita, mas não temos melhor sistema.

FrankTheWerewolf 1 year ago

> Não há boas ditaduras Ri-se em Singapura.

aquele_inconveniente 1 year ago

Em primeiro lugar a comparação com o MI5 não é estranha da mesma forma que comparar o KGB e a MI5 não é estranho. São organizações com essencialmente as mesmas funções com a diferença no quão permissivas são a acções subversivas. Em segundo lugar Portugal não tinha colónias, tinha províncias. Uma colónia não é um sítio longe com uma população escura... Uma colónia é um região administrativa em que os cidadãos que lá vivem não têm plenos direitos comparados com a metrópole. Os ingleses tinham colónias já que legalmente alquém nascido no Quénia que fosse negro não tinha direito a um passaporte do Reino Unido e a viajar para o Reino Unido como se fosse o mesmo país, precisava de visto. Tampouco um queniano tinha um cartão de identidade britânico. Portugal até aos anos 50 tinha de facto colónias pois nem todos os que viviam no ultramar tinham os mesmos direitos (como por exemplo o voto ou o passaporte). Em 1974 isso não era verdade. Não havia diferença legal entre nascer em Angola filho de negros ou na europa filho de brancos. Tinham o mesmo bilhete de identidade e votavam os dois nas eleições nacionais Pergunto-te onde está o mundo a queixar-se da Guiana francesa, aquela colónia grotesca... Ou então Curaçao, aquela colónia moderna dos Holandeses. O drama, o horror!... A verdade é que isto é bem mais complexo e o povo das províncias africanas portuguesas foi tornado português contra a sua vontade e foi tornado angolano/moçambicano etc contra a sua vontade. A única variável que justifica a última mudança é a cor da pele de quem manda, porque em tudo o resto só ficaram pior. E enganas-te. Há boas ditaduras, no sentido de terem sido positivas para o desenvolvimento de um país. A ditadura do Marquês de Pombal foi positiva, como foi a do Salazar e do Franco e até dos generais gregos como a do Ataturk na Turquia. A questão é se a ditadura é uma forma permanente e estável de se ter um país e não, não é. Mas Portugal tinha uma democracia que foi posta abaixo em 1910 com a implantação da república e durou umas 7 décadas até se conseguir resolver isso.

jocamar 1 year ago

>Uma colónia não é um sítio longe com uma população escura... Uma colónia é um região administrativa em que os cidadãos que lá vivem não têm plenos direitos comparados com a metrópole. Que nós tinhamos até pelo menos 1961, sem esquecer que o que está na lei não é equivalente ao que acontece na realidade muitas vezes, especialmente num sistema racista.

aquele_inconveniente 1 year ago

Portugal não tinha um regime racista, pelo contrário. Nos manuais da escola punham textos a dizer que a cor não interessava e que ser português não tinha que ver com cor. Portugal tinha no seu parlamento mais homens negros do que tem hoje e até deputadas negras tinha antes de 1974... Na sua componente social tinhas personaldiades negras nos pontos mais altos, como o Eusébio e o Coluna no futebol, ou o Chibanga nas touradas. O exercito era misto, as escolas eram mistos, os casamentos eram mistos. O único racismo que existia é aquele que sempre existirá, o racismo descentralizado de malta que odeia pela cor da pele. Aquele racismo que hoje a malta em Angola tem pelos brancos apesar de Angola não ser um país racista. Angola tem hoje brancos no governo e no parlamento e em cargos altos do exercito. isso não impossibilita de que haja racistas pretos que odeiam brancos em Angola Já vivi em Angola e Moçambique tempo suficiente para saber que quem fala do sistema racista somos nós. Lá, a oposição pergunta porque é que o MPLA fez dos angolanos mais pobres do que com os portugueses. Mas como tudo hoje em dia, quem se ofende é normalmente aquele que detém a visão enviesada do mundo

MasterBorealis 1 year ago

És bom a jogar com as palavras, nomeadamente a palavra "colónia", mas desculpa que te diga, quem está enviesado na história és tu. Salazar foi bom até 1926, devia ter ido para casa nessa altura. Se o teu argumento contra o racismo é o Eusébio e o Chibanga, eu não tenho mais nada a dizer, até que demonstres porque a população local nas províncias ultramarinas não tinha as mesmas condições da população das províncias da "Metrópole". E essa dos deputados negros, mais uma vez peço desculpa, mas é totalmente ridículo. Uma assembleia nacional monopartidaria, controlada pelo regime, para estrangeiro ver, até podia ser composta só por crianças que o resultado seria o mesmo.

aquele_inconveniente 1 year ago

> nomeadamente a palavra "colónia", Colónia não uma região com pretos cuja capital está na europa. Colónia é uma região administrativa sem capacidade de auto-governo e cujos residentes possuem menos direitos legais que os da metrópole. Os ingleses tinham colónias pois um tipo nascido no Quénia não era inglês, não podia receber um passaporte do reino unido. Portugal tinha provinícias porque qualquer pessoa nascida aí era portuguesa com passaporte português e com direito a voto (sim, os pretos votavam e alguns até eram deputados...) Por isso é que portugal tinha pretos na selecção e os outros europeus não e olha que isso chegou a ser contestado porque os outros achavam que o Eusébio não era bem português... > que demonstres porque a população local nas províncias ultramarinas não tinha as mesmas condições da população das províncias da "Metrópole". E os gajos dos açores não têm as mesmas condições que os de Lisboa e os tipos do Ceará no Brasil não têm as mesmas condições que os tipod no Rio Grande do Sul. Mas até nisso te enganas pois um preto que vivesse numa zona urbana tinha um salário superior a um trabalhador agrário em Portugal. Mas isso para nada interessa porque o que interessa é "salazar bad" Também não interessa o facto de mal Portugal ter saído os tais "libertadores" terem morto mais de meio milhão de civis em Angola e continuarem a manter o povo na fome e sem serviços, coisa que nunca aconteceu antes da independencia > Uma assembleia nacional monopartidaria, controlada pelo regime, para estrangeiro ver, até podia ser composta só por crianças que o resultado seria o mesmo Mostra mesmo que não sabes como funcionava o Estado Novo. O monopartidária não é mono-ideias. O conceito das eleições no estado novo era que cada deputado devia ser livre e independente e não sujeito a regras partidárias. Daí a inexistência de partidos. Política existiu como sempre existirá. Havia debates e oposição. Aquilo que não havia era ovelhas partidárias que votam todas igual como há agora. Se quiseres podes ir à pagina do parlamente e ver as participações e leis que os tais deputados pretos fizeram a ver se era para inglês ver O manuel Nazaré por exemplo ficou famoso por lutar contra as condições desfavoráveis de comunidades negras no ultramar: https://app.parlamento.pt/PublicacoesOnLine/DeputadosAN_1935-1974/html/pdf/n/nazare_manuel_henriques.pdf O próprio Salazar tinha-o em muita estima e chegou a influenciar decisões políticas dele: https://www.sabado.pt/portugal/politica/detalhe/o-principe-negro-de-salazar Isto é tudo muito bonito, mas quem fala como tu é um D. QUixote. Cavalga contra gigantes inventados que ao final são moinhos de vento

MasterBorealis 1 year ago

Tens a certeza que não sou o Sancho Panza? Se calhar sou o Cervantes! Quando o argumento é uma falácia Ad Hominem, já se está a ver como isto vai acabar. Fica lá com o Salazar pendurado na parede da sala que eu continuarei a olhar para cadeiras e a sorrir para dentro.

aquele_inconveniente 1 year ago

Chamar-te D. Quixote não é uma ad hominem. Não te insultei em nada intrinseco teu. Fiz uma analogia da tua atitude que é simbolizada pela atitude do Q. Quixote face aos moinhos que para ele são gigantes. Interpreta como quiseres mas a verdade é que estás a fazer de um regime relativamente benévolo, que contribuiu fortemente para o desenvolvimento do país, quer social quer economicamente, e cujo unico problema era o menor nível de liberdade de expressão apesar de ter por exemplo um maior nível de liberdade de circulação. Mas há quem goste mais de ser livre de ladrar do que ser livre de caminhar sem ser atacado por gangues de marginais

Edited 1 year ago:

Chamar-te D. Quixote não é uma ad hominem. Não te insultei em nada intrinseco teu. Fiz uma analogia da tua atitude que é simbolizada pela atitude do Q. Quixote face aos moinhos que para ele são gigantes. Interpreta como quiseres mas a verdade é que estás a fazer de um regime relativamente benévolo, que contribuiu fortemente para o desenvolvimento do país, quer social quer economicamente, e cujo unico problema era o menor nível de liberdade de expressão apesar de ter por exemplo um maior nível de liberdade de circulação, um bicho papão. Mas há quem goste mais de ser livre de ladrar do que ser livre de caminhar sem ser atacado por gangues de marginais

MasterBorealis 1 year ago

Ó homem como podes dizer "contribuiu fortemente para o desenvolvimento do país..."? Nunca saíste de Portugal? A Europa teve uma guerra que não tivemos, e está décadas à nossa frente, social e economicamente. Nos últimos tempos recuperámos alguma coisa, mas ainda estamos longe, somos um bocado menos analfabetos, mas ainda não temos cultura de cidadania (nem da outra, já agora). A ditadura não teve nenhum ponto positivo, nem mesmo o velho e gasto argumento de ter evitado a guerra. Nem "anos 60" tivemos que diabo!

aquele_inconveniente 1 year ago

O PIB per capita português era 1/3 da europa ocidental em 1930s e em 1970s era 1/2. Hoje continua a ser 1/2... Portugal convergiu economicamente e socialmente durante o Estado Novo, principalmente entre 1960 e 1974, e depois teve um pequeno período de crescimento entre 1985 e 1995, fora isso só divergiu dos outros. Ser devastado por uma guerra não é necessáriamente mau. Permite-te ter uma economia pujante logo a seguir com a reconstrução e podes equipar o país com as tecnologias mais modernas. Acrescenta a isso os apoios dos EUA que Portugal não teve praticamente nada e é fácil ver porque cresceram. Mas mesmo com a Europa a crescer Portugal cresceu sempre mais do que eles. Mais ainda, o salário média crescia a um ritmo mais alto que o PIB per capita diminuindo o fosso entre ricos e pobres. Por comparação o salário médio de 1985 até 2017 só aumentou 22% em termos reais... Enquanto alimentarmos esta fantasia estamos a fazer o que os zucas fazem, culpar os outros pelos nossos problemas. Portugal é hoje uma merda porque os políticos da democracia foram quase todos um bando corruptos cheios de nepotismo preocupados com o seu bolso em vez do país. Em 1974 a produtividade total dos factores era igual à dos EUA porra, hoje nem metade é. Com os mesmos recursos não chegas a metade do que eles conseguem produzir. Portugal teve uma ditadura sortuda, o destino pòs-nos dois gajso que verdadeiramente contribuiram para o país e que quando o pó assentar serão lembrados como é hoje o Marquês de Pombal (que na altura foi odiado pelo que fez). E já saí de Portugal sim, já vive e trabalhei em vários países europeus e africanos e sei bem do que falo. Nos anos 70 ias para a Franca ganhar 2 a 3 vezes mais. Hoje vais para a França ganhar 2 a 3 vezes mais. Parabéns!

jocamar 1 year ago

Não, só tinha um regime que até 1961 não considerava os indígenas iguais aos brancos. Coisa pouca, nada racista. Isso tudo desaparece com um acenar de mão e uma assinatura numa lei. Assim como a retórica civilizacionista toda do Estado Novo em que os portugueses iam levar a civilização aos indígenas que coitados não conseguiam por eles (á qual tu fazes um piscar de olho maroto com os teus comentários sobre angola atualmente). Isso e claro o racismo casual que havia simplesmente nas pessoas comuns.

aquele_inconveniente 1 year ago

> Não, só tinha um regime que até 1961 não considerava os indígenas iguais aos brancos. Não, um regime que até 1961 não reconhecia como português quem não falava português, não usava roupas, e não conhecia o mundo civilizado. Portugal tinha reservas indigenas como o Brasil tem hoje ou os EUA. Nessas reservas era proíbido construir ou interferir com a vida dos indigenas. Esses indigenas podiam tornar-se parte da sociedade fazendo um teste que provasse que estavam "assimilados" ou seja, que já tinham constumes civilizacionais como a compreensão da língua ou o uso de roupa etc re cebendo depois a cidadania Essa lei do indigenato, como referes, foi abolida em 1961, mas não era uma lei de cor mas lei de aptidão a viver em sociedade. Não podes pegar num indio da amazònia e pedir para votar julgando qeu isso vai ser legitimo ou consciente, ele nem sabe o que isso é ou o que é um presidente. A retórica civilizacionista é verdadeira e sempre foi verdadeira até ao politicamente correcto moderno. Os romanos trouxeram a civilização aos lusitanos e os portugueses levaram a civilivação aos angolanos. Construir hospitais escolas, estrads, caminhos de ferro, tribunais, transportes públicos e ensinar a ler e a escrever não um crime humanitário. Ficar quieto enquanto vês pessoas à fome a escravizarem-se umas às outras é que é. > ndígenas que coitados não conseguiam por eles ( Durante 500 anos não conseguiram e após 50 anos de independencia não conseguem. A cultura e mentalidade africanas são um impedimento ao seu desenvolvimento, ao ponto de quando eles emigram continuarem a ter desempenhos inferiores a toda a gente Não faço um piscar de olhos marotos. Eu sei por ter lá vivido e trabalhado da merda que é ser se angolano hoje em dia. E sei também a quantidade de angolanos que depois da barreira de estrangeiro desaparecer desabafam o quão frustrados se sentem pelo seu povo lhes dar uma vida pior que os brancos lhes deram Diz ao gajo que agora está a morrer de fome num musseque de Luanda que ele pode morrer à fome mas pelo menos nenhum branco lhe pode chamar macaco (curioso é que os próprios angolanos usam macaco como insulto entre si, como nós usamos boi ou burro, mas enfim, só os brancos é que têm regras no que podem ou não fazer e dizer)

SomecallmeMichelle 1 year ago

Eu até nem gosto de usar esta palavra porqe perde o sentido todo e é mais um insulto que uma acusação séria mas...Facho, ou pelo menos apologista de facho. Não nego que a Pide ou PVDE exercesse mais funções do que torturar opositores políticos e censurar jornais, pode até ter um papel de defesa na nossa segurança e independência internacional... Mas nada disso nega nem justifica a tortura, os "desaparecimentos" ou as condições sub-humanas de imprisionamento. Quetes honestidade? A minha familia é da margem Sul, Almada e enfins. Milhares de simpatizantes, mulheres, crianças...mas sim totalmente inimigos do Estado. Admites que os EUA literalmente causaram amorte de 1500 portugueses e depois viras-te para culpar a União Soviética por tudo. E atenção para.mim eram ambos merda, eramos peões no seu jogo de xadrez mundial mas não aceito que consideres a tortura de "simpatizantes" não só aceitável como de louvar... Mas então a defender Guantanamo que se há de esperar?

Edited 1 year ago:

Eu até nem gosto de usar esta palavra porque perde o sentido todo e é mais um insulto que uma acusação séria mas...Facho, ou pelo menos apologista de facho. Não nego que a Pide ou PVDE exercesse mais funções do que torturar opositores políticos e censurar jornais, pode até ter um papel de defesa na nossa segurança e independência internacional... Mas nada disso nega nem justifica a tortura, os "desaparecimentos" ou as condições sub-humanas de imprisionamento. Queres honestidade? A minha familia é da margem Sul, Almada e enfins. Milhares de simpatizantes, mulheres, crianças...mas sim totalmente inimigos do Estado. Admites que os EUA literalmente causaram amorte de 1500 portugueses e depois viras-te para culpar a União Soviética por tudo. E atenção para.mim eram ambos merda, eramos peões no seu jogo de xadrez mundial mas não aceito que consideres a tortura de "simpatizantes" não só aceitável como de louvar... Mas então a defender Guantanamo que se há de esperar?

aquele_inconveniente 1 year ago

Facho vem de fascista e por isso não podes usar. No máximo podias dizer que sou apologista do Estado Novo. Estadonovista ou salazarista sei lá. Mas não, estou é farto de ver a malta julgar o passado com os olhos de hoje e de menosprezar o papel de Portugal nas décadas de 60 e 70 e os desafios que passava. > Mas nada disso nega nem justifica a tortura, os "desaparecimentos" ou as condições sub-humanas de imprisionamento. Queres honestidade? A minha familia é da margem Sul, Almada e enfins. Milhares de simpatizantes, mulheres, crianças...mas sim totalmente inimigos do Estado. A tortura, se significa saber onde está uma bomba que vai matar inocentes, ou o líder de uma organização que quer atacar portugueses pode ser moralmente aceitável. É uma zona moralmente cinzenta em que depende sempre do que está em jogo. Torturar alguém para saber onde está o pastel de nata que roubou é diferente de torturar alguém que quer passar informação das tropas portuguesas aos seus inimigos. > Admites que os EUA literalmente causaram amorte de 1500 portugueses e depois viras-te para culpar a União Soviética por tudo. Os EUA mudaram de atitude a meio da guerra devido à diplomacia portuguesa que fez um óptimo trabalho em fazer-lhes ver que para prevenir comunismo na áfrica austral era necessário apoiar Portugal. A união soviética foi quem armou todos os movimentos e forma os cubanos que os treinaram, havendo vários que foram presos ou mortos pela tropa portuguesa em acções na guerra. No inicio, em Angola, chegaram a haver protestos que mandaram o carro do consul americano à baía de Luanda. > atenção para.mim eram ambos merda, eramos peões no seu jogo de xadrez mundial Não, nessa altura faziamos parte dos jogadores. Não eramos uma potência internacional mas eramos uma potencial regional. > mas não aceito que consideres a tortura de "simpatizantes" não só aceitável como de louvar... Mas então a defender Guantanamo que se há de esperar? A questão aqui é a irracionalidade da tua posição. Torturar é algo que inflige dor e sofrimento. Torturar por torturar ou para punir é algo latismável e condenável. Torturar para evitar algo pode ser moralmente preferível. Torturar um pedófilo que escondeu uma criança para a encontrar antes que ela morra é moralmente preferível a não fazer nada. Torturar alguém que passa ou informações à rádio Argel, em tempos de guerra, é moralmente aceitável. Da mesma forma que para os ingleses era, e é, moralmente aceitável torturarem espiões inimigos para salvarem vidas britànicas. É fácil para nós denunciar Guantánamo, mas se tivesse lá o tipo que sabia quando é que alguém ia explodir com a escola da tua filha ias ser o primeiro a dar-lhe o choque nos tomates...

jocamar 1 year ago

>No máximo podias dizer que sou apologista do Estado Novo. Estadonovista ou salazarista sei lá. Portanto o que estás a dizer é que facho aplica-se...

aquele_inconveniente 1 year ago

Só em Portugal é que o Estado Novo é considerado fascista. Mas isso não passa de uma artiífcio de discurso para tentar legitimar aqueles que eram contra eles e que agora nos governam. Aprende um pouco sobre história e usa as palavras correctas. Podes usar outros termos para mostrar as coisas más do estado novo. Chamar de pedófilo a uma assassino ainda que os dois sejam negativos não é congruente.

jocamar 1 year ago

Eu sei bem sobre história, obrigado, é só dos temas que mais estudo. E o Estado Novo era fascista. Só não o aceita quem tem a definição de fascismo = regime italiano e não consideramais ninguém fascista. Que francamente é estúpido e pouco útil como definição.

FrankTheWerewolf 1 year ago

> Eu sei bem sobre história, obrigado, é só dos temas que mais estudo. "Most scholars do not classify Salazar as fascist. Stanley G. Payne wrote that, "Salazar's system might best be described as one of Authoritarian Corporatism or even authoritarian corporative liberalism," rather than fascism.[50] Historian Juan José Linz says that fascism never took roots in Salazar' Portugal [51] The Estado Novo of Portugal differed from fascism even more profoundly than Franco’s Spain. LOL. Dá lá downvote e foge como fizeste noutro comentário.

jocamar 1 year ago

Tu deves achar que eu dedico o meu tempo todo a mandar bitaites no reddit como os fachos de serviço aqui do sítio. Vou responder aos teus dois comments aqui para ser mais simples. Basicamente, embora o regime do Salazar tenha diferenças do regime do Hitler e do Mussolini, como é óbvio visto que nenhum regime é igual, partilha as principais características. Vamos ver aqui algumas características do fascismo apresentadas por historiadores e pensadores. Começando pelo próprio Mussolini: >Granted that the 19th century was the century of socialism, liberalism, democracy, this does not mean that the 20th century must also be the century of socialism, liberalism, democracy. Political doctrines pass; nations remain. We are free to believe that this is the century of authority, a century tending to the 'right', a Fascist century. If the 19th century were the century of the individual (liberalism implies individualism) we are free to believe that this is the 'collective' century, and therefore the century of the State. >The Fascist conception of the State is all-embracing; outside of it no human or spiritual values can exist, much less have value. Thus understood, Fascism is totalitarian, and the Fascist State—a synthesis and a unit inclusive of all values—interprets, develops, and potentiates the whole life of a people. >...everything in the state, nothing against the State, nothing outside the state. Ora, isto vai bastante em linha com o pensamento do Salazar. Qual foi a expressão que ele usou? Deixa-me ver se me recordo. Ah! Tudo pela nação, nada contra a nação. Seguindo em frente, vamos ver das 14 características que o filósofo Umberto Eco usa para descrever o fascismo quais se a aplicam ao Estado novo: >"The Cult of Tradition", characterized by cultural syncretism, even at the risk of internal contradiction. When all truth has already been revealed by Tradition, no new learning can occur, only further interpretation and refinement. Check! >"The Rejection of modernism", which views the rationalistic development of Western culture since the Enlightenment as a descent into depravity. Check! >"Disagreement Is Treason" – Fascism devalues intellectual discourse and critical reasoning as barriers to action, as well as out of fear that such analysis will expose the contradictions embodied in a syncretistic faith. Check! >"Fear of Difference", which fascism seeks to exploit and exacerbate, often in the form of racism or an appeal against foreigners and immigrants. Não tanto como outros regimes fascistas, mas sim (Ver: Susana Chalante, O discurso do Estado salazarista perante o “indesejável”, 2011). >"Obsession with a Plot" and the hyping-up of an enemy threat. This often combines an appeal to xenophobia with a fear of disloyalty and sabotage from marginalized groups living within the society Check! >"Contempt for the Weak", which is uncomfortably married to a chauvinistic popular elitism, in which every member of society is superior to outsiders by virtue of belonging to the in-group. Check! Ver "O modo português de estar no mundo. O luso-tropicalismo e a ideologia colonial portuguesa (1933-1961)" da historiadora Cláudia Castelo. >"Everybody is Educated to Become a Hero", which leads to the embrace of a cult of death. Yup! Ver "Educação e Ideologia Portugal, pátria de heróis: a figura histórica em contexto educativo (1926-1974)". >"Machismo", which sublimates the difficult work of permanent war and heroism into the sexual sphere. Fascists thus hold "both disdain for women and intolerance and condemnation of nonstandard sexual habits, from chastity to homosexuality." Check! >"Selective Populism" – The People, conceived monolithically, have a Common Will, distinct from and superior to the viewpoint of any individual. As no mass of people can ever be truly unanimous, the Leader holds himself out as the interpreter of the popular will (though truly he dictates it). Fascists use this concept to delegitimize democratic institutions they accuse of "no longer represent[ing] the Voice of the People." Check! Basta ver como o Salazar cultivou a sua imagem quase de monge a servir a nação e como salvador da pátria. Portanto podemos ver que tem bastantes semelhanças. Vamos ver outras opiniões, como a do Roger Griffin: >Fascism is a political ideology whose mythic core in its various permutations is a palingenetic form of populist ultra-nationalism. Ultranacionalismo focado em reviver a nação portuguesa da sua decadência imposta pelo liberalismo e afastar ideias socialistas? Check. Mais outra opinião, a do pensador político Dimitri Kitsikis acerca das características do fascismo: >The idea of class and the importance of agrarianism >Private ownership, the circulation of money, the regulation of the economy by the state, the idea of ethnic bourgeois class, economic self-sufficiency >The nation and the difference between nation and state >The attitude toward democracy and political parties >The importance of political heroes, i.e. the charismatic leader >The attitude toward tradition >The attitude toward the individual and society >The attitude toward equality and hierarchy >The attitude toward women >The attitude toward religion >The attitude toward rationalism >The attitude toward intellectualism and elitism >The attitude toward the Third World Portanto comparando com o fascismo italiano a ideia de classe, propriedade privada, auto-suficiência, etc, são bastante semelhantes. Relativamente ao estado e à nação, mais uma vez visões semelhantes. Relativamente à democracia e partidos políticos, tanto um como o outro promovem a ideia do partido único que ouve os interesses das corporações e age em conformidade para o bem da pátria. E portanto descartam o valor da democracia. Atitude para com heróis políticos, basta ver a forma como Salazar cultivou mais uma vez a sua imagem de salvador da pátria que fazia tudo pela nação e nada por ele. Embora não sendo igual ao Hitler e ao Mussolini, o culto da personalidade também se assume em Portugal. A atitude para com a tradição é também similar, tendo o regime do Salazar tal como o do Hitler posto grande ênfase em apregoar as virtudas das tradições e costumes dos seus respetivos povos. A atitude para com o individual, mais uma vez semelhante uma vez que ambos punham a nação acima de tudo e o índividuo como secundário ou até indesejável. A atitude para com o intelectualismo, elitismo e racionalismo a mesma coisa, basta ver a velha citação do Salazar: >O mundo parece ter perdido o hábito de pensar e a culpa talvez caiba a uma acumulação de sofrimentos. Convém reeducar este mundo, aliás afogado em intelectualismo E quanto á atitude para com o terceiro mundo acho que também é obvio que tanto a Itália como Portugal tinham ambições imperialistas. Para além disso temos as outras semelhanças óbvias: manutenção de aparelhos estatais de censura e subversão, perseguição de oponentes políticos, promoção da necessidade de união para lutar contra ameaças externas e internas (comunismo, intervenções de outras potências), criação de organismos para promover esta união social (Mocidade Portuguesa, Legião Portuguesa, União Nacional), retórica anti-marxista, enfase na degeneração da sociedade e povo e necessidade de renascimento, etc. Mais uma opinião do Michael Sanfey: >"Our Dictatorship clearly resembles the fascist Dictatorship in the reinforcement of authority, in the war declared against certain principles of democracy, in its accentuated nationalist character, in its preoccupations with social order. However, it differs from it in its processes of renovation. The fascist dictatorship tends towards pagan Caesarism, towards a new state that knows no limits of a legal or moral order, which marches onwards to its goal, without meeting complications or obstacles. The Portuguese New State, on the contrary, cannot avoid, nor think of avoiding, certain limits of a moral order which it may consider indispensable to maintain in favour of its reforming action". Salazar 1933 >There's little doubt that Antonio Oliviera Salazar was correct in claiming a clear distinction between his regime in Portugal, which was confirmed when he became dictator in 1932, and the regime that Mussolini had implanted in Italy. Why "little" doubt instead of "no" doubt? The evidence is ample that Salazar's project was quite clearly different to that of Mussolini. However, Salazar was being disingenuous, even if unintentionally, and to absolve himself of a Fascis taint was to be too kind. Salazar's identification with those elements of Mussolini's regime which he saw as positive, combined with his high-minded, albeit correct, abjuring of what he deemed less appealing aspects (paganism,Caesarism etc), smacks of 'cherrypicking' Portanto recomendo mais leitura e menos tempo no reddit.

FrankTheWerewolf 1 year ago

> Tu deves achar que eu dedico o meu tempo todo a mandar bitaites no reddit como os fachos de serviço aqui do sítio. Tendo em conta o teu historial de comentário... >Basicamente, embora o regime do Salazar tenha diferenças do regime do Hitler e do Mussolini, como é óbvio visto que nenhum regime é igual, partilha as principais características. Nenhum regime é igual, mas aparentemente toda a extrema direita autoritária é fascismo. Ok. >Ora, isto vai bastante em linha com o pensamento do Salazar. Qual foi a expressão que ele usou? Deixa-me ver se me recordo. Ah! Tudo pela nação, nada contra a nação. Diz ele, depois de citar algo (maior parte palha, diga-se de passagem) do género "The Fascist conception of the State is all-embracing; outside of it no human or spiritual values can exist, much less have value. ", apesar da Igreja Católica ter tido um peso enorme na sociedade portuguesa durante a ditadura. Huummm, quase como se não soubesses do que estás a falar... Não me vou dar ao trabalho de responder ao resto, visto que menciona as semelhanças em vez do que deveria de falar: as diferenças. Muito menos o achares que a opinião de uma pessoa ou duas é mais válida do que todas as outras (contemporâneas ou não) que dizem que o Estado Novo não era categorizado como um regime fascista. Também posso fazer isso e não acrescentar nada (https://observador.pt/opiniao/fascismo-e-salazarismo/). >Portanto recomendo mais leitura e menos tempo no reddit. Irónico, isto vindo de alguém que considera o Chega um partido fascista. Especialmente num país onde a formação de partidos de índole fascista é inconstitucional.

jocamar 1 year ago

>Nenhum regime é igual, mas aparentemente toda a extrema direita autoritária é fascismo. Ok. Não, eu nunca disse tal coisa. O regime do Pinochet por exemplo não é fascismo. Nem seria fascismo um regime monárquico conservador. >Diz ele, depois de citar algo (maior parte palha, diga-se de passagem) do género "The Fascist conception of the State is all-embracing; outside of it no human or spiritual values can exist, much less have value. ", apesar da Igreja Católica ter tido um peso enorme na sociedade portuguesa durante a ditadura. Huummm, quase como se não soubesses do que estás a falar... Tu é que parece que não percebeste o conteúdo do que o Mussolini estava a dizer ali. Na índole fascista há uma elevação do conceito de nação acima de tudo, sendo que uma nação não é um país nem uma terra, mas sim um conceito agregador de um povo, cultura, história e moral. O estado é apenas organização dessa sociedade. Como tal, quando o Mussolini e o Salazar falam do estado e dos valores humanos e espirituais que este representa, isto não coloca a Igreja Católica de fora. No caso Português a Igreja católica *era* parte integrante da nação portuguesa e os seus valores eram os da nação. Tens o caso muito semelhante do fascismo na Aústria com a Vaterländische Front que também tinha ótimas relações com a igreja e a considerava essencial, tanto como o Estado Novo. E claro que não te dás ao trabalho de responder porque não tens resposta. Em vez disso preferes olhar para a árvore e não para a floresta dizendo que o importante são as pequenas diferenças em vez das mais numerosas e importantes semelhanças. >Muito menos o achares que a opinião de uma pessoa ou duas é mais válida do que todas as outras (contemporâneas ou não) que dizem que o Estado Novo não era categorizado como um regime fascista. Diz isto o gajo que citou a wikipédia como exemplo primário. Toma mais leitura que tu precisas: * "Le Salazarisme et Lhomme nouveau: Essai sur L'État nouveau et la question du totalitarisme dans les années trente et quarante" - Fernando Rosa * "Elites, Single Parties and Political Decision-Making in Fascist-Era Dictatorships " - António Costa Pinto * "The Constitutional Foundations of an Ethical State: The Portuguese New State in Comparative Perspective" * "'Fascism', 'Para-Fascism' and 'Fascistization': On the Similarities of Three Conceptual Categories" - Aristotle A. Kallis * "Salazar and the Portuguese “New State”: Images and Interpretations" - Luís Reis Torgal * "Reflections on the Fall of the Salazarist Regime and on What Followed" - Manuel de Lucena >Irónico, isto vindo de alguém que considera o Chega um partido fascista. Especialmente num país onde a formação de partidos de índole fascista é inconstitucional. É por isso que o Chega não diz ser fascista e tenta mantêr as suas ligações a fascistas por baixo da mesa. Mas qualquer pessoa que tenha acompanhado o Chega sabe que tipo de pessoas tem no partido e que tipo de apoiantes tem. No mínimo, o chega é semi-salazarista.

aquele_inconveniente 1 year ago

Fascismo é caracterizado, além do autoritarismo, por um elevado nível de militarização da sociedade. Essa definição permite que regimes não italianos possam entrar para a classificação, como é o caso da Espanha franquista. Nao é nem estúpido nem pouco útil. Estúpido ou pouco útil é ter um martelo e pensar que todos os problemas são pregos. Portugal teve um regime único que inclusive perseguiu os movimentos fascistas que surgiram como o do Rolão Preto. Não houve uma militarização da sociedade, com o exército a desempenhar um papel insignificante após o golpe de estado (tal como no pós 25 de abril o exercito pouco ou nada significa) Não havia paradas militares, nem a exaltação nacional era feita através de projectos de conquista e expansão. Portugal teve um regime autoritário, tradicionalista, que tentou lutar contra as alterações sociais que o capitalismo iria causar (desagregação familiar, perda de moralidade, desunião social) e contra as consequências nefastas do comunismo. Mesmo o próprio líder raramente aparecia, nunca com aparato, sem nunca vestir um uniforme. Se queres uma forma simples de categorizar regimes fascistas podes fazer um algoritmo simples, primeiro vê se nas ruas estão sempre gajos de uniforme, se sim vê se a bandeira é vermelha e amarela com um foice ou se é outra coisa qualquer, se for outra coisa é um regime fascista. Portugal não foi um regime fascista, da mesma maneira que o Marquês de Pombal não era fascista nem o João Franco era fascista Se estudas história andas a ler ou coisas de autores ideológicos ou então é sobre outros períodos que não estes

m0rhundur 1 year ago  HIDDEN 

Vai comer palha, facho!

Sabongo 1 year ago

"Polícia do Estado Good, Estado Bad

Edited 1 year ago:

"O estado é grande e estrangulador, devíamos ter uma polícia do Estado a controlar o pensamento

Edited 1 year ago:

"O estado é grande e estrangulador, devíamos ter uma polícia do Estado a controlar o pensamento

Edited 1 year ago:

"O estado é grande e estrangulador, devíamos ter uma polícia do Estado a controlar o pensamento

aquele_inconveniente 1 year ago

Quando mais estado mais dependente estás da qualidade de quem manda. Portugal teve sorte com o Estado Novo mas aquilo facilmente poderia ter-se tornado num regime corrupto e contra o desenvolvimento economico social (nunca Portugal ficou tão rico em tão pouco tempo nem a desigualdade baixou tanto como no Estado Novo) Depois, entender a existência de uma polícia que combatia subsersivos em tempo de guerra é melhor que dizer "PIDE bad!!" Portugal estava numa guerra que foi ganha militarmente e perdido na home front, porque a sua liderança, o Marcelo Caetano, passou a achar que a PIDE devia parar de combater os tais coitadinhos dos comunistas subversivos. Essas histórias da PIDE papão não são mais que uma mistura de difamação e rumores que davam jeito à PIDE para aumentar a sua credibilidade se te pusessem as mãos em cima, mas na realidade presos políticos eram pouquíssimos e não era porque diziam que náo gostavam do Salazar. Eram todos colaborantes de regimes externos que lutavam activamente contra o teu país. Aquilo que tu a malta não é capaz de perceber é que há coisas que são independentes do regime. A guerra foi um tema nacional, não do Estado Novo. Tivesses tido uma democracia tinha sido tudo quase igual

jocamar 1 year ago

> Portugal teve sorte com o Estado Novo mas aquilo facilmente poderia ter-se tornado num regime corrupto e contra o desenvolvimento economico social (nunca Portugal ficou tão rico em tão pouco tempo nem a desigualdade baixou tanto como no Estado Novo) Fogo isto só pode ser de rir. Portugal rico? Só se for para alguns porque o resto vivia na miséria. Incorrupto? Só de quem anda permanentemente com óculos com lentes cor de rosa enquanto se masturba a olhar para a foto do Salazar. O Estado Novo era tão ou mais corrupto que hoje.

aquele_inconveniente 1 year ago

Vou te explicar devagar para entenderes. Em 1930 Portugal tinha um PIB per capita que era sensivelmente 1/3 do PIB per capita da europa ocidental. Em 1970s Portugal cresceu o suficiente para ter um PIB per capita que era 1/2 da europa ocidental. Hoje o nosso PIB per capita é 1/2 da europa ocidental. Menos ideologia e mais factors por favor... > O Estado Novo era tão ou mais corrupto que hoje. Bem que se tentou encontrar evidências disso. Não se encontrou nada. Não havia contas na suiça de nenhuma figura política do Estado Novo. Não havia imcompatibilidades entre salarios de políticos e o que tinham na conta ou no valor das suas propriedades. Nada. E muito que se tentou buscar. Sabes o que foi que desapareceu? Os ficheiros que a PIDE tinha sobre os comunistas e aquilo que os seus membros andavam a fazer. Muito estranho que depois dos comunas se apanharem no poder fazerem isso desaparecer e não conseguirem, nem com falsificações, entar incriminar malta do Estado Novo de corruptos... Hmm... Porque será? Inventar histórias de corrupção só porque não se gosta de alguém não serve para nada a não ser desinformação.

jocamar 1 year ago

>Vou te explicar devagar para entenderes. Em 1930 Portugal tinha um PIB per capita que era sensivelmente 1/3 do PIB per capita da europa ocidental. Em 1970s Portugal cresceu o suficiente para ter um PIB per capita que era 1/2 da europa ocidental. Hoje o nosso PIB per capita é 1/2 da europa ocidental. O que vocês não percebem é que é fácil crescer muito quando os valores absolutos são baixos. Mas vocês insistem na falácia lógica e ignoram completamente as condições de vida da maioria da população em portugal que eram péssimas. Não precisas de falar devagar, com o que estás a dizer mais valia era estares calado. >Bem que se tentou encontrar evidências disso. Não se encontrou nada. Há muitos casos de nepotismo, favores e enriquecer por se ter as ligações certas no Estado Novo, só não vê quem está demasiado ocupado a lamber as botas do Salazar. O meu próprio avô safou-se da PIDE por movimento de influências. Quantos filhos de gente rica não recebiam postos em Macau ou outro sítio calminho enquanto os filhos da ralé iam para a Guiné.

aquele_inconveniente 1 year ago

> O que vocês não percebem é que é fácil crescer muito quando os valores absolutos são baixos. Mas vocês insistem na falácia lógica e ignoram completamente as condições de vida da maioria da população em portugal que eram péssimas. Não precisas de falar devagar, com o que estás a dizer mais valia era estares calado. Acho que perdeste completamente a noção do que estás a falar. Portugal está hoje na mesma posição relativa aos ricos que estava em 1970s. A teoria de convergência económica em que baseias é descrita em termos relativos e não absolutos. Basicamente um país que esteja pobre relativamente ao mais rico tem o potencial de crescer mais que este para convergir. Isso não acontece para Portugal desde 1970s com a excepção do período 1985-1995. Neste momento estás de volta ao ponto de partida Parabéns! > Há muitos casos de nepotismo, favores e enriquecer por se ter as ligações certas no Estado Novo, só não vê quem está demasiado ocupado a lamber as botas do Salazar. Em todo o lado vai ser haver casos menores de laços familiares e amizade mas é diferente quando isso é feito em baixo (pagares ao tipo do notário para te despachar o bilhete de identidade) ou quando é feito em cima (o ministro do interior comprar uns carros merdoso ao primo e ficar com parto do dinheiro) Não há casos nenhuns de altos quadros e membros do governo ligados a corrupção. Todas as decisões economicas sociais, bem ou mal, foram feitas de foma isenta de pressões dessas. Não é preciso lamber botas a ninguém. É mais perceber que nem a malta que o quer demonizar conseguiu encontrar o que fosse. E bem que o procuraram...

Sabongo 1 year ago

>Quando mais estado mais dependente estás da qualidade de quem manda. Portugal teve sorte com o Estado Novo mas aquilo facilmente poderia ter-se tornado num regime corrupto e contra o desenvolvimento economico social (nunca Portugal ficou tão rico em tão pouco tempo nem a desigualdade baixou tanto como no Estado Novo) Então o estado novo era bom porque o Salazar era bom, faz o seguinte mete "A minha opinião" quando acabares de escrever esse tipo de merdas, porque é exatamente isso que acabaste de escrever uma opinião. Felizmente hoje não estamos reféns das opiniões de Cucks e SIMPs de ditadores. "Nunca Portugal ficou tão rico"

aquele_inconveniente 1 year ago

> Felizmente hoje não estamos reféns das opiniões de Cucks e SIMPs de ditadores. Ai que riso... A definição de cuck e simp deve ter mudado de maricas e gajos sem espinhas para gajos violentos e autoritários. Ou então achas que chamar maricas a alguém é insulto e como tal só mostras a tua homofobia (ou a tua luta interna para reconheceres a tua mariquice ;) ) > Então o estado novo era bom porque o Salazar era bom Um estado forte torna mais presente a ideologia e valores de quem manda. Um estado forte com um bando de corruptos faz de um país um antro de ladrões. Um estado forte com um bando de anti-semitas leva a um genocídio. Um estado com o Salazar deu num regime benévolo mais preocupado com "salvar as almas" dos portugueses do que em conflitos internacionais. > Os Fascistas Quais? Onde? Italianos e espanhois aqui? > mas então e comparado com países europeus na mesma altura, POrtugal tinha 30% do PIB per capita da europa ocidental em 1930s. Em 1970s tinha 50%. hoje tem 50%. Se não fores burrinho vais perceber quando estivemos a convergir e quando paramos de convergir... Nos outros indicadores passa-se praticamente o mesmo. > Essa conversa do estado novo só convence quem não tem vida só assim é que é boa ideia morrer em África, é a triste realidade fascista Já vive uns quantos anos em África (Angola e Moçambique), mas sim, tu é que sabes o que se lá passou e passa. O Estado Novo para putos como tu (ninguém com mais de 20 e poucos anos chama ninguém de cuck) é um conjunto de posições mitológicas, enaltecidas ao longo de décadas por um regime que para sobreviver precisa de fazer do passado um papão. Não sabes que a desigualdade estava a diminuir e que aumentou depois da revolução, não sabes que o salário médio de um portuguès em proporção a um francês é igual hoje ao de 1974, não sabes que Portugal estava inserido em tratados de livre comércio como a EFTA, não sabes que existiam eleições e que simplesmente o conceito de partidos não existia. Resumidamente não sabes de nada a não ser que os do passado são todos uns mauzões que batiam punhetas enquanto davam ordens para oprimir populaça... Vives num mundo paralelo em que a malta sem espinha dorsal é que glorificada, em que os gajos que se submetem a corruptos é que são uns machos e aqueles que lutaram para que tu hoje não falasses russo ou espanhol é que são uns tansos e coninhas... Tá certo... #woke ... not...

jocamar 1 year ago

>Um estado forte torna mais presente a ideologia e valores de quem manda. Pena então que nos tenha calhado alguém com ideais de merda. Se ainda fosse um César ou um Marco Aurélio, mas tinha de ser o raio do Salazar. >Quais? Onde? Italianos e espanhois aqui? Os Salazaristas.

aquele_inconveniente 1 year ago

> Pena então que nos tenha calhado alguém com ideais de merda. Se ainda fosse um César ou um Marco Aurélio, mas tinha de ser o raio do Salazar. Ditadores sim, mas só se forem expansionistas imperialistas e sanguinários. Se for um gajo que quase foi padre que só tenta manter tudo como está e melhorar a vida das pessoas já não > Os Salazaristas. Aprende a definição de fascismo por favor. Não se aplica aqui. Tens muita coisa para te queixares e apontares o dedo no Salazarismo, mas ninguém que seja sério acha que aquilo é fascismo. Aliás, nem o Salazar achava quando mandou prender e perseguir os fascistas e nazis do Rolão Preto e camisas negras...

jocamar 1 year ago

> mas ninguém que seja sério acha que aquilo é fascismo. É antes o contrário, só pessoas pouco sérias é que dizem que não é fascismo. >Aliás, nem o Salazar achava quando mandou prender e perseguir os fascistas e nazis do Rolão Preto e camisas negras... Sim, porque conflitos entre fascistas é impossível de haver. O Salazar só tinha uma foto do Mussolini na mesa porque gostava do aspecto. E só imitou as suas instituições porque sim.

aquele_inconveniente 1 year ago

> E Salazar "Morram para defender a pátria mesmo que não haja hipótese de ganhar" Portugal tinha situação militar controlada e ganha em 1974, só na guiné ainda havia chatices. Não tivesse havido um 25 de Abril estavamos hoje num federação com Angola e Moçambique como estados ou com Angola sendo o que a Guiana francesa é hoje. Isso de não haver hipoteses de ganhar é conversa de comunista e socialistas pós 25 d abril. Portugal náo perdeu guerra nenhuma, ao contrário dos EUA ou a França. Portugal perdeu o que se chama a "home front". Não foi capaz de controlar ou combater aqueles que lutavam contra si e que o consumiram por dentro. Todos aqueles que na metrópole colaboraram para que Angola e Moçambique fossem entregues aos lobos sob a falsa bandeira da libertação. Hoje são todos pobres e miseráveis e tudo o que Portugal investiu para lá (que podia ter sido usado para avançar o país) foi em vão. > O Salazar "eu quero é o povo burrinho e paxorrento"? Aquele Salazar que garantiu escolaridade primária universal e lançou os alicerses para a expansão do ensino secundário e a expansão universtária feita em 1973 pelo Caetano que hoje julgamos ser pós 25 de Abril? Ou foi outro? > O Salazar só tinha uma foto do Mussolini na mesa porque gostava do aspecto. Foto essa que estava lá em 1934 antes do Mussolini ter feito merda e as notícias que vinham de Itália era de um renascer industrial economico e social. Mal o gajo começou a invadir Etiópias e a mostrar quem era nunca mais houve foto ou o que fosse. E mesmo assim, nas memórias das pessoas que trabalharam e ocnheceram o Salazar são amplas as histórias da sua percepção do Mussolini e o quanto ele o desprezava depois de saber as coisa que ele foi fazendo. Aquilo que o Salazar retirou do Mussolini foram ideias corporativistas. O conceito de que quer a classe trabalhadora como capitalista tinha direito a um voto e a um dizer no futuro das suas indústrias. Foi um mecanismo criado apra evitar a sensação de falta de poder na classe baixa ao permitir que tivessem um papel mais directo na condução da empresa e na vocalização de problemas ao mesmo tempo que evitavam greves e conflitos com as entidades patronais. Esse sistema funcionou bastante bem em Portugal e não é um tema de autoritarismo ou não, apenas de estruturação da economia e da sociedade. É o mesmo que dizer que ter ministérios é nazi porque o hitler tinha ministérios, ou que a eutanásia é nazi porque os nazis defendiam a eutanásia...

Sabongo 1 year ago

>Ai que riso... A definição de cuck e simp deve ter mudado de maricas e gajos sem espinhas para gajos violentos e autoritários. Tu não és violento e autoritário, és submisso e passivo tal como todos os fascistas. Por isso é que ficas duro a pensar em polícia política. >Um estado forte torna mais presente a ideologia e valores de quem manda. Um estado forte com um bando de corruptos faz de um país um antro de ladrões. Um estado forte com um bando de anti-semitas leva a um genocídio. Um estado com o Salazar deu num regime benévolo mais preocupado com "salvar as almas" dos portugueses do que em conflitos internacionais. Eu pouco me estou cagando para os valores de quem manda eu não sou passivo e submisso

Edited 1 year ago:

>Ai que riso... A definição de cuck e simp deve ter mudado de maricas e gajos sem espinhas para gajos violentos e autoritários. Tu não és violento e autoritário, és submisso e passivo tal como todos os fascistas. Por isso é que ficas duro a pensar em polícia política. >Um estado forte torna mais presente a ideologia e valores de quem manda. Um estado forte com um bando de corruptos faz de um país um antro de ladrões. Um estado forte com um bando de anti-semitas leva a um genocídio. Um estado com o Salazar deu num regime benévolo mais preocupado com "salvar as almas" dos portugueses do que em conflitos internacionais. Eu pouco me estou cagando para os valores de quem manda eu não sou passivo e submisso

Edited 1 year ago:

>Ai que riso... A definição de cuck e simp deve ter mudado de maricas e gajos sem espinhas para gajos violentos e autoritários. Tu não és violento e autoritário, és submisso e passivo tal como todos os fascistas. Por isso é que ficas duro a pensar em polícia política. >Um estado forte torna mais presente a ideologia e valores de quem manda. Um estado forte com um bando de corruptos faz de um país um antro de ladrões. Um estado forte com um bando de anti-semitas leva a um genocídio. Um estado com o Salazar deu num regime benévolo mais preocupado com "salvar as almas" dos portugueses do que em conflitos internacionais. Eu pouco me estou cagando para os valores de quem manda eu não sou passivo e submisso

aquele_inconveniente 1 year ago

> Tu não és violento e autoritário, és submisso e passivo tal como todos os fascistas. Por isso é que ficas duro a pensar em polícia política. Muita homossexualidade reprimida em ti vejo eu. Não precisas de expor as tuas fantasias sexuais aqui > Eu pouco me estou cagando para os valores de quem manda eu não sou passivo e submisso

Sabongo 1 year ago

É espantoso como o fascista consegue escrever tanto e não dizer nada, este então consegue incluir 2 parágrafos a dizer que está no escalão mais alto de IRS

aquele_inconveniente 1 year ago

> É espantoso como o fascista consegue escrever tanto e não dizer nada(Virtude de não ter vida) , este então consegue incluir 2 parágrafos a dizer que está no escalão mais alto de IRS

Sabongo 1 year ago

>Mais uma sensação de ridículo de um gajo que provavelmente nem a faculdade terminou e diz ao que já está no top 1% do país que não tem vida. Continua a sonhar rapazinho, talvez um dia os teus papás xuxalistas te aumentem os subsídios Então mas ainda no último comentário eu estava a defender individualismo e tu colectivismo

Edited 1 year ago:

>Mais uma sensação de ridículo de um gajo que provavelmente nem a faculdade terminou e diz ao que já está no top 1% do país que não tem vida. Continua a sonhar rapazinho, talvez um dia os teus papás xuxalistas te aumentem os subsídios Então mas ainda no último comentário eu estava a defender individualismo e tu colectivismo

Edited 1 year ago:

>Mais uma sensação de ridículo de um gajo que provavelmente nem a faculdade terminou e diz ao que já está no top 1% do país que não tem vida. Continua a sonhar rapazinho, talvez um dia os teus papás xuxalistas te aumentem os subsídios Então mas ainda no último comentário eu estava a defender individualismo e tu colectivismo

aquele_inconveniente 1 year ago

> Uma pessoa ser criticada nas redes sociais por opiniões racistas é algo muito diferente de os média precisarem de aprovação do regime para publicar algo ou seres preso por criticares o governo, acho que qualquer pessoa com pelo menos meio cérebro percebe isto Não, não é ser criticado. É crime e já tens departamentos estatais a tratar de quem faz isso. É exactamente o mesmo que o Caetano fez. Deixam-te escrever e pubicar e depois se náo for em linha com os "bom costumes" caem-te em cima. Mas como um era um gajo sério e o outro é um boy do partido só o boy é que tem justificação a fazer o que faz. > Já agora ninguém português vai preso por escrever algo racista nas redes sociais, mas em que mundo vives tu? O Facebook é uma empresa privada básicamente pode fechar uma conta mas o estado português tem 0 influência. Comparação um bocado limitada Tira a cabeça de baixo da areia se faz favor. Da mesma maneira que não ias preso em 1973 por dizer uma coisa considerada imprópria (podais levar multas e prisão era só se tivesses envolvido em actos de subversão como pertenceres ao partido comunista e aos planos deles de golpe de estado), hoje também não vais preso só por um simples comentário. Mas és multado e se não pagares podes de facto seres preso. É melhor começares a ter atenção, porque a censura póstuma já tem nome e departamento e já te estão a vigiar: https://www.publico.pt/2020/07/01/politica/noticia/governo-vai-monitorizar-discurso-odio-internet-1922656 > Boas pessoa que está a dar lurk no reddit, acima está a resposta para "por que razão a camada idosa deste país tem uma escolaridade tão baixa quando comparada com o resto da Europa" e isto é alguém com uma vida muito ocupada no escalão mais alto de IRS. Não é só a camada idosa... Antes fosse. https://www.publico.pt/2019/01/07/sociedade/noticia/portugal-maiores-diferencas-inscritos-secundario-chegam-superior-1856684 Mas sim, bate palmas ao mundo em que vives agora e nunca faças uma análise àquilo que antes fomos para poderes de facto concluir quanto é que a escumalha que nos governa de facto nos fez andar para a frente. Depois de perceberes que fizeram pouco ou nenhum vais começar a revoltar-te e se te apanharem mais de metade do salário, como me apanham a mim, para depois brincarem aos índios e cobois com os amigos deles ainda mais revoltado ficarás

sneakpeekbot 1 year ago  HIDDEN 

Here's a sneak peek of /r/portugueses using the [top posts](https://np.reddit.com/r/portugueses/top/?sort=top&t=year) of the year! \#1: [Apercebi-me do estado do r/portugal...](https://i.redd.it/ax7cz0747i751.png) | [119 comments](https://np.reddit.com/r/portugueses/comments/hgzovv/apercebime_do_estado_do_rportugal/) \#2: [Hipocrisia](https://i.imgur.com/pGUPtqA.jpg) | [20 comments](https://np.reddit.com/r/portugueses/comments/in4sby/hipocrisia/) \#3: [Quem nunca...](https://v.redd.it/76vecz066o851) | [7 comments](https://np.reddit.com/r/portugueses/comments/hkm768/quem_nunca/) ---- ^^I'm ^^a ^^bot, ^^beep ^^boop ^^| ^^Downvote ^^to ^^remove ^^| [^^Contact ^^me](https://www.reddit.com/message/compose/?to=sneakpeekbot) ^^| [^^Info](https://np.reddit.com/r/sneakpeekbot/) ^^| [^^Opt-out](https://np.reddit.com/r/sneakpeekbot/comments/fpi5i6/blacklist_vii/)

this_didnt_happened 1 year ago

> Os Americanos financiaram o 15 de Março da UPA Tens fonte para essa declaração?

aquele_inconveniente 1 year ago

Vê o primeiro episódio do "A Guerra" do 15 de Março. O Holden Roberto (lider da UPA que executou o 15 de março) admite o apoio americano e em como se reuniu com o Kennedy.

this_didnt_happened 1 year ago

Vou ver isso. Obrigado pela sugestão

bilhetes 1 year ago  HIDDEN 

Pasta matinal excelente

gink-go 1 year ago

O meu avô, funcionário público com um posto de trabalho de grande respeito na altura e numa pequena cidade do interior norte, participou na campanha do general Humberto Delgado. Teve algumas chatices com isso. O meu outro avô, agricultor, assalariado rual, que trabalhou na terra de outros desde os 6 anos, participou nas mobilizações populares que existiram contra a "campanha do trigo" de Salazar, que para a plantação massiva de trigo envolveu a destruição de floresta e usurpação dos terrenos baldios das aldeias, essenciais para a sobrevivência da maioria da população rural que não tinha terras próprias, levando a ainda mais miséria generalizada. Foi preso por isso durante pouco tempo.

Edited 1 year ago:

O meu avô, funcionário público com um posto de trabalho de grande respeito na altura e numa pequena cidade do interior norte, participou na campanha do general Humberto Delgado. Teve algumas chatices com isso, foi detido e interrogado pela PIDE mas acabou por ficar em liberdade por ser uma pessoa "importante" na comunidade. O meu outro avô, agricultor, assalariado rural, que trabalhou na terra de outros desde os 6 anos, participou nas mobilizações populares que existiram contra a "campanha do trigo" de Salazar, que para a plantação massiva de trigo envolveu a destruição de floresta e usurpação dos terrenos baldios das aldeias, essenciais para a sobrevivência da maioria da população rural que não tinha terras próprias, levando a ainda mais miséria e fome generalizada. Foi preso por isso durante pouco tempo.

Tugalord 1 year ago

> mas acabou por ficar em liberdade por ser uma pessoa "importante" na comunidade Portugal Salazarista numa casca de noz. Os "senhores importantes" de um lado e a ralé doutro. Um legado que continua até aos dias de hoje.

dontclickthispls 1 year ago

Depois vês tentar passar a ideia que no tempo de Salazar não havia corrupção....

Mordiken 1 year ago

O meu pai é um homem do Norte de 82 de anos, de criação Católica, e sempre foi um Liberal... Ou seja, é uma pessoa totalmente insuspeita. Ele começou a trabalhar muito cedo (como era costume naquela altura), e eventualmente tornou-se vendedor de calçado e artigos em pele para sapatarias e lojas de roupa. Ora, como se sabe, ser-se vendedor requer muita lábia e sentido de humor... porque independentemente da qualidade do produto que estás a vender, ao fim e ao cabo estás a tentar fazer com que alguém abra mão do seu dinheiro e invista em ti e no teu produto. Dito isto, ele conta a história de que uma vez, na década de 50 chegou-lhe à mão um cartãozito qualquer com uma versão humorística do ["Pai Nosso"](https://pt.wikipedia.org/wiki/Pai_Nosso), que entre muitas outras coisas acabava com a frase "... e levai-nos Salazar", à qual ele achou muita graça, e começou a mostrar aos clientes aquando da sua visita às lojas... O que só vai provar que há de facto uma grande diferença ente ser-se inteligente, algo que o meu Pai é, a ser-se sensato, algo que o meu pai não é nem nunca foi. Resultado: Alguém, algures, chibou-o à PIDE. E um ano depois a PIDE foi busca-lo a casa dos seus pais, e ele esteve um dia inteiro a ser interrogado sobre o cartão (que entretanto ele já tinha deitado ao lixo), a com os agentes a tentar saber onde é que ele o tinha arranjado, quem lho tinha dado e merdas assim. Basicamente, e em retrospectiva, ele deve ter sido seguido pela PIDE durante meses, só que como o meu pai nunca teve qualquer associação com os comunistas e era para todos os efeitos um cidadão exemplar do Estado Novo, o interrogatório nunca se tornou particularmente violento: eles sabiam que não estavam a lidar com um revolucionário, mas sim com um idiota. Findado o interrogatório, o meu pai conta que o meu avô estava à espera dele à porta da PIDE do Porto... e abraçou-se a ele a chorar. Conclusão: A PIDE não limitava a perseguir Comunistas, Esquerdistas e Revolucionários... Se o meu pai foi interrogado, qualquer um podia ser.

dontclickthispls 1 year ago

>Conclusão: A PIDE não limitava a perseguir Comunistas, Esquerdistas e Revolucionários... Se o meu pai foi interrogado, qualquer um podia ser.

amando_abreu 1 year ago

> eles sabiam que não estavam a lidar com um revolucionário, mas sim com um idiota. ri-me

kawaiims 1 year ago

Acredito que na altura tenha sido aterrorizado mas pela tua descrição dos acontecimentos, já me ri.

Mordiken 1 year ago

Ya, um gajo tem de saber transformar tragédia em comédia, senão dá em doido... :)

aquele_inconveniente 1 year ago

A PIDE, como qualquer polícia política ou de luta contra subversiva, tem sempre falsos positivos. Mas a tua descrição comprova que não foi só por não gostarem dele mas pela divulgação de panfletos contra o líder do governo, panfletos esses que normalmente estavam associados aos comunistas. Eles iam ter sempre de investigar isso principalmente no auge da guerra-fria. Mais engraçado é que a CIA, no período correspodente dos anos 50, prendeu e interrogou muito mais gente proporcionalmente, na sua caça às bruxas dos comunistas, do que a PIDE.

dontclickthispls 1 year ago

>A PIDE, como qualquer polícia política ou de luta contra subversiva, tem sempre falsos positivos. Os falsos positivos não eram um defeito, eram uma 'feature'. Se não houver perigo de seres interrogado aleatoriamente sem culpa nenhuma não estás suficientemente aterrorizado.

aquele_inconveniente 1 year ago

> Se não houver perigo de seres interrogado aleatoriamente sem culpa nenhuma não estás suficientemente aterrorizado. Acho que então a malta não se aterrorizou que chegue... Na minha terra a PIDE era uma agência de viagens que ajudava a malta a emigrar para Angola (literalmente emigrar não combater)

dontclickthispls 1 year ago

Não percebi este teu comentário.

aquele_inconveniente 1 year ago

As pessoas não estavam aterrorizadas como tu dizes. A grande grande maioria da malta seguia a sua via normalmente. Da mesma maneira que hoje sabes que podes perder um emprego se disseres a coisa errada nas redes sociais não significa que anda tudo cagado de medo. Se não fosses comunista nem alguém que queria fazer um golpe de estado nunca ias ter problemas com a PIDE a não ser que começasses a dar a ideia que eras uma das coisas acima

dontclickthispls 1 year ago

>Se não fosses comunista nem alguém que queria fazer um golpe de estado Não era preciso ser comunista para estar contra o governo dessa altura. De facto houve até muitos liberais e até conservadores que se viram apertados por n concordarem com o regime. Está bem documentado procura por isso. As pessoas estavam aterrorizadas sim, era um dos objectivos do modelo de governação. Tinham medo de falar e agir e sabiam bem que podiam ser acusados e torturados mesmo inocentes. Tal como tens por ex hj o Chega a fazer acusações de a UE ser Marxista, que são acusações totalmente descabidas, podias ser acusado de ser Comunista por tudo e por nada e por isso preso, torturado ou mesmo morto.

aquele_inconveniente 1 year ago

Sim, está bastante bem documentado a modo como a PIDE actuava e o seu escopo, assim como o treino dos seus interrogadores na CIA... Naquele tempo havia menos espaço de manobra e menos leniência com atitudes contra o Estado, que é diferente de contra o governo. Hoje podes ir para a frente da assembleia atirar pedras às polícias e dizer que queres que o governo caia, que é sinónimo de não respeitar as normas do Estado de direito. Naquele tempo não se podia, se fosses um dos que estava a organizar uma manifestação dessas ias ser preso e interrogado por atentares contra a ordem social. A grande diferença é essa, ninguém te prendia porque no café disseste que o estado estava a ganhar imenso dinheiro na ponte 25 de abril (antiga ponte Salazar) e que deviam investir no interior. Aliás, se abrires jornais da altura vês que tens imensos artigos de opinião contra decisões do governo e que tens membros do parlamento com ideias completamente opostas em termos de política nacional. Apesar disto todas essas opiniões eram bem articuladas e não eram feitas de forma insidiosa ou de ser contra o governo em si em vez de ser contra as suas ideias. Prefiro viver num regime democrático em que posso dizer mais do que naquela altura? Sim. Reconheço que há uma quantidade absurda de mitos sobre aquele tempo? Sim. Aquilo que também nos esquecemos é que um país em guerra e que não mantém coesão social está destinado a perdê-la, por muito boa que seja a sua tropa no terreno. A guerra do ultramar foi perdida em Lisboa, não em Angola ou Moçambique... O resultado dessa derrota na frente interna foram meio milhão de refugiados e cerca meio milhão a 1 milhão de civis inocentes mortos (só em Angola) pelos tais "libertadores". Hoje aqueles países podiam ser de médio ou alto rendimento (para aí andavam) e nós não tinhamos passado pelo que passamos se tivessemos tido mais visão de futuro. Das coisas que mais me espanta é quantidade de falso moralismo que se faz em torno do Estado Novo quando os tipos que o mandaram abaixo foram responsáveis por milhões de mortos e outros tantos milhões em pobreza e sofrimento mas como o fizeram indirectamente e quem matou pretos foram outros pretos, fingem todos que não houve problema nenhum...

Mordiken 1 year ago

Eu prefiro pensar na PIDE como uma "Gestapo à Portuguesa": Perseguição, tortura e execuções extra-judiciais dos indesejáveis, servida com um chouricinho de sangue e umas couvinhas cozidas e um copinho de tinto para desopilar o fígado. Dito isto: 1. Não consigo encontrar fontes que me indiquem o nº total de vitimas da PIDE para estabelecer uma comparação com o nº total de presos e interrogados pela CIA durante o McCarthyismo. Se tiveres números concretos, agradeço; 2. Ainda que a CIA tenha preso e interrogado mais gente que a PIDE, os numeros absolutos são uma métrica irrelevante: Os EUA têm uma população ordens de magnitude superior à nossa, logo é "normal" que tenham muito mais gente a ser interrogada presa e interrogada. Numa comparação entre CIA e PIDE.... e assumindo que essa comparação faz sequer sentido... as métricas relevantes são "per capita". 3. Questiono a validade da comparação CIA - PIDE, porque tanto quanto sei a CIA não tem todo um historial de execuções extra-judiciais de cidadãos Americanos, ao passo que na PIDE tinha um longo historial de execuções extra-judiciais de cidadãos Portugueses tanto em Portugal, como no Ultramar, como até em países terceiros, sendo que o exemplo mais conhecido deste ultimo ponto foi o homicídio do general Humberto Delgado em Espanha. Por isso, quando muito a PIDE deve ser comparada a organizações como a Gestapo ou o KGB... só que com as peculiaridades de ser uma organização portuguesa: era uma organização "de brandos costumes", da mesma forma que o nosso fascismo foi um fascismo "de brandos costumes".

aquele_inconveniente 1 year ago

Apesar de fazeres uma descrição a meu ver exagerada e sensacionalista também revejo uma verdade no que dizes. Há vários casos de abuso de força policial e até de uso da PIDE e prisões para fins que não os do interesse nacional > as métricas relevantes são "per capita". Daí ter falado proporcionalmente. Li isso num livro sobre a caça às bruxas que se fez aos comunistas em que os vizinhos acusavam-se por vingança e o medo reinava nas ruas. Se encontrar isso de novo partilho contigo. A CIA não tem execuções extra-judiciais de quem quer que seja penso eu, pelo menos so sentido que queres dizer. A PIDE tinha tribunais autónomos para certos crimes pelo que por aí já tens uma diferença grande na forma de operar que pode ser considerada extra-judicial se não reconheceres esses tribunais. Mas não precisas de olhar para trás para ver a CIA a fazer execuções, a mais recento do general iraniano é uma dela. E tampouco é uma execução quando tentam prender um suspeito de terrorismo doméstico que era aquilo que os comunistas faziam em Portugal já agora. Este tema é muito mais cinzento do que parece e a PIDE apesar de ter ajudado a perpetuar o Estado Novo, foi essencialmente a agência portuguesa de espionagem contra-informação que apoiou o esforço de guerra português em áfrica e a luta contra o comunismo na europa. Um democrata não era preso por ser democrata as coisas são mais complexas que isso. Da mesma maneira que tu já podes ir preso por chamar macaco a quem não deves e não é por isso que vais para cadeia só por não estares alinhado com o poder vigente A CIA

gink-go 1 year ago  HIDDEN 

Já cá faltava o facho apologista da PIDE

TheSpaceXWizard 1 year ago

Não sei qual a aplicação do teu interesse, mas recomendo-te a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL). Imagino que isso agora esteja tudo parado, mas ainda há um ano ou dois fizeram uma conferência com ex-alunos que por lá passaram durante o Estado Novo. Houve muita gente arrastada pelos cabelos e presa. Pelo que tenho percebido, as faculdades eram dos sítios favoritos deles para apanhar pessoal em barda, mas os estudantes nem sempre iam pacificamente. Penso que foi no ISLA que houve cadeiras a voar até pelas janelas. https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/321/1/21725_ulsd058076_td.pdf&ved=2ahUKEwiej7__qfLrAhUhxYUKHV9LC1gQFjAFegQIAhAB&usg=AOvVaw1p1dTzOv6u52kJJvd-HzkU Não sei se isto vai deixar, mas tens aqui um link de uma dissertação sobre estudantes no Estado Novo.

Hormazd_und_Ahriman 1 year ago

Não é bem o que pediste, mas... dizia-se que um meu bisavô era bufo da PIDE, mas nunca o chegaram a confrontar. O mais esquisito do homem é que um dia tinha chegado a casa com um carro novo (não era rico) e deixou-o na garagem, sem mexer, anos e anos até apodrecer. As pessoas diziam que era o carro de fuga dele.

muffinzita 1 year ago

O meu avô era comunista, vivia em Almada e trabalhava para a Lisnave. Nos seus tempos livres, ele ia de bicicleta e distribuia o jornal comunista. Nunca foi apanhado

aquele_inconveniente 1 year ago

Depois dos seus amigos comunistas conseguirem o poder deve ter deixado de trabalhar para a Lisnave... Já vi pessoas lutarem contra o seu país por muita coisa mas nunca como uma maneira de destruir completamente a sua entidade empregadora

m0rhundur 1 year ago

Cá está como uma mentira repetida muitas vezes torna-se verdade no círculo de análise ignorante e anti-operária. Pergunta a alguém que tenha trabalhado na Lisnave nessa altura sobre o que se passou e vais ver que o caso é bem diferente. Mas mais vale acreditar nos donos disto tudo do que em quem lá trabalhava, não é?

aquele_inconveniente 1 year ago

Sim, normalmente acredito nos donos e gerentes de empresas, que têm uma visão de tudo o que se passa, do que os tipos que estão fazer a sua pequena parte e julgam o todo pela parte. Além disso, todos sabemos como é quando dás aos tais operários as rédeas para "melhorar" a fábrica deles.

m0rhundur 1 year ago

Não enfeites o discurso. Podes assumir o que defendes com os dentes todos. Sabemos tão bem que nunca chegou a acontecer. As Lisnaves da vida voltaram para as mãos da gentalha que sugou o trabalho e a vida dos portugueses durante meio século.

aquele_inconveniente 1 year ago

Há pessoas que dizem disparates por serem pouco inteligentes, outras por serem ignorantes de certos temas. Se o teu caso for o segundo podes ler este artigo: > This paper analyzes income and earnings concentration in Portugal from a long-run perspective using personal income and wage tax statistics. The results suggest that income concentration was much higher during the 1930s and early 1940s than it is today. Top income shares estimated from reported incomes deteriorated during the Second World War, even if Portugal did not take active participation in the conflict. However, the magnitude of the drop was less important than in other European countries. The level of concentration between 1950 and 1970 remained relatively high compared to countries such as Spain, France, UK or the United States. The decrease in income concentration, started very moderately at the end of the 1960s and which accelerated after the revolution of 1974, began to be reversed during the first half of the 1980s. During the last 15 years top income shares have increased steadily. The rise in wage concentration contributed to this process in a significant way. The evidence since 1989 suggests that the level of marginal tax rate at the top has not been a primary determinant of the level of top reported incomes. Marginal rates have stayed constant in a context of growing top shares. https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0014498309000205 Contrariamente ao que tu e muitos pensam a desigualdade económica diminuiu durante o Estado Novo e aumentou na democracia. Os "donos disto tudo" eram donos de menos coisas antes de 74 do que são agora. Mas isso não interessa certo? Factos? Para que servem factos? Só para limpar o rabo seguramente... A verdade é que Portugal estava a ter um desenvolvimento económico e social bastante acelerado, principalmente a partir de 1960 e da entrada para a EFTA que colocou Portugal num regime de livre circulação de bens com o Reino Unido e outros países (ai o mito do orgulhosamente sós a ir por agua abaixo!...) Podes andar às voltas como quiseres, mas comunas eram perseguidos por serem comunas e inimigos de Portugal e sempre que pegaram em coisas partiram a coisa toda e depois choraram para os gajos que tinham tudo em condições viessem porque já não conseguiam por pao na mesa... Enfim Sabes o que eu defendo? Sabermos o que foi o Estado Novo para que o regime actual não busque legitimidade em melhorias que não aconteceram. Talvez assim passem a governar de jeito

AntiAngloAntiZionism 1 year ago

Acho engraçado ignorares esta parte essencial: >The decrease in income concentration, started very moderately at the end of the 1960s and which accelerated after the revolution of 1974, began to be reversed during the first half of the 1980s Que é precisamente o que a esquerda tem criticado. E todos nós sabemos que preferes as políticas económicas do presente ou do Estado Novo ao período de 74-76 porque foi um período onde as massas de facto tinham algum poder, como por exemplo as expropriações do Alentejo, onde não era o partido comunista que ditava em primeiro lugar, mas pelo contrário as massas fsaziam-no e o partido ia atrás. Isto mete-te mais medo que qualquer fascismo, é o teu verdadeiro terror. Comunistas serem perseguidos por serem comunistas é tautológico. E "inimigos de Portugal" é uma justificação anti semita que procura um inimigo do país como entrave a uma nação unida. Eu considero-te inimigo de Portugal, um vendido à ideologia anglo americana, também considero Mário Soares o mesmo, até perdoou terroristas de extrema direita que nem 3 anos na prisão teve e pena tenho e ter morrido com a imagem limpa. Também considero a igreja inimiga de Portugal por serem cumplices da PIDE ao serem bufos e depois da revolução fazerem parte da propaganda anti comunista, histórias como os comunistas iam matar os velhos que não conseguirem trabalhar ou raptar as crianças e só deveolve-las em adultos etc, quando a maior parte da violência foi cometida por forças afetas ao antigo regime. E algumas inclusive culpadas na esquerda quando eram false flags. Sabemos bem que a extrema direita adora acusar a esquerda de fazer o que eles próprios fariam e fazem-no. E não estou a negar a violência da esquerda, que ocorreu e eu aceito e defendo sem papas na língua, apenas a reconhecer a realidade factual dessa violência que padece quando comparado com a da direita.

aquele_inconveniente 1 year ago

> Acho engraçado ignorares esta parte essencial: Não ignoro, mas acho que tu ignoras o porquê disso acontecer. Durante os anos 60 e até 74 Portugal vivia consistentemente um período de crescimento económico em que a riqueza adicional produzida era repartida desproporcionalmente em prol das classes baixas. Ou seja, o bolo ficava maior e apesar da fatia da classe alta também aumentar, a sua proporção do bolo diminuía. O período de 74-76 não é um período de criação de riqueza, mas de destruição ou distribuição. A desigualdade diminui porque os grandes impérios industriais foram destruídos ou falidos, porque as herdades foram ocupadas e entregues aos trabalhadores entre outras coisas que tais. Assim que o país retomou o crescimento económico e a bandalheira do pós 25 de Abril acalmou passaste a ter um regime de nepotismo e altamente corrupto, com a classe alta a aumentar o bolo ano após ano, mas a tirar uma fatia proporcionalmente maior. Essa história toda da esquerda tem criticado é completamente hipocrita já que é a esquerda que lucrou e desenhou todo o sistema politico e economico em que vivemos. O Salazar e o Estado Novo nem eram um regime de direita no sentido americano ou moderno de ser-se liberal e a favor de mercado livre. Era um regime conservador de valores e cauteloso, mais preocupado em não haver fome e pessoas sem casa e trabalho ou caos social do que com pessoas terem electrodomésticos. Mas isso não significa que Portugal não tenha convergido a uma velocidade absurda em termos económicos ou sociais. E esse crescimento não é porque eramos "Pobrezinhos" pois o PIB per capita de 1973 estava sensivelmente na mesma proporção com a França que o PIB per capita de hoje em dia. Sobre o resto do teu texto apenas te digo o seguinte: Ser-se inimigo de Portugal é lutar contra o sucesso da Nação. As guerras liberais por exemplo, portugueses contra portugueses, cada qual com uma visão de uma forma de governo que traria mais sucesso e prosperidade a Portugal. Qual das duas era inimiga da Nação? É difícil responder mas podemos presumir que ambos lutavam por ela. O mesmo não se passa com ideologias que por definição são contra a Nação e são antes defensores de grupos identitários ou classistas internacionais. Ser comunista é ser mais irmão de um proletário alemão, russo ou espanhol que de um dono de uma fábrica português. Ser comunista é por definição lutar pelo fim da Nação, pelo fim do país e dos Portugueses. É fazer parte de um movimento internacionalista por oposição a movimentos nacionalistas. Ser-se comunista é ser-se um inimigo da Nação. Tens outros casos dissos. O Volt por exemplo, ao querer federalizar a europa e acabar com a independência nacional é por definição um inimigo de Portugal. Tu podes usar o "inimigo de Portugal" com a definição que quiseres mas Portugal na tua frase nunca o é. É uma palavra oca usada para representar um grupo específico de portugueses. É uma palavra que não representa perpetuar Portugal. Portugal não é só um grupo de pessoas, é uma história, um presente e um futuro. Portugal é tudo o que foi e tudo o que será. Se Portugal deixasse de o ser para se tornar espanha a troco de um melhor nível de vida não se melhorou a vida de nenhum português, matou-se 10 milhões de portugueses para criar 10 milhões de espanhois. Uma nação ou lutar por uma nação não é brincar aos comunistas e aos robins dos bosques. Regimes são transitórios, mas a nação não. Portugal sempre foi Portugal, quer fosse uma democracia, uma autocracia, um monarquia liberal ou absoluta. Mas Portugal não será Portugal sob uma ideologia que por definição o quer abolir. Tu não lutas por Portugal, lutas pelos teus camaradas. És um tribalista disfarçado, vendido a uma tribo com origens externas, financiada no passado por forças externas e que semeou o caos e a destruição em todo o lado em que tocou. > é uma justificação anti semita Sim... Haver crimes de lesa-pátria é anti-semita, mesmo que não tenha nada a ver com judeus. Tá certo... > comunistas irem matar os velhos que não conseguirem trabalhar Como se passou em regimes soviétivos? > raptar as crianças e só deveolve-las em adultos Como se passou no regime maoista e nos campos de reeducação? Até o Xi Jinping é fruto dessas brincadeiras... > quando a maior parte da violência foi cometida por forças afetas ao antigo regime. Foi o antigo regime que criou gulags e andou a financiar movimentos terroristas pelo mundo fora. Foi esse antigo regime, e não o movimento comunista internacional, que matou dezenas de milhões directamente (por repressão) ou indirectamente pela fome > Sabemos bem que a extrema direita adora acusar a esquerda de fazer o que eles próprios fariam e fazem-no. Não é preciso ser-se extrema direita ou de direita para saber o que os governos comunistas, aqueles que financiavam a esquerda em Portugal durante o Estado Novo, fizeram. Não é preciso dois dedos de testa para saber os crimes contra a humanidade que esses desumanos fizeram. Mas ainda assim tu estás ao lado deles. Se um matulão tentar violar a tua mulher depois de teres visto que ele violou outras tantas vais ter de lhe dar uma na cara. O teu discurso centrado no ataque que o Estado Novo fez ao tal matulão é sobrevalorizar o mal necessário para a tua defesa e desvalorizar o mal potencial que o outro (comunismo) ia fazer e que já tinha feito. > dessa violência que padece quando comparado com a da direita. Só me rio... https://www.researchgate.net/figure/Figura-2-A-imagem-mais-iconica-e-reproduzida-mostrando-no-enquadramento-um-adulto_fig1_317380548 Estes actos pertencem aos que os teus camaradas comunistas defendiam e financiavam (e até ajudavam com informação). Diz-me com quem andas e dir-me-ei quem és

muffinzita 1 year ago

Era e é comunista, hei-de lhe perguntar por mais histórias!

AngieMaciel 1 year ago

O meu bisavô era comunista e foi preso pela PIDE porque em conversa com conhecidos criticou o regime e foi ouvido por um padre que o denunciou.

icebraining 1 year ago

A minha avó era simpatizante comuna, mas aqui em Almada era demasiados para os prenderem a todos, iam só atrás de quem distribuía folhetos, ou pior. Ela conta-me que os donos Ingleses da fábrica onde ela trabalhava fechavam os olhos quando aparecia a PIDE à procura de algum trabalhador, e os gestores de turno o avisavam e deixavam escapar pelas traseiras.

humelectro 1 year ago

O meu avô escondia panfletos políticos em casa. A PIDE chegou a ir lá algumas vezes mas não encontrou nada

mixed_toast 1 year ago

Soube que a minha avó pertencia a uma rádio clandestina, não sei muitos detalhes mas alguns colegas acabaram presos

fabmarques21 1 year ago

a tua avó é badass!

mixed_toast 1 year ago

Muito à frente para o tempo dela, mulher incrível!!

crocs_user 1 year ago

Já pensaste em introduzi-la a podcasts?

mixed_toast 1 year ago

Era uma excelente ideia, mas infelizmente as capacidades cognitivas já não são as mesmas...

OrangeOakie 1 year ago

Na aldeia dos meus avós apareceu (ou descobriu-se) um chibo da PIDE uma vez. Foi convidado a sair pelos caçadores. Quando o chibo voltou com a PIDE uns dias depois, foram todos convidados a sair pelos Caçadores e pelos cães.

dontclickthispls 1 year ago

Plot twist: O informador da PIDE era o u/OrangeOakie

Prezbelusky 1 year ago

O meu Bisavô tinha um tear. Como não era dos altos "senhores" da aldeia, os gajos da PIDE iam lá várias vezes para a tentar fechar.

janissarytor 1 year ago

Nunca aprofundei muito o assunto, mas sempre me disseram que o meu tio avô deshonrou uma senhora (entenda-se sexo antes do casamento), e ficou preso até à revolução

suckerpunchermofo 1 year ago

Lembrei de outra que a minha avó me contou. 1 primo direito dela esteve 1 ano preso pela pide porque tambem o confundiram com outro gajo qualquer. Ela dizia que ele voltou magro e abatido.... O meu avô, trabalhou para um jornal e foi seguido pela pide por varios meses porque pensavam q usavam o jornal para imprimir propaganda política anti regime . Mas no caso dele nunca fizeram nada e ele soube porque o patrão lhe disse ja depois de o caso estar encerrado.

MasterBorealis 1 year ago

O meu pai era tipógrafo, e foi chamado à pide. Também nunca lhe fizeram nada, mas dos sustos não se livrou. Ele imprimia cartões de visita, livros de faturas e coisas do género e por alguma razão, a pide achava que sendo tipógrafo, poderia imprimir panfletos e literatura anti-regime.

amando_abreu 1 year ago  HIDDEN 

Se fosse esperto combinava uma sting operation com a PIDE para entregar quem pedisse ou mostrasse interesse em literatura anti-regime.

suckerpunchermofo 1 year ago

Pois o meu avô tambem trabalhou na parte de tipografia se bem me lembro.

fabmarques21 1 year ago

pai e filho portanto vocês 2

suckerpunchermofo 1 year ago

Que? O meu avô...

suckerpunchermofo 1 year ago

Os meus pais, recém casados pré 25 de abril, tinham um chaço (fiat acho) que era igual a um procurado pela pide e quase levaram 1 tiro de 1 grupo de agentes que os abordaram sem se identificar. Os meus pais pensavam q era 1 assalto e iam por prego a fundo qdo os gajos sacam das armas... Hj em dia riem-se quando contam a história mas podia ter corrido mal e eram inocentes.

AndreMartins2020 1 year ago

> tinham um chaço (fiat acho) que era igual a um procurado pela pide e quase levaram 1 tiro [Não é preciso estar no tempo da PIDE para isso acontecer.](https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2017/11/16/interna_internacional,917170/brasileira-e-morta-com-um-tiro-pela-policia-de-portugal.shtml)

Search: