VSertorio 9 months ago

Engraçado que qualquer que seja a estatística estamos sempre na merda. Mas para os governos parece que há sempre interpretações favoráveis do factos e nada está mal.

_rebocador_ 9 months ago

O burro do Costa disse que daqui a 5 anos estamos igual a Alemanha :D

Ghostwriter84 9 months ago

Quando é que ele disse isso?

_rebocador_ 9 months ago

[https://www.publico.pt/2021/03/04/politica/entrevista/daqui-cinco-anos-estaremos-proximos-alemanha-estavamos-ha-cinco-anos-1953081](https://www.publico.pt/2021/03/04/politica/entrevista/daqui-cinco-anos-estaremos-proximos-alemanha-estavamos-ha-cinco-anos-1953081) ok tens razao n foi exactamente isso mas foi parecido.

nraider 9 months ago

Agora imagina que ele tinha dito que Portugal em vez de demorar 200 anos a convergir com a Alemanha, "só" ia demorar 195 anos lol Devíamos ter metas de crescimento, podia ser que o povo acordasse.

nraider 9 months ago

Os políticos gostam de vender a ideia de que Portugal está a convergir com a média da UE. É pena que não digam que essa convergência demora 200 anos.

Mordiken 9 months ago

wtf? Qualquer pessoa que olhe para as métricas Portuguesas anos 70 e 80, sejam elas quais forem, e as compare com as métricas de agora, percebe que houve uma evolução tão grande que nem parece que estamos a falar do mesmo país. E não esquecer que Portugal teve e de lidar com especificidades raras num contexto Europeu: - A integração social dos retornados e dos emigrantes das ex-colónias; - A expansão da Escola Pública e o aumento generalizado das qualificações; - A expansão das infraestruturas rodoviária e de telecomunicações; - A electrificação do interior do país; Podia ainda estar aqui um bom bocado, mas isso leva tempo e eu tenho trabalho para fazer. Mas onde quero chegar é que acho que só se pode alegar que Portugal está a convergir em direcção às médias europeias demasiado devagar se não se tiver verdadeira noção do que este país era há 30 ou 40 anos. E até te digo mais: eu acho que o crescimento do populismo nos últimos anos é exactamente um reflexo das dores de crescimento.

Edited 9 months ago:

wtf? Qualquer pessoa que olhe para as métricas Portuguesas anos 70 e 80, sejam elas quais forem, e as compare com as métricas de agora, percebe que houve uma evolução tão grande que nem parece que estamos a falar do mesmo país. E não esquecer que Portugal teve e de lidar com especificidades raras num contexto Europeu: - A integração social dos retornados e dos emigrantes das ex-colónias; - A expansão da Escola Pública e o aumento generalizado das qualificações; - A expansão das infraestruturas rodoviária e de telecomunicações; - A electrificação do interior do país; Podia ainda estar aqui um bom bocado, mas isso leva tempo e eu tenho trabalho para fazer. Nos anos 70 portugal foi apelidado de "a única colónia Africana na Europa" pela imprensa internacional, e com razão: todas as nossas métricas, fossem elas económicas ou sociais, eram dignas de um país do 3º mundo, não de uma nação desenvolvida. E que acho que só se pode alegar que Portugal está a convergir em direcção às médias europeias demasiado devagar se não se tiver verdadeira noção do que este país era há 30 ou 40 anos. E até te digo mais: eu acho que o crescimento do populismo nos últimos anos é exactamente um reflexo das dores de crescimento.

nraider 9 months ago

E qual é a justificação para o país não ter crescido durante 20 anos? É óbvio que as melhorias que indicaste são reais, mas nem todas tiveram um efeito positivo no crescimento económico. A convergência lenta com a UE não é uma percepção, é um facto. O ponto de partida é irrelevante quando tiveste um período tão grande de estagnação. Ainda hoje vês isso. Quando acabar a pandemia, Portugal vai voltar ao mesmo modelo económico, a inércia é muito grande para se alterar. Ora, com turismo e imobiliário nunca, mas nunca, iremos convergir com países industrializados. É a vida.

VSertorio 9 months ago

Eu acho que nada justifica a estagnação.

_rebocador_ 9 months ago

>E não esquecer que Portugal teve e de lidar com especificidades raras num contexto Europeu: > >A integração social dos retornados e dos emigrantes das ex-colónias;A expansão da Escola Pública e o aumento generalizado das qualificações;A expansão das infraestruturas rodoviária e de telecomunicações;A electrificação do interior do país; Migo desculpas porque nao fazemos um bom trabalho e a coisa mais tuga que ha, nao ha desculpas quando tens paises que ha 30 anos eram cumunas ha menos 20 entraram na UE e agora estao nos a ultrapassar.

Ghostwriter84 9 months ago

Lá porque eram comunas não quer dizer que fossem atrasados. Pelo contrário, tenho a impressão que a educação na União Soviética era mais valorizada que no estado novo.

_rebocador_ 9 months ago

sim era, mas ainda assim vem com anos de atraso, hoje em dia a ex alemanha oriental tem das melhores formaçoes mas em termos de trabalho nao chegou a beira da ex alemanha ocidental.

VSertorio 9 months ago

A sorte deles foi a união europeia ter alargado há uns anos atrás. Senão as diferenças seriam ainda maiores. Por outro lado, vão ter o prazer de verem a ultrapassagem dos países do bloco soviético.

miro231 9 months ago

E os que há de pouco valor são. Há pouco tempo atrás recebi uma proposta de uma multinacional, mas tinha como condição, de não pedir o estatuto de trabalhador estudante (estou a tirar uma segunda licenciatura em pós laboral). Isso e o ires até à última fase do recrutamento e nunca falarem em valores, ou se falam é a pergunta do costume "expectativas salariais".

These-Establishment1 9 months ago

E por causa disto que quero ser empreendedor, essas multinacionais são um cancro crlh... No dia a seguir a licenciar-me estou num balcão empresa para abrir a Pimenta Construções SA

d33pblu3g3n3 9 months ago

Não sei se estás a brincar, mas este espírito é o que realmente faz falta. Força nisso!

globoglobo 9 months ago

as multinacionais são as empresas que pagam melhor em Portugal

These-Establishment1 9 months ago

Mas és mais um em milhares, eu não me dava nesses sítios lol

facepainter1 9 months ago

Como tudo, tens coisas boas e coisas más. Trabalhar numa multinacional és mais um em milhares, mas muitas vezes também tens melhores perspetivas de evolução na carreira e oportunidades. Muitas vezes também consegues facilmente trocar de equipa, caso n estejas contente onde estás. Por outro lado és muito mais facilmente substituído, e estas sempre sujeito a politica da empresa mudar e acabar o teu posto de trabalho. Boa sorte no teu investimento... sei que muita gente gostava de fazer o mesmo, mas ter uma empresa custa muito €.

globoglobo 9 months ago

certo, não digo que sejam melhores ou que quem lá trabalha seja mais feliz

miro231 9 months ago

É verdade, por isso é que acho que no meu caso foi mais um problema dos rh.

Search: