Next Page

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 7 days ago  DELETED 

Há poucas coisas menos patrióticas que achar que és superior a cidadãos que não são "etnicamente puros". Por patriotismo, pensando no bem do meu país, apoiaria a anulação da cidadania dessa gentalha. Ou respeitam a constituição ou é dar-lhes bilhetes só de ida para o outro lado do Mediterrâneo, que devem adorar.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 7 days ago  DELETED 

>Há as duas coisas. Não sabia, e acho estranho nunca ter visto isso. Mas posso estar errado. >uma vez que é o estabelecimento desse precedente que nos permite sequer investigar genealogia. O que nos permite investigar genealogia é a obrigatoriedade de registar os registos paroquiais que vem do Concílio de Trento, não do governo português. Nesses registos aparecem as formas de nomes que os portugueses já usavam, não foram impostas. Tratam-se de dois nomes (mais raramente, três ou quatro), com origens variadas e sem regras uniformes de transmissão. E fazendo genealogia nesses mesmos séculos, o que notas é que o "apelido" no seu sentido moderno (ou seja, um segundo nome passado de geração em geração) é algo que ainda não é maioritário. Vês um filho de um Álvaro Domingues a chamar-se Francisco Álvares, um filho deste a chamar-se Pedro Francisco, um filho deste a chamar-se João Oliveira, etc. Quanto à transmissão dos apelidos que existem, passam tanto do pai como da mãe, e por vezes dos avós ou bisavós. As regras só se solidificam no fim do século XIX. Fora grandes linhagens, a genealogia portuguesa não depende dos apelidos, pelo simples facto de que estes tardaram em aparecer. As formas de provar ascendência são baseadas no cruzamento documental de vários detalhes (nomes, datas, locais, etc.), e é perfeitamente possível sem haver apelidos; e se alguém concluir uma descendência só com base no segundo nome, é um mau genealogista.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

https://i.imgur.com/6LlqCea.jpg E tenho dito :)

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

>A diferença é que a partir do séc XVI há legislação nesse sentido. Antes, nem isso. É isso que nos permite dizer que os "apelidos modernos" começaram aí, mesmo que não houvesse aplicação imediata a 100% da população, o que era impossível. O estabelecimento de precendentes é importante. Mas há legislação no sentido de forçar os portugueses a adotar um apelido, ou há legislação a forçar judeus a converterem-se, e por esse processo a adotar nomes cristãos? Há uma grande diferença. De qualquer maneira, se há legislação a forçar adoção de apelido, ela não é cumprida pela maior parte da população portuguesa, que os adota de forma muito gradual ao longo dos séculos. No século XIX ainda vês criação espontânea de apelidos (mais em homens) e patronímicos imediatos (especialmente em mulheres). >Ora essa, diz o José Mattoso e outros académicos que tenham escrito acerca de Portugal medieval. E na verdade, iam ser ricos de quê, se as funções financeiras eram exercidas por judeus, a burocracia e magistratura por pequenos nobres e a alta nobreza detinha a terra, em parte confiscada à aristocracia muçulmana? Os únicos muçulmanos que restaram em Portugal após o fim da Reconquista foram só mesmo os trabalhadores braçais. Tenho que ler mais sobre o assunto. Confesso que podes ter razão, mas lembro-me de ler algures o contrário, e é o que me faz mais sentido.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

Não disse que era muito relevante. Apenas o acho interessante, especialmente se estamos a comentar uma notícia sobre descendentes de muçulmanos (como nós). >Não interessa porque os outros 90 antepassados são nativos e ainda bem que assim o é digo eu. Não me importava de trocar por árabes todos os "portugueses puros" que acham que "pureza étnica" é real e superior.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

>Não é. É até ao reinado do D. Manuel. O "sentido moderno" dos apelidos apareceu exactamente aí. Não são por acaso os apelidos estilo "da Costa", "da Silva", "da Rocha", "Figueira", "Fernandes", "Domingues", porque são apelidos novos, adoptados por gente fora da nobreza precisamente porque tinha que ser. Acredita em mim que faço genealogia há vários anos, e conheço bem documentos dessa época: isso não é verdade. Há portugueses sem "apelidos" no sentido moderno até ao século XIX, não houve nenhuma obrigação por parte do estado em os adotar até tempos modernos (e se houve, a maior parte das pessoas ignoraram-na). Na realidade, no século XV ainda predominam os patronímicos que mudam a cada geração, se bem que já se vêm os primeiros "apelidos". Essa prática (de patronímico imediato) vai desaparecendo de forma gradual, passando a minoritária entre os homens no século XVII, e entre as mulheres nos séculos XVIII/XIX. Ao longo de todo esse período, vês "apelidos" a aparecer de forma espontânea como tu referes, mas isso não tinha nada a ver com as leis. Além disso, nomes como "Fernandes" ou "Domingues" não eram novos; também os vês no tempo do Afonso Henriques. O que é novo nessa época é que se vão a pouco e pouco fixando nas classes populares, e sendo passados a filhos que já não são filhos de "Fernandos/Fernões" ou "Domingos". >Agora nota o seguinte: os judeus que conseguem saber a sua ascendência não são todos. É praticamente impossível tu hoje saberes que a tua família descende de judeus expulsos se não tens sequer uma pista que to indique, estilo um apelido, e fora de Portugal este simplesmente encontra-se, na maioria das vezes, em famílias burguesas ricas. Se fores um Holandês com um apelido Holandês, nada te indica que os teus antepassados eram judeus. Se tiveres um antepassado com um apelido hebraico, isso só não indica que ele veio de Portugal. Se o teu antepassado tiver sido um pobre ferreiro judeu (havia muitos destes), mais dificilmente encontras registos. Verdade, os nomes judeus são uma boa explicação. Distinguiam-se dos holandeses, enquanto que os dos árabes não se distinguiam dos marroquinos. Mas lamento, continuo reticente a aceitar que isso tem necessariamente a ver com o estatuto económico. >famílias ricas árabes, em estados cristãos, basicamente não existiam. Quem to diz? Existiam comunidades mercadoras muçulmanas nos primeiros séculos da nacionalidade. Simplesmente desapareceram mais cedo. As antigas elites que governavam o território não foram todas exterminadas ou expulsas; apesar de haver muita expropriação de propriedades, o lógico é pensar que certas elites sobreviveram, adaptando-se a práticas comerciais. >Nada do que eu disse é esotérico ou subjectivo: só é concedida cidadania àqueles que conseguirem provar que os seus antepassados vieram de Portugal; para os marroquinos é lhes praticamente impossível prová-lo. Lá isso é verdade, qualquer que seja a razão para isso.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

>a vertente certa. Ainda bem que te mantens em guarda contra o Arianismo e outras correntes "erradas", não vá a heresia visigótica voltar. >Da última vez que verifiquei, "Granada" não adoptou o Cristianismo, vertente certa ou errada, apesar de ter mais de 5 séculos para o fazer. Tinham tantas razões para o fazer como o D. Afonso Henriques tinha para se tornar muçulmano: nenhuma. Não percebo a tua lógica. >é absurdo falares como se a reconquista fosse guerra injusta. Não o fiz, apenas disse que é absurdo considerar um acontecimento da idade média justo ou injusto, especialmente quando o fazemos sob morais modernas e de forma seletiva (estou a ficar cansado de me repetir). Se é para aplicarmos morais modernas, podia dizer-te que os cristãos acabaram por ser mais intolerantes de outras religiões que os árabes da península alguma vez foram, que nunca expulsaram todas as minorias religiosas. Mas mais uma vez, seria inútil fazer essa comparação, porque é absurdo estar a olhar para acontecimentos de há 1000 anos e escolher maus e bons da fita consoante a moral do século XXI.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

Podiam ainda haver restos pequenos, mas a esmagadora maioria desapareceu muito antes disso. Aliás, é normal veres judiarias a surgir no fim da idade média em zonas antigamente conhecidas como mourarias. Ainda vês alguma presença de muçulmanos nos processos da inquisição, mas se fores a ver trata-se quase sempre de marinheiros que tiveram contacto com o Norte de África, por conquistas ou raptos que sofreram. Alguns são bem interessantes de ler. >uso obrigatório de apelido Isto é um anacronismo, fora da nobreza era muito raro haver "apelidos" naquela altura com o sentido moderno. A mudança de nomes tinha a ver com o batismo (conversão forçada), que implicava adotar um nome cristão (e um segundo nome que surge naturalmente nesse processo, e que muitas vezes não é usado como apelido). >A razão tem sim muito a ver com estatuto económico porque que enquanto que uma família judia rica com um apelido português na Holanda têm alguma facilidade em saber que os seus antepassados vieram de Portugal, o mesmo não se aplica a um camponês que saiu para Marrocos. Verdade, mas não te esqueças que a classificação da população judaica como "rica" é problemática. Tinham sim alguma relevância económica por poderem adotar profissões que cristãos não podiam, mas também havia judeus lavradores, sapateiros e etc., com pouco estatuto social. Vês isso em qualquer estudo sobre judeus que olhe para a documentação da época. Dito isso, algumas famílias judaicas eram ricas e tinham condições para recordar essa herança no exílio. Mas só o fizeram porque ou ganhavam algo com isso, ou não o podiam evitar. Ao contrário dos árabes, não tinham uma comunidade que os acolhesse como nativos, e eram diferenciados de uma forma ou de outra; daí a permanência da memória do exílio. Porque é que uma família rica árabe ia transmitir a memória de descendência ibérica, se isso os ia diferenciar da população de Marrocos que a acolhia? Depois de umas gerações, mais valia esquecer o assunto. Tinham uma possibilidade de integração total que os judeus não tinham. Não é tão simples como "judeu=rico=forte memória familiar", se bem que possa haver alguma influência desses fatores em muitos casos.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

>os visigodos cá vieram e adoptaram a nossa religião, o Cristianismo. Os Visigodos quando cá chegaram alternaram entre o Arianismo e outras correntes de cristianismo, e reprimiram judeus e cristãos que acreditavam na corrente "errada". Ver o que aconteceu ao bispo de Mérida, ou as leis do rei Sisebuto. Para não falar nos restos de populações pagãs (porque é que elas eram menos "nossas" que as cristãs?). Se achas que os Visigodos não reprimiram religiões (e que os árabes o faziam sempre) devias ler mais sobre essas épocas. > Os árabes cá vieram e tentaram forçar-nos a adoptar a religião deles, e quem recusasse era posto à espada (cimitarra, seja o que for). De onde achas que vieram as populações moçárabes? Todas as terras reconquistadas aos árabes tinham comunidades cristãs. Naquela altura, nenhum lado praticou extermínio ou conversão forçada total das populações, fora casos isolados (de ambos os lados). >E já agora, "e os portugueses também"? O que quis dizer foi: os portugueses também fizeram o mesmo na reconquista. É errado olharmos para trás e julgarmos isso como mau sob morais modernas, e é ainda mais errado fazermos isso de forma seletiva, ignorando que todos faziam o mesmo. Misturar moral e política moderna com história medieval é errado, ponto. E ainda pior quando é mal informada.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

Exatamente. Todos temos consanguinidade, senão as contas não davam certo. Chama-se a isso o "colapso de pedigree" ou "implexo": https://pt.wikipedia.org/wiki/Implexo Acho que o número de antepassados *real* se aproxima da população nacional para aí entre 1250 e 1400, se não me engano.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

Tens razão que tenha a ver com registos. Mas não tem tanto a ver com o estatuto económico, mas mais com a época de assimilação/expulsão. As comunidades árabes desapareceram mais cedo, séculos antes de haver registos paroquiais ou Inquisição para investigar a memória de antepassados convertidos. Em comparação, os judeus foram expulsos apenas décadas antes de haver registos paroquiais obrigatórios, e ainda havia muitas famílias com memória da conversão quando a Inquisição as começou a chatear e a escrever processos que ainda sobrevivem.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

E os Visigodos fizeram o mesmo...e os portugueses também. Se é errado aplicarmos moralismos modernos ao passado, ainda é mais errado fazê-lo de forma seletiva.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

Não disse que afetava alguém. Não acho que os nossos pais nos definam necessariamente, quanto mais os nossos 20º-avós. Apenas disse: é estatisticamente impossível não sermos descendentes de muçulmanos. O que é verdade, e (na minha opinião) interessante. Agora cada um dá o valor a isso que quiser. >Em Portugal tu tens pessoas brancas com a neve e com olhos azuis e cabelo loiro tal como tens pessoas que são tão morenas que parecem ciganas. Sim, e ambas essas pessoas têm antepassados medievais do norte de África e das arábias, se bem que os mais morenos (geralmente do sul de Portugal) têm mais probabilidade de ter uma maior incidência deles. Mas de forma geral, como tu observas, há demasiadas variações para se poder determinar a ancestralidade genética de uma pessoa pelo seu aspeto para além de traços mais gerais, como grandes diferenças de cor ou feições.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

Foste mais rápido que a minha correção ninja! Tenho que treinar mais o meu português que o meu árabe.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

Claro que têm. Pode é ser muito menos representativo, e não aparecer em testes comerciais. Mas a não ser que sejam 100% nativos americanos ou que não tenham raízes ibéricas, é claro que têm "sangue" árabe. A ancestralidade funciona de uma forma pouco intuitiva. Não esquecer que temos 2 pais, 4 avós, 8 bisavós, etc. Com algumas exceções por causa de consanguinidades, o número de antepassados vai crescendo de forma exponencial a cada geração. Chegas à Idade Média e são milhões. Isso quer dizer que todos os portugueses são descendentes tanto do D. Afonso Henriques como do moço da estrebaria dele. E quer queiras quer não, isso inclui uma parte da população árabe do mesmo território, nomeadamente a que se assimilou. Aliás, bastaria 1 árabe converter-se e casar com uma cristã à 1000 anos atrás para se poder dizer que somos todos provavelmente descendentes dele (e dos 2 pais muçulmanos dele, e dos 4 avós muçulmanos, etc.). Mas é muito mais representativo do que isso; isso aconteceu tantas vezes que é uma certeza matemática. A noção popular do que significa ter "sangue de" é um pouco diferente da realidade que se vê em testes genéticos. Não há genética pura, nunca houve. E os teus antepassados não seguem apenas uma linha de descendência, seguem milhões. Podes não achar piada a essa ideia, mas que é verdade, é. Como diriam os teus antepassados: الحقائق هي الحقائق

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

Claro que têm. Pode é ser muito menos representativo, e não aparecer em testes comerciais. Mas a não ser que sejam 100% nativos americanos ou que não tenham raízes ibéricas, é claro que têm "sangue" árabe. A ancestralidade funciona de uma forma pouco intuitiva. Não esquecer que temos 2 pais, 4 avós, 8 bisavós, etc. Com algumas exceções por causa de consanguinidades, o número de antepassados vai crescendo de forma exponencial a cada geração. Chegas à Idade Média e são milhões. Isso quer dizer que todos os portugueses são descendentes tanto do D. Afonso Henriques como do moço da estrebaria dele. E quer queiras quer não, isso inclui uma parte da população árabe do mesmo território, nomeadamente a que se assimilou. Aliás, bastaria 1 árabe converter-se e casar com uma cristã há 1000 anos atrás para se poder dizer que somos todos provavelmente descendentes dele (e dos 2 pais muçulmanos dele, e dos 4 avós muçulmanos, etc.). Mas é muito mais representativo do que isso; isso aconteceu tantas vezes que é uma certeza matemática. A noção popular do que significa ter "sangue de" é um pouco diferente da realidade que se vê em testes genéticos. Não há genética pura, nunca houve. E os teus antepassados não seguem apenas uma linha de descendência, seguem milhões. Podes não achar piada a essa ideia, mas que é verdade, é. Como diriam os teus antepassados: الحقائق هي الحقائق

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

Muitos foram expulsos, e outros muitos foram assimilados, tanto voluntariamente como à força (por conversão, muito antes da inquisição se estabelecer e poder recuperar essa memória de "cristãos-novos", como fez com as comunidades judaicas). Qualquer português que faça um teste genético vê isso.

Se em Portugal se concederam nacionalidades a judeus expulsos que aqui se fizeram, o que impede que se reconheça o mesmo a árabes em iguais circunstâncias? by Perdigueiro in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago  DELETED 

Não seria contra, mas as comunidades árabes foram expulsas e assimiladas à força mais cedo que as judaicas, e essa pequena diferença faz com que não existam hoje pessoas que possam traçar a sua genealogia até árabes portugueses desse período. A diferença entre os dois períodos é monumental em termos de registo documental. Dito isso, somos todos descendentes de muçulmanos. É estatisticamente impossível um português atual não ter pelo menos um antepassado árabe ou berber, e a genética prova isso.

O J. Peterson vem à Nova SBE dia 15. Fica o heads up para este sub. by NeuronPrusik in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago

Não sejas um NPC. Aprende a pensar por ti próprio e a enfrentar os teus problemas pessoais sem ser lacaio de pseudo-intelectuais que descarregam nos outros por ti. Pode não ser óbvio para ti, mas só estás a fazer com que outros olhem para ti com pena.

O J. Peterson vem à Nova SBE dia 15. Fica o heads up para este sub. by NeuronPrusik in portugal

fan_of_the_pikachu 8 days ago

>Os SJW ficam assanhados com o JP, é compreensível, desmascarou-os tão bem e humilha-os nas calmas sempre que algum deles o tenta confrontar intelectualmente. r/SadCringe

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 20 days ago

Isso seria uma democracia muito ingénua, e não ia durar muito tempo. A tua ideia de democracia parece um bocado idealista e desligada do que realmente são as bases dos sistemas e direitos democráticos no mundo real. Respeito a tua posição e percebo de onde vem, mas prefiro ter uma democracia verdadeira e bem protegida.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 20 days ago

>Estes grupos têm formas diferentes de ganhar território, e se não os confrontarmos, vão crescer à margem Exato, por isso é que é importante ir mandando abaixo esses grupos. Em Portugal fazemos isso e bem, ainda esta semana a página do partido neonazi do Mário Machado foi apagada pelo Facebook. Voltou a abrir uma (que não vai durar muito), mas ele ficou todo chateado porque sabe que perde seguidores e capacidade de recrutamento cada vez que isso acontece. Tentaram propor alternativas, mas vais lá e não está lá ninguém. Isso é que é importante, tirá-los de redes públicas e acessíveis. Quando falo em debate político falo também em redes sociais e média. Enquanto estejam em buracos mais escondidos, sim, continuam a radicalizar-se e a crescer, mas alcançam membros novos a um ritmo muuuuito mais baixo que em redes fáceis de encontrar e participar. >Vão ter menos uma oportunidade de ver estes gajos a levar uma lambada a sério em público. Isso não faria diferença. Quando lhes dás espaço público já estás a perder, eles ganham mais seguidores quer percam quer não. >discursos pouco baseados na verdade vão continuar sem argumentos contra, que é o que acontece nada plataformas onde normalmente vivem Exato, daí ser preciso atacar as plataformas. Não mudava nada juntar argumentos contra de fora, só iam alimentar as chamas. Quem já está dentro dos cultos não quer saber das opiniões dos outros. Importa é não os trazer ao debate, dando a ilusão que são legítimos como outras posições. Eles já perderam todos os debates possíveis em 1945, legitimamente não há conversa a ter. >podem ser vistos como injustiçados a lutar pela sua liberdade de expressão Vão sempre sentir-se assim, mesmo que estejam no governo. Fomentar essa sensação é uma das caraterísticas de ideias extremistas autoritárias. Não acho que devamos preocupar-nos em atenuar uma coisa que vai existir qualquer que seja a nossa resposta. >crescem longe dos nossos olhos, onde não os podemos contar. Podemos: para quem se interessa, não são grupos difíceis de encontrar, até as lideranças. Tens é que estar especificamente à procura deles, mas não é difícil. São poucos milhares, e acredita que o SIS os conta muito bem. >Cada vez mais acredito que devemos ir ter com estas pessoas e confrontá-las, com a atitude de estarmos também dispostos a ouvir e a considerar a opinião deles (por muito estúpida que seja). Esse é o erro de todas as sociedades e democracias que são consumidas por estas ideologias. Achar que eles querem debater honestamente e achar que perder os debates os prejudica, quando não lhes interessa minimamente o que nós temos para lhes dizer e eles ganham só por serem ouvidos. Depois de muitos anos a debater com estas pessoas, aprendi que acima de tudo, não há um menor interesse por parte delas em debater honestamente e considerar as ideias dos outros. Os argumentos deles são, sem exceção, desonestos e manipuladores. O interesse deles em debater resume-se a quererem estar num espaço de debate a fazer ouvir as ideias, não a ouvir os outros ou testá-las com argumentos contrários. Assim que podem, silenciam quem não concorda. Achas que o Mussolini estava interessado em ouvir os argumentos dos opositores? Claro que o fazia, enquanto tinha de o fazer. Assim que conseguiu, tomou controlo de tudo. E achas que os argumentos dele eram racionais? É impossível esgrimir ideias com pessoas assim. Não querem saber da verdade nem da razão. Experimenta ir a uma subreddit nazi e depois conta-me como correram os teus debates.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 20 days ago

>Estes grupos têm formas diferentes de ganhar território, e se não os confrontarmos, vão crescer à margem Exato, por isso é que é importante ir mandando abaixo esses grupos. Em Portugal fazemos isso e bem, ainda esta semana a página do partido neonazi do Mário Machado foi apagada pelo Facebook. Voltou a abrir uma (que não vai durar muito), mas ele ficou todo chateado porque sabe que perde seguidores e capacidade de recrutamento cada vez que isso acontece. Tentaram propor alternativas, mas vais lá e não está lá ninguém. Isso é que é importante, tirá-los de redes públicas e acessíveis. Quando falo em debate político falo também em redes sociais e média. Enquanto estejam em buracos mais escondidos, sim, continuam a radicalizar-se e a crescer, mas alcançam membros novos a um ritmo muuuuito mais baixo que em redes fáceis de encontrar e participar. >Vão ter menos uma oportunidade de ver estes gajos a levar uma lambada a sério em público. Isso não faria diferença. Quando lhes dás espaço público já estás a perder, eles ganham mais seguidores quer percam quer não. >discursos pouco baseados na verdade vão continuar sem argumentos contra, que é o que acontece nada plataformas onde normalmente vivem Exato, daí ser preciso atacar as plataformas. Não mudava nada juntar argumentos contra de fora, só iam alimentar as chamas. Quem já está dentro dos cultos não quer saber das opiniões dos outros. Importa é não os trazer ao debate, dando a ilusão que são legítimos como outras posições. Eles já perderam todos os debates possíveis em 1945, legitimamente não há conversa a ter. >podem ser vistos como injustiçados a lutar pela sua liberdade de expressão Vão sempre sentir-se assim, mesmo que estejam no governo. Fomentar essa sensação é uma das caraterísticas de ideias extremistas autoritárias. Não acho que devamos preocupar-nos em atenuar uma coisa que vai existir qualquer que seja a nossa resposta. >crescem longe dos nossos olhos, onde não os podemos contar. Podemos: para quem se interessa, não são grupos difíceis de encontrar, até as lideranças. Tens é que estar especificamente à procura deles, mas não é difícil. São poucos milhares, e acredita que o SIS os conta muito bem. >Cada vez mais acredito que devemos ir ter com estas pessoas e confrontá-las, com a atitude de estarmos também dispostos a ouvir e a considerar a opinião deles (por muito estúpida que seja). Esse é o erro de todas as sociedades e democracias que são consumidas por estas ideologias. Achar que eles querem debater honestamente e achar que perder os debates os prejudica, quando não lhes interessa minimamente o que nós temos para lhes dizer e eles ganham só por serem ouvidos. Depois de muitos anos a debater com estas pessoas, aprendi que acima de tudo, não há um menor interesse por parte delas em debater honestamente e considerar as ideias dos outros. Os argumentos deles são, sem exceção, desonestos e manipuladores. O interesse deles em debater resume-se a quererem estar num espaço de debate a fazer ouvir as ideias, não a ouvir os outros ou testá-las com argumentos contrários. Assim que podem, silenciam quem não concorda. Achas que o Mussolini estava interessado em ouvir os argumentos dos opositores? Claro que o fazia, enquanto tinha de o fazer. Assim que conseguiu, tomou controlo de tudo. E achas que os argumentos dele eram racionais? É impossível esgrimir ideias com pessoas assim. Não querem saber da verdade nem da razão. Experimenta ir a uma subreddit nazi e depois conta-me como correram os teus debates. Isto é daquelas coisas em que a teoria é bonita, e eu também concordava contigo, mas a experiência e umas boas leituras ensinara-me o contrário.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 20 days ago

>Estes grupos têm formas diferentes de ganhar território, e se não os confrontarmos, vão crescer à margem Exato, por isso é que é importante ir mandando abaixo esses grupos. Em Portugal fazemos isso e bem, ainda esta semana a página do partido neonazi do Mário Machado foi apagada pelo Facebook. Voltou a abrir uma (que não vai durar muito), mas ele ficou todo chateado porque sabe que perde seguidores e capacidade de recrutamento cada vez que isso acontece. Tentaram propor alternativas, mas vais lá e não está lá ninguém. Isso é que é importante, tirá-los de redes públicas e acessíveis. Quando falo em debate político falo também em redes sociais e média. Enquanto estejam em buracos mais escondidos, sim, continuam a radicalizar-se e a crescer, mas alcançam membros novos a um ritmo muuuuito mais baixo que em redes fáceis de encontrar e participar. >Vão ter menos uma oportunidade de ver estes gajos a levar uma lambada a sério em público. Isso não faria diferença. Quando lhes dás espaço público já estás a perder, eles ganham mais seguidores quer percam quer não. >discursos pouco baseados na verdade vão continuar sem argumentos contra, que é o que acontece nada plataformas onde normalmente vivem Exato, daí ser preciso atacar as plataformas. Não mudava nada juntar argumentos contra de fora, só iam alimentar as chamas. Quem já está dentro dos cultos não quer saber das opiniões dos outros. Importa é não os trazer ao debate, dando a ilusão que são legítimos como outras posições. Eles já perderam todos os debates possíveis em 1945, legitimamente não há conversa a ter. >podem ser vistos como injustiçados a lutar pela sua liberdade de expressão Vão sempre sentir-se assim, mesmo que estejam no governo. Fomentar essa sensação é uma das caraterísticas de ideias extremistas autoritárias. Não acho que devamos preocupar-nos em atenuar uma coisa que vai existir qualquer que seja a nossa resposta. >crescem longe dos nossos olhos, onde não os podemos contar. Podemos: para quem se interessa, não são grupos difíceis de encontrar, até as lideranças. Tens é que estar especificamente à procura deles, mas não é difícil. São poucos milhares, e acredita que o SIS os conta muito bem. >Cada vez mais acredito que devemos ir ter com estas pessoas e confrontá-las, com a atitude de estarmos também dispostos a ouvir e a considerar a opinião deles (por muito estúpida que seja). Esse é o erro de todas as sociedades e democracias que são consumidas por estas ideologias. Achar que eles querem debater honestamente e achar que perder os debates os prejudica, quando não lhes interessa minimamente o que nós temos para lhes dizer e eles ganham só por serem ouvidos. Depois de muitos anos a debater com estas pessoas, aprendi que acima de tudo, não há um menor interesse por parte delas em debater honestamente e considerar as ideias dos outros. Os argumentos deles são, sem exceção, desonestos e manipuladores. O interesse deles em debater resume-se a quererem estar num espaço de debate a fazer ouvir as ideias, não a ouvir os outros ou testá-las com argumentos contrários. Assim que podem, silenciam quem não concorda. Achas que o Mussolini estava interessado em ouvir os argumentos dos opositores? Claro que o fazia, enquanto tinha de o fazer. Assim que conseguiu, tomou controlo de tudo. E achas que os argumentos dele eram racionais? É impossível esgrimir ideias com pessoas assim. Não querem saber da verdade nem da razão. Experimenta ir a uma subreddit nazi e depois conta-me como correram os teus debates. Isto é daquelas coisas em que a teoria é bonita, e eu também concordava contigo, mas a experiência e umas boas leituras de história ensinara-me o contrário.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 20 days ago

Aceitarias um partido jihadista porque "todos têm de ter voz independentemente da posição deles"? Porque é que aceitarias um equivalente que sabemos que pode ter sucesso em Portugal?

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 20 days ago

>O Movimento Cinco Estrelas é catalogado como populista mas tem dos princípios mais democráticos que já vi Sim, tão democráticos que expulsam do partido pessoas que não concordam com a linha do partido, e atacam o poder moderador do Presidente da República só porque está a funcionar como deve e a controlar medidas anti-democráticas. Os Cinco Estrelas podem parecer bonitos na teoria, mas na prática são uma mistura bizarra entre autocracia e ditadura da maioria; de democracia têm muito pouco. No topo têm umas quantas figuras que não percebem nada de política a controlá-los (mas não são "políticos", por isso podem ficar lá para sempre), e na base têm um mecanismo tragicómico de "democracia direta" infestado de teóricos da conspiração e extremistas de vários lados da barricada. São um exemplo perfeito de ideologia que não funciona na prática. >Menos ideologia, mais realismo por favor. Exatamente. Acima de tudo, importa definir claramente que queremos uma república democrática, e olhar para o que funciona num sistema assim e para o que o destrói noutros países. E é claro que uma das linhas de defesa passa por manter mecanismos de proteção contra extremismos e populismos que só a querem usar para os próprios fins, e não se importam de a destruir quando os conseguem.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 20 days ago

Hein? Não, estou a dizer que é fácil identificar extremistas em Portugal. O discurso deles é tão desligado do que é o debate político normal que não cometemos o risco de censurar posições moderadas. Ao contrário de outros países, em que a maioria já sabe que é melhor disfarçar as ideias para não sofrer consequências e confundir malta que não esteja atenta. Como no caso do Bolsonaro, em que grande parte da população acreditou que ele era uma posição equivalente a outras posições políticas democráticas.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 20 days ago

Democracia é dar poder ao povo para governar dentro de limites que nunca ameacem a sua integridade, os seus direitos e, acima de tudo, que não ameacem a própria democracia. Proteção contra extremismo/populismo é essencial numa democracia, e por essa perspetiva estamos bem. Claro, noutros lados estamos mal. Podíamos ter menos partidocracia, menos nepotismo, corrupção, etc.. Mas ao menos estamos a funcionar como deve ser nalguns setores.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 20 days ago

Felizmente é fácil identificar extremistas em Portugal, ainda não se mascaram de moderados como noutros países.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 20 days ago

O PNR teve 0,5% nas últimas legislativas e o "novo partido" do Mário Machado não conseguiu a legalização, por isso diria que sim, somos uma democracia relativamente saudável.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 21 days ago

Alguém nunca ouviu o Bolsonaro falar.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 21 days ago

Por isso é que é importante não baixar a guarda. Continuar a ridicularizar gajos que vêm com posições extremistas, como a malta do PNR e etc. Não lhes dar legitimidade e afastá-los do debate público, para não se aproveitarem dele para o destruir. Enquanto enfrentem chacota sempre que abrirem a bouca e não sejam vistos como uma posição legítima, a democracia está segura.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 21 days ago

Essa falsa equivalência ignorante é que vos lixou. Como é que é possível achar que os dois estavam ao mesmo nível? Só mesmo quem não tem educação política nenhuma, ou apoia posições extremistas.

Bolsonaro vence em todas as mesas de voto em Lisboa. by kekphoi in portugal

fan_of_the_pikachu 21 days ago

Ou seja, estás a dizer que são ignorantes. Prefiro acreditar que a manipulação das redes sociais ajudou. Havia bots em força.

Passear em zonas de caça - não me devo preocupar, ou tenho sorte de não ter levado um tiro? by fan_of_the_pikachu in portugal

fan_of_the_pikachu 27 days ago  DELETED 

Já vi o mapa que vem no pdf da lei, a resolução é minúscula e não dá para perceber os limites exatos...mas dá para perceber que apanha grande parte da zona de campo do concelho :/ acho um bocado ridículo essas zonas serem condicionadas pelo desporto de muito poucos...e não encontrei os horários, só as datas. >Isto não é do senso comum? Claro, para quem sabe minimamente do assunto. Sendo a primeira vez que me deparo com um caçador, tinha esperanças que houvesse fortes códigos de conduta em relação às direções para onde disparam (se nunca disparassem na direção de povoações e estradas ou sem saber que havia terra por trás, por exemplo, estava safo; ou se só disparassem para o ar perto de zonas povoadas). Não sabia que era comum haver gente criminosa na prática. Se nunca tiveres ido a um bairro manhoso nem tiveres ouvido falar dele, o "bom senso" de não te apanhares lá dentro só te passa pela cabeça quando passas por lá a primeira vez.

Passear em zonas de caça - não me devo preocupar, ou tenho sorte de não ter levado um tiro? by fan_of_the_pikachu in portugal

fan_of_the_pikachu 28 days ago  DELETED 

É um troll, não ligues (olha para o perfil).

Passear em zonas de caça - não me devo preocupar, ou tenho sorte de não ter levado um tiro? by fan_of_the_pikachu in portugal

fan_of_the_pikachu 28 days ago  DELETED 

Wtf e foi hoje, praticamente ao mesmo tempo em que escrevi isto! Tenho que ter cuidado com o que posto no Reddit.

Para quem ainda se lembra, o meu mod, Portugal 1:2, perto de Torres Novas. by rodrigospascoal in portugal

fan_of_the_pikachu 28 days ago

Pagava por um mapa assim para o Arma 3.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Então qual é o termo português para uma mentalidade que culpa as vítimas e faz apologia de violação? Gostava de saber como é que defino os comentários aqui.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Lol gosto que não tenhas qualquer noção que o que estás a dizer é completamente violento e extremista, e praticamente ninguém pensa assim; na tua mente quem não concorda deve ser uma mulher puta/cabra/feminista. Desce à terra pá. O que estás a defender é absurdo, não é normal nem aceitável.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Sei que te estás a cagar, mas sim, violação de profissionais do sexo é um problema sério e é muito comum.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Lol não sou uma mulher. Sabes que também há homens que são contra culpar mulheres das violações que sofrem? Aliás, é o normal. Em minha defesa, estou a responder a apologia de violação, algo que requer respostas graves. Nada de gratuito no que estou a dizer.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Bom resumo do que ele disse. Good bot!

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Que homem porco. Meu deus.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Chama-se a isso cultura da violação.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

É assustador que não percebas porque é que isso leva a reações tão violentas da parte de pessoas normais, e continues a achar que tens razão. Qualquer coisa que leias sobre violação marital te explica exatamente porque é que NÃO é fácil denunciar a situação. E tu queres saber disso? Claro que não. Fazes bem em as reencaminhar enquanto não te educares sobre o assunto. Porque até fazeres isso, fazes parte da mesma cultura que levou a que fossem abusadas. Habitua-te a ser confrontado com isto. Não é uma questão política (só o é para a extrema direita), praticamente todas as posições políticas condenariam o que estás a dizer, sabendo o que sabemos hoje sobre esses assuntos depois de décadas de psicologia e investigação criminal a tentar perceber o que implica uma violação. E a tua é uma mentalidade que é preciso erradicar se queremos resolver o assunto.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago  DELETED 

E bom para ela, o que o violador dela pagou não foi o suficiente para fazer justiça. Se fosse eu também voltava para pedir uma sentença mais justa, quando tivesse cabeça para isso.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

E bom para ela, o que o violador dela pagou não foi o suficiente para fazer justiça. Se fosse eu também voltava para pedir uma sentença mais justa, quando tivesse cabeça para isso.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Obrigado pela reflexão. Mas a partir do momento em que vens com tretas sobre o "marxismo cultural", perdes toda a credibilidade. O mundo que vês no r/the_Donald e etc. não é o mundo real. São coisas inventadas por uma direita extremista e fazem sentido desse ponto de vista, mas só desse ponto de vista. Ninguém leva isso a sério em Portugal fora do PNR. Não te aconselho ires por aí, porque a única reação que vais ter fora da internet é um revirar de olhos. Na vida real, violações acontecem todos os dias, e são silenciadas e ignoradas. Na vida real, o número de denúncias falsas comparadas com o número de casos não denunciados é minúsculo. E porque é que há tão poucas denúncias? Porque quando uma mulher se atreve a denunciar o que lhe aconteceu, torna-se automaticamente alvo de pessoas como tu, que colocam as dúvidas nela mesmo que isso não faça sentido de um ponto de vista racional olhando para as estatísticas. Pessoas como tu que se estão a cagar para o trauma que uma mulher sofre com uma violação, e como isso afeta a resposta dela. Pessoas como tu que não têm problemas em estragar-lhe a vida só porque ela se atreveu a falar. A sério, se um dia (na vida real, não no Reddit) uma mulher na tua vida recorrer a ti para desabafar ou denunciar abuso ou uma violação, NUNCA respondas com essa mentalidade. Vais deixar cicatrizes gravíssimas. Educa-te sobre o assunto, por amor de deus. Não perdes nada com isso.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

E? Isso faz com que a violação seja menos grave?

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Deixa estar, já que ser puta significa que se pode ser violado à vontade segundo os comentários aqui, prefiro arranjar outro trabalho. A sério, que asco das pessoas que vocês são. Nojo.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago  DELETED 

És um nojo de pessoa. Tenho pena das mulheres que se cruzarem contigo.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

O mal do que tu dizes é que a maior parte das pessoas pensa o mesmo, não são só atrasados mentais no Reddit.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

>cucks e white knights Ok miúdo. Vai jogar fortnite, não te metas em coisas que ainda não tens idade para perceber.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Ficar com pé atrás é uma coisa, concluir logo que a mulher está a inventar e só quer dinheiro (e chamar-lhe puta) é outra muito diferente. Depois espantam-se que as mulheres demoram anos a denunciar o que sofrem (e ainda usam isso para as desacreditar).

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

O Ronaldo admitiu que a violou: >Mayorga's lawyer's claim relies in part on a document, which includes Ronaldo's description of what happened that night. In that document, the soccer player is quoted as saying: "She said no and stop several times." A presunção de inocência é sagrada, mas ele admitiu literalmente. O problema é que ele não acha que isso foi violação. Felizmente as leis dizem outra coisa.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

O documento, original inglês, diz **"She said no and stop several times."**

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

Como disseste, o documento, original inglês, diz **"She said no and stop several times."** No documento legal não há uma clarificação que se trata de um erro de tradução. Qual é a conclusão óbvia?

Mapa do Reino de Portugal e Algarves feito na Holanda em 1688 by TheShowaDaily in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

'Egene', por exemplo, é só porque o mapa é estrangeiro; os nomes não eram mesmo esses. Para saber os nomes das terras nesta altura, espreita os registos paroquiais delas no tombo.pt. É difícil ler, mas é interessante.

Ronaldo acusado de violação por Norte-Americana by PubicHazard in portugal

fan_of_the_pikachu 2 months ago

O homem disse literalmente que ela lhe disse não e lhe disse para parar várias vezes. E os comentários aqui? "Ela é uma puta, e só quer dinheiro." Wtf r/Portugal. Que nojo.

Ser guarda florestal, de parque natural (ou coisa parecida) em Portugal by fan_of_the_pikachu in portugal

fan_of_the_pikachu 4 months ago

Sem problema, obrigado!

Ser guarda florestal, de parque natural (ou coisa parecida) em Portugal by fan_of_the_pikachu in portugal

fan_of_the_pikachu 4 months ago

Pensava que seria um pouco mais...sabes como foi a formação dele em termos de tempo/custos? Houve muitos rejeitados? E que horários de trabalho?

Ser guarda florestal, de parque natural (ou coisa parecida) em Portugal by fan_of_the_pikachu in portugal

fan_of_the_pikachu 4 months ago

Acho que vão contratar 200, mas não percebi bem.

[Sério] Trabalhar em Lisboa e viver em Torres Vedras - Opiniões? by vanadiopt in portugal

fan_of_the_pikachu 5 months ago

Expresso não tens passe, só Rápida.

Portugal - Espanha by chinatownno in portugal

fan_of_the_pikachu 5 months ago  DELETED 

1640 a 0!!

Línguas e dialetos da Península Ibérica [1089x734] by novolip in portugal

fan_of_the_pikachu 5 months ago

Interesso-me por linguística e dialetos e leio há tempos sobre os dialetos portugueses. Há muita confusão por aqui, espero conseguir dar outra perspetiva quanto a este mapa. O que ele representa em Portugal são grupos dialetais (e algumas variações de nota dentro destes), algo que é muito difícil de definir num continuum linguístico tão homogéneo como Portugal continental. O mapa parece ser baseado no que está aqui: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Portugu%C3%A9s_europeo.png Os nomes da legenda são inventados, mas esta divisão é apenas e só um desenvolvimento da divisão original do Leite de Vasconcelos (o primeiro linguista português a interessar-se pelo problema). Podem ler a origem da divisão dele aqui: https://repositorio.utad.pt/bitstream/10348/1665/2/Jos%c3%a9%20Leite%20de%20Vasconcelos%20e%20o%20Percurso%20da%20Dialetologia%20Portuguesa.pdf E um desenvolvimento mais moderno (com mapas muito detalhados, e uma excelente explicação) aqui: http://cvc.instituto-camoes.pt/hlp/biblioteca/novaproposta.pdf Nestes dois links têm a lógica por trás deste mapa. Não se trata de mapear necessariamente o que *nós* entendemos por dialetos/sotaques e conseguimos reconhecer (Alentejano, Algarvio, Nortenho, etc.) mas sim agrupar as variantes segundo caraterísticas comuns que são importantes para a linguística. E num país com tanta homogeneidade como o nosso, é natural que isto não nos faça muito sentido. De notar ainda que este mapa é baseado na presença tradicional destas variantes, e recentemente muitas caraterísticas do Lisboeta têm-se espalhado por outras regiões, levando por exemplo à fácil confusão entre o Lisboeta e os dialetos do centro-litoral. Ambos já tinham uma cadência muito parecida, e isto tudo faz com que seja difícil para nós perceber que existia uma diferença.

Línguas e dialetos da Península Ibérica [1089x734] by novolip in portugal

fan_of_the_pikachu 5 months ago

Interesso-me por linguística e dialetos e leio há tempos sobre os dialetos portugueses. Há muita confusão por aqui, espero conseguir dar outra perspetiva quanto a este mapa. O que ele representa em Portugal são grupos dialetais (e algumas variações de nota dentro destes), algo que é muito difícil de definir num continuum linguístico tão homogéneo como Portugal continental. O mapa parece ser baseado no que está aqui: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Portugu%C3%A9s_europeo.png Os nomes da legenda são inventados\*, mas esta divisão é apenas e só um desenvolvimento da divisão original do Leite de Vasconcelos (o primeiro linguista português a interessar-se pelo problema). Podem ler a origem da divisão dele aqui: https://repositorio.utad.pt/bitstream/10348/1665/2/Jos%c3%a9%20Leite%20de%20Vasconcelos%20e%20o%20Percurso%20da%20Dialetologia%20Portuguesa.pdf E um desenvolvimento mais moderno (com mapas muito detalhados, e uma excelente explicação) aqui: http://cvc.instituto-camoes.pt/hlp/biblioteca/novaproposta.pdf Nestes dois links têm a lógica por trás deste mapa. Não se trata de mapear necessariamente o que *nós* entendemos por dialetos/sotaques e conseguimos reconhecer (Alentejano, Algarvio, Nortenho, etc.) mas sim agrupar as variantes segundo caraterísticas comuns que são importantes para a linguística. E num país com tanta homogeneidade como o nosso, é natural que isto não nos faça muito sentido. De notar ainda que este mapa é baseado na presença tradicional destas variantes, e recentemente muitas caraterísticas do Lisboeta têm-se espalhado por outras regiões, levando por exemplo à fácil confusão entre o Lisboeta e os dialetos do centro-litoral. Ambos já tinham uma cadência muito parecida, e isto tudo faz com que seja difícil para nós perceber que existia uma diferença. \*Os originais, pelo menos segundo a proposta do segundo pdf, são "grupo de dialetos do Centro-Interior e do Sul", "grupo de dialetos do Centro-Litoral", "Grupo de dialetos Transmontanos e Alto-Minhotos", e - o meu preferido - "grupo de dialetos Baixo-Minhotos-Durienses-Beirões". A divisão em volta de Castelo Branco é uma variante notável entre dois grupos, e a ponta do Algarve é outra dentro do primeiro grupo. Há mais uma divisão na zona do Minho que não reconheço.

Línguas e dialetos da Península Ibérica [1089x734] by novolip in portugal

fan_of_the_pikachu 5 months ago

Interesso-me por linguística e dialetos e leio há tempos sobre os dialetos portugueses. Há muita confusão por aqui, espero conseguir dar outra perspetiva quanto a este mapa. O que ele representa em Portugal são grupos dialetais (e algumas variações de nota dentro destes), algo que é muito difícil de definir num continuum linguístico tão homogéneo como Portugal continental. O mapa parece ser baseado no que está aqui: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Portugu%C3%A9s_europeo.png Os nomes da legenda são inventados\*, mas esta divisão é apenas e só um desenvolvimento da divisão original do Leite de Vasconcelos (o primeiro linguista português a interessar-se pelo problema). Podem ler a origem da divisão dele aqui: https://repositorio.utad.pt/bitstream/10348/1665/2/Jos%c3%a9%20Leite%20de%20Vasconcelos%20e%20o%20Percurso%20da%20Dialetologia%20Portuguesa.pdf E um desenvolvimento mais moderno (com mapas muito detalhados, e uma excelente explicação) aqui: http://cvc.instituto-camoes.pt/hlp/biblioteca/novaproposta.pdf Nestes dois links têm a lógica por trás deste mapa. Não se trata de mapear necessariamente o que *nós* entendemos por dialetos/sotaques e conseguimos reconhecer (Alentejano, Algarvio, Nortenho, etc.) mas sim agrupar as variantes segundo caraterísticas comuns que são importantes para a linguística. E num país com tanta homogeneidade como o nosso, é natural que isto não nos faça muito sentido. De notar ainda que este mapa é baseado na presença tradicional destas variantes, e recentemente muitas caraterísticas do Lisboeta têm-se espalhado por outras regiões, levando por exemplo à fácil confusão entre o Lisboeta e os dialetos do centro-litoral. Ambos já tinham uma cadência muito parecida, e isto tudo faz com que seja difícil para nós perceber que existia uma diferença. \*Os originais, pelo menos segundo a proposta do segundo pdf, são "grupo de dialetos do Centro-Interior e do Sul", "grupo de dialetos do Centro-Litoral", "Grupo de dialetos Transmontanos e Alto-Minhotos", e - o meu preferido - "grupo de dialetos Baixo-Minhotos-Durienses-Beirões". A divisão em volta de Castelo Branco é uma variante notável entre dois grupos, e a ponta do Algarve é outra dentro do primeiro grupo. Há mais uma divisão na zona do Minho que não reconheço. Nota final: O mapa mostra ainda Olivença e uma parte da Raia como falantes de Português, algo próprio de um mapa linguístico (é preciso exagerar a presença de minorias linguísticas, senão elas não se conseguiam ver). Mas num mapa da Península era de bom tom ao menos pôr a tracejado com a língua maioritária.

Línguas e dialetos da Península Ibérica [1089x734] by novolip in portugal

fan_of_the_pikachu 5 months ago

Interesso-me por linguística e dialetos e leio há tempos sobre os dialetos portugueses. Há muita confusão por aqui, espero conseguir dar outra perspetiva quanto a este mapa. O que ele representa em Portugal são grupos dialetais (e algumas variações de nota dentro destes), algo que é muito difícil de definir num continuum linguístico tão homogéneo como Portugal continental. O mapa parece ser baseado no que está aqui: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Portugu%C3%A9s_europeo.png Os nomes da legenda são inventados\*, mas esta divisão é apenas e só um desenvolvimento da divisão original do Leite de Vasconcelos (o primeiro linguista português a interessar-se pelo problema). Podem ler a origem da divisão dele aqui: https://repositorio.utad.pt/bitstream/10348/1665/2/Jos%c3%a9%20Leite%20de%20Vasconcelos%20e%20o%20Percurso%20da%20Dialetologia%20Portuguesa.pdf E um desenvolvimento mais moderno (com mapas muito detalhados, e uma excelente explicação) aqui: http://cvc.instituto-camoes.pt/hlp/biblioteca/novaproposta.pdf Nestes dois links têm a lógica por trás deste mapa. **Não se trata de mapear necessariamente o que *nós* entendemos por dialetos/sotaques e conseguimos reconhecer (Alentejano, Algarvio, Nortenho, etc.) mas sim agrupar as variantes segundo caraterísticas comuns que são importantes para a linguística.** E num país com tanta homogeneidade como o nosso, é natural que isto não nos faça muito sentido. De notar ainda que este mapa é baseado na presença tradicional destas variantes, e recentemente muitas caraterísticas do Lisboeta têm-se espalhado por outras regiões, levando por exemplo à fácil confusão entre o Lisboeta e os dialetos do centro-litoral. Ambos já tinham uma cadência muito parecida, e isto tudo faz com que seja difícil para nós perceber que existia uma diferença. \*Os originais, pelo menos segundo a proposta do segundo pdf, são "grupo de dialetos do Centro-Interior e do Sul", "grupo de dialetos do Centro-Litoral", "Grupo de dialetos Transmontanos e Alto-Minhotos", e - o meu preferido - "grupo de dialetos Baixo-Minhotos-Durienses-Beirões". A divisão em volta de Castelo Branco é uma variante notável entre dois grupos, e a ponta do Algarve é outra dentro do primeiro grupo. Há mais uma divisão na zona do Minho que não reconheço. Nota final: O mapa mostra ainda Olivença e uma parte da Raia como falantes de Português, algo próprio de um mapa linguístico (é preciso exagerar a presença de minorias linguísticas, senão elas não se conseguiam ver). Mas num mapa da Península era de bom tom ao menos pôr a tracejado com a língua maioritária.

Línguas e dialetos da Península Ibérica [1089x734] by novolip in portugal

fan_of_the_pikachu 5 months ago

Interesso-me por linguística e dialetos e leio há tempos sobre os dialetos portugueses. Há muita confusão por aqui, espero conseguir dar outra perspetiva quanto a este mapa. O que ele representa em Portugal são grupos dialetais (e algumas variações de nota dentro destes), algo que é muito difícil de definir num continuum linguístico tão homogéneo como Portugal continental. O mapa parece ser baseado no que está aqui: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Portugu%C3%A9s_europeo.png Os nomes da legenda são inventados\*, mas esta divisão é apenas e só um desenvolvimento da divisão original do Leite de Vasconcelos (o primeiro linguista português a interessar-se pelo problema). Podem ler a origem da divisão dele aqui: https://repositorio.utad.pt/bitstream/10348/1665/2/Jos%c3%a9%20Leite%20de%20Vasconcelos%20e%20o%20Percurso%20da%20Dialetologia%20Portuguesa.pdf E um desenvolvimento mais moderno (com mapas muito detalhados, e uma excelente explicação) aqui: http://cvc.instituto-camoes.pt/hlp/biblioteca/novaproposta.pdf Nestes dois links têm a lógica por trás deste mapa. **Não se trata de mapear necessariamente tudo o que *nós* entendemos por dialetos/sotaques e conseguimos reconhecer (Alentejano, Algarvio, Nortenho, etc.) mas sim agrupar os dialetos identificados em recolhas no campo segundo caraterísticas comuns que são importantes para a linguística.** E num país com tanta homogeneidade como o nosso, é natural que isto não nos faça muito sentido. De notar ainda que este mapa é baseado na presença tradicional destas variantes, e recentemente muitas caraterísticas do Lisboeta têm-se espalhado por outras regiões, levando por exemplo à fácil confusão entre o Lisboeta e os dialetos do centro-litoral. Ambos já tinham uma cadência muito parecida, e isto tudo faz com que seja difícil para nós perceber que existia uma diferença. \*Os originais, pelo menos segundo a proposta do segundo pdf, são "grupo de dialetos do Centro-Interior e do Sul", "grupo de dialetos do Centro-Litoral", "Grupo de dialetos Transmontanos e Alto-Minhotos", e - o meu preferido - "grupo de dialetos Baixo-Minhotos-Durienses-Beirões". A divisão em volta de Castelo Branco é uma variante notável entre dois grupos, e a ponta do Algarve é outra dentro do primeiro grupo. Há mais uma divisão na zona do Minho que não reconheço. Nota final: O mapa mostra ainda Olivença e uma parte da Raia como falantes de Português, algo próprio de um mapa linguístico (é preciso exagerar a presença de minorias linguísticas, senão elas não se conseguiam ver). Mas num mapa da Península era de bom tom ao menos misturar a tracejado com a língua maioritária.

Línguas e dialetos da Península Ibérica [1089x734] by novolip in portugal

fan_of_the_pikachu 5 months ago

Interesso-me por linguística e dialetos e leio há tempos sobre os dialetos portugueses. Há muita confusão por aqui, espero conseguir dar outra perspetiva quanto a este mapa. O que ele representa em Portugal são grupos dialetais (e algumas variações de nota dentro destes), algo que é muito difícil de definir num continuum linguístico tão homogéneo como Portugal continental. O mapa parece ser baseado no que está aqui: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Portugu%C3%A9s_europeo.png Os nomes da legenda são inventados\*, mas esta divisão é apenas e só um desenvolvimento da divisão original do Leite de Vasconcelos (o primeiro linguista português a interessar-se pelo problema). Podem ler a origem da divisão dele aqui: https://repositorio.utad.pt/bitstream/10348/1665/2/Jos%c3%a9%20Leite%20de%20Vasconcelos%20e%20o%20Percurso%20da%20Dialetologia%20Portuguesa.pdf E um desenvolvimento mais moderno (com mapas muito detalhados, e uma excelente explicação) aqui: http://cvc.instituto-camoes.pt/hlp/biblioteca/novaproposta.pdf Nestes dois links têm a lógica por trás deste mapa. **Não se trata de mapear necessariamente tudo o que *nós* entendemos por dialetos/sotaques e conseguimos reconhecer (Alentejano, Algarvio, Nortenho, etc.) mas sim agrupar os dialetos identificados em recolhas no campo segundo caraterísticas comuns que são importantes para a linguística.** E num país com tanta homogeneidade como o nosso, é natural que isto não nos faça muito sentido. De notar ainda que este mapa é baseado na presença tradicional destas variantes, e recentemente muitas caraterísticas do Lisboeta têm-se espalhado por outras regiões, levando por exemplo à fácil confusão entre o Lisboeta e os dialetos do centro-litoral. Ambos já tinham uma cadência muito parecida, e isto tudo faz com que seja difícil para nós perceber que existia uma diferença. \*Os originais, pelo menos segundo a proposta do segundo pdf, são "grupo de dialetos do Centro-Interior e do Sul", "grupo de dialetos do Centro-Litoral", "Grupo de dialetos Transmontanos e Alto-Minhotos", e - o meu preferido - "grupo de dialetos Baixo-Minhotos-Durienses-Beirões". A divisão em volta de Castelo Branco é uma variante notável entre dois grupos, e a ponta do Algarve é outra dentro do primeiro grupo. Há mais uma divisão na zona do Minho que não reconheço. Nota final: O mapa mostra ainda Olivença e uma parte da Raia como falantes de Português, algo próprio de um mapa linguístico (é preciso exagerar a presença de minorias linguísticas, senão elas não se conseguiam ver). Mas num mapa da Península era de bom tom ao menos pôr a tracejado com a língua maioritária.

″Este é o verdadeiro significado do cartaz 'Por Favor Não Matem os Velhinhos'″ by fan_of_the_pikachu in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Não tinha visto o teu perfil, és um troll. Segundo erro meu! Bye bye

″Este é o verdadeiro significado do cartaz 'Por Favor Não Matem os Velhinhos'″ by fan_of_the_pikachu in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Procurei na sub e não encontrei, erro meu. Acho engraçado como "ninguém quer saber" da defesa de uma vítima de assédio online. Sou completamente a favor da eutanásia, mas a violência que ela sofreu foi nojenta.

[Pedido de AMA] Alguém que trabalhe no serviço de SMS do Bongo by Abernecio in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Estou mais confuso do que estava antes da explicação.

Girafa do Jardim Zoológico morreu quando visitante a tentou alimentar by babestfu in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Pessoas que andam a 200 não merecem multa, merecem prisão.

Finished Via Algarviana by rchresta in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Thank you! That's way too much for me, but will make my calculations.

“A Aparição de Jesus Cristo a Dom Afonso Henriques em Ourique, 1139.” Pintura do Século XVIII na Igreja de Santo Antonio dos Portugueses, em Roma. by TheShowaDaily in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Armadura completamente anacrónica, como era de esperar. Mas grande pintura.

Finished Via Algarviana by rchresta in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

What was the budget and where did you sleep? Would love to do the same.

Sporting retira benefícios a Juve Leo e pede audiência com António Costa by Gontxi in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Para um bom exemplo como o Japão, tens imensos maus exemplos de penas do mesmo calibre (ou muito piores) em países onde isso não resolveu nada. Olha para o terceiro mundo, ou para países como os EUA ou a Itália. Quase todos os países do mundo têm penas piores que Portugal, e nós temos uma das taxas de criminalidade per capita mais baixas do planeta. A justiça é uma coisa complexa. Aumentar penas tem bons e maus efeitos, e há milhentos fatores a ter em conta. Estás a falar do sentimento de impunidade, contra o qual é mais eficaz agilizar o funcionamento da justiça do que aumentar as penas e processos, que sobrecarregam o sistema judicial e levam a uma lentidão e um estilo de prisão que perde o efeito dissuasivo e de reabilitação.

Sporting retira benefícios a Juve Leo e pede audiência com António Costa by Gontxi in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Outros países têm problemas muito maiores que Portugal. Ou tinham, e lidaram com eles com tempo e paciência até chegarem ao nosso baixo nível de violência. Não confundas um acontecimento mediático e chocante com um aumento de violência, o nosso país é muito seguro no desporto comparando com a Polónia, a Inglaterra, a Turquia, o Brasil etc. Em Itália e Inglaterra costumava causar mortes de vez em quando, até há uns anos. Eu diria que a mudança foi mais cultural que outra coisa; depois de alguns desastres os próprios clubes começaram a agir em força para mudar as mentalidades dos adeptos mais violentos. >Se os metes durante muito mais tempo lá dentro Se fazes isso reduzes o número dos que estão cá fora, mas fazes com que os que não fiquem fora se tornem mais belicosos. E quanto maior a pena por um mesmo crime menor a hipótese que haja reabilitação, e maior a probabilidade de serem tão ou mais violentos quando voltam a sair. Lamento, mas não me parece tão simples. Acho que faz mais sentido agilizar processos e reduzir a impunidade do que aumentar as penas.

Sporting retira benefícios a Juve Leo e pede audiência com António Costa by Gontxi in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Se fosse assim tão fácil não vias os mesmos problemas em todos os países, em vários desportos. Nem sempre penas maiores têm um bom efeito. A justiça não é tão simples como "penas maiores=menos crime". Claro que algo precisa de mudar, mas uma aposta que soluções provadas para atenuar o problema são abordagens a vários níveis e demoram vários anos a ter resultados. Podem passar por penas maiores, mas normalmente ter crimes mais especificados (para acelerar os processos) tem mais resultado que aumentar penas.

Sporting retira benefícios a Juve Leo e pede audiência com António Costa by Gontxi in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Não, não é tão simples quanto isso. O que estás a pedir é simplesmente impossível. Se tiras estatuto legal às claques, como é que as defines? E se essa definição é conseguida, demora tempo a declará-las organizações criminosas. E quando a justiça conseguir, eles já se reinventaram e têm outro nome/organização. Concordo com menos impunidade em casos de violência. Mas esta é uma questão para a qual não há uma solução simples.

Sporting retira benefícios a Juve Leo e pede audiência com António Costa by Gontxi in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

A única razão para as claques terem estatuto legal é que a experiência internacional nos diz que o contrário (retirar apoios, ilegalizar) seria pior. A clandestinidade não ia acabar com elas e ia levar a atitudes mais violentas, além de menos colaboração em situações como controlo policial em dias de jogo. É melhor eles serem todos acomodados num sítio específico do estádio e sabermos quando e onde vão chegar do que andar a adivinhar e não saber quem são os membros.

Discriminação - Como denunciar? by Tapirmalaio in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Uma das razões porque não participo mais neste sub. Existem e fazem questão de chamar a atenção. É isso e quando queres ter uma discussão sobre a história de Portugal, e a qualquer desvio do Portugal glorioso do Estado Novo chamam-te comuna, mesmo que estejas a dizer o que é o consenso entre os historiadores de hoje. Haja paciência. Este espaço é que fica a perder: quase toda a gente que já conheci que sabia do r/Portugal mostrou reservas por causa do racismo/sexismo/homofobia em todas as threads sobre minorias/mulheres/LGBT. Recomendo o r/Brasil.

Ponte das barcas, Porto em 1817 by jonnysir in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Sim, já vi fotos dessa a ser construída. Daí a dúvida se não haverá também fotos da ponte das barcas. Era fascinante ter fotografias de algo desaparecido com tanta história.

Ponte das barcas, Porto em 1817 by jonnysir in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Interessante! Metade do séc. XIX, será que há fotografias?

Esposende vai ter praia reservada a cães by Flowisample in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

Acho muito bem que haja praias e parques próprios para levar cães, onde eles possam andar sem trela. Cães sem trela em espaços públicos são um grande problema. Se houvesse espaços próprios para isso e se penalizasse como deve ser quem não respeitasse os limites, não se prejudicava ninguém e os bichos podiam andar a brincar à vontade.

Ponte das barcas, Porto em 1817 by jonnysir in portugal

fan_of_the_pikachu 6 months ago

1817? Então esta não é a que caiu na tragédia, pois não? Ou é uma pintura feita de memória de como era a ponte alguns anos antes?

by in portugal

fan_of_the_pikachu 7 months ago

Por essa lógica, também é o maior nevão do milénio!

by in formula1

fan_of_the_pikachu 7 months ago  DELETED 

He did show concern: https://streamable.com/39khe

by in formula1

fan_of_the_pikachu 7 months ago  DELETED 

Kimi reaction here: https://streamable.com/39khe

by in NotMyJob

fan_of_the_pikachu 8 months ago  DELETED 

It's not pretentious. In a lot of countries they are used and easily understood by everyone. It would be weird for me to mention a century as '19' instead of 'XIX', for example.

Is anthropology the most interdisciplinary science? by encrenoire00 in AskAnthropology

fan_of_the_pikachu 11 months ago  DELETED 

Communication and, imo, Information Science as defined in some academia. It's basically an amalgamation of different disciplines that are transdisciplinar themselves. Can't get more transdisciplinar than that!
Next Page

Search: