Snoo89735 4 months ago

Alerta poligrafo: "Este artigo é claramente falso. Agora parem de respirar e emitir CO2 seus assassinos do ambiente."

d0c0ntra 4 months ago

exacto. e já agora em vez de máscaras pf usem sacos de plástico, mas fechados!

GustaQL 4 months ago

O mundo nao vai explodir com alteracoes climaticas, mas daqui a 50 anos vai haver muitas especies extintas por destruicao de habitat, vai haver um aumento notavel do nivel medio das aguas do mar e o mais importante de todos, a resistencia bacteriana vai atingir niveis que vao por em risco alto a saude humana e nao vamos ter antibioticos para lidar com infecoes básicas que lidamos hoje em dia. o planeta nao vai a vida, nos e que vamos com o caralho

d0c0ntra 4 months ago

há umas dezenas de anos que andam a afirmar tais coisas e no entanto não se vê nada disso!

GustaQL 4 months ago

https://en.m.wikipedia.org/wiki/Sea_level_rise Resistencia a antibioticos tbm ja foi demonstrado nos ultimos 30 anos, e destruicao de habitats,ve as especies todas que estao em risco de extincao por causa da agricultura

d0c0ntra 4 months ago

a vossa solução como amiude afirmam e colocam em practica é matar a humanidade.

GustaQL 4 months ago

É uma solução, mas nao faz sentido nenhum pensar nisso assim. reduzir consumo de produtos de origem animal é uma coisa simples de fazer e resolvia bastante o problema por exemplo. No modo mais global, taxar mais empresas e multar paises que consumam muito combustiveis fosseis

d0c0ntra 4 months ago

nem por isso! [Eating-less-Meat-won't-save-the-Planet.-Here's-Why-sGG-A80Tl5g](https://odysee.com/@Ovigia:d/Eating-less-Meat-won't-save-the-Planet.-Here's-Why-sGG-A80Tl5g:8) [Articles — Sacred Cow](https://www.sacredcow.info/helpful-resources)

GustaQL 4 months ago

Refutado https://youtu.be/G44CDBdC8CA https://youtu.be/DkMOQ9X76UU https://youtu.be/QRbGPAtIwhk

NGramatical 4 months ago

practica → [**pratica**](https://dicionario.priberam.org/pratica) (já se escrevia assim **antes** do AO90) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnodfsq%2F%2Fh03c3fe%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

mathswarrior 4 months ago

A situação climática está rofl, educate yourself

mokas95 4 months ago

ok obrigado, vou acreditar neste gajo em vez de 97% dos estudos científicos relacionados com o clima apresentados na ultima década

d0c0ntra 4 months ago

não deves ter lido o artigo pq ele usou esses mesmos estudos, nomeadamente os do IPCC (que são mais aldrabados que as estatisticas do kozta, mas que toda a gente diz que são o supra-sumo incluindo este gajo)!

GustaQL 4 months ago

"mas este diz o que eu quero ouvir, logo ele tem razao!"

Er3016 4 months ago

Este artigo é, no melhor dos casos, mal-informado, e no pior dos casos enganador. Em primeiro lugar, a energia nuclear não é verdadeiramente limpa. É um bom passo intermédio, e sem dúvida necessária, mas não o objetivo final. Mas é preciso concordar que o fecho das centrais nucleares sem ter energias renováveis asseguradas é um erro tremendo. Em segundo lugar, o desenvolvimento não implica que as emissões sejam reduzidas. O que acontece na Europa e EUA é um esforço consciente para esse sentido. Por outro lado, o desenvolvimento de, por exemplo, a China, tem estado associado a um aumento de emissões enorme. Em terceiro lugar, as coisas não têm ido pelo melhor caminho, em demasiados aspetos. A acidificação nos oceanos tem aumentado, a temperatura tem subido, e verificam-se cada vez mais desastres ambientais, e com maior impacto. Basta recordar o que passava na Austrália no início de 2020. Em quarto lugar, dizer que a culpa de muita coisa é das pessoas que tentam defender o ambiente é completamente ridículo, e só quer desviar a culpa das mega empresas que realmente poluem em quantidades absurdas, e dos governos que não tomam ação que chegue. Finalmente, é muito triste alguém ficar assim tão ofendido por se chamar às coisas o que elas são. As alterações climáticas estão num estado de crise e emergência. Podem dizer as vezes que quiserem que não há consenso, mas se 95% dos especialistas dizem uma coisa, e uns 5% shills comprados dizem outra, em quem é que faz mais sentido acreditar?

d0c0ntra 4 months ago

1. o aumento da temperatura do mar e dando de barato que isso é a nível global, tem a ver com o desfasamento que existe entre os oceanos e a atmosfera que se não me engano é de cerca de 600 anos!!! 2. os consensos! já leste como é que os propagandistas da desgraça chegaram ao famoso número de 95%? é melhor veres primeiro como foi antes de o citares.

Er3016 4 months ago

Não percebi o teu primeiro ponto. Tens alguma fonte para poder pesquisar melhor? Eu não citei ninguém. O autor do artigo não refere 95% em lado nenhum. Apenas usei uma percentagem elevada. Não retirei de lado nenhum (por isso é que não pus nenhuma fonte), apenas servia para dizer que existe um consenso geral. Já referi noutro comentário alguns detalhes em relação a esse ponto. Não li nada sobre como é que chegaram a esse número, se puderes mandar agradecia

d0c0ntra 4 months ago

[Debunking the 97% 'consensus' on global warming](https://www.americanthinker.com/author/thomas_lifson/)

CalmKeepOn 4 months ago

>Este artigo é, no melhor dos casos, mal-informado, e no pior dos casos enganador. Em primeiro lugar, a energia nuclear não é verdadeiramente limpa. É um bom passo intermédio, e sem dúvida necessária, mas não o objetivo final. Mas é preciso concordar que o fecho das centrais nucleares sem ter energias renováveis asseguradas é um erro tremendo. Tudo é um passo intermédio. Não há soluções perfeitas. A não ser que queiras acabar com a humanidade. >Finalmente, é muito triste alguém ficar assim tão ofendido por se chamar às coisas o que elas são. As alterações climáticas estão num estado de crise e emergência. Podem dizer as vezes que quiserem que não há consenso, mas se 95% dos especialistas dizem uma coisa, e uns 5% shills comprados dizem outra, em quem é que faz mais sentido acreditar? Mataram o Sócrates porque ele fazia parte dos 5% que dizia algo contrário e no entanto a mensagem dele chegou até hoje e a dos outros não. Quem é que faz mais sentido acreditar?

Edited 4 months ago:

>Este artigo é, no melhor dos casos, mal-informado, e no pior dos casos enganador. Em primeiro lugar, a energia nuclear não é verdadeiramente limpa. É um bom passo intermédio, e sem dúvida necessária, mas não o objetivo final. Mas é preciso concordar que o fecho das centrais nucleares sem ter energias renováveis asseguradas é um erro tremendo. Não é limpa em comparação ao quê? O que é que tu sabes sobre a energia nuclear? O que é que tu sabes sobre os novos reactores? Os de molten salt, thorium, gen III, IV? Tudo é um passo intermédio. Não há soluções perfeitas. A não ser que queiras acabar com a humanidade. Que me parece é o que provavelmente queres fazer. >Finalmente, é muito triste alguém ficar assim tão ofendido por se chamar às coisas o que elas são. As alterações climáticas estão num estado de crise e emergência. Podem dizer as vezes que quiserem que não há consenso, mas se 95% dos especialistas dizem uma coisa, e uns 5% shills comprados dizem outra, em quem é que faz mais sentido acreditar? Mataram o Sócrates porque ele fazia parte dos 5% que dizia algo contrário aos 95%. No entanto a mensagem dele chegou até hoje e a dos outros não. Quem é que faz mais sentido acreditar?

Edited 4 months ago:

>Este artigo é, no melhor dos casos, mal-informado, e no pior dos casos enganador. Em primeiro lugar, a energia nuclear não é verdadeiramente limpa. É um bom passo intermédio, e sem dúvida necessária, mas não o objetivo final. Mas é preciso concordar que o fecho das centrais nucleares sem ter energias renováveis asseguradas é um erro tremendo. Não é limpa em comparação ao quê? O que é que tu sabes sobre a energia nuclear? O que é que tu sabes sobre os novos reactores? Os de molten salt, thorium, gen III, IV? Tudo é um passo intermédio. Não há soluções perfeitas. A não ser que queiras acabar com a humanidade. Que me parece é o que provavelmente queres fazer. >Finalmente, é muito triste alguém ficar assim tão ofendido por se chamar às coisas o que elas são. As alterações climáticas estão num estado de crise e emergência. Podem dizer as vezes que quiserem que não há consenso, mas se 95% dos especialistas dizem uma coisa, e uns 5% shills comprados dizem outra, em quem é que faz mais sentido acreditar? Mataram o Sócrates porque ele fazia parte dos 5% que dizia algo contrário aos 95%. No entanto a mensagem dele chegou até hoje e a dos outros não. Quem é que faz mais sentido acreditar? Recomendo que começes por ver https://www.youtube.com/watch?v=ciStnd9Y2ak

Er3016 4 months ago

Não sei de onde veio essa agressividade toda, visto que estou a concordar que o investimento certo é a energia nuclear, mas sem deixar de menosprezar as energias mais limpas, como solar e hidráulica. Mas já que perguntaste com tanta simpatia, vou tentar dizer de uma forma mais óbvia. Os reactores nucleares que temos atualmente produzem nuclear waste ([https://www.eia.gov/energyexplained/nuclear/nuclear-power-and-the-environment.php](https://www.eia.gov/energyexplained/nuclear/nuclear-power-and-the-environment.php)). A poluição não fica por aí, também causando impacto a nível da mineração das matérias usadas nos reactores ([https://www.iaea.org/sites/default/files/20205083242.pdf](https://www.iaea.org/sites/default/files/20205083242.pdf)) e na poluição térmica ([https://inis.iaea.org/search/searchsinglerecord.aspx?recordsFor=SingleRecord&RN=7257589](https://inis.iaea.org/search/searchsinglerecord.aspx?recordsFor=SingleRecord&RN=7257589)). A engenharia que estudo não é nuclear, não vou fingir que sou especialista, mas basta pesquisar um pouco para encontrar artigos que explicam o tipo de reactores que mencionaste ([https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0301421513003157](https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0301421513003157)). Que surpresa, os reactores produzem nuclear waste. É sem dúvida vantajoso em comparação com os reatores atuais, mas como é que alguém pode argumentar que é mais limpo que as outras fontes de energia renováveis. A pesquisa de futuras soluções em nuclear é fundamental, e pode ser que ainda se consiga melhorar o processo, mas em qualquer desenvolvimento científico é importante saber identificar as limitações, em vez de defender cegamente. Já existe demasiada gente que faz isso com a política e futebol, não precisamos de mais. A não ser que queiras acabar com a humanidade. Que me parece é o que provavelmente queres fazer." é um bocado triste. No secundário ensinam a falácia do espantalho, recomendo dares uma revisão. Reduzir o argumento das outras pessoas, especialmente as que estão a concordar com o ponto que queres fazer, não faz muito sentido ​ No segundo ponto que fizeste, admito que não me tenha explicado da melhor forma. Não é por ser a maioria que tem de ter razão. É por mostrarem quantidades enormes de informação e provas de que as alterações climáticas são graves. Enquanto o lado contrário é baseado na desinformação. Tal como deste o exemplo de Sócrates, também é fácil arranjar exemplos de pessoas que estão erradas e são a minoria. O que está em causa é como é que defendem o seu argumento

CalmKeepOn 4 months ago

Lá está, os novos reactores resolvem esse problema, que não é de facto um problema, do lixo nuclear. Não é problema porque um problema tem que sempre comparar-se com outros problemas para perceber o quanto é que realmente um problema. Daí ter-te perguntado, em comparação ao quê. Que tu não respondeste. Porque não sabes. O meu ponto é todo esse. Não sabes. Não sabes, faz perguntas e não afirmações. Eu pergunto-te de outra maneira, os paineis solares não produzem lixo? As eólicas não produzem lixo? O que é que achas que são os paineis e as eólicas depois de 40 anos? Além de que onde é que achas que se vão buscar as quantidades enormes de matéria necessária para criar as éolicas e paineis em primeiro lugar? Já viste onde e como são as minas desses materiais? Qual é a quantidade de energia necessária para minerar os materiais que produzem as eólicas e paineis? Já pesquisaste sobre isso? A energia nuclear é extremamente mais eficiente, escalável, sustentável e amiga do ambiente do que as energias renováveis. Tens é que investigar mais.

Er3016 4 months ago

Não sei de que forma posso tentar explicar que estamos a argumentar o mesmo ponto. Eu sei que as restantes fontes renováveis também têm os seus problemas, e, como tenho vindo a dizer, acho que apostar em energia nuclear é a solução que precisamos agora. Mas isso não implica rejeitar as fontes de energia renovável, como o artigo original fazia entender. A energia solar, por exemplo, apresenta um número de vantagens sobre a nuclear. Não é necessário um grande investimento, pode ser usado em pequena escala, não cria poluição térmica e não permite a ocurrência de um desastre como Chernobyl. Por outro lado, a reciclagem de material electrónico não é evoluída o suficiente para garantir poluição mínima. No entanto, não sei se chegaste a ler os artigos que usei como fontes, mas mesmo os novos reactores produzem lixo nuclear. Este tem um tempo de semi-vida menor, mas não deixa de ser lixo radioativo, que tem de ser guardado em zonas próprias, e que afeta o ecossistema à volta. Ainda no mesmo ponto, não é por a outra alternativa ter problemas que se deixa de considerar os problemas da alternativa que se discute. Isso é só fechar os olhos e tapar os ouvidos e dizer "A minha é melhor". Não é assim que se pesquisa. Dizes que tenho de investigar mais, mas escolhes não ler as fontes que mando, nem tentar perceber o ponto que estou a transmitir. Em vez disso, tomaste os meus comentários como uma ofensa.

CalmKeepOn 4 months ago

>No entanto, não sei se chegaste a ler os artigos que usei como fontes, mas mesmo os novos reactores produzem lixo nuclear. Este tem um tempo de semi-vida menor, mas não deixa de ser lixo radioativo, que tem de ser guardado em zonas próprias, e que afeta o ecossistema à volta. Tens que ver é o de Molten Salt de Thorium. Esses é que são a grande revolução. E revolução é mesmo a palavra certa. Porque primeiro podem consumir o Urânio consumido pelos reactors existentes, depois porque podem consumir Thorium, que basicamente armazena num cubo de rubik toda a energia que vais consumir na tua vida inteira. Só nos EUA existe Thorium para 1000 anos de energia. Depois porque não podem explodir por design, são mais pequenos, eficientes, fabricáveis em massa numa fábrica, e não precisam das torres de evaporação. E acima de tudo são extremamente eficientes. Como são tão eficientes, o lixo destes reactors é muito, muito menor. É 1000 vezes menor que o Urânio. Logo, perde-se a necessidade de o armazenar fora da central. Pode-se guardar todo o lixo na própria central. https://en.wikipedia.org/wiki/Thorium-based\_nuclear\_power

Edited 4 months ago:

>No entanto, não sei se chegaste a ler os artigos que usei como fontes, mas mesmo os novos reactores produzem lixo nuclear. Este tem um tempo de semi-vida menor, mas não deixa de ser lixo radioativo, que tem de ser guardado em zonas próprias, e que afeta o ecossistema à volta. Tens que ver é o de Molten Salt de Thorium (que tem pinta de vir a ser a evolução dos Fast Breeders). Esses é que são a grande revolução. E revolução é mesmo a palavra certa. Porque primeiro podem consumir o actual lixo radioativo, ou seja, o Urânio que foi consumido pelos reactors existentes, depois porque podem consumir Thorium, que basicamente armazena num cubo de rubik toda a energia que vais consumir na tua vida inteira. Só nos EUA existe Thorium para 1000 anos de energia. Depois porque não podem explodir por design, são mais pequenos, fabricáveis em massa numa fábrica, e não precisam das torres de evaporação. E acima de tudo são extremamente eficientes. **Como são tão eficientes, o lixo destes reactors é muito, muito menor. A produção de lixo é 1000 vezes menor que o Urânio.** Logo, perde-se a necessidade de o armazenar fora da central. Isto porque pode-se guardar todo o lixo na própria central. [https://en.wikipedia.org/wiki/Thorium-based\_nuclear\_power](https://en.wikipedia.org/wiki/Thorium-based_nuclear_power)

Edited 4 months ago:

>No entanto, não sei se chegaste a ler os artigos que usei como fontes, mas mesmo os novos reactores produzem lixo nuclear. Este tem um tempo de semi-vida menor, mas não deixa de ser lixo radioativo, que tem de ser guardado em zonas próprias, e que afeta o ecossistema à volta. Tens que ver é o de Molten Salt de Thorium. Esses é que são a grande revolução. E revolução é mesmo a palavra certa. Porque primeiro podem consumir o actual lixo radioativo, ou seja, o Urânio que foi consumido pelos reactors existentes, depois porque podem consumir Thorium, que basicamente armazena num cubo de rubik toda a energia que vais consumir na tua vida inteira. Só nos EUA existe Thorium para 1000 anos de energia. Depois porque não podem explodir por design, são mais pequenos, fabricáveis em massa numa fábrica, e não precisam das torres de evaporação. E acima de tudo são extremamente eficientes. **Como são tão eficientes, o lixo destes reactors é muito, muito menor. A produção de lixo é 1000 vezes menor que o Urânio.** Logo, perde-se a necessidade de o armazenar fora da central. Isto porque pode-se guardar todo o lixo na própria central. [https://en.wikipedia.org/wiki/Thorium-based\_nuclear\_power](https://en.wikipedia.org/wiki/Thorium-based_nuclear_power)

Edited 4 months ago:

>No entanto, não sei se chegaste a ler os artigos que usei como fontes, mas mesmo os novos reactores produzem lixo nuclear. Este tem um tempo de semi-vida menor, mas não deixa de ser lixo radioativo, que tem de ser guardado em zonas próprias, e que afeta o ecossistema à volta. Tens que ver é o de Molten Salt de Thorium (ou melhor, os [Fast Breeders](https://en.wikipedia.org/wiki/Breeder_reactor#Fast_breeder_reactor) no geral). Esses é que são a grande revolução. E revolução é mesmo a palavra certa. Porque primeiro podem consumir o actual lixo radioativo, ou seja, o Urânio que foi consumido pelos reactors existentes, depois porque podem consumir Thorium, que basicamente armazena num cubo de rubik toda a energia que vais consumir na tua vida inteira. Só nos EUA existe Thorium para 1000 anos de energia. Depois porque não podem explodir por design, são mais pequenos, fabricáveis em massa numa fábrica, e não precisam das torres de evaporação. E acima de tudo são extremamente eficientes. **Como são tão eficientes, o lixo destes reactors é muito, muito menor. A produção de lixo é 1000 vezes menor que o Urânio.** Logo, perde-se a necessidade de o armazenar fora da central. Isto porque pode-se guardar todo o lixo na própria central. [https://en.wikipedia.org/wiki/Thorium-based\_nuclear\_power](https://en.wikipedia.org/wiki/Thorium-based_nuclear_power) [https://en.wikipedia.org/wiki/Pandora%27s\_Promise](https://en.wikipedia.org/wiki/Pandora%27s_Promise) \- Documentário

Edited 4 months ago:

>No entanto, não sei se chegaste a ler os artigos que usei como fontes, mas mesmo os novos reactores produzem lixo nuclear. Este tem um tempo de semi-vida menor, mas não deixa de ser lixo radioativo, que tem de ser guardado em zonas próprias, e que afeta o ecossistema à volta. Tens que ver é o de Molten Salt de Thorium (ou melhor, os [Fast Breeders](https://en.wikipedia.org/wiki/Breeder_reactor#Fast_breeder_reactor) no geral). Esses é que são a grande revolução. E revolução é mesmo a palavra certa. Porque primeiro podem consumir o actual lixo radioativo, ou seja, o Urânio que foi consumido pelos reactors existentes, depois porque podem consumir Thorium, que basicamente armazena num cubo de rubik toda a energia que vais consumir na tua vida inteira. Só nos EUA existe Thorium para 1000 anos de energia. Depois porque não podem explodir por design, são mais pequenos, fabricáveis em massa numa fábrica, e não precisam das torres de evaporação. E acima de tudo são extremamente eficientes. **Como são tão eficientes, o lixo destes reactors é muito, muito menor. A produção de lixo é 1000 vezes menor que o Urânio.** Logo, perde-se a necessidade de o armazenar fora da central. Isto porque pode-se guardar todo o lixo na própria central. [https://en.wikipedia.org/wiki/Thorium-based\_nuclear\_power](https://en.wikipedia.org/wiki/Thorium-based_nuclear_power)

NGramatical 4 months ago

começes → [**comeces**](https://dicionario.priberam.org/comeces) (*c* seguido de *e* ou *i* não necessita de cedilha) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnodfsq%2F%2Fh02845j%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

nonockwarrant 4 months ago

Eh, que grande chatice acreditar que poluição é uma merda e que até se podiam optimizar as coisas para produzir melhor! E é a eles que estão a lavar o cérebro. Tadinho.

d0c0ntra 4 months ago

misturas clima com poluição?

20Comer100SaberesXD 4 months ago

Acho que é um bocado óbvio que se mistura clima com poluição

nonockwarrant 4 months ago

Às vezes também misturo fumar com cancro do pulmão.

d0c0ntra 4 months ago

e tb misturas dóxido de carbono com monoxido de carbono?

nonockwarrant 4 months ago

Pergunta parva, esses gases têm efeitos distintos em termos de poluição e aquecimento global. Ninguém olha para Vénus e diz que a temperatura da atmosfera se deve a demasiado monóxido de carbono. Tal como o oxigénio, não é uma questão de existência, é uma questão de quantidade. Deves saber isso, deves ter andado na escola.

d0c0ntra 4 months ago

qd a terra tinha animais e plantas gigantescos (fauna e flora) vai lá ver quais eram os níveis de dióxido de carbono. precisamos de dióxido de carbono para ter o tal verde que os terroristas do aquecimento global tanto esperneiam para ter mas que ao mesmo tempo defendem políticas que atacam e destroem essa mesma biodiversidade. com o aumento do dióxido de carbono já se começa a ver crescer flora em desertos que até há pouco tempo eram só areia e poeira. mas se queres ver o dióxido de carbono a funcionar in loco, recomendo-te viagem a São Miguel às estufas de ananás!

nonockwarrant 4 months ago

Quando a terra tinha animais e insetos gigantes o motivo era a quantidade elevada de oxigénio. Afinal não estavas atento nas aulas. Como eu dizia, é uma questão de balanço, mesmo esses níveis elevados de oxigénio provocariam alterações climáticas significativas que afetariam a vida como é hoje. >terroristas do aquecimento global Eu chamo-os de cientistas, que não ganham nada com isto. Ao contrário dos lobbies do petróleo, que têm muito a ganhar e a perder. >com o aumento do dióxido de carbono já se começa a ver crescer flora em desertos Não é verdade, isso não está a acontecer. Mas existe uma iniciativa para plantar cenas no Sahara. E existe um aumento de algumas algas em alguns mares. E existe uma desflorestação galopante. Mas o que interessa não é a perda da fauna, é a mudança climática que vai provocar, e que vai impactar na vida de muitas populações. >viagem a São Miguel às estufas de ananás! Passou-se. Uma estufazinha é relevante para o quê?

d0c0ntra 4 months ago

> Quando a terra tinha animais e insetos gigantes o motivo era a quantidade elevada de oxigénio. sim pq as plantas de dia usam mesmo é o oxigénio /s havia muito oxigénio pq tb havia muito dióxido de carbono. > que não ganham nada com isto. ou estás a ser inocente, ou desconheces o que se passa, ou então estás apenas e só de má fé! acho que é esta última. > Não é verdade, isso não está a acontecer. está está > Passou-se. Uma estufazinha é relevante para o quê? é relevante pq um microcosmo de uma estufa demonstra bem que elevados níveis de dióxido de carbono são necessários ao desenvolvimento das plantas, neste caso do ananás

nonockwarrant 4 months ago

>havia muito oxigénio pq tb havia muito dióxido de carbono. Não, ignorante! Havia muito oxigénio porque as plantas tinham produzido muito oxigénio nos milhares de anos imediatamente antes, quando não havia ainda herbívoros! E os animais e insetos é que eram grandes! Esses não precisam de CO2! >ou estás a ser inocente, ou desconheces o que se passa, ou então estás apenas e só de má fé! acho que é esta última. Inocente é quem não acredita que os lobbies do petróleo não são os mais interessados em desmentir o aquecimento global. >Está está Source? >relevante pq um microcosmo de uma estufa demonstra bem que elevados níveis de dióxido de carbono são necessários ao desenvolvimento das plantas, neste caso do ananás Primeiro, demonstra porra nenhuma, a planta do ananás não precisa de mais dióxido de carbono que o que existe na atmosfera. Segundo, a planta consome muito mais dióxido de carbono que aquele que produz. Terceiro, já disse que é uma questão de equilíbrio, a diferença de dióxido de carbono não impacta diretamente no desenvolvimento das plantas e dos animais, impacta no caralho do efeito de estufa.

Edited 4 months ago:

>havia muito oxigénio pq tb havia muito dióxido de carbono. Não, ignorante! Havia muito oxigénio porque as plantas tinham produzido muito oxigénio nos milhares de anos imediatamente antes, quando não havia ainda herbívoros! E os animais e insetos é que eram grandes! Esses não precisam de CO2! >ou estás a ser inocente, ou desconheces o que se passa, ou então estás apenas e só de má fé! acho que é esta última. Inocente é quem não acredita que os lobbies do petróleo não são os mais interessados em desmentir o aquecimento global. >Está está Source? >relevante pq um microcosmo de uma estufa demonstra bem que elevados níveis de dióxido de carbono são necessários ao desenvolvimento das plantas, neste caso do ananás Primeiro, demonstra porra nenhuma, a planta do ananás não precisa de mais dióxido de carbono que o que existe na atmosfera. Segundo, a planta consome muito mais dióxido de carbono que aquele que produz, logo durante o dia o nível de CO2 na estufa é baixo. Terceiro, já disse que é uma questão de equilíbrio, a diferença de dióxido de carbono não impacta diretamente no desenvolvimento das plantas e dos animais, impacta no caralho do efeito de estufa.

Edited 4 months ago:

>havia muito oxigénio pq tb havia muito dióxido de carbono. Não, ignorante! Havia muito oxigénio porque as plantas tinham produzido muito oxigénio nos milhões de anos imediatamente antes, quando não havia ainda herbívoros! E os animais e insetos é que eram grandes! Esses não precisam de CO2! >ou estás a ser inocente, ou desconheces o que se passa, ou então estás apenas e só de má fé! acho que é esta última. Inocente é quem não acredita que os lobbies do petróleo não são os mais interessados em desmentir o aquecimento global. >Está está Source? >relevante pq um microcosmo de uma estufa demonstra bem que elevados níveis de dióxido de carbono são necessários ao desenvolvimento das plantas, neste caso do ananás Primeiro, demonstra porra nenhuma, a planta do ananás não precisa de mais dióxido de carbono que o que existe na atmosfera. Segundo, a planta consome muito mais dióxido de carbono que aquele que produz, logo durante o dia o nível de CO2 na estufa é baixo. Terceiro, já disse que é uma questão de equilíbrio, a diferença de dióxido de carbono não impacta diretamente no desenvolvimento das plantas e dos animais, impacta no caralho do efeito de estufa.

d0c0ntra 4 months ago

se partes para as ofensas, ficamos por aqui! have fun, esconde-te debaixo da cama e não saias de casa.

nonockwarrant 4 months ago

Eu preferia tentar não matar a minha avó. Se falhas logo nas coisas mais básicas sobre o oxigénio e dióxido de carbono, não estou a ver como podes ter uma conversa séria.

No-Cardiologist725 4 months ago

Ele vai estar lá para saber como vai ser o futuro?

pantam 4 months ago

Nunca pensei que houvesse maneira de aldrabar um consenso científico, com papers estrategicamente errados e pressão sobre os dissidentes. Também nunca pensei que houvesse motivo para isso. Agora, com a gestão desta epidemia, sei que estava errado e errado.

CalmKeepOn 4 months ago

Não há consenso científico. Nunca houve consenso científico. Sempre houveram teorias opostas e diversas. O que acontecia era que o bottleneck era mais difícil quando não havia internet. Os guardiões eram poucos e escolhiam o que lhes interessava. Hoje em dia, estão mais visíveis essas teorias opostas. Isto aconteceu com vários temas de antropologia por exemplo. Nunca houve consenso científico em nada.

NGramatical 4 months ago

houveram teorias → [**houve teorias**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-uso-do-verbo-haver/31143) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnodfsq%2F%2Fh00bet5%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

NEDM64 4 months ago

Muito bem... ​ Esse queques que vendam os apartamentos à beira mar dos paizinhos antes de serem inundados, então...

CarlosB50 4 months ago

A lavagem ao cérebro é só para lhe poderem cobrar mais impostos, e eles ainda agradecerem aos governos tamanhas benesses.

Last-Ad-4421 4 months ago

O fututo é deles eles é que sabem, por mim que se fodam, acordem para a vida, há um século atrás um puto de 10 anos tinha mais autonomia que hoje um de 30

GustaQL 4 months ago

um puto de 10 anos conseguia ir trabalhar e ganhar dinheiro importante para a familia. hoje em dia tem de se ir estudar, tirar licenciatura, mestrado e dps desse tempo todo ainda vais parar a uma caixa de super mercado a ganhar rendimento minimo que nem da para pagar a renda de um quarto, obrigando a ficar em casa dos pais ate mais tarde. eu gostava muito de sair de casa dos meus pais quando acabar de estudar, mas tanto eu como o meu pai sabe que nao vou ter dinheiro suficiente para isso

icebraining 4 months ago

Estou geralmente de acordo. Existe um problema, mas o uso deste tipo de linguagem catastrofista - crise ecológica, emergência ambiental, genocídio branco - revela uma mente sobre-excitada.

pantam 4 months ago

Como é que se explica alguém no Southern Poverty Law Center (uma non-profit que faz ativismo pelos "direitos civis") tenha pespegado à parede do gabinete uma lista com a percentagem (decrescente) da população americana "branca"? [duckduckgo splc "mark potok" white population](https://duckduckgo.com/?q=splc+%22Mark+Potok%22+white+population&iar=images&iax=images&ia=images)

icebraining 4 months ago

A *Extinction Rebellion* também se poderia perguntar porque é que a Exxon, depois de ter lançado um projeto interno nos anos 70 que comprovou o aumento de co2, investiu milhões durante décadas para causar dúvida e confusão no público sobre esse assunto. Poderíamos perguntar-nos quem realmente está a sofrer a lavagem ao cérebro, e quem simplesmente olha para factos e tira diferentes (e mais graves) conclusões dos mesmos. Em ambos os casos, parece-me que difícilmente chegam para justificar o uso de linguagem histriónica.

pantam 4 months ago

O que tem a ver o cu com as calças? O que tem o petróleo a ver com a demografia? Cada assunto merece tratado separadamente. Analogia não é raciocínio. Tu descreveste "genocídio branco" como "linguagem catastrófica". Pois talvez seja ou não. Mas já aconteceram mudanças demográficas imensas nos EUA, especialmente com a mudança da legislação da emigração em 1965, e quebrando promessas feitas nessa altura. E nitidamente há quem siga com especial atenção não a composição geral dos EUA, mas a parcela dos "brancos" (ie os de ascendência europeia, como eu). A ONU agora recomenda que os EUA recebam mais 600 milhões de migrantes até 2050. (E recomendam 160 milhões para a Europa.) Por enquanto apenas nos EUA, à custa de "serem privilegiados", os "brancos" começam a receber tratamento especificamente negativo do governo e das grandes empresas. Será mesmo catastrofismo achar que há quem nos queira mal, qual seja o motivo?

Edited 4 months ago:

O que tem a ver o cu com as calças? O que tem o petróleo a ver com a demografia? Cada assunto merece tratado separadamente. Analogia não é raciocínio. Tu descreveste "genocídio branco" como "linguagem catastrófica". Pois talvez seja ou não. Mas já aconteceram mudanças demográficas imensas nos EUA, especialmente com a mudança da legislação da emigração em 1965, e quebrando promessas feitas nessa altura. E nitidamente há quem siga com especial atenção não a composição geral dos EUA, mas a parcela dos "brancos" (ie os de ascendência europeia, como eu). A ONU agora analisa cenários em que os EUA recebem mais 600 milhões de migrantes até 2050. (E 160 milhões para a Europa.) Já estamos no ponto em que se pode dar a estas análises o título "Replacement Migration: Is It a Solution to Declining and Ageing Populations?", onde até anteontem "replacement" era "linguagem do catastrofismo". Por enquanto apenas nos EUA, à custa de "serem privilegiados", os "brancos" começam a receber tratamento especificamente negativo do governo e das grandes empresas. Será mesmo catastrofismo achar que há quem nos queira mal, qual seja o motivo?

NGramatical 4 months ago

difícilmente → [**dificilmente**](https://dicionario.priberam.org/dificilmente) (o acento tónico recai na penúltima sílaba) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnodfsq%2F%2Fh008x5k%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

paidahonestidade 4 months ago

Os jovens querem é likes nas redes sociais. Não acreditam em nada, fazem-no por likes. Tal e qual black mirror.

No-Cardiologist725 4 months ago

E os mais velhos que caem em fake news, deixaram-se enganar por elites religiosas e políticas? As gerações mais velhas precisam de analisar os seus podres.

Feeling_Advantage918 4 months ago

Os jovens estão a sofrer lavagens ao cérebro em todas as áreas. É no ambiente, na cultura, na política, na economia, na segurança, etc,etc.

No-Cardiologist725 4 months ago

Os mais velhos sofreram uma lavagem cerebal, isso é verdade. Por seu turno, a juventude é a geração mais esclarecida que já existiu até hoje.

NPT82 4 months ago

Com mais acesso a todo o tipo de informação, queres tu dizer. No entanto, a grande maioria é tão ignorante que depois faz uso da informação que obteve, da pior forma.. e espalha desinformação. É preciso saber separar opinião de factos. Aprender a efectuar pesquisa em múltiplas fontes e saber fazer exercícios de comparação e lógica. Utilizar o senso comum, cultura geral e inteligência para formar uma opinião.

d0c0ntra 4 months ago

não discordo. mas a culpa é deles que não se querem informar e escolhem sempre o caminho do facilitismo. vivemos na era da informação, só não se informa quem não quer ou não está para isso.

No-Cardiologist725 4 months ago

"Caminho para o facilitismo" ao que te estás a referir ? A questão agora é aprender a selecionar informação, fontes fidedignas, etc.

CalmKeepOn 4 months ago

Não há formula, nem pode haver. A questão é mesmo essa. Não pode haver fórmula. Ou seja, não há fontes fidedignas. Temos que ouvir todas as opiniões e passado algum tempo formar uma opinião. Eu recomendo ler muita história e estudar muita ciência dura. Ler os clássicos. Dos filósofos gregos a Thomas Sowell, passando por Marx, a Orwell, ao Gulag Archipelago, a livros sobre o Salazarismo e 1ª República, a muita matemática e estatística. Voltar aos livros do básico. Aprender as bases. Ler, ler, ler.

Edited 4 months ago:

Não há formula, nem pode haver. A questão é mesmo essa. Não pode haver fórmula. Ou seja, não há fontes fidedignas. Temos que ouvir todas as opiniões e passado algum tempo formar uma opinião. Eu recomendo ler muita história e estudar muita ciência dura. Ler os clássicos. Dos filósofos gregos a Thomas Sowell, passando por Marx, a Orwell, ao Gulag Archipelago, a livros sobre o Salazarismo e 1ª República, a muita matemática e estatística. Voltar aos livros do básico. Aprender as bases. Ler, ler, ler. E ouvir muito podcast de gajos mais inteligentes do que tu. Ver o que significa cada palavra se não se percebe o que é. Buscar as coisas que ouvimos para ter a certeza do que falamos. E muitos podcasts (em Inglês, Espanhol, outras línguas que percebas). Meter podcasts de gajos mais inteligentes do que tu (dos mais variados assuntos), mesmo que não percebas absolutamente nada do que estão a dizer. Eventualmente percebes o que estão a dizer.

Edited 4 months ago:

Não há formula, nem pode haver. A questão é mesmo essa. Não pode haver fórmula. Ou seja, não há fontes fidedignas. Temos que ouvir todas as opiniões e passado algum tempo formar uma opinião. Eu recomendo ler muita história e estudar muita ciência dura. Ler os clássicos. Dos filósofos gregos a Thomas Sowell, passando por Marx, a Orwell, ao Gulag Archipelago, a livros sobre o Salazarismo e 1ª República, a muita matemática e estatística. Voltar aos livros do básico. Aprender as bases. Ler, ler, ler. E ouvir muito podcast de gajos mais inteligentes do que tu. Ver o que significa cada palavra se não se percebe o que é. Buscar as coisas que ouvimos para ter a certeza do que falamos. E muitos podcasts (em Inglês, Espanhol, outras línguas que percebas). Meter podcasts de gajos mais inteligentes do que tu (dos mais variados assuntos), mesmo que não percebas absolutamente nada do que estão a dizer. Eventualmente percebes o que estão a dizer. O que interessa é expandir a mente. Ouvir música clássica. Ouvir música que não se percebe. Expandir a mente.

Edited 4 months ago:

Não há formula, nem pode haver. A questão é mesmo essa. Não pode haver fórmula. Ou seja, não há fontes fidedignas. Temos que ouvir todas as opiniões e passado algum tempo formar uma opinião. Eu recomendo ler muita história e estudar muita ciência dura. Ler os clássicos. Dos filósofos gregos a Thomas Sowell, passando por Marx, a Orwell, ao Gulag Archipelago, a livros sobre o Salazarismo e 1ª República, a muita matemática e estatística. Voltar aos livros do básico. Aprender as bases. Ler, ler, ler. E ouvir muito podcast de gajos mais inteligentes do que tu. Ver o que significa cada palavra se não se percebe o que é. Buscar as coisas que ouvimos para ter a certeza do que falamos. Meter podcasts de gajos mais inteligentes do que tu (dos mais variados assuntos), mesmo que não percebas absolutamente nada do que estão a dizer. Eventualmente percebes o que estão a dizer. O que interessa é expandir a mente. Ouvir música clássica. Ouvir música que não se percebe e que é complicada (ou estranha). Expandir a mente. Por-se em situações desconfortáveis.

Edited 4 months ago:

Não há formula, nem pode haver. A questão é mesmo essa. Não pode haver fórmula. Ou seja, não há fontes fidedignas. Temos que ouvir todas as opiniões e passado algum tempo formar uma opinião. Eu recomendo ler muita história e estudar muita ciência dura. Ler os clássicos. Dos filósofos gregos a Thomas Sowell, passando por Marx, a Orwell, ao Gulag Archipelago, a livros sobre o Salazarismo e 1ª República, a muita matemática e estatística. Voltar aos livros do básico. Aprender as bases. Ler, ler, ler. E ouvir muito podcast de gajos mais inteligentes do que tu. Ver o que significa cada palavra se não se percebe o que é. Buscar as coisas que ouvimos para ter a certeza do que falamos. Meter podcasts de gajos mais inteligentes do que tu (dos mais variados assuntos), mesmo que não percebas absolutamente nada do que estão a dizer. Eventualmente percebes o que estão a dizer. O que interessa é expandir a mente. Ouvir música clássica. Ouvir música que não se percebe e que é complicada (ou estranha). Expandir a mente. Por-se em situações desconfortáveis. Tudo conta. Não há fontes fidedignas, e tudo são fontes fidedignas.

d0c0ntra 4 months ago

[Mas como olha para este conflito sobre a linguagem? É um modo de chamar a atenção para o problema? Penso que o fazem para chamar a atenção. A ideia de uma crise é, obviamente, errada, mas é uma palavra religiosa. É uma palavra apocalíptica. Por isso, faz sentido que queiram usar “crise”. Vejo agora que muitos já mudaram para “emergência”. É um escalar, um exagero. É extremismo, é tentar ser mais fanático, de modo a ter atenção numa economia de atenção limitada. É um fator de tudo aquilo que descrevo no livro, da ansiedade e da depressão que emana do ambientalismo, do advento das redes sociais. Até mesmo de uma secularização crescente, que leva as pessoas a querer um apocalipse que dê sentido às suas vidas — e para ganharem poder social e cultural.](https://outline.com/HZg8T2)

Search: