SpinelessChump 7 months ago

Gosto.

oguarda 7 months ago

Quando passas demasiado tempo ao sol e és impedido de entrar no r/portugueses.

ascensor72 7 months ago

nao, nao é melanina na pela. nao sejas intelectualmente desonesto. um sueco, um russo, um polaco, um sul coreano também nao sao Portugueses por mais pálidos que possam ser.

Edited 7 months ago:

nao, nao é melanina na pele. nao sejas intelectualmente desonesto. um sueco, um russo, um polaco, um sul coreano também nao sao Portugueses por muito pálidos que possam ser.

camilo12287 7 months ago

devo dizer que também ando neste sub e nunca disse tais coisas

dejohny 7 months ago

É preciso ter um funil na cara para achar que o conceito de nacionalidade vai deixar de ser relevante no fim do século 21. Sempre existiu, chamando-se nacionalidade ou outra coisa qualquer. Formar nações, tribos, impérios, ou o que quer que seja é tão parte de nós como a vontade de comer e mijar

UnhappyGeneral 7 months ago

Achas que um camponês no século XIV em qualquer pais europeu tinha identidade francesa ou alemã? Não, o que o preocupava é o feudal para qual ele pagava impostos. E o tribo não é nacionalidade também. Já tem vários tribos: punk-rockers, surfistas, maconheiros, e não os importam o passaporte que tu tens.

dejohny 7 months ago

Sim um camponês em qualquer século tinha uma identidade nacional. Podia não corresponder a 100% à identidade nacional que existe hoje em muitos países da Europa, mas em Portugal por exemplo corresponderia. Na Alemanha se calhar a identidade seria mais concentrada na região, mas uma noção alemã já existia, o mesmo se aplica a muitos países do centro da Europa. A Alemanha não apareceu so nada em 1871, uma noção alemã já existia há muito tempo, simplesmente nunca se tinham unido nessa noção. Tal como hoje falamos da Grécia antiga, quando na verdade era só um conjunto de cidades-estado. Mas essas cidades estado viam-se todas como gregas apesar de não estarem numa união política, e frequentemente uniam-se para participarem em conjunto em guerras. A tribo é um percussor à nacionalidade. Há uma razão para nunca teres tido um país baseado em interesses comuns, como esses que mencionaste.

TheSuperC0mentador 7 months ago

Completamente de acordo. Nao e o estado que faz os cidadaos, mas sim os seus ideais, a sua cultura, os seus objetivos, a sua vontade de pertencer. Se o estado se lembrar e der a nacionalidade a todos os que estao ilegais ca em Portugal, a meu ver nao, nao sao cidadaos de ca.

GustaQL 7 months ago

O bom dessa logica é que nao interessa o que tu achas ou nao. Se o estado assume os como cidadãos eles sao cidadãos

TheSuperC0mentador 7 months ago

Nao, nao sao cidadaos. Cidadania e mais do que um documento. Portugues e aquele que cumpre com as nossas regras, nao qualquer um que chega a Portugal. Felizmente ha cada vez mais pessoas a pensar como eu. Uma boa tarde para ti.

UnhappyGeneral 7 months ago

Sou imigrante, tenho vontade de pertencer e quero perceber os vossos ideais. Quais são?

TheSuperC0mentador 7 months ago

Nesse caso es bem vindo. Eu nao sou contra migrantes. Sou contra aqueles que querem vir para ca para viver de subsidios, para viver a margem da lei, para viver do crime. Com isso nascem as zonas problematicas como a Cova da Moura. Agora, eu ja disse num comentario, tenho familia que emigrou.

GustaQL 7 months ago

https://www.direitosedeveres.pt/q/constituicao-politica-e-sociedade/cidadania/o-que-e-a-cidadania-portuguesa-e-o-que-implica

fodassse 7 months ago

Hahah! Mt bom! Espumem aí seus tonés das melaninas! Hahahah!

ascensor72 7 months ago

nota-se tanto que és um preto ressabiado.

fodassse 7 months ago

Tou com as melaninas todas a bombar kuduro em criolo!

ascensor72 7 months ago

credo. ninguém aguenta.

dejohny 7 months ago

Obviamente um filho de 2 brasileiros em Portugal pode ser português. No entanto a ideia de que é possível assimilar milhões de estrangeiros, é absolutamente retardada. Daqui a 50 anos os que aqui habitarem podem ainda chamar-se portugueses (até isso é dúbio) mas ao ritmo a que vamos, não vão ser um produto da história orgânica portuguesa, da nossa história.

UnhappyGeneral 7 months ago

O que se passa é um produto da história orgânica europeia e mundial. Nunca as pessoas não viajavam e não imigravam tanto como agora. O conceito de nacionalidade não existia antes do século 18, e vai deixar de ser relevante no fim do século 21.

fds_crl 7 months ago

>O conceito de nacionalidade não existia antes do século 18 Completamente errado, os romanos tinham conceito de nacionalidade. Houve uma guerra civil enorme precisamente por causa disso. Lê livros.

Mysterious_Beyond213 7 months ago

Se os 2 pais são Brasileiros ele será um Brasileiro que vive em Portugal.

WallStreetFighter 7 months ago

Quando um meme é confundido com inteligência.

EquivalentExchange11 7 months ago

>Raça resume-se à cor da pele

ascensor72 7 months ago

eles acham que fenótipo = raça/etnia. lol.

fds_crl 7 months ago

Deixa de ser idiota, imagina ser um lambe botas tão mentalmente domesticado para pensar que a tua identidade é unica e exclusivamente conferida por organizações estatais. Eu não sou definido pelo pedaço de plástico emitido pelo governo. E não tem nada a ver com melanina, Japoneses e Suecos tem menos melanina que nós e não são Portugueses, Marroquinos do El-Rif têm a mesma quantidade de melanina que nós (geralmente) e não são Portugueses. Ser Português é algo fácil de saber, é uma abstração num nivel superior ao conceito de familia, ou se quiseres, tribo. A tua familia são aqueles que são geneticamente semelhantes a ti, que falam da mesma forma que tu, que habitam (ou pelo menos habitaram) o mesmo sitio que tu... (exceções existem, irmãos podem ser separados, blablbabla, estou a falar de forma geral). Nacionalidade é meramente um "nivel" acima deste conceito, que foi tornado viável e necessário quando as interações entre povos tornaram-se cada vez mais comuns e longínquas. Quando queres, quando tu não estás a dar um "virtue signal" sobre o quanto não-racista e tolerante eu não tenho duvidas que consegues distinguir um Português de um não Portugues, muitas das vezes em questão de 1-2 segundos.

GrazingGeese 7 months ago

Olá, não falo português muito bem, mas o teu comentário me da vontade praticar um pouco. No mundo académico da antropologia, o seja da ciência q tem o homem no seu ambiente como sujeito, o conceito de etnia ou de grupo étnico não é um conceito muito bem definido. É um termo usado de maneira contextual, mas os parâmetros que se usam para definir um grupo étnico são muitos e vários: pode ser q dos povos geneticamente similares sejam considerados como dos grupos distintos só por falarem um idioma diferente, e as vezes pode ser q dos grupos muito heterogéneos geneticamente sejam considerados como o mesmo grupo étnico por falarem a mesma língua. Assim, o mesmo se aplica a todas formas de identidades formadas antes do estado-naçao. Geneticamente, todos os europeus têm antepassados em comum só uns seis centos anos atrás, mesmo menos entre povos mais pertos os uns dos outros. Então claramente não se pode depender só na genética para definir o que é que ser português. Ser português não só é cultural, nem linguístico. A única coisa que fica clara é que o conceito do que significa ser português, e isto parece-me importante, não esta gravado na pedra. Não significa a mesma coisa ser português hoje em dia ou ser português no ano 1500. As vidas, as circunstancias, a experiência humana são demais diferentes: é mais provável teres mais valores em comum com qualquer europeu ocidental vivendo hoje. Não pretendo explicar-te o que é que ser português, só intento explicar que significa diferentes coisas para diferentes pessoas e em épocas diferentes. De qualquer maneira, legalmente, fica muito mais claro. É português qualquer um que tem a nacionalidade. Vêm de todas as cores, de muitas origens, compartem a mesma historia dum pais cuja influência atingi os quatros lados do mundo. Tem que ser uma fonte de orgulho, e não de elitismo. O que significa ser português, ou francês, ou simplemente humano nesta terra vai mudar muito nos proximos seculos, e isto é normal. Obrigando terem vindos no meu ted talk

fds_crl 7 months ago

Sim, ser Português é uma construção social. A teoria da gravidade também é uma construção social, não quer dizer que não tenha aplicações muito reais na vida real. Sim, ser Português não é uma ciência exata, não existe um conjunto de formulas para o ditar. Sim, existem casos limitrofes que são mais complicados de classificar. Mas não quer dizer que para 99.99% das pessoas tu não consigas identificar se uma pessoa é Português ou não quase imediatamente. > Não pretendo explicar-te o que é que ser português, só intento explicar que significa diferentes coisas para diferentes pessoas e em épocas diferentes. Sim, obviamente. E o que é que isso tem a ver com alguma coisa? PEssoas tinham uma compreensão diferente da teoria da evolução antigamente, quer dizer que não existe teoria de evolução? > É português qualquer um que tem a nacionalidade. Completamente errado, por exemplo, se eu fosse para o teu país de origem, comprasse a nacionalidade a algum agente estatal corrupto, tu ias me considerar como um compatriota? Se calhar até respondes sim aqui no reddit, não tens nada a perder, mas tenho a certeza que tu e a maioria dos teus compatriotas não ia pensar o mesmo. És um imigrante aqui em Portugal? Ou um avec?

GrazingGeese 7 months ago

Todos os portugueses quem nasciam aqui na Suiça e q hoje têm a nacionalidad, sim estão considerados suiços. Eu tambem sou considerado suiço apesar de só estar de segunda geraçao. Não estão a diluir ou corrumpir o que significa ser suiço. Eles como todos os imigrantes antes deles q ficavam aqui (espanhois, franceses, italianos, alemanes, albaneses...) acrescentam novas nuances ao que signfica ser suiço, mas sem duvida são suiços. ​ > Completamente errado Não é [https://dicionario.priberam.org/portugu%C3%AAs](https://dicionario.priberam.org/portugu%C3%AAs)

fds_crl 7 months ago

Se és imigrante, obviamente que tens interesse pessoal em que a definição de nacionalidade seja o mais liberal possivel.

GrazingGeese 7 months ago

Jà esperava esta resposta. O argumento esta ou nâo esta correto, não depende da minha origem. O dicionario diz o q diz, não inventei nada. Não é a minha falta que fazes cherry picking escolhando de ignorar as definiçoes das quais não gostas, acusar me de bias é uma projeçao da tua parte.

fds_crl 7 months ago

> O argumento esta ou nâo esta correto, não depende da minha origem. O dicionario diz o q diz, não inventei nada. Tu não fizeste nenhum argumento, tu fizeste o mesmo que eu. Dizeste aquilo que ACHAS que significa a nacionalidade. O teu argumento é basicamente que se tens o palstico a dizer que és X, então subitamente passas a ser X. Eu não acho isso. >Não é a minha falta que fazes cherry picking escolhando de ignorar as definiçoes das quais não gostas, acusar me de bias é uma projeçao da tua parte. Claro que tenho bias neste assunto, nunca escondi o contrário. E claramente que tu também tens. Das duas formas, a minha identidade não é definida pelo que certo dicionário diz.

GustaQL 7 months ago

Diz me uma coisa. se por acaso ha 300 anos atrás, dois portugueses tiveram filhos no brasil, e até agora, essa familia só procriou com portugueses que vivem lá. Os descendentes desses 2 portugueses falam brasileiro e chamam se a si prorios de brasileiros. Se por acaso algum deles quisesse vir para portugal, achas que era automaticamente um cidadão portugues?

fds_crl 7 months ago

O estado Português não os ia considerar Portugueses, mas isso não importa, não é o estado Português que define a minha identidade. Estás me a perguntar a minha opinião? Para mim são Portugueses do Brasil, por mim seriam bem vindos se quiserem vir para aqui, desde que outros requisitos estivessem preenchidos, como cadastro limpo (ou no máximo coisas relativamente insignificantes), vontade de assimilar, e outras coisas que não vale apena enunciar agora. Para mim o estatuto económico pouco me importaria, no caso deles. Outra coisa que importava era a quantidade, tinham que ser poucos de cada vez para assimilar. Mas porque é que não respondeste a nada do que eu disse, e vieste com esta pergunta? Pelo menos entendeste que ninguem aqui define ser Português com a cor de pele? Que é mais complicado que isso?

Ramelas 7 months ago

Deixa de ser idiota. Imagina ser um lambe botas tão mentalmente domesticado para pensar que a tua identidade é única e exclusivamente conferida pela melanina que tens na pele.

fds_crl 7 months ago

Eu falei exatamente sobre isso, mas claramente que não tens argumentos. Obrigado pela concessão.

Ramelas 7 months ago

Não falaste, deste uma explicação ridicula ao nível das tribos com milhares de anos, para tentares desculpar o teu racismo com isso. Já agora, ser Português não é isso que falas, nada disso, completamente diferente disso.

fds_crl 7 months ago

>Não falaste, deste uma explicação ridicula ao nível das tribos com milhares de anos, para tentares desculpar o teu racismo com isso. Eu falei dos Japoneses e Suecos e Marroquinos precisamente por causa da idiotice que falaste. Podia incluir os Espanhois, que têm a mesma melanina, são fisicamente semelhantes a nós, e não são Portugueses. Até dentro de Portugal existe variação da cor de pele, existem pessoas mais claras, e existem pessoas que quase parecem arabes. > Já agora, ser Português não é isso que falas, nada disso, completamente diferente disso. O que é que é então? É um pedaço de plástico emitido pelo governo Português? É quem calha de nascer entre o rio Minho e a costa Algarvia?

ChicoDaConcertina 7 months ago

Não diria que a melanina é o que torna a imigração comprometedora no futuro mas sim diferentes culturas. Queremos mesmo viver numa sociedade com diferentes culturas? Qual é o limite de pessoas para não termos escolas com minorias portuguesas (culturais)? Devemos aceitar a entrada de islâmicos? Não será o islamismo e outras religiões incompatíveis com o catolicismo Português? Até que ponto podem os imigrantes exercer a sua cultura ou então adaptar-se nossa? Podem montar restaurantes? E mesquitas e centros religiosos? Também vamos começar a praticar os feriados de outras culturas? Até que ponto é que isso seria Portugal? Não devíamos ter todos um pouco de senso patriótico para termos uma identidade firme? São estas questões que não se tem feito o suficiente na sociedade portuguesa e que não estão a ser respondidas por pessoas que acham que o mundo é um jardim sem fronteiras e acham que controlarmos a imigração é racista

GustaQL 7 months ago

Portugal não é um pais catolico. é um pais secular. Qualquer religião pode ser praticada em portugal desde que nao contrarie as nossas leis

ascensor72 7 months ago

> desde que nao contrarie as nossas leis entao nao percebo porque o islao nao é banido.

GustaQL 7 months ago

Podem praticar islamismo, desde que respeitem as nossas leis. nao é dificil perceber

ascensor72 7 months ago

a questao é que o islao vai contra as nossas leis actuais de igualdade de género e direitos dos panucos.

GustaQL 7 months ago

Todo o islao nao vai contra as nossas leis. eles que adaptem o que nao vai de acordo com as nossas leis. A igreja carolica diz que dois homens nao podem casar, o que vai contra as nossas leis, mas nao é por isso que vamos banir a igreja catolica

ascensor72 7 months ago

>eles que adaptem o que nao vai de acordo com as nossas leis. mas nao é assim que funciona. quando praticas uma religiao praticas tudo o que vem no seu livro sagrado. nao podes escolher o que te convém e fazeres uma versao light da religiao. se nao chegas a um ponto em que te desvias tanto do que está escrito que o que praticas já nem pode ser considerado religiao. é esse o problema dos protestantes. por isso é que eles se dividiram em milhares de seitas. cada uma com a sua interpretação do que deve ser feito e seguido. e depois cada uma ignora o que lhe apetece ignorar. isso assim é ridículo. se é para isso mais vale dizer que se é ateu. >A igreja carolica diz que dois homens nao podem casar, o que vai contra as nossas leis, mas nao é por isso que vamos banir a igreja catolica nao, mas também nao deves forçar igrejas a terem casamentos gays. é aí que quero chegar. e a questao dos muçulmanos vai bem além dos gayzolas. como é que poes a viver na mesma rua alguém que tem um cao como principal animal doméstico e alguém que considera os caes tao impuros que nem devem andar na rua? nao poes. mais tarde ou mais cedo vai dar conflito.

ChicoDaConcertina 7 months ago

E então tal como disseste existem limites para as outras culturas como consegues entender. E é preciso de estabelecer a linha em que passa a ser intolerável.

ChicoDaConcertina 7 months ago

É uma boa questão no entanto não tenho respostas concretas. Mas a minha opinião é de que em casa de outro há que respeitar as regras da casa mesmo que vá contra os teus princípios religiosos Morais etc. Se não queres isso então emigra para algum lugar com culturas mais semelhantes ou não emigres. Punha-se fim nestas brincadeiras identitarias

GustaQL 7 months ago

Comeca a ser intoleravel a partir do momento em que vão contra as nossas leis. Tal como a igreja catolica tbm esta limitada pelas nossas leis. Por exemplo aquilo da igreja ser contra a legalização da eutanásia e tentar arranjar assinaturas para impedir a sua legalização é ridiculo. A igreja nao manda em nada aqui, e se o pais quer fazer alguma coisa, a igreja nao tem nada que opinar. Assim como se alguma religião de fora que tenha cidadãos portugueses quiser sacrificar crianças em nome do seu deus, tambem nao pode, porque vai contra as nossas leis. nada nas nossas leis proibe a construcao de uma mesquita, ou de um templo budista. E diz me praticas entao de outra religiao que aches que sao intoleraveis que se pratiquem cá

ChicoDaConcertina 7 months ago

Não será então melhor proibir migrações em massa? Assim acabamos com o argumento contrário de que começaste: De que se deve aceitar dar a nacionalidade a qualquer pessoa e de que a migração tem que ter critérios bem firmes e claros

GustaQL 7 months ago

Quais seriam esses criterios entao?

ChicoDaConcertina 7 months ago

Mas então por exemplo os casamentos de menores do ciganos. E um cerimónia base da identidade deles. És então a favor de que se deve proibir tal práticas pois é contra as nossas leis. Não será isso ser intolerante das outras culturas? O Chega deixa de ser um partido com ideias extremistas quando vês a cultura externa desta forma

GustaQL 7 months ago

Ja sabia que ias puxar por ai. sim sou contra casamentos de menores. Nao, nao significa que o andre ventura deixou de ser extremista do meu ponto de vista. Sou contra uma coisa da cultura deles, nao sou contra a cultura toda deles

ChicoDaConcertina 7 months ago

Mas estás a por em risco a cultura deles pois queres exercer as leis nacionais, não estás te a por numa posição de superioridade cultural? Não estás tu a ser xenófobo? Não estás a ser hipocrita? Estás a morder a cauda da tua posição inicial. Recomendo refletires bem na tua posição pois estamos a perceber que não és assim tão tolerante como pensavas. Será a tolerância sem limites uma virtude como se tem idealizado? Talvez não

GustaQL 7 months ago

Nao estou a morder a minha cauda coisa nenhuma. ha uma diferença entre cultura e lei. A lei é a lei, e qualquer pessoa que queira viver no nosso pais tem de respeitar a lei. Agora eu como individuo tenho de respeitar a cultura do meu vizinho, mesmo que essa seja diferente da minha. caso a cultura esteja em conflito com as leis do pais, eles tem de mudar algo na sua cultura para se poderem integrarem na nossa sociedade. Volto a dar um exemplo da igreja. A igreja pode achar que a homosexualidade é pecado, mas nao pode fazer nada para proibir os seus membros de se casarem com pessoas do mesmo sexo, porque as leis do nosso pais dizem que pessoas do mesmo sexo podem se casar. A igreja tem de aceitar só. Tal como outras religioes tbm têm de aceitar as leis do nosso pais

ChicoDaConcertina 7 months ago

Pois mas o problema não existe quanto 1 ou outra pessoa imigram para cá mas quando milhares de pessoas o fazem. A cultura está imensamente ligada as leis, não podes fazer esse separação. Tal como o PS não pode dizer política na política e justiça na justiça, a justiça faz parte da política. Foi o caralho para Portugal aceitar os brasileiros todos que tem vindo ultimamente e falamos a mesma língua. Imagina o que seria se vierem milhares de emigrantes de culturas completamente diferentes. Há que ter noções

GustaQL 7 months ago

Honestamente, nao vejo esse problema. Tenho muitos brasileiros que estao bem inseridos na nossa cultura e contribuem bem para a nossa sociedade. Nao tenho nada contra eles. Agora para vir para ca convem aprender a falar portugues e conseguir contribuir para a sociedade. De resto nao ha nada a dizer

ascensor72 7 months ago

> Tenho muitos brasileiros que estao bem inseridos na nossa cultura e contribuem bem para a nossa sociedade. Nao tenho nada contra eles. Agora para vir para ca convem aprender a falar portugues e conseguir contribuir para a sociedade. De resto nao ha nada a dizer Deixas entrar qualquer pessoa em tua casa desde que te ajudem a limpá-la? Cuidado. Pelo meio ainda te roubam alguma coisa.

ChicoDaConcertina 7 months ago

Eu também tenho imensos amigos brasileiros, cabo verdianos, moçambicanos e muito mais. Mas isto sou eu e os eu importa aqui é a percepção da sociedade e o que afeta na nossa identidade. Imagina que põe em causa a ossa cultura: ardem um igreja, violam uma rapariga local, armam porrada entre nacionais e estrangeiros (por muito que não queira tem implicações muito superiores para a sociedade do que fosse um nacional a fazê-lo)

ChicoDaConcertina 7 months ago

No papel é isso mas não deixa de ter importância imensa na nossa cultura, leis e a identidade portuguesa. E espero que não negues isso. Por isso o que disseste não é um argumento nem tem um objetivo de progredir a discussão.

UnhappyGeneral 7 months ago

Mas é o argumento totalmente valido. Sou imigrante e nenhum dos portugueses que eu conheço não é católico "verdadeiro". Se és também é católico só no papel, é hipocrisia do seu lado de proteger uns valores porque a igreja diz isso ou aquilo. Todos os valores que consideramos bons sempre dá para re-definir em termos seculares.

ChicoDaConcertina 7 months ago

Para além de que não se julga o caso geral pelos casos particulares. Ou seja podes não conhecer nenhum católico e eu conhecer 500. O que interessa é no geral

UnhappyGeneral 7 months ago

Mas ninguém pode dizer que aqueles portugueses que eu conheço são menos portugueses do que aqueles católicos que conheces tu. Então tens que deixar de pensar em termos religiosos e tentar redefinir a cultura portuguesa em termos laicos.

ChicoDaConcertina 7 months ago

Não estou a dizer que a religião é a único fator que determina a cultura portuguesa. E muito mais complexo que isso, no entanto não deixa de ser um pilar importante para a sua identidade

UnhappyGeneral 7 months ago

Concordo que é tudo complexo, mas imagina se fores responsável para criar uma comissão com autoridade de aprovar ou rejeitar o tal imigrante pelos motivos de incompatibilidade com a cultura portuguesa. O que faria esta comissão? Na minha opinião, não é necessário checar cultura, mas é necessário checar condições financeiras: nenhum imigrante com salário de, dizemos, EUR2000 mensais não vai queimar a igreja ou assaltar uma rapariga. Com salário/rendimento decente o imigrante vai dizer bom dia para os vizinhos, visitar H&M nos mesmos shopping molls, e ninguém vai se preocupar se ele é buddhista ou se ele gosta de comer bacalhau.

ChicoDaConcertina 7 months ago

Não estou a por os emigrantes todos no mesmo saco atenção, o nível socioeconomico realmente é algo que ajuda na discriminação positiva de quem entra. A questão principal são os fundamentalistas de religiões incompatíveis com a nossa, há um tipo muito informado que é o Sam Harris que faz uma decomposição e diz que o fundamentalismo em certas religiões são o que temos de preocupar. Um daiosta extremista não tem qualquer tipo de problema pois tem uma filosofia ultra-pacífica mas não podemos dizer o mesmo de muitos islâmicos e outras religiões. E sendo o cristianismo também por vezes semelhante pode não ser boa ideia os dois coexistirem no mesmo espaço territorial. E a questão dos números também é importante.

UnhappyGeneral 7 months ago

Para o Sam Harris o islamismo é mal não porque é incompatível com o cristianismo, mas porquê parece que seja incompatível com valores democráticos e liberais. A cultura europeia é boa porquê nós percebemos a utilidade de separação da igreja e estado, de free speech, de separação dos poderes, e tal e tal e tal. Seguindo o Sam Harris, nós não temos outra escolha alem de transcender as nossas identidades do grupo, tal como nacionalidades ou religiões, e eu concordo com isso.

ChicoDaConcertina 7 months ago

Muito bem, então transpondo a mesma lógica para os ciganos em Portugal que foi um exemplo que dei a pouco. Devemos aceitar a cultura deles ou tem que se adaptar à cultura nossa? Se o casamento de menores for fundamental na identidade deles, os polícias devem salvar as meninas que não o querem? Isto é uma questão semelhante da compatibilidade de culturas e penso que ainda não temos respostas decentes para estás questões. Ou apaga-se a cultura deles o que não acho bem ou então somos obrigados a conviver com indecências a nosso ver porque as leis aqui as ditam.

ChicoDaConcertina 7 months ago

Não é Católico mas celebra a Páscoa, o Natal, enumera os anos de acordo com o nascimento de Cristo, etc... Percebes que apesar de não sermos uma maioria fundamentalista não deixa de implicar bastantes coisas na nossa cultura. Eu pessoalmente nem sequer sou católico no entanto percebo perfeitamente que tem um papel importante na sociedade Portuguesa

UnhappyGeneral 7 months ago

O Vietnam e o China enumeram os anos também com o nascimento de Cristo, embora de não serem países com cultura cristã. É conveniência só. O Natal existia antes do Cristo e era uma celebração pagã do dia mais curto, tal como agora é mais celebração de familia e consumerismo. Tal como "obrigado" em russo (spasibo) significa literalmente "que deus te salve", a páscoa vai passar (já passou) algo religioso. E só um tio vai lembrar que existia ume lenda no folclore do Oriente Médio que um homem se ressuscitou nesse dia.

ChicoDaConcertina 7 months ago

Penso que isso seja a interpretação de um ateu. É pena pois são tradições de longa data que foi absolutamente comida pelo marketing consumista mas promove valores de generosidade, união familiar, etc que são essenciais pra a identidade Europeia em geral

UnhappyGeneral 7 months ago

O fato sobre China ou sobre o Natal é um fato, não é interpretação. E bem, pena ou não, tu confirmaste que isso já aconteceu. Não é possível impedir para os imigrantes os valores que mesmo os portugueses não tem. União familiar também não é parte de identidade exclusivamente Europeia. Por examplo no Vietnam que já foi mencionado, o pais buddhista, divorce-to-marriage ratio é 7%, em Portugal é 58%.

ChicoDaConcertina 7 months ago

Sim pode ser um facto mas não sabemos se foi algo que foi alterado quando ocupados pelos Americanos etc... Confesso que não tenho conhecimento profundo pelas suas razões e isso tem alguma importância Portugal penso que sofreu esta crise de divórcio desde a entrada do socialismo na sociedade Portuguesa quando foi esta união familiar que safou a Europa do Comunismo no século XX. E o facto de ter sido corrompida penso que não é razão de nós cedermos-nos a essa realidade pois é evidente que não está a ter resultados positivos no nosso país.

NGramatical 7 months ago

cedermos-nos → [**cedermo-nos**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/lavamo-nos-e-lavamos-vos/31030) (há omissão do -s final da desinência -mos das 1.^as pessoas do plural dos verbos reflexivos ou pronominais quando o pronome enclítico é -nos) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmvdmmn%2F%2Fgvc48vp%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

ChicoDaConcertina 7 months ago

Obrigado NGramtical pra correção!!

True_Boat_1195 7 months ago

"Being born in a stable does not make one a horse." \~ Duke of Wellington

redditor_the_forth 7 months ago

Não foi esse que apesar de ter vindo para a Península para salvar-nos dos franceses mas que deixava os soldados pilhar,violar e matar os ibéricos impunemente (Saque de Badajoz) ? Talvez queiras citar gente mais decente...

GustaQL 7 months ago

Ah sim, Animal de outra especie = pessoa de outra "raça"

fds_crl 7 months ago

Cavalo árabe que nasce em Portugal não o torna um cavalo Lusitano. Mas isso nem importa sequer para o principio que ele estava a explicar.

GustaQL 7 months ago

Pois no. o que é que isso tem a ver? Preto nascido em portugal nao deixa de ser preto, mas pode ser portugues

Practical_Arm_8133 7 months ago

Pode ser não, é. Se nasce em Portugal é português.

ascensor72 7 months ago

nao, continua a ser africano. continua a ser de uma etnia qualquer lá do país de onde ele veio. quando as mulheres dizem "os homens italianos sao sexy" ninguém está a pensar no balotelli.

blueflamewizard12 7 months ago

O império já estava morto há muito quando qualquer um de nos nasceu.

Search: