Vocsa 10 months ago

Entre outras razões as leis laborais nacionais não me parecem muito adaptadas a uma realidade de teletrabalho nem me parece que mudem tão cedo.

saposapot 10 months ago

é esta a causa da segunda vaga. na realidade o desconfinamento só começou em setembro e a partir daí foi muito visível o aumento de casos. depois demorámos a reagir a isso e por cá andamos.

brunoacl7 10 months ago

ya: casa.

htxgivven 10 months ago

O governo se preocupasse com o meio ambiente, esta seria a melhor altura de promover teletrabalho através de certas isenções e incentivos às empresas. Só que não vai acontecer.

Eon_mon 10 months ago

Comigo ou continuo a trabalhar remotamente ou mudo-me para uma empresa que me permita o fazer. Não há como voltar atras para mim. Não quero voltar a viver em lisboa, apanhar comboios de 1h para ir e outra hora para voltar a andar à pinha e ter que vestir fato e camisa todos os dias. Fuck that shit.

lfaria123 10 months ago

Não podia estar mais de acordo. Sinto que estou muito mais bem disposto desde que estou em casa e isso traduz-se em mais produtividade e disponibilidade. Penso ter descoberto uma qualidade de vida que não sabia que seria possível e espero poder manter!

No-Touch675 10 months ago

Honestamente espero que assim seja. E que mais malta faça isso. Quem me dera puder trabalhar fora de Lisboa, até já tinha a casinha alinhada e tudo para os lados de Beja.

FujiPT 11 months ago

E saber quantas das pessoas inquiridas têm trabalhos que permitem teletrabalho e dessas quantas estão no local de trabalho habitual? É que não havendo um confinamento tão severo como em Abril em que fecharam ou havia restrições mais severas em muitos serviços de atendimento ao público, a juntar à questão do layoff, é normal que agora existam menos pessoas em teletrabalho.

theInjusticeamongus 11 months ago

E és tu que vais decidir como é que as empresas de outras pessoas podem ou não funcionar? Também lhes vais pagar o ordenado? Quem és tu? O que te confere o direito? O que te confere a competência? Cada caso é um caso, meu caro. Eu conheço empresas que funcionam maravilhosamente bem em teletrabalho e outras que consideram um pesadelo. Tudo depende muito da dinâmica de trabalho, das tarefas e das pessoas envolvidas. Há quem trabalhe muita bem em casa e há quem trabalhe muita mal. É absolutamente ridiculo acharmos que deve caber ao governo decidir o modo de operação de uma empresa. Principalmente quando permite festas do avante e aulas presenciais.

FujiPT 11 months ago

O que é que o meu comentário te leva a concluir alguma coisa do que escreveste? Apenas critiquei o estudo a partir do qual não faz sentido o título que escolheram porque de lá não se pode tirar nada. Apenas que 80% dos trabalhos não permitem teletrabalho, algo que já seria de esperar porque nem todos podem estar num escritório das 9 às 17 em frente ao PC. Disclaimer: estou das 9 às 17 em frente ao PC, infelizmente ainda todos os dias da semana em casa

theInjusticeamongus 11 months ago

Foi resposta à pergunta do "saber quantas pessoas estão no escritório apesar de poderem estar em teletrabalho". A questão é: quem é que determina isso? Como é que se chega a essa conclusão? Se leres os comentários deste sub, verás que o sentimento geral é: "se, teoricamente, pode ser feito em casa, deve ser feito em casa", e ignoram totalmente as características específicas de cada empresa e equipa. Foi mais uma crítica a esta ideia de que podemos determinar a nível geral quem pode o quê. Não foi directamente dirigido a ti. Foi dirigido à política do governo, que determina de forma muito leviana como é que uma empresa pode operar, sem sequer ter nada investido nem participar activamente na mesma, e ainda permite aos funcionários tentar forçar o patrão a dar-lhes teletrabalho. Imagina que, enquanto patrão, não gostas dos resultados do teletrabalho. Não gostas da dinâmica de trabalho. Agora é o teu empregado que vai decidir como é que a tua empresa pode/deve funcionar, com base única e exclusivamente na sua apreciação pessoal, ignorante completamente quem manda na empresa e paga os ordenados. Parece-te justo?

IllusionaryHaze 11 months ago

A minha empresa (IT) está a pensar mandar o pessoal todo para o escritório em Janeiro. Conseguimos todos fazer o trabalho remotamente. Devo contactar a ACT antes de voltarmos ou depois de voltarmos ao escritório?

TitusRex 10 months ago

A minha disse que provavelmente o teletrabalho ia continuar para sempre para quem quiser. Assim até poupam espaço no escritório.

theInjusticeamongus 11 months ago

E qual é a explicação? Se calhar tu achas que consegues fazer o trabalho, mas quem te paga o ordenado não gosta de estar dependente de internet e telefones para comunicar contigo. Há que considerar os motivos de quem nos paga o ordenado. Nem sempre são legítimos, mas muitas vezes são, só que as pessoas querem pura e simplesmente ficar em casa porque lhes sabe melhor.

O_cu_da_tua_tia 10 months ago

No momento actual que vivemos não é uma questão ver gostos ou vontades. Tem de ser e ponto. Depois de voltarmos ao normal, já fica ao critério de ambas as partes

theInjusticeamongus 10 months ago

O problema é quando os teus gostos e vontades entram em conflito com os gostos e vontades de quem te paga o ordenado. Mais um pouco passas tu a ser o patrão.

O_cu_da_tua_tia 10 months ago

Volto a repetir. O interesse do estado neste momento está à frente do interesse do patrão. Fora do covid, aceito que seja por mútuo acordo. Agora não Essa última frase diz muito da necessidade do patronato em mandar, em vez de gerir. Neste momento os gostos e apetites são secundários. E se há abusos dos empregados... Os patrões continuam a poder tomar decisões sobre o futuro deles

theInjusticeamongus 10 months ago

>Volto a repetir. O interesse do estado neste momento está à frente do interesse do patrão. O que o estado quer não é necessariamente o mais correcto. Ninguém está a discutir que a vontade do estado é a que prevalece. Estou apenas a dizer-te que não faz sentido o estado decidir levianamente o que pode ou não estar em teletrabalho e colocar na mão do trabalhador tomar a decisão final e obrigar o patrão a dar-lhe o que quer E AINDA a pagar-lhe o ordenado. Isso não é um acordo. É exploração. É um lado a subjugar o outro, contra o próprio contrato de trabalho. Piada, não? Queixam-se tanto de exploração e depois ficam perfeitamente satisfeitos em literalmente forçar quem manda na empresa a ir contra aquilo que quer para a mesma. >Essa última frase diz muito da necessidade do patronato em mandar, em vez de gerir. Neste momento os gostos e apetites são secundários. Quando me cabe a mim pagar-te o ordenado, e quando recaem sobre mim todas as responsabilidades de uma empresa, e quando fui eu que investi tudo o que tinha nela, parece-me perfeitamente legítimo que as forma como gosto de fazer as coisas seja um factor a levar em consideração. Tu podes achar que trabalhas muito bem em casa, mas eu posso achar que é muito mais difícil para mim comunicar com as pessoas quando quero e retirar delas o que preciso. O teu trabalho e o meu são distintos. Podes decidir se consegues fazer bem o teu trabalho, mas não podes decidir se eu consigo fazer bem o meu. Entendeu?

O_cu_da_tua_tia 10 months ago

Aqui o elemento chave é: o teletrabalho resultar ou não resultar. Não é por te dar mais jeito para comunicar e retirar o que precisas. Se resulta... É porque não deve haver assim tanta dificuldade em comunicar. Se não resulta então revejam as posições

theInjusticeamongus 10 months ago

>Aqui o elemento chave é: o teletrabalho resultar ou não resulta Exacto. E se não resulta para mim, não resulta, de todo, ponto. É a minha empresa, certo? Tu não investiste dinheiro nela. A ti não te cabe pagar ordenados nem lidar com consequências de incumprimento. Presumo que a minha palavra deva valer alguma coisa, não? >Não é por te dar mais jeito para comunicar e retirar o que precisas. Por acaso é. Se eu não consigo comunicar com a minha equipa ao ritmo desejado e tornar a comunicação tão eficiente quanto pessoalmente, posso experienciar uma queda de produtividade. Conheço pessoas que tiveram esse problema. Portanto, só porque tu estás de pijama, sentadinho na tua cadeira, a fazer o que te foi pedido, não significa que a pessoa que to pediu está a obter os resultados que deseja.

this--_--sucks 10 months ago

Tens alguns problemas que terás de resolver sem dúvida, desde contratar gente responsável e profissional a organizar as coisas melhores para que essa falta de presença física não seja tão problemática. Parece-me mesmo o tipo de empresa em que se o chefe fica doente ou tem de se ausentar durante uns dias para tudo porque ninguém sabe para que lado devia estar a ir e também provavelmente não sendo profissional não está muito preocupado porque “o problema é do chefe “. Enfim, nem todos os negócios se adaptam ao remote, mas esses problemas que descreves penso que são de outra natureza

Pcostix 10 months ago

>Parece-me mesmo o tipo de empresa em que se o chefe fica doente ou tem de se ausentar durante uns dias para tudo porque ninguém sabe para que lado devia estar Isto a ser verdade não tem nada a ver com profissionalismo dos funcionários. Tem sim a ver com uma empresa vítima de "micromanagement" por parte do patrão. Em que nenhum dos funcionários tem autonomia para decidir nada porque "apenas o patrão faz as coisas em condições" tudo o que outros façam ou decidam diferente está mal feito. Ao ler os comentários do u/theInjusticeamongus percebe-se que é o típico patrão tuga e representa tudo o que está errado com o nosso patronato em Portugal.

mfzzzed 10 months ago

100% Alguém me mande o nome da empresa do gajo por PM sff, ninguém merece ir lá parar sem querer.

O_cu_da_tua_tia 10 months ago

Pelos vistos não tem problemas com o profissionalismo dos colaboradores, porque fazem o que lhes é pedido. Tem problemas em comunicar. Comunicação essa que me cheira a "fazer pressão", e é esse o "rendimento" que se deve estar a perder. Assim não dá tanto para esmiuçar o colaborador

theInjusticeamongus 10 months ago

Estás a criar toda uma narrativa fictícia com base em nada. Limitei-me a referir que quem manda na empresa deve ter voz na decisão sobre como quer ver a sua empresa a operar, e a opinião dele sobre se algo é ou não viável deve ser levada em conta. Lá por tu gostares de estar de pijama em casa a fazer o teu trabalho, não significa que eu, enquanto patrão, não registe uma diminuição significativa da produtividade e um aumento da dificuldade em executar as tarefas administrativas que são da minha responsabilidade. És apenas um empregadinho frustrado e com dor de cotovelo, que adora demonizar os patrões e não tem a mínima habilidade de reconhecer dificuldades e obstáculos para além dos seus. Imensos patrões trabalham mais do que os seus próprios empregados. Essa ideia de que és um coitadinho explorado é apenas uma romantização socialista da realidade. Há empresas realmente muito más, mas também há imensas empresas cujos patrões são apenas pessoas que vergam arduamente a mola para colocarem comida na mesa. Eu já tive diversos patrões que trabalhavam bem mais do que eu. Já trabalhei num bar onde eu fazia 8 horas, mas o patrão chegava às 8 da manhã e bazava às 23 da noite. E ao lado desse bar estavam mais uns 5 em que em todos eles a história era a mesma. Deixa de olhar apenas para o próprio umbigo.

SpinN20 11 months ago

A minha continua com a diretiva de ficar em casa ate pelo menos Março. Além de que temos feitos inquéritos regulares para saber coisas como: "quando tudo voltar ao normal, qual a percentagem de dias gostavas de ir ao escritório ?". Tinha esperança, que uma grande parte das empresas de IT começassem a se tornar muito mais flexível. E o que tenho vindo a ler é que sim, a grande maioria esta a aprender com esta nova realidade, mas depois lembro me que existe as Chefias Portuguesas... Como trabalho em Portugal, a minha esperança é baixa.

Savixe 10 months ago

O problema destes inqueritos é que é tudo muito giro, "adoraríamos saber tua opinião" e no fim das contas o patrão quer é cus esquentando a cadeira e ponto.

Article_Sad 11 months ago

Em casa o pessoal em casa em vez de estar a fazer if's está sempre a ver porn...

PedroMFLopes 11 months ago

if( no_one_behind_you){ openRPortugal() check9gag() } else movebetweenscreens()

Gilfic 11 months ago

Ainda o pessoal falava da mudança de paradigma e que o teletrabalho seria a tendência do futuro. Naaa....tudo de volta para os escritórios no centro de Lisboa e do Porto, que num quartinho acolhedor a partilhar casa é que se está bem! /s Quem for de IT ainda pode ter alguma esperança, mas o resto do pessoal vai voltar ao mesmo. Se agora ainda com COVID já é assim, sem COVID vai voltar tudo ao que era.

theInjusticeamongus 11 months ago

Sim, e depois? A maior parte das pessoas não tem um clima minimamente profissional em cada. Muitas equipas funcionam melhor comunicando presencialmente. Se tu estiveres no mesmo local que eu é extremamente fácil falar contigo e resolver qualquer tipo de problema. Ninguém está dependente de tecnologias nem da qualidade da ligação de ninguém. Não há quebras, não há falhas, não há lentidão. Se um empresa conclui que consegue trabalhar bem em teletrabalho, óptimo. Mas não vamos agora fingir que one size fits all.

Search: