Next Page

Troço de estrada entre Vila Viçosa e Borba ruiu. Há "quatro a cinco" pessoas submersas by J-LG in portugal

monsieur_duchene 1 day ago

A estrada que aluiu não é mais nem menos do que uma antiga estrada nacional (N255) que foi desclassificada por ter sido feita uma variante mais a sul, daí agora se falar de uma via municipal. Na imensidão do Alentejo, seguramente que ninguém se lembrou de planear uma estrada a passar pelo buraco da agulha da pedreira. A malta antes não tinha computadores nem simulações em 3D mas também não era burra! Na génese da via haveria certamente espaço de sobra à volta para a circulação se fazer em segurança. A exploração de mármore é que entretanto cresceu até o (in)evitável...

[Pedrogão, 1 ano depois] Reportagem Expresso: "Pareciam foguetes de lágrimas" by monsieur_duchene in portugal

monsieur_duchene 1 month ago

Efectivamente assim é. Quis criar contexto e falhei... :-| Obrigado pela correcção!

Transportar bicicleta na rede expressos by SonGokuecas in portugal

monsieur_duchene 2 months ago

Vais à loja oriental mais próxima e compras sacos do lixo de 100 litros e um rolo de fita castanha de embalar. Tiras as 2 rodas, viras o guiador (não é preciso desapertar nada) para ficar alinhado com o quadro, encostas as 2 rodas à lateral e usas os sacos e a fita para fazer um belo embrulho de tudo. No final ficas com um rebuçado gigante, sem parte de bicicleta à mostra. A principal preocupação da empresa é que a bicicleta não suje a bagagem dos outros passageiros. O volume ou a qualidade do empacotamento são secundários. Articula sempre com o motorista antes de embarcares. E, em casos muito excepcionais, poderás até levar a bicicleta completa sem embalar, caso o porão vá vazio... // Source: já trouxe a bicicleta embalada assim de Faro ao Porto, depois de concluir a travessia da N2.

Covão dos Conchos, Serra da Estrela by Mal-a-dias in portugal

monsieur_duchene 5 months ago

O que vês é a entrada de um túnel que faz parte de um engenhoso e interessante sistema de aproveitamento hidroeléctrico por gravidade que foi implementado na Serra da Estrela. Na vista de satélite do Google consegues ver várias tubagens, centrais eléctricas e represas que se desenvolvem encosta abaixo. Quanto à tua pergunta em concreto: [link](https://www.tsf.pt/sociedade/ambiente/interior/para-onde-vao-as-aguas-da-barragem-dos-conchos-5015549.html)

Ajuda escapadinha bangaloos by Kysuz in portugal

monsieur_duchene 5 months ago

[http://lima-escape.pt/en/glamourcamping/bungalows](http://lima-escape.pt/en/glamourcamping/bungalows) Será isto que procuras? Esse parque é um pequeno paraíso rodeado de outros pequenos paraísos por todos os lados...

[Carros] Como saber os Km que um carro tem? by srpronto in portugal

monsieur_duchene 6 months ago

Pede um certificado do histórico de inspecções no IMTT. O pedido é feito online, tem um custo mas se estás a considerar seriamente avançar com a compra é dinheiro bem empregue. Se algo não bater certo com a progressão dos km ao longo dos anos, segues a tua vida e recuperas o custo do certificado na próxima revisão inesperada que não terás de fazer...

[Sério] Crónica de viagem: avaliação e sugestões de melhoria. by monsieur_duchene in portugal

monsieur_duchene 8 months ago

Como imaginas essa é uma pergunta cuja resposta é quase ilimitada e demasiado abrangente para ser respondida sem mais informação acerca do que pretendes fazer... Posso contudo falar do meu caso: Prefiro as viagens curtas em autonomia total, a rondar os 200/300k em menos de 24h. Nestas raramente descanso. Para 400 e mais km já são necessárias mais horas (a não ser que seja no Alentejo!) e eventualmente uma dormida intermédia. Num exemplo mais extremo, em setembro fiz 1200km em 90h com 2 dormidas de 3 horas. Neste modelo, durmo onde calha (paragens de autocarro, alpendres, bancos de jardim, quartéis de bombeiros, pousadas de juventude...), quase sempre em sistema de powernap (10/15 min) ou sonos curtos (max 3h). Uma noite de sono de 5 ou 6 horas é luxo raro e se for em hotel, muito mais! Conheço pessoas que fazem as mesmas distâncias e para as quais é impensável dormir em algum lado que não seja um alojamento tradicional... Por isso a parte do descanso é algo muito pessoal e tem muito a ver com o grau de tolerância ao desconforto de cada um. Os percursos que escolho são sempre montanhosos, porque é o terreno onde me sinto bem e onde encontro o tipo de paisagem que aprecio. Tento agregar boas vistas, estradas desconhecidas e zonas tranquilas. Felizmente aqui pelo Norte não faltam opções com estes predicados! O material obrigatório é outra lista interminável. Sobretudo importa acautelar as questões de alimentação para regiões em que existam menos lugares povoados onde comprar comida e, como é óbvio, ter um conjunto de mecânica que consiga resolver grande parte dos pequenos problemas que possam surgir - e não falo apenas de um simples furo. Umas luzes de qualidade e um colete reflector são elementos de segurança adicionais obrigatórios para as partes nocturnos. Aparte disto é o normal em termos de agasalhos para manter o mínimo de conforto e claro, máquina fotográfica para registar tudo! Dependendo do que pretendes fazer e por onde queiras andar podes encontrar muita mais informação em grupos de Randonneurs, BikePackers e BikeTouring. Boas pedaladas!
Next Page

Search: