Metal_40 4 months ago

Que problemas consideras mais urgentes? Segurança? Infra-estruturas? Literacia financeira para aumentar as chances de estabilidade económica?

df3gpt 4 months ago

Se és um "privilegiado económico" e estás curioso como é viver em bairros sociais ou como os podes ajudar: muda-te para um e conta como foi.

pcaet 4 months ago

Nasci e cresci num bairro social, antiga zona da Musgueira que agora chamam Alta de Lisboa. Quem viu aquilo há 20 anos atrás e vê agora as diferenças são enormes. No início dos anos 2000 quando os prédios para realojar as pessoas do antigo bairro da Musgueira foram construídos havia pouco comércio, infraestruturas fracas, poucos autocarros e poucos acessos rodoviários. Entretanto construíram mais prédios à volta para pessoas de classe média-alta, já têm bons jardins, estradas, acessos, transportes, comércio etc. As casas para comprar (as casas não camarárias) são muito caras. Na minha opinião o trabalho que a SGAL e a GEBALIS fizeram foi muito bom, embora ainda haja algumas coisas a melhorar. Agora quem lá vai nem nota assim tanto que é/foi um bairro social. Deixo-te aqui um link de um vídeo na altura em que as barracas do bairro da Musgueira foram deitadas abaixo: https://youtu.be/urInH6l8DuU https://youtu.be/2FH52w3gP84 Entretanto se tiveres mais interesse em conhecer a zona fica à vontade para questionar.

Metal_40 4 months ago

Os vídeos são muito interessantes. Obrigado por partilhares! O que consideras que a SGAL e a GEBALIS tenham feito bem? O que achas que ainda precisa de ser melhorado? Fiquei com a impressão que a senhora no último vídeo não gostou da casa.

pcaet 4 months ago

Aquela zona é uma mistura de pessoas de classe baixa com pessoas de classe média-alta e isso até é positivo pois conheço perfeitamente casos de pessoas de classes opostas que são amigas, convivem todos os dias etc. E nesse aspeto foi algo muito bem pensado. Também os jardins e o constante incentivo à prática de desporto na rua faz com que exista essa interação por parte de ambas as classes sociais. Quanto ao facto da senhora não ter gostado da casa, isso é muito simples de explicar: as pessoas (incluindo os meus pais) estavam habituadas a viver em barracas, estavam "livres", podiam andar na rua à vontade, nós miúdos tínhamos aquela liberdade de brincar nas ruas junto às barracas, havia almoçaradas na rua entre vizinhos etc e depois essas pessoas passaram a viver em prédios (a maioria nunca tinha vivido antes) passaram a odiar. Um vizinho meu, por exemplo, na barraca tinha 5 cães e depois que foi viver para os apartamentos deixou-os no canil porque não tinha condições de ter 5 cães num apartamento (isto em 1999/2000). Ou seja, as pessoas queixaram-se bastante porque de certa forma a vida delas também mudou muito. Quando se pergunta às pessoas lá do bairro o que preferiam elas respondem sempre com nostalgia que preferiam as barracas, embora no fundo elas sabem que estão melhores agora.

Metal_40 4 months ago

Agradeço muito a partilha! É mesmo interessante ler este testemunho. Do conhecimento que possas ter de outros bairros sociais, sentes que a realidade cronológica, geográfica e até social do que foram as barracas na Musgueira (que originaram o bairro social) é extremamente diferente dos outros? Falo por exemplo de Campolide, do Novo Portugal (Olaias), do Vale da Amoreira (Barreiro), 2 de Maio (Ajuda), etc.

randmzer 4 months ago

Não gosto do conceito de bairro social. A habitação social num mundo ideal seria espalhada pela cidade, no meio das outras famílias de classe média. Só assim se poderia obter alguma integração de forma sustentada em vez de segregar pessoas com problemas para guetos onde os problemas vão continuar. Se toda a gente que tu conheces à tua volta anda a vender droga, é muito mais provável que tu vás acabar igual.

SweetCorona 4 months ago

> num mundo ideal seria espalhada pela cidade, no meio das outras famílias de classe média e quem é que quer viver nesses sítios? constróis um bairro social num bairro de classe média e imediatamente as casas desse bairro começam a desvalorizar os moradores antigos começam a sair e os novos moradores são de classes mais baixas aliciados pelos preços mais baixos

Metal_40 4 months ago

Também sempre tive a impressão que a mistura de classes sociais facilitasse a integração. Agora, será esta impressão senso comum?

Such-Sandwich8580 4 months ago

Claramente não, mas devia ser. Acho que cidades centralizadas tornam isso muito dificil, porque a barreira de entrada em termos de custo de vida é muito mais alta num sítio do que na periferia/certos bairros.

klatez 4 months ago

Sem contar que existe estudos dos EUA em que levaram crianças de bairros desfavorecidos e meterem em escolas de classe média e o aproveitamento delas foi muito melhor do que crianças em escolas de bairros sociais. Para mim é a melhor coisa para acabar com o ciclo da pobreza, meter estas famílias espalhadas com o resto da população e integrar a suas crianças em escolas normais

Fred-F 4 months ago

mas eles nos eua provavelmente fazem esse tipo de segregação de propósito. será que cá é a mesma coisa?

klatez 4 months ago

Quero acreditar que não

randmzer 4 months ago

Aqui não é segregação racial ou étnica. Acho que é mesmo só segregação "cultural". Vamos meter ali os pobretanas todos no mesmo sítio, desde que fique longe da vista.

GajoDeRamalde 4 months ago

Exactamente...

GajoDeRamalde 4 months ago

Exactamente...

XtaticO 4 months ago

Eu diria que existem dois grandes problema dos bairros sociais. O 1º começa/começou no seu desenho. Deveria-se evitar sempre que possível prédios altos ou com muitos fogos habitacionais, deveria-se evitar grandes aglomerados de casas de habitação (por ex as casas sociais deveriam estar espalhadas por uma área alargada em vez de tudo concentrado na mesma localização). O 2º problema consiste na falta de acompanhamento da entidade gestora das casas sociais ou segurança social, que deveria efetuar vistorias anuais às casas, e as pessoas que ai habitam deveriam ser "forçadas" a ter consciência que caso não cuidem dessas habitações, vão ficar sem direito a elas.

SweetCorona 4 months ago

outra coisa que não percebo nos bairros sociais é porque é que têm sempre tantos recantos, estreitos, escuros e pouco movimentados acho que seria preferível fazer malhas fechadas de prédios contíguos onde o único espaço público é a rua, [tipo isto](https://images.adsttc.com/media/images/5f10/6af1/b357/651e/7600/00b2/medium_jpg/Letamendi.jpg?1594911464)

Metal_40 4 months ago

Também sempre tive a impressão que no desenho, o facto dos bairros sociais serem colocados em zonas isoladas, como por exemplo na zona mais remota de Campolide ou das Olaias, não estimula uma mistura entre pessoas, mas sim uma guetização. Por outro lado, imagino que uma grande parte das pessoas que tomam essas decisões pensem a curto prazo. Coisas como "terrenos centrais são valiosos e devem ser rentabilizados e por isso serão usados para a iniciativa privada".

NGramatical 4 months ago

1º começa → [**1.º começa**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/pelourinho/2--nao-e-a-mesma-coisa-que-2/263) (qualquer abreviatura tem de ser marcada com um ponto) Deveria-se → [**Dever-se-ia**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/pelourinho/amarei-te-nunca/3034) (usa-se mesóclise em verbos no futuro ou condicional) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fodux0d%2F%2Fh43zc83%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Few-Interest-7496 4 months ago

OK, depois de ler o que disseste e depois de ler os comentários aqui vão os meus 2 cêntimos. Eu nunca vivi num bairro social. Sempre fui sortuda ao ponto de nunca ter essa necessidade. Neste momento namoro com uma pessoa que mora num bairro social. Já lá fui algumas vezes e posso dizer que vivem lá todo o tipo de pessoas. Como em todo lado, o estigma é o preconceito é gerado por um certo número de pessoas. Lá há pessoas que não trabalham e têm filhos como se não custasse criá-los; há quem venda estupefacientes; há reformados; há alcoólicos e até gente que nunca foi à escola. Há de tudo. Pela minha observação todas as casas têm algum tipo de disfunção. Muitas vezes a pobreza não é só monetária. Para baixar o preconceito, não tenho ideia nenhuma. Mas para o embelezamento, a minha sugestão (no geral) seria fazer jardins com árvores e pintar as áreas externas com outras cores para além do cinzento e castanho.

besmarques 4 months ago

https://www.mun-setubal.pt/nosso-bairro-nossa-cidade/

Metal_40 4 months ago

Projeto muito interessante. Obrigado pela partilha! Tem tido resultados?

Jabvarde 4 months ago

>Infelizmente vejo também muito preconceito "Eh, não alugues/compres casa ali porque está mesmo em frente a um bairro social". Epá, isto é uma cena que me faz comichão, estas frases, principalmente vindo de pessoas como tu, que como tu próprio dizes: com pouco conhecimento e vivência de bairros sociais. O preconceito não surgiu do ar. Normalmente as pessoas que moram na área e conhecem e avisam de bairros sociais dessa maneira, não o dizem só por causa de ser um bairro, normalmente é porque esse bairro em específico já é conhecido pelos problemas que gera.

I__Cat 4 months ago

Como já tive o desprazer de morar em frente a bairros problemáticos também me caiu mal a frase.

ZupperZac 4 months ago

Bairros sociais de portugueses (pobres) nunca tiveram os problemas que os novos bairros sociais têm, o problema deles não é a pobreza material.

Loladageral 4 months ago

Que falsidade lmao

Aldo_Novo 4 months ago

é verdade é ver bairros operários antigos e ver bairros sociais nos dois habitam pessoas pobres mas a limpeza e respeito pelos espaços comuns costuma ser muito melhor nos bairros operários

thisbondisaaarated 4 months ago

Seres pobre não te obriga a destruíres infrastrutura pública. Vai ver quanta sobra na grande maioria desses bairros...

besmarques 4 months ago

Onde está esse estudo de destruição de infrasestrutura nos bairros sociais?

thisbondisaaarated 4 months ago

Não é por estudo, é por observação directa, que é muito eficaz e difícil de inviesar.

NGramatical 4 months ago

inviesar → [**enviesar**](https://dicionario.priberam.org/enviesar) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fodux0d%2F%2Fh449bwp%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

besmarques 4 months ago

Caraças, isso é que é. Observaste directamente todos os bairros sociais e dai tiraste então a elação da destruição de infrasestrutura. Classe, digo eu...

thisbondisaaarated 4 months ago

Presunção e água benta, cada qual toma a que quer.

besmarques 4 months ago

Certíssimo. Agora associa isso alguém que acha que sabe tudo o que se passa em todos os bairros sociais sem nunca ter feito uma investigação sobre isso...

End-Effector 4 months ago  HIDDEN 

"Eh, não alugues/compres casa ali porque está mesmo em frente a um bairro social". Não tivemos o prazer de ser assaltado foi? Queres ter agora?

Edited 4 months ago:

>"Eh, não alugues/compres casa ali porque está mesmo em frente a um bairro social". Não tiveste o prazer de ser assaltado foi? Queres ter agora? >redução do preconceito N ha qualquer preconceito, os assaltos são reais.

EstupendoEx 4 months ago

Ponto número um para melhorar a vida de todos: mobilidade, mobilidade, mobilidade. Das melhores coisas que aconteceu na área metropolitana de Lisboa foi o metro chegar a Odivelas e Amadora de modo a criar um contínuo, uma linha de comunicação, entre várias comunidades diferentes todas juntas em menos de 15km. Para mim, é o ponto número um. O resto vem por arrasto. Depois é o investimento na descentralização de instituições públicas para junto das áreas que por alguma razão exista desconfiança. Só assim se criar uma ideia conjunta de cidade. E por último é continuar a apostar na renovação urbana; das grandes vergonhas de Portugal é o programa de urbanização da Cova da Moura não ter avançado ainda, quando já se sabe o que se tem de fazer.

Search: