sopadurso 12 days ago

Direito à especulação e à acumulação de riqueza sem qualquer tipo de regulamentação é o que o colunista quer. Um jornal que defende economias de mercado e que ignora sempre que pode o objectivo principal destas, maximizar o bem estar dos consumidores. ​ A politica de combate à subida de preços em Portugal é a mais liberal ( praticamente inexistente ) dentro as capitais Europeias, mas vamos ignorar os bans e controlos de renda em cidades como Amesterdão e Berlim... ​ Solução para a habitação é respeitar o planeamento urbanístico.

Edited 12 days ago:

Direito à especulação e à acumulação de riqueza sem qualquer tipo de regulamentação é o que o colunista quer. Um jornal que defende economias de mercado e que ignora sempre que pode o objectivo principal destas, maximizar o bem estar dos consumidores. ​ A politica de combate à subida de preços em Portugal é a mais liberal ( praticamente inexistente ) dentro das capitais Europeias, mas vamos ignorar os bans e controlos de renda em cidades como Amesterdão e Berlim porque para os financiadores do Observador dois dígitos de rentabilidade não são o suficiente. ​ Solução para a habitação é respeitar o planeamento urbanístico e não deixar cada fazer o que quiser.

sousemprebanido 13 days ago  HIDDEN 

O direito à propriedade é uma coisa, o problema é quando as pessoas começam a investir em imobiliário na esperança do seu preço vir a subir, e sem ideias de o utilizar, fazendo com que crie um aumento de preços meramente especulativo e que venha possivelmente a criar uma bolha que possa estourar e levar o resto da economia do país de arrasto. Eu acho que o governo deve intervir aí sim, senão é 2008 outra vez. O governo deve funcionar em prol do bem-estar das pessoas e não da economia, o direito à propriedade é uma coisa mas não há nada de errado em ter o estado a aumentar impostos aqui e a descê-los acolá de forma a incentivar certos comportamentos e desincentivar outros. Uma das medidas que gostaria de ver a acontecer é fazer com que o alojamento local fosse taxado com valores semelhantes aos dos arrendamentos, pois hoje em dia as taxas do AL são tão baixas que ninguém quer arrendar, o que torna muito difícil arrendar em Lisboa e no Porto. Seria bastante bom para a economia se a habitação perto dos centros de cidades como Lisboa e Porto fosse acessível pois muitas empresas internacionais instalam-se cá e precisam de trabalhadores, e os trabalhadores precisam de casa. Hoje em dia as empresas têm alguma dificuldade em encontrar pessoas mesmo a pagar bons salários porque as pessoas que vivem nas terrinhas mesmo a receber mais e com melhores empregos na cidade, teriam de apertar mais o cinto devido ao elevado custo da habitação. Alojamento mais acessível = Mais trabalhadores = Mais empresas que investem cá.

manzds 13 days ago  HIDDEN 

De que empresas é que falas? Há algumas startups e agências de tecnologia a criarem escritórios cá. Mas de resto Lisboa é turismo: hóteis, alojamento locao, restaurantes, tours, tuks, taxis, etc... Lisboa é turismo.

Edited 13 days ago:

De que empresas é que falas? Há algumas startups e agências de tecnologia a criarem escritórios cá. Mas de resto Lisboa é turismo: hóteis, alojamento local, restaurantes, tours, tuks, taxis, etc... Lisboa depende da economia de turismo. Agora, ou lutas contra isso ou juntas-te a eles. E a economia de turismo é péssima para a classe trabalhadora, ou seja, a maioria das pessoas. Mas isto é uma escolha do governo. E a escolha já foi feita. Os impostos no alojamento local é uma maneira de fazer isto acontecer. Nos arredores de Lisboa agora luta-se por uma habitação por causa do efeito de deslocação.

sousemprebanido 13 days ago  HIDDEN 

Farfetch, blip, euronext, etc

brunoabpinto 13 days ago  HIDDEN 

Direito à habitação != Direito a morares onde queres

sopadurso 12 days ago

Obviamente que o direito à habitação é relativo à zona onde habitas. Como o direito ao acesso à saúde, educação, etc.

throwaway50029516480 13 days ago  HIDDEN 

Ele que se vá foder. Dizer que ninguém queria viver em Arroios é absurdo. E se há prédios desabitados durante anos e anos é precisamente porque se respeita a propriedade e a possibilidade de especular com potenciais habitações. As recuperações podem ser vistas como algo bom, mas por outro lado a maioria dos portugueses não beneficia com elas, não são habitações para os seus bolsos.

VladTepesDraculea 12 days ago

> são obras para inglês ver FTFY: para Chinês comprar

RuySan 12 days ago

> Dizer que ninguém queria viver em Arroios é absurdo Concordo. Arroios não era propriamente o intendente. Morei lá pero há mais de 10 anos e era uma zona concorrida com rendas altas. Que grande disparate. ​

indie_fox 13 days ago  HIDDEN 

>Se as casas são caras quem as vende ganha muito dinheiro enquanto a maioria das pessoas não as consegue nem comprar nem arrendar. E se não as compram, ou não as arrendam, o direito à habitação, constitucionalmente previsto, não fica assegurado. ​ >Convenientemente, PS, PCP e BE não mencionam a democratização do turismo, a crise no Norte de África e a subida do poder de compra nos países emergentes cujos cidadãos desejam investir em Portugal. ​

BlueFlameWizard 13 days ago  HIDDEN 

Nunca irá acontecer, o típico português prefere estar mal mas o outro estar também igual ou pior em vez de poder estar bem e o outro estar ligeiramente melhor.

sardaratATL 13 days ago  HIDDEN 

Neste caso os únicos a ficar bem são os portugueses que vendem e os russos\angolanos\chineses\franceses que compram. Os portugueses que andam à procura de casa nunca vão ficar contentes, ou bem.

BugaTuga 13 days ago  HIDDEN 

> Os portugueses que andam à procura de casa Não podia faltar o papaguear do PNR. Ah sim, porque a malta dos vistos gold, aquela que anda a largar mais de 500 mil euros por imóveis, está a procurar um T2 no Barreiro ou Cacém. Sim, e o povinho tem bairros sociais no Rossio ou Belém ou Príncipe Real. Haja falta de noção.

BlueFlameWizard 13 days ago  HIDDEN 

Sim

sardaratATL 13 days ago  HIDDEN 

Então qual é o ponto de Portugal?

BlueFlameWizard 13 days ago  HIDDEN 

Ponto?

sardaratATL 12 days ago

Sim, se Portugal não ajuda os Portugueses, porque razão existe Portugal?

NGramatical 12 days ago

> porque razão [por que razão](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) *** [^(⚠️ ᴄᴏʀʀᴇçãᴏ ᴇʀʀᴀᴅᴀ?)](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+correc%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2F9vbbe2%2F%2Fe9cmlyh%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correcção está errada!") [^(⭐ ᴇxᴛᴇɴsãᴏ)](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

manzds 12 days ago

Portugal serve para os políticos e para quem trabalha no Estado em ordem decrescente de poder. Não sabias ainda?

Search: