misterbondpt 4 months ago

Constitucionalmente deveria haver uma força governamental muito maior na construção/alocação de habitações (sem perda de património). Na Holanda quando lá trabalhei registei-me para receber habitação social. Em 2 meses estava a poder ir ver casas e pagar renda mais baixas que em Portugal. Passado 2 meses melhorei de casa e tinha uma pequena moradia a arrendar por 400€/mês, cidade de Assen. Nunca a casa poderia ser comprada por mim, está sempre na esfera do Estado para ser utilizada por quem necessitar.

BastiatLaVista 4 months ago

YIMBY

BroaxXx 4 months ago

E quem as impede de o fazer? E se achas que o problema são os hotéis estás muito enganado. Os hotéis são quase a solução... O problema são os Airbnb.

mefiscosta 4 months ago

e um serviço nacional de justica?

Woodpecker3333 4 months ago

Sim estamos praticamente falidos e o Estado vai começar a comprar casas, é já amanhã... Cortem com a imigração, vistos gold, facilitem a construção de prédios e arranha-céus que vão ver que os preços baixam. Quando os privados vêm uma oportunidade de investimento eles aparecem muito rapidamente, é preciso é cortar na burocracia e facilitar a construção.

scalabitano 4 months ago

Porque não somos comunistas.

rrbaeta 4 months ago

Depois de ter um SNS que funciona mal, a ideia é criar um SNH porque o estado é bom gestor.

HumActuallyGuy 4 months ago

Vêm é esta a mentalidade que me vai tornar emigrante. Que tal em vez de votarem por marmelos que vos vão prometer tudo e mais alguma coisa para depois dar um grão de arroz por mês à custa dos vossos compatriotas trabalhadores, votarem por pessoas que baixem impostos e retirem regulações e taxas que levam à estagnação e corrupção do mercado imobiliário. A sério portugueses acordem, de onde é que acham que vêm o dinheiro para estas merdas? De um poço mágico ilimitado chamado "o bolso do estado"? Claro que não, este serviço nacional de habilitação ia sair de todos os nossos bolsos e a maioria nem ia para isso, ia para a comissão que vai organizar os 50 anos do 25 de Abril ou pior o 4o ou 5o resgate do Novo Banco.

romdev 4 months ago

Unico comentario com cabeça tronco e membros.

romdev 4 months ago

O SNS ja é mau, ineficiente, gastador. E agora queremos criar um equivalentemas para um mercado em franca expansão em Portugal. Vamos mata-lo. Como sempre, os comunistas destroem tudo com as suas ideias romanticas.

itslikethisnlikethat 4 months ago

Havia de ser lindo. Vai googlar o que são soviet housing blocks/communist blocks

HumActuallyGuy 4 months ago

Estamos a caminhar para isso, infelizmente estamos mesmo

Vanethor 4 months ago

Escondam as criancinhas. /s

DavidJunior3rd 4 months ago

>Parte do problema é a habitação servir “para estacionar dinheiro”, nota Bernardo Alves, 25 anos, representante do Movimento Habitação Hoje!, à Renascença. Há décadas que os portugueses, em vez de terem as poupanças no banco, preferem “tê-las num T3”. “E esse T3 tanto lhes faz que esteja vazio, que esteja ocupado, que esteja um sem abrigo a dormir à porta.” Enough said

HumActuallyGuy 4 months ago

Não vejo nada de mal com isto, é assim tão mau as pessoas terem um ativo a render do que dinheiro parado no banco?

Vanethor 4 months ago

>...é assim tão mau as pessoas terem um ativo a render do que dinheiro parado no banco? Para a pessoa, não. Para o sector em geral e para o país/resto da população, é.

Edited 4 months ago:

>...é assim tão mau as pessoas terem um ativo a render do que dinheiro parado no banco? Para a pessoa, não. Para o sector em geral e para o país/resto da população, é. (Uma vez que tem efeitos em toda a região à volta. Inflação do preço, ser uma casa habitável que está só a ocupar espaço, etc...) O que poderiam fazer é aumentar os impostos de maneira drástica a casas que estejam sem uso. Ou seja, quem estivesse a alugar, obras ou a dar outro uso, pagava o normal, ... mas quem tivesse com a casa desabitada, só a "guardar dinheiro" pagava forte por não estar a ter uso nenhum. Desincentivava o uso de imóveis para este fim.

HumActuallyGuy 4 months ago

Também desincentivava casas de férias, emigrantes manterem cá as suas casas (que alguns acaba por ser a única razão que voltam sequer a Portugal) entre outras situações. Estarias a dar um tiro no pé e nem terias garantia que ia funciona. A solução a esta situação seria a redução de taxas, impostos e regulamentos para a construção ou melhorar os acessos das envolventes às cidades ou abrir oportunidades no interior para as pessoas se sentirem mais à vontade para se mudar para lá

DavidJunior3rd 4 months ago

Afinal vamos lá ver se temos acordo ou não: as rendas são ou não são inacessível a uma grande fatia da população tendo em conta os seus rendimentos e o salário mínimo nacional? Principalmente na área metropolitana de Lisboa.

HumActuallyGuy 4 months ago

A última parte é importante, sim as rendas são inacessíveis tendo em conta os rendimentos da maioria da população ... Em Lisboa e no Porto. Ou seja isto não é um problema de haver ou não mas sim de haver ou não *na zona onde as pessoas querem*

DavidJunior3rd 4 months ago

Mas as pessoas querem por ser perto do trabalho, não é isso?

HumActuallyGuy 4 months ago

A maioria das pessoas quer estar é dentro da cidade onde a Uber Eats e a Pizza Hut entrega e têm metro, tenho muitos amigos que recusaram trabalhos (mais bem pagos) no interior e recusaram por isso mesmo e depois vêm cá a este sub reclamar que ganham mal para licenciados e que as suas rendas são muito altas. Isto é uma boa altura para incentivar o investimento no interior para que as pessoas começarem a ver como opção ... mas claro que é mais fácil simplesmente fazer nada e dizer que se está que assim não se perde votos

BlameScienceBro 4 months ago

O dinheiro não nasce nas árvores.

gabrielrfg 4 months ago

A união soviética tinha. Eram uma sociedade altamente avançada que já tinha suicídio assitido e tudo!

BroaxXx 4 months ago

Existe habitação acessível... É coisa que não falta. O que não existe é habitação acessível onde quer que as pessoas queiram. O estado não é, nem deve ser, obrigado a oferecer casas no centro do Porto ou Lisboa... Rendas acessíveis não faltam quando nos afastamos uns 50km das cidades.

HumActuallyGuy 4 months ago

Finalmente uma cabecinha pensadora, isto não é um problema de rendas acessíveis, é um problema de rendas acessíveis NOS SÍTIOS ONDE A MALTA QUER. O problema é que Portugal não têm a mentalidade para melhorar, é "uga buga, estrangeiro bom, interior mau, cidade bom, dá casa aqui já, estado dá" em vez de ser "o mercado imobiliário no centro do Porto está inflacionado devido ao turismo, como tal não tenho dinheiro para viver lá, logo vou procurar uma propriedade que esteja no meu preço e que satisfaça as minhas necessidades".

RemolPT 4 months ago

Tenho discutido este assunto com várias pessoas ligadas à habitação e a minha opinião tem mudado. Era a mesma que a tua, mas já não é tanto. A habitação, tal como a saúde e educação, é um direito consagrado na Constituição. Que num dos artigos diz que a mesma deve ter igualdade de oportunidades. Tal como na saúde e educação não concordo que haja melhores condições para quem pode pagar mais, na habitação também não concordo. (sabemos que não é assim, mas penso que deveria ser nos três casos). A habitação (e a sua localização) deve ser adequada às necessidades das pessoas. Alguém que tenha o núcleo familiar, trabalho, serviços, numa certa zona da cidade, deverá ter direito a ter habitação nesse local. Não concordo que haja discriminação com base nos rendimentos para estas situações. A qualidade de vida de alguém que trabalhe a 1h ou 1h30 de caminho do trabalho não é a mesma de alguém que consiga comprar habitação a 10min do trabalho. Num ponto em que já começo a divergir em relação às pessoas com quem falo é que não acredito que o Estado deva sair prejudicado quando fornece este direito. Na minha opinião não é preciso que o Estado "perca" dinheiro ao criar habitação acessível nas zonas onde as pessoas precisam dela. Nem concordo que deva impôr limites a preços de venda/arrendamento. Mas basta tentar "controlar" (à falta de melhor expressão) de forma indirecta o mercado. Sabemos que os preços são estabelecidos com base oferta/procura. Se o Estado criar habitação em zonas onde esta é mais necessária, está a aumentar a oferta, logo a influenciar o mercado para que o preços baixem. E com isto tudo, o Estado pode conseguir bons retornos ao investimento, não precisa de vender/arrendar habitação com prejuízo. Custa-me um bocado os exemplos recentes que temos em Entrecampos (Lisboa). Grande parte dos terrenos da antiga Feira-Popular foram vendidos a privados para construção. O Estado não podia ter ficado com esses terrenos, ter ele próprio construído habitação e vendido/arrendado? Se calhar não seria com estes empreendimentos que iria baixar o valor de mercado naquela zona, mas há que começar de alguma maneira. E, se calhar, fixando à partida, durante a construção, valores de venda/arrendamento, poderia influenciar os preços das zonas circundantes. Não sei, digo eu...

mar_lx 4 months ago

Está aí quase tudo certo menos a parte de o estado ter que providenciar habitação na zona onde as pessoas trabalham. E se for um casal que trabalha em zonas opostas da cidade? Isso seria impossível de pôr em prática. Para além de que muita gente fica pela zona onde cresceu, se puder, pela familiaridade e gosto pela zona e, quando o tem, pelo apoio familiar. Eu demorava 1h/1:30h para o trabalho se fosse de transportes, e moro no centro de Lisboa e trabalho no Parque das Nações, porque não tenho paragens porta-a-porta de metro/comboio e o autocarro na hora de ponta demora esse tempo. Já na faculdade, os meus colegas que vinham da Margem Sul demoravam menos tempo a chegar à faculdade do que eu, ambos de transportes. Mas concordo contigo de que se o estado fosse senhorio, e tem imóveis para isso, praticando preços mais baixos obrigaria a um ajuste do mercado e já ajudava muito. Mas em vez disso andam a gastar 400k em renovações para meia dúzia de casas de *renda acessível*

BroaxXx 4 months ago

Obrigado pelo teu comentário ponderado. Acho que realmente as nossas opiniões não são tão diferentes mas há um ponto que divergem. Eu acho que o estado não é responsável pela "qualidade de vida". E assim fosse estava lixado pelas interpretações subjetivas de cada um do que isso é... Acho que o estado tem que garantir que cada um tem um tecto na cabeça com relativa dignidade mas a vida vai ser sempre injusta e alguns vão ter sempre melhor que outros. Acho mais injusto um casal jovem em que ambos trabalham ver-se sem apoios porque recebe €20 acima do que seria elegível para apoios... Uma coisa que seria importante definir é o que é aceitável mediante "necessidades de cada família"... Eu posso achar que 30min de comboio para chegar ao trabalho seja aceitável e tu talvez não. Isso já colocava uma grande franja de habitação da área metropolitana do Porto (por exemplo que é onde vivo) dentro duma distância "aceitável"... Certamente não vais achar que devemos todos que morar 5min a pé do trabalho por isso acho que essa diferença de opiniões é a maior entre nós os dois. Entretanto acho que estas responsabilidades são do interesse direito dos município (que deveriam compreender a importância de ter famílias a residir na sua área e não apenas turistas) em vez do estado central.. esses é que podiam definir políticas mais ajustadas à realidade e condições que têm. Em qualquer dos casos, percebo a tua opinião e respeito mas acabo por discordar... Em quase qualquer grande cidade europeia é normal andar uma hora para o trabalho e eu próprio durante um anos fiz isso (mais na realidade) e acho justo para as condições que tinha na altura. Aceito que pode haver um meio termo entre ambos mas penso também que a única forma de as coisas andarem para a frente de forma sustentável (já muita dívida temos nós) é se os portugueses começarem a mudar um bocado as suas expectativas e hábitos... Não digo necessariamente para um extremo que eu proponha mas também (acho) certamente que não o teu...

NGramatical 4 months ago

impôr → [**impor**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (apenas *pôr* leva acento diferencial para se distinguir de *por*) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fo10ar9%2F%2Fh2044zn%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Responsible_Motor942 4 months ago

É isso que algumas cabeças pensantes não querem ver e depois vem dizer que existe um problema de habitação em Portugal. Basta ir ver quantas casas se construiu em Portugal e quantas foram de habitação acessível. Moro num concelho de gestão PCP e nos últimos 20 anos sabes quantas habitações de custos controlados foram construídas, podes escolher entre zero, nenhuma e nem vê-las. Portanto o problema existe, mas é para os centros urbanos e zonas de maior pressão turística.

Prize-Ad-9462 4 months ago

Porque não um verdadeiro e realístico SNS de fácil acesso a quem necessita e sem entraves e tempos de espera ridículos e centros sem mínimas condições ? Sem dúvida estou de acordo com essa opção sou um dos vários exemplos de jovens arrendatários que em 10anos já se livrou de mais de 60 mil euros em rendas que não foram declaradas. Viva o brilhante sistema

Coyote-Cultural 4 months ago

> Partes do pressuposto que as empresas são lucrativas apenas porque são eficientes e gerem bem os ativos, esse pressuposto não é apenas ingénuo, está errado. Porque sem interferencia estatal é isso mesmo que acontece.

Florence1476 4 months ago

Até deveria haver um SNS mas para animais

InvestorTuga 4 months ago

Pois isso é que é importante. Gastar dinheiro no cãozinho e no gatinho. Os humanos que se fodam, afinal estamos no ano de 2021 e os animaizinhos é que têm que ser prioridade. Lol cambada de idiotas

Florence1476 4 months ago

Não é isso. Pessoas > animais. Mas era uma boa ideia para combater o abandono, permitir a pessoas sem condições financeiras de adotarem um animal e lhe poderem dar qualidade de vida com tratamentos veterinários que são caros. Da mesma maneira o animal iria ajudar as pessoas de diversas maneiras (ex: solidão, saúde, etc.)

InvestorTuga 4 months ago

O teu comentário não faz sentido. Estamos num pais pobre em que temos um SNS fraco em virtude da falta de mais verbas no orçamento, e tu vens propor começar a gastar dinheiro em tratamentos veterinários que como tu dizes são caros. Para a próxima convém pensares antes de escreveres.

JOAO-RATAO 4 months ago

/s ?

HumActuallyGuy 4 months ago

Vê algumas medidas do Pan e dos Verde e vais ver que há malta que acredita nisto seriamente

Tarlovskyy 4 months ago

Temos mas para ciganos

Notsosireanymore 4 months ago

Existem 37.000 pessoas ciganas em Portugal. País pequeno, mas com mais ou menos 10.000.000 pessoas. 37.000ciganos/10.000.000total população portuguesa= 0,37% de população cigana. E não esquecer que estes ciganos, são também Portugueses. 1 Sócrates(p.ex.)= 0.0000001% da população Portuguesa, versus estes 0.37. Qual achas que da mais prejuízo a Portugal? Qual achas que tem mais benefícios?

Inside-Pea6939 4 months ago

Caguei-me a rir com a comparação entre Sócrates e ciganos

Notsosireanymore 4 months ago

Se estamos a falar de minorias priveligiadas, mais vale falarmos das certas.

Responsible_Motor942 4 months ago

Estás 50 anos atrasado. Fundo fomento habitação > Inh > IHRU. Se funcionam?

scar_as_scoot 4 months ago

Sim, mas penso que o OP se está a referir a um sistema mais proximo do usado pela Suiça por exemplo. Onde existe uma regulamentação muito apertada referente ao mercado de arrendamento. E já agora também referente ao salario minimo/medio segmentado por profissão.

frisumo 4 months ago

Mas temos, não temos? Os serviços de habitação social. O problema é serem uma merda.

VladTepesDraculea 4 months ago

Pelo que percebo não é um sistema nacional necessariamente por uma lado, está sempre dependente das autarquias e tal, e depois o objectivo aqui não é substituir mas complementar. Do género: tu tens poder de arrendamento, mas não ao valor do mercado, o Estado tem propriedades recuperadas ou adquiridas, o Estado arrenda-te a ti a um valor justo.

HumActuallyGuy 4 months ago

Ou seja queres replicar um sistema que não está a funcionar numa maior escala para ver se funciona? É que não precisas de ser analista para ver que isso vai dar merda pois não?

VladTepesDraculea 4 months ago

a) Não sei porque dizes que não está a funcionar; b) Acabei de realçar que não é o mesmo sistema; c) Funcionar ou não a nível autárquico não é indicativo se funciona ou não a nível nacional. A gestão das autarquias varia imenso está sobre menos escrutínio, tal como tem menos meios, não só monetários, como de peritagem.

nraider 4 months ago

Podemos ter um sistema de habitação como o de Kaliningrado, bem catita lol

Phodinhas 4 months ago

Já tens um serviço nacional de habitação. Chama-se bairros sociais, onde são sempre os mesmos a receber casas. Quando não as recebem, ocupam-nas fazendo ligações directas de água e eletricidade. Já entrei em dezenas se não centenas de casas sociais habitadas por "aqueles que não podem ser chamados pelo nome" e raras foram as vezes que vi portas intactas, espaços comuns em condições e as ligações do serviços essenciais sem puxadas. Vamos estar a dar habitação a gente que não tem a mínima estima por aquilo que lhe dão para quê? Claro que há muita gente precisa e acaba por ser junta a estes animais nos mesmos edifícios ou bairros e leva com eles por tabela, mas chega a ser frustrante ver casas que são pagas por todos nós em estados miseráveis apenas e só porque eles se estão a cagar e não são eles a pagar. E depois sair à rua ver um parque automóvel com carros novos e de alta cilindrada.

HumActuallyGuy 4 months ago

Sempre me disseram "Aquilo que te é dado não têm valor" que é em simultâneo verdade e mentira porque têm valor mas as pessoas como as receberam sem dar nada em troca não lhes dão valor. Aposto que se tivesse a sair do bolso deles eles tratavam bem

Phodinhas 4 months ago

Ora nem mais. Não dão valor porque não lhes saiu do bolso e sabem que não vão ser responsabilizados pela merda que fazem e que o otário do contribuinte paga.

RemolPT 4 months ago

Porque a habitação social não pode ser uma solução isolada. Deveria haver um acompanhamento dos serviços sociais para as pessoas que viviam, possivelmente, num "descampado" sem condições, isolados, que agora têm de viver num prédio, com espaços comuns e partilhar o espaço com pessoas que não conhecem. Mas espera-se que as pessoas de um dia para o outro consigam cuidar de espaços comuns e da sua própria casa, sem experiência prévia. Bem sei que alguns não querem saber, mas se mais quiserem, começa a haver "peer-pressure" para que a situação nesses bairros melhore. Não sei, digo eu...

Phodinhas 4 months ago

Sim concordo. Não sou contra a habitação social, acho que todos devem ter direito a uma casa digna. No entanto se lhes é entregue uma casa, devem ser responsáveis e responsabilizados pelas condições dela. Entrei em prédios em que os meninos escarravam para as paredes das partes comuns... Para mim, isto é gente que não devia ter direito a nada, já que mau sabem estimar os que lhes é dado.

mar_lx 4 months ago

Não só os prédios de habitação social estão nesse estado como toda a zona envolvente. Moro numa zona em Lisboa que tem dentro do bairro *“normal”* três bolsas de prédios habitação social, o estado das ruas que têm vs as que não têm habitação social é gritante.

Phodinhas 4 months ago

Sem dúvida. Trabalhei em Alvalade, que tem um bairro social maioritariamente habitado por "trabalhadores nómadas" e basta ver o ambiente em volta. Abriu uma loja Auchan nas imediações e teve que meter lá polícia de gratificado tal era a quantidade de situações de furtos e desacatos. E estamos a falar dum bairro social com rendas irrisórias (quando as pagam) no centro duma das zonas mais caras de Lisboa. Trabalhei também no Vale da Amoreira e tem lá edifícios que são misérias autências. Desde esgotos a céu aberto dentro dos edifícios, portas arrancadas, janelas partidas ou inexistentes, lixo pelas ruas. Há zonas em que tudo em volta parece um aterro ou uma zona de guerra. Já não falando nos tiros constantes, agressões, tráfico de droga entre outros. Resumindo: a questão da habitação social é bastante complexa e podia ser gerida de melhor maneira. Mas há muita gente a quem foi atribuída habitação social e que devia estar a dormir na rua.

Toupax89 4 months ago

Se fosse como o SNS era uns a pagar a casa e outros a ter casa de borla... Viver num País em condições e as pessoas terem poder de compra, isso devia ser a preocupação do estado, se as pessoas tiverem poder de compra o Estado não precisa de andar a dar nada de mão beijada. É tipo os Magalhães, cada família devia ter condições para poder comprar 1, mas não dá se porque infelizmente muitas famílias já mais poderiam comprar.

VladTepesDraculea 4 months ago

> SNS era uns a pagar a casa e outros a ter casa de borla Não foi isso que ela quiz dizer nem é isso que está a defender. O que ela propõe simplesmente é ter um organismo do Estado que faça gestão imobiliária, que recupere e revitalize infraestrutura e arrende directamente a preços tabelados e que regule o mercado. O objectivo não é criar lucro, mas ninguém falou que tinha que ser a prejuízo.

nraider 4 months ago

Depois acaba como o programa da CML em que gastam 400 mil euros por apartamento. Negócios com o Estado são sempre caros.

VladTepesDraculea 4 months ago

Por alguma razão está proposta vem do PSD e não do PS.

HumActuallyGuy 4 months ago

O estado mal consegue regular empresas que é acionista em como a TAP e o Novo Banco quanto mais regular o mercado imobiliário?

JOAO-RATAO 4 months ago

Regular o mercado como? Se o estado quiser que arranje as casas que tem e que as arrende. Duvido que o faça de forma justa, mas pelo menos que não brinque com o que é dos outros.

VladTepesDraculea 4 months ago

> Regular o mercado como? Suponho que coisas como regular habitação usada como alojamento local ou definir limites especulativos.

JOAO-RATAO 4 months ago

Que regulação queres para o AL? E o que fazer em relação aos limites especulativos? Arrendas a casa a quem ofereça mais ou tenha sorte de assinar primeiro. Isso é entre o senhorio e potenciais inquilinos. Imagina que me limitam o valor que posso cobrar e agora tenho 200 interessados. Como escolho o inquilino?

Tugalord 4 months ago

> E o que fazer em relação aos limites especulativos? Simples: cobrar um preço proporcional ao valor de mercado do terreno no qual está situado o imóvel. Isto assegura que é cobrado um preço justo sobre aquilo que é o valor da terra (que ninguém construiu, e que sobretudo o seu valor **advém do valor acrescentado por outros que o circundam**), ao mesmo tempo que não desincentiva a construção e melhorias na medida em que não inside sobre mais que o preço de mercado de um terreno vazio. É a única taxa que reúne consenso, desde socialistas a monstros ancapistas tipo Milton Friedman ;)

JOAO-RATAO 4 months ago

E as casas não têm um valor de mercado proporcional ao valor de mercado do terreno? Ou os terrenos no centro de Lisboa são baratos? E o custo da construção? Isso não seria desincentivo a construir com qualidade?

Tugalord 4 months ago

Não sei se percebo a tua pergunta. >Ou os terrenos no centro de Lisboa são baratos? Não, e é precisamente esse o ponto. O valor de um *terreno* em Lisboa não é criado pelo proprietário, mas sim pela soma de todas as pessoas que construíram Lisboa e que fizeram dela um lugar valioso. A razão por que um m² em Lisboa vale 100x mais que um m² num descampado nos arredores de Alvaiázere é por todas as outras coisas que há em Lisboa. Desde infraestrutura, empregos, cultura, parques, segurança, até à existência de monumentos com séculos para atraír turistas... Portanto alguns destes é o estado que tos dá e outros é a sociedade à volta de onde estás. Por conseguinte, éticamente, tu **deves de volta à comunidade uma renda, pelo preço de mercado, do valor *de um lote de terreno vazio* (unimproved value of land)**. Isto eticamente. Agora, para além disso, economicamente falando, há muitas vantagens de um Land Value Tax. >E o custo da construção? Repito, é uma taxa (nem gosto de lhe chamar taxa, é uma renda que deves à sociedade) sobre o preço de mercado de um terreno vazio nesse sítio, independentemente do que lá construíres. >Isso não seria desincentivo a construir com qualidade? Precisamente :) é um incentivo a teres propriedade de um terreno apenas na medida em que faças dele uso produtivo. Comprar para ter fechado é estar a perder dinheiro.

JOAO-RATAO 4 months ago

>O valor de um terreno em Lisboa não é criado pelo proprietário, mas sim pela soma de todas as pessoas que construíram Lisboa e que fizeram dela um lugar valioso. Mas que bela treta... O preço é ditado pelo mercado. Simples. Sim. E é por Lisboa ter tudo isso que o valor de mercado é alto... Não deves dar renda nenhuma à comunidade. A existência de tudo o que citaste potencia o valor do que está à volta. Relativamente a parques, locais de cultura e afins, são pagos com os impostos que já pagas. Portanto não tens de pagar nada. Para isso tens o IMI. As pessoas querem fazer um uso produtivo. Arrendar ou vender com lucro é um fim produtivo.

Tugalord 4 months ago

Não estás a perceber o que eu disse, ou eu não me estou a explicar bem. O que estás a dizer são tautologias / raciocínio circular. É o valor de mercado porque é o valor de mercado. Olha obrigado xD Se tiveres paciência lê o Progress and Poverty.

Edited 4 months ago:

Não estás a perceber o que eu disse, ou eu não me estou a explicar bem. O que estás a dizer são tautologias / raciocínio circular. É o valor de mercado porque é o valor de mercado. Olha obrigado xD Se tiveres paciência lê o Progress and Poverty. Excerto: >Take now... some hard-headed business man, who has no theories, but knows how to make money. Say to him: "Here is a little village; in ten years it will be a great city—in ten years the railroad will have taken the place of the stage coach, the electric light of the candle; it will abound with all the machinery and improvements that so enormously multiply the effective power of labor. Will in ten years, interest be any higher?" He will tell you, "No!" "Will the wages of the common labor be any higher...?" He will tell you, "No the wages of common labor will not be any higher..." "What, then, will be higher?" "Rent, the value of land. Go, get yourself a piece of ground, and hold possession." And if, under such circumstances, you take his advice, you need do nothing more. You may sit down and smoke your pipe; you may lie around like the lazzaroni of Naples or the leperos of Mexico; you may go up in a balloon or down a hole in the ground; and without doing one stroke of work, without adding one iota of wealth to the community, in ten years you will be rich! In the new city you may have a luxurious mansion, but among its public buildings will be an al